You are on page 1of 2

A existencia tem um problema

O sofrimento é um componente universal, tanto animais quanto humanos
estão sujeitos ao sofrimento, característica de todo entr que possui sentidos,
possui consciência. Os seres que são capazes de percepção, todos eles
sofrem. Todos nos sabemos que todos os seres sofrem, é algo auto-evidente
que não necessita de provas, porém, quando o sujeito constata esta
realidade, logo em seguida surge uma outra percepção que "anestesia" a
percepção do sofrimento, esta "anestesia" como que alivia a percepção do
sofrimento, que é uma espectativa passiva de cessação do sofrimento,
levando o sujeito a constatar que:
"Sim, todos os seres sofrem, mas... de algum modo, eu serei liberto do
sofrimento".
"Algo me livrará do sofrimento, tempos melhores virão".
Tanto Buda quanto Jesus tinham a mesma opinião de que esta esperança
vaga e difusa é o maior inimigo espiritual do homem. Porém Buda se
levantou a questão, esta esperança vaga e difusa se fundamenta em quê?
Cada sujeito individualmente pode garantir a cessação do sofrimento?
Esta "anestesia", esta espectativa vaga é o maior obstáculo para a iniciativa
espiritual.
Levantado o problema, o Buda sentou-se para meditar a questão e tempos
depois a compreendeu integralmente, concluiu a questão do sofrimento em
quatro etapas, que é o postulado fundamental do budismo, que são as quatro
nobres verdades.

As quatro nobre verdades

1 - A verdade do sofrimento

Buda diz que para entender o problema, é preciso entender quatro questões,
a primeira é a verdade do sofrimento.
Em que consiste a verdade do sofrimento?
Primeiro, consiste na constatação que não há fundamentos reais para a
espectativa passiva de cessação do sofrimento, quer dizer, você não pode

A palavra usada pelo Buda para sofrimento (a palavra que traduzimos como sofrimento) originalmente é uma palavra muito rica. serve para o sujeito parar de pensar que este problema do sofrimento vai se ressolver por si e tomar consciência de que ele vai ter que trabalhar para resolve-lo. é a palavra "Dukkha". dukkha significa originariamente este desencontro. As antigas rodas de carroça tinham um cubo central onde encaixavam os eixos horizontais na qual saiam os raios onde se preendia a roda propriamente dita. em que eram comum os raios se desenvaixarem do cubo conforme a carroça andasse em terrenos irregulars. esta palavra significa originariamente o desencaixar o cubo de uma roda em relação aos eixos. este desencaixe. Isso quer dizer que o sofrimento é parte intrinseca da vida tal a conhecemos. . Esta primeira verdade serve justamente para o sujeito eliminar esta espectativa passiva.esperar que o sofrimento cesse neturalmente.