You are on page 1of 33

Caracterização e conceitos de

Sistemas de Medição
Aula 03
Prof. Valner Brusamarello
Composto por material da bibliografia e por notas de
aula

Caracterização
ç de Sistemas de Medição
ç
y Em função de alguns parâmetros relativos a entrada / saída do

sistema :
y Faixa de Operação
y Sensibilidade
y Resolução
y Erro
y Linearidade
y Conformidade
y Histerese
y Repetitividade
p
y Exatidão
y Tolerância
y Confiabilidade

Caracterização de Sistemas de Medição
Faixa (range): A região entre os limites nos quais a grandeza é medida,
recebida ou transmitida
transmitida. Expresso em limite inferior e superior
superior. Ex
Ex.::
Faixa de temperatura de -20 a 200 ºC.

y=f(x
f 1)
Fundo de escala de saída
FSs

Fundo de escala da entrada
FSe

Faixa de Operação
(saída)

Faixa de Operação
p
ç
(entrada)

x1

.Caracterização ç de Sistemas de Medição ç y Sensibilidade Estática (Ganho): A razão da variação na saída pela l variação dda entrada d ddepois ddo regime permanente ser alcançado. y=f(x1) ∂f Sx k = ∂x k x . x ..: A sensibilidade de um termômetro pode ser 1 mV/ºC. 1o 2o 3o x1o x1 .. Ex. y Matematicamente definida pela derivada da saída em relação a entrada. x .

. x3 . ... x2 .Caracterização ç de Sistemas de Medição ç y Sensibilidade Estática para uma Função de Transferência Linear y = λ1 x1 + λ 2 x2 + λ 3 x3 + . x3 . „ ∂f Sxk = = λk = constante ∂xk x1 ..) „ Exemplo: y = λ1 x1 (1 + λ 2 x22 ) + λ 3 x12 x3 ∂f SSx1 = = λ1 (1 + λ 2 x22 ) + λ 3 2 x1 x3 ∂x1 x1 . x2 . x3 . x2 ..... Sensibilidade Estática para uma Função de Transferência não Linear ‹ A sensibilidade varia em função do valor das variáveis y = f ( x1 .

: A resolução de um LVDT hipotético é de 0.1 0 1°C C dymax y=f(x1) dxmin Resolução de Entrada x1 Resolução de Saída % =100.1 µm.:: A resolução do termômetro ao lado é de 0.Caracterização de Sistemas de Medição y Resolução de Entrada (threshold) y A menor variação no sinal de entrada (mensurando) que resultará numa variação mensurável na saída (dxmin). Ex. y Resolução de Saída y Maior salto da medida em resposta a uma variação infinitesimal do mensurando (dymax) Ex (dymax). Ex.dymax/FSs .dxmin/FSe % =100.

Caracterização de Sistemas de Medição y Linearidade y Quantifica quanto a curva saída x entrada se aproxima de uma linha reta.Difmax/FSs Na verdade expressa a não linearidade x1 . y Indica o máximo desvio da função de transferência do instrumento de uma reta de referência média qque representa p o comportamento p do instrumento. y Aplica-se a sistemas de medição projetados para serem lineares y=f(x1) Difmax Linearidade % = ± 100.

Difmax/FSs Na verdade expressa a não conformidade x1 .Caracterização de Sistemas de Medição y Conformidade y Quantifica o quanto a função de transferência do instrumento se conforma à função de transferência prevista teoricamente y Máximo desvio da função de transferência do instrumento em relação a uma curva de referência y Aplica-se a sistemas de medição não lineares y=f(x1) Difmax Conformidade % =±100.

qquando este é aplicado p a partir p de um incremento ou decremento do estímulo y=f(x1) Histma x1 Histerese % =100. para uma dada excursão da entrada.Caracterização ç de Sistemas de Medição ç y Histerese: Propriedade de um elemento evidenciado pela dependência do valor de saída na história de excursões anteriores.Histmax/FSs % . y Quantifica a máxima diferença entre leituras para um mesmo mensurando.

 Pode ser considerada como resultante de variáveis espúrias de fabricação  Deve entrar na composição do erro esperado para a medida. de um dispositivo para outro (do mesmo tipo ou dentro de uma linha de dispositivos). em função do processo de fabricação. se for considerada a substituição do dispositivo no instrumento sem efetuar procedimentos de calibração e ajuste Determinada pelo fabricante fabricante. por amostragem na linha de produção dos dispositivos Representada na forma de incerteza .Caracterização ç de Sistemas de Medição ç y Tolerância ‹ ‹ ‹ Quantifica as diferenças que existem em uma determinada característica de um dispositivo do sistema de medição.

Caracterização ç de Sistemas de Medição ç y Confiabilidade ‹ ‹ ‹ Procura quantificar o período de tempo em que o instrumento fica livre de falhas. . Sobrecarga  Valor em que o mensurando pode ultrapassar FSe sem afetar permanentemente as características do instrumento Tempo de Vida  Armazenagem  Operação O 㠐 Ciclagem • número mínimo de excursões em toda a faixa de operação p ç (ou parte especificada dela) que podem ser efetuadas sem que nenhuma das características do instrumento sejam afetadas.

obtained experimentally [VIM 2004: 2.1] y Resultado de uma medição. mesurage m] Valor atribuído a um mensurando obtido por medição. Information about the magnitude g of a quantity. m [result of a measurement / résultat d’un mesurage.10]. .Resultado de uma medição [VIM 3. q y.

Elementos constitutivos do resultado de uma medição yValor numérico yU Unidade a e dee medida e a yIncerteza associada .

Características metrológicas do resultado de uma medição ã y Exatidão y Incerteza -Repetitividade Repetitividade Reprodutibilidade y Rastreabilidade ((ver Aula 01)) y Comparabilidade (ver Aula 01) .

sob as mesmas condições de medição. .Repetitividade (VIM) y Repetitividade A repetitividade de um instrumento é a aptidão de um instrumento de medição em fornecer indicações muito próximas. em repetidas aplicações do mesmo mensurando.

y Quantifica os erros não sistemáticos ou a incerteza curva média y=f(x1) Precisão % = ± 100. sob condições especificadas. a variância ou o coeficiente de variação. sob condições de medição especificadas. obtidos por medições repetidas.no mesmo ou em objeto similares. as condições de repetitividade. as condições de precisão intermediária ou as condições de p reprodutibilidade.Caracterização de Sistemas de Medição y precisão de medição (VIM) y definida como o grau de concordância entre indicações ou valores medidos. por exemplo.∆ymax/FSs % ∆ymax Na verdade expressa p a imprecisão p ou incerteza x1 ∆ymax valor estatístico . especificadas y Essas “condições especificadas” podem ser. f d y A precisão de medição é usualmente expressa na forma numérica por meio de medidas de dispersão como o desvio-padrão.

f] é o grau de concordância entre um valor medido e um valor verdadeiro do mensurando. exatidão . y Exatidão E tidã de d medição di ã não ã é uma grandeza. f [accuracy of measurement / exactitude de mesure. y Uma medição é dita mais exata q quando é caracterizada por p uma incerteza de medição menor.Exatidão de medição [VIM] y Exatidão de medição. y O VIM chama a atenção de que o termo precisão não deve ser utilizado como exatidão. d é um conceito it qualitativo lit ti que não deve ser expresso numericamente.

Caracterização ç de Sistemas de Medição ç y Exatidão y Concordância entre o valor da medida e o valor ideal da medida quando q o instrumento é estimulado com um padrão de comparação. x1 . y=f(x1) Banda de Erro curva ideal Erro max.

R t bilid d Rastreabilidade y Rastreabilidade. f [VIM 6. através de uma cadeia contínua de comparações. f] Propriedade do resultado de uma medição ou do valor de um padrão estar relacionado a referências estabelecidas. geralmente padrões nacionais ou internacionais. . comparações todas tendo incertezas estabelecidas estabelecidas.10] [traceability / traçabilité.

. medição f [comparability of measurement result / comparabilité du resultats de mesurage.Comparabilidade [VIM 2004: 2 2.29] 29] y Comparabilidade dos resultados de medição. mesurage f] Propriedade dos resultados de medições [ou dos valores de padrões] que os tornam comparáveis porque eles são metrologicamente rastreáveis aos mesmos padrões de referência metrológicos estabelecidos.

.Incerteza (de medição) [VIM 3. associado ao resultado de uma medição. f [[uncertainty i off measurement / incertitude i i d d de mesure. f] Parâmetro. denominada incerteza.9] 3 9] y Incerteza de medição. tendo a mesma uma dispersão máxima conhecida. que caracteriza a p dos valores qque podem p ser fundamentalmente atribuídos a um dispersão mensurando. A incerteza é influenciada por muitos componentes externos e não controlados. controlados O resultado de uma medição é a melhor estimativa do valor verdadeiro do mensurando. y Este parâmetro pode ser um desvio padrão ou um múltiplo do mesmo.

y Causado pela influência das variáveis espúrias y Erro aleatório: Origina-se de variações temporais ou espaciais.Definições e Conceitos y Erro: Diferença algébrica entre um valor medido e o valor verdadeiro do mensurando causado por imperfeições originadas na medição (erro ) não é sinônimo de incerteza). pode ser significativamente reduzido se o efeito for quantificado e aplicado um fator de correção. entretanto. . o mesmo pode ser reduzido aumentando-se o número de observações. fl ê i E Embora b este erro não possa ser eliminado. Este erro também não pode ser totalmente eliminado. estocásticas t á ti ou iimprevisíveis i í i dde grandezas d dde iinfluências. y Erro E sistemático: i t áti Origina-se Oi i d um efeito de f it reconhecido h id e repetitivo em um valor de medição.

Como resultado o zero será deslocado. t i para uma ddada d excursão ã dda entrada. y Drift: Mudança indesejável que ocorre na entrada com o passar do tempo. causada por fatores ambientais ou intrínsecos ao sistema. deslocado .Definições e Conceitos y Span: Diferença algébrica entre os limites superior e inferior. Ex. Geralmente expressa em percentagem da faixa total. y Zona morta: A faixa na q qual a entrada é variada sem iniciar mudança observável na saída. Span 220 ºC C y Histerese: Propriedade de um elemento evidenciado pela dependência do valor de saída na história de excursões õ anteriores.: inferior Ex : Faixa -20 20 a 200 ºC C .

caso contrário será impossível entender o que o locutor está falando. l pode-se d d f a SNR como a razão entre os valores definir l (rms ou de pico) entre o sinal de interesse e o ruído introduzido no processo.Definições e Conceitos y Relação ç Sinal Ruído (SNR-signal ( g to noise ratio): ) é uma figura g de mérito que q y y y y define a razão entre as potências do sinal e do ruído total presente nesse sinal.log ⎜ ⎟ dB potência do ruído ⎝ ⎠ Geralmente é melhor obtermos uma razão sinal ruído maior que 0 dB. Imagine g que q você está assistindo uma partida p de futebol ao vivo em um estádio. ⎛ potência do sinal ⎞ SNR = 10. Para um sinal v(t) com um valor RMS Vrms(t) a SNR pode ser definida ⎛ ( vRMS )2 ⎞ como: ⎟ SNR = 10 log ⎜ ⎜ ( vn ) 2 ⎟ ⎝ RMS ⎠ Alternativamente. É preciso que o sinal do rádio seja mais intenso que o ruído causado pela torcida. escutando a transmissão por um rádio AM. .

Definições e Conceitos y Padrões: Consistem em grandezas referências para que investigadores em todas as partes do mundo possam comparar os resultados dos seus experimentos com bases consistentes. y O que é o INMETRO (Veja Aula 01)? Dentre as competências e atribuições do Inmetro destacam-se: Executar as políticas nacionais de metrologia e da qualidade. de forma a torná-las harmônicas internamente e compatíveis no plano internacional. .. assim como implantar cadeia de rastreabilidade dos padrões das unidades de medida no País. medidas materializadas. instrumentos de medição e produtos prémedidos. d provedores de d de d ensaios dde proficiência. dde treinamento e de outros. métodos de medição. Verificar a observância das normas técnicas e legais. no que se refere às unidades de medida. f dde inspeção. Planejar e executar as atividades de credenciamento de laboratórios de calibração e de ensaios. f ê de d organismos dde certificação. p e manter a Manter e conservar os ppadrões das unidades de medida.

Um sistema genérico pode ser descrito em termos de uma variável geral como: dnx d n −1 x dx an n + an −1 n −1 + ..Resposta Dinâmica y Uma medida de uma grandeza física é chamada de dinâmica quando a y y y y p mesma varia com o tempo Pesagem de alimentos no mercado – estática vibração ç de uma máquina q – dinâmica Sistemas lineares são aqueles nos quais as equações do modelo são lineares.. + a1 + a0 x = f (t ) dt dt dt .

y Em um sistema de primeira ordem apenas os coeficientes a1 e a0 são diferentes de zero. A ordem do sistema é definida pela ordem da equação diferencial. a1 e a2e são ã diferentes dif dde zero.Resposta Dinâmica y f(t) é uma função estímulo. a0 x = f (t ) dx a1 + a0 x = f (t ) dt d 2x dx a2 2 + a1 + a0 x = f (t ) dt dt . y Em um sistema de segunda ordem apenas os coeficientes . a0. df l y Em um sistema ordem zero apenas o coeficiente a0 é diferente de zero.

a TL traduz uma resposta do regime permanente. pois facilita o tratamento matemático. exponenciais entre outras tem sua transformada em forma de relações de polinômios. ( ) . Além p fiel do transitório assim como disso. geralmente utiliza-se o domínio freqüência ao invés do domínio tempo. algébricas Funções como senos. cosenos. Entretanto. y Uma vez que os sistemas são modelados com equações e e c a s a aanálise á se po podee se ser feita e ta eem to todos os os instantes sta tes dee diferenciais desde até . Isto deve-se principalmente pela TL transformar operações de f ( t ) = sen (ω1t ) + sen (ω2t ) diferenciação e integração em operações algébricas.Resposta Dinâmica y No estudo do comportamento dinâmico dos sistemas é ( ) S (ω ) T ω = comum fazer a análise da Função de Transferência E ω y A função de transferência é definida como a relação da saída pela entrada. y A Transformada de Laplace (TL) é freqüentemente utilizada na resolução de equações diferenciais.

Análise de Sistemas de ordem zero y No sistema de ordem zero. 1 x= f (t ) a0 . Este tipo de transdutor pode a princípio ser modelado como um sistema de ordem zero (a rigor existem restrições para sistemas i t com velocidades altas). a resposta ou saída do sistema é dada por: „ Uma régua potenciométrica é um tipo de transdutor de deslocamento utilizado largamente em ranges da ordem de milímetros a centenas de milímetros.

dx a1 + a0 x = f (t ) dt at − 0 ⎞ ⎛ x ( t ) = 1 ⎜1 − e a1 ⎟ a0 ⎜ ⎟ ⎝ ⎠ .Análise de Sistemas de ordem um y O sistema de primeira ordem pode ser definido como: y Uma medição de temperatura com um sensor do tipo PT100 pode ser modelado (simplificadamente) p ppor um sistema de primeira ordem.

modelado simplificadamente por um sistema massa mola. sistema y Um exemplo de aplicação de um sistema de segunda ordem é o dinamômetro O mesmo pode ser dinamômetro. A resposta do problema bl evidencia id i que existe i t uma freqüência amortecida ωd. cujas funções sinusoidais oscilarão.Análise de Sistemas de ordem dois y Um sistema de segunda ordem pode ser escrito da seguinte forma: y É iimportante salientar li que esta resposta é definida apenas para t>0 (domínio da TL). Além disso ainda existe um fator de amortecimento ξ responsável pelo overshoot assim como pelo tempo de estabilização da resposta do sistema. que por sua vez tem um equivalente elétrico RLC d 2x dx a2 2 + a1 + a0 = f ( t ) dt dt x (t ) = C − a t 2M 1− e K ⎛ ⎜ 2 ⎛ K ⎜ Ca ⎜ cos − ⎜ ⎜ M 4M 2 ⎜ ⎝ ⎜ ⎝ Ca 2M K ⎞ ⎛ M sen ⎜ ⎟t + 2 ⎟ ⎜ C ⎠ ⎝ 1− a 4 MK 4MK ⎞ ⎟ 2 Ca ⎞ ⎟ K ⎟t ⎟ − M 4M 2 ⎟ ⎟ ⎠ ⎟ ⎠ .

Características dinâmicas y Resposta em Freqüência T ω-3db ω y ‹ Tempo de Resposta ts t y ‹ Fator de Amortecimento t .

BALBINOT A. John .. y . Experimental Methods for Engineers. Instrumentação e Fundamentos de Medidas V 1 e V2 . BRUSAMARELLO V. Notas de aula prof. 2006 e 2007.Bibliografia y y y y HOLMAN JJ.McGraw Engineers McGrawHill.. McGraw-Hill.. O. Inc DOEBELIN. 1990..UFRGS . Measurement Systems. PP.. J.