Universidade de Uberaba.

Campus Uberlândia.
Sistemas de Tratamento de Águas
Prof. MSc. Flávio da Costa Santos.

Dosagem Experimental do Concreto.
Materiais de Construção Civil II

Relatório Prático da disciplina: Materiais de Construção Civil II.
Período de referência: 4º Período.
Aluna:
Jonathan Urias Caetano
Karita Caroline Simeão Mendes
Nattiely Batista Silvestre
Nicolas Souza Ferraz
Thiago Francisco S. Leão
Vinicius Alves Mendes
Rafael A. A. Barreto
Sérgio Henrique
Wesley Ribeiro

5120773
5120611
5041610
512
5120776
5120693
5119898
512
5120256

Uberlândia, maio/2013.
1

.............................................................................................................. ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE EFLUENTES (ETE).............................................. CAPTAÇÃO... INTRODUÇÃO............................................... ANALISE CRÍTICA.........5 6..........................................................6 7.......... OBJETIVOS.........4 3.......................4 4.....Sumário SUMÁRIO................................................................... 2 1........................................................... METODOLOGIA............4 5.......................................................................... ÁGUA CONSUMIDA........... ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA (ETA).......................................................................7 8...............................3 2..............................8 2 .

O concreto possui várias utilidades. Introdução Segundo a ASTM (American Society for Testing and Materials). pedregulho. o concreto é um material compósito que consiste de um meio aglomerante no qual estão aglutinadas partículas de diferentes naturezas. seixos. No ensaio proposto verificou-se a resistência do concreto atingida a partir do traço calculado e específicas datas de rompimento. O concreto deve ser uma mistura proporcional entre aglomerante (cimento). 3 . A resistência do concreto é classificada como baixa (<20 MPa). oferece diversos benefícios como: versatilidade.1. durabilidade e resistência. custo. adequando-as às necessidades construtivas. O agregado é qualquer material granular. Os aditivos e adições são substâncias químicas adicionadas ao concreto em seu estado fresco que lhe alteram algumas propriedades. escória de alto-forno e resíduos de construção e de demolição. disponibilidade. água e agregados graúdos e miúdos. fundações e revestimentos. moderada ou normal (20 a 50 MPa) ou alta (>50MPa). podendo ser usado em estruturas. rocha britada. como areia. pavimentos. A construção civil é um ramo em crescimento e um dos materiais mais consumidos é o concreto. canalizações.

Peso Especifico agregado graúdo (γb) – 2.93 kg/cm³. Dmáx – 19 mm.6 MPa . Peso Especifico agregado miúdo (γm) – 2.64. 1. Modúlo de Finura (MF) – 2. Massa Unitária (Mu) – 1.62kg/cm³. calculou-se o Fc25 através da fórmula: Fc 25=25+1.65∗4 Fc 25 =31. Sd – 4.6. Dado o Fck – 25MPa . Determinação do Dmáx: 2. 4 . Método de Dosagem Para cálculo do traço foram utilizados os seguintes dados:          Cimento Portland III (CP III) – 40. Abatimento – 50mm.2. Fck – 25MPa.

6 kg m³ 5 .6 Dmáx = 19 mm Portanto.11 ≅ 361kg /m ³ 0. Determinação do consumo de agregado graúdo (Cb): MF = 2.54 6.3. Vb= 0.690=1131. 5. Determinação do consumo de cimento (C): C= C= Ca a c 195 =361.690 m³. Determinação da relação água/cimento aos 25 dias segundo a tabela: a =0.64∗1000 )∗0.54 c 4. Determinação aproximada do consumo de água do concreto (Ca): Abatimento = 50mm Dmáx = 19 mm Verificando na tabela abaixo: Então Ca = 195L/mm³. γ= m V γ =( 1.

Metodologia Para que fossem atingidos os objetivos propostos durante a visita a Coca-Cola foram esclarecidos todos os pontos em que foram expostos todos os processos realizados dentro da Empresa para melhor compreensão e aproveitamento. 6 .1 : 3. Ensaio de resistência à compressão (NBR 5739/1994): 3. Determinação do consumo de agregado miúdo (Cm): Vm=1− [ 361 1131.3 1131.3 Cm=Vm∗γm Cm=0.7.3∗2620=773. Apresentação do traço: C Cm Cb Ca : : : C C C C 361 773.1 :0.6 195 + + 3040 2930 1000 ] Vm=0.3 kg m³ 8.5 9.6 195 : : : 361 361 361 361 1: 2.

porém o padrão Coca-Cola de qualidade exige um tratamento mais minucioso. Estação de Tratamento de Água (ETA) A Estação de Tratamento de Água fica dentro da empresa. É necessário que o pH seja corrigido para 6. é um estação de pequena dimensões se comparadas a Estação de Tratamento do DMAE. No tratamento antigo a água passa por floculadores. que fornece água devidamente tratada. 7 . o floculador recebe as águas provenientes das três fontes utilizadas onde é adicionada sulfato de alumínio com intuito de sequestrar os coloidais em suspensão. enquanto o novo sistema ocupa menos espaço já que a estrutura é vertical e trata o dobro da quantidade água – cem metros cúbicos por hora (100m³/h). A mistura rápida é realizada por agitador mecânico. A água chega do DMAE e é armazenada é um reservatório.7. o que justifica a presença de uma Estação de Tratamento de Água (ETA) dentro da empresa. estes entram em fluxo ascendente no floculador. água de poços artesianos e água reciclada. No processo de coagulação é utilizado o coagulante hipoclorito de alumínio. Captação A captação de água para o abastecimento da Uberlândia Refrescos vem do DMAE. formando flocos e sendo esvaziados através de um registro no fundo do floculador.4. A empresa utiliza água do DMAE. As águas misturadas são deixadas em repouso até que a betonita reaja. posteriormente segue para a ETA. e juntamente é adicionada a betonita. 5. Existem dois tratamentos: um possui um sistema antigo que possui capacidade de tratar cinquenta metros cúbicos de água por hora (50m³/h). O objetivo desse segundo tratamento é de ter uma qualidade igual do refrigerante em todo o mundo.

é composta por vinte e duas membranas que são parecidas com macarrão. com o propósito de reduzir o espaço ocupado e garantir uma maior eficiência de produção até o ano de 2014. turbidez e concentração de lodo. que é o novo sistema. O sistema funciona filtrando a água quarenta e sete vezes pelos filtros em quarenta e cinco minutos. O intuito da empresa é substituir todo sistema de tratamento de água convencional por uma unidade da nova estação vertical de ultrafiltração. Os benefícios do sistema de ultra filtração incluem a potabilidade da água.[Figura 01: Floculador] A estação de tratamento compacta com sistema de ultra filtração. sólidos. a vida útil destas membranas é de seis anos. [Figura 02: Sistema de Ultra Filtração Vertical] 8 . reduz o consumo de produtos químicos. depois de realizado este ciclo os filtros são limpos em um processo que leva um minuto e meio.

onde ocorre a oxigenação do efluente.46 litros de água para cada 1 litro de bebida produzido até o ano de 2020. isto é. desde a água para consumo habitual até a fabricação dos refrigerantes.83 litros de água. existência de uma fase anaeróbia de tratamento. seguida por fase aeróbia. esse volume compreende toda água que é utilizada na empresa. Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da Uberlândia Refrescos foi implantada em 1999. esta água percorre para uma caixa clarificadora onde será removido o cloro através de filtros de carvão ativado e quando solicitada na linha de produção esta água passa ainda por ‘’polidor” que tem a função de remover qualquer tipo de partícula que passa pelo filtro de carvão. é uma estação mista. Água Consumida A Uberlândia Refrescos apresenta um consumo de um milhão e trezentos mil metros cúbicos de água por dia. 9 . posteriormente a água é encaminhada para a linha de produção.6. que é calculado como sendo o consumo por litro de bebida produzido hoje na Uberlândia Refrescos é cerca de 1. [Figura 03: Filtros de Areia] 7. a MISSÃO 20/20 tem o objetivo de uniformizar com todo o mundo a quantidade de água utilizada em 1. A água utilizada para a fabricação dos produtos armazenada na “caixa de contato” onde permanece por duas horas em repouso com cloro.

além disso pode-se notar que a empresa de cunho mundial CocaCola Company exige que as empresas que possuem qualquer ligação com ela mantenham o padrão desenvolvido por ela em todos os aspectos. por isso esse tratamento é sempre acompanhado pelo DMAE e após o tratamento o esgoto pela empresa é enviado para o DMAE que analisa se o efluente poderá ser lançado na rede de esgotos ou até mesmo em rios. [Figura 04: Estação de Tratamento de Efluentes] 8. pois esse sistema se consegue uma eficiência de tratamento acima de 90% na remoção de DBO. visando bloquear o consumo excessivo de água e reduzir a quantidade de água utilizada até mesmo para serviços gerais. desde a preocupação ambiental até a qualidade dos refrigerantes. A ETE trata em média 50 m3/h de efluente ácido. o que aliado a outros equipamentos periféricos pode proporcionar o reuso do efluente.Essa estação é mista. por isso a ETA e a ETE acompanham o critério de qualidade da empresa. Pode-se notar a preocupação com atender as normas ambientais indo além delas. Analise Crítica Durante a visita ficou clara a preocupação da empresa com a qualidade dos produtos oferecidos. como limpeza de instalações e de caminhões e até mesmo na linha de produção. 10 . A estação retira cerca de 85% da carga orgânica do efluente.

pois reduz os níveis de poluição contidas na água e assim pode-se ter um controle de tudo o que é gerado. porém como todo sistema existe o risco de falhas. por isso a atenção sobre todas as áreas da companhia deve ser máxima sempre. por isso a ETE é de importância no processo final de produção. 11 .A poluição gerada por uma empresa que usa composto químicos pode causar danos irreversíveis a natureza. O padrão da Coca-Cola que é utilizado na empresa Uberlândia Refrescos é um exemplo bom a ser seguido.