You are on page 1of 29

NOÇÕES DE REDES, MEIOS FÍSICOS E PROTOCOLOS

DE CAMPO (ETHERNET, PROFIBUS, MODBUS, HART E
FOUNDATION FIELDBUS).

Protocolo
Protocolo é uma convenção que controla e possibilita uma conexão, comunicação,
transferência de dados entre dois sistemas computacionais.
Regras que governam a comunicação entre dispositivos eletrônicos.

MODBUS
Modbus é um Protocolo de comunicação de dados utilizado em sistemas de automação
industrial. Criado originalmente na década de 1970, mais especificamente em 1979 , pela
fabricante de equipamentos Modicon. É um dos mais antigos e até hoje mais
utilizados protocolos em redes de Controladores lógicos programáveis (PLC) para aquisição de
sinais de instrumentos e comandar actuadores. A Schneider Electric (atual controladora da
Modicon) transferiu os direitos do protocolo para a Modbus Organization (Organização
Modbus ) em 2004 e a utilização é livre de taxas de licenceamento . Por esta razão, e também
por se adequar facilmente a diversos meios físicos, é utilizado em milhares de equipamentos
existentes e é uma das soluções de rede mais baratas a serem utilizadas em Automação
Industrial.

Características técnicas
O modbus equivale a uma camada de aplicação e pode utilizar o RS-232, RS485 ou Ethernet como meios físicos - equivalentes camada de enlace (ou link) e camada física
do modelo. O mecanismo de controle de acesso é do tipo mestre-escravo ou ClienteServidor. A estação mestre (geralmente um PLC) envia mensagens solicitando dos
escravos que enviem os dados lidos pela instrumentação ou envia sinais a serem
escritos nas saídas, para o controle dos atuadores ou nos registradores. O protocolo
possui comandos para envio de dados discretos (entradas esaídas digitais) ou numéricos
(entradas e saídas analógicas).

A imagem acima mostra um exemplo de rede Modbus com um mestre (PLC) e três escravos
(módulos de entradas e saídas, ou simplesmente E/S). Em cada ciclo de comunicação, o PLC
lê e escreve valores em cada um dos escravos. Como o sistema de controle de acesso é do
tipo mestre-escravo, nenhum dos módulos escravos inicia comunicação a não ser para
responder às solicitações do mestre.
Basicamente, uma comunicação em Modbus obedece a um frame que contém o endereço do
escravo, o comando a ser executado, uma quantidade variável de dados complementares e
uma verificação de consistência de dados (CRC).
Exemplo-1: Se o PLC precisa ler as 10 primeiras entradas analógicas (do endereço 0000 ao
0009) no módulo 2. Para isso é preciso utilizar o comando de leitura de múltiplos registros
analógicos (comando 3). O frame de comunicação utilizado é mostrado abaixo (os endereços
são mostrados em sistema hexadecimal):

00
A resposta do escravo seria um frame semelhante composto das seguintes partes: O endereço
do escravo, o número do comando, os dez valores solicitados e um verificador de erros (CRC).
Em caso de erros de resposta (por exemplo um dos endereços solicitados não existe) o
escravo responde com um código de erro.

A resposta para a pergunta acima seria a seguinte:
Mas antes uma pequena recordação!
Para se entender este frame de resposta, antes precisamos saber corretamente o que é um
byte.
Cada palavra tem as seguintes formas, - bit, - nible, - byte e - word.
Segue abaixo uma tabela representação de cada formato.
Bit
1

Nible
= 4 bits

Byte
= 8 bits

Word
= 16 bits

Agora que ja sabemos o que é byte podemos então decifrar o frame da rede modbus.
Exemplo-2: Reposta da pergunta citada no exemplo-1.

RX 02 03 14 00 00 00 00 00 00 00 00 00 00 00 00 00 00 00 00 00 00 00 00 (xx xx CRC)

O segundo byte(03) é a função utilizada para leitura. O mesmo número precisaria de quatro caracteres ASCII para ser representado (em hexadecimal). Números inteiros variando entre -32768 e 32767 podem ser representados por 2 bytes.O primeiro byte(02) é o nó do escravo. Comandos do MODBUS Os principais comandos do Modbus são mostrados na tabela abaixo: Lê um número variável1 de saídas digitais (bobinas) Lê um número variável1 de entradas digitais Lê um número variável1 de registros retentivos (saídas analógicas Lê um número variável1 de registros de entrada (entradas analógic Força uma única bobina (altera o estado de uma saída digital) Preset de um único registro (altera o estado de uma saída analógi Lê exceções2 (registros de erro) Várias funções de diagnóstico Força uma quantidade variável1 de bobinas (saídas digitais) Preset de uma quantidade variável1 de registros (saídas analógica Para alguns comandos de diagnóstico. Neste modo para cada byte transmitido são codificados dois caracteres. ou seja. Modbus RTU O termo RTU. sendo essa um Holding Register. destinada a todos os escravos simultaneamente. reset do módulo ou sincronização de relógio. refere-se ao modo de transmissão onde endereços e valores são representados em formato binário. por isso este frame tem 14 = 20 bytes que é = 10 word ou 10 palavras de 16 bits que tem seu range minimo de -32768 ate 32767. Formato do pacote RTU . Com isso entendemos que o Slave(Escravo) respondeu 10 endereços a ao master e todos com o valor zero. do inglês Remote Terminal Unit. tais como reinício de comunicação. O tamanho da palavra no modo RTU é de 8 bits. Modos de transmissão Em redes seriais baseadas em RS-485 ou RS-232 o Modbus pode ter dois modos de transmissão: RTU e ASCII. O terceiro byte é a quantidade de endereços que o Slave(escravo) está enviando ao Master. podem ser utilizados comunicações do tipo broadcast. sendo que a cada 2 bytes se forma uma Word que significa uma palavra de 16 bit.

Por exemplo. para transmitir o byte 0x5B este deverá ser codificado em dois caracteres ASCII: 0x35 (“5”) e 0x42 (“B”). Apesar de gerar mensagens legíveis por pessoas este modo consome mais recursos da rede.Versão que possui vários recursos adicionais de roteamento. Formato do pacote ASCII Início ":" (ASCII 0x3Ah) Endereço 2 caractere s Função 2 caractere s Dados 0 a 2 x 252 caracteres LRC 2 caractere s Final CR+LF (ASCII 0x0Dh + 0x0Ah) Variações Variações Modbus/TCP .Endereço do Escravo 1 byte Código da Função 1 byte Dados 0 a 252 bytes CRC 2 bytes (CRC-16) Modbus ASCII Os dados são dados codificados e transmitidos através de caracteres ASCII .3). Modbus Plus .5 caracteres. o mecanismo de controle de acesso é o CSMA-CD (Próprio da rede Ethernet) e as estações utilizam o modelo cliente-servidor. Quando o Modbus/TCP é utilizado.Aqui os dados são encapsulados em formato binário em frames TCP para a utilização do meio físico Ethernet (IEEE 802. Esta versão ainda é mantida sob domínio da Schneider Electric e só pode ser implantada sob licença deste fabricante. O tamanho da palavra no modo ASCII é de 7 bits. diagnóstico. Protocolo HART . endereçamento e consistência de dados.cada byte é transmitido através de dois caracteres. Somente são permitidos caracteres contidos nos intervalos  0-9  A-F Intervalo entre duas mensagens deve ser de 3.

podendo ser usado em áreas classificadas. geralmente nas cores verde e vermelha. Para Transmitir o sinal digital juntamente com o analógico. e desde 1999 incluída na normas IEC 61158/IEC 61784.É o meio físico mais utilizado e consiste basicamente de um cabo blindado e dois fios. PROFIBUS PROFIBUS (acrónimo de Process Field Bus) é o 2º tipo mais popular sistema de comunicação em rede Fieldbus ficando atrás somente do protocolo Modbus. é o fato dele ser intrinsecamente seguro. mantendo ainda a compatibilidade com a instrumentação analógica e aproveitando o conhecimento já dominado sobre os sistemas 4-20mA existentes. uma organização sem fins lucrativos administrada de Karlsruhe na Alemanha. Uma característica interessante deste protocolo é que os dados podem trafegar pela mesma linha física da alimentação DC. Pode-se configurar até 15 dispositivos nesse modo. Existem três diferentes versões de PROFIBUS:  PROFIBUS-DP (Decentralized Peripherals) esse protocolo foi a primeira versão criada. o sinal analógico é desprezado. Por exemplo. O padrão PROFIBUS é mantido. mesmo que isso não seja indicado. atualizado e comercializado pela PROFIBUS International.O protocolo HART (Highway Addressable Remote Transducer) é um protocolo utilizado para comunicação entre sistemas de tempo real. Meio físico Existem três tipos de meio físico de comunicação que podem ser utilizados pelo Protocolo Profibus. O FMS é tão poderoso que pode suportar o volume de dados até o nível gerencial. principalmente em aplicações de automação industrial. sem interferência. O protocolo HART permite a sobreposição do sinal de comunicação digital aos sinais analógicos de 4-20mA. Para a utilização de mais de um dispositivo.  PROFIBUS-PA (Process Automation) é a versão mais moderna do Profibus. a saber:  RS-485 . que consiste num arranjo de resistores . pode-se ter uma configuração mestre-escravo utilizando sinal analógico e digital no mesmo par de fios. A corrente que era usada na comunicação analógica fica definida em 4ma todo o tempo (apenas para a alimentação dos dispositivos). PROFIBUS foi definida em 1991/1993 na norma DIN 19245. Indicada para o chão de fábrica. em São Petersburgo. o que economiza tempo de instalação e cabos e diminui o custo de sua instalação. Há algumas limitações na utilização desse padrão de comunicação. Uma característica interessante nesse protocolo. e os sinais de controle são trasmitidos nas freqüências conhecidas 1200KHz-2400KHz.  PROFIBUS-FMS (Fieldbus Message Specification) esta versão é uma evolução do Profibus DP e destina-se a comunicação ao nível de células (nível onde se encontram os PLCs). na mesma fiação. movida em 1996 para EN 50170. onde há um volume de informações grande e há a necessidade de uma alta velocidade de comunicação para que os eventos sejam tratados num tempo adequado. Nas extremidades da rede é necessário realizar terminação da rede. utiliza-se a técnica de FSK (frequency shift key) no qual um sinal senoidal de corrente pico-a-pico de 1mA na frequência de 1200KHz significa "1" e 2400KHz significa "0". O HART proporciona alguns dos benefícios apontados pelo fieldbus. PROFIBUS foi desenvolvido em 1987 por Johan Sartwish Wilman. sendo que em 2004. estimavase que existiriam mais de 10 milhões de nós instalados mundialmente. Essa configuração só é possível para um escravo no par de fios. Sua performance é semelhante ao DP.

Já uma porta de hardware serve como elemento de ligação entre um computador e outro.É um padrão que define regras e particularidades para aplicações em automação de processos (Profibus PA).10 gigabits/seg: 10 Gigabit Ethernet (IEEE 802.100 megabits/seg: Fast Ethernet (IEEE 802. uma porta é a parte de um equipamento na qual se conecta um plug ou um cabo. específicos para rede Profibus DP.10 megabits/seg: 10Base-T Ethernet (IEEE 802. pela analogia que se pode fazer com a porta de uma casa.  interligados aos terminais da rede e dois pontos de tensão de referência disponibilizados no dispositivo. Neste caso o porto informático permite o fluxo de informação. mesmo com a tradução incorreta. As mais comuns são as portas TCP e UDP. O termo O uso do termo "porta". por exemplo: uma porta. Porém. é o ponto de entrada de um dispositivo externo no computador. IEC 61158-2 .1 gigabits/seg: Gigabit Ethernet (IEEE 802. em informática. A semelhança física é com os portos náuticos onde os mesmo atracam e permitem a transferência de mercadorias e pessoas. deriva da tradução de um falso cognato port. que em inglês significa "porto". Fibra óptica . Assim.3z) . ou entre um computador e um periférico. Porta física Fisicamente. que são usadas para conexão entre os computadores e a Internet.3) . Existe também a possibilidade de utilização de terminadores ativos.3ae) Porta lógica Uma porta de software é uma conexão virtual que pode ser usada na transmissão de dados. Existem equipamentos disponíveis no mercado para efetuar a conversão de RS-485 para fibra óptica e viceversa. ETHERNET Os padrões atuais do protocolo Ethernet são os seguintes: . em informática. sobretudo para aplicações em áreas classificadas. Portas ou serviços O TCP introduz o conceito de porta tipicamente associado a um serviço (camada aplicação)/ligação específica. cada um dos intervenientes na conexão dispõe de uma .É o meio físico mais recomendado para locais onde há grande possibilidade de interferências eletromagnéticas (EMI).3u) . o nome "porta" foi bem assimilado pela língua portuguesa.

FTP. conhecidas como portas bem conhecidas. Todos os protocolos da suite IP se encontram registrados dentro desta gama. como HTTP. A gama de portas privadas segue regras de atribuição específicas do sistema operativo e serve para abrir ligações a outras máquinas. Portas TCP/UDP Port TCP 0 UDP Description Status UDP Reserved Official 1 TCP UDP TCP Port Service Multiplexer (TCPMUX) Official 2 TCP UDP CompressNET[2] Management Utility[3] Official 3 TCP UDP CompressNET[2] Compression Process[4] Official 4 TCP UDP Unassigned Official 5 TCP UDP Remote Job Entry Official 7 TCP UDP Echo Protocol Official 8 TCP UDP Unassigned Official 9 TCP UDP Discard Protocol Official . SSH. como surfar na rede. As portas bem conhecidas são atribuídas pela Internet Assigned Numbers Authority (IANA) e são tipicamente utilizados por processos com direitos de sistema ou super-utilizador. existem ainda duas gamas de portas. que são aqueles numerados do 1 ao 1023. Além destas. etc. por exemplo.porta associada (um valor de 16 bit) que dificilmente será o mesmo do interlocutor. registradas e privadas ou dinâmicas. Nestas portas encontram-se em escuta passiva os serviços triviais. Alguns serviços (que fazem uso de protocolos específicos) são tipicamente acessíveis em portas fixas.

Port TCP 9 UDP Description Status UDP Wake-on-LAN Unofficial 10 TCP UDP Unassigned Official 11 TCP UDP Active Users (systat service)[5][6] Official 12 TCP UDP Unassigned Official 13 TCP UDP Daytime Protocol (RFC 867) Official 14 TCP UDP Unassigned Official 15 TCP UDP Previously netstat service[5] Unofficial 16 TCP UDP Unassigned Official 17 TCP UDP Quote of the Day Official 18 TCP UDP Message Send Protocol Official 19 TCP UDP Character Generator Protocol (CHARGEN) Official 20 TCP UDP FTP data transfer Official 21 TCP FTP control (command) Official 22 TCP Secure Shell (SSH) — used for secure logins. sftp) and port forwarding Official UDP . file transfers (scp.

Port TCP UDP Description Status 23 TCP UDP Telnet protocol—unencrypted text communications Official 24 TCP UDP Priv-mail : any private mail system. Official 25 TCP Simple Mail Transfer Protocol (SMTP)—used for e-mail routing between mail servers Official 26 TCP UDP Unassigned Official 27 TCP UDP NSW User System FE Official 29 TCP UDP MSG ICP Official 33 TCP UDP Display Support Protocol Official 35 TCP UDP Any private printer server protocol Official 37 TCP UDP TIME protocol Official Official 39 TCP UDP Resource Location Protocol[7] (RLP)—used for determining the location of higher level services from hosts on a network 40 TCP UDP Unassigned Official 42 TCP UDP ARPA Host Name Server Protocol Official 42 TCP UDP Windows Internet Name Service Unofficial .

Port TCP 43 TCP 47 TCP 49 UDP Description Status WHOIS protocol Official UDP NI FTP[7] Official TCP UDP TACACS Login Host protocol Official 50 TCP UDP Remote Mail Checking Protocol[8] Official 51 TCP UDP IMP Logical Address Maintenance Official 52 TCP UDP XNS (Xerox Network Systems) Time Protocol Official 53 TCP UDP Domain Name System (DNS) Official 54 TCP UDP XNS (Xerox Network Systems) Clearinghouse Official 55 TCP UDP ISI Graphics Language (ISI-GL) Official 56 TCP UDP XNS (Xerox Network Systems) Authentication Official 56 TCP UDP Route Access Protocol (RAP)[9] Unofficial 57 TCP Mail Transfer Protocol (RFC 780) Official 58 TCP UDP XNS (Xerox Network Systems) Mail Official 64 TCP UDP CI (Travelport) (formerly Covia) Comms Integrator Official .

also used by Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) Official 69 UDP Trivial File Transfer Protocol (TFTP) Official 70 TCP Gopher protocol Official 71 TCP NETRJS protocol Official 72 TCP NETRJS protocol Official 73 TCP NETRJS protocol Official 74 TCP NETRJS protocol Official 79 TCP Finger protocol Official 80 TCP Hypertext Transfer Protocol (HTTP) Official[10] 81 TCP Torpark—Onion routing Unofficial UDP Torpark—Control Unofficial 82 88 TCP UDP Kerberos—authentication system Official 90 TCP UDP dnsix (DoD Network Security for Information Exchange) Official . also used by Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) Official 68 UDP Bootstrap Protocol (BOOTP) Client.Port TCP UDP Description Status 67 UDP Bootstrap Protocol (BOOTP) Server.

Port TCP UDP Description Status Securit Attribute Token Map 90 TCP 99 TCP PointCast (dotcom) Unofficial WIP Message protocol Unofficial CyberGate RAT protocol Unofficial TCP NIC host name Official 102 TCP ISO-TSAP (Transport Service Access Point) Class 0 protocol.[11] also used by Digital Equipment Corporation DECnet (Phase V+) over TCP/IP Official 104 TCP UDP ACR/NEMA Digital Imaging and Communications in Medicine (DICOM) Official 105 TCP UDP CCSO Nameserver Protocol (Qi/Ph) Official 107 TCP Remote TELNET Service[12] protocol Official 108 TCP SNA Gateway Access Server [1] Official 109 TCP Post Office Protocol v2 (POP2) Official 110 TCP Post Office Protocol v3 (POP3) Official 111 TCP ONC RPC (Sun RPC) Official 100 101 UDP UDP UDP UDP .

[14] used to remotely manage services including DHCP server. an IDE for Unisys MCP software development 135 TCP UDP DCE endpoint resolution Official Unofficial 135 TCP UDP Microsoft EPMAP (End Point Mapper). renamed by Unisys to NXEdit. DNS server and WINS. Also used by DCOM 137 TCP UDP NetBIOS NetBIOS Name Service Official 138 TCP UDP NetBIOS NetBIOS Datagram Service Official . also known as DCE/RPC Locator service.Port TCP 113 TCP 113 UDP UDP Description Status Ident—Authentication Service/Identification Protocol. [13] used by IRC servers to identify users Official Authentication Service[13] (auth) Official 115 TCP Simple File Transfer Protocol (SFTP) Official 117 STD UUCP Path Service Official 118 TCP SQL (Structured Query Language) Services Official 119 TCP Network News Transfer Protocol (NNTP)—retrieval of newsgroup messages Official UDP Network Time Protocol (NTP)—used for time synchronization Official Official 123 UDP 126 TCP UDP Formerly Unisys Unitary Login. Used by Unisys Programmer's Workbench for Clearpath MCP.

z/OS & z/VSE . Network PostScript Official 175 TCP VMNET (IBM z/VM.Network Job Entry(NJE)) Official 177 TCP X Display Manager Control Protocol (XDMCP) Official 179 TCP BGP (Border Gateway Protocol) Official 194 TCP Internet Relay Chat (IRC) Official UDP UDP .Port TCP UDP 139 TCP UDP 143 TCP 152 TCP UDP Background File Transfer Program (BFTP)[15] Official 153 TCP UDP SGMP. Distributed Mail Service Protocol[16] Unofficial UDP Simple Network Management Protocol (SNMP) Official UDP Simple Network Management Protocol Trap (SNMPTRAP)[17] Official 161 Description NetBIOS NetBIOS Session Service Status Official Internet Message Access Protocol (IMAP)—management Official of email messages 162 TCP 170 TCP Print-srv. Simple Gateway Monitoring Protocol Official 156 TCP UDP SQL Service Official 158 TCP UDP DMSP.

50 Official 213 TCP UDP Internetwork Packet Exchange (IPX) Official 218 TCP UDP Message posting protocol (MPP) Official 220 TCP UDP Internet Message Access Protocol (IMAP). Border Gateway Multicast Protocol Official 280 TCP UDP http-mgmt Official 300 TCP ThinLinc Web Access Unofficial 308 TCP Novastor Online Backup Official 311 TCP Mac OS X Server Admin (officially AppleShare IP Web administration) Official . SNMP Unix Multiplexer Official 201 TCP UDP AppleTalk Routing Maintenance Official 209 TCP UDP The Quick Mail Transfer Protocol Official 210 TCP UDP ANSI Z39. version 3 Official 259 TCP UDP ESRO.Port TCP UDP Description Status 199 TCP UDP SMUX. Efficient Short Remote Operations Official 264 TCP UDP BGMP.

Time Stamp Protocol Official 319 UDP Precision time protocol event messages Official 320 UDP Precision time protocol general messages Official 350 TCP UDP MATIP-Type A. On-Demand Mail Relay Official 369 TCP UDP Rpc2portmap Official 370 TCP codaauth2—Coda authentication server Official Official 370 UDP codaauth2—Coda authentication server 370 UDP securecast1—Outgoing packets to NAI's servers [18][dead link] Unofficial 371 TCP UDP ClearCase albd Official 383 TCP UDP HP data alarm manager Official 384 TCP UDP A Remote Network Server System Official 387 TCP UDP AURP. AppleTalk Update-based Routing Protocol[19] Official . Mapping of Airline Traffic over Internet Protocol Official 351 TCP UDP MATIP-Type B. Mapping of Airline Traffic over Internet Protocol Official 366 TCP UDP ODMR.Port TCP UDP Description Status 318 TCP UDP PKIX TSP.

Port TCP UDP 389 TCP UDP Lightweight Directory Access Protocol (LDAP) Official 399 TCP UDP Digital Equipment Corporation DECnet (Phase V+) over TCP/IP Official 401 TCP UDP UPS Uninterruptible Power Supply Official 427 TCP UDP Service Location Protocol (SLP) Official 443 TCP HTTPS (Hypertext Transfer Protocol over SSL/TLS) Official 444 TCP SNPP. Protocol Unofficial 500 502 TCP UDP UDP UDP Description Status . TCP/IP version) Official 497 TCP Dantz Retrospect Official UDP Internet Security Association and Key Management Protocol (ISAKMP) Official UDP Modbus. Simple Network Paging Protocol (RFC 1568) Official 445 TCP Microsoft-DS Active Directory. Windows shares Official 445 TCP Microsoft-DS SMB file sharing Official 464 TCP Kerberos Change/Set password Official 465 TCP URL Rendesvous Directory for SSM (Cisco protocol) Official 475 TCP tcpnethaspsrv (Aladdin Knowledge Systems Hasp services.

520 TCP 520 524 TCP .Port TCP UDP 504 TCP UDP 512 TCP 512 513 UDP TCP 513 514 UDP TCP 514 515 UDP TCP Description Status Citadel—multiservice protocol for dedicated clients for the Official Citadel groupware system Rexec. extended file name server Official UDP Routing Information Protocol (RIP) Official UDP NetWare Core Protocol (NCP) is used for a variety things Official such as access to primary NetWare server resources. rsh. together with biff Official rlogin Official Who[20] Official Shell—used to execute non-interactive commands on a remote system (Remote Shell. Remote Process Execution Official comsat. remsh) Official Syslog—used for system logging Official Line Printer Daemon—print service Official 517 UDP Talk Official 518 UDP NTalk Official efs.

For Emergency Broadcasts Official UUCP (Unix-to-Unix Copy Protocol) Official commerce (Commerce Applications) Official 533 UDP 540 TCP 542 TCP 543 TCP klogin. etc. 525 UDP Timed.Port TCP UDP Description Status Time Synchronization. Timeserver Official 530 TCP UDP RPC Official 531 TCP UDP AOL Instant Messenger Unofficial 532 TCP netnews Official netwall. new-who[20] Official UDP UDP . OSISoft PI Server Client Access Unofficial 546 TCP UDP DHCPv6 client Official 547 TCP UDP DHCPv6 server Official 548 TCP Apple Filing Protocol (AFP) over TCP Official 550 TCP new-rwho. Kerberos Remote shell Official 545 TCP OSIsoft PI (VMS). Kerberos login Official 544 TCP kshell.

Remote Monitor Official 561 UDP monitor Official UDP NNTP protocol over TLS/SSL (NNTPS) Official 563 TCP 587 TCP e-mail message submission[21] (SMTP) Official 591 TCP FileMaker 6.[22] a protocol for BEEP peers to form an application layer tunnel Official UDP ASF Remote Management and Control Protocol (ASFRMCP) Official 623 UDP 631 TCP UDP Internet Printing Protocol (IPP) Official 631 TCP UDP Common Unix Printing System (CUPS) Unofficial .Port TCP UDP 554 TCP UDP 556 TCP Description Status Real Time Streaming Protocol (RTSP) Official Remotefs. also see port 80) Official 593 TCP HTTP RPC Ep Map. Remote procedure call over Hypertext Transfer Protocol.0 (and later) Web Sharing (HTTP Alternate. rfs_server Official 560 UDP rmonitor. RFS. often used by Distributed Component Object Model services and Microsoft Exchange Server Official 604 TCP TUNNEL profile.

Official used by System p5 AIX Integrated Virtualization Manager (IVM)[26] and Hardware Management Consoleto connect managed logical partitions (LPAR) to enable dynamic . a routing protocol used in MPLS networks Official 647 TCP DHCP Failover protocol[23] Official 648 TCP RRP (Registry Registrar Protocol)[24] Official 651 TCP UDP IEEE-MMS Official 653 TCP UDP SupportSoft Nexus Remote Command (data): A proxy gateway connecting remote control traffic Official 654 TCP Media Management System (MMS) Media Management Protocol (MMP)[25] Official 657 TCP UDP Description Status IBM RMC (Remote monitoring and Control) protocol. Label Distribution Protocol. Multicast Source Discovery Protocol Official 641 TCP UDP SupportSoft Nexus Remote Command (control/listening): Official A proxy gateway connecting remote control traffic 646 TCP UDP LDP.Port TCP UDP 635 TCP UDP RLZ DBase Official 636 TCP UDP Lightweight Directory Access Protocol over TLS/SSL (LDAPS) Official 639 TCP UDP MSDP.

a protocol for communication between domain name registries and registrars (RFC 5734) Official TCP LMP (Link Management Protocol (Internet)).[28] a protocol that runs between a pair of nodes and is used to Official manage traffic engineering (TE) links 698 700 701 UDP UDP UDP . first online first-person shooter Official 666 TCP airserv-ng. aircrack-ng's server for remote-controlling wireless devices Unofficial 674 TCP ACAP (Application Configuration Access Protocol) Official 688 TCP REALM-RUSD (ApplianceWare Server Appliance Management Protocol) Official 691 TCP MS Exchange Routing Official 694 TCP Linux-HA High availability Heartbeat Official 695 TCP IEEE-MMS-SSL (IEEE Media Management System over SSL)[27] Official OLSR (Optimized Link State Routing) Official TCP EPP (Extensible Provisioning Protocol).Port TCP UDP Description Status partition reconfiguration 660 TCP 666 UDP Mac OS X Server administration Official Doom.

Port TCP UDP Description Status 702 TCP IRIS[29][30] (Internet Registry Information Service) over BEEP (Blocks Extensible Exchange Protocol) [31] (RFC 3983) 706 TCP Secure Internet Live Conferencing (SILC) 711 TCP Cisco Tag Distribution Protocol[32][33][34]—being replaced by Official the MPLS Label Distribution Protocol[35] 712 TCP Topology Broadcast based on Reverse-Path Forwarding routing protocol (TBRPF) (RFC 3684) Official 749 TCP UDP Kerberos (protocol) administration Official UDP kerberos-iv. Kerberos Password (kpasswd) server Unofficial Reverse Routing Header (rrh)[36] Official 750 751 TCP 752 753 TCP Official Official 753 UDP Reverse Routing Header (rrh) Official 753 UDP userreg_server. Kerberos userreg server Unofficial 754 TCP tell send Official 754 TCP krb5_prop. Kerberos v5 slave propagation Unofficial . Kerberos authentication Unofficial UDP passwd_server. Kerberos version IV Official UDP kerberos_master.

Kerberos registration Unofficial 760 TCP 782 TCP Conserver serial-console management server Unofficial 783 TCP SpamAssassin spamd daemon Unofficial mdbe daemon Official 800 UDP 808 TCP Microsoft Net.Port TCP 754 UDP Description Status UDP tell send Official UDP krbupdate [kreg].TCP Port Sharing Service Official 829 TCP Certificate Management Protocol[37] Unofficial 843 TCP Adobe Flash[38] Unofficial 847 TCP DHCP Failover protocol Official 848 TCP Group Domain Of Interpretation (GDOI) protocol Official 860 TCP iSCSI (RFC 3720) Official 861 TCP UDP OWAMP control (RFC 4656) Official 862 TCP UDP TWAMP control (RFC 5357) Official 873 TCP rsync file synchronization protocol Official UDP .

SUSE linux) Unofficial 911 TCP Network Console on Acid (NCA)—local tty redirection Unofficial .e. CD DataBase (CDDB) protocol (CDDBP) Unofficial UDP Brocade SMI-S RPC Unofficial UDP Brocade SMI-S RPC SSL Unofficial TCP Samba Web Administration Tool (SWAT) Unofficial TCP VMware Virtual Infrastructure Client (UDP from server being managed to management console) Unofficial VMware Virtual Infrastructure Client (UDP from server being managed to management console) Unofficial Official 901 UDP 902 TCP ideafarm-door 902 TCP VMware Server Console (TCP from management console Unofficial to server being Managed) 902 UDP ideafarm-door Official 902 UDP VMware Server Console (UDP from server being managed to management console) Unofficial 903 TCP VMware Remote Console [39] Unofficial 904 TCP VMware Server Alternate (if 902 is in use. i.Port TCP 888 TCP 897 TCP 898 TCP 901 901 UDP Description Status cddbp.

Unofficial 1 software 987 TCP Microsoft Corporation Microsoft Windows SBS SharePoint Unofficial 989 TCP UDP FTPS Protocol (data): FTP over TLS/SSL Official 990 TCP UDP FTPS Protocol (control): FTP over TLS/SSL Official 991 TCP UDP NAS (Netnews Administration System)[40] Official 992 TCP UDP TELNET protocol over TLS/SSL Official 993 TCP Internet Message Access Protocol over SSL (IMAPS) Official 995 TCP Post Office Protocol 3 over TLS/SSL (POP3S) Official 999 TCP ScimoreDB Database System Unofficial .Port TCP UDP Description Status over OpenSSH 944 953 TCP 973 UDP Network File System (protocol) Service Unofficial UDP Domain Name System (DNS) RNDC Service Unofficial UDP Network File System (protocol) over IPv6 Service Unofficial 981 TCP SofaWare Technologies Remote HTTPS management for firewall devices running embedded Check Point FireWall.

 StarLAN 10—Primeira implementação de Ethernet em cabeamento de par trançado a 10 Mbit/s.Especificação Ethernet de banda básica de 10 Mbps. Essa é também a configuração usada para a ethernet 100BASE-T e a Gigabit. só o 10BASE-FL está em uso comum (todos utilizando a fibra óptica como meio físico).Uma versão atualizada do padrão FOIRL.Port TCP UDP 1002 TCP Opsware agent (aka cogbot) Unofficial 1010 TCP ThinLinc Web Administration Unofficial 1023 TCP Reserved[1] Official UDP Description Status Ethernet com meio compartilhado CSMA/CD Ethernet  10BASE2 (também chamado ThinNet ou Cheapernet) -.  10BASE-F -.3.  10BASE-T -. . O padrão original para ethernet sobre fibra. 10BASE-FB e 10BASE-FP. Mais tarde evoluiu para o 10BASE-T.Opera com 4 fios (dois conjuntos de par trançado) num cabo de cat3 ou cat-5. tem um limite de distância de 500 metros por segmento.um termo genérico para a nova família de padrões de ethernet de 10 Mbit/s: 10BASE-FL. Um hub ou switch fica no meio e tem uma porta para cada nó da rede. que usa o padrão (grosso) de cabo coaxial de banda de base de 50 ohms.  10BASE5 (também chamado Thicknet) -.  10BASE-FL -. Faz parte da especificação de camada física de banda de base IEEE 802.Um cabo coaxial de 50-ohm conecta as máquinas. Requer terminadores nos finais. Por muitos anos esse foi o padrão dominante de ethernet de 10 Mbit/s.  FOIRL -. cada qual usando um adaptador T para conectar seu NIC. Desses.Link de fibra ótica entre repetidores.

Limitado a Half-Duplex.5 mícrons tem o limite de 400 metros.  Fast Ethernet  100BASE-T -. Gigabit Ethernet  1000BASE-T -.Designação para qualquer dos três padrões para 100 Mbit/s ethernet sobre cabo de par trançado.Uma rede passiva em estrela que não requer repetidores. Atualmente obsoleto. cabeamento cat-5 é o padrão.1 Gbit/s sobre fibra.1 Gbit/s sobre cabeamento de cobre categoria 5e ou 6. Inclui 100BASE-TX.  100BASE-T4 -.100 Mbit/s ethernet sobre cabeamento cat-3 (Usada em instalações 10BASE-T). 100Mbit/s.Uma solução para transportes curtos (até 25m) para rodar ethernet de 1 Gbit/s num cabeamento especial de cobre. mas suporta cabeamento antigo.Não existem produtos. 100 Mbit/s ethernet sobre cabeamento cat-3.1 Gbit/s sobre fibra.  10BASE-FP -.  100BASE-FX -. Usando fibra ótica multimodo 62.100 Mbit/s ethernet sobre fibra óptica. Seu funcionamento é equivalente ao 100BASE-TX. 10BASE-FB -. Utiliza todos os quatro pares no cabo. e agora é obsoleto. nunca foi implementada. Suporta full-duplex.  100BASE-TX -. e usa apenas dois pares.Pretendia ser usada por backbones conectando um grande número de hubs ou switches. Configuração "star-shaped" idêntica ao 10BASE-T. agora está obsoleta.  100BASE-T2 -.  1000BASE-LX -. mas requer cabo cat-5. Antecede o 1000BASE-T. 100BASE-T4 e 100BASE-T2.Usa dois pares.  1000BASE-SX -. .  1000BASE-CX -. Otimizado para distâncias maiores com fibra mono-modo.

3. variando de 26m a 82m dependendo do tipo de cabo.  10GBASE-LX4 -. 10GBASE-LW e 10GBASE-EW.projetado para suportar distâncias curtas sobre cabeamento de fibra multi-modo.  10GBASE-LR e 10GBASE-ER -- esses padrões suportam 10 km e 40 km respectivamente sobre fibra mono-modo. (Não há um padrão WAN PHY correspondendo ao 10GBASE-LX4.10-Gigabit Ethernet (Ethernet 10 Gigabit) Novo padrão Ethernet de 10 gigabits abrange 7 tipos diferentes de mídias para uma LAN. projetado para interoperar com equipamentos OC-192 / STM-64 SONET/SDH. Ele está atualmente especificado por um padrão suplementar. 10GBASE-LR e 10GBASE-ER respectivamente. Essas variedades usam o WAN PHY. Suporta também operação a 300m numa fibra multi-modo de 2000 MHz. Também suporta 10 km com fibra mono-modo. e será incorporado numa versão futura do padrão IEEE 802. e daí usam os mesmos tipos de fibra e suportam as mesmas ditâncias. Eles correspondem à camada física do 10GBASE-SR.  10GBASE-SR -.) .  10GBASE-SW.3ae.usa multiplexação por divisão de comprimento de ondas para suportar distâncias entre 240m e 300m em cabeamento multi-modo. MAN e WAN. IEEE 802.