You are on page 1of 2

O Gerenciamento de Riscos como diferencial nas pessoas

Os progressos na área da saúde são associados aos avanços da
tecnologia. No século XXI, mais do nunca, o conhecimento se torna um dos
principais diferenciais de competitividade, especialmente naqueles em que a
inovação tecnológica é constante e as necessidades de padronização,
adaptação e controle se mostram mais rigorosos. Manuel Castells, em sua
famosa obra A era da informação, descreve essa nova realidade como sendo a
sociedade informacional: “O termo informacional indica o atributo de uma forma
especifica de organização social em que a geração, o processamento e a
transmissão da informação tornam-se as fontes fundamentais de produtividade
e poder devido às novas condições tecnológicas surgidas nesse período
histórico”.
No caso das unidades de saúde, o que significa estar alinhado ao
paradigma de uma sociedade informacional não significa apenas dispor de
equipamentos e softwares de última geração, profissionais de saúde
atualizados ou contar com as últimas novidades no campo da farmacologia.
Assim como em outras áreas, o conhecimento profundo de ferramentas de
gestão é fundamental, especialmente o domínio dasMetodologias de Gestão
da Qualidade.
As grandes unidades de saúde, como hospitais, estão atentos a esta
realidade há muitas décadas. Hoje, os níveis de qualidade do SBA (Sistema
Brasileiro de Acreditação) se tornaram um dos principais critérios adotados por
diversos stakeholders para avaliar uma instituição. Como se sabe, a adoção de
Metodologia de Gerenciamento dos Riscos é o único caminho para que tais
níveis possam ser alcançados por uma instituição. Isso demonstra como os
conhecimentos destas ferramentas se tornaram indispensáveis. Essa realidade
tem avançado significativamente a outras espécies de unidades de saúde,
dentre elas os laboratórios de análises clínicas e anatomopatológicas .
Os laboratórios são um dos elos mais importantes na área da saúde.
Com o aumento da participação do setor privado na área da saúde, tal
segmento se destaca e há incremento constante da concorrência. Neste
cenário, a adoção da Metodologia de Gerenciamento dos Riscos se torna um
diferencial competitivo, especialmente porque os próprios profissionais da
saúde, que atuam em outras espécies de unidades, estão cada vez mais
familiarizados com tais ferramentas e, portanto, as utilizam como critério para
mensurar a qualidade e confiabilidade dos laboratórios existentes.
Um dos principais desafios para implantação da Metodologia de
Gerenciamento dos Riscos diz respeito ao elemento humano. Portanto, uma

a Metodologia de Gerenciamento dos Riscos diminui o retrabalho. a falta de vontade em se utilizar de Metodologia de Gerenciamento dos Riscos pode existir. O primeiro passo. no máximo. principalmente. a inércia somente mostra seu preço quando os concorrentes já estão desfrutando dos benefícios da Metodologia de Gerenciamento dos Riscos. Os próprios colaboradores deixam de ser simples agentes da mudança. é outra: como despertar nos profissionais a vontade pela utilização das ferramentas da qualidade? Dito de outra maneira: se as formas de gestão mais modernas produzem resultados benéficos para todos. como a situação inicialmente vivenciada se inverte: cria-se uma intolerância a procedimentos improvisados que violem os parâmetros de qualidade existente. energia e recursos e. não apenas a Metodologia de Gerenciamento dos Riscos goza de aceitação. de um gestor. A implantação da Metodologia de Gerenciamento dos Riscos não ocorre de maneira impositiva. Pelo contrário. os profissionais passam a aceitar as novas rotinas e vivenciar seus ganhos. Posteriormente. para se tornarem o principal elo de manutenção das novas políticas. portanto. erroneamente. Imagina-se. A experiência demonstra que vencida a resistência inicial. ela somente pode ter êxito quando há a participação e colaboração de todas as partes envolvidas. toda metodologia encontra-se aberta à revisão e ao aperfeiçoamento. cria barreiras para evitar que eventos problemáticos ocorram ou se repitam. que ainda não foi capaz de vislumbrá-la como um diferencial competitivo. Por isso. Quando corretamente implantadas. que tais ferramentas irão resultar em mais trabalho. portanto. mais custo e mais problemas. cada qual vai introjetando uma nova cultura organizacional. Pelo contrário. o desperdício de tempo. é necessário que todos tenham uma visão a respeito do todo: clareza a respeito do método de funcionamento e dos resultados que poderão ser objetivos. mas as ferramentas da qualidade estabelecem inclusive quais são os procedimentos para incorporação de novas soluções e sua institucionalização.das primeiras perguntas que o gestor faz é: minha equipe está pronta para lidar com tais ferramentas? A pergunta a ser feita. Considerando que sua implantação é um processo que envolve diversas etapas. no entanto. Portanto. Com isso. Evidentemente. está no campo da informação. é: quem não está motivado a fazer diferente? . porque os próprios colaboradores não estariam dispostos a se engajar na melhora? O primeiro desafio existente diz respeito ao desconhecimento. em relação a alta direção. A pergunta. À medida que os profissionais não conhecem a Metodologia de Gerenciamento dos Riscos há uma tendência de refutá-la.