You are on page 1of 37

1

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO
FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E SUAS TECNOLOGIAS
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP

JOÃO LUIZ DA SILVA SOBRINHO
KRISMAN ENGELBRECHT DESTO
TAMIRIS LUIZA SOARES LANINI

PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE UMA REDE DE ABASTECIMENTO DE
ÁGUA

SINOP
2014

2
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO
FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E SUAS TECNOLOGIAS
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP

JOÃO LUIZ DA SILVA SOBRINHO
KRISMAN ENGELBRECHT DESTO
TAMIRIS LUIZA SOARES LANINI

PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE UMA REDE DE ABASTECIMENTO DE
ÁGUA

Estudo apresentado à disciplina de
Sistema de Abastecimento de Água e
Saneamento do Departamento de
Engenharia Civil – UNEMAT, Campus
Universitário de Sinop como requisito
parcial para a obtenção do título de
Bacharel em Engenharia Civil.

Professor: Cássio Fernando Simioni

SINOP
2014

3
LISTA DE EQUAÇÕES

Equação 1 ....................................................................................................................... 15
Equação 2 ....................................................................................................................... 15
Equação 3 ....................................................................................................................... 16
Equação 4 ....................................................................................................................... 17
Equação 5 ....................................................................................................................... 18
Equação 6 ....................................................................................................................... 18
Equação 7 ....................................................................................................................... 19
Equação 8 ....................................................................................................................... 19
Equação 9 ....................................................................................................................... 20
Equação 10 ..................................................................................................................... 20
Equação 11 ..................................................................................................................... 21
Equação 12 ..................................................................................................................... 22
Equação 13 ..................................................................................................................... 25
Equação 14 ..................................................................................................................... 26
Equação 15 ..................................................................................................................... 26
Equação 16 ..................................................................................................................... 27
Equação 17 ..................................................................................................................... 28
Equação 18 ..................................................................................................................... 28
Equação 19 ..................................................................................................................... 29
Equação 20 ..................................................................................................................... 29
Equação 21 ..................................................................................................................... 30
Equação 22 ..................................................................................................................... 32
Equação 23 ..................................................................................................................... 34

..... 12 Figura 2: Reservatório apoiado/elevado...................................................................... .................................................4 LISTA DE FIGURAS Figura 1: Localização do Reservatório do Terreno......... 33 Figura 5: Ábaco de bombas .......................... 14 Figura 4: Ábaco de bombas....................................... ......................................rendimento.......................... 12 Figura 3: Traçado da Rede de Distribuição.. ........................................... 34 ... ................. ..................................

............5 LISTA DE TABELAS Tabela 1: Diâmetro da tubulação..................................................... 24 ....................................... 21 Tabela 2: Cálculos da Rede de Distribuição Ramificada............ ........ ........

..........................................................2 TIPOS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO ...........4.... 17 5..................... 10 4........4... 11 4............................................................................... 25 7 ESTAÇÃO ELEVATÓRIA .4......... 10 4..........................................................................8 Cargas de pressão ............................5 CONSIDERAÇÕES EXTRAS ................ 10 4..............................................................................................................6 Cotas topográficas ...................................................................................................... 15 5...................... 21 5........ 8 3 OBJETIVOS .........................................................4....... 13 5........................................................3 VAZÕES INICIAIS ..............................3 DIÂMETRO ........1 DEFINIÇÃO.................................................... 17 5................. 27 8 CONCLUSÃO ..................3 PROJETO DE ABASTECIMENTO ...................................4................................4 TABELA ....................................................................................4........................................................................................1 TRAÇADO DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO ........................................................................................... 7 2 HIPÓTESES ....................................6 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO ...................................4..................... 13 5........................................2 POPULAÇÃO DE SATURAÇÃO ..........2 Vazões . 37 ..........................1 TRECHOS E EXTENSÕES......... 22 5............................. 21 5............................................................................... 23 6 RESERVATÓRIO ............................7 Cotas piezométricas ......................................................................................................................................................................................................................... 36 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ................ 10 4...............................................................................................................................4..................................................................................5 Perda de carga total do trecho.............4 RESERVATÓRIOS .. 17 5............... 14 5............................................................................................................................................. 9 4 SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA ............................... 22 5....................................................... 13 5 MEMORIAL DE CÁLCULO ...............................................................................................................................................4 PERDA DE CARGA UNITÁRIA ... 23 5.....

e os materiais utilizados dos elementos hidráulicos. o abastecimento ocorrerá mediante ação gravitacional. Para solucionar o desafio. detalhamento do reservatório e detalhamento da rede de abastecimento.7 1 INTRODUÇÃO Uma pequena cidade apresenta uma população atual de 2. com a abertura de uma empresa de tecelagem na região. Conforme o perfil topográfico do local onde a cidade e o manancial estão situados. em pouco tempo. até chegar. Espera-se. . será necessário fazer o dimensionamento e construção de uma estação elevatória para enviar a água para uma ETA. Com o crescimento dessa cidade e do consequente aumento no volume demográfico. Neste trabalho serão apresentados os procedimentos de cálculos envolvidos na elaboração do projeto. O sistema necessitará da captação e adução da água de um manancial situado próximo à cidade em questão.254 habitantes. as dimensões do reservatório e das tubulações de adução e distribuição. Frente a isso. definições de elementos hidráulicos e parâmetros relacionados. em um ponto de saturação. fez-se necessário definir: como seria projetada a rede de distribuição. A partir desta. faz-se necessária uma melhor distribuição das redes de abastecimento de água no local. bem como uma prancha contendo detalhamento da estação elevatória. um trabalho projetivo deve ser confeccionado. que a população tenha um pequeno crescimento.

 A Estação de Tratamento de Água foi projetada por outra empresa especializada no setor. não há locação residencial com a frente voltada à maior dimensão da quadra.  O tempo para a população atingir o ponto de saturação é de quatro anos e o índice de crescimento populacional disponibilizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Especializada) foi adotado como padrão para esta situação. . ou seja.8 2 HIPÓTESES  Os lotes triangulares situados à frente do Paço Municipal e da Igreja são divididos de modo que as casas estão voltadas às ruas laterais.

 Confeccionar e apresentar memorial de cálculo do projeto elaborado.  Abordar acerca do método de operação do sistema. conjunto moto-bomba.  Buscar uma solução para a distribuição de água na região.  Dimensionar os elementos da estação elevatória (canalizações.  Dimensionar o reservatório de abastecimento.9 3 OBJETIVOS  Avaliar a situação na qual a cidade está inserida.).  Dimensionar a rede de abastecimento de água pelo método das Redes Ramificadas.  Detalhar as características da rede de distribuição em uma prancha para apresentação ao cliente. etc. casa de bombas.  Demonstrar que o sistema proposto apresenta total compatibilidade entre suas partes. .

Com esse tipo de rede. que tem o objetivo de atender. reservatórios. como o Paço Municipal e uma Igreja. bombas. a cada um dos diversos pontos de consumo de um setor de abastecimento. como cidades e vilas. pressões e sanitárias convenientes. em função de solicitações de demanda. sendo a distribuição de água direcionada diretamente aos condutos secundários. qualquer que seja o seu tamanho. A rede malhada é constituída por tubulações troncos que formam anéis ou malhas. De acordo com a disposição dos condutos principais e o sentido de escoamento das secundárias. e o sentido de escoamento em qualquer trecho da rede é conhecido. bem como a futura indústria de tecelagem que . nas quais faz-se possível a reversibilidade no sentido de escoamento.1 DEFINIÇÃO Constitui um conjunto de tubulações. torna-se viável a construção de um reservatório de montante em conjunto a uma Estação de Tratamento de Água.3 PROJETO DE ABASTECIMENTO Na região considerada. dentro de condições de vazões.10 4 SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA 4.2 TIPOS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO Uma rede de distribuição de água. A rede é dita ramificada quando o abastecimento é feito a partir de uma tubulação tronco. é constituída por condutos. entre outros relacionados. Como sua localização é situada próxima à cidade. 4. pode-se abastecer qualquer ponto do sistema por mais de um caminho. as redes de distribuição podem ser classificadas como rede ramificada e rede malhada. alimentada por um reservatório de montante ou submetido à pressão de um bombeamento. Faz-se necessária uma análise das construções públicas presentes na cidade. há um trecho de rio que será utilizado como fonte de água para o abastecimento da população. acessórios. 4.

com a finalidade de dimensionar os elementos hidráulicos a serem utilizados por essas obras. Porém existem vários tipos de reservatório. 1) são definidos como: Reservatório de distribuição. alvenaria. aço ou madeira. p. este tipo de reservatório tem a finalidade de sempre servir água a rede de distribuição. O tipo de rede a ser utilizado será o de Redes Ramificadas. ao Paço Municipal. Os materiais utilizados podem ser: concreto armado. 4. à Igreja e à Indústria de tecelagem. Reservatório de montante. regular pressões. Reservatório de jusante(ou de sobra). usados em áreas onde a cota topográfica seja maior e que não possam ser abastecidos pelo reservatório principal. apoiado ou elevado. com uma tubulação tronco situando-se sob a maior cota do terreno. Reservatório elevado. que possuem a finalidade de regular variações entre as vazões de adução e de distribuição e condicionar as pressões na rede de distribuição.11 será implantada na região. Quanto à localização no terreno os reservatórios podem ser enterrados. como em um incêndio. podem tanto receber quanto fornecer água da rede de distribuição. aos pequenos comércios existentes. o reservatório tem como principais finalidades: regular a vazão. de acordo com a NBR 12217(1993. dar segurança e reservar água para casos em que seja necessário. e as tubulações secundárias direcionando a água diretamente às residências.4 RESERVATÓRIOS Usados no sistema de abastecimento de água de uma cidade. semienterrado. .

circular ou na forma em que promova a máxima economia. preferencialmente na cota mais alta do terreno para poder-se aproveitar melhor a energia potencial daquela altura. que deve ser escolhido após um estudo técnico e econômico. . qual será a forma. além do orçamento e memorial justificativo da obra. algumas delas são: o fundo do reservatório deve estar acima do nível do lençol freático. serão necessários mais. podendo ser retangular. definir: onde será posto o reservatório. Para a realização de um projeto de reservatório. o material a ser utilizado. o volume necessário para atender a demanda da população. Cada tipo de reservatório terá sua especificidade e mediante a um projeto de pesquisa é possível prever-se quais serão necessário. Figura 2: Reservatório apoiado/elevado. se será apenas um ou. Além destas definições existem algumas especificações a serem cumpridas.12 Figura 1: Localização do Reservatório do Terreno. utilizando a NBR anteriormente citada. é necessário para a construção. por conta de níveis de terreno muito alto ou fatores ambientais.

a cobertura deve impedir a entrada da água da chuva. deve existir uma estrutura de controle de vazão de entrada e saída do reservatório. deve ser dotado de um dispositivo de indicador do nível de água.5 CONSIDERAÇÕES EXTRAS Para elaboração do projeto.1 TRAÇADO DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO A proposta de projeto requer o dimensionamento de uma rede de distribuição ramificada que atenda as necessidades de uma comunidade de modo que toda a população tenha acesso à água em suas condições ideais.13 deve ser previsto sistema de drenagem para o esvaziamento do reservatório em caso de fissura ou contaminação. 5 MEMORIAL DE CÁLCULO 5. de modo que não comprometa a fauna e a flora. entre outros fatores. 4. deve ser feita uma análise da qualidade da água a fim de assegurar uma boa saúde e condição sanitária da população. A água captada deve ser encaminhada para uma Estação de Tratamento de Água. devem ser adotados sistemas de comporta na entrada e saída do reservatório para controlar a entrada e saída da água. cada câmara deve ter pelo menos uma abertura de inspeção. de modo a assegurar o devido tratamento da água destinada ao consumo dos moradores da cidade. além de especificações de segurança a fim de se evitar acidentes no local. Deste modo. Para a execução prática do projeto desenvolvido. o solo e a qualidade de vida do local. levando em consideração que a distribuição da água a partir do reservatório ocorreria por gravidade. A partir de tais considerações. deve ser solicitada uma licença ambiental que acate a manipulação e utilização de parcela da água do rio. o ramal principal da tubulação . inicialmente foi realizado o traçado da rede de distribuição ramificado. deve dotar de um sistema de ventilação que impeça o acúmulo de ar ou a entrada de água da chuva. animais e corpos estranhos para evitar contaminação. e estas devem ser protegidas contra o efeito da cavitação.

Posteriormente. foram traçadas as tubulações terciárias de modo que toda população tenha acesso à água fornecida.254 habitantes. reservatório e rede de distribuição de modo a atender as necessidades de consumo local. a tubulação secundária foi traçada obedecendo ao declive do terreno e considerando a montante do trecho locada no ponto mais alto. de modo que a pressão oferecida fosse suficiente para atender aos pontos mais afastados. abrangendo a parte da estação elevatória. como pode ser observado na figura abaixo. foi possível iniciar os cálculos para dimensionar toda a rede de abastecimento de água. . 5. Da mesma forma. Figura 3: Traçado da Rede de Distribuição.2 POPULAÇÃO DE SATURAÇÃO O projeto proposto menciona que a população local atual é de 2. os mesmo foram enumerados do ponto mais distante até o mais próximo do reservatório para facilitar sua identificação para as etapas posteriores. mas que atingirá um ponto de saturação em pouco tempo devido à implantação de uma indústria no ramo de tecelagem. Após todos os trechos definidos.14 foi locado no trecho mais alto do terreno. Desta forma.

incluindo suas diversas unidades. é necessário definir algumas vazões.95% ao ano.755 habitantes Todos os cálculos realizados para dimensionar o sistema de abastecimento de água foram baseados na população de saturação estimada. dispostas a seguir:  Vazão Média (Q): 𝑄 Equação 2 Na qual: Q = vazão média anual (l/s). Com base nos dados existentes. 5. no valor de 4. a população de saturação foi estimada: 𝑃 𝑃0 𝑖 𝑡 Equação 1 P= 2.3 VAZÕES INICIAIS Para o dimensionamento de todo sistema de distribuição. 𝑃 36 𝑞 ℎ 𝑙/𝑠 .15 Como considerado nas hipóteses. o pouco tempo mencionado é de quatro anos e a população aumentará de acordo com o índice de crescimento populacional brasileiro obtido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

36 Q= 4. q = taxa de consumo per capita em l/hab.979 l/s  Vazão dos dias de maior consumo e de maior demanda (Q2): . Considerou-se a taxa de consumo por capita no valor de 150 l/hab.783 l/s  Vazão dos dias de maior consumo: 𝑃 𝑞 36 𝑄 𝑘 ℎ 𝑘 𝑄 Equação 3 Onde: k1= coeficiente do dia de maior consumo.).25 como valor de k1. Adotou-se 1. por dia. h = número de horas de funcionamento do sistema. por dia e o funcionamento do sistema de 24 horas. 36 3 Q1= 5.16 P = população a ser abastecida considerada no projeto (hab. é a relação entre o consumo máximo diário ocorrido em um ano e o consumo médio diário relativo ao mesmo ano.

sendo representados através da utilização do software AutoCAD. O posicionamento da rede ramificada proporcionou uma facilidade na cotagem dos trechos para obtenção de suas respectivas extensões.4. é a relação entre a maior vazão horária e a vazão média do dia de maior consumo.5 como valor de k2.2 Vazões . 36 Q2= 8. Adotou-se 1. 5.1 TRECHOS E EXTENSÕES A rede foi previamente dividida em 42 (quarenta e dois) trechos.4 TABELA 5.17 𝑄 𝑃 𝑞 𝑘 𝑘 36 ℎ Equação 4 Sendo: k2 = coeficiente da hora de maior consumo. 5.4.968 l/s Calculadas as vazões correspondentes para atender a população foi possível elaborar uma folha de cálculo seguindo uma sequência lógica a partir do critério de seccionamento adotado.

para se calcular a vazão em marcha. O procedimento de cálculo pode ser evidenciado pela fórmula a seguir: Qj = ΣQm Equação 5 Onde:  Qj = Vazão de jusante. relativa a cada trecho.2. montante e fictícia. Tal procedimento de cálculo pode ser realizado dividindo-se a vazão da rede pela extensão total da tubulação.4. 𝑞 Equação 6 𝑄𝑑 𝐿𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 . Para os trechos que apresentam ponta seca. marcha.4.1 Vazão de Jusante Corresponde à vazão presente no nó ao fim do trecho. no trecho um da tabela seguinte a jusante será zero e no trecho três será: 6 6 5.18 As vazões calculadas são necessariamente subdivididas em vazões de: jusante. a vazão de jusante corresponde à somatória das vazões de montante imediatamente posterior. A Exemplo.  Qm = Vazão de montante.2 Vazão de Marcha Primeiramente. 5. sua vazão de jusante é nula.2. devese encontrar a vazão unitária em marcha. seguindo o sentido da água. Para os demais trechos.

 L = Extensão.2. 𝑞𝑚 𝑞 𝐿 Equação 7 Onde:  q = Vazão unitária em marcha.3 Vazão de Montante Corresponde a vazão presente no nó inicial do trecho.19 Onde:  q = Vazão unitária em marcha. A Exemplo. realizando o produto entre a vazão unitária e a extensão de cada trecho.4. sendo representado pela soma de vazões de jusante e de marcha. 𝑄𝑚 Equação 8 𝑞 𝐿 𝑄𝑗 . 6 3 Depois de encontrada a vazão unitária.  Qd = Vazão da rede. no trecho um: 6 5.  Ltotal = Extensão total.  qm = Vazão em marcha. possibilita-se calcular a vazão em marcha.

Quando em trechos de ponta seca. onde a vazão de jusante é não nula (Qj≠ 0).L = Vazão em marcha.  Qj = Vazão de jusante.2. ou seja. a vazão fictícia é dada pela divisão da vazão de montante por √3.  q.  Qm = Vazão de montante. Qj=0. conforme a seguinte fórmula: 𝑄𝑚 𝑄 𝑄𝑗 Equação 9 Nos demais trechos. então a vazão fictícia é calculada mediante uma média da vazão de jusante com a de montante. 𝑄𝑓 Equação 10 Onde:  Qf = Vazão fictícia. Exemplo no trecho um: 𝑄𝑚 √3 .  Qj = Vazão de jusante. Exemplo no trecho um: 6 6 5.20 Onde:  Qm = Vazão de montante.4 Vazão fictícia Depende das vazões de jusante e montante dos trechos.4.

5.34 1.D-4.643. neste caso será 125 (aço galvanizado). .72 150.89 9.80 265.  C = Coeficiente de rugosidade do material escolhido. p.173 (2006).85.3 DIÂMETRO Obtido através da vazão de montante na tabela a seguir: Tabela 1: Diâmetro da tubulação.87.27 47. neste presente trabalho foi adotada a de Hazen-Williams.Qf1. – Hidráulica Básica.4.14 5. adaptado. M.  D = diâmetro da tubulação.10 Fonte: Porto R.95 3.C-1.69 14.21 6 √3 5.4 PERDA DE CARGA UNITÁRIA É possível se calcular através de uma equação de resistência.22 108.85 Equação 11  J = Perda de carga unitária. D (mm) 50 60 75 100 6 125 150 200 250 300 350 400 500 Qmáx (l/s) 1.67 28. J=10.86 74.4.

 J = Perda de carga unitária. 5.4. Neste trabalho. ∆𝐻 𝐽 𝐿 Equação 12 Onde:  ΔH = Perda de carga total do trecho.6.  L = Extensão.4.4.5 Perda de carga total do trecho Tal índice é obtido mediante o produto da perda de carga unitária pela extensão de cada trecho.1 Montante Corresponde à altura onde o nó de montante (inicio do trecho) está localizado. tal parâmetro é obtido através das curvas de níveis fornecidas.6 Cotas topográficas Refere-se à altura do ponto. . Exemplo no trecho um: 3 3 5.22 Exemplo no trecho um: 6 3 3 5. As cotas topográficas podem dividir-se em cotas de jusante e de montante.

23 5.  Acrescenta-se 15 metros a este caso. Logo. 5.2 Jusante Corresponde à altura onde o nó de jusante (final do trecho) está localizado. garante-se que todos os demais pontos terão mais que 15 metros de carga d’água.4.4. portanto para calcular:  Soma-se a cota do terreno com a perda de carga. . Quando se acrescenta 15 metros. 5. Corresponde à soma da cota do terreno com a altura de carga d'água no ponto.8 Cargas de pressão Diferença entra a cota do terreno e a cota piezométrica.4. Exemplo na montante do trecho um: 3 6 A tabela abaixo apresenta os valores dos cálculos citados anteriormente realizados para todos os trechos de distribuição de água.7 Cotas piezométricas Cota da altura de carga d'agua no ponto. Esta carga deve ser no mínimo de 15m. a partir do pior caso do trecho é possível calcular todos os demais.6.  Observa-se o pior caso do trecho.

66 17.1613 0.1391 295.50 312.1491 2.40 314.00 295.00 15.68 15.76 16.2547 0.0056 1.60 314.0001 0.1334 0.52 313.3225 0.10 294.0079 294.13 312.4620 297.4065 299.6731 75 0.82 310.70 298.90 296.76 312.77 15.14 489.0519 298.0001 0.3562 50 0.7176 0.1474 50 0.2851 60 0.0001 0.2552 0.4043 1.20 310.23 0.0001 0.7144 0.00 316.80 312.35 15.22 2.6561 0.80 310.20 15.10 311.27 16.94 11 108.00 297.1334 50 0.82 15.0770 50 0.2823 0.2547 0.1498 0.76 16.03 16.48 15.1489 0.9690 8.80 16.66 17.81 294.0049 0.0085 296.0036 1 219.35 15.77 312.15 0 0.3611 297.18 13 120.80 0.1317 0.6631 298.52 313.1385 75 0.19 16.5656 4.80 296.2426 60 0.40 296.20 1.46 0 0.47 15.0112 296.52 22 123.45 27 190.1335 0.13 313.10 295.0031 0.2130 2.1332 50 0.0001 0.99 174.3570 50 0.80 8.59 312.60 15.80 16.50 312.7461 2.6241 50 0.45 38 123.0112 296.79 15.1489 0.29 1.98 312.5940 0.40 314.13 0.00 298.0013 0.70 312.2549 0.0761 50 0.0053 1.18 29 190.2552 0.5443 6.24 Tabela 2: Cálculos da Rede de Distribuição Ramificada.0860 50 0.0002 0.0392 297.80 39 209.20 310.77 24 122.1493 0.76 16.15 16.50 6 109.20 312.20 15.0772 50 0.4679 296.49 310.80 0.3813 296.4062 298.78 312.40 297.82 0 0.1348 0.30 298.0001 0.3048 1.80 2.1317 0.26 0 0.0083 295.20 313.20 312.88 0 0.19 15.10 296.0114 8 133.7112 1.25 15.00 310.80 292.0056 0.1472 50 0.6081 3.0002 0.64 18.2311 0.0865 50 0.0033 0.1489 1.1358 0.3313 1.18 16.1334 0.0038 0.9774 300.0778 50 0.2675 6.0013 0.0001 0.35 310.76 312.3234 1.15 10 109.1489 0.3582 50 0.1337 0.94 30 132.90 311.4292 0.77 312.26 15.2674 0.1334 0.97 310.20 314.6784 300.7574 0.1571 297.40 297.60 314.00 310.10 296.20 312.0013 0.0001 0.27 16.12 16.1348 0.6590 0.64 312.25 14 123.0520 296.31 0.00 15.18 16.10 312.05 19 118.0003 0.8705 50 0.80 296.30 37 210.20 15.50 292.60 313.33 15.35 310.00 311.00 295.18 15.15 15.0001 0.1337 0.18 33 110.50 295.1615 0.5940 0.0082 296.0012 0.93 0.0002 0.08 309.32 15.34 16.2080 296.82 36 122.1491 0.12 0 0.49 9 120.6398 50 0.9282 298.80 2 3 Carga de pressão mH20 Montante Jusante Montante Jusante 310.56 15.55 16.18 309.00 0.0085 296.5676 0.03 21 109.0082 297.0082 294.1500 0.33 311.30 310.0393 298.25 15.7338 75 0.09 0 0.90 311.2432 4.15 16.20 314.98 16.08 15.6426 50 0.1334 0.4317 0.0522 299.20 293.60 313.1489 0.45 15.50 5 120.35 16.6001 0.70 315.34 16. Trecho Extensão (nº) (m) J Diâmetro (m/100 (mm) m) Montante Fictícia Vazões (l/s) ΔH (m) Cota terreno (m) Cota piezométrica (m) Jusante Marcha Montante Jusante 0 0.63 0 0.80 312.75 16.03 16.76 25 200.1494 1.95 0 0.2549 0.2837 0.92 34 110.8610 0.93 0 0.0001 0.1819 0.80 1.82 15.55 15.3430 50 0.55 16.14 250.20 15.0088 2.00 299.41 15.35 312.33 15.79 16.1444 3.21 4.4636 0.0088 1.33 16.0012 0.97 310.45 313.12 16.0073 0.95 0 0.0860 50 0.28 15.14 16.23 6.4114 0.20 293.78 311.19 26 122.45 312.7066 0.27 15 110.35 4 245.0001 0.0046 0.50 292.90 312.3383 50 0.74 15.0083 296.5651 0.10 312.2653 0.63 0 0.00 310.00 314.1334 0.6259 50 0.35 310.98 312.80 15.10 295.40 311.00 31 220.66 17 110.50 296.90 15.5686 296.00 297.50 310.2308 0.6368 60 0.47 16.60 296.1334 0.96 16.49 310.0026 0.4344 1.1496 1.49 16.4328 0.1541 50 0.93 0.33 0 0.3887 0.86 16 122.80 296.90 3.0133 50 0.10 295.76 310.55 20 122.97 16.70 7 123.0066 0.30 315.1337 0.1461 0.49 16.30 16.2769 0.81 16.1347 0.2311 0.0809 0.80 313.60 0.70 310.2670 0.0809 1.0001 0.0770 50 0.80 296.13 16.80 313.1529 295.0030 0.9511 0.0771 50 0.1494 0.4799 295.45 15.90 312.00 0 0.1335 0.78 15.18 15.73 0 0.5972 300.1347 0.2985 1.49 15.85 0 0.1460 2.00 294.5451 0.60 314.11 0 0.1498 0.47 294.10 311.5224 50 0.64 16.12 16.1338 0.2670 0.2832 0.1578 296.8834 296.8821 297.0778 50 0.1657 1.2308 0.1471 50 0.20 .1337 0.35 312.2566 60 0.82 310.45 16.4441 100 0.0809 0.18 23 109.0770 50 0.81 0 0.59 313.60 312.1338 0.0036 3.8087 1.89 15.84 12 110.4106 125 0.19 0 0.8632 125 0.97 16.0773 50 0.33 311.0054 0.40 310.60 315.90 296.82 16.00 1.0083 296.1460 0.33 32 209.0639 0.50 295.51 0.2116 8.30 298.00 294.1940 296.80 314.7898 0.5358 100 0.59 1.5623 0.0082 294.16 18 122.10 313.00 0.52 15.12 294.40 296.10 314.0772 50 0.0778 298.97 0 1.5799 294.50 300.20 314.0593 294.21 28 123.0002 0.59 15.30 15.79 35 220.55 40 266.70 294.60 296.0002 0.0038 0.70 297.0001 0.99 41 42 889.

o volume de água foi calculado utilizando a seguinte equação: 𝑄 𝑉𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 𝑡 Equação 13 36 Vtotal= 516. Deste modo. A fim de atender a demanda de água para abastecimento da comunidade proposta.585. A altura de água no interior do reservatório foi adotada no valor de 4 metros e o reservatório será elevado e cilíndrico. .  Manter uma reserva para situações de emergência. para dimensionar um reservatório de distribuição é necessário satisfazer algumas condições:  Atender as variações do horário de consumo.6 l Porém. É um elemento que regulariza as variações entre as vazões de adução e distribuição e condiciona as pressões na rede de distribuição.  Dispor de uma reserva de água para combate a incêndios.25 6 RESERVATÓRIO Os reservatórios de distribuição são unidades destinadas a compensar as variações horárias da vazão de modo a atender o consumo local. que será de 24 horas diárias. o reservatório de distribuição foi projetado com base na vazão dos dias de maior consumo (Q1) e no tempo de abastecimento da cidade.

2 litros = 172. adotou-se a altura do reservatório igual a seis metros. é possível dimensionar o reservatório de distribuição através da equação do volume do cilindro: 𝑉 𝑔𝑢𝑎 𝜋 𝑟 ℎ Equação 15 r = 3. Avaliando a possibilidade de futuras demandas serem maiores.1952 m3 Com o volume de água a armazenar conhecido. .195.71 metros.26 Para atender a estes requisitos foi adotada a relação de Fruhling. Deste modo: 𝑉𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 3 𝑉 𝑔𝑢𝑎 Equação 14 6 6 3 Vágua= 172. na qual os reservatórios de distribuição devem possuir capacidade suficiente para armazenar um terço do volume de água distribuído em 24 horas.

937 l/s ou 0. a vazão de água a aduzir é relativamente baixa e assim o tempo de funcionamento da bomba foi adotado como oito horas. A escolha da bomba a ser utilizada influencia diretamente na captação e adução água. é possível calcular os diâmetros da tubulação de recalque e sucção através de seguinte equação: . O dimensionamento da estação elevatória inicia com o cálculo Da vazão a ser aduzida através da seguinte equação: 𝑄𝑎𝑑𝑢𝑧𝑖𝑟 𝑉𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 36 𝑡 Equação 16 6 36 6 Qaduzir = 17.27 7 ESTAÇÃO ELEVATÓRIA O sistema de abastecimento de água projetado para a situação proposta necessita de uma estação elevatória com o intuito de deslocar a água de um nível baixo para um elevado para que esta possa fluir por toda tubulação do sistema da rede de distribuição. controlar. As estações elevatórias são estruturas essenciais num sistema de abastecimento de água que não possui condições de ter seu abastecimento por um sistema totalmente à gravidade. proteger. a estação elevatória possui um conjunto moto bomba composto por duas bombas em paralelo. Como a população local não é muito grande se comparada a outras cidades brasileiras.017937 m3/s Obtido o valor da vazão a ser aduzida. Para a rede de abastecimento projetada. uma vez que ela fornece energia ao líquido para que este chegue ao reservatório de distribuição. que se encontra a um nível mais elevado. com apenas uma em funcionamento e outra apenas para casos de emergência. Elas contêm equipamentos destinados a abrigar. operar e manter os conjuntos elevatórios que promovem o recalque da água.

33 Substituindo na equação 17: 3 33 √ 3 D= 0. para tubulação de recalque adota-se o diâmetro comercial existente próximo ao valor obtido. Dsucção= 200 mm . que para esta situação será 150 mm.132 m = 132 mm Assim. que no caso será de 200 mm.28 𝐷 3 𝑋 / √𝑄𝑎𝑑𝑢𝑧𝑖𝑟 Equação 17 Onde: 𝑋 ℎ𝑜𝑟𝑎𝑠 𝑑𝑒 𝑏𝑜𝑚𝑏𝑒𝑎𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 𝑝𝑜𝑟 𝑑𝑖𝑎 Equação 18 X= 0. Drecalque = 150 mm A canalização de sucção geralmente é executada com o diâmetro imediatamente superior.

29 Posteriormente.0154 metros  Localizada: Primeiramente. D= diâmetro da tubulação (m). C= coeficiente adimensional que depende da natureza das paredes do tubo. para calcular a potência do conjunto moto bomba.5 + 4 + 2 = 5. Q= vazão a aduzir (l/m3).5 metros. é necessário calcular a velocidade de água na tubulação: 𝑄 Equação 20 𝑣 𝐴 . Para a tubulação se sucção:  Comprimento: hsucção = 1+ 0. foram calculadas a altura de sucção e as perdas distribuídas e localizadas correspondentes ao trecho e a altura de recalque com suas perdas distribuídas e localizadas.  Perda de carga distribuída: ℎ𝑓 6 6 𝐿 𝑄 𝐶 𝐷 Equação 19 Onde: L = comprimento da tubulação (m). ℎ 3 6 6 hf= 0.

30 Onde: Q= vazão a aduzir (m3/s). 3 V= 0.571 m/s Obtidos estes valores. g = aceleração da gravidade (m/s2).0122 metros Para a válvula de pé: . é possível encontrar os valores das perdas de carga localizadas: 𝑛𝑓𝑙 𝑘𝑣 𝑔 Equação 21 Onde: k= coeficiente de Borda – Belamzer. v= velocidade média de escoamento (m/s). Para o crivo: nfl= 0. A= área da secção transversal (m2).

028 metros Para os dois cotovelos: Para a tubulação de recalque:  Comprimento: hrecalque = 1.64 + 16= 86.03 + 22.17 metros  Perda de carga distribuída: ℎ ℎ 6 6 6 6 6 3 hf = 0.720 metros  Localizada: Para a tubulação de recalque é necessário calcular uma nova velocidade de água na tubulação uma vez que o diâmetro difere ao da tubulação de sucção: 3 .31 nfl = 0.5 + 46.

é possível calcular a altura manométrica do sistema para posteriormente calcular a potência do conjunto moto bomba: 𝐻𝑚𝑎𝑛 𝐻𝑔 ∆𝐻 Equação 22 Onde: Hg = altura geométrica.0103 x 2 = 0.046 x 3 = 0. ∆H = perda de carga total no sistema (m).32 V= 1. que corresponde a altura de sucção somada a altura de recalque (m).015 m/s Para os três cotovelos: nfl = 0.0206 metros A partir dos valores obtidos. Hg = 315 – 290 = 25 metros .139 metros Para as duas curvas de 45: nfl = 0.

é possível escolher a bomba de acordo com o catálogo KSB ETA MEGANORM de bombas centrífugas.017937 x 3600 = 64.0206 = 0. é necessário converter a vazão a ser aduzida em m3/h: Q = 0. 9646 metros Hman = 25 + 0. Para encontrar a bomba a ser usada no ábaco fornecido pelo catálogo.028 + 0.139 + 0.9646 metros A partir dos valores obtidos a respeito das tubulações de sucção e recalque.33 ∆H = 0.720 + 0.5732 m3/h Figura 4: Ábaco de bombas.0294 + 0.0122 + 0. .9646 = 25.0154 + 0.

Hman = Altura manométrica (m). = rendimento global do conjunto elevatório. Q = vazão (m3/s).rendimento. a bomba própria a ser usada no sistema é a 50-16. = peso específico do líquido a ser elevado (água=1. Deste modo. cujo rendimento deve ser observado no gráfico característico da bomba. Figura 5: Ábaco de bombas .34 Como pode ser observada na figura.000 kgf/m3). o rendimento do conjunto moto bomba a ser escolhida é de 68 % e é possível encontrar seu rendimento através da equação: 𝑃 𝛾 𝑄 𝐻 𝜂 Equação 23 Onde: P= potência em cv. .

. Optou-se utilizar duas bombas instaladas em paralelo com apenas uma operando e outra para situações de emergência.35 3 6 6 6 P = 9.132 cv. o conjunto moto bomba que irá operar na estação elevatória terá potência de 9.132 cv Portanto.

consumo industrial e outros usos. para o melhor funcionamento do mesmo. Somado a todos os fatores. diversos obstáculos tiveram que ser contornados. As necessidades de um bom sistema de abastecimento de água da população da cidade serão atendidas com a abertura da empresa de tecelagem na região. A verificação das cotas de posicionamento dos nós de jusante e montante fez-se de suma importância. Com estes dados. dos elementos da estação elevatória. a escolha minuciosa do conjunto moto-bomba acarretou o sucesso da realização do projeto proposto. torna-se possível a realização do cálculo de perda de carga ao longo do transporte do fluido às edificações. Os resultados obtidos para futura execução do projeto estão anexados. as extensões de cada trecho de tubulação tiveram que ser registradas. bem como do reservatório cilíndrico. No projeto estudado. uma vez que se analisou a necessidade de existência de uma cota mínima de 15 metros de carga d’água em cada ponto do sistema. Para a realização do trabalho projetivo. para realizar as etapas de dimensionamento da rede de abastecimento. define-se por sistema de abastecimento de água o conjunto de obras. serviços públicos. conseguiu-se obter os valores das vazões necessárias para o escoamento de água para o abastecimento da população da cidade. uma vez que a distribuição do reservatório aos pontos de consumo ocorrerá por gravidade.36 8 CONCLUSÃO Segundo NETTO (1998). Ao analisarem-se os diâmetros das tubulações. equipamentos e serviços destinados ao abastecimento de água potável a uma comunidade para fins de consumo doméstico. . Um exemplo fundamental das dificuldades encontradas é o caso da inclinação do terreno que influencia diretamente na pressão da água a ser conduzida.

2006. São Carlos. 1992. 4. 1992. NBR 12213: Projeto de captação de água de superfície para abastecimento público . ed. 1994. NBR 12217: Projeto de reservatório de distribuição de água para abastecimento público . Rio de Janeiro. NBR 12214: Projeto de sistema de bombeamento de água para abastecimento público . NBR 12218: Projeto de rede de distribuição de água para abastecimento público .Procedimento. NETTO.Procedimento. ______. Rio de Janeiro. ______. . PORTO. Rio de Janeiro. Hidráulica Básica.Procedimento.Procedimento. ______. NBR 12211: Estudos de concepção de sistemas públicos de abastecimento de água . 1992. São Paulo. SP: EESCUSP. SP: Edgard Blücher. ______. Rio de Janeiro. Rodrigo de Melo. 1998. Manual de Hidráulica.Procedimento. Rio de Janeiro. José Martiniano de Azevedo. ed. 8.37 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). 1994.