Amazonas mais preparado para o comércio exterior

Inauguração da Unidade de Atendimento da Apex-Brasil em Manaus oferecerá às empresas amazonenses uma série de serviços voltados ao incremento das exportações do estado

O Amazonas é mais um estado brasileiro a receber uma Unidade de Atendimento da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O objetivo é eliminar um dos principais entraves à exportação de produtos e serviços: a falta de informação. Com apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e das Federações de Indústria, por meio dos Centros Internacionais de Negócios (CINs), o projeto de aproximar o empresário brasileiro dos serviços oferecidos para fomentar as exportações será lançado em coquetel às 18h da quinta-feira, 25 de fevereiro, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM). Participarão da cerimônia o presidente da FIEAM, Antonio Carlos da Silva; a analista da unidade de comércio exterior da CNI, Sarah Saldanha Oliveira; e a coordenadora de projetos especiais da ApexBrasil, Tatiana Porto. Em Manaus, a Unidade de Atendimento da ApexBrasil será coordenada por Luiz Otávio Guimarães. Além do Amazonas, outros nove estados já contam com Unidades de Atendimento da Apex-Brasil funcionando: Pernambuco, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Ceará, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiás, Paraná e Santa Catarina. “Nossa estratégia é estar perto da indústria. Levamos em conta as necessidades descritas pelo CIN do Amazonas e faremos um trabalho complementar, levando em conta também os mercados prioritários para 2010, apontados pelo serviço de inteligência comercial da Apex-Brasil”, explica Tatiana Porto. Além de apoiar as exportações amazonenses dos setores eletrônico e de bebidas, principais carros-chefes das vendas externas do estado, a expectativa é que a Unidade de Atendimento ajude a incrementar a comercialização de produtos de maior valor agregado.

Todas as unidades estarão instaladas nas Federações de Indústria do estado. Os empresários que forem ao local terão acesso a informações técnicas e objetivas sobre oportunidades de negócios, como participar de projetos conjuntos da CNI e Apex-Brasil e acesso a dados de pesquisas e prospecções de mercados, entre outros tópicos. “O objetivo das Unidades de Atendimento é aproximar as empresas nacionais do comércio exterior. Seja ela uma empresa não-exportadora ou uma exportadora em fase inicial”, explica Alessandro Teixeira, presidente da Apex-Brasil. Exportações amazonenses O Amazonas tem 11 empresas ligadas aos projetos desenvolvidos pela Apex-Brasil. Destas, nove são exportadoras. O total exportado pelo estado de janeiro a dezembro de 2009 foi R$ 883,865 milhões. Os terminais portáteis de telefonia celular foram o principal produto de exportação do Amazonas no ano passado: de janeiro a dezembro de 2009, foram responsáveis por US$ 322,585 milhões em negócios com outros países, o que equivale a 36,50% das vendas externas amazonenses. Em seguida apareceram preparos para elaboração de bebidas (US$ 127,3 milhões ou 14,40% do total exportado), motocicletas com motor de 125 cilindradas (US$ 74,911 milhões e 8,48%), aparelhos de barbear nãoelétricos (US$ 50,676 milhões e 5,73%) e motocicletas com motor de 50 cilindradas (US$ 47,061 milhões e 5,32%). Os principais destinos dos produtos amazonenses em janeiro de 2010 foram Argentina (US$ 18,306 milhões), Venezuela (US$ 9,521 milhões), Colômbia (US$ 6,444 milhões), Estados Unidos (US$ 4,676 milhões), Paraguai (US$ 2,964 milhões), Equador (US$ 2,872 milhões), México (US$ 2,606 milhões), Chile (US$ 2,088 milhões), provisão de navios e aeronaves (US$ 2,044 milhões) e Hungria (US$ 1,866 milhões).

Lançamento da Unidade de Atendimento da Apex-Brasil no Amazonas 25 de fevereiro, às 18h Na sede da FIEAM, Auditório Auton Furtado Júnior Avenida Joaquim Nabuco 1919 – 1º andar, Centro Manaus, AM