You are on page 1of 8

ÁLCOOL POLIVINÍLICO

NA
EMGOMAGEM DE FIOS TÊXTEIS

Ademir Jordão 012001.4
Jairo Ernandes de Oliveira 012014.6
Rodrigo Martins Zavatim 012024.3
Welton Travensollo 011030.2
Tecnologia da Tecelagem I
Prof. Maria Adelina Pereira Galhani

e recobrimento de papéis. PVA é um polímero sintético. tem encontrado extensivo uso em aplicações como em têxteis. o PVA tem se tornado um produto químico particularmente importante. devido a sua resistência. adesivos. produzido através da polimerização do monômero de acetato de vinila (VAM). como teares jato de ar. adesividade. 1. Nesta reação de polimerização obtém-se moléculas de PVA de peso molecular controlado ou viscosidade controlada. POLIMERIZAÇÃO CH2 = CH [ CH2 HIDRÓLISE ------ CH ] n [ CH2 ------ CH ] n O O OH C = O C = O CH3 CH3 ACETATO DE VINILA ACETATO DE POLIVINILA ÁLCOOL POLIVINÍLICO . Com a nova tecnologia têxtil de teares de alta velocidade. flexibilidade e resistência à abrasão.ÁLCOOL POLIVINÍLICO NA ENGOMAGEM DE FIOS TÊXTEIS Tecnologia da Tecelagem I O Álcool Polivinílico (PVA) comercializado há 50 anos. A maior aplicação no cenário mundial para o PVA é em engomagem de fios. Obtenção do PVA.

Nesta reação os grupos acetatos (do monômero de acetato de vinila) são submetidos por grupos alcoólicos. o PVA é submetido a uma reação denominada “Hidrólise”. BAIXO ALTO PESO MOLECULAR Aumento de solubilidade Aumento de viscosidade Aumento de flexibilidade Aumento de resistência à tensão Aumento de solvatação Aumento de resistência à adesão % HIDRÓLISE Aumento de solubilidade Aumento de resistência à água Aumento de flexibilidade Aumento de resistência à tensão Aumento de adesão de Aumento de resistência à adesão de superfície hidrofóbica superfície hidrofóbica . algumas exigências são necessárias:  pH Alto (>10) ou baixo (<3)  Alta temperatura (> 50ºC)  Tempo (> 10 min. O nível de hidrólise é muito bem controlado e é uma outra especificação chave na produção do PVA pelos produtores mundiais. Para que esta reação de hidrólise possa se processar.Pelo controle do processo de polimerização. os quais representam a porcentagem de grupos de acetato convertidos em grupos alcoólicos no polímero.) Pelo controle da reação de hidrólise. podemos alcançar uma viscosidade muito consistente. o PVA pode ser produzido com níveis de hidrólise entre 70% e 100%. muitas propriedades podem ser atribuídas ao PVA. Dependendo do grau de hidrólise. Viscosidade é a especificação chave para a produção do PVA para todos os seus produtores no mundo. Após a reação de polimerização.

se o banho é operado entre 60 a 100 m/min. a desengomagem do PVA no tecido não será um problema. Muitas pessoas acreditam que quando o PVA é aplicado no processo de engomagem. onde a reação de hidrólise não se processará neste intervalo de pH. Baseados nestas informações. são necessários três parâmetros na seguinte ordem para que a reação se processe:  pH Alto (>10) ou baixo (<3)  Alta temperatura (> 50ºC)  Tempo (> 10 min. não corresponde a verdade.Por exemplo. Como foi mostrado. uma indústria têxtil necessita de um produto de média viscosidade com excelente adesão ao poliéster (material com superfície hidrofóbica) e um alto grau de solubilidade. Usualmente o pH na caixa de engomagem está entre 6-8. Insolubilização do PVA durante a engomagem. então o tempo de permanência que o PVA no fio engomado a esta alta temperatura será inferior a 3 minutos. Adicionalmente. Isto é lógico. 2. o que é bastante normal. . muito menor que os 10 minutos necessários para a hidrólise adicional do PVA. ou de outra forma as industrias têxteis por todo o mundo não estariam utilizando o PVA nas engomadeiras. o que pode ser considerado neutro. Para entender o porque do PVA não se hidrolisa sob estas condições.) Em uma operação de engomagem típica. Tanto quanto mais baixo for o grau de hidrólise que um industria têxtil possa iniciar com o PVA. ele pode hidrolisar-se devido ao calor produzido pelos secadores tornado-se insolúvel e de impossível desengomagem. somente uma das três exigências é encontrada (alta temperatura). será selecionado um PVA de peso molecular médio (por razões de viscosidade) e de baixa hidrólise (para aumento de solubilidade e adesão em superfícies hidrofóbicas).. necessitamos rever a química da reação de hidrólise no inicio deste trabalho.

se comparado com o do algodão. as gomas para esses fios demandam um poder de adesão específico e devem ser elásticas. - de maior elasticidade. como os vários tipos de Álcool Polivinílico (PVA) e os Complexos de Polímeros Sintéticos Balanceados (CPSB).PVA COMPOSIÇÃO Polímero sintético puro de base vinílica. determina. redondas. Propriedades das películas.3. - dotadas de maior adesividade. uma resistência . O Álcool Polivinílico determina a formação de películas: - de maior resistência à ruptura. não apresentam muitos espaços abertos para a amarração dos sólidos da goma e. 4. também em virtude de sua má hidrofilidade apresentam um “pick-up” baixo. Para a engomagem desses fios de fibras 100% sintéticas (cortadas) e suas misturas foram desenvolvidos produtos . - elásticas - resistentes à abrasão - de ótima adesividade. lisas e compactas. devido às características de suas fibras. Os fios de poliéster. - menos sensíveis à umidade. obtido do acetato de polivinila. - flexíveis. CARACTERÍSTICAS  Solúveis em água  Ótimos formadores de película  Películas - resistentes. nos mesmos. - solúveis em água. Características. Por tais razões. ÁLCOOL POLIVINÍLICO . mesmo. sobre fios de poliéster cortado puro. Uma carga de goma de 10% de PVA sobre fios de poliéster/algodão ou.

1000 100 – 150 8–9 5. ao náilon. determinado um melhor espaçamento no pente do tear e. ABSOREM % Amidos 50 – 70 10 – 15 15 – 20 PVA 500 . para atingir a carga de goma necessária. - Na formulação das gomas deveremos acrescentar de 20 a 30% de sólidos. - Quanto maiores os níveis de pó nos teares.maior à ruptura. - Quanto maior o percentual de fibras sintéticas no fio. específico. TIPO DE TENACIDADE ELASTICIDADE À UMIDADE RELATIVA GOMA (KG/CM2) (%) DE 65%. maiores deverão ser os percentuais de PVA. maior deverá ser o percentual do PVA. - Para o caso de teares sem lançadeira. maiores deverão ser os percentuais de PVA na formulação da goma. Portanto. maior capacidade de trabalho do que uma carga equivalente de 20% de amido quimicamente modificado. maior deverá ser o percentual de sólidos na solução da goma. maior elasticidade. Uma outra característica é a de que o PVA possue excelente adesividade ao poliéster. sobre esses mesmos fios. - Para tecidos mais densos ou de mais difícil tecimento. quando da utilização de fios com predominância de fibras sintéticas. conseqüentemente. os fios engomados com a carga de 10% serão mais finos. Considerações que devem ser observadas no uso do PVA. principalmente no caso dos de projétil ou de pinças. ao raion e ao algodão. proporcionando maior capacidade em metros de urdume no rolo do tear. .

- Se os sintéticos em mistura com o algodão (1. o papel do agente antiestático é atrair e prender a umidade nos fios.5 denier) forem de 3 denier e com comprimento de 8 a 15 centímetros. Na utilização do PVA podemos fazer uso de alguns aditivos: - Agentes umectantes: Para aumentar o “pick-up”.0 Título do fio 48. Aditivos.0 8. o que conseqüentemente.0 Elasticidade 15. representando 22% sobre o peso do amido . Usar de 15 a 20g/100 litros de goma pronta. haverá necessidade provável de um aumento de carga da ordem de 20% sobre o valor da carga normalmente necessária.8 48. Algumas experiências mostraram os seguintes efeitos da goma sobre as propriedades dos fios: POLIÉSTER/ALGODÃO NÃO (67/33) ENGOMADO PVA AMIDO* 0 10. aumentará o “pick-up”.0 210.0 220.0 a 1.0 20. 7. Efeitos da goma sobre as propriedades dos fios. adesivos e ceras.0 190. Usar de 100 a 200 gramas/litros de goma pronta. Deve-se cuidar para que os antiestáticos não venham causar o enfraquecimento do poder de adesividade do produto “base de fórmula”. 6. Os antiestáticos também reduzem a tensão superficial da goma.0 Carga de goma (%) Resistência à ruptura * Amido natural puro. - Agentes antiestáticos: Como a umidade constitui o melhor antiestático.0 46. mais aditivos.0 10.

- Menor pressão nos cilindros impregnadores/espremedores durante a marcha lenta da máquina. o menor “pick-up” das fibras de poliéster. - Maior quantidade de fios no rolo do tear. no entanto. - Cilindros secadores “teflonados” (dois. - Pré-secagem em camadas separadas. sem esquecer. de preferência quatro). - Menores cuidados com o cozinhamento. - Maior espaçamento dos fios (mínimo de 50 %) na Caixa de Goma e no início da secagem. Características das Engomadeiras. - Custos reduzidos de transporte. - Formulação simples. menor quantidade de trocas. - Viscosidade mais estável da solução. - Menor sensibilidade à umidade. - Menor carga de goma. - Melhor eficiência na tecelagem.8. - Melhor qualidade dos tecidos. Na utilização do PVA devemos cuidar para que a engomadeira disponha. 9. com. portanto. . mas. - Impossibilidade de criar mofo. das seguintes características: - Caixa de goma e cozinhadores em aço inoxidável. Vantagens da Engomagem com PVA. em dois ou três cilindros. produzindo fios mais finos. se possível. no mínimo.