You are on page 1of 2

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

Aluno: Mauri Cristiano
Professor: Jadson Oliveira
Disciplina: Didática

Turma: LM3

Turno: Tarde

Atividade: Síntese do Capítulo 3
“A formação dos professor sob a ótica construtivista: primeiras aproximações e
alguns questionamentos”
Sem sombra de dúvida, o construtivismo vem sendo tido, ao longo dos tempos no
Brasil, como uma maneira diferente de lidar com situações de ensino e aprendizagem e sob
essa perspectiva, faz-se necessário a sua inserção também na formação dos professores. A
partir daí, em primeira instância, deve-se analisar o que de fato é definido como sendo
“construtivismo” nos tempos atuais, a julgar pela maneira como vive a sociedade pósmoderna e também pela influência do capital, será que, pelo menos, a concepção de parte da
sociedade pós moderna acerca do construtivismo não teria sido influenciada pela política
neoliberal na educação? E em que se aproxima e se distancia essa concepção do que os
autores construtivistas apontam como sendo construtivismo?
Apesar do construtivismo, neoliberalismo e pós-modernismo, segundo Duarte (2000),
pertencerem ao mesmo universo ideológico, isto é, compartilharem de ideais semelhantes ou
possuírem em essência, ideais em concordância, de certa forma. É preciso não confundir umas
das principais ideias do construtivismo que seria a construção do conhecimento, esse
conhecimento construído, apesar da base empírica, possuirá ( quando construído de maneira
adequada) o caráter original do conhecimento apresentado, isto é, se o conhecimento
trabalhado na ótica construtivista for de caráter científico, então o conhecimento construído
também terá o caráter científico. Nessa perspectiva, Se o objetivo do sistema de ensino
brasileiro for o de transmitir um conhecimento com o caráter mais científico, então um
conhecimento construído que possua apenas o caráter empírico poderá não ser tão eficiente
quanto aquele que foi construído e possui o caráter cientifico.
Além disso, temos que o caráter autoritário, revestido como pensamento único e
verdade absoluta e incontestável; O sucesso do indivíduo depende apenas dele e que seu
fracasso é justificado por falta de “sorte”, dessa forma, o professor deveria ter a capacidade de
se “adaptar” as mais possíveis situações de ensino, trabalho e aprendizagem; A educação
torna-se, portanto, o principal veículo para o sucesso do indivíduo, no entanto, como só
depende dele o sucesso, pode se afirmar que o individuo terá que arcar com os custos desse
meio precioso ao sucesso; A consciência e atitudes dos indivíduos são afetadas, concentrando
em maior parte o pensamento individualista e o egoísmo extremo, dificultando assim,
movimentos e rebeliões cujo objetivo é o bem estar social. Todos esse pontos citados
anteriormente são relações entre os universos das políticas neoliberais juntamente com a
sociedade pós-moderna e os ideais construtivistas, vale ressaltar que esses ideais

Assim. É preciso salientar de que o modelo de professor almejado não seria. seria a responsabilidade única do indivíduo pelo seu sucesso. portanto isso iria condizer com a ideia do pós modernismo que nega qualquer capacidade do ser humano de conhecer a realidade de forma objetiva. todo trabalho de conteúdos seria enfocado no cotidiano do aluno. as características de um curso que pretende formar professores seria um aprofundamento no estudo do construtivismo. trazendo para ele próprio o individualismo e egoísmo exagerados mas agora.construtivista estão ligados as políticas neoliberais e sociedade pelo viés da educação e formação dos professores. que não é o detentor do conhecimento. o pós-modernismo e o construtivismo na sua deficiência. Já no contexto da formação dos professores. “maquia” a realidade de tal forma como faz o discurso neoliberalista. Esses princípios. recairemos que aquilo que ele deve aprender deve se relacionar fortemente com o que lhe interessa e o que lhe é necessário. 9. por isso deve-se tomar o interesse e necessidade do aluno em primeiro lugar. nesses trabalhos de campo. . enxergar que é sim privado culturalmente. já que todos percebem o mundo de maneira diferente. um professor construtivista ou ainda sim. redução dos conteúdos ao que é “compreensível” pelo aluno e o professor. resultando em uma educação diferente para todos. o conhecimento como fruto de interação com o meio juntamente com a adaptação do indivíduo. e em um contexto mais geral. mas ajuda aos alunos na construção do conhecimento) podemos pontuar que o conhecimento nesse aspecto não seria único. e construído esse conhecimento. contra o neoliberalismo.14) aponta como a existência de um conhecimento objetivo da realidade natural e social. então daí sairia a grande pergunta às pedagogias acadêmicas “arcaicas”: Por que aprender conteúdos que não serão trabalhados em sala de aula com os alunos? A partir desse embate. Dessa forma. pp. estimulam ainda mais as consequências trazidas pela politica neoliberalista e pós modernista que. aprendizagem como processo individual. partindo das principais características do construtivismo aceitas por boa parte dos próprios construtivistas ( tais como diversificação do construtivismo. juntamente com situações trabalhadas com base no trabalho em grupo e na resolução de problemas dos quais devem. ou melhor. seria possível o indivíduo conseguir enxergar a condição de exploração na qual se encontra. esse conhecimento seria a arma que faltava para combater a apatia e o egoísmo. que as diferenças não são naturais mas frutos da história. pois para que ele possa aprender é necessário que haja reflexão. tornando a construção individual do conhecimento e portanto. em sua totalidade. poderia ser apontado a característica do ensino voltado para a prática e não somente a teoria. o construtivismo baseados nesses princípios. mas que procurasse buscar o que Saviani (1 997. ao passo que todo o ensino. estarão de certa forma relacionados com a compreensão do pensamento do aluno. dessa forma. e para que o aluno possa refletir. no entanto. O construtivismo se apresenta então como a forma que o indivíduo tem de aumentar sua capacidade de adaptação afim de que ele possa sobreviver na sociedade. como citado anteriormente. do ponto de vista epistemológico genético e de desenvolvimento. dentro do contexto da educação.