You are on page 1of 32

Implantando e testando o CACTI em uma rede empresarial

Rafael Pedrotti Boscari
Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas
Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Curitiba, novembro de 2010
Resumo
O objetivo deste trabalho é criar um artigo que liste o passo a passo para se
implantar e testar uma das ferramentas mais conhecidas no meio de gerencia de redes, o
CACTI. Para fazer a implantação do software e realizar seus testes, será utilizada a
aplicação chamada de Virtual Box da Oracle na versão 3.2.8, que cria um ambiente
virtualizado, buscando otimizar os recursos. O sistema operacional utilizado será o Debian
na versão netinst 5.05.
1 Introdução
Com o aumento da complexidade da infra-estrutura das empresas, a presença de um
software de monitoramento de redes, se torna algo indispensável para o bom funcionamento
da mesma. Por causa desta necessidade, apareceram várias ferramentas de monitoramento,
criando uma demanda para artigos que trouxessem informações de como implantar tais
ferramentas.
Neste artigo será mostrado de forma simples e objetiva, um passo a passo de como
criar uma máquina virtual utilizando o software Virtual Box 3.2.8, rodando o sistema
operacional Debian netinst 5.05 e instalar o CACTI e os softwares que são necessários para
que ele funcione perfeitamente. Além do passo a passo, será descrita a ferramenta e serão
mostrados alguns resultados de testes.
O CACTI não funciona sozinho, ele requer alguns softwares para que funcione
perfeitamente e serão abordados todos estes softwares também, para que fique claro ao
usuário o que é necessário e como fazer toda esta configuração.
Este artigo não tem como objetivo dizer que o CACTI é melhor que as demais
ferramentas, apenas quer apresentá-lo como uma alternativa as outras ferramentas existentes,
como o Nagios, Zabbix, etc.
2 CACTI
Como vimos no decorrer deste curso de especialização, precisamos receber
constantemente informações sobre a situação da nossa infra-estrutura, para que possamos
tomar decisões que visem melhorar o desempenho dos nossos recursos.
Segundo a sua definição na Wikipedia [1] (http://pt.wikipedia.org/wiki/Cacti), “o
Cacti é uma ferramenta que recolhe e exibe informações sobre o estado de uma rede de
computadores através de gráficos. Foi desenvolvido para ser flexível de modo a se adaptar
facilmente a diversas necessidades, bem como ser robusto e fácil de usar. Monitora o estado
de elementos de rede e programas bem como largura de banda utilizada e uso de CPU.

1

Trata-se de uma interface e uma infra-estrutura para o RRDTool, que é responsável
por armazenar os dados recolhidos e por gerar os gráficos. As informações são repassadas
para a ferramenta através de scripts ou outros programas escolhidos pelo usuário os quais
devem se encarregar de obter os dados. Pode-se utilizar também o protocolo SNMP para
consultar informações em elementos de redes e/ou programas que suportam tal protocolo.
Sua arquitetura prevê a possibilidade de expansão através de plugins que adicionam
novas funcionalidades.”
Por ser uma ferramenta leve e que faz uso do RRDTool e do SNMP, ela supre a
necessidade de vários administradores de rede no que tange a necessidade de receber
informações sobre os dispositivos de rede e a utilização da banda, fazendo com ele vire um
suíte muito bom para o monitoramente da infra-estrutura da empresa.
2.1 Funcionalidades e Pré-requisitos
Sobre as funcionalidades do CACTI, menciono aqui o artigo “Zabbix – Ferramenta
de Monitoramento” [2] de Adilson Galiano Filho e Jhonatan Geremias, no tópico “2.1 Por
que utilizar o Zabbix?”, que enumeram algumas funcionalidades do CACTI :









Número ilimitado de gráficos por host;
Envio de alertas via email
Script personalizado;
Armazenamento configurável de históricos;
Rápido resequenciamento dos itens gráficos;
Suporte completo ao RRDTOOL;
Suporte ao protocolo SNMP;
Modelos gráficos préconfigurados;
Gerenciamento totalmente web;
Multiusuário web com níveis de acessos.

Apesar do artigo utilizado não ser sobre o CACTI, a citação sobre as funcionalidades
do CACTI é perfeita, trazendo de forma completa o que o CACTI nos oferece.
Para ser instalado, o CACTI requer uma máquina com no mínimo Pentium IV, 256 de
RAM e 100MB de espaço em disco. Quanto ao sistema operacional, ele pode ser instalado em
sistemas baseados em Linux e Windows
3 Preparando o ambiente
Neste tópico irei demonstrar como preparar a máquina virtual e instalar o sistema
operacional.
3.1 Virtual Box 3.2.8
O Virtual Box é um software de virtualização, para computadores de arquitetura x86.
Ele foi originalmente criado por uma empresa de desenvolvimento alemã chamada Innotek
GmbH, posterior adquirida pela Sun Microsystems e que hoje faz parte da Oracle
Corporation.
Ele funciona em várias plataformas incluindo, Linux, Mac OS X, Windows XP,
Windows Vista, Windows 7, Solaris and OpenSolaris e suporta em modo host alguns
NetBSD, vários Windows e Linux, DragonFlyBSD, FreeBSD, OpenBSD, OS/2 Warp,
Solaris, OpenSolaris, Haiku, Syllable, ReactOS and SkyOS.
2

Segundo uma pesquisa realizada em 2007 pelo site DesktopLinux.com, o Virtual Box
era o terceiro colocado no ranking de virtualização de sistemas Windows em ambientes
Linux.
O endereço na internet aonde você pode efetuar o download do Virtual Box é
http://www.virtualbox.org , lá também você pode ler a documentação e descobrir mais sobre
este poderoso software.
Ele é distribuído sobre a licença GNU e pode ser usado livremente para fins pessoais e
acadêmicos. Caso deseje usá-lo para fins comerciais, deve entrar em contato com o Oracle
afim de adquirir as licenças para tal.
Como já mencionado, será utilizado neste artigo a versão 3.2.8 que é a mais recente e
estável.
Abaixo postarei alguns screenshots da instalação do aplicativo. Irei rodá-lo em uma
máquina com o Windows 7 Ultimate instalado ( fornecido pela parceria PUCPR/Microsoft),
como possui umas instalação fácil, rápida e intuitiva, não requer nenhum conhecimento
especifico a não ser o de conhecer os procedimentos de instalação de um aplicativo comum a
família de sistemas operacionais Windows.
Utilizando a instalação padrão, será criada uma máquina virtual com o nome de
CACTI, será postado os screenshots dos principais momentos da criação da máquina virtual
de sua configuração.

Figura 1 – Definindo a máquina virtual
Na figura 1, podemos ver a primeira tela para criação de uma máquina virtual, acima
preencheremos o nome da máquina virtual, que no caso é CACTI e abaixo qual o sistema
operacional e a versão dele estaremos instalando.

3

O armazenamento dinâmico expansível é a opção que iremos utilizar. está é a melhor opção para uma utilização melhor dos recursos físicos da máquina. pois ele não aloca todo o espaço de destinado ao disco rígido da nossa máquina virtual de uma vez e sim vai alocando conforme formos necessitando deste espaço. O armazenamento de tamanho fixo aloca todo o 4 .Figura 2 – Memória destinada a máquina virtual A figura 2 mostra como configuramos a quantidade disponibilizaremos pra a máquina virtual que estamos criando. de memória que Figura 3 – Tipo de armazenamento do disco rígido da máquina virtual A figura 3 mostra que a máquina virtual pode ser armazenada de duas formas.

configuramos a forma como a máquina virtual acessara a rede. 5 . Figura 4 – Tamanho do disco da máquina virtual A figura 4 nos mostra como definir o tamanho do disco rígido da nossa máquina virtual.espaço de uma vez. Figura 5 – Configuração da rede na máquina virtual Na figura 5. o que deixa espaços ocupados mesmo estando sem dados. está sendo configurado como funcionará a rede da máquina virtual. mesmo que não esteja sendo ocupado pela máquina virtual. No campo “Conectado a:”.

Assim sendo.05 Em 16 de agosto de 1993. uma pena é que em 2007 eles se divorciaram.podemos criar uma rede virtual. Figura 6 – Configuração para leitura da imagem do Debian Netinst 5. que não é comercial. como se ela fosse mais um computador na rede. seguir o mesmo espírito do Linux e do GNU. O nome do sistema operacional criado pelo grupo foi a distribuição Debian. que usa no seu kernel o Linux. que nada mais é do que “usar diretamente” a placa de rede da máquina real. configuramos o arquivo ISO que será carregado quando ligarmos a máquina virtual. Hoje o Debian é a única distribuição Linux de tamanho significativo. A versão Debian netinst é uma versão indicada para quem possui uma conexão permanente com internet e que pode instalar parte do Debian por ela. também é conhecido como Debian GNU/Linux.org/distrib/netinst . O objetivo do projeto era de formar um grupo de pessoas para que criassem um sistema operacional livre. o Debian também usa mais de 25000 pacotes contendo softwares précompilados que possuem a licença GNU. para que funcione entre a máquina real e a máquina virtual ou podemos usar o modo bridge. nome de sua namorada (na época) e das letras do seu nome IAN. 3.05 Na figura 6. A palavra Debian vem da junção das letras DEB do nome Debra. para que possamos instalar o Debian nela. ser totalmente aberta. DEB+IAN = DEBIAN. A distribuição criada teria que possuir como pré-requisito.2 Debian Netinst 5. Além de utilizar o Linux. escolhendo imagem que foi feita para o seu hardware.debian. Por ser uma versão mais “enxuta”. Ian Murdock criou o Projeto Debian. o sistema operacional Debian. O Debian é um sistema operacional livre. ou seja. sendo visível por todos os outros computadores que estiverem na rede. Está versão vem apenas com o necessário para iniciar a instalação do sistema de totaliza cerca de 180MB em um arquivo que pode ser baixado do site http://www. será perfeita 6 .

suporta as seguintes plataformas : • • • • • • • • • • i386 amd64 alpha sparc arm. A versão do Debian 5. juntamente com o CACTI e seus softwares afins. armel powerpc hppa ia64 mips. Os pré-requisitos de hardware são : Memória RAM Espaço em Disco Mínimo 64MB 1GB Recomendado 256MB 2GB A máquina virtual terá a sua disposição 128MB de RAM e espaço de 8GB de disco. mipsel s390 O hardware que será utilizado é baseado na arquitetura i386. Figura 7 – A primeira tela de instalação do Debian Netinst 5. Segue abaixo alguns a screenshots das partes mais importantes da instalação do sistema operacional Debian netinst 5.05. trazendo uma economia maior. que é a mais recente e estável.05 7 .05 na máquina virtual que criamos. mais do que o suficiente para a instalação dos programas.para funcionar na máquina virtual.

em sua maioria.05 usando drivers embutidos no sistema. Figura 9 – Selecionado softwares a serem instalados 8 . o insteressante é notar que o adaptador de rede. o que facilita muito o trabalho do instalador. é instalado pelo Debian Netinst 5.Figura 8 – Selecionando o repositório Na figura 8.

a sua instalação não será feita agora. logo após ele ter feito o download e a instalação dos pacotes básicos. Figura 11 – Sistema Operacional funcionando 9 . a máquina virtual será reinicializada e ela estará pronta para ser utilizada. Após esta tela. mas como estes aplicativos serão instalados de forma “manual”. apenas o sistema básico do Debian. para que seja economizado mais espaço.Na figura 9 se verifica que já podemos instalar o servidor web Apache e o banco de dados MySQL. Figura 10 – Finalização da Instalação A figura 10 é simbólica. pois mostra o termino da instalação do Debian.

Todos os problemas que surgirem na instalação. TPF. Microsoft Windows.1 Apache HTTP Server 2. o Apache HTTP Server. um web server. é desenvolvido e mantido por uma comunidade de desenvolvedores sobre a tutela da Apache Software Foundation. assim como configurá-los para interagirem com o CACTI. Em fevereiro de 2010. estava servindo cerca de 54. Com esta necessidade e visando o melhor aproveitamento dos recursos livres que possuímos disponíveis. ele será instalado. O Apache HTTP Server. para isso usamos o comando abaixo. Segundo a Wikipedia (http://en. A partir desta seção. Após apresentado o software. utilizaremos um web server conhecido como Apache HTTP Server. precisamos saber qual é nome do pacote que está no APT-GET para ser instalado. a versão Apache HTTP Server 2. pois ele é todo desenvolvido para que seja utilizado através de um browser. precisamos ter instalado em nosso servidor. GNU. que é uma empresa sem fins lucrativos. Unix. Novell NetWare. A ferramenta utilizada será o apt-get. que buscará no repositório do Debian indicado que estará na internet e instalará os softwares e suas dependências automaticamente. OS/2. Ele pode ser instalado em diversos sistemas operacionais.9-10 Para que o CACTI funcione corretamente. Os softwares necessários para o funcionamento do CACTI são os seguintes : Apache.9-10. Mysql e PHP. o Apache HTTP Server. Assim sendo. and eComStation. Para iniciarmos a instalação do Apache. > apt-cache search apache O resultado do comando esta na figura 12. Solaris.4 Instalando e configurando os softwares pré-requisitos Neste módulo. serão instalados os softwares pré-requisitos do CACTI e suas dependências.2. podendo ser acessado por qualquer computador. mostrando passo a passo como instalá-los de forma simples e objetiva. é o web server mais utilizado desde 1996. serão abordados aqui. 4. Cada software esta sendo abordado em um tópico em separado. configuração e execução de tais programas e suas respectivas soluções. Será utilizado neste artigo. será utilizado o administrador de pacotes chamado de APT para poder manusear os pacotes de instalação dos softwares. FreeBSD. mais conhecido como Apache.2. Mac OS X. 10 .wikipedia. Linux.46% de todos os websites existentes.org/wiki/Apache_HTTP_Server).

O comando utilizado é > apt-get install apache2 Com a instalação do pacote apache2.Figura 12 – Resultado o comando “apt-cache search apache” Na figura 12 é possível identificar o pacote que deve ser instalado. como podemos ver na figura 13. serão instaladas também as suas dependências. seu nome é “apache2”. Figura 13 – Resultado do comando anterior 11 .

Na figura 13. aparecem os pacotes que devem ser instalados como pré-requisitos do Apache e logo abaixo pergunta se você deseja que continue a instalação. podemos testar tentando acessar de outra máquina na rede através de um browser o site padrão do Apache 2. Figura 15 – Página padrão do servidor Apache 2 12 .1. Confirmando a instalação. a figura 14 mostra o resultado final da instalação. vemos isso na figura 15.1. Figura 14 – Termino da instalação do Apache2 e inicialização do servidor Após o termino. avisando que utilizará 26MB para instalar tudo. digitando no browser o ip da máquina virtual que no caso é 10.8.

0. Para saber o nome do pacote que iremos utilizar para efetuar a instalação. Suporta Stored Procedures e Functions. Empresas como Yahoo! Finance. C#. Como vimos. PHP.51 O MySQL é um sistema de gerenciamento de banco de dados (SGBD). Cisco Systems. Java. Visual Basic. Pouco exigente quanto a recursos de hardware. o MySQL é um dos maiores banco de dados do mundo atualmente. nos pacotes de hospedagem de sites da Internet oferecidos atualmente. Slashdot. 13 . Motorola.S. quando era patrocinado pela empresa Sueca. confiabilidade e facilidade de uso.NET e módulos de interface para diversas linguagens de programação. Friendster. Lufthansa. U. ASP e Ruby) Excelente desempenho e estabilidade. Dataprev. JDBC e . A Wikipédia é um exemplo de utilização do MySQL em sites de grande audiência. Suporta Triggers. Federal Reserve Bank.com/why-mysql/ [3]. que prove acesso multi usuário para diversas base de dados. usaremos o seguinte comando: > apt-cache search mysql O resultado encontrado está presente na figura 16. como Delphi. InnoDB. mudou a licença do seu código fonte para a GNU (General Public License).org/wiki/Mysql [4]. HP.0. Facilidade de uso. Replicação facilmente configurável. MP3. Solid… Suporta controle transacional. BDB. Archive.com. “ O MySQL se transformou no banco de dados open source mais popular no mundo por causa de sua alta performance.wikipedia.S. C/C++.4. Silicon Graphics e Texas Instruments usam o MySQL em aplicações de missão crítica.” Continuando. Python. quase que obrigatoriamente. MySQL AB que hoje foi comprada pela Oracle Corporation. Associated Press. Perl.51 e instalaremos ele agora. “O sucesso do MySQL deve-se em grande medida à fácil integração com o PHP incluído. Suporta Cursors (Non-Scrollable e Non-Updatable). NASA. Army. É um Software Livre com base na GPL. O projeto do desenvolvimento do MySQL. A versão que utilizaremos será a MySQL 5. Interfaces gráficas (MySQL Toolkit) de fácil utilização cedidos pela MySQL Inc. Nokia. Alcatel. dentre os seus principais usuários estão : NASA. Google e outros. Falcon. U. são elas : • • • • • • • • • • • • • Portabilidade (suporta praticamente qualquer plataforma atual).mysql. Sony. Compatibilidade (existem drivers ODBC. Segundo o site http://www. Federated. Banco Bradesco. CSV.” O mesmo site nos apresenta as características do MySQL de forma perfeit. com muitos cases bem sucedidos de utilização e iremos utilizá-lo junto com o CACTI. Contempla a utilização de vários Storage Engines como MyISAM. segundo o site http://pt.2 Mysql 5.

Figura 16 – Resultado o comando apt-cache search mysql Através do resultado do comando chegamos a conclusão que devemos instalar o pacote mysql-server. o comando ficará : > apt-get install mysql-server Figura 17 – Tela com os pacotes novos a serem instalados e o pedido de confirmação 14 .

Figura 18 – Primeira página de configuração do MySQL Após a confirmação. mostra que 9 pacotes novos serão instalados no total e estas instalações consumirá 105MB do disco de nossa máquina virtual. ou seja. A figura 19 mostra o termino da instalação. aparece um tela de configuração é aonde será inserida a senha para o usuário principal do MySQL. a figura 18 trás o resultado. Confirmando a instalação. repetimo-la. A próxima tela é a confirmação da senha.A figura 17. Figura 19 – Termino da instalação do MySQL e das dependências 15 .

Tipagem fraca. as características do PHP são : • • • • • Velocidade e robustez. O CACTI foi totalmente desenvolvido nesta linguagem.dfsg na máquina virtual. Sintaxe similar a C/C++ e o Perl.independência de plataforma . permite a conexão direta com uma grande quantidade de Banco de Dados relacionais como: Oracle. livre e muito utilizada para gerar conteúdo dinâmico na World Wide Web. Unix e Linux. sendo muito difundida na comunidade de software livre. através do seguinte comando : > apt-cache search php5 A figura 20.org/wiki/Php [5] define muito bem o que é o PHP.4.6.” O PHP é uma linguagem simples e free. podemos utilizá-la de forma gratuita.escreva uma vez. Será pesquisado primeirando o nome do pacote que deve ser instalado.2. aceita vários sistemas operacionais como o Windows. rode em qualquer lugar. que contem o metapacote do servidor PHP. IIS E PWS. mostra o resultado da pesquisa. Portabilidade . O PHP é uma linguagem de fácil entendimento. “O PHP é multiplataforma. Estruturado e orientação a objetos. “PHP (um acrónimo recursivo para "PHP: Hypertext Preprocessor") é uma linguagem de programação de computadores interpretada.3 PHP 5. Será instalado o pacote “php5”. É suportado pela maioria dos servidores WEB que existem no mercado como o APACHE. 16 . Podemos citar André Freitas em seu trabalho realizado na UNIBAN em 2006 [6] cujo nome é PHP .2.6.dfsg O site http://pt.wikipedia. Informix. Sybase. MySQL e outros disponibilizado através do *ODBC. Após esta apresentação.” Segundo o mesmo site. será instalado o PHP 5.

englobando os pré-requisitos e o PHP.Figura 20 – Mostra o resultado do comando apt-cache search php5 Agora o PHP já pode ser instalado. O comando para instalação do php é : > apt-get install php5 Figura 21 .Tela com os pacotes novos a serem instalados e o pedido de confirmação A figura 21 mostra que 4 pacotes serão instalados. O espaço total utilizado será de 6316KB. 17 .

será pesquisado o nome do pacote utilizando o comando : > apt-cache search cacti 18 . Para iniciar a instalação do CACTI. Apache. Com o que foi visto nas figuras 21 e 22. um modulo do apache foi instalado para que ele já fique configurado. 5 Instalando e configurando o CACTI 0. já foram instalados os softwares pré-requisito do CACTI. MySQL e PHP já foram instalados e agora pode se partir para a instalação do CACTI.Figura 22 – Termino da instalação Pode ser visualizado o final da instalação na figura 22.87 Como foi visto nos tópicos anteriores.

O comando utilizado é o : > apt-get install cacti Figura 24 .Tela com os pacotes novos a serem instalados e o pedido de confirmação 19 . que o nome do pacote que utilizaremos para instalar o CACTI é cacti. ele já instalará de forma automática todos os demais pacotes que são pré-requisitos. Por ser a software principal.Figura 23 – Resultado do comando apt-cache search cacti Podemos ver na figura 23.

dentre eles a maioria são pacotes de pré-requitos para o funcionamento do CACTI.A figura 24 mostra que os pacotes a serem instalados são 50. será selecionada a opção “Apache2”. Figura 25 – Aviso de mudança de local libphp-adodb Figura 26 – Configurando o Apache 2 Na figura 26. No final da instalação será utilizado 55. Como foi instalado o Apache2.4MB do disco da máquina virtual. caso não tenhamos certeza de qual instalamos. 20 . será selecionado qual é o nosso servidor do apache. podemos selecionar a opção “Todos”.

21 . Figura 28 – Senha do administrador do banco de dados A figura 28 é tela aonde será colocada a senha do administrador do MySQL. mostra que pode-se deixar o CACTI mesmo configurar a sua conexão com o MySQL através do dbconfig-common que é um aplicativo que ajuda na configuração do conexões com bancos de dados. Será selecionada a opção SIM.Figura 27 – Instalar usando dbconfig-common A figura 27. deixando o dbconfigcommon configurar o MySQL. que foi configurado quando a instalação do banco de dados estava sendo feita.

mas não a configuração do mesmo. 22 . para que finalize a configuração. Figura 30 – Tipo da instalação Na figura 30.1. vemos que pode ser selecionada duas opções. a instalação do CACTI foi terminada. No caso a instalação é nova.1.Após isso. Figura 29 – Página inicial de configuração do CACTI A página incial de configuração do CACTI traz algumas informações sobre a continuidade da configuração do CACTI. “New Install” que faz referência a uma nova instalação ou “Upgrade” que faz referência a atualização de uma versão mais antiga para a 0. Para que o CACTI seja configurado. então será selecionada a opção “New Install” e depois clicado em NEXT.87. Clicar em NEXT. como foi demonstrado na figura 29.8/cacti. será acessado via browser o endereço http://10.

Apenas será mudado o RRDTool de 1. primeiramente se logando nele. Depois de verificado. Figura 32 – Login no CACTI Quando clicado em FINISH. será clicado em FINISH.0.2. pois o CACTI mesmo já testa a existência dos programas necessários em suas respectivas pastas. é terminada a configuração do CACTI e agora se pode utilizar o CACTI.x.Figura 31 – Configuração do CACTI Na figura 31. 23 .x para 1. serão confirmadas as informações nos campos.

pode ser vista a tela principal do CACTI.1. Depois que for digitado o usuário e senha padrões. admin. para futuros acessos como administrador. Figura 34 – Tela principal do CACTI 24 . deve ser inserido o usuário e senha padrões para o primeiro acesso ao CACTI. o sistema pedira que seja escolhida uma nova senha.6 Testando o CACTI Quando aberto o browser no endereço http://10. como podemos ver na figura 34.1. deve-se clicar no botão de login. Figura 33 – Colocando a nova senha Após ser colocada e confirmada a nova senha.8/cacti no browser. aonde as suas várias funções podem ser acessadas com apenas um clique no browser. como podemos ver na figura 33. que são admin.

Todos eles podem ser criados novamente para outras máquinas. com 25 . Figura 35 – Página central do CACTI Nesta tela. pode se visualizar os gráficos criados para monitoramento da nossa máquina virtual. aparece a tela da figura 35. Clicando nele. novos gráficos. novos dispositivos na rede. Os gráficos podem ir desde um monitoramento do uso que uma CPU de um determinado dispositivo até o consumo de banda de rede de outro dispositivo. etc. como podemos ver no artigo feito pelo Leonardo Kolisnik de Matos em outubro de 2009 com o título de “Gerenciamento de equipamentos de rede utilizando o software CACTI”.. Para que possa funcionar o SNMP no Windows 7 precisa ser instalado o serviço. nesta tela clicamos na opção “Add”. Para nossos testes. Existe ainda mais várias plugins que podem ser usados para melhorar o funcionamento do CACTI. pode-se criar novas bases de dados. será adicionado um device ao CACTI. ele será um computador com o Windows 7 Ultimate instalado. que traz muitas informações a mais sobre o funcionamento de tais patches e plugins. Para isso será necessário entrar em “Painel de Controle” e depois em “Programas e Recursos”.Agora podem ser cadastros os dispositivos da rede através da opção “Create devices”. este foram criados de forma padrão pelo próprio CACTI. Figura 36 – Página com os gráficos gerados Clicando na aba GRAPHS que está em vermelho no topo do site.

depois em “Ferramentas Administrativas” e em “Serviços”. Figura 37 – Serviços do windows Na figura 37 pode ser visto o item que será modificar. insere-se o nome da máquina ou algum nome de referência para ela e no campo local coloca-se o grupo que ele faz parte ou aonde ele se encontra. como pode ser visto na figura 36. Figura 36 – Ativar ou Desativar recursos do Windows Com a nova tela aberta. procuramos a opção “Protocolo SNMP”. o “Físico” e o ‘Vínculo de dados e sub-rede”. No campo contato. 26 . e ele deve ser selecionado. deve-se habilitar mais dois serviços. apenas para referência. é o “Serviço SNMP”. como pode ser visto na figura 38. Nas opções abaixo da tela. no campo de Serviço. Clica-se duas vezes nele para abrir e depois seleciona-se a aba “Agente” e preenche-se os campos que estão em branco. clicar em “Ativar ou Desativar recursos do Windows” e uma nova tela irá se abrir. o SNMP precisa ser configurado e para isso deve entrar em “Painel de Controle”.a janela aberta. Depois disso clica-se em OK e ele irá instalar o recurso. Depois de instalado.

Figura 38 – Propriedades de Serviço SNMP aba Agente Figura 39 – Propriedades de Serviço SNMP aba de Segurança 27 .

Clicando no botão CREATE que fica no rodapé da página. serão criados os gráficos para monitoramento. pode ser visto o cadastro da máquina com o windows 7 no CACTI e vemos que ele já conseguiu captar as informações da máquina usando o SNMP que liberamos anteriormente. Figura 40 – Pagina de criação de device do CACTI A figura 40.Na figura 39. Para criar os gráficos. Figura 41 – Opções de Dados para os Gráficos 28 . este nome deve ser comum a todas as máquinas. clica-se na aba de “Segurança”. Cicando em OK é criado o novo dispositivo no CACTI. já janela que aparece. Logo após a criação do dispositivo. e ai aparecem as opções já identificadas pelo CACTI para monitoramento. clica-se em “Create Graphs for this Host”. pode ser vista a segunda alteração que deve ser feita. seleciona-se a opção “Somente Leitura” e escreve-se o nome da comunidade. craimos o dispositivo. depois deve-se adicionar uma comunidade clicando em “Adicionar”. vamos colocar “public”.

Os gráficos são de fácil entendimento e acessíveis a qualquer pessoa ou maquina via os principais browsers do mercado. “Espaço Utilizado C:”. podemos cadastrar todas as máquinas que estão na rede que vamos monitorar. com esta informação nas mãos. “Trafego Wireless”. “Utilização do CPU1”. Figura 42 – Gráfico de monitoramento da máquina com Windows 7 7 Resultados e Análise dos resultados Depois de todo este processo. podemos mudar o horário de alguns processos . simulei um pico de processamento entre os horário 14:10 e 14:20. “Espaço Utilizado D:” e “Uso da Memória Física”. buscando sempre mais informações sobre estes equipamentos. principalmente sobre os servidores. nos permitindo tirar conclusões sobre o que são as reclamações e sobre problemas ocasionados com elas. “Utilização da CPU0”. Podemos ver pela figura 42. Para exemplificar. Figura 43 – Gráfico de desempenho da máquina virtual do CACTI 29 . Como a figura 42 mostra. temos acesso a todas estes gráficos que foram criados. para que eles rodem em horários em que o CPU esteja ocioso. tendo um acesso a informações em tempo real a qualquer momento a partir de qualquer computador.Serão selecionadas as seguintes opções. que o gráfico gerado contém informações sobre o equipamento.

facilidade de implantação e excelente desempenho. A grande vantagem do CACTI é que ele é free. economiza com a aquisição do software. Compactuo com as palavras de Leonardo Kolisnik de Matos [7]. com foco na qualidade e diversificação de ferramentas pela comunidade de software livre. sendo que ele pode ser acessado a qualquer momento via web nos diversos sites da comunidade de usuários e desenvolvedores. tem aperfeiçoamento constante. 30 . Existem algumas falhas no CACTI. ou seja.” Esta observação foi perfeita e resume o que penso sobre o CACTI. muito rápida. criar um passo a passo para quem desejar criar uma máquina virtual utilizando o CACTI para monitoramento de seus recursos. desenvolvidos pela comunidade de usuários que suprem estes problemas.A própria máquina virtual pode ser monitorada. como não ter nativamente alertas via e-mail ou sms. pode ser instalado e utilizado sem pagar nada e o seu suporte é muito bom. existem muitos patchs e plugins que possibilitam uma melhor utilização do software. por ser gratuito. além de ter ferramentas que podem rastrear equipamentos em sua rede. Fazendo este artigo. mas tudo isso é compensado com plugins e patches. 8 Conclusão Acredito que o objetivo deste artigo foi atingido. é uma economia para qualquer empresa com suporte de TI. que escreveu na conclusão do seu artigo Gerenciamento de equipamentos de rede utilizando o software CACTI que “São evidentes as vantagens da implantação do software Cacti em qualquer ambiente de rede. além de ser possível fazer uma adaptação do software aos objetivos específicos de cada pessoa ou empresa. devido sua robustez. Figura 44 – Resultado o comando TOP na máquina virtual A figura 44 confirma o fato de que com um hardware pequeno. percebi que as possibilidades são enormes e consultando alguns sites da comunidade de usuários do CACTI. deixando aberto para que as máquinas virtuais que existam na rede também sejam monitoradas (desde que utilize um adaptador de rede em modo bridge). podemos rodar o CACTI e suas dependências sem problemas e com uma resposta instantânea. pois.

podemos ter gráficos que monitorem as interfaces de rede para que saibamos aonde e quanto está acontecendo o gargalo. 9 Referências Bibliográficas 1.pucpr.scribd.br/~jamhour/RSS/TCCRSS08B/Jhonatan %20Geremias%20-%20Artigo. [7] Leonardo Kolisnik de Matos (2009).wikipedia.pdf) 3. Gerenciamento de equipamentos de rede utilizando o software CACTI (http://www.com/doc/6704970/Intro-PHP – Data 13/10/2010 7. Página oficial do sistema operacional Debian .http://www. dedicada ao CACTI em português http://pt. se é possível ir longe com esta ferramenta e o mais interessante é que podemos monitorar máquinas com vários sistemas operacionais.wikipedia.ppgia. [1] Página da Wikipedia. Como disse no meu resumo.Outra vantagem são os seus gráficos.org/wiki/Php – Data 11/10/2010 6.wikipedia.org/ – Data 11/10/2010 31 .org/distrib/netinst – Data 06/10/2010 10.org/wiki/Apache_HTTP_Server – Data 11/10/2010 11. com um pequeno conhecimento de linux. Zabbix – Ferramenta de Monitoramento (http://www. Página da Wikipedia. dedicada ao MySQL em português http://pt. Página da Wikipedia. [6] Artigo de André Freitas feito na UNIBAN em 2006 http://www. [2] Adilson Galiano Filho e Jhonatan Geremias (2009).apache. O seu monitoramento é muito bom e a possibilidade de se monitorar tudo remotamente no deixa mais tranqüilos quanto aos nossos clientes externos. dedicada ao Virtual Box em inglês http://en.http://www. Em todos os testes que efetuei com o CACTI. dedicada ao Apache Server em inglês http://en. minha intenção não é provar que o CACTI é melhor ou pior que os concorrentes. em que momento a memória da nossa máquina se esgota criando lentidão nos sistemas.mysql. [3] Página oficial do banco de dados MySQL .http://pt. [4] Página da Wikipedia. [5] Página da Wikipedia dedicada ao PHP em português .wikipedia.org/wiki/Cacti – 30 de setembro de 2010 2. etc.org/wiki/Virtual_box – Data 06/10/2010 9. podemos gerar vários gráficos com as mais diferentes informações.com/why-mysql/ – 11 de outubro de 2010 4.debian.org/wiki/Mysql – Data 11/10/2010 5.wikipedia.pdf) 8.http://httpd. eles correspondeu de forma positiva.ppgia. Página oficial do Apache Server . podemos monitorar quanto da banda da rede esta sendo utilizada por uma determinada aplicação.br/~jamhour/RSS/TCCRSS08A/Leonardo%20Kolisnik%20de %20Matos%20-%20Artigo. apenas demonstrar as suas funcionalidades e principalmente como instalá-lo de forma rápida e objetiva.pucpr.

12.http://gregsowell. Página pessoal do consultor Greg Sowell .com – Data 21/10/2010 32 .org/wiki/Mysql – Data 11/10/2010 13.wikipedia. dedicada ao MySQL em português http://pt. Página da Wikipedia.