You are on page 1of 3

INTRODUÇÃO

Neste relatório vamos retratar do princípio da indução eletromagnética mas conhecido
como as leis de Faraday e Neumann-Lenz. É com essa lei que se entende a produção de
corrente elétrica em um circuito colocado sob efeito de um campo magnético variável
ou por um circuito em movimento em um campo magnético constante. Esta lei é a base
do funcionamento dos alternadores, dínamos e transformadores.
Lei de Michael Faraday
Uma fem  será induzida ao longo de uma espira fechada se o fluxo magnético através
da mesma sofrer variação. O modulo da fem é dado por:

Onde

é o fluxo do campo magnético através de uma superfície S dado pela

seguinte expressão :

Lei de Neumann-Lenz
Esta lei diz que sempre existira uma corrente induzida em uma espira condutora fechada
se, e somente se, o fluxo magnético através da mesma estiver variando e que o sentido
da corrente induzida é tal que o campo magnético induzido se opõe à variação do fluxo.
A lei de Lenz nos diz que para procurarmos situações em que o fluxo esteja variando.
Isso pode ocorrer de três maneiras:

O campo magnético através das espiras variando

Espiras com áreas e ângulos de inclinação diferente

Espiras se movendo para dentro e fora do campo magnético

Para observar a lei de indução de Faraday utilizamos duas bobinas circulares de 30
voltas de diâmetro diferentes e o osciloscópio para a visualização das fem induzida nos
terminas da outra bobina não ligada a nenhuma fonte de tensão externa.

ajustouse a tensão no gerador de funções para 0. foi feita a calibragem do osciloscópio. ou seja. Observou-se os resultados mostrados pelo canal 2 do osciloscópio. . usando o osciloscópio. Colocou-se a bobina menor dentro da bobina maior. que. Após feitos os ajustes. na verdade. METODOLOGIA Para este procedimento foram utilizados: gerador de funções. comprovar experimentalmente a Lei de Indução de Faraday. primeiro com os eixos paralelos e depois com os eixos perpendiculares. Primeiro.4 V.OBJETIVOS Observar a força eletromotriz induzida pela variação do campo magnético. Ajustou-se a frequência para 2 KHz. par de bobinas (uma grande e uma pequena) e fios para fazer os contatos elétricos. para então começar o procedimento. osciloscópio. consta em apenas mover a bobina menor de modo que ela se aproxime e se afaste da bobina maior. montou-se o circuito abaixo: Verificou-se se estava ligado corretamente. Depois.

e este do campo magnético. e é nulo quando esta se encontra perpendicular ao eixo. ou seja. isso implica em ddp também nula CONCLUSÃO Com base nos dados experimentais e teóricos. temos a ddp máxima. Esse fato pode ser constatado a partir da expressão da lei de indução de Faraday. vimos que ambos são equivalentes. quando estão alinhadas as duas bobinas. área e o cosseno do ângulo.é zero. Esse valor é máximo quando a bobina está paralela ao eixo. quando o cosseno entre eles é 0ᵒ. O fato da ddp induzida depender também do cosseno do ângulo entre o campo magnético e o vetor área nos indica que. .90ᵒ . ela também terá uma menor diferença de potencial.ANÁLISE DE RESULTADOS E DISCUSSÕES Ao movimentarmos a bobina ao longo do eixo percebemos um decaimento no sinal do canal 2 do osciloscópio. enquanto o cosseno ângulo quando estão em paralelo . Foi observado também que o valor da amplitude da tensão máxima medida pela bobina menor – quando essa se encontra com os eixos alinhados ao da bobina maior – é menos intenso que a tensão do gerador de funções. Como a bobina menor tem menor área limitada pela espira. canal que está marcando o valor da diferença de potencial induzida. o que nos permite comprovar a validade da Lei de indução de Faraday. cujo potencial depende da derivada do fluxo do campo magnético em relação ao tempo.