You are on page 1of 16

 

1  

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS
TEORIA POLÍTICA NORMATIVA – PROF. ÁLVARO DE VITA
SEGUNDO TRABALHO
ALUNA: JESSICA VOIGT QUINTINO PEREIRA
NO. USP: 5935291

TEORIA DA JUSTIÇA, WELFARE STATE E FEDERALISMO

INTRODUÇÃO
 

Na   teoria   da   justiça   de   Rawls,   a   justiça   procedimental   pura   que   opera   nas  

instituições   da   estrutura   básica   acaba   por   fazer   se   realizar   os   princípios   de  
justiça  e  com  isso,  garantir  a  justiça  de  fundo.  Entende-­‐se  também  que  a  justiça  
como   equidade   estaria   necessariamente   associada   a   um   regime   democrático  
específico,   denominado   democracia   de   cidadãos-­‐proprietários.   Segundo   Rawls,   a  
democracia   de   cidadãos-­‐proprietários   consegue   realizar   todos   os   valores  
políticos   expressos   nos   dois   princípios   de   justiça,   enquanto   o   estado   de   bem-­‐
estar   social   não   o   faz.   Isso   se   dá   pela   dispersão   da   propriedade   de   bens  
produtivos,  fato  pelo  qual  se  consegue  mitigar  as  desigualdades  socioeconômicas  
e  garantir  o  valor  equitativo  das  liberdades  políticas  e  a  igualdade  equitativa  de  
oportunidades,   enquanto   o   welfare   state   não   o   faz   sobretudo   pela  
permissividade  em  relação  à  concentração  de  capital.  
 

Esse   trabalho   tem   como   objetivo   acrescentar   novos   elementos   à   análise  

da   operação   do   welfare   state   e   a   sua   capacidade   de   cumprir   os   compromissos  
com   os   princípios   de   justiça,   garantindo   uma   sociedade   justa.   Em   particular,  
procurarei   responder,   ainda   que   de   maneira   não   conclusiva,   a   crítica   a   Rawls  
feita   por   O’Neill   (2012),   que   argumenta   que   o   primeiro   não   foi   convincente   ao  
afirmar   que   o   welfare   state   não   daria   conta   de   cumprir   com   os   primeiro  
princípio  de  justiça  (garantia  de  um  sistema  amplo  de  liberdades  fundamentais)  
e   nem   com   a   primeira   parte   do   segundo   princípio   (igualdade   equitativa   de  

 o  que  por  sua  vez  nem  sempre  é  possível  ou   desejável.  como  também  por  definir  os  talentos   e   dons   desenvolvidos   ao   longo   de   sua   da   trajetória   de   vida   (por   meio   das   oportunidades   que   este   teve).   2   oportunidades).  Em  especial.   dos   dons   naturais   realizados   e   da   própria   história   de   vida   dos   indivíduos.   Ainda   segundo   o   autor.   Em   terceiro   lugar.   a   estrutura   básica   diz   respeito   às   instituições   da   vida   social.   Por   fim.  Em  seguida  irei  expor  a  discussão  realizada  por  Rawls  e   O’Neill  sobre  a  capacidade  de  se  realizar  os  dois  princípios  de  justiça  do  estado   capitalista   de   bem-­‐estar   social   e   da   democracia   de   cidadãos   proprietários.  e  apresentarei  a  discussão  sobre  os  dois  princípios  de  justiça   presente  em  sua  obra.   entre   os   diferentes  entes  federativos  ao  menos  que  seja  realizada  uma  forte  centralização   da  elaboração  e  gestão  da  política.   desigualdades   sociais   e   econômicas.  focarei  na  gestão  de  políticas  públicas  em  contextos   federalistas:   as   correções   ou   compensações   ex-­‐post   realizadas   pelo   estado   de   bem-­‐estar   social   não   conseguem   garantir   a   igualdade   equitativa   de   oportunidades.   irei   expor   a   minha   opção   metodológica   por   tratar   igualdade   equitativa   de   oportunidades   como   acesso   básico   à   serviço   público   de   saúde   e   analisarei   parte   da   bibliografia   que   estuda   a   relação   entre   welfare   state   e   sistemas   federalistas   a   luz   da   questão   abordada   nesse   trabalho.   apresentarei  as  conclusões  desse  breve  exercício  de  análise.   responsáveis   tanto   por   delimitar     as   ambições   e   expectativas   individuais   (criadas   a   partir   da   percepção   do   indivíduo  de  sua  posição  nessa  estrutura).  são  inevitáveis.   explicitando   a   razão   dela   ser   o   objeto   primário  da  justiça.   as   instituições   da   estrutura   básica   distribuem   direitos   e   deveres   fundamentais.  A  proposta  da  justiça  como  equidade  não  implica.  e   .   Portanto.     Esse   trabalho   é   dividido   em   quatro   seções:   primeiramente   explicarei   o   conceito   de   estrutura   básica   de   Rawls.   entendida   aqui   como   acesso   à   serviços   públicos.   assim   como   acabam   por   moldar   a   divisão  dos  benefícios  obtidos  mediante  a  cooperação  social.   frutos   da   origem   social.       ESTRUTURA BÁSICA E DOIS PRINCÍPIOS DA JUSTIÇA Na   definição   rawlsiana.   articuladas   em   um   sistema   único.

 a  estrutura  básica  torna-­‐se  o  objeto  primário  da  justiça  por   duas  razões:  primeiro  porque  a  particularidade  das  instituições  que  a  compõem   permite   que.   consiga-­‐se   a   vigência   da   justiça   de   fundo   com   o   passar   das   gerações.  permitindo  desigualdades  organizacionais  e  econômicas  com  a  condição   que   essas   contribuam   para   o   sistema   de   cooperação   social.   as   instituições   que   compõem   a   estrutura   básica   possuem   ampla   capacidade   de   inserção   na   vida   dos   indivíduos.   em   uma   situação   equitativa   a   todas   as   partes.   escolheram   para   regulá-­‐la.   Rawls   acaba   por   entender   que   eventuais   desigualdades   permitidas   pelas   instituições   da   estrutura   básica   podem   vir   a   ser     benéficas   para   que   se   tenha   um   sistema   de   cooperação   social   efetivo.  sobretudo  os  menos  privilegiados.  Ao  conceber  uma  sociedade   democrática   como   um   sistema   de   cooperação   social.  Para  que  as  instituições  da  justiça  básica  sejam  justas.   vantagens   naturais   e   contingências   históricas” 1 .   3   nem  quer  implicar.  2011.   mas                                                                                                                   1  RAWLS.   Para   Rawls.  é  necessário   que   ela   satisfaça   os   princípios   que   pessoas   morais   livres   e   iguais.   .   Em   segundo   lugar.  seja  porque  o  pertencimento  a  ela  é  involuntário2.   A  justiça  como  equidade  irá  operar  sobre  a  estrutura  básica  por  meio  de   princípios   fortemente   orientados   por   concepções   igualitárias   associadas   à   democracia.321   2  Nascemos  em  uma  sociedade  e  passaremos  a  vida  toda  nela.  na  eliminação  das  desigualdades.   é   necessário   que   uma   concepção   de   justiça   incorpore   uma   forma   ideal   para   a   estrutura   básica.   A   elaboração   dos   princípios   de   justiça   visa   responder   as   seguintes   perguntas   “que   princípios   são   mais   apropriados   para   uma   sociedade   democrática   que   não   só   professa.   de   maneira   que   os   resultados   acumulados   dos   processos   sociais   em   operação   sejam   limitados   e   ajustados   ao   longo   do   tempo.   que   estão   vinculadas  à  estrutura  básica  e  consistem  nas  desigualdades  mais  fundamentais.   o   que   justiça   como   equidade   busca   “regular   são   as   desigualdades   de   perspectivas   de   vida   entre   os   cidadãos   que   resultam   de   posições   iniciais.  O  pertencimento  involuntário  a  uma   sociedade  também  implica  na  necessidade  de  se  conceber  o  acordo  inicial  como  hipotético  e  não  histórico.  p.   melhorando   a   situação  de  todos  dentro  do  sistema.   Portanto.   Sendo  assim.   ao   regula-­‐las   ao   longo   do   tempo.  ou  seja  porque  o   exercício   das   forças   coercitivas   sociais   por   meio   da   estrutura   básica   resultará   na   concepção  que  o  indivíduo  terá  de  si  mesmo  e  dos  demais.

 p.     O   primeiro   princípio   (sistema   amplo   de   liberdades   fundamentais)   cria   o   contexto  institucional  no  qual  se  pode  exercer  o  segundo  princípio.  apesar  de  serem  destacadas  separadamente.  considerados  como  razoáveis  e  racionais.  57   5  As  duas  partes  do  segundo  princípio.     Os   dois   princípios   de   justiça   operam   sobre   as   instituições   da   estrutura   básica   em   tandem.55   4  Idem.   e   tenta   concretizar   essa   ideia   em   suas   principais   instituições?” 3  e   quais   princípios   legitimam  as  desigualdades  fundamentais.  Dividir  o  segundo  princípio  foi  uma  opção  minha  com  o  único  intuito  de  facilitar  a  sua  compreensão.  2003.   .   4   pretende   levar   a   sério   a   ideia   de   que   cidadãos   são   livres   e   iguais.  tornando-­‐as  aceitáveis  dentro  de  uma   ideia  de  cidadania  livre  e  igual  na  sociedade  vista  como  um  sistema  equitativo  de   cooperação?     Os   princípios   também   devem   responder   a   questões   relativas   à   legitimidade   política   “a   luz   de   que   razão   e   valores   –   de   que   tipo   de   concepção   de   justiça  –  os  cidadãos  podem  exercer  legitimamente  esse  poder  coercitivo  uns  em   relação   aos   outros?”4  Para   exercer   o   poder   coercitivo   de   maneira   legítima   é   necessário  que  ele  esteja  de  acordo  com  uma  constituição  (escrita  ou  não)  cujos   elementos  essenciais  todos  os  cidadãos.  que  por  sua   vez   tem   dentro   de   sí   uma   primeira   parte   (igualdade   equitativa   de   oportunidades)  que  necessariamente  e  pelas  mesmas  razões  precede  a  segunda   (princípio  da  diferença).   podem  endossar  à  luz  da  sua  razão  humana  comum.   • Sejam  estabelecidas  para  maior  benefício  dos  menos  privilegiados5.   e   por   isso   incorporam   importante   elemento   de   justiça                                                                                                                   3  RAWLS.   Os  dois  princípios  de  justiça  elaborados  por  Rawls  são  os  seguintes:   a) Cada   pessoa   tem   um   direito   igual   ao   sistema   mais   amplo   de   liberdades   fundamentais  que  seja  compatível  com  um  sistema  similar  de  liberdades   para  todos.  p.   b) As  desigualdades  sociais  e  econômicas  são  aceitáveis  desde  que:   • Estejam   vinculadas   à   posições   e   cargos   abertos   a   todos   em   condições  de  igualdade  equitativa  de  oportunidades.  são  apresentadas   juntas.

  Em  “O  Liberalismo  Político”.  o  que  acaba   por  distanciar  a  justiça  como  equidade  de  questões  da  justiça  distributiva.   liberdades  políticas.  é  necessário  que  essas  diversas  doutrinas  estejam  sujeitas  a  um   sistema  de  direitos  contendo  conteúdos  que  todos  os  cidadãos  possam  endossar.   Para   que   o   convívio   seja   possível  e  justo.   quaisquer  quinhões  distributivos  produzidos  serão  justos.   5   procedimental   pura   na   determinação   dos   quinhões   distributivos.  são  mais  fundamentais  que  os  demais   conjuntos  de  liberdade:   a) Liberdades   políticas   iguais   e   liberdade   de   pensamento:   permitem   o   desenvolvimento  e  exercício  dessas  faculdades  para  julgar  a  justiça  da   estrutura  básica.   que   orginalmente   não   continha   uma   hierarquia   de   direitos.     Já  o  segundo  princípio  aplica-­‐se  à  segunda  função  da  estrutura  básica.   Sobre   o   primeiro   princípio.  por  fim.   O   primeiro   princípio.  liberdade  de  associação  e  direitos  associados  à  liberdade  e   integridade  física  da  pessoa  e  .  não  se   pode  dizer  se  um  modelo  de  distribuição  é  mais  justo  que  o  outro.  direitos  e  liberdades  associados  ao  estado   de   direito.  Rawls  faz  uma  revisão  do  primeiros  princípio.   portanto.  que   diz   respeito   a   prover   as   instituições   de   fundo   da   justiça   na   forma   mais   .   Quando   as   instituições   da   estrutura   básica   operam   orientadas   pelos   princípios   de   justiça.  portanto.   cada   qual   perseguindo   suas   próprias   convicções   de   bem.   espera-­‐se   que   esse   sistema   de   liberdades   fundamentais   esteja   garantido   constitucionalmente.   Rawls   entende   que   uma   sociedade   democrática   deve   comportar   diferentes   doutrinas   abrangentes   razoáveis.   Como   o   próprio   nome   já   diz.   Entendo   como   liberdades   básicas   fundamentais   a   liberdade   de   pensamento   e   de   consciência.   atua   sobre   uma   das   duas   funções   da   estrutura   básica.   precisamente   àquela   relacionada   a   aquisição   e   ao   exercício  do  poder  político.   os   chamados   elementos   constitucionais   essenciais.   b) Liberdade   de   consciência   e   de   associação:   permitem   aos   cidadãos   o   desenvolvimento  e  o  exercício  de  concepções  de  bem.  Dessa  maneira.   Rawls   classifica   dois   conjuntos   de   liberdades   necessários   para   os   cidadãos  sejam  livres  e  iguais  e.

  Também   é   importante   o   caráter   público   dessas   normas.   Ou   seja.   Os   dois   princípios   de   justiça   não   exigem   que   a   distribuição   efetiva   se   conforme   a   um   determinado   padrão   distributivo.  Sendo  assim.   e   não   a   transações   particulares.   que   ajuste   as   tendências   a   longo   prazo   de   acúmulo   de   propriedade   e   riqueza  que  gera  dominação  política.   para   isso   eles   se   aplicam   às   normas   e   políticas   públicas   mais   importantes   que   regulam   as   desigualdades   sociais   e   econômicas.   É   importante   frisar   que   o   autor   incorpora   nesse   primeiro   princípio   elementos   presentes   no   segundo   princípio   (igualdade   equitativa   de   .   apontando  para  a  direção  geral  da  ação  política.  o  princípio  da   diferença   é   o   critério   apropriado   para   regular   as   desigualdades   sociais.   segundo   o   autor.   Nesse   sentido.  significa  que  não  só  que  os  cargos  públicos  e   posições   sociais   estejam   abertos   formalmente.   de   modo   que   o   indivíduo   ao   realizar   suas   transações   saiba  de  antemão  o  efeito  que  os  impostos  e  restrições  terão  sobre  ela.   ou   que   o   nível   de   desigualdade   decresça   a   um   determinado   valor  ou  conjunto  de  valores.  Portanto.   mas   que   os   indivíduos   tenham   chances   equitativas   de   ter   acesso   a   eles.   quando   se   fala  em  igualdade  de  oportunidades.   As   instituições   devem   organizar   a   cooperação   social   para   encorajar   esforços   construtivos.   que  não  se  convertam  em  dominação  política)  e  que  as  desigualdades  existentes     contribuam  para  às  expectativas  dos  menos  favorecidos.   que   esses   cargos   e   posições   sociais   possam   ser   alcançados   de   fato.   que   é.  Os  dois   princípios   de   justiça   delimitam   um   desenho   ideal   para   a   estrutura   básica.  Exige-­‐se  é  que  as  acumulações  sejam  justas  (ou  seja.  um  complemento  necessário  à  uma  teoria  não  ideal  para  a  qual  lhe  fornece   um  norte.   seja   em   um   momento   ou   ao   longo   do   tempo.  tem-­‐se  uma  teoria   ideal   que   define   uma   estrutura   básica   perfeitamente   justa.   6   apropriada   aos   cidadãos   considerados   livres   e   iguais.   Os  princípios  de  justiça  são  empregados  para  avaliar  a  estrutura  básica  e   realizar  os  ajustes  no  sistema  de  titularidades  e  rendimentos  e  para  equilibrar  os   padrões   que   esse   sistema   emprega.   Trata-­‐se   de   uma   igualdade   liberal.   que   impõe   exigências   à   estrutura   básica   além   daquelas   do   sistema   de   liberdade   natural.

  a   utilidade   dessas   liberdades.   mesmo   considerando   que   no   momento   da   implementação   dos   princípios   de   justiça   o   primeiro   preceda   o   segundo.  p.   “O   valor.   Isso   implica   que   se   a   estrutura   básica   for   regulada.  O  que  irei  fazer  mais  adiante  é  mostrar   uma  consequência  da  concentração  de  riqueza  que  indiretamente  afeta  a  oferta   de   serviços   básicos   para   a   população.  Para  além  disso.     É   possível   então   afirmar   que   a   realização   do   primeiro   princípio   de   justiça   depende   fortemente   da   realização   da   segunda   parte   do   segundo.   em  um  estado  democrático  moderno.   minando   assim   a   igualdade   equitativa   de   oportunidades.”6  .  “O  princípio  da  diferença.     Pode-­‐se   dizer.  por  meio  dos  resultados  diferenciados  da  arrecadação  dentro  dos   entes  federativos.   isso  aconteceria  por  conta  das  desigualdades  sociais  e  econômicas  da  justiça  de   fundo.211   .  são  meramente  formais.   maximiza   o   valor   que   tem   para   eles   as   liberdades  iguais  desfrutadas  por  todos”.   o   princípio  da  diferença  acaba  por  operar  um  importante  papel  para  a  manutenção   do  primeiro  princípio  de  justiça.  Rawls  procura  responder  à  objeção  de  que  as  liberdades  iguais.   estimada   pelo   índice   de   bens   primários.  portanto.   Ao   tratar   do   problema   do   valor   equitativo   das   liberdades   políticas  iguais.  ao  maximizar  o  índice   disponível   para   os   menos   favorecidos.  Segundo  o  autor.  2003.  a  única  maneira  de  não  haver  dominação   política  é  por  meio  da  garantia  que  não  haverá  concentração  de  riqueza.   7   oportunidades).   portanto.  evitando   assim  o  exercício  de  dominação  política.  o  autor  afirma  que  não   tem   como   analisar   a   melhor   maneira   de   realizar   o   valor   equitativo   nas   instituições  políticas.   que   no   cotidiano   de   uma   sociedade   onde   as   instituições   da   estrutura   básica   são   reguladas   pelos   princípios   de   justiça.   ou   seja.   as   instituições   de   fundo  seriam  reguladas  e.   não   é   a   mesma   para   todos.     ESTADO DE BEM-ESTAR SOCIAL E DAMOCRACIA DE CIDADÃOS PROPRIETÁRIOS                                                                                                                 6  RAWLS.     como   a   justiça   como   equidade   propõe.   Isso   será   importante   ao   pensarmos   a   crítica   ao   welfare  state:  na  concepção  de  Rawls.  as  liberdades  políticas  seriam  reais.

 as   providências  para  o  bem-­‐estar  social  possam  ser  bastante  generosas  e   garantir  um  mínimo  social  descente  que  cubra  as  necessidades  básicas.  de  forma  que  o  controle  da  economia.  como  o  nome  ‘capitalismo  de  bem-­‐estar  social’  sugere.   dos   regimes   analisados.  permanece  em  poucas  mãos.   de   maneira   a   garantir   as   liberdades   básicas   com   o   valor   equitativo   das   liberdades   políticas.     No   que   tange   o   capitalismo   de   bem-­‐estar   social.   a   democracia   de   cidadãos   proprietários   e   o   regime   socialista  liberal  conseguiriam  estabelecer  uma  estrutura  constitucional  para  as   políticas   públicas   democráticas.”8       Por   outro   lado.  estando  de  acordo  com   suas  metas  públicas  e  princípios  básicos.   Segundo   o   autor.   ele   viola   os   dois   princípios  de  justiça  da  seguinte  forma:     “Rejeita  o  valor  equitativo  das  liberdades  políticas  e.  p.  Esse  regime  permite   desigualdades  muito  grandes  na  propriedade  de  bens  não-­‐pessoais  (meios   de  produção  e  recursos  naturais).   por   meio   da   regulação   das   desigualdades  econômicas  por  um  princípio  de  mutualidade  ou  pelo  princípio  da                                                                                                                   7  Foi  considerada  uma  situação  ideal  em  que  todos  os  regimes  funcionariam  bem.  não   há  o  reconhecimento  de  um  princípio  de  reciprocidade  que  regule  as   desigualdades  econômicas  e  sociais.   8     Na   parte   IV   de   “Justiça   como   Equidade”.  as  políticas  públicas   necessárias  para  garanti-­‐las  não  são  implementadas.  e   em  grande  medida.  embora  tenha  certa   preocupação  com  a  igualdade  de  oportunidades.  só  dois  conseguem  realizar  todos  os  valores  políticos  expressos  nos   dois   princípios   de   justiça7:   o   socialismo   liberal   e   a   democracia   de   cidadãos   proprietários.   Ele   procura   assim   delinear   o   conteúdo   institucional   dos   princípios.  também  da  vida  política.   Rawls   procura   examinar   quais   seriam   as   principais   características   de   um   regime   democrático   bem-­‐ordenado   que   realizasse   os   dois   princípios   de   justiça   em   suas   instituições   básicas   e   que   assim   garantisse   a   justiça   de   fundo   ao   longo   do   tempo.  194-­‐5   .   8  Idem.   Embora.

 Neither  Rawls  nor  I  need  be  commited  to  such  an  outlandish  model.  as  instituições  de  fundo   da   democracia   de   cidadãos-­‐proprietários   dispersam   a   posse   da   riqueza   e   do   capital.  like  Monopoly.  No  entanto  é  possível  pensar   que.   A   democracia   de   cidadãos   proprietários   garante   a   difusão   da   propriedade   dos   bens   produtivos   e   do   capital   humano   (educação   e   treinamento   para   habilidades)   ou.   trata-­‐se   da   redistribuição  da  riqueza  (wealth)  e  não  da  renda  (income).  se  o  resultado  de  acordos  particulares  justos  ao  longo  das  gerações  implica  em  resultados  injustos   (como  argumenta  ao  tratar  de  outras  teorias  da  justiça).     .  and  Rawls’s   talk  of  discrete  ‘periods’  of  economic  production.   consequentemente.   Segundo   Rawls.   a   maior   consequência   do   exercício   das   compensações   poderia   ser   o   desenvolvimento   de   uma   classe   desestimulada   e   extremamente   dependente   da   assistência   social.  might  be  thought  to  embody  a  naïve  und  unsustainable   picture  of  the  economy  as  a  sort  of  board  game.  Instead.  cabe  mencionar  que  a  democracia  de  cidadãos-­‐proprietários  diz   respeito   a   um   regime   constitucional.  ao  menos  na  “Justiça  como  Equidade”  não  utiliza  esse  termo.  Essa  conclusão  provavelmente  é  fortemente  influenciada  pela  estratégia  do  autor  de  se  pensar  o   princípio  da  diferença  como  atuando  em  uma  geração.  as  potentially  illuminating”(O’NEILL.  with  discrete  temporal  phases  and  a  stop-­‐start   character.   A   opção   por   um   ou   outro   regime.     Já   o   welfare   state   procura   realizar   compensações9  sociais   tarde   demais.  ao  menos  na  concepção  de  Rawls.   2012:90).  práticas  e  pensamento  e  etc.  o  resultado  de  políticas  públicas  compensatórias   também  não  poderia  implicar  em  resultados  a  longo  prazo  mais  justos?  O’Neill  chama  a  atenção  para  esse   problema  resultante  da  simplificação  do  tempo  “Both  my  talk  of  ex-­‐post  versus  ex-­‐ante  policies.   político.  as  one  might  put  it.  de  modo  a  encorajar  aqueles  que  têm  pouco  a  acumular  capital.  this   kind  of  ‘temporal’talk  should  be  viewed  as  metaphorical  and.   Aqui.     No   que   tange   a   matéria   da   nossa   discussão.   nas   palavras   de   O’Neill   (2012).   A   democracia   procedimental.   teria   que   levar   em   consideração  circunstâncias  históricas.  essas  compensações  não  implicam  em   correções.   por   sua   vez.   pelo                                                                                                                   9  O  autor.   impedindo   uma   grande   concentração   de   poder   econômico   e.   9   diferença.  Eu  optei  por  ele  para  evitar   ambiguidades  e  enfatizar  que.   sem   corrigir  a   justiça   de   fundo.   Por  fim.  whereby  the  end  of  one  period  is  always  the   beginning  of  another  and  where.  Rawls  afirma  que  apesar  de  ambos   admitirem  a  propriedade  privada  dos  bens  produtivos.   que   se   opõe   a   ideia   de   uma   democracia   procedimental   uma   vez   que   é   um   regime   que   possui   leis   e   estatutos   coerentes   com   direitos   e   liberdades   fundamentais.   o   objetivo   é   que   ninguém   fique   abaixo   de   um   padrão   mínimo.   a   comparação   entre   welfare   state  e  democracia  de  cidadãos  proprietários.  e  não  entre  gerações.  one  man’s  ex  post  is  another  man’s  ex  ante.  and  I  take  it  that  neither  he  nor   I  fail  to  see  that  the  economy  is  an  ongoing  dynamic  system.  as  such.   a   democracia   dos   cidadãos   proprietários   reforça   seu   compromisso   em   considerar   seus   membros   como   cooperativos   ao   distribuir   os   meios   produtivos   e   a   posse   do   capital   humano.   Por   sua   vez.

  um   regime  constitucional  é  preferível  à  uma  democracia  procedimental.   e   sequer   testa   a   plausibilidade   dessa   via.   assim   como   procurando   maneiras   de   bloquear  a  influência  do  dinheiro  privado  por  outras  vias.   mas   afirma   que   em   alguns   momentos   de   sua   teoria   Rawls  desassocia  uma  esfera  da  outra  e  que  portanto  essa  possibilidade  deveria   ser   considerada.   .   não   estipula   um   limite   constitucional   à   legislação   e.   Nos   termos   de   O’Neill.   limitando   a   transmissão   da   riqueza   entre   gerações.  O  próprio  autor  também  faz  essa  objeção.  ele  afirma  que  Rawls  expõe  argumentos  muito  fracos  para  justificar  que  o   welfare   state   não   daria   conta   de   cumpri-­‐los.   O   autor   afirma   que   quando   se   almeja   preservar   conteúdos   democráticos.   o   que   garantiria   o   valor   equitativo   das   liberdades   iguais   mesmo   em   um   background   injusto.   10   contrário.     O   autor   argumenta   que   as   duas   primeiras   partes   dos   princípios   da   justiça   (o   valor   equitativo   das   liberdades   iguais   e   a   equidade   de   oportunidades)   poderiam   sim   ser   alcançados   tanto   na   democracia   de   cidadãos   proprietários   quanto  no  estado  de  bem-­‐estar  social  capitalista.   Quando  se  entende  que  o  princípio  da  diferença  exerça  tão  grande  papel   para  garantir  o  valor  equitativo  das    liberdades  políticas.   uma   vez   que   respeitados  os  procedimentos.  a  lei  é  estipulada  independente  de  seu  conteúdo.     O’Neill   chama   a   atenção   para   a   possibilidade   de   desassociar   a   esfera   política   da   esfera   econômica.   no   que   tange   ao   corrompimento10  da   política   pela   riqueza.  Sobre  o  primeiro  princípio  de   justiça.   o   autor   afirma   que   mecanismos   de   salvaguarda   à   corrupção   política   presentes   na   democracia   dos   cidadãos-­‐proprietários   também   poderia   estar   presente  no  welfare  state  capitalista.   e   salvaguardas   à   corrupção   política   por   meio   de   financiamento   público   de   partidos   e   atividades   de   debate.  mas  preferi  traduzir  por   corrompimento  para  evitar  o  entendimento  de  que  se  trataria  necessariamente  da  compra  de  determinada   ação.   Ele   não   o   diz   como.   a   democracia   de   cidadãos-­‐proprietários   também   propõe   o   bloqueio   da   transmissão   intergeracional   das   vantagens.   além   da   redistribuição   dos   meios   produtivos.   Além   disso.  entende-­‐se  também  que                                                                                                                   10  Originalmente  o  termo  usado  é  corrupção  (corruption  of  politics).   deixando   de   considerar   que   pode   existir   outra   alternativa   para   prevenir   a   dominação   política   pela   dominação   econômica.

  A   questão   é   que   embora   a   dispersão   da   propriedade   dos   meios   produtivos   leve   a   políticas   de   salvaguarda   à   corrupção   política   e   a   políticas   de   transmissão   de   herança.  Sendo  assim.   O’Neill   afirma   que   o   argumento  de  Rawls  também  é  questionável.  seria  possível  que  em   um  regime  de  welfare  state  capitalista  também  tivesse  políticas  que  regulassem   a  transmissão  da  riqueza  entre  uma  geração  e  outra.   cargos   e   posições   de   poder.  ao  lado  da  convivência  de   doutrinas   abrangentes   razoáveis.   isso   não   implica   que   as   duas   últimas   políticas   não   possam  ser  implementadas  separadamente.   O   autor   afirma.  Segundo  ele.   Ouso   afirmar   que   a   preocupação   com   dominação   política   pela   dominação  econômica  é  algo  tão  forte  em  Rawls  que.  poderiam  ser  neutralizadas  com  outras  políticas.   No   entanto.   .   mas   não   significa   que   todo   o   conjunto   de   políticas   deva   ser   adotado.   que   políticas   ex  post   de   redistribuição   de   recursos   associadas   ao   welfare   state   não   seriam   capazes   de   direcionar   desigualdades   sociais   profundas.   é   um   ponto   central   de   onde   partem   os   desdobramentos   de   sua   teoria   da   justiça.   para   O’Neill.   a   única   condição   dos   princípios   de   justiça   que   o   welfare   state   capitalista   não   conseguiria   suprir.   Além   disso.   o   que   implica   que   a   desigualdade   da   posse   de   meios11  implicaria   em   vantagens   na   obtenção   de   recursos   públicos   (RAWLS.   baseado   também   na   compreensão   que   as   correções   sociais   são   feitas   dentro   de   uma   mesma   geração.   algumas   das   consequências   associadas   à   essas   desigualdades.       No   que   tange   ao   segundo   princípio   de   justiça.  mas  estes   também.   2003:213).   11   não   há   na   teoria   da   justiça   de   Rawls   maneiras   de   conceber   essas   duas   esferas   separadamente.   O   princípio   da   diferença   seria.                                                                                                                   11  A  leitura  permite  entender  que  não  são  somente  meios  econômicos.  Rawls  entende  que  a   igualdade   equitativa   de   oportunidades   só   é   alcançada   quando   a   influência   de   fatores   sociais   para   se   chegar   à   posições   sociais   determinadas   é   neutralizada   e   que  isso  só  seria  possível  com  políticas  que  limitariam  a  transmissão  de  herança.   como   o   surgimento   de   uma   classe   desestimulada  e  dependente.   essa   associação   estaria   relacionada   também   à   baixa   oferta   do   que   Rawls   chama   de   recursos   públicos.   Esse   conjunto   de   políticas   está   presente   na   democracia   de   cidadãos-­‐ proprietários.

  5   –   As   bases   sociais   do   auto-­‐respeito.  penso   que  apesar  das  questões  de  saúde  estarem  no  plano  das  contingências.   aspectos   das   instituições   básicas   que  garantam  o  senso  de  valor  individual.  Dito  isso.  uma   vez  que  se  definiu  que  a  saúde  é  um  bem  a  que  todos  os  cidadãos  devem  ter  igual   acesso. FEDERALISMO E JUSTIÇA   Nessa   última   seção.   Em   uma   sociedade   bem-­‐ordenada.   os   princípios   de   justiça   avaliam   a   estrutura   básica   de   acordo   com   o   modo   pelo   qual   ela   regula   a   repartição   dos   bens   primários.   e   isso   significa   que   devemos   abrir   um   pouco   mais   o   nosso   horizonte.  Até  o  momento.   os   menos   favorecidos  são  os  que  pertencem  à  classe  de  renda  mais  baixa.   12     WELFARE STATE.   4  –  Renda  e  riqueza.  meios  polivalentes  para  que  o  indivíduo  alcance  seus   objetivos.   .  em  uma   sociedade  que  opta  por  um  sistema  público  de  saúde  poder-­‐se-­‐ia  tratar  o  acesso   à  saúde  pública  como  resultado  da  distribuição  do  primeiro  bem  primário.  No  entanto.   Segundo   Rawls.   mais   especificamente   no   que   diz   respeito   à   primeira   parte   do   segundo   princípio.   3   –   Poderes   e   prerrogativas   de   cargos   e   posições   de   autoridade   e   responsabilidade.   em   que   todos   os   direitos   básicos   e   iguais   dos   cidadãos   e   suas   oportunidades   equitativas   estão   garantidos.   2  –  As  liberdades  de  movimento  e  de  livre  escolha  de  ocupação  sobre  um   fundo  de  oportunidades  diversificadas.   haveria   cinco   tipos   de   bens  primários:   1  –  Os  direitos  e  liberdades  básicos  (inclui  todos  os  tipos  de  liberdades).  viemos  pensando  em  oportunidades   equitativas  sobretudo  em  contraposição  à  desigualdade  econômica.   gostaria   de   chamar   a   atenção   para   uma   segunda   consequência   da   desigualdade   econômica   que   incide   na   justiça   de   fundo.   as   oportunidades  equitativas.

  Dito  isso.   uma   vez   que   em   alguns   casos   é   implementado   justamente   para   garantir   a   convivência   entre   diferentes   grupos   étnicos   ou   religiosos   (doutrinas   abrangentes).   .  Em  matéria  de  justiça.   o   princípio   de   igualdade   equitativa   de   oportunidades.  Primeiramente.  quero  chamar  a  atenção  para  um  aspecto  da  gestão  do  welfare   state12  que   pode   vir   a   minar   a   igualdade   equitativa   de   oportunidades:   a   gestão   descentralizada  de  políticas  públicas  em  países  federalistas.  o  cumprimento   das   políticas   públicas   da   área   da   saúde   pode   estar   associado   à   primeira   parte   do   segundo   princípio   de   justiça.  entendo  que  o  sistema  funcione  de  acordo  com  a  lei.   Se   ambos   os   doentes   têm   acesso   ao   tratamento   e   respondem   de   maneiras   diferentes.  cabe   notar   que   Rawls   define   a   teoria   da   justiça   aplicada   à   sociedades   democráticas.  2011.   mas   se   um   tem   acesso   e   outro   não.   mas   poderia   resultar   em   consequências   que   minassem   as   oportunidades   de   vida   daquele   que   não   teve   acesso   ao   tratamento.   isso   é   uma   questão   de   contingência   e   não   de   justiça.   Se   há   duas   pessoas   doentes   com   a   mesma   doença.   e   se   estabeleceu   um   sistema   público   de   saúde   que   possui   o   tratamento   para   essa   determinada  doença.   apesar   do   aspecto   positivo.   sustento   que   poderíamos   pensar   nesses  termos.   mas   em   nenhum   momento   especifica   se   a   teoria   é   feita   ou   não   para   países   federalistas  ou  unitários.  não  haveria  porque  descartar  o   fator   federalismo   da   análise.  GREER.   o   federalismo   cria   problemas   de   coordenação  na  execução  e  financiamento  de  políticas  públicas.  sustento  que  dadas  essas  circunstâncias.   13   Para  além  disso.  Refiro-­‐me  aqui  a   dois   riscos   que   podem   vir   a   comprometer   o   resultado   final   da   devolução   da   política   aos   cidadãos:   as   competências   concorrentes   e   falhas   de   coordenação13   entre  o  nível  mais  alto  e  o  nível  mais  baixo  da  federação.   uma   vez   que   ele   está   fortemente   associado   ao   primeiro   princípio   de   justiça.   No   entanto.   13  Não  me  refiro  ao  crime  de  corrupção.                                                                                                                   12  Irei  desconsiderar  questões  de  relação  intergovernamental  por  acreditar  que  elas  deixarão  o  argumento   demasiadamente  complexo  e  fugiriam  do  escopo  das  questões  tratadas  pela  teoria  da  justiça.permitindo   a   manutenção   da   unidade   nacional  (BEDNAR.  o  acesso  diferenciado  à  saúde  pública  não  minaria  somente   à   distribuição   de   um   determinado   bem   primário.  no  prelo).

  o   que   implica   necessariamente   na   centralização   da   política   no   governo   federal   e   pode   vir   trazer   problemas   de   coordenação.   Os   problemas   de   coordenação   por   um   lado   fogem   do   escopo   da   justiça.  o  que  minaria  a  igualdade  equitativa  de  oportunidades  entre   os  cidadãos  dessa  sociedade.   governo   estadual   e   federal).   Deve-­‐se   primeiramente   definir   de   maneira   clara   as   atribuições   de   cada   ente   federativo.  a  utilização  da  tributação  da  subunidade  pode   vir   a   implicar   em   diferenças   enormes   na   devolução   dos   serviços   entre   um   ente   federativo  e  outro.   e   que   pode   vir   a   ser   exportada   para   o   restante   da   federação   (BEDNAR.   deve-­‐se   contar   com   redes   de   especialistas   em   relações   intergovernamentais   e   em   finanças   que   trabalhem   em   uma   unidade   setorial  específica  (podendo  ser  até  mesmo  uma  secretaria  ou  ministério)  e  cujos   cargos  sejam  preferencialmente  horizontais.   é   possível   afirmar   que   tal   situação   pode   vir   a   ser   benéfica   para   a   política   pública.   é   de   se   esperar   o   estado   nacional   se   empenhe   para  resolver  essa  questão  e  oferecer  o  acesso  aos  serviços  de  maneira  equitativa.   Por   um   lado.  A  proporcionalidade  da  devolução  está  dando  conta  dessas  contingênicas  e  da  diferença  populacional   entre  as  unidades.   14   O  problema  das  competências  concorrentes  está  fortemente  associado  às   consequências   que   a   ausência   do   princípio   da   diferença   tem   para   a   justiça.   o   estudo   de   Greer   (no   prelo)   indica   alguns   mecanismos  por  meio  dos  quais    se  verificou  que  é  possível  garantir  uma  maior   eficiência   na   devolução   dos   serviços   em   contextos   federalistas.   Para   tratar   da   coordenação.                                                                                                                     14  Algumas  políticas  devem  ser  entregues  de  maneira  diferenciada  entre  um  ente  federativo  e  outro.   Diz   respeito  à  quando  um  mesmo  aspecto  da  política  deve  ser  gerido  por  mais  de  um   nível   da   federação   (por   exemplo.  e  não  se  refere  ao  que  cada  ente  federativo  arrecadou.  existe  a  possibilidade  de  tributação  proporcional  e  repasse   de   recursos   para   demais   entes   federativos   com   a   finalidade   de   promover   a   devolução   proporcional   da   política 14 .   de   modo   que   a   transparência   evitará   problemas   de   corrupção   e   atribuições   indevidas.   Por  outro  lado.   .  Por  outro  lado.   uma   vez   que   permite   inovação.   em   segundo   lugar.  2011).   normalmente   utilizando-­‐se   dos   próprios   recursos   para   isso.   porque   uma   vez   que   as   instituições   da   estrutura   básica   estão   reguladas   a   partir   dos   princípios   de   justiça.  como  o   tratamento  especializado  de  doenças  que  se  manifestam  em  uma  determinada  região  do  país  mas  não  em   outra.

 é   muito  difícil  que  os  demais  princípios  sejam  satisfeitos. and property-owning democracy. R. M. p. 17-26. O’NEILL.   passando   pelos   princípios   de   justiça.   Mesmo   mencionando   a   solução   da   centralização   da   coordenação   da   política   no   estado   nacional.  e  em  segundo  lugar  (e  mais  importante)  porque  no   momento  que  o  welfare  state  não  consegue  lidar  com  o  princípio  da  diferença.   15   CONCLUSÃO  Fez-­‐se   nesse   trabalho   um   longo   percurso   iniciado   na   discussão   da   estrutura   básica   como   o   objeto   primário   da   justiça. MA: Cambridge University Press.   não   acredito   que   isso   implicará   que   o   welfare   state   capitalista   consiga   realizar   os   princípios   de   justiça. BICHIR.   Em   primeiro   lugar   porque   podem   haver   outros   problemas   ainda   desconhecidos  da  literatura. 2004. Cambridge.     BIBLIOGRAFIA ARRETCHE. . 2.  que  minam  as  igualdades  equitativas  de  oportunidade.. L. v. . M. (Eds) Strengthening Health Systems Governance. S. 115-129. n.   Quis-­‐se   com   isso   1)   demonstrar   o   quanto   o   princípio   da   diferença   é   necessário   para   o   cumprimento   cotidiano   dos   demais   princípios   de   justiça.. p. T.   discussão   sobre   o   melhor   regime   para   a   realização   dos   princípios   de   justiça   (democracia   de   cidadãos   proprietários   vs   welfare   state   capitalista)   até   chegarmos  nos  problemas  de  coordenação  associados  à  gestão  do  welfare  state   em  contextos  federalistas.   2)   traçar   um   diálogo   com   O’Neill   sobre   a   possibilidade   do   exercício   do   primeiro   e   da   primeira   parte  do  segundo  princípio  de  justiça  em  regimes  de  welfare  state  capitalistas  e   3)   apontar   para   outros   problemas   que   associam   o   welfare   state   ao   descumprimento   da   justiça   de   fundo. Federalismo e políticas sociais no Brasil: problemas de coordenação e autonomia. Brussels: European Observatory on Health Systems and Policies. GREER. S. O Bolsa Família na berlinda? Os desafios atuais dos programas de transferência de renda. FIGUERAS. 87. WISMAR. WILLIAMSON. Free (and fair) markets without capitalism: political values. 2009. O’NEILL. principles of justice. J. Intergovernmental Governance (forthcoming) in GREER. L. 18. São Paulo em perspectiva. BEDNAR. 2010. n. Novos Estudos-CEBRAP. J. M. M. M. The Robust Federation: Principles of Design.

J. O Liberalismo Político. 2003. 2012.   16   (Orgs) Property-owning democracy: Rawls and Beyond. 2011. Uma reformulação. Justiça como Equidade. Oxford-Chichester: Wiley-Blackwell. RAWLS. Tradução de Álvaro de Vita. ______. São Paulo: Martins Fontes. . São Paulo: WMF.