You are on page 1of 30

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIENCIAS – CTG
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA

Ecologia e Controle da Poluição na Produção de Aços
no Brasil

Alunos: Ana Cristina Ribeiro Pires
Reurison Silva Rodrigues
Samir José Nunes Gonçalves

Recife, PE
26 de Janeiro de 2015

Sumário
Introdução...................................................................................................... 3
Fluxograma do Processo de Produção............................................................4
Introdução...................................................................................................... 5
Matérias Primas.............................................................................................. 6
Aspecto Social.............................................................................................. 12
Aspecto Econômico...................................................................................... 15
Aspecto Ambiental....................................................................................... 17
Emissões Atmosféricas.............................................................................. 17
Efluentes Líquidos..................................................................................... 17
Rejeitos Sólidos......................................................................................... 19
Aumento de produção............................................................................... 19
Conclusão..................................................................................................... 21
Referencias Bibliográficas............................................................................ 22

Introdução
Cada tonelada de aço produzida gera 594 quilos de resíduos. O Instituto Aço
Brasil calcula em 17,7 milhões de toneladas o total de resíduos gerados na
produção siderúrgica apenas em 2013. Se todo esse material fosse
destinado a aterros, estaríamos diante de um problema ambiental de
grandes proporções. Mas não é isso o que ocorre. Ao longo do tempo, a
indústria siderúrgica desenvolveu estratégias para transformar dejetos
ambientais em uma fonte de receitas, reaproveitando os resíduos. É bom
para a natureza e também para o caixa das companhias.
Do total de 17,7 milhões de toneladas de resíduos de 2013, três milhões de
toneladas são sucatas ferrosas com um grau de pureza adequada para que
voltassem ao processo produtivo das próprias siderúrgicas, alimentando as
aciarias (empresa de transformação do aço) e reduzindo assim a demanda
por minério de ferro.
Mas no processo produtivo do aço há vários tipos de resíduos, como a
escória do alto forno e da aciaria, além de pó, materiais finos e lama. O
destino desses materiais é a transformação em coprodutos. Ou seja, são
beneficiados com o objetivo de gerar novos produtos que serão utilizados
como matéria-prima de outras indústrias. Quase a totalidade da escória de
alto forno, 99%, é vendida para a indústria de cimento, reduzindo o
consumo de recursos naturais provenientes da mineração de rochas e de
areia na produção do cimento e do concreto.
São vários os destinos dos coprodutos siderúrgicos. Eles são utilizados na
produção de asfalto e na pavimentação de estradas, na recuperação
paisagística, são empregados como lastro ferroviário, como fonte energética
e também são insumos da lã mineral de corretivos de solo e fertilizantes.
Neste trabalho iremos analisar quais são os tipos de poluentes mais comuns
emitidos, em cada etapa, do processo de fabricação de aço. Outro fator a
destacar é quais serão os usos desses dejetos, se serão descartados no
meio ambiente ou retornarão para o processo como meio de economizar
matéria prima e energia.

foram obtidos significativos avanços no desenvolvimento de tecnologias que permitiram aumentar a eficiência energética. A partir do século passado.Fluxograma do Processo de Produção Matérias Primas O consumo das principais matérias-primas e insumos utilizados na produção do aço estão indicados na tabela abaixo. o . a redução do consumo especifico de matérias-primas. O processo de fabricação do aço é intensivo em relação ao consumo de algumas matérias-primas e insumos.

Além disso.reaproveitamento dos gases e resíduos do processo e a maximização da recirculação de água. sendo. portanto. No brasil cerca de 11% da produção brasileira de aço é obtida a partir do uso do carvão vegetal como redutor em substituição ao coque. . as emissões de CO2 geradas no processo industrial são compensadas pelo processo de fotossíntese que ocorre nas florestas plantadas para a obtenção do carvão vegetal. de origem renovável. O carvão vegetal é obtido a partir da madeira de florestas (biomassa).

atualmente. nos altos fornos. cabendo ressaltar que o carvão vegetal somente é usado em altos fornos de menor capacidade. O setor possui. capacidade instalada para fabricar mais de 47 milhões de toneladas de aço por ano. para obtenção do ferro metálico. conforme apresentado na figura abaixo. havendo maior concentração na região Sudeste. todas de grande porte. sendo 14 integradas e 15 semi-integradas. usando o carvão (mineral ou vegetal) como agente redutor. Esta região responde por 94% da produção de aço do país e nela estão localizadas todas as seis grandes usinas integradas de coque. edifícios. pontes e viadutos. e um parque produtor que conta com 29 usinas.Aspecto Social A indústria do aço está associada à história de desenvolvimento do Brasil. Das usinas siderúrgicas instaladas no País saiu o aço de nossas hidrelétricas. além de seis das sete que operam à base de carvão vegetal. torres de transmissão. . O aço é o material usado em todos os meios de transporte e está presente em todos os momentos de nosso dia-a-dia. O parque produtor de aço do Brasil está instalando em 10 estados. controladas por onze diferentes grupos empresariais. O aço está nas máquinas e equipamentos que impulsionam o agrobusiness e todos os segmentos industriais. As usinas semi-integradas não têm a etapa de redução e usam a sucata de aço e ferro gusa para alimentar as aciarias elétricas. As usinas integradas são aquelas que produzem aço a partir do minério de ferro.

as exportações de aço representaram 3. a capacidade instalada do setor corresponde ao dobro de suas vendas internas anualizadas.0% das importações brasileiras.Produção Brasileira de Aço Bruto Em 2011. representando 2. e 3. pode-se atribuir à siderurgia cerca de 3 milhões de empregos distribuídos dentre os diversos setores produtivos da economia.3% na produção latino-americana do setor.0% (considerando efeitos diretos. gerando um impacto no PIB nacional de 4.8 milhões de toneladas.6 bilhões de dólares.7% em volume quando comparado ao ano anterior. De acordo com estudo desenvolvido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 2011 sobre a importância estratégica do aço na economia brasileira.8% do total da economia.0% em valor e 20. Atualmente.0% superior a 2010. e correspondendo a um aumento de 45. No que se refere às importações. .8 milhões de toneladas de produtos siderúrgicos. uma quantidade 35.9% abaixo comparada ao mesmo período do ano anterior.Aspecto Econômico A indústria brasileira do aço ocupa posição estratégica na estrutura produtiva do país. Cabe ressaltar que.4% na produção global e de 51.2 milhões de toneladas em 2011. indiretos e induzidos). com participação de 2. 7. Figura 1. totalizando 8. registrou-se em 2011 um total de 4. Esta produção situa o Brasil como 9º maior produtor mundial. A indústria de aço nacional dispõe de tecnologias avançadas de produção e beneficiamento. A produção de aço bruto do setor (Gráfico 1) atingiu 35. o valor de produção do segmento corresponde a 4. levando-se em consideração os impactos indiretos e induzidos adotados no estudo desenvolvido pela FGV.3% do valor total exportado no Brasil. com potencial para produzir os mais diversos produtos siderúrgicos e capacidade instalada bastante superior à demanda do mercado interno.4 bilhões de dólares e 10.

enquanto que a laminação contínua fez baixar o consumo de energia e logo das emissões. Os poluentes atmosféricos variam segundo o processo empregado. as fontes e as quantidades de energia utilizadas. Resultando em ganhos de produção e uma melhora na qualidade. os óxidos de nitrogênio. onde é essencialmente formado na combustão. nós podemos citar essas substâncias gasosas como os óxidos de enxofre. a técnica e a configuração da usina. Entre os poluentes encontrados na produção de aço e ferro podemos explicitar os seguintes: . o dióxido de enxofre pode reagir com os radicais oxigênio e o vapor de água para formar um aerossol de ácido sulfúrico que. As emissões de forno de coque et de usinas utilizando os subprodutos de fornos de coque também tem causado inquietude. Eles são sucessíveis de formar aerossóis inaláveis que podem ser eliminados da atmosfera por deposição húmida ou seca. Eles provem de montes de minério de ferro. forma a mais visível das emissões. por exemplo. se combinado a amônia. As matérias particulares como a fuligem e poeira suscetíveis de conter óxidos de ferro tem igualmente requerido atenção.Aspecto Ambiental Emissões atmosféricas Desde muito tempo. Numerando esses poluentes. as emissões de poluentes atmosféricos provenientes das operações de fabricação de ferro e aço são uma fonte de preocupação para o ambiente. Eles se combinam a água para formar ácido nítrico que. são uma mistura complexa e variável de matérias orgânicas e inorgânicas. se formam essencialmente no processo de combustão. A introdução da conversão a oxigênio. depende principalmente da quantidade de combustível fóssil utilizado. ou ainda a ocasião de operações de carregamento ou de transporte. eles reagem com o oxigênio e com os compostos orgânicos voláteis para formar ozônio. a amplitude de reciclagem de dejetos e a eficácia das medidas de despoluição. -Óxidos de Nitrogênio: Como os óxidos de enxofre. o dióxido de nitrogênio e o monóxido de carbono. Os . O coque e o gás de coque também são importantes fontes deste dióxido. por sua vez. permitiu coletar e reciclar racionalmente os gases de combustão rejeitados e de reduzir assim as quantidades evacuadas. -As matérias particulares: As matérias particulares. do carbono. Na atmosfera. Sob o efeito dos raios ultravioletas. entra em reação com a amônia para produzir nitrato de amônia. as matérias primas utilizadas. pode resultar no aerossol de sulfato de amônia.Dióxido de Enxofre: A quantidade de dióxido de enxofre.

-Emissões orgânicas: As emissões orgânicas provenientes da elaboração do aço bruto contêm emissões de benzeno. a substituição de óleo combustível por gás natural são exemplos desse esforço. Nesses casos. etc. -Metais pesados: Os metais como cádmium. tolueno. solventes. Importantes quantidades de poeira e fumaça são produzidas em numerosas etapas da elaboração do ferro e do aço. assim como a duração e intensidade de exposição. vapor. o esforço para redução das emissões de CO2 está focado na busca de maior eficiência energética. os altos-fornos. níquel. A emissões da produção ainda podem conter metais pesados (chumbo. zinco. ferros velhos empregados como matéria prima podem conter várias dessas substâncias. No processo de produção de ferro e aço. Em termos de porcentagem a quantidade de monóxido de carbono contida em cada um desses processos são: 22 a 30% para o gás do alto-forno. lubrificantes).processos de aglomeração ou de fabricação do ferro fundido e do aço levam a movimentação de finas partículas quando o ferro em fusão entra em contato com o ar. a injeção de finos de carvão. conversores e os fogões a coque produzem importantes quantidades de gás. mercúrio. produzem poeira e emissões de alcatrão. pintura ou outro processo de revestimento. A necessidade de uso do carvão mineral no processo restringe as possibilidades de diminuir o impacto nas empresas que utilizam esse meio tecnológico. Certos poluentes orgânicos escapam dos sistemas convencionais de purificação de gás. zinco. Segundo a sua proveniência e sua precedente utilização (por exemplo. xileno. Os fornos a coque. manganês. da composição química das partículas. O aproveitamento de gases do processo. níquel e o cromo podem ser emitidos pelos fornos sob forma de poeira. O coque é usado como agente redutor do minério de ferro para obtenção do ferro metálico que dará origem ao aço.) na forma de fumaça. de seu lado. . conforme a reação química a seguir: Portanto. O gráfico a seguir demonstra as emissões específicas médias de NOx e SOx e material particulado das plantas. a emissão de CO2 na etapa de redução (alto forno) é inevitável. fumos. Os efeitos potenciais sobre a saúde dependem da concentração. o chumbo. 5 a 10% para o gás do forno a coque e 68 a 70% para o gás do conversor. este que provoca a formação de dióxido de ferro. cromo. hidrocarbonetos aromáticos policíclicos. de dióxidos e fenóis. manganês.

em sistema de refrigeração. cada gota economizada vale ouro. além de economicamente vantajosa. os esforços das empresas para poupar o precioso líquido por meio do reaproveitamento no processo produtivo ganham relevância. como agente de limpeza. somente 2. e dependendo da disponibilidade local.6%. entre outras aplicações. Atualmente.Efluentes líquidos Na indústria a água pode ser aplicada tanto como matéria prima ou como meio de transporte. como fonte de vapor e como produção de energia. de acordo com sua finalidade e mantém o processo produtivo regularmente abastecido ao reaproveitar o efluente produzido pela própria indústria. acompanha a tendência mundial de preservação das reservas de água bruta.4% dos recursos hídricos são captados externamente. hoje consegue produzir uma tonelada de aço em 6 toneladas de água. E não só isso. A maioria da água utilizada nas usinas é empregada em sistemas de resfriamento. Uma redução de 94%. Em 2010. a indústria brasileira do aço conta com índices elevados de . Essa prática. Um dos exemplos que obtemos de indústrias que aplicam o procedimento de reuso da água é a Gerdau. o índice de recirculação alcançou 97. Nesse cenário. A indústria do aço que chegava a consumir 100 toneladas de água para cada tonelada de aço. Portanto. principalmente em razão das perdas por evaporação. sobretudo quando se considera que 100 mil litros de água movem as engrenagens da indústria brasileira. vemos que algumas indústrias estão percebendo o cuidado que é preciso ter com questão ao reuso. por segundo. O que é um desempenho excelente frente à realidade de muitas outras siderurgias que ainda não dão a atenção devida ao desenvolvimento sustentável e não visa que dessa forma até seus custos de produção seriam diminuídos e uma melhor qualidade de trabalho existirá. devido às novas tecnologias e a reutilização da água na indústria. Com poucos investimentos as indústrias conseguem reaproveitar cerca de 60% da água consumida. O reuso para fins industriais propicia o controle de qualidade da água. como podemos ver: Em tempos de seca e risco de racionamento de água e energia elétrica. Segundo informações do site da empresa temos o seguinte: Os níveis de reaproveitamento de água na Gerdau são referência frente aos números da siderurgia. utiliza-se água salobra ou salgada sem prejuízo à qualidade do processo. Em algumas usinas.

os subprodutos até o produto final. .recirculação de água doce. No gráfico a seguir podemos ver um esquemático da circulação de água sobre o processo de produção de aço. apresentou índice de 96% o que significa dizer que 4. A imagem a seguir mostra o percentual de água utilizado no processo de produção de aço como um todo. garantindo que as empresas brasileiras estejam entre as melhores em nível global. O dado da utilização de água para outros usos não pode ser estimado pela quantidade de aço produzido. A quantidade de água está relacionada a quantidade em toneladas de aço na saída do processo. Esse aumento de eficiência resultou em significativa redução da captação nos corpos d’água e do lançamento de efluentes. que em 2013. As operações das usinas produtoras de aço exigem uma grande quantidade de água. Na imagem seguinte é possível perceber as entradas e saídas do processo de fabricação de aço. que é utilizada em diferentes etapas do processo industrial. A principal delas é a recirculação de água.7 bilhões de metros cúbicos de água circulam anualmente em circuito. a quantidade de água utilizada. Todo o efluente lançado pelas empresas passa por processo de tratamento a fim de garantir que a sua qualidade esteja dentro dos padrões exigidos pela legislação e órgão ambientais. no que diz respeito as matérias primas de entrada. superior a 96%. As empresas dispõem de estações de tratamento da água e dos efluentes que permitem o seu reaproveitamento na unidade de produção original ou sua alocação em outra unidade. Diferentes iniciativas vêm sendo empregadas pelas empresas do setor visando a racionalização do uso de recursos hídricos.

.A maior parte da água utilizada nas unidades industriais de produção de aço é empregada em processo de resfriamento. há possibilidade de utilização de água do mar ou salobra sem prejuízo à qualidade do processo e com impacto controlador sobre o meio ambiente. Os dados abaixo apresentam o nível de recirculação de água no processo de fabricação do aço tanto para água doce quanto para água salgada. Em alguns processos. e dependendo da disponibilidade desses recursos na região. Os dados são relativos ao período compreendido entre 2009 e 2011.

EFLUENTES É preocupação constante das usinas produtoras de aço o controle da qualidade de seus efluentes. Uma vez utilizada. por decisão dos respectivos comitês de bacias. sempre buscando a redução de impactos na natureza.72/m^3. o total de água doce utilizada pelas empresas associadas chegou a 177. de uma série de fatores que vão além do volume utilizado. Parte das unidades industriais das empresas associadas já realiza o pagamento pelo uso da água. realizando o pagamento diretamente a essas concessionárias. Essa cobrança é feita em algumas bacias hidrográficas. O valor médio pago por metro cúbico captado de água em 2011 foi de R$ 0. A utilização desse recurso. não havendo contato da água utilizada com outros elementos do processo produtivo. a água salobra tem apenas sua temperatura monitorada para ser devolvida ao corpo hídrico do qual foi captada. . geralmente. consumo humano e atividade sanitárias. reduz a demanda de água doce no processo produtivo. Em 2011. O valor pago pela água utilizada depende. com monitoramento de sua qualidade inclusive maximizando a recirculação de seus efluentes alcançando a meta “descarte zero”.87 de metro cubico de água por tonelada de aço bruto produzido.9 milhões de metros cúbicos. operando em sistemas totalmente fechados. quando disponível na localidade. como por exemplo. Segundo o instituto Aço Brasil todas as empresas a ele associadas possuem estações de tratamento de efluentes. deixando-a disponível para outras finalidades. as unidades industriais não fazem a captação direta de água e utilizam a rede de abastecimento local.A água do mar ou salobra é utilizada em sistemas de resfriamento. do consumo e da qualidade dos efluentes devolvidos ao corpo hídrico. Em alguns casos. o que representa uma utilização específica de 5. O pagamento feito pelos usuários de água em uma determinada bacia hidrográfica é calculado com base em parâmetros que dependem da captação.

foram lançados 85. floculação e coagulação. tratamento biológico. resfriamento.5 milhões de metros cúbicos por ano. Os efluentes industriais e sanitários têm seus parâmetros medidos para que se mantenham em acordo com padrões de qualidade legais antes do seu descarte. filtração.7 milhões de metros cúbicos. neutralização e ajuste do pH. entre outros. sedimentação. Superando o ano de 2011 que foi de 74.Todos os efluentes das plantas industriais antes de serem lançados no meioambiente devem passar por alguns processos que visem seu tratamento. como por exemplo: separação do óleo da água. Os dados a seguir demonstram a quantidade de água doce descartada no processo de fabricação de aço para o período compreendido entre 2011 e 2013. . Em 2013.

o que significa uma redução de 21%. Ela é feita por aquecimento de coque. O aço é uma liga de ferro e de carbono. Ele pode ser produzido de duas maneiras: o processo básico da fornalha de oxigênio. Cadeias de processos dentro da indústria são longos. há uma tendência de crescimento da adoção de tais tecnologias de recuperação de resíduos que convertem resíduos em riqueza. Muitas tecnologias diferentes são aplicadas e o processo tem um impacto significativo sobre o meio ambiente. tratando assim resíduos como subprodutos. minério de ferro e calcário em um alto-forno. Isto leva a trabalhos que visam o desenvolvimento de tecnologias sem resíduos. um combustível sólido de ferro. a indústria mundial do aço hoje usa apenas 1. Uma das principais preocupações da indústria mundial de aço é o depósito dos resíduos gerados em vários estágios de processamento.15 tonelada de insumos para fazer uma tonelada de aço. melhorias tecnológicas e um bom planejamento. que utiliza de 25 a 35 por cento de aço recuperado.Resíduos e Coprodutos A indústria siderúrgica é tanto econômica quanto energeticamente dispendiosa e seus volumes de produção são bastante elevados. Com investimentos em pesquisa. As tecnologias desenvolvidas para converter economicamente resíduos de usinas siderúrgicas em riqueza também proporcionam novas oportunidades de negócios para os futuros empresários. e . Por causa da preocupação em se tornar maximamente rentável.

A disposição dos resíduos sólidos gerados a partir dos processos da indústria siderúrgica é a maior preocupação.o processo de forno de arco elétrico. mas agora este termo foi substituído por subproduto para esses resíduos. bem como benefícios de taxa de combustível para o processo existente. a filosofia dos 3Rs: Reduzir. alguns resíduos sólidos na indústria de aço são essencialmente subprodutos gerados durante os vários processamentos dos materiais na produção de ferro e aço. com o objetivo final de melhorar a eficiência operacional e econômica da indústria siderúrgica. este são agora cada vez mais referenciados como "subprodutos". o que representa uma geração específica acima de 600kg desses materiais por tonelada de aço bruto produzido. Na verdade. que permite preservar os valores correspondentes de matérias-primas. poeira e a lama gerados pela indústria siderúrgica foram chamados resíduos sólidos. produz grandes quantidades de resíduos sólidos durante o processamento de materiais através de seus vários processos. até a última década. reduz as emissões de CO2 e ajuda a preservar os recursos naturais. Ela previne aterros de resíduos. ela gera receitas para os produtores de aço. Reutilizar e Reciclar e a gestão de resíduos eficiente é crucial para a indústria siderúrgica. . Alguns produtores no mundo chegam a relatar um aproveitamento de coprodutos e taxa de reciclagem de até 99%. anualmente. Subprodutos podem ser reciclados durante o processo de produção de aço ou vendidos para uso por outras indústrias. mas também fornecem uma quantidade substancial de minério de ferro e materiais de fluxo. Por exemplo. Estes resíduos sólidos têm muitos produtos valiosos. Estas medidas não só reduzir o custo de eliminação de resíduos e poluição do meio ambiente. A indústria do aço em todo o mundo já tomou uma série de medidas inovadoras que caminha para a utilização de 100% desses resíduos. sucata e lamas. A indústria do aço em geral. que podem ser reutilizados e recuperados economicamente. As empresas geram. que utiliza cerca de 100 por cento de aço recuperado. A utilização de coprodutos apoia a sustentabilidade da indústria do aço. Portanto. poeiras. cerca de 20 milhões de toneladas de resíduos e coprodutos. Devido à intensiva reutilização de alguns dos resíduos sólidos. Existem divergências nas interpretações das palavras "resíduos sólidos" e "subprodutos". Os principais coprodutos de ferro e produção de aço bruto são escórias. a escória. A venda de coprodutos também é economicamente sustentável.

Pelotização . As poeiras são geradas no chão das máquinas de sinterização. piche lodo e lama ácida. cerca de 80% do total desses materiais são reaproveitados no próprio processo ou por terceiros. óxido de magnésio (MgO) e carbono (C). Sinter Os resíduos sólidos gerados na producao do sinter são poeiras e lamas. e apenas 5% são destinados a aterros. A lama é gerada no clarificador da estação de tratamento de água. Estes são muito bons materiais para reciclagem sendo reinseridos na maquinas de sinterização ou ainda são misturados com finos de minério de ferro. Pó de carvão pode também ser reciclado em conjunto com o pó de coque. Pó de carvão é reciclado de volta através da mistura de carvão. pó de coque. Coque Os principais resíduos sólidos gerados na produção de coque metalúrgico são pó de carvão. adicionando-os à mistura de carga de sinterização. A seguir estão os principais resíduos sólidos / produtos / subprodutos em vários processos de produção de fundição de aço. Estas poeiras e lamas são ricos em ferro (Fe) e contém uma boa quantidade de cal (CaO).Atualmente. Existe ainda a Lama acida que deve ser neutralizada antes da sua eliminação.

O pó de aciaria e reciclados na produção de sínter. A maior parte da escória líquida fica granulada e é vendido para fabricantes de cimento. . Resíduos de metais são vendidos como sucata de ferro para re-fusão ou reciclados na aciaria. resíduos de metal quente. a escória. Alto-forno Os resíduos sólidos gerados durante a etapa do alto-forno são as poeiras. lamas. Uma pequena quantidade de escória é resfriado e é despejado em aterros sanitários ou usado na reparação de estradas dentro da própria fábrica. A lama é seco e é misturada com os finos de minério de ferro ou finos de coque ou reaproveitados na sinterização. Ambos são reciclados de volta o material em pelotas. Em qualquer dos casos. Poeiras são reciclados de volta na formação do sínter. o ferro da escória é separado e vendido para re-fusão. poeiras de gases.Os principais resíduos sólidos gerados na usina de pelotização são poeiras e pelotas verdes subdimensionadas.

Na tabela seguinte mostra-se a quantidade de dejetos gerados e reciclados na produção de aço do Japão no ano de 1992. Nós podemos encontrar mais de 1000 produtos químicos na siderurgia.Análise do Processo por Etapas Neste ponto iremos analisar o processo de produção de aço e mostrar quais são os coprodutos e resíduos gerados em cada etapa do processo. A coquefação gera sub produtos tais como: alcatrão. materiais refratários. A taxa de reciclagem é estimada em 90%. suas dimensões.) Enviados ao lixo (B) (1 000 ton. Tabela – Dejetos gerados e reciclados na produção de aço do Japão Gerados (A) (1 000 ton.) Reutilização (A-B)/A (%) . O aço. A principal fonte de emissão de enxofre na siderurgia resulta do emprego de combustíveis fosseis e escória do alto forno que contém alta quantidade de enxofre. benzeno e amoníaco. fluídos hidráulicos ou solventes utilizados para limpeza. seu uso e sua duração de serviço. eles estão presentes sobre a forma de matéria prima ou de poluentes no ferro velho e combustível. quer que seja sua qualidade. aditivos de processo especiais. físicas ou metalúrgicas. é integralmente reciclável sem degradação de suas características mecânicas.

1 82.7 Óleos 81 Total 41 519 3 570 91.0 65.8 91. .4 Fonte : International Iron and Steel Institute (IISI).Produtos Altos-fornos Conversores a oxigênio Forno a arco Subtotal 24 717 9 236 2 203 36 156 712 1 663 753 3 128 97.3 Pó 4 763 238 95. 1992.0 Lama 519 204 60. Agora um comparativo entre a produção mundial e a produção brasileira.

.Na imagem abaixo temos uma análise mais pormenorizada dos dejetos e resíduos para cada etapa do processo de produção.

criando um sério problema ambiental.Composição da Lama: São resíduos da indústria siderúrgica geradas no sistema de despoeiramento dos conversores que apresentam consideráveis teores de ferro. chegando a . em torno de 60%. visto que sua geração é considerável. Empresas que não desenvolveram formas de reciclar estes resíduos acabam destinando-os à deposição.

que é utilizada em diferentes etapas do processo industrial.valores da ordem de 36kg/t de aço produzido. Diferentes iniciativas vêm sendo empregadas pelas empresas do setor visando a racionalização do uso de recursos hídricos.7 bilhões de metros cúbicos de água circulam anualmente em circuito. há possibilidade de utilização de água do mar ou salobra sem prejuízo à qualidade do processo e com impacto controlador sobre o meio ambiente. Um dos principais problemas para a recliclagem da lama de aciaria é o seu elevado teor de umidade. ÁGUA As operações das usinas produtoras de aço exigem uma grande quantidade de água. que em 2013. A maior parte da água utilizada nas unidades industriais de produção de aço é empregada em processo de resfriamento. garantindo que as empresas brasileiras estejam entre as melhores em nível global. e dependendo da disponibilidade desses recursos na região. . Em alguns processos. A principal delas é a recirculação de água. apresentou índice de 96% o que significa dizer que 4.

.

.

Essa cobrança é feita em algumas bacias hidrográficas. realizando o pagamento diretamente a essas concessionárias. consumo humano e atividade sanitárias. o total de água doce utilizada pelas empresas associadas chegou a 177. Em alguns casos. Em 2013.72/m^3. Todos os efluentes das plantas industriais antes de serem lançados no meioambiente devem passar por alguns processo que visem seu tratamento. operando em sistemas totalmente fechados.87 de metro cubico de água por tonelada de aço bruto produzido. foram lançados 85. quando disponível na localidade. O pagamento feito pelos usuários de água em uma determinada bacia hidrográfica é calculado com base em parâmetros que dependem da captação.A água do mar ou salobra é utilizada em sistemas de resfriamento. O valor médio pago por metro cúbico captado de água em 2011 foi de R$ 0. deixando-a disponível para outras finalidades. tratamento biológico. Uma vez utilizada. sempre buscando a redução de impactos na natureza.7 milhões de metros cúbicos. A utilização desse recurso. sedimentação. resfriamento . Em 2011.5 milhões de metros cúbicos por ano. com monitoramento de sua qualidade inclusive maximizando a recirculação de seus efluentes alcançando a meta “descarte zero”. floculação e coagulação. a água salobra tem apenas sua temperatura monitorada para ser devolvida ao corpo hídrico do qual foi captada. Superando o ano de 2011 que foi de 74. como por exemplo. EFLUENTES É preocupação constante das usinas produtoras de aço o controle da qualidade de seus efluentes. Os efluentes industriais e sanitários têm seus parâmetros medidos para que se mantenham em acordo com padrões de qualidade legais antes do seu descarte. . Parte das unidades industriais das empresas associadas já realiza o pagamento pelo uso da água. por decisão dos respectivos comitês de bacias.9 milhões de metros cúbicos. geralmente. como por exemplo: separação do óleo da água. entre outros. do consumo e da qualidade dos efluentes devolvidos ao corpo hídrico. neutralização e ajuste do pH. O valor pago pela água utilizada depende. reduz a demanda de água doce no processo produtivo. de uma série de fatores que vão além do volume utilizado. as unidades industriais não fazem a captação direta de água e utilizam a rede de abastecimento local. Segundo o instituto Aço Brasil todas as empresas a ele associadas possuem estações de tratamento de efluentes. não havendo contato da água utilizada com outros elementos do processo produtivo. o que representa uma utilização específica de 5. filtração.

.

silício. predominantemente. benzeno refinado. Principal aplicação: na produção de cimento. -Carepa: Proveniente da oxidação da superfície do aço quando em contato com o ar. com predominância absoluta do óxido de ferro. corretamente identificados e bem conservados fazem parte da rotina. É constituída. a segurança do trabalho é o foco principal. formada a partir da ganga do minério. laminação a quente e a frio. xileno industrial.Desse processo resultam produtos como amônia anidra. silício. magnésio. alumínio. por óxidos de metais presentes na composição do aço. É gerada nos processos de lingotamento. tolueno industrial. naftaleno e outros. sinalização eficiente. materiais e equipamentos limpos.Reutilização Análise dos Coprodutos e resíduos na produção de aço da GERDAU: -Agregado siderúrgico de Aciaria: É um coproduto gerado na produção de aço nas aciarias. alumínio. -Agregado siderúrgico de Alto Forno: É um coproduto gerado na produção do ferro gusa nos altos fornos. Principais aplicações: matéria prima para a sinterização. óleo antracênico. As frações maiores são utilizadas como enriquecimento de carga metálica para fornos de gusa e aço. manganês. Devido às características da planta de carboquímicos. ferro. Principais aplicações: após beneficiamento é utilizado como agregado para pavimentação. É composto essencialmente de óxido de: cálcio. fósforo e enxofre. fabricação de cimento. forjamento. produção de artefatos de concreto e ferro ligas. produção de artefatos de concreto e misturas asfálticas e material de retorno na aciaria. -Carboquímicos: A área de Carboquímicos da Gerdau Açominas é composta por sete unidades que fazem o tratamento do gás de coqueria e do licor amoniacal. Caminhos e acessos bem demarcados. cinzas do redutor e escorificantes. Tem uma importante função de controle de processo e qualidade do aço. Apresentam-se na forma de pequenas partículas. -Amônia Anidra . além da destilação do alcatrão. drenagens. É composto essencialmente de óxido de: cálcio. magnésio. Principais aplicações: como combustível para reuso na siderurgia ou outras indústrias. piche. -Finos de Carvão e Finos de coque: São materiais resultantes da movimentação e peneiramento dos carvões e do coque.

-Benzeno Principais aplicações: anidrido maléico (plásticos). componentes de misturas selantes. corantes. refrigeração etc. aditivos para alimentos e poliméricos. desodorantes. inseticidas. benzaldeído. DBP. plasticizantes. -Óleo Antracênico Principais aplicações: negro de fumo. plasticizantes (fitalatos. produtos aromáticos. poliésteres). corantes. tinta. etc. -Naftaleno Líquido Principais aplicações: resinas sintéticas (alquídicas.Principais aplicações: fertilizantes. -Óleo Desinfetante Principais aplicações: matéria-prima para desinfetantes. -Óleo Creosoto Principais aplicações: absorção de óleos carboquímicos. produtos farmacêuticos. estireno. DOP). toluidina. síntese de corantes e seus intermediários etc. fibra sintética. -Piche Líquido Principais aplicações: produção de pasta anódica e catódica para indústria de ferroligas e alumínio. . isolantes. produtos farmacêuticos. etc. fosfato de amônio. combustível etc. solventes. etc. fibra sintética. -Xileno Industrial Principais aplicações: síntese de pigmentos orgânicos. -Tolueno Industrial Principais aplicações: ácido benzóico. ciclo hexano etc. uréia. nitrato de amônio. síntese de pavimentação. ácido nítrico. solventes de tintas.

enchimento de fendas. impermeabilizante. .-Alcatrão para Pavimentação (RT's) Principais aplicações: revestimento superficial leve. liga para base asfáltica.