You are on page 1of 5

REFLEXÕES SOBRE O

CRESCIMENTO

Número 4, Setembro de 2004

Aprendendo e Planejando Reuniões de Reflexão nos Agrupamentos (parte 2)
A parte I dos relatórios sobre reuniões de reflexão (edição n.3, de agosto de 2004)
concentrou-se principalmente nas reuniões ocorridas em agrupamentos, nos quais um vigoroso
processo de instituto tem sido estabelecido e atenção usualmente dada em relação ao encorajamento
da iniciativa individual, campanhas intensivas de instituto, multiplicação de atividades básicas e ao
fomento de uma orientação voltada para o mundo externo.
Nos agrupamentos que já haviam experimentado algum crescimento e atingiram o grau mais
elevado de desenvolvimento, o foco das reuniões de reflexão começou a mudar para o cumprimento
de abordagens que intensificarão o crescimento. A atenção está cada vez mais centrada em
atividades de ensino coletivas e em projetos para atingir populações receptivas, requerendo assim,
uma maior preparação e planejamento para as reuniões de reflexão. Sem diminuir os esforços para
encorajar e cultivar a iniciativa individual, as instituições da Fé que atuam no agrupamento devem
consultar e organizar campanhas para programas coletivos de ensino para registrar um número cada
vez maior de novos crentes. Como resultado, o exército emergente de recursos humanos levantado
através das campanhas de institutos, nesses agrupamentos avançados, ganhou experiência mediante
o estabelecimento das atividades básicas e está agora pronto para ser mobilizado para programas
intensivos de crescimento.
Os três relatórios seguintes ilustram a evolução e a crescente complexidade do crescimento
das reuniões de reflexão. Em Biharsharif, na Índia, as reuniões de reflexão servem como um meio
para os crentes aprenderem como se tornar mais sistemáticos em seus empreendimentos coletivos.
Um relatório sobre uma reunião de reflexão no municipio de Broward, na Flórida – Estados Unidos
demonstra como tais reuniões podem ser usadas para iniciar uma campanha para multiplicar
significativamente ações individuais, as quais, por sua vez, podem contribuir para o aumento do
crescimento. O último exemplo de Baku, no Azerbaijão, mostra como as reuniões de reflexão
podem se tornar parte do processo de planejamento das instituições para preparar e implementar
programas intensivos de crescimento.
Da Iniciativa Individual para o Ensino em Grupo num Agrupamento Rural – Biharsharif,
Índia.
A primeira reunião de reflexão no agrupamento de Biharsharif, no estado de Bihar, na
Índia, aconteceu em 23 de setembro de 2001. A participação foi inicialmente limitada para uns
poucos amigos de 3 ou 4 comunidades, enquanto que hoje, em média, mais de cem crentes de umas
16 comunidades regularmente comparecem, apesar de grandes obstáculos, tais como falta de
transporte e infra-estrutura pobre. A reunião mais recente, em agosto de 2004, realizada no vilarejo
de Hargawan foi a 17a , ocasião na qual crentes de todo o agrupamento se reuniram.
Hargawan fica a 6 Km do distrito central da cidade de Biharsharif. No entanto, para fazer
essa viagem, deve-se percorrer a distancia de 23 Km de uma trilha parcialmente esburacada ou
utilizar uma estrada alternativa, que encurta o caminho em 11 Km, porém atravessa 2 rios. Qualquer
dos caminhos que for escolhido, uns 3 a 10 Km devem ser percorridos a pé. Esse desafio é típico
dos muitos que os habitantes desse agrupamento rural têm que encarar. A Fé foi estabelecida nessa
área décadas atrás, durante um período de ensino em massa. As atividades bahá’ís renasceram mais
tarde no Plano de 4 anos e ganhou força durante o Plano de 5 Anos. As reuniões de reflexão
desempenham uma função central no crescimento sustentado e acelerado da Causa, que agora está
sendo testemunhado. Um relatório sobre o impacto dessas reuniões de reflexão realça as seguintes
lições e experiências.

A introdução do sistema de coordenação no agrupamento (um comitê de crescimento do
agrupamento - comitê de ensino de área) tem assegurado que as atividades, incluindo as

2

reuniões de reflexão, tenham se tornado muito mais sistemáticas e melhor organizada, o que
é uma grande melhoria, uma vez que há uns poucos meses atrás, o Conselho Bahá’i do
Estado ou o Corpo Auxiliar tinham que, de alguma maneira, certificar-se que os amigos
estavam informados sobre a próxima reunião de reflexão, bem como suficientemente
motivados para participarem. Os crentes agora informam uns aos outros sobre esses
encontros, garantindo uma elevada taxa de participação. Tem ocorrido muitas situações nas
quais os crentes trazem simpatizantes para as reuniões de reflexão, as quais se tornaram
ocasiões especiais, gerando muito entusiasmo e vitalidade. Esses contatos são normalmente
participantes ativos das atividades básicas, e que acabam por aceitar a Fé e juntar-se à
sempre crescente família Bahá’i.
É agora uma prática estabelecida para um Comitê de Crescimento de Agrupamento [Comitê
de Ensino de Área], reunir-se uma semana antes do evento com a Assembléia Espiritual
Local e alguns outros poucos amigos na localidade que se ofereceu para ser anfitriã da
reunião de reflexão, a fim de consultar sobre a programação e outros detalhes afins.
Decisões sobre o programa, o arranjo físico, as apresentações especiais, etc, são geralmente
feitas nessas reuniões conjuntas.
O coordenador do agrupamento explicou: “estas reuniões têm sido responsáveis por grandes
transformações. As atividades tornaram-se mais sistemáticas e melhor organizadas.....
Notamos algo muito interessante – reuniões de reflexão regulares e efetivas, inicialmente,
resultaram em um aumento constante no nível da iniciativa individual. Mas, mais tarde,
descobrimos que, mesmo que estes casos de iniciativa individual tenham continuado, e em
verdade aumentado, a participação nos encontros de reflexão deu aos crentes uma maior
‘orientação comunitária’, motivando-os a trabalharem mais efetivamente em grupos. Esses
desenvolvimentos muito contribuíram para a qualidade das atividades de ensino, que estão
agora atraindo um envolvimento entusiástico e confiante de um número crescente de
crentes. Tal espírito comunitário está também contribuindo para o fortalecimento das
Assembléias Espirituais Locais”.
Um crente, que aceitou a Fé há mais de 20 anos atrás, diz: “as reuniões de reflexão
encheram toda a comunidade de entusiasmo, provendo-nos a compreensão do que precisa
ser feito e como vamos fazê-lo. Interação regular nesses encontros garante que nossos
esforços estejam baseados nos recursos humanos existentes e esta abordagem pavimentou o
caminho para o sucesso. O que tem sido mais encorajador é que, quando encontramos
desafios, estes são efetivamente tratados na próxima reunião de reflexão e, invariavelmente,
descobrimos maneiras de superá-los, visto que antes costumávamos depender de outros para
superar estes desafios para nós.”

Concentrando energias para aumentar declarações – Broward County, Flórida,
Estados Unidos
O seguinte relato de uma reunião de reflexão em Broward County, Florida, Estados Unidos,
ilustra como a reunião de reflexão pode servir para focar as energias dos indivíduos e das
instituições em um agrupamento para intensificar o crescimento. Esse relatório foi apresentado em
Learning about Growth, (volume 1, issue 2, May / June, 2004), um boletim informativo do
Conselho Regional Bahá’í dos Estados do Sul, elaborado para compartilhar as experiências
construtivas dos agrupamentos avançados. Demonstra o espírito alegre e o entusiasmo dos
indivíduos e instituições, que tiveram a confiança aumentada em sua habilidade para ensinar a Fé
efetivamente. Ao analisar as atividades que se mostraram viáveis no agrupamento, as instituições
foram capazes de organizar e introduzir um novo plano para intensificar ainda mais o trabalho de
expansão e consolidação.
Desde o princípio da reunião de reflexão de Broward County, Flórida, em 17 de maio, ficou
claro que atenção e consideração cuidadosas foram dadas a fim de tornar efetivo o uso do tempo
dos amigos. A equipe de apoio para crescimento do agrupamento, através da intima colaboração do
Membro do Corpo Auxiliar e do Coordenador de área (também um membro da equipe), prepararam

3
um programa de três horas que proveu um forte foco para os amigos aprenderem sobre os recentes
sucessos do agrupamento e refletirem sobre uma estratégia de como poderiam atingir o aumento
de 100 novos bahá’is até o Ridván de 2005.
Onde nosso agrupamento estava e onde estamos agora? Os amigos ouviram
cuidadosamente e participaram da apresentação interativa do membro do Corpo Auxiliar. O
progresso do agrupamento nos três anos do Plano de Cinco Anos é extraordinário. De 2001 a 2002,
houve sete declarações. No período de 2002 a 2003, tivemos quatorze declarações. Agora, no ano
mais recente, de 2003 a 2004, o agrupamento teve 46 declarações. Isso indica que os amigos neste
agrupamento estão aprendendo a registrar números cada vez maiores de novos crentes. É sabido
também, que mais amigos estão sendo treinados e desenvolvendo habilidades para conseguir novos
declarantes. Esse progresso é importante sob dois aspectos: crescimento e diversidade de novos
crentes.
Até agora, as realizações do agrupamento incluíram 20 reuniões devocionais com 60
simpatizantes; 40 círculos de estudo com 22 simpatizantes, 4 aulas de desenvolvimento de caráter
com 50 simpatizantes, 6 aulas para crianças com 25 simpatizantes, várias reuniões “firesides” com
40 a 80 simpatizantes e mais de 200 simpatizantes envolvidos nas atividades básicas. O que
acontece é que enquanto os amigos estão passando pela seqüência de cursos, estão também
aprendendo como convidar os simpatizantes para as atividades básicas. Estão também aprendendo
como integrar as linhas de ação. Por exemplo, os pais das crianças, que participam nos programas
de desenvolvimento de caráter, estão começando a participar em círculos de estudo. Outro exemplo
é quando nossos contatos, que participam de “firesides”, são convidados para reuniões devocionais
e círculos de estudo. Tudo isso resultou em 46 novos crentes.
MCA: Vocês acham que este agrupamento está preparado para um programa intensivo de
crescimento?
Amigos: Sim
MCA: Como sabem que estão preparados?
Amigos: Nós cumprimos com as seis condições consideradas propícias!
MCA: Vamos dar uma olhada no documento Gerando Força Propulsora: “Uma pergunta
freqüentemente feita pelos amigos é como eles saberão quando seu agrupamento está pronto
para um programa intensivo de crescimento. Um indicador que não pode ser negligenciado é
o próprio crescimento...” Nós temos 46 registros este ano; assim, temos o nosso primeiro
indicador. Se concordam, levantem suas mãos e gritem “SIM!”
Amigos: Sim!
MCA: Vocês têm um processo vigoroso de instituto ?
Amigos: Sim.
MCA: Vocês estão multiplicando as atividades básicas?
Amigos: Sim.
MCA: Estão aprendendo a integrar contatos de uma atividade para outra?
Amigos: Sim.
MCA: Vocês têm programas de expansão com sucesso?
Amigos: Sim.
MCA: Vocês estão comprometidos em ampliar seu aprendizado?
Amigos: Sim.
MCA:
Estão prontos para dobrar o número para 100? Levantem-se e gritem
“Alláh’u’Abhá!”
Amigos: “Alláh’u’Abhá!”
MCA: Para ir de 46 para 100 registros neste ano, nós precisamos olhar para a guia. O
documento Gerando Força Propulsora especifica, “Um programa intensivo de crescimento
sugere apenas isso – intensificação – uma intensificação de atividade que contribui para o
crescimento sistemático.” Que atividade vocês acham que atraiu mais simpatizantes em
Broward ?
Amigos: Os círculos de estudo.

4
MCA: Sim, foram os círculos de estudo. Inicialmente fizemos o contato. Quem nós
contatamos?
Amigos: Amigos, vizinhos, colegas de trabalho, parentes.
MCA: Então o que mais? Qual é o segundo passo? Nós os convidamos para reuniões
devocionais, firesides, e então, nós os convidamos para os círculos de estudo. E o terceiro
passo qual é?
Amigos: Convidá-los a se tornarem bahá’ís.
MCA: Temos tido algo em torno de 70% a 80 % em média de declarações, quando
convidamos simpatizantes, enquanto eles estão no processo de círculos de estudos. Para o
programa intensivo de crescimento de Broward, nós simplesmente vamos intensificar esse
processo.
O que vamos fazer em seguida?
MCA: No ano passado tivemos uma média de 11 a 12 declarações a cada três ou quatro
meses. Neste ano, queremos 24 a 25 registros a cada três ou quatro meses, com 40 a 50
simpatizantes nos círculos de estudo. Isto significa, que vamos querer 400 contatos para
convidar para as atividades básicas. Assim, se 100 amigos tiverem 4 contatos cada, teremos
um bom início para isso.
Os amigos, então, separaram-se em pequenos grupos e consultaram sobre como
determinar quem são seus contatos e como eles podem atingí-los.
Que elementos fizeram desta reunião de reflexão um sucesso?
1)
Foi bem planejado e organizado pela equipe de apoio para crescimento do
agrupamento, em colaboração com o membro do Corpo Auxiliar e o coordenador de área.
2)
O ambiente na reunião foi cuidadosamente planejado, para que os amigos
aprendessem.
3)
Os amigos, na reunião, sentiam que estavam em movimento, por exemplo: onde eles
estavam ? Onde estão agora? O que farão em seguida?
4)
Consulta, embasada na guia, ajudou os amigos a encontrar respostas para perguntas.
5)
Os amigos se comprometeram com um plano de ação para os próximos meses.
6)
As artes foram efetivamente incorporadas, porém sem excessos, com músicas
adequadas e leitura de poesias, a fim de manter a atmosfera elevada e espiritual.
Planejamento para um Programa Intensivo de Crescimento – Baku, Azerbaijão.
Uma série de 3 reuniões aconteceu no agrupamento de Baku, no Azerbaijão, para iniciar um
projeto sistemático de ensino. Uma única Assembléia Espiritual Local supervisiona os assuntos
desse agrupamento urbano.
1) Reunião com a Assembléia Espiritual Local e membros do Corpo Auxiliar que servem em
Baku. As instituições analisaram os detalhes dos recursos humanos disponíveis e o nível de
atividades no momento, tentando determinar quantos indivíduos a mais poderiam entrar nos
círculos de estudos, nas aulas de crianças e grupos de pré-jovens, considerando o atual nível
de recursos humanos. Também foi discutido o lançamento de um projeto de ensino por um
período de 2 semanas, com a idéia de ensinar a Fé diretamente e convidando as pessoas a
abraçarem-na ou registrarem-se nos cursos do instituto. Chegou-se às seguintes conclusões:

A Assembléia Espiritual Local decidiu que poderia mobilizar ao redor de 50 crentes para
um projeto de ensino de 2 semanas, tendo em mente alcançar 500 indivíduos, com a
expectativa de 50 deles venham a abraçar a Fé ou freqüentar um círculo de estudo para o
Livro 1 do Instituto Ruhi. Além disso, esperava-se que, ensinando a Fé para tantos
indivíduos, também atrairia aproximadamente 80 crianças para as aulas de crianças e
grupos de pré-jovens. Além disso, 50 pessoas necessitariam de monitoramento posterior,
o que poderia ser conduzido por equipes de crentes, fazendo visitas aos lares.

5


2)

A Assembléia Espiritual Local decidiu anunciar esse projeto de ensino na reunião de
reflexão, que estava por acontecer, formar equipes de ensino e iniciar o projeto
imediatamente após a reunião.
A Assembléia Espiritual Local criou uma força-tarefa para coordenar o projeto de ensino
e, previu que, na conclusão do projeto, iria considerar a possibilidade de que a forçatarefa se torne uma estrutura mais permanente, tal como um comitê local de ensino.

Encontro com a Assessoria Nacional de Instituto e coordenadores de Baku. Esse encontro
proporcionou uma oportunidade para explorar juntos o funcionamento da Assessoria de
Instituto e seus coordenadores, à luz do programa intensivo de crescimento, que logo seria
lançado. O instituto já estava realizando um ótimo trabalho no agrupamento de Baku; desde
o início de junho último, com 19 círculos de estudo, 10 aulas para crianças e 4 grupos de
pré-jovens.
• A discussão enfocou a idéia de 3 grupos de recursos humanos, dedicados a cada uma
das 3 linhas de treinamento – círculos de estudo, aulas para crianças e atividades de
pré-jovens – de forma que os crentes, ao completarem os cursos, poderiam se
oferecer para desenvolver suas capacidades em uma dessas 3 linhas. Dessa forma,
cada coordenador de agrupamento teria sempre um “exército reserva” a ser recrutado
e poderia rapidamente reagir às necessidades, que indubitavelmente apareceriam,
como resultado do início do programa intensivo de crescimento em Baku.
• Os 3 coordenadores de instituto do agrupamento contataram muitos crentes e
compilaram suas respectivas listas de recursos humanos disponíveis. Ao fim da fase
do projeto de ensino, o instituto proveria rapidamente os recursos necessários para o
treinamento daqueles que expressassem sua pronta vontade de se juntar ao
treinamento e às atividades educacionais.

3) A reunião de reflexão do agrupamento de Baku. Havia aproximadamente 60 amigos nesse
encontro. A AEL e os membros do Corpo Auxiliar introduziram a idéia do lançamento de
um programa de crescimento intensivo em Baku. Quatro grupos receptivos foram
identificados e os amigos foram solicitados a se juntar a uma das equipes, que faria ensino
nesses grupos.
• 48 indivíduos entusiasticamente se juntaram às equipes. Embora a maioria desses
amigos fosse aqueles que estudavam os livros mais avançados do instituto, havia
também os que tinham estudado somente 1 ou 2 livros, bem como uns poucos que
nem estavam envolvidos no processo de instituto.
• 7 equipes foram formadas e uma pessoa em cada equipe foi selecionada como líder
do grupo. Os participantes rapidamente dividiram-se em grupos pequenos, de forma
que, cada equipe podia começar a discutir seu próprio plano e tipo de abordagem.
• O instituto de capacitação anunciou um curso de atualização sobre o livro 6, de
modo que os membros da equipe poderiam melhorar sua abordagem no ensino. Ao
fim do encontro havia muito entusiasmo e ansiedade para adentrar o campo de
ensino.
Preparado sob os auspícios do Centro Internacional de Ensino, para a instituição dos Conselheiros. Extratos dos
relatórios citados podem ser editados devido à gramática, claridade ou tamanho. O total ou parte desta publicação
pode ser reproduzido ou distribuído pela comunidade bahá’í, sem prévia autorização do Centro Internacional de
Ensino.