You are on page 1of 28

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTONIO CARLOS

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E ESTUDOS SOCIAIS DE TEÓFILO OTONI
PÓS GRADUAÇÃO ANÁLISES CLÍNICAS

WILLA

PERFIL LIPÍDICO DE CAMINHONEIROS DE UMA EMPRESA PRIVADA DE
TRANSPORTES DO MUNICÍPIO DE PADRE PARAÍSO/MG ANO DE 2015

TEÓFILO OTONI
2015

sedentarismo. Foram realizadas dosagens de colesterol total. tabagismo podem com o avanço da idade provocar uma série de complicações. hipertensão. Email: . caminhoneiros.   Farmacêutica e Pós Graduanda em Análises Clínicas pela Universidade Presidente Antônio Carlos de Teófilo Otoni – MG. HDL e Triglicerídeos e os principais fatores associados são o sedentarismo e maus hábitos de alimentação. incentivá-los a praticar exercícios regulares e modificar seus hábitos alimentares. Colesterol. O estudo tem como objetivo avaliar o perfil lipídico em caminhoneiros de uma empresa privada de transporte do município de Padre Paraíso /MG no ano de 2015.PERFIL LIPÍDICO DE CAMINHONEIROS DE UMA EMPRESA PRIVADA DE TRANSPORTES DO MUNICÍPIO DE PADRE PARAÍSO /MG ANO DE 2015 Willa RESUMO As dislipidemias são alterações metabólicas lipídicas decorrentes de distúrbios em qualquer fase do metabolismo lipídico. A profissão de caminhoneiro contribui para uma vida de hábitos sedentários e alimentações nutricionalmente baixas. Portanto. os resultados foram associados informações apresentada nos questionários aplicados aos mesmos. que ocasionem repercussão nos níveis séricos das lipoproteínas. Frações HDL e LDL e Triglicerídeos em 30 motoristas da idade de 25 a 58 anos. As dislipidemias são graves problemas de saúde pública em nível mundial que isoladamente ou associadas a outros fatores como obesidade. é necessário conscientizar estes motoristas sobre o risco das dislipidemias. Nos resultados verificamos que 80% (n=24) dos motoristas apresentaram níveis aumentados de colesterol Total. Palavras Chaves: Dislipidemia.

1 Introdução Desde a segunda metade do século XX ocorreram várias mudanças nos hábitos de vida das pessoas. provocar uma série de complicações. é quando os níveis lipídicos se encontram alterados na corrente sanguínea. 2004). hipertensão. “As prevalências de dislipidemias são geograficamente variáveis. ou seja. pois representam grandes gastos aos cofres públicos. Neste sentido os estudos sobre as dislipidemias são importantes para a identificação de fatores que possam contribuir para a alteração lipídica sérica e forma de prevenção e . Segundo ANVISA (Brasil. Muito se tem pesquisado sobre o tema já que é as dislipidemias se apresentam como um problema de saúde pública e também financeiro. Segundo Grillo (2005). triglicérides.. culturais ou adquiridos e do estilo de vida das diferentes populações” (MEURER et al. Pode-se entender então que as variações lipídicas não só variam de organismo para organismo. doenças cardiovasculares e algumas doenças renais (POZZAN et al. principalmente nos hábitos alimentares. Pesquisas realizadas permitem ampliar o conhecimento sobre o impacto das dislipidemias. A profissão de caminhoneiro contribui para uma vida de hábitos sedentários e alimentações nutricionalmente baixas. sedentarismo. Para monitorização e controle das concentrações lípides séricas. associada à diminuição nos valores de HDL. dependendo dos hábitos dietéticos. tabagismo podem com o avanço da idade. são utilizados valores padronizados de colesterol total e suas frações HDL. criar indicadores de gravidade e de progressão da patologia e predizer a influência dos tratamentos das condições das mesmas. 2011). mas também em regiões onde os costumes são diferentes. a elevação das concentrações de triglicérides. ganha importância quanto ao propósito de poder ser dimensionado os fatores de risco que estes profissionais estão expostos (BATISTA & VICTOR. A atenção à categoria profissional de motoristas de caminhão. podem levar a doenças lipídicas.. As dislipidemias são graves problemas de saúde pública que isoladamente ou associadas a outros fatores como obesidade. colesterol total e sua fração LDL. 2006). 2011). LDL. Consequentemente começaram a surgir às dislipidemias como a diabetes. a dislipidemia se define em um distúrbio lípide nas concentrações séricas.

. As pesquisas sobre as dislipidemias são sempre evidenciadas devido ao grande número de pessoas acometidas e facilidade de debate em centros acadêmicos e público desinformado.. idade. sexo e estilo de vida (KOLANKIEWICZ. BELLINASO. 2008). podem levar a doenças lipídicas. Segundo Grillo (2005). Desse modo. colesterol total e sua fração LDL. uma prática barata e eficiente na promoção da saúde. GIOVELLI. que possam surgir a partir de aspectos como alimentação. A prevenção e a forma de tratamento também são descritos neste trabalho. 2 Referencial Teórico 2. objetiva-se neste trabalho avaliar o perfil lipídico em caminhoneiros de uma empresa privada de transporte do município de Padre Paraíso /MG no ano de 2015 e descrever sobre as dislipidemias bem com os fatores que alteram o perfil lipídico dos caminhoneiros e que contribuem para a proliferação da doença. associada à diminuição nos valores de HDL. TABELA 1 – Principais lipídios do plasma (em jejum). 2008). A importância de estabelecer um perfil lipídico está no intuito de prevenir e intervir em patologias dislipidêmicas. 2007 apud LAGO. Além disso.1 Perfil Lipídico Os exames laboratoriais são peças principais no diagnóstico e controle de certas patologias (ZIMATH et al. 2009). Este trabalho toma como problema de pesquisa a seguinte questão: Quais fatores podem alterar o perfil lipídico dos caminhoneiros levando a uma dislipidemia? Este delineamento se deu por se tratar de um assunto com vastas referências bibliográficas atuais e os vários temas que podem ser abordados a partir do estudo da patologia. a elevação das concentrações de triglicérides. cabe mencionar os benefícios da atividade física. LDL e triglicérides (IV DBD.tratamento na intenção da melhoria de qualidade de vida dos caminhoneiros. Pode-se definir o perfil lipídico através da dosagem sérica do colesterol total e suas frações HDL.

O colesterol se apresenta no organismo de forma livre entre tecidos. intestino. MONTE.73. no plasma ou como reserva energética associado a ácidos graxos livres (MURRAY et al. como pode ser observado na tabela 2 (LIMA. HARVEY. 2009). FERRIER. 2005..2006). (CHAMPE. O índice de colesterol em cada alimento é variável. Pode ser encontrado em quase todo corpo principalmente no fígado. TABELA 2 – Teor de lipídios totais e colesterol de alimentos.Substância Concentração (mg/dL) Lipídios totais 35 – 675 (530) Graxas Neutras 0 – 260 (140) Ácidos graxos não esterificados 8 – 31 (26) Colesterol 140 – 260 (200) Esterificado 90 – 200 (145) Livre 40 – 70 (55) Ácidos graxos totais 110 – 485 (300) FONTE: CISTERNAS. VARGA. Alimentos (100 g) Gorduras totais (g) Colesterol (mg) . córtex adrenal e tecidos reprodutivos. 2006). p.

1 66 Queijo amarelo tipo prato 26.2 0.66 405 Peito de frango cru com pele 4.). P. W.00 3.00 Leite semidesnatado 1.49 49.6 Peito de frango cru sem pele 1. 2002.p.00 Manteiga 83.90 55. s.00 Leite integral 3.Contrafilé cru com gordura 12. o colesterol é o constituinte fundamental de membranas .03 FONTE: SIMOPOULOS. 2009 Segundo Silva (2005).84 60 Pernil cru com gordura 10. A.93 Queijo branco 17..P.78 41.00 51 Pernil cru sem gordura 7. apud LIMA.00 9.42 Ovo de galinha comercial 11.00 Lombo cru com gordura 14.12 82.00 Leite desnatado 0.72 58.00 222.(Org.

Ainda segundo autor. lipoproteínas entre outras estruturas lipídicas (PRADO. pois contribui para as cardiopatias devido a efeito aterogênico direto das lipoproteínas ricas em triglicerídeos (SCHIAVO. LUNADERLLI. triglicérides. a inatividade física. também contribuem para o aumento do risco. 2001). LDL. As dislipidemias estão associadas ao desenvolvimento de aterosclerose. Tem função estrutural constituindo membranas celulares e camadas que revestem as lipoproteínas. densidade e composição. clínicas e de intervenção terapêutica demonstraram a relação inversa entre valores de HDL-c e doença aterosclerótica” (FORTI. Estudos apontam que a concentração diminuída de HDL sérico está diretamente associada com o desenvolvimento de doenças arteriais coronarianas (LIMA. a idade. 2002). As lipoproteínas são macromoléculas solúveis em água que realizam transportes de lipídios na circulação plasmática (PITANGA. isso ocorre devido às anormalidades nas concentrações do colesterol. Diversas pesquisas epidemiológicas identificaram que a hipertensão. epidemiológicas. 2006). DANTAS. sais biliares e hormônios sexuais. HDL (FORTI. 2002. COUTO. DIAMENT. DIAMENT. as dislipidemias e o hábito de fumar são os principais fatores que contribuem pra o desenvolvimento de doenças cardiovasculares (PITANGA. 2003). 2001). além de existirem evidências de que a hipertrigliceridemia é um fator de risco independente para doenças coronarianas. no crescimento e na reprodução. Possui importante papel na regulação do metabolismo.celulares. OLIVEIRA. IDL. . “Investigações experimentais. 2006). precursor de vitamina D. o diabetes mellitus. 2006). precursor de ácidos biliares. As lipoproteínas estão classificadas por tamanho. VLDL.2 Fatores de Risco Os Fatores de risco podem ser definidos segundo Moriguchi. como um conjunto de característica que uma pessoa possui e a probabilidade dessas desenvolverem alguma patologia. outros fatores como o sexo. o estresse e o histórico familiar. 2. Dividem-se em quilomícrons. Pode ser de origem exógena quando obtido pela dieta e absorvido no processo digestivo e endógeno quando está circulando com as lipoproteínas do plasma e foi sintetizado pelo fígado. Elevados níveis de triglicerídeos no soro estão associados com condições patogênicas que aceleram a aterosclerose. hormônios esteróides e vitamina D.

Na TAB. FALUDI.. 2. DIAMENT.. triglicerídeos (TG) e colesterol de alta densidade (HDL-C)” (ABADI. possibilitando assim a identificação de possíveis patologias (BERTOLAMI. foram observadas diversas mudanças nos hábitos de vida das pessoas.2. ALVES. “A dislipidemia é um quadro clínico caracterizado por concentrações anormais de lipídios ou lipoproteínas no sangue. 2011). “Laboratorialmente. 5 observa-se os valores lipídicos séricos utilizados para identificação de dislipidemias. e uma dessas mudanças foram os hábitos alimentares. doenças renais. GUIMARÃES. as dislipidemias são classificadas considerando-se os valores de colesterol total (CT). Frações lipídicas Valores (mg/dl) X . em primárias por causas genotípicas ou secundárias causada por doenças bases e uso de fármacos (SANTOS. A má alimentação e o sedentarismo adoeceram a população (POZZAN et al. p.3 Dislipidemias Desde a segunda metade do século XX. 2009). altas despesas nos cofres públicos de saúde. 2004). e doenças tireoidianas (MACHADO. 2005). As patologias que apresentam maior a alteração lipídica são o diabete mellitus. BUDEL. colesterol de baixa densidade (LDL-C). Sabe-se que a dislipidemia é determinada por fatores genéticos e ambientais” (FRANCA. além de desgaste físico e emocional individual e familiar (GUEDES et al. 1994). algumas só se manifestando em função da influência ambiental. devido a sua morbi-mortalidade. sendo necessária uma avaliação laboratorial para determinação de valores lipídicos.. 1999). As dislipidemias secundárias se tornaram uma preocupação mundial. As dislipidemias podem se classificar de acordo com origem.16). devido à dieta inadequada e/ou ao sedentarismo” (SANTOS et al. TABELA 5 – Os valores de referência para o diagnóstico das dislipidemias em adultos > 20 anos. 2001. 2009).4 Diagnóstico Laboratorial Grande parte das dislipidemias são assintomáticas. As dislipidemias primárias “são conseqüentes a causas genéticas.

370..colesterol HDL. 2002. FORTI. DIAMENT.Colesterol total LDL.2011). essas variações podem ser analíticas a partir da metodologia utilizada para realização do exame e pré-analíticas como tempo de jejum e outros fatores que podem ser detectados na anamnese (SANTOS et al. p. 2001). Para determinação do perfil lipídico é necessário que o indivíduo mantenha sua dieta habitual e evite a ingesta de bebidas alcoólicas e a realização de exercícios físicos vigorosos por pelo menos 24 horas antes da realização do exame (MEURER et al.. Podem ocorrer variações no momento de análise do resultado. É necessário repetir .colesterol Triglicérides < 200 Ótimo 200 – 239 Limítrofe > 240 Alto < 100 Ótimo 100 – 129 Desejável 130 – 159 Limítrofe 160 – 189 Alto > 190 Muito Alto < 40 Baixo > 60 Alto < 150 Ótimo 150 – 200 Limítrofe 200 – 499 Alto > 500 Muito alto FONTE: ALVES.

2. durante os dias 16 a 20 de Março de 2015. betabloqueadores. manter os níveis de LDL-C abaixo de 100 mg/dL. imunossupressores. antirretrovirais. seria necessária uma estratégia que envolva o controle dos fatores de risco e a cultura populacional e o apoio de políticas públicas afim de promover o bem estar social. mental e social (PITANGA. porém a maioria dos serviços. 2002). redução nas jornadas de trabalho com melhor aproveitamento de momentos de lazer são os principais aspectos preventivos enfatizados” (MATTOS. implementação de programas de condicionamento físico. A principal terapêutica utilizada são os diuréticos. O diagnóstico e o tratamento adequados da dislipidemia são fundamentais para prevenção das doenças cardiovasculares. corticosteroides e. 2009). 2007). Recomenda-se como meta. 2005). de HDL-C acima de 60 mg/dL. 1997. as dislipidemias estão associadas à outros distúrbios metabólicos. Segundo Barreto et al.. em nosso País. saúde é um conjunto de fatores comportamentais associados ao bem-estar físico. já que em sua maioria. nas formas genéticas (IZAR.5 Prevenção e Tratamento O conceito de saúde não pode ser apenas definido como a ausência de doença. para que a prevenção ocorra de forma satisfatória. 3 Metodologia O estudo. controle dos níveis de pressão arterial (PA). O diagnóstico e o tratamento das dislipidemias são essenciais.. BUDEL. não oferece o atendimento satisfatório (ANABUKI et al. FONSECA.exames com valores lípides alterados após uma semana da realização do primeiro exame no intuito de reduzir a possibilidade de erros e garantir a qualidade do exame (SPOSITO et al. e . ainda. “O ideal é que a dislipidemia seja tratada por uma equipe multiprofissional. 2010). (2005). do CT abaixo de 200 mg/dL e dos triglicerídeos abaixo de 150 mg/dL (ABADI. caracterizado como observacional descritivo transversal. “Mudanças de hábitos higienodietéticos. em caminhoneiros de uma empresa privada de transporte do município de Padre Paraíso/MG. constou de 30 caminhoneiros com idades entre 25 e 58 anos.).

colhidos através de punção venosa. hábitos alimentares (consumo de proteínas de origem animal. Por meio de entrevista obtiveram-se dados sobre o estilo de vida dos participantes – tabagismo. circunferência abdominal) e de pressão arterial. altura. Estas informações foram importantes para identificar os fatores de risco de desenvolvimento de doença arterial coronariana presentes no grupo estudado. gorduras saturadas e colesterol).aceitaram participar deste estudo. Foram realizados inquéritos clínico-bioquímico e alimentar. 4 Resultados e Discussões GRÁFICO 1 – Índice de Colesterol Total (n=20) 80% 60% 40% 20% 0% 70% 10% 20% % de caminhoneiros FONTE: Análise de dados da pesquisa feita pelo próprio autor. Foram examinados 20 caminhoneiros. Já o inquérito bioquímico consistiu na avaliação do perfil lipídico. e 70% (14 caminhoneiros) apresentaram altos índices de Colesterol Total. . assinando o Termo de Compromisso Livre e Esclarecido. pratica de exercícios físicos – e a respeito da historia familiar (histórico de doenças cardiovasculares). O exame clinico envolveu medidas antropométricas (peso. após 12 horas de jejum por parte dos participantes. 2015. 20% (4 caminhoneiros) apresentaram índices limítrofes e 10% (2 caminhoneiros) índices normais.

em 70% (14 caminhoneiros) foi constatado alto índice de LDL. principalmente. quanto mais tempo partículas de LDL-C permanecerem na circulação sanguínea.GRÁFICO 2 – Índice de LDL (n=20) 70% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% 10% 20% % de caminhoneiros FONTE: Análise de dados da pesquisa feito pela próprio autor. Quanto ao LDL. devido à diminuição na síntese de receptores para esta lipoproteína. 20% (4 caminhoneiros) apresentaram índices limítrofes e 10% (2 caminhoneiros) apresentaram índices normais. os níveis de LDL-C pela redução de sua depuração da circulação. 2015. já que os ácidos graxos saturados aumentam. Conforme Shaefer (2002) a gordura saturada é a principal causa alimentar de elevação do colesterol plasmático. Assim. GRÁFICO 3 – Índice de HDL (n=20) . decorrentes de processos de oxidação e glicação. mais sujeitas ficam a alterações qualitativas.

70% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% 20% 10% % de caminhoneiros FONTE: Análise de dados da pesquisa feita pelo próprio autor. Ao se examinar o HDL. restando 30% com índices normais. 2015. . sendo 40% (8 caminhoneiros) com alto índice de triglicerídeos e 30% (6 caminhoneiros) com índices limítrofes. sendo somente 10% (2 indivíduos) apresentando alto índice de HDL e 20% em índice limítrofe. 2015. O índice de triglicerídeos aponta uma alteração considerável. GRÁFICO 4 – Índice de Triglicerídeos (n=20) 40% 40% 30% 20% 10% 0% 30% 30% % de caminhoneiros FONTE: Análise de dados da pesquisa feita pelo próprio autor. pois 70% dos caminhoneiros tem esse índice elevado. o índice de normalidade foi constatado em 70% dos caminhoneiros (14 indivíduos).

2001). 2011) GRÁFICO 5 – Álcool (n=20) 30% 70% Fazem uso de Alcool Não fazem uso de Alcool FONTE: Análise de dados da pesquisa feita pelo próprio autor. Entre os fatores de risco para a obesidade estão o comer em excesso. 2015. GRÁFICO 6 – Tabagismo (n=20) . totalizando 14 indivíduos. visto que o mesmo é considerado alimento de alto valor calórico e nenhum valor nutricional (MARQUES. Dos 20 caminhoneiros. 70% fazem uso de álcool.Indivíduos com sobrepeso e obesidade. frequentemente apresentam elevações leves a moderadas dos níveis séricos de triglicerídeos e níveis séricos mais baixos de HDL-C (SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. a falta de atividade física e o consumo exagerado de álcool.

40% 60% Tabagista Não Tabagista FONTE: Análise de dados da pesquisa feita pelo próprio autor. com redução nos níveis de HDL-colesterol (HDL-C) e aumento do LDL-colesterol (LDL-C) e triglicerídios (TG). 80% (16 caminhoneiros) . GRÁFICO 7 – Sedentarismo (n=20) 20% Sedentários 80% Não Sedentarios FONTE: Análise de dados da pesquisa feita pelo próprio autor. As principais conseqüências do tabagismo são a acentuação da dislipidemia. 1998). Quando falado sobre o uso do cigarro. Quando lhes foi perguntado sobre atividades físicas. 2015. 60% (12 caminhoneiros) afirmou ser tabagista. 2015. O consumo de cigarros provoca elevação da pressão arterial (ROCHA.

Por isso. rápidas. nem definir horário para realizá-las. que pode ser explicado pelos hábitos alimentares inadequados e a falta de atividade física por parte dos participantes. . futebol. gorduras saturadas e colesterol. e 20% (4 caminhoneiros) afirmaram praticar algum esporte. ocasionando assim o sedentarismo. eles acabam abrindo mão de comidas mais práticas. colesterol. entre eles.afirmaram não fazer nenhuma atividade. Considerando a relação positiva entre alimentação rica em ácidos graxos saturados. e os níveis lipídicos plasmáticos. que geralmente são ricas em gorduras trans. não os permitem fazer muitas escolhas saudáveis para suas refeições. acreditam-se que a atividade profissional dos caminhoneiros. gorduras trans. O estudo revelou o predomínio de hipertrigliceridemia isolada. ciclismo e caminhadas. conforme relatado por eles.

GRÁFICO 8 – Índice de Massa Corpórea (n=20) 50% 50% 40% 30% 20% 10% 0% 20% IMC 20% 10% % de caminhoneiros FONTE: Análise de dados da pesquisa feita pelo próprio autor. constatouse que. causando a dislipidemia e a hipertrigliceridemia. uma vez que. 4 caminhoneiros variaram o IMC entre 40 e 50. Quando feita a pesagem e medida a altura de cada um dos caminhoneiros. dos 20 caminhoneiros. se dá por conta do sedentarismo. 5 Considerações Finais Após todos os exames feitos nos caminhoneiros. Dos 16 caminhoneiros obesos. refeições muito gordurosas e uma vida sem atividades físicas. alteram os níveis de LDL e triglicérides. e 2 caminhoneiros tiveram sua variação de IMC entre 50 e 60. Uma pesquisa realizada por Carneiro (2003) apontou a forte relação do sobrepeso e obesidade com alterações no perfil lipídico e constataram que a distribuição central da gordura corporal contribui principalmente para o desenvolvimento da hipertensão arterial. 2015. a fim de mostrar a redução da . independente de suspeita de sua ocorrência ou da presença de doenças a ela associadas. o que equivale a 80% dos entrevistados. conclui-se que o principal motivo do índice alto de colesterol nos mesmos. A dislipidemia deve ser tratada de maneira profilática. os maus hábitos. 16 são obesos. 10 tiveram seu IMC entre 30 e 40. e 4 estão com o índice de massa corpórea adequado.

truckers. HDL and LDL fractions and triglycerides were performed in 30 drivers age 25-58 years. The profession of truck driver contributes to a life of sedentary and nutritionally low feeds . the results presented information in the questionnaires were applied to the same associates. hypertension. The study aims to evaluate the lipid profile in a private truck transport company of the city of Padre Paraíso . Lipid disorders are serious public health problems worldwide that alone or together with other factors such as obesity . visando ainda a melhora na qualidade de vida dos caminhoneiros. colocando em pauta a mudança do dia-a-dia do caminhoneiro. encourage them to engage in regular exercise and modify your eating habits. é de estar melhorando as condições físicas de cada um da empresa. it is necessary to educate these drivers about the risk of dyslipidemia .morbimortalidade geral em relação às doenças cardiovasculares. The results found that 80 % ( n = 24 ) of the drivers showed increased levels of total. aumentando a expectativa de vida e melhorando a qualidade e o bem-estar de todos. HDL . physical inactivity . Keywords: Dyslipidemia.MG in 2015. incentivá-los a praticar exercícios regulares e modificar seus hábitos alimentares. como um colaborador na comunidade. Referências . A presença do farmacêutico na empresa de transportes. and Triglycerides and cholesterol are major factors associated with physical inactivity and bad eating habits . smoking can with advancing age cause a number of complications . which cause impact on serum lipoprotein levels . É necessário conscientizar estes motoristas sobre o risco das dislipidemias. O papel do farmacêutico em meio às alterações lipídicas dos caminhoneiros é de estar orientando e prevenindo para que haja uma diminuição dos níveis de colesterol e triglicerídeos. Total cholesterol . ABSTRACT Dyslipidemias are lipid metabolic changes resulting from disturbances in any phase of lipid metabolism . Therefore . cholesterol.

ed... 2006. P. 2. HARVEY.N. Porto Alegre: Artes Médicas Sul (ARTMED). A Obesidade e a Insuficiência Cardíaca. A..G. A. Med.Escore de Framingham em motoristas de transportes coletivos urbanos de Teresina.L.P. RIBEIRO. 446p. Bras. – Influência da distribuição da gordura corporal sobre a prevalência de hipertensão arterial e outros fatores de risco cardiovascular em indivíduos obesos.. FARIA. T. A. Bras. 1-3. Rev. n..1.ed. n. vol. Jornal de Pediatria. R.24. M. P. 2000.br/pdf/ramb/v49n1/15351. ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA E CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA – AMB/CRM. v. Campinas. BARRETO. 533p. 2011. de 2015. p. Porto Alegre: Artmed.G. p. . p. R.scielo. n. 49 (3): 306-311. Bioquímica Ilustrada. 3. 48 (1): 43-65.2-3. Arq. Bioquímica Ilustrada. 87 (3): 315-320.br/pdf/jped/v80n1/v80n1a01. GUIMARÃES. . D. AMRIGS.pdf>. Rev. G. BARROS FILHO. FERREIRA. Projeto Diretrizes: Prevenção da Aterosclerose – Dislipidemia.scielo.T. CHAMPE. et al. Disponível em:< http://www. BATISTA. Cardiol. Rev.. Piauí. 2003.ed. Rev. Nutr.. F. Acesso em: 24 de jan.scielo. S. P. HARVEY. C. de 2015. CAMPBELL. K.R. 1996. CARNEIRO. de 2015. 2006. & ZANELLA. Med. Bioquímica. Porto Alegre: Artmed Editora Ltda. Disponível em: <http://www. LERÁRIO.F. 80. Bras. A.. M. C.529-538. vol. & VICTOR. FERRIER. R. P.. A. 752p..ABBES. C. Acesso em: 25 de fev. Disponível em: < http://www.pdf> Acesso em: 14 de fev.. 3.br/pdf/rn/v24n4/v24n4a02. M.pd f>.1. Assoc. A.49. Assoc. Sedentarismo e variavéis clínico-metabólicas associadas à obesidade em adolescentes.4. E. Um quebra-cabeça chamado obesidade. A. D. CHAMPE.

scielosp. Atualização para os clínicos. Bras. Disponível em: <http://www. Fundamentos de Bioquímica Experimental.ed. n.43. Assoc. A. p. O. de 2015. Metab.br/pdf/rbefe/v25nspe/05. s. n. Acesso em: 30 de jan.scielo. COSTA. p. J. MONTE.pdf>.5. Disponível em: <http://www. TINUCCI. A Epidemia da Obesidade. de 2015..CISTERNAS. SABARENSE. Alan.V. M. epidemiol. vol. et al. Disponível em: < http://www. vol. B.alanrevista. Sedentarismo. Med. A. vol. Acesso em 15 de mar.43. 37. 284-291. Disponível em: < http://www. bras. Fís.. J. bras. P. P.pdf>. HALPERN.8. de 2015. Bras. J. p. Lipoproteínas de alta densidade: aspectos metabólicos. pp. Arq. .75-81.2.br/pdf/rsp/v38n2/19790.org/ediciones/2006-1/acidos_graxos_trans.47. 276p. S. DIAMENT. G. Rev. Arq. Esporte... et al. Rev. n. J. de 2015.br/ pdf/ramb/v47n3/6517. n. 2.56.asp >. C.. exercício físico e doenças crônicas. A.br/pdf/abc/v87n5/18. Rev.1. Ácidos graxos trans: Alimentos e efeitos na saúde. 671-679. Acesso em: 01 de mar. epidemiológicos e de intervenção terapêutica. clínicos. J. de 2015. Acesso em: 12 de mar.scielo. n. São Paulo: Editora Atheneu.. R. Acesso em: 15 de fev. FORTI. M.37-43.scielo.25. Perfil lipídico e obesidade em escolares de baixa renda.br/pdf/abem/v43n3/11903. L. M. N. p.scielo. n. POLAK. vol.pdf >.pdf>. Disponível em: <http://www.p. Cardiol. Acesso em: 23 de fev. COSTA. vol. D.38. Bras. vol. O. Consumo abusivo de álcool e fatores associados: estudo de base populacional. JUNQUEIRA. de 2015.175-176. Educ. GRILLO. Disponível em: < http://www.. GUALANO. Disponível em: < http://www. de 2015. BRESSAN.3.scielo. Acesso em: 10 de mar. Endocrinol. A. v. 2005. FONSECA. Rev.pdf >.1. Tabagismo e climatério.87. T.org/pdf/rbepid/v8 n1/09. VARGA. J. n. Saúde Pública. 172-172. A. p.pdf>.

Ana Cecília Petta Roselli. Metab. Obesidade. Bras. M. Bras. FERRIER.scielo. p. 2009. Rev. de 2015. Índice apo B/apo A-I e predição de risco cardiovascular. Acesso em:15 de fev.. vol. de 2015. A. p. MALBERGIER. vol 45. M.. O.5. LAGO. vol. L. n. H.scielo. Lipídios e exercício: aspectos fisiológicos e do treinamento. Acesso em: 06 de mar. 2009.40. 520p. J.HARVEY. Bras. COUTO..421-422. Patol.pdf> Acesso em: 12 de fev. O. p. Revista IMESC.P. Med.). de 2015. Cardiol. 276-282.4. Acesso em: 28 de fev.6. RBAC. M. GIOVELLI. Campus Carazinho. PEREIRA JUNIOR.pdf>.. Arq. O uso de álcool e a evolução do conceito de dependência de álcool e outras drogas e tratamento. n. R. H. Arq. Seriedade e Sociedade. M.. de 2015. BELLINASO. R.3.5 . LIMA.org. n. . 169-178. LIMA. Estudo do perfil lipídico e da prevalência de dislipidemias em adultos. metabolismo e funções fisiológicas da lipoproteína de alta densidade. São Paulo: Phorte.88. p.sbac. n. LIMA. W. R. E. CARVALHO.. SOUSA. 5. Porto Alegre: Artmed. Disponível em: <http://www.br/pdf/rpc/v32n5/27702. M. F. 2001. F. Disponível em: < http://www. M. 2012. 73-86. Estrutura.scielo. 187-190. Disponível em: < http://www.C. 238p.br/pt/pdfs/rbac/rbac_40_04/16. Disponível em: < http://www. Lab. 23 f. L. M. Bioquímica Ilustrada. Monografia (Bacharel em Biomedicina) – Universidade Luterana do Brasil.pdf>. vol.42. n. pdf> Acesso em: 30 de jan.pdf>.32. p. Perfil Lipídico e fatores de risco cardiovasculares em motoristas de caminhão da região norte do estado do Rio Grande do Sul. MANCINI. Endocrinol.317-320. 2009. vol. Disponível em: < http://www. S. KOLANKIEWICZ. clín. Carazinho. D.. de 2015.scielo.ed. MARQUES. A.br/pdf/abc/v88n6/v88n6a14.br/pdf/abem/v45n5/6856. Dependência de tabaco e comorbidade psiquiátrica. D. G.br/pdf/jbpml/v42n3/a05v42n3. (Org.pp. psiquiatr.

M.4.3. Fonseca. C. Silva. 5. S.. COX.. Cad. LESSA. vol. Disponível em:<http://www.org/pdf/rpsp/v24 n5/09. 21. PITANGA. de 2015. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.. M. 692p. Rev. PALMA. E. O. Manual para apresentação de trabalhos científicos: TCCs.369-370.. O. teses e projetos. n.scielo.5.luzimarteixeira.pdf>.. et al.). Health.. M. vol. Rocha.M. 1273p. P..79. Saúde Pública. Efeitos dos exercícios físicos aeróbios e de força nas lipoproteínas HDL. e Mov. J. Princípios de Bioquímica de Lehninger.ed. Bras. 26. M. Atividade física e lipoproteínas plasmáticas em adultos de ambos os sexos. p. R. n. FURTADO.. Acesso em: 20 de jan.br/wp-content/uploads/2009/09/ativ-fisica-e-lipoprotei nas. G. de 2015. R.scielosp. Disponível em: <http://www. Terapêutica Clínica. monografias. Acesso em: 29 de fev..pdf>. D. Barbacena: s.4. NELSON. de 2015. G. 1998. OLIVEIRA. F. RONZANI. I. 24. Cardiol. G.com. Bras. 2011. F. . A. J.L. v. H. p. A. 429-433. 85p. E.edit. E. Disponível em: < http://www. 2006. p. 25 – 39. R. J. n.. vol. dissertações. M. Bras Psiquiatr.ed. DANTAS. Acesso em: 27 de fev. PITANGA.MURRAY. (Org. Estigma social sobre o uso de álcool. São Paulo: Atheneu Editora.scielo. Porto Alegre: Artmed Editora Ltda. Rev Panam Salud Publica/Pan Am J Public.9. Arq. J. p. Prevalência e fatores associados ao sedentarismo no lazer em adultos. E. PRADO. T. Disponível em: < http://www.870-877. Ciên. Harper: Bioquímica Ilustrada.br/pdf/abc/v79n4/12716. de 2015.br/pdf/csp/v21n3/21. M. ASSIS.pdf>. n. LDL e lipoproteína (a).K.A. Reflexões sobre o “sedentarismo” na pesquisa sobre fatores de risco para infarto agudo do miocárdio. 2012.pdf>. Pedroso. Acesso em: 20 de fev. F.

pdf>. MARKS.newslab. Acesso em: 12 de fev. B.J. Acesso em: 24 de fev. Arq Bras.5. E.vol. n. C. Bioquímica Médica Básica de Marks: Uma Abordagem Clínica.pdf>. p. Instrumentos para avaliação do tabagismo: uma revisão sistemática. Am. E. D. A. Assoc. D. Disponível em: < http://www. 2011. U. SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA.br/pdf/ramb/v55n5/02.scielo. Cessação de tabagismo – desafios a serem enfrentados.org/pdf/csc/v16n12/20. Portal Cardiol. vol.16. 88 (suppl I): 2-19. Disponível em: < http://www. de 2015. p. Bras. P. Doença Cardiovascular e Diabetes.br/pdf/jbpsiq/v59 n4/10. p. SCHAAN.scielo. Acesso em: 15 de fev. Ciênc.72. V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. Disponível em: <http://www. p.br/pdf/ abem/v51n2/02. A. NewsLab. vol. Disponível em: <http://www. Med. Cardiol. vol. SANTOS. D. p. 2. 75 (2): 191212.2. 2007.br/ed_anteriores/72/art09. SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA.scielo. Acesso em: 25 de fev. saúde coletiva vol. 2002 SMITH. Rev. Clin..pdf>.142158. de 2015. – Lipoproteins.51. Disponível em: <http://www. J.4. Estudo do Perfil Lipídico de um Grupo de Idosos.12.55. SILVA.. 4707-4720. et al. SANTOS.326-332. Nutr.59. n. nutrition and heart disease. 980p. J. de 2015. REIS. Acesso em: 30 de fev. de 2015. LIEBERMAN. Arq Bras Endocrinol Metab. B..ed. s.com.. P.pdf>. F.scielosp.n.500-501. n. M. Porto Alegre: Artmed. IV Diretriz Brasileira sobre Dislipidemias e prevenção da Aterosclerose.pdf>. de 2015.. 2009. n. . SHAEFER.151-152.

sedentarismo. Fui devidamente informado e esclarecido pelo pesquisador responsável sobre a pesquisa. Eu_____________________________________________ RG____________________ Abaixo assinado. Rio de Janeiro: LTC – Livros Técnicos e Científicos Editora S. 7. latinoam. tabagismo podem com o avanço da idade provocar uma série de complicações. vol.scielo. Pois você não será identificado (a) em nenhuma publicação que possa resultar deste estudo.A. A profissão de caminhoneiro contribui para uma vida de hábitos sedentários e alimentações nutricionalmente baixas.. 53-59. . As dislipidemias são graves problemas de saúde pública que isoladamente ou associadas a outros fatores como obesidade. O estudo tem como objetivo avaliar o perfil lipídico em caminhoneiros de uma empresa privada de transporte do município de Padre Paraíso/MG no ano de 2015. Disponível em: < http://www. As informações obtidas através dessa pesquisa serão confidências e asseguramos sigilo sobre sua participação. A atenção à categoria profissional de motoristas de caminhão. G.TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO Título da pesquisa: Perfil lipídico de caminhoneiros de uma empresa privada de transportes do município de Padre Paraíso/MG ano de 2015 Pesquisador responsável: Instituição/Departamento: Universidade Presidente Antônio Carlos .SOLOMONS. 474p. APÊNDICE A . ZIMATH.. FRYHLE. Química Orgânica. O presente estudo não irá oferecer nenhum tipo de risco para você que se submeter á coleta dos dados. concordo a participar do presente estudo como sujeito. A participação no estudo não acarretará custos para você e não será disponível nenhuma compensação financeira adicional. hipertensão. Acesso em: 12 de fev. os procedimentos nela envolvidos. Acta bioquím. T. p. C. Variabilidade biológica na concentração de lipídeos séricos.42. ar/pdf/abcl/v42n1/v42n1a08. clín. ganha importância quanto ao propósito de poder ser dimensionado os fatores de risco que estes profissionais estão expostos. Sua recusa não trará nenhum prejuízo em sua relação com o pesquisador ou com a instituição. não havendo possíveis riscos e benefícios decorrentes de minha participação.UNIPAC Você está sendo convidado (a) a responder ás perguntas deste questionário de forma aleatória e sua participação não é obrigatória.1.org.ed. 2002. n. et al. de 2015. A qualquer momento você pode desistir de participar e retirar seu consentimento.pdf >.

sem que isto leve á qualquer penalidade ou interrupção de meu acompanhamento/assistência/tratamento. ___de _____________________________de 2015. ___________________________________ Assinatura do sujeito da pesquisa ___________________________________ Assinatura do pesquisador . Padre Paraíso.Foi-me garantido que posso retirar meu consentimento a qualquer momento.

APÊNDICE B – QUESTIONÁRIO Questionário aplicado sobre perfil lipídico de caminhoneiros de uma empresa privada de transportes do município de Padre Paraíso/MG ano de 2015. Aluno: Nome:________________________________ Idade:________________________________ Sexo:_________________________________ Peso: ______________ Altura:____________ Você Fuma? ( ) Sim ( ) Não Você faz uso de bebidas alcólicas? ( ) Sim ( ) Não Você Pratica algum exercício físico? ( ) Sim ( ) Não Exames Colesterol Total:____________ HDL: _____________ LDL: _____________ Trigliérideos: ___________ .