You are on page 1of 5

Isotermas de adsorção

Girlaine Santos da Silva
Departamento de Engenharia Química, Curso de Química Industrial, Universidade Federal de
Pernambuco,Recife, Brasil

Professor: Luciano Costa Almeida/Eliane Medeiros
Data da prática: Dia/Mês/Ano; Data de entrega do relatório: Dia/Mês/Ano

1Experimento

Laboratório de Físico-Química 1, Girlaine Santos da Silva, Experimento 5 clique duas vezes aqui
para modificar!

Resumo
Neste experimento, analisou-se a adsorção do ácido acético sobre carvão vegetal em função da
concentração do ácido. Isto foi possível, através da construção de um gráfico que relaciona o log(x/m)
com a concentração do ácido acético, obtendo-se uma isoterma de adsorção.
Palavras chaves: adsorção; concentração

Sumário
Resumo........................................................1
Introdução....................................................1
Metodologia.................................................1
Resultados e Discussão................................2
Conclusão....................................................3
Referências..................................................3
Questões.......................................................4

Os compostos permanecem adsorvidos na
superfície do adsorvente pela ação de forças
químicas dos tipos ligações de hidrogênio,
interações dipolo-dipolo, forças de London ou Van
der Waals.
Quando as moléculas de adsorvato
presentes na fase fluída atingem a superfície do
adsorvente, a força residual, resultante do
desequilíbrio das forças de Van der Walls que
agem na superfície da fase sólida, criam um
campo de forças que atrai e aprisiona a molécula.
O tempo que a molécula de adsorvato fica
ligada à superfície do adsorvente depende
diretamente da energia com que a molécula é
segura, ou seja, é uma relação entre as forças
exercidas pela superfície sobre essas moléculas e
as forças de campo das outras moléculas vizinhas.
Existem basicamente dois tipos de
adsorção: a adsorção física ou fisiosorção e a
adsorção química ou quimiosorção. No entanto,
em certas ocasiões os dois tipos podem ocorrer
simultaneamente.

Introdução
A adsorção é um fenômeno físico químico
onde o componente em uma fase gasosa ou
líquida é transferido para a superfície de uma fase
sólida.
Os componentes que se unem à superfície
são chamados adsorvatos, enquanto que a fase
sólida que retém o adsorvato é chamada
adsorvente. A remoção das moléculas a partir da
superfície é chamada dessorção. A migração
destes componentes de uma fase para outra tem
como força motriz a diferença de concentrações
entre o seio do fluido e a superfície do adsorvente.
Usualmente o adsorvente é composto de
partículas que são empacotadas em um leito fixo
por onde passa a fase fluida continuamente até
que não haja mais transferência de massa. Como
o adsorvato concentra-se na superfície do
adsorvente, quanto maior for esta superfície,
maior será a eficiência da adsorção. Por isso
geralmente os adsorventes são sólidos com
partículas porosas.
1

mHAC final(g) 2. A partir dos dados obtidos. foi tomado seis balões volumétricos de 100 ml e foi adicionado as quantidades de acordo com a tabela 1. utilizando como indicador a fenolftaleína -Em seguida realizou-se a mesma titulação com as amostras 2. Para isto. que corresponde a massa que não foi adsorvida pelo carvão ativado. papel de filtro -1 termômetro -200 ml de ácido acético 1 M -500 ml de hidróxido de sódio 1 M -20 g de carvão ativado -fenolftaleína 1 2 3 4 5 6 mHAC inicial(g) 3.6005 0.25.4.37639 0.69897 0.15613 m(g ) 2 2 2 2 2 2 Log[HA C] -0.06005 0.50125 0.08407 1.09608 Procedimento experimental -Colocou-se 20g de carvão ativado num béquer.50 e 50 ml.30025 0.30103 VNaOH( ml) 4. Experimento 5 clique duas vezes aqui para modificar! Resultados e discussão Metodologia Tabela 1-Dados experimentais e calculados Amostra Materiais e reagentes -6 erlenmeyes de 250 ml -6 balões volumétricos de 100 ml -1 pipeta de 10 ml -1 pipeta de 25 ml -1 pipeta de 50 ml -1 béquer de 250 ml -1 funil. respectivamente. usando fenolftaleína como indicador -Com o restante da solução padronizada. que corresponde à diferença entre a massa inicial e a massa final. x= massa do ácido acético adsorvida pelo carvão ativado.30103 0. titulando 25 ml de uma solução de NaOH 1 M.1201 1.21618 0.22149 -1.19216 0.8 -0.8 -1. Foi calculada através de uma titulação com o hidróxido de sódio.Laboratório de Físico-Química 1.69001 0.5 -2 1.3 Onde: mHAC inicial= massa inicial do ácido acético.5 0. Pode-se observar que para as amostras 2 e 6.06005 Tabela 2Dados experiment ais e calculados X Log(x/ m) 0.60206 -1 5.06005 1. Calculado através da fórmula M= n/v.3.8824 3.0025 1.30275 0.1201 0. pôde-se construir o gráfico de log(x/m) em função do log da concentração do ácido acético. -Foi pesado em seis erlenmeyes com rolhas seis amostras de carvão de 2g cada uma -Transferiu-se as soluções preparadas para os erlenmeyes que contêm carvão ativado e anotouse o tempo -Deixou-se a adsorção perfazer-se por 45 minutos. foi preparada seis soluções de 100 ml de ácido acético nas concentrações 0.9 -1. VNaOH= volume gasto na titulação com o ácido acético. a massa final calculada através da titulação com o hidróxido de sódio foi 2 . agitando esporadicamente -Em seguida deixou-se o carvão decantar e filtrouse -Foi tomado 10 ml da amostra 1 e titulou-se com hidróxido de sódio 1M. m= massa do carvão ativado. antes de ser misturado com o carvão ativo. mHAC final= massa final do ácido acético.5 e 6. Girlaine Santos da Silva.25. tomando porções de 10.5 a 00.8015 0. lavou-se com água destilada.52252 -0.40834 0. filtrou-se e foi colocado numa estufa a pelo menos 120◦C por uma hora -O carvão foi retirado da estufa e foi deixado esfriar em dessecador -Preparou-se 200 ml de uma solução de ácido acético 1 M e padronizou-se.1 M.

quando n está entre 1 e 10.30103 -1.149 k= 0.15 -1.5 R² = 0.Dados para o gráfico Log(x/m) Log[HAC] -1. Experimento 5 clique duas vezes aqui para modificar! maior que a inicial. Log(x/m) em função do log da concentração Referências Através da equação obtida.149 Relacionando a equação de Freundlich com a equação da reta. Segundo a literatura.95 -2 Log[HAC] Gráfico 1.37639 -1. Porém. esses dois valores foram eliminados.93 logk= b k= 10b k= 10 −1. obtendo-se um valor de x negativo. tem-se que: a= 0.22149 -0. significa que há uma adsorção favorável.5 0 -1 f(x) = 0.93. Tabela 3.52252 -1.Laboratório de Físico-Química 1.69897 Isoterma de Freundlich 0 -2 -1. Considerando-se a reta y=ax + b. Girlaine Santos da Silva. 1/n= a n= 1/a n= 4.07 Conclusão Através desse experimento. foi possível analisar a adsorção do ácido acético pelo carvão ativo. para a obtenção do gráfico.203 b= -1. que corresponde a a. pôde-se determinar a constante de adsorção e o valor de n. Através da equação de Freundlich. Isso foi possível através da construção da isoterma de Freundlich. Como o n do experimento analisado corresponde a 4. fato inviável de se ocorrer. Logo. o que pode ter interferido nos resultados. que corresponde a b e o coeficiente da reta.5 -0.30103 -1.2x . tem-se que: log(x/m)= logk + 1/nlogc y= ax + b 3 . Para a obtenção de uma maior correlação entre o log(x/m) e o log da concentração do ácido acético.1.5 -1 Log(x/m) -0. pôde-se determinar os valores da ordenada à origem. pode-se dizer que houve uma adsorção favorável. os valores da amostra 3 também foram eliminados. houve erros na titulação para a determinação da massa de ácido acético final.

.

na indústria alimentícia para remoção de cores. 6. Após. K constante que depende da temperatura e do solvente. 3-Explique o mecanismo responsável pela adsorção A sequência de etapas individuais do mecanismo de adsorção em sólidos porosos começa pelo transporte das moléculas do fluido para a superfície externa do sólido. remoção de corantes para recuperação de solventes. ligando os poros e espaços capilares do sólido. Também dá uma estimativa da quantidade máxima de soluto que o adsorvente adsorverá e fornece informações que determinam se o adsorvente pode ser economicamente viável para a purificação do fluido.Questões 1-Discuta o valor de n e k calculados O expoente 1/n é adimensional. . temperatura. tratamento de efluentes. de forma quantitativa. filtros e catalisadores de automóveis. como o adsorvente efetivamente adsorverá o soluto. sabores e odores indesejáveis. se a purificação requerida pode ser obtida. como tratamento de resíduos industriais. pois indicam. e está relacionado com a intensidade da adsorção. foi válida usar a isoterma de Freundlich neste experimento? A adsorção do ácido acético em carvão ativado é uma adsorção física. As isotermas de adsorção são curvas extremamente úteis. seguida pelo movimento das moléculas do fluido através da interface. pH. indicando que não houve formação de novas substâncias. 4-Quais os fatores que poderiam influenciar a adsorção? Os principais fatores que poderiam influenciar a adsorção são concentração da solução. pois não ocorre reação química nesse processo. 2-Qual a importância do conhecimento da isoterma de adsorção. pois ela melhor se aplica a fenômenos de adsorção que ocorrem com formação de multicamadas. Foi válida usar a isoterma de Freundlich. estas moléculas do fluido tendem a migrar para os poros e a interagir com os sítios disponíveis na superfície interna. e adsorção nos sítios superficiais externos. pois o ácido acético restante pôde ser titulado com o NaOH. A adsorção do ácido acético em carvão ativado é uma adsorção química ou física? Por que? Segundo sua resposta. tem valor menor do que um. tempo de contato e velocidade de agitação. 5-Discuta algumas aplicações gerais da adsorção Os processos de adsorção são utilizados para várias aplicações.