Álvaro Fernandes.

(

1. Domínio: x − 1 ≠ 0
2

)

Esboce o gráfico da função f ( x ) = ( x ) x 2 − 1 .

x2 ≠ 1 ⇒

x≠± 1 ⇒

x ≠ ±1 . Logo D( f ) = ℜ − {− 1, 1} .

x

com
o
eixo
x
(faça
y
=
0
)
:
0
=
⇒ x = 0. Logo temos o ponto (0 , 0 ).
2

x −1
2. Interseções com os eixos: 
com o eixo y (faça x = 0) : y = 0 ⇒ y = 0. O mesmo ponto (0 , 0 ).

02 −1
3. Assíntotas:


x
x
1
1
= lim+
=
= + = +∞.
 xlim
+
2
+
→1 x − 1
x →1 ( x + 1)( x − 1)
(2 ) 0 0

A reta x = 1 é assíntota.

x
x
1
1
= lim−
=
= − = −∞.
 xlim

2
→1− x − 1
x →1 ( x + 1)( x − 1)
(
)
2
0
0



−1
x
x
1
= lim+
= +
= + = +∞.
 lim+ 2
 x →−1 x − 1 x →−1 (x + 1)( x − 1) 0 (− 2 ) 0
A reta x = −1 é assíntota.

−1
x
x
1

= lim−
= −
= − = −∞.
 lim− 2
 x →−1 x − 1 x →−1 ( x + 1)( x − 1) 0 (− 2 ) 0

( )

Vertical:

( )

( )

( )

x

= (L´Hospital) = lim
 xlim
x → +∞
→ +∞ x 2 − 1
Horizontal: 
x
 lim
= (L´Hospital) = lim
 x → −∞ x 2 − 1
x → −∞
4. Crescimento e decrescimento: f ' ( x ) =

(

)

1
= 0.
2x
A reta y = 0 é assíntota.
1
= 0.
2x

1 x 2 − 1 − x(2 x )

(x

2

)

−1

2

= ... =

− x2 − 1

(x

2

)

−1

2

.

A função f é decrescente ∀x ∈ ℜ − {− 1, 1} .

5. Extremos relativos: Como o sinal de f ' não muda (é sempre negativo), então não existem extremos relativos para f.
6. Concavidade:

2
(2 x )(x 2 + 3) .
(
− 2 x )(x 2 − 1) − (− x 2 − 1)(2 )(x 2 − 1)(2 x )
f ' ' (x ) =
= ... =

(x

2

)

−1

4

(x

2

)

−1

3

f tem C.V.C. ∀x ∈ ]− 1, 0 ] ∪ ]1, + ∞[ .

f tem C.V.B. ∀x ∈ ]− ∞ , − 1[ ∪ [0 , 1[ .
7. Inflexão: Como x = −1 e x = 1 não fazem parte do domínio da função
muda de sinal quando passa por ele.
8. Esboço:

f , então o único ponto de inflexão é x = 0 pois f ' '