You are on page 1of 6

AULA 01 – INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA


As finanças são o estudo do planejamento financeiro, da gestão de ativos e da captação
de fundos por empresas e instituições financeiras.

Liquidez refere-se à velocidade e facilidade com a qual um ativo pode ser convertido
em caixa, ou seja, maior liquidez significa que mais rápida será a conversão do ativo em
dinheiro.

Rentabilidade indica o percentual de remuneração do capital investido na empresa, ou
seja, o melhor retorno possível dos investimentos=>lucratividade.

Meta da Administração Financeira - É a maximização da RIQUEZA dos acionistas
(ou proprietários) de uma empresa.

Classificação das Fontes de Recursos à disposição de uma empresa:
o

Recursos próprios (capital integralizado, reservas e lucros retidos) e recursos de

terceiros (compromissos e dívidas contraídas);
o

Recursos permanentes (próprios e dívidas a longo prazo) e recursos temporários

(compromissos e dívidas a curto prazo); e
o

Recursos Onerosos (provocam despesas financeiras) e recursos não onerosos.

À Função Financeira cabem duas tarefas básicas:
o Obtenção de recursos nas condições mais favoráveis possíveis; e
o Alocação eficiente desses recursos na empresa.

Áreas de Decisões Financeiras:
o Decisões de investimento – onde realizarei a aplicação de recursos?
o Decisões de financiamento – onde buscarei a melhor captação de recursos?
o Decisões de lucros e dividendos – qual percentual vai retornar para o
financiamento das atividades? Quanto distribuirei em dividendos?

As atividades financeiras (Tesoureiro) e contábeis (Controller) estão intimamente
relacionadas e com freqüência se sobrepõem.

Demonstrações Financeiras
O desenvolvimento da função financeira implica na constante avaliação de grande

número de informações relacionadas com os fluxos. Essas informações surgem da análise e
interpretação dos dados brutos transmitidos através das Demonstrações Financeiras.
 Tipos de Demonstrações Financeiras:
 Demonstrações gerenciais para uso interno; e
 Demonstrações contábeis para divulgação externa.
Balanço Patrimonial

É uma “fotografia” em que aparecem os valores:
 de todos os bens e direitos que formam o ATIVO da empresa;
 de todas as dívidas e compromissos a pagar que constituem o seu PASSIVO;

Ao adotar uma postura de maior risco.  Capital Circulante Líquido (ou Capital de Giro Líquido) . os demais ativos circulantes estão expostos aos efeitos da inflação => “corrói” o poder aquisitivo.Representa o valor total dos recursos demandados pela empresa para financiar seu ciclo operacional. Com exceção dos estoques.  Ciclo Operacional . o total dos recursos pertencentes aos proprietários. do desempenho da economia e da relação risco/rentabilidade desejada. AULA 03 – ADMINISTRAÇÃO DE ESTOQUES  Função do Administrador Financeiro: Participar na definição e no acompanhamento das políticas de estocagem aplicadas pela empresa. a empresa consegue auferir retorno maior.  Dilema risco-retorno: Baixos níveis de ativo circulante determinam aumento de rentabilidade e elevação nos riscos de solvência da empresa. compra de materiais. Um CCL elevado. AULA 02 – NATUREZA E FINANCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO  Capital de Giro (ou capital circulante) . b) Produtos em elaboração. com menores aplicações no capital de giro.Representa o valor líquido das aplicações (deduzidas das dívidas a curto prazo) processadas no ativo circulante: CGL (CCL) = Ativo Circulante – Passivo Circulante  O CCL constitui uma medida estática da folga financeira que a empresa apresenta para liquidar seus compromissos de curto prazo. produção e venda e desemboca no efetivo recebimento das vendas realizadas.  Razões para Investir em Estoques: Tornar o fluxo econômico contínuo. . as empresas costumam preparar mensalmente um balanço e a demonstração do resultado (do último mês e o acumulado no exercício). venda de produtos e mercadorias e prazo de recebimento.  Para fins gerenciais. menor o risco de insolvência da empresa. normalmente. Deve garantir a adequada consecução da política de estocagem. Demonstração do Resultado do Exercício  Nessa demonstração é evidenciada a formação do lucro ou prejuízo do exercício social. mediante a confrontação das receitas realizadas e das despesas incorridas.  Surge um problema: um CCL elevado prejudica a rentabilidade da empresa. c) Mercadorias e produtos acabados. constitui um indicador de BOA LIQUIDEZ da empresa. produção. POR QUÊ? Porque o excesso de ativos circulantes pode significar ineficiência no uso dos recursos financeiros.  A importância do capital de giro varia em função das características da empresa. denominado PATRIMÔNIO LÍQUIDO. d)Materiais de consumo e almoxarifados.Inicia-se com a aquisição das matérias-primas. assim como suas atividades operacionais e financeiras. Perspectiva de aumento do preço do produto – observação do cenário e atentando para política de venda do fornecedor – tentar auferir lucros ou evitar prejuízos à produção de minha empresa. Quanto maior o CCL.  Os estoques podem ser classificados em: a) Matérias-primas e embalagens. passa pela armazenagem.  A administração do capital de giro envolve basicamente as decisões de compra e venda tomadas pela empresa.

o Alguns produtos relevantes possuem demanda esporádica e podem não estar sendo considerado em análises em um curto espaço de tempo. Representa a quantidade de pedido que minimiza o custo total de estoque. Custo de Oportunidade – (“é o que minha empresa deixa de ganhar por não ter o produto para fornecer ao cliente”) => O investimento em estoque deve levar em consideração a possibilidade da demanda ser superior a quantidade de produtos disponíveis. . e o Determinados estoques apresentam valores de compra mínimos.Q Número de pedidos no período – NP => NP = D / Q Custo individual de pedido – CP / Custo Total de Compras – CTP CTP = NP x CP  Custo de Manutenção Custo Total de Manutenção do Estoque – CTE Custo Unitário de Estocagem dos materias num período – CM Quantidade de material por pedido – Q //// Estoque Médio – EM = Q/2 (considerando-se consumo uniforme e admitindo que não há estoque de segurança) CTE = CM x EM. existirá um custo de oportunidade decorrente da falta do produto na empresa. mediante constatações históricas. o Prever os prazos de estocagem da mercadoria. mas pouco representativos em termos de investimentos (ex: produtos importados com restrições).  A decisão de antecipar as compras deve: o Verificar se o benefício da antecipação será maior que o custo do dinheiro (juros) aplicado. mas são significativos pelo volume das vendas. OU SEJA: CTE = CM x (Q/2)  Cálculo do LOTE ECONÔMICO Lote Econômico – QLE Demanda total no período – D Custo individual de pedido – CP Custo Unitário de Estocagem num período – CM √ QLE = (2 x CP x D) / CM O lote econômico fornece a quantidade de materiais a ser pedida e a freqüência ótima de distribuição desses pedidos no tempo. o Custos relevantes para a administração de estoques (Custo de Compra < ou de pedido ou de preparação> + Custo de Manutenção)  Custo de Compra < ou de pedido ou de preparação> Demanda total no período – D Quantidade de material por pedido . às quais podem ser acrescentadas certas previsões futuras  Cuidados no uso da curva ABC o Podem existir produtos essenciais à produção. Nessa situação.  Custos Associados aos estoques: o Custos efetivos dos bens estocados – valor efetivamente gasto na aquisição do item.  A curva ABC retrata a representatividade dos elementos estocados. do recebimento das vendas e do pagamento a fornecedores. e o Incluir o cálculo do custo de captação de recursos para financiar clientes se a venda for feita a prazo.

temporariamente. Depende da experiência dos funcionários do setor de crédito. 5. 4.  Os 5 “C”do crédito: 1. III.Na prática. e Não faz um vínculo direto com o objetivo da empresa. Condições: grau de exposição aos possíveis efeitos de ocorrências exógenas sobre a capacidade de pagamento do cliente. Capacidade: ganhos ou desempenho operacional/financeiro do cliente. AULA 04A – ADMINISTRAÇÃO DAS DUPLICATAS A RECEBER  Crédito é a disposição de alguém ceder. Capital: comprometimento do patrimônio líquido com valores exigíveis da empresa e índices de lucratividade.  Uma boa política de crédito deve buscar um equilíbrio entre vendas e perdas por inadimplência.  Aumentam as despesas gerais de crédito. E uma política de cobrança deve manter um nível apropriado de investimento de contas a receber. O aumento do Estoque de Segurança reduz a chance de não faltar estoque e aumenta o total de Investimentos em estoque.  Exige-se uma necessidade maior de volume de investimentos em valores a receber. o Elevação de descontos financeiros  As vendas tendem a aumentar em função do barateamento nos custos do adquirente  As despesas de crédito devem cair em razão da tendência dos clientes anteciparem seus pagamentos  Isso acarreta menores investimentos nos valores a receber Principais fórmulas: Giro dos valores a receber = vendas / valores a receber Giro dos valores a receber = 360 / período médio de cobrança Período médio de cobrança = valores a receber / (vendas/360) . Caráter: comportamento e antecedentes do cliente. com a expectativa de receber de volta o valor cedido ou receber pagamento. a demanda de estoques não é uniforme e apresenta variações ao longo do tempo. real ou não. Colateral: o que o cliente pode oferecer como garantia.  I.  Problemas dos 5 “C”s: Depende do julgamento individual do funcionário. II. as empresas trabalham com um estoque de segurança para evitar que o saldo dos estoques chegue a zero para se processar o pedido de reposição. Influências de uma Política de Crédito Sobre as Medidas Financeiras: o Decisão de afrouxamento nos padrões usuais de crédito  Surge de imediato uma expectativa de elevação no volume de vendas. depois de decorrido o período estipulado. na sua integridade ou em valor correspondente. Condições de incerteza e estoque de segurança . principalmente as despesas de devedores duvidosos. 3. parte de seu patrimônio ou prestar serviços a terceiro. Assim. 2.

e o Elevar o giro dos estoques – no limite do risco de “estoque zero” => ponto mais “sensível” das três. . descontos financeiros para antecipação são “bem vistos”. • Na prática. sua elaboração. porém menor rentabilidade. ou até mesmo para horizontes mais amplos.” • Motivos da Manutenção da Disponibilidade:  Motivo-negócio .Necessidade de manutenção de dinheiro em caixa para efetuar pagamentos oriundos de operações normais e certas  Precaução .  Ciclo Operacional = Prazo Médio de Estoques + Prazo Médio de Duplicatas a Receber • Ciclo Financeiro . tem-se o Orçamento de Caixa => objetivo => em tempo hábil tomar decisões de financiamento (se houver previsão de déficit) e de investimento (se houver previsão de superávit). • Ciclo Operacional . dentre os diversos demonstrativos. • Nesse contexto. o Acelerar o recebimento das duplicatas – sem afastar a clientela por excesso de cobrança ou pelo curto prazo oferecido => nesse caso.: Poupança).Aproveitamento de oportunidades especulativas em relação a certos itens não monetários • Planejamento Orçamentário traduz em quantidades e valores os planos de atividade e de investimentos da empresa para o próximo exercício social.AULA 04B – ADMINISTRAÇÃO DAS DISPONIBILIDADES • Disponibilidades = Numerário em Caixa (Cofre) + Saldos Bancários de ContaCorrente + Investimentos de Liquidez Imediata (Ex. • “A Administração do Caixa busca o equilíbrio entre os custos e benefícios na definição do saldo a ser mantido.Pode ser definido como as etapas que a empresa tem que cumprir desde a aquisição da matéria-prima.Inicia-se com o pagamento da compra de matéria-prima e é encerrado com o recebimento das vendas aos clientes. até a colocação do produto final no mercado e seu respectivo recebimento das vendas. • Tais recursos oferecem maior liquidez.  Ciclo Financeiro = Ciclo Operacional – Prazo Médio de Fornecedores • Importante:  Prazo Médio de Estoques (anual) = 360 / Giro de Estoque ou PME = (Saldo Médio dos Estoques x 360 dias) / Custo das Vendas  Prazo Médio de Duplicatas a Receber = 360 / Giro de Duplicatas a Receber ou PMCobrança = (Saldo Médio de Duplicatas a Receber x 360 dias) / Receitas Brutas das vendas a prazo  03 Estratégias Básicas para reduzir ciclo financeiro: o Retardar pagto aos fornecedores – sem comprometer o crédito que a empresa tem “na praça”. muitas empresas fazem o acompanhamento por projeções diárias e semanais.justificado pela diferença normalmente observada entre os fluxos monetários orçados e os reais  Especulação . continuamente revisadas => monitorar as distorções entre os valores planejados e os executados (por diversos motivos: inflação. índices de financiamento distintos dos previstos etc).

• Saldo Mínimo de Caixa .Permite à empresa saldar seus compromissos programados e manter uma reserva de segurança para imprevistos Desembolsos totais de caixa esperados em determinado período Saldo mínimo de caixa  Giro de caixa no período Giro de Caixa = 360/Ciclo Financeiro Caixa Mínimo = Desembolso / Giro Ou Caixa Mínimo = Desembolso Diário x Ciclo Financeiro .