You are on page 1of 2

Nome: Gustavo Lucas Monteiro – UC14101775

Curso: Engenharia Civil

Data: 08/11/2014

Disciplina: Antropologia da Religião

Turma: Quarta A/B

O nome da Rosa
Jean-Jacques Annaud nasceu em Draveil no dia 1 de Outubro de 1943 e
é um cineasta francês. Ganhou dois César de Melhor Diretor, por "A Guerra do
Fogo" (1981) e "O Urso" (1980). Em 1986 baseando-se no romance homónimo
do crítico literário italiano Umberto Eco, lançou o filme O nome da Rosa (Le
nom de la rose).
No mesmo ano recebeu duas indicações ao César, na categoria de
Melhor Filme Estrangeiro, por "O Nome da Rosa" (1986) e "O Amante" (1991).
Vencendo com “O nome da Rosa”.
A história do filme “O nome da Rosa” ocorre no ano de 1327 em um
mosteiro Beneditino Italiano, ou seja, a Alta Idade Média. Lá se retoma o
pensamento de Santo Agostinho, um dos últimos filósofos antigos e o primeiro
dos medievais, que fará a mediação da filosofia grega e do pensamento do
início do cristianismo com a cultura ocidental que dará origem à filosofia
medieval, a partir da interpretação de Platão e o neoplatonismo do cristianismo.
As teses de Agostinho nos ajudarão a entender o que se passa na biblioteca
secreta do mosteiro em que se situa o filme. No mosteiro havia uma biblioteca
que guardava pergaminhos e livros com textos científicos e filosóficos, tidos
como proibidos. A chegada de um monge franciscano foi designada para
investigar várias mortes que estavam ocorrendo no mosteiro. O ato intrigante é
que os mortos eram encontrados com a língua e os dedos roxos. No decorrer
da história, descobre-s que os mortos haviam manuseado um determinado
livro.
Durante a Idade Média umas das práticas mais comuns nas bibliotecas
dos mosteiros eram apagar obras antigas escritas em pergaminhos e sobre
elas escreve ou copiar novos textos.

O nome da Rosa foi usada na Idade Média significando o infinito poder das palavras. enquanto movimento cultural resgatou da antiguidade Grego-romana os valores antropocêntricos e racionais. O acesso a este livro era restrito. entraram em choque com o Teocentrismo e o Dogmatismo medieval sustentados pela Igreja. A rosa de então. portanto. A comédia era vista como uma forma de fazer com que as pessoas perdessem o temor a Deus e. estava envenenada.foi escrito pelo filósofo Aristóteles onde enaltecia o riso. centro real do filme é a antiga biblioteca de um convento beneditino. ofendendo profundamente a Igreja Católica Antiga. já que nele também se busca "a verdade". na qual estavam guardados. faria desmoronar todo o poderio Cristão. parte importante da sabedoria grega e latina que monges conservaram através dos séculos e que mantinham o poder da Igreja Católica diante de toda sociedade local. em grande número. em oposição ao divino e ao sobrenatural. Este se desenvolve no período Renascentista. códigos preciosos. O Renascimento pregava a valorização do homem e da natureza. O filme pode ser interpretado com um caráter filosófico quase metafísico. que adaptados ao período.O livro cuja tinta utilizada para escrevê-lo. . porque era considerado como uma ameaça o doutrinacristã.