You are on page 1of 14

Introdução à Neuropsicologia

Parte III
Conteudista
Profª. Dra. RITA DE CASSIA M. MOREIRA

(. sobre como a Juventude Moderna estaria bem melhor se uma vívida apreciação das artes pudesse ser tipo assim incentivada.. Um livro que discute o desenvolvimento dos jovens. No discurso acima. A grande música (. como veremos nessa semana.) acalmaria a juventude moderna e a tornaria mais civilizada. que mantém a arquitetura geral do sistema nervoso de todos os indivíduos bastante similar (CARLSON.Parte 3 Do sistema nervoso ao comportamento Havia música tocando. A crítica do autor é colocada na fala de Alex.. 3 .. Enquanto alguns acreditam que a música e a cultura tornariam a juventude mais civilizada. Pelo contrário. e me fazia sentir como o velho Bog (Deus) em pessoa.. pensando no que eu havia videado (lido) um dia num daqueles artigos sobre a Juventude Moderna.) Mas tive de smekar (rir).) A música sempre me deixava afiado. ela aguça a violência do seu personagem.. regiões específicas do encéfalo apresentam padrões gerais similares em todos os indivíduos. um quarteto de cordas malenk (pequeno) muito bom (. Os i ndivíduos respondem de forma diferente aos estímulos que os cercam porque nossas predisposições e a nossa história estão impressas no nosso sistema nervoso e no resto do nosso corpo. para não falar infinito. e a individualidade. migração e diferenciação celular programada. a violência. ó meus irmãos. isso não significa que cada indivíduo apresenta um padrão geral da organização anatômica e funcional do sistema nervoso. pronto para provocar raios e trovões e fazer com que veks (garotos) e ptitsas (garotas) rastejem em meu poder! Alex é protagonista do livro Laranja Mecânica. 1994). Quando nascemos e nos desenvolvemos. Mas apesar de o nosso comportamento diverso. as conexões iniciais que os nossos neurônios fazem são resultado de uma proliferação. emergir do funcionamento dos nossos neurônios e da forma como eles se comunicam. podemos ver isso claramente.Unidade : Introdução à Neuropsicologia ..

Vamos retomar a esse pensamento. por exemplo. uma palavra é representada por um caminho de ativação neuronal. Isso seria muito custoso para o cérebro. “cadeira” e “poltrona”. Como uma ideia abstrata. Por exemplo. Eu havia pedido para que vocês começassem a imaginar como funções elevadas da cognição são produzidas a partir dessas células tão incríveis. é representada por neurônios? Como nós a lemos? Como a escrevemos? É claro que nós não temos um neurônio específico para representar cada palavra que conhecemos. começando com algo simples. Células especializadas na retina dos seus olhos transformam ondas de luz em estímulos elétricos que os neurônios conseguem transmitir. a forma como eles se comunicam. Ao invés disso. 1). Vamos seguir esse caminho. como uma palavra. A informação é então transmitida pelos axônios desses neurônios chegando aos núcleos do tálamo. E palavras semelhantes apresentam caminhos neuronais semelhantes. Essa semelhança pode ser tanto devido às letras que formam uma palavra. como por sua estrutura semântica. a palavra “cadeira”. na região posterior do cérebro (Fig. até finalmente alcançar o córtex visual. 4 . assim como parte da anatomia e do funcionamento do sistema nervoso. os neurônios. “cadeira” e “ladeira”. por exemplo. ela será representada inicialmente pela parte do seu cérebro que processa estímulos visuais. Se você está lendo uma palavra.Na semana passada estudamos a anatomia e o funcionamento dos neurônios. O processamento de estímulos visuais começa pelos olhos. tanto central como periférico.

que apresenta de 2 a 4 milímetros de espessura e seis camadas. Estruturas envolvidas no processamento primário da informação visual. onde se localizam grande parte dos corpos celulares dos neurônios. Figura 2. Isso quer dizer que os corpos celulares dos neurônios do córtex estão organizados em camadas (Fig. 5 . 2). Dependendo da região cortical. algumas dessas camadas são definidas pela presença de tipos neuronais específicos ou pela ausência de corpos celulares dos neurônios (fonte da imagem: Brain Oxford Journals). Você já sabe que o córtex é a região mais externa do cérebro. A anatomia do córtex dos hemisférios cerebrais é organizada topograficamente. Córtex do cérebro humano.Figura 1. Muitos dos mais de 50 núcleos do tálamo recebem informações sensoriais e as projetam diretamente para uma região específica do córtex cerebral.

Modelo hipotético de como a informação visual é processada separadamente em caminhos paralelos e combinada para formar uma imagem coerente (KANDEL et al. Quanto mais alto na hierarquia do processamento. no córtex visual. sobre sua forma e cor.. por exemplo. 2003). Primeiro informações relativas à sua forma. 3 – KANDEL et al. 6 . Por exemplo. mais complexa fica a informação (Fig. e em seguida (em série) informações relativas à sua cor. a informação visual referente à imagem da palavra “cadeira” é dividida em duas vias paralelas: a via ventral e a via dorsal.Ao serem projetadas do tálamo para áreas específicas do córtex cerebral. A via dorsal processa informações referentes à localização da imagem da palavra. as informações são processadas de forma paralela e serial.. Figura 3. e a via ventral processa informações referentes à sua identificação. 2003).

propôs que o córtex apresenta algumas áreas que não processam apenas informações sensoriais ou apenas informações motoras. Cada área sensorial primária (por exemplo. Vamos dar uma olhada na anatomia do córtex cerebral para entender melhor essa associação (Fig. a imagem da palavra “cadeira”) para áreas de associação próximas. 4). Figura 4. mas que servem para associar essas informações. John Hughlings Jackson.Caso eu peça para que você escreva a palavra “cadeira”. Voltando ao nosso exemplo. por exemplo: onde se encontra sua mão? O que ela está tocando? – e então gerar uma resposta motora. No final do século dezenove. o córtex visual primário) transmite a informação sensorial (por exemplo. lobo parietal (amarelo). informações visuais). lobo temporal (verde) e lobo occipital (vermelho). você terá que associar essa informação auditiva a outras informações sensoriais – como informações visuais e informações sobre seu próprio corpo. assim como para interpretálas em relação ao estado atual do indivíduo e em relação às suas experiências passadas. 7 . o fundador da neurologia inglesa moderna. Anatomia funcional dos quatro lobos do córtex humano: lobo frontal (azul). que integram informações apenas sobre aquela modalidade sensorial (neste caso. Você está olhando a imagem da palavra “cadeira” e me ouve pedindo para que você a escreva. Após me ouvir.

onde o planejamento é implementado para gerar o movimento. ou seja.Por integrarem informações sobre uma única modalidade sensorial. Nessa região. que integram informações sobre várias modalidades sensoriais. e dali para as áreas motoras primárias. os neurônios não estão relacionados a respostas motoras específicas. e as associa para formar uma imagem completa. As áreas de associação unimodais transmitem a informação associada para áreas de associação multimodais. dois significados diferentes: as áreas sensoriais primárias são as áreas que iniciam o processamento da informação sensorial. essas informações são associadas nas áreas de associação unimodais. O processamento sensorial começa processando informações específicas. 2003). onde a informação sensorial é transformada em planejamento para o movimento. ou seja. A forma como o processamento motor ocorre é basicamente oposta ao do processamento sensorial. o cérebro poderá começar a planejar a resposta motora. essas áreas são chamadas de áreas de associação unimodais. o mesmo grupo de neurônios pode responder a um grande número de comportamentos relacionados. Após associar as informações sensoriais. e depois será computada de forma a gerar um movimento específico. então. A informação é. portanto. 8 . neurônios individuais controlam a contração de grupos musculares específicos para o movimento em uma direção específica. O termo “córtex primário” tem. informações visuais são integradas com informações auditivas e informações sobre o próprio corpo (somatosensoriais). transferida para as áreas pré-motoras. Por exemplo. a informação é mais abrangente no início. e as áreas motoras primárias são as áreas finais. então. Como vimos. que geram os comandos motores. Nas vias motoras finais.. ou seja. As informações multimodais sensoriais são transferidas para as áreas de associação multimodais motoras. o disparo dos neurônios está relacionado a músculos e movimentos bastante específicos (KANDEL et al. informações sobre a identificação e a localização de um objeto são processadas por vias paralelas no córtex visual e. O planejamento motor começa com um esboço geral da resposta motora.

a área de associação anterior (córtex frontal). Divisão funcional do córtex cerebral de acordo com as áreas primárias (em preto). e que liga informações sensoriais de diversas modalidades da percepção e da linguagem. São três as principais áreas multimodais de associação entre informações sensoriais e motoras (KANDEL et al. 9 . de associação unimodais (em azul) e de associação multimodais (em vermelho – modificado de KANDEL et al. 2003): 1. por último.Já que as áreas multimodais de associação integram modalidades sensoriais ao planejamento motor.. E. temporal e occipital. entendemos que elas são o substrato neuronal para as funções cognitivas elevadas – como a consciência. 2. 2003). Figura 5. 3.. e que está relacionada à emoção e ao armazenamento da memória. Na Figura 5 você pode observar a localização dessas áreas de associação no cérebro humano. a percepção e as ações com um objetivo. A área de associação límbica. que é responsável pelo planejamento. na parte rostral do cérebro. que fica na borda medial dos hemisférios cerebrais. A área de associação posterior que fica na margem dos lóbulos parietal.

Devido à grande complexidade dessas associações. Por exemplo. Nesse caso. Ao estimular uma área somatosensorial primária. por exemplo. Na Figura 6. toda a operação pode ser feita com o paciente acordado e consciente. você pode ver um corte coronal dos córtices motor primário e somatosensorial primário representando as regiões responsáveis pela execução do movimento e sensação de partes específicas do corpo humano. a área que recebe informação táctil do braço esquerdo. caso tenha sido detectado algum tumor no encéfalo de um paciente e que possa ser retirado por operação. por exemplo. estudos clínicos mostram que mesmo lesões de pequena extensão nas áreas associativas multimodais podem causar distúrbios comportamentais surpreendentemente complexos. Ao abrir o crânio desse paciente. o paciente reportará que algo está tocando este braço. Uma vez que o sistema nervoso não apresenta um sistema sensorial para sua própria dor. 10 . ao estimular a área motora primária. o dedo moverá. respectivamente. mas também de estudos que ocorrem durante cirurgias. os médicos podem estimular eletricamente regiões do cérebro do paciente e observar as repercussões dessas leves estimulações. Informações sobre o funcionamento dessas três áreas de associação são obtidas a partir do estudo de pacientes com lesões corticais. a área que controla o movimento de um dos dedos da mão direita.

apresenta projeções para diversas regiões do cérebro que liberam principalmente um tipo de neurotransmissor chamado de noradrenalina (RANG & DALE. os movimentos do lado esquerdo do corpo são controlados pelo córtex motor direito. Até agora. e as sensações do lado direito do corpo são processadas pelo córtex somatosensorial esquerdo. Por exemplo. Por exemplo. Experimentos com macacos. mas essa representação é contralateral. além de fornecer informações sobre como funções cognitivas complexas evoluíram (KAGAN et al. à esquerda) e pela sensação do corpo (córtex somatosensorial. como o macaco rhesus. 2003).. O sistema nervoso apresenta uma característica interessante e ainda não explicada. o hipocampo e a amígdala. um grupo de neurônios na base do encéfalo.Figura 6. Por exemplo. Nós representamos metade do corpo em cada hemisfério cerebral. mas sua capacidade de processar as informações é fortemente modulada por estruturas que não fazem parte dele. o córtex motor apresenta maior capacidade de processar informações referentes ao movimento das mãos do que referentes ao movimento dos pés. também têm fornecido detalhes impressionantes sobre a neuroanatomia e a fisiologia celular de regiões específicas do córtex cerebral.. nos ativemos praticamente ao córtex cerebral. 2010). 11 . Esquema das regiões responsáveis pela execução dos movimentos (córtex motor. O mesmo ocorre em relação à quantidade de informação sensorial que o córtex somatosensorial consegue processar referente aos lábios em relação à perna (KANDEL et al. à direita). Estruturas como os gânglios da base. chamado de locus coeruleus. 1997). Os desenhos representam a quantidade de informação processada para cada área do corpo.

o despertar. mas pode ser modulado pela via do prazer. as funções cognitivas complexas que são controladas principalmente por áreas corticais estão sujeitas à modulação da via do prazer. O aprendizado da escrita utiliza basicamente áreas de associação multimodais corticais. Segundo Sapolsky. Outro exemplo são os núcleos de neurônios dopaminérgicos. a atividade exploratória e assim por diante. Dessa forma. Quanto mais prazer você sente em uma atividade. Por isso a via que contém esses núcleos foi nomeada de via do prazer. que modulam atividades relacionadas ao prazer. a atenção. No caso dos núcleos dopaminérgicos. mais vezes você se submeterá a ela. o que justifica sua ligação com drogas que causam dependência. o que foi mostrado há décadas atrás quando cientistas colocaram eletrodos no cérebro de ratos. Os cientistas encontraram então uma área que deixava os ratinhos incrivelmente felizes. Como alguém pode saber o que os ratos sentem? Você observa quantas vezes os ratos pressionam uma barra que estimula a região que você está estudando. esses núcleos conseguem modular o estado de alerta de um indivíduo. 12 . mesmo quando já estavam esgotados de tanto apertá-la. modulando a forma como as regiões corticais são sensíveis a informações internas e externas ao indivíduo. Dessa forma. 2007). O neurocientista Robert Sapolsky mostra de forma muito interessante a descoberta e as implicações desses núcleos no livro: Porque as zebras não têm úlceras (SAPOLSKY. os ratinhos preferiam apertar a barra a receber comida ou a fazer sexo. estimulando aqui e ali. os neurônios dopaminérgicos têm algo a ver com o prazer.Esses neurotransmissores modificam os níveis de excitação dessas regiões. Fica aqui uma indicação muito especial para quem quiser saber mais sobre o stress e o sistema nervoso.

Por exemplo. auditivos. e as mesmas áreas motoras. Quando você aprende o que é uma cadeira. determina a ordem como os estímulos são processados. em todos os seres humanos. você associa essa imagem a diferentes outras imagens. e sim plástica. Dependendo da área do sistema nervoso. e somente depois sobre sua cor. O cérebro faz certas suposições sobre o que deve ser visto no mundo. apresentamos pré-disposições para receber informações do ambiente e responder a elas. isso quer dizer que o caminho que o estímulo “cadeira” percorre nos neurônios do seu cérebro será associado a caminhos de outros estímulos que você aprendeu durante a sua vida. Apesar de os neurônios serem formados durante o desenvolvimento de um indivíduo e serem estruturados por processos fisiológicos inatos. primeiro são processadas informações sobre a forma de uma imagem. A forma como seu corpo é organizado e principalmente. implica em múltiplos e incríveis processos neuronais. uma vez que podemos associar estímulos (sejam eles. Esse processamento acontece de acordo com regras inerentes ao sistema nervoso. o aprendizado da leitura e da escrita utiliza as mesmas áreas sensoriais primárias. Essas expectativas vêm parte da experiência do indivíduo e parte da organização dos neurônios que é programada geneticamente. É interessante pensar que olhar. neste caso. o sistema nervoso central. Mesmo em indivíduos diferentes. tácteis ou químicos) de formas diferentes todos os dias. a plasticidade – ou seja. Áreas associativas são altamente plásticas. 13 . as mesmas áreas de associação. simplesmente olhar e reconhecer uma palavra. visuais. Em termos neuronais. essa capacidade de mudança das conexões neuronais – é maior ou menor. o protagonista do livro Laranja Mecânica.Mas o que isso tem a ver com Alex. e a forma como a música aguça sua violência? Quando nascemos. a conexão entre eles não é estática.

Os neurônios da via do prazer de Alex disparam e modulam a informação auditiva referente a grandes sinfonias de forma que elas despertam prazer e violência. o cheiro. discute o desenvolvimento do indivíduo. você também fará caminhos novos. ela não o acalma. assim como às repercurssões que o mau funcionamento ou lesões podem ocasionar na vida de um indivíduo. No nosso curso. Laranja Mecânica. discutem essa associação. Os disparos dos neurônios noradrenérgicos deixam o seu corpo ativo e alerta. A informação sobre a música de grandes compositores clássicos percorre caminhos únicos no seu cérebro. 14 . a textura de uma “cadeira” já utilizavam. e as possibilidades de se desfazer essas associações. quando você aprende a escrever a palavra “cadeira”. Daqui em diante. a escrita. O livro e o filme. não associa “a grande música” à educação. E. ao mesmo tempo. esse exemplo serve para pensarmos sobre as bases do funcionamento do sistema nervoso central. como ao sangue. Podemos supor que. E ao envolver uma atividade nova. Eles discutem como as informações são condicionadas. principalmente. por exemplo. devemos aplicar essas bases ao entendimento de todas as funções cognitivas elevadas. Alex. você utilizará alguns padrões dos caminhos neuronais que a imagem. a um estupro. associando a “cadeira” a diferentes modalidades sensoriais e motoras.Quando você aprende algo novo. ao prazer. E essa informação é integrada no seu córtex anterior fazendo-o planejar seus próximos movimentos que o levarão a uma briga. a informação auditiva é associada a informações que para muitos de nós seriam contraditórias. ao sair da área de associação auditiva unimodal e chegar à área de associação límbica. à luta. à humilhação e. e se associa a imagens violentas.

SCHWARTZ. DALE. ed. R. Human Embryology and Developmental Biology. E. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. Proc Natl Acad Sci U S A 107.M. 2007. ed. R. M. 15 . J. Space representation for eye movements is more contralateral in monkeys than in humans. M. Outras referências: BURGESS. J. H.M. IYER.P. H. B. Princípios da Neurociência. 2010. 3. LINDNER. ANDERSEN.br/services/ebooks/Anthony%20Burgess-1.. 2004. SAPOLSKY... RITTER. A.. KAGAN.. St.pdf>) CARLSON. (Download no site da PUC-Campinas: <http://bibliotecadigital. R. (2003). RANG. A. 1997.REFERÊNCIAS A principal referência para a aula dessa semana é o livro Princípios da Neurociência de Kandel e cols. Louis: Mosby-Year Book1994. 4. São Paulo: Aleph. Farmacologia. 2003. JESSEL. I. A.. T. M. Anthony. São Paulo: Francis. M.. Fica aqui uma indicação importante para o aprofundamento em praticamente todos os assuntos discutidos: KANDEL. 7933–8.edu. Por que as zebras não têm úlceras.puc-campinas. Laranja mecânica.