You are on page 1of 4

As Influências Germânicas no Sistema

Feudal

UNIVALI – Colégio de Aplicação
Raquel Beatriz Bretzke
Turma 102
Maio de 2015

Os povos bárbaros

“Bárbaro” era o termo que os romanos utilizavam
para descrever os povos que viviam fora de suas
fronteiras, não falavam latim e, por tanto, não
tinham elementos de sua cultura.
Eram os mais famosos: Suevos, Alamanos, Vândalos,
Visigodos, Ostrogodos, Anglos, Saxões, Francos, e
muitos outros, eles também eram conhecidos como
Germanos.
Os Germanos eram seminômades, ou seja, usufruíam de
tudo que uma terra tinha a oferecer e quando seus
recursos acabavam, simplesmente migravam para outra
área. Eles eram politeístas e o chefe de cada tribo
era o sacerdote, responsável pelos cultos às suas
divindades, nos quais estavam inclusos sacrifícios
tanto de humanos quanto de animais.

A invasão Germânica ao Império Romano
Durante a crise do Império, Roma ficou cada vez com
menos soldados e, como estratégia o Imperador aderiu
os Germanos – com os quais já mantinha relações
comerciais- a seu exército.
Os Germanos adquiriram o conhecimento das táticas de
guerra romanas, o que possibilitou a derrota do
exército que era considerado invencível.
A invasão ocorreu gradualmente, e teve início no
nordeste da península itálica.

Os principais povos germânicos que invadiram o
Império Romano foram os hunos, os vândalos, os
visigodos, os ostrogodos, os francos, os lombardos e
os anglo-saxões. Eles conseguiram alcançar a cidade
de Roma, saqueando a cidade e buscando destruí-la. Em
476 d.C., o líder dos germanos, Odoacro, comandou a
invasão e o saque de Roma, tirando do poder o último
imperador romano Rômulo Augusto.
O povo de Roma espalhou-se em pequenos aglomerados
rurais, o que acabou formando pequenas comunidades e,
com o decorrer do tempo, alguns tornaram-se impérios.
O principal ficou conhecido como Império Carolíngio,
governado por Carlos Magno, uma importante figura
pois desenvolveu o código romano (código de leis até
hoje utilizadas), uma organização política e
administrativa funcional e deu continuidade ao
cristianismo.
Quando Carlos Magno faleceu, houve o tratado de
Verdun, que dividia as terras do Império Carolíngio
em três partes, uma para cada um de seus filhos,
porém estes não eram governantes muito bons e seus
reinos dividiram-se em várias partes.
Cada uma dessas partes foi denominada Feudo, um
sistema social baseado em laços de fidelidade, foi
dividida em camadas sociais fixas. Eram elas:

Os elementos germânicos que mais influenciaram na
formação
do
feudalismo
foram:
a
economia
agropastoril; o regime de trocas e a sociedade, em
que os guerreiros se submetiam à autoridade de um
chefe militar.

Referências
http://www.mundoeducacao.com/historiageral/as-influenciasgermanicas-romanas-no-ocidente-medieval.htm

https://www.algosobre.com.br/historia/sistema-feudalo.html
http://www.historiadomundo.com.br/idade-media/povosbarbaros.htm
http://www.suapesquisa.com/povosbarbaros/reinos_barba
ros.htm
http://www.mundoeducacao.com/historiageral/povosgermanicos.htm
http://www.mundoeducacao.com/historiageral/invasoesbarbaras.htm
http://www.infoescola.com/historia/invasoes-barbarasno-imperio-romano/
http://www.brasilescola.com/historiag/invasoesbarbaras.htm