You are on page 1of 3

O gafanhoto e a cura

Postado em 15 de julho de 2015 por Redação
emmir(1)

Há algumas semanas, orava agradecendo ao Senhor uma grande graça de
salvação e libertação. Pedi-lhe uma passagem que a confirmasse e Ele me
deu o texto em que Joel descreve uma invasão de gafanhotos sobre o povo
infiel, que se converte e ouve do Senhor uma inusitada promessa:

“Eu vos devolverei os anos que o gafanhoto devorou, o yeleq, o hasil e o
gazam, meu grande exército [de gafanhotos] que enviei contra vós”.
Comereis até fartar-vos, louvareis o nome de Iahweh vosso Deus, que vos
tratou de modo maravilhoso, meu povo não se envergonhará nunca mais.
(Joel 2, 25s)

Feliz, comecei logo a imaginar como o Senhor me restituiria tantos anos de
enganos, cegueiras, pecados, como reconstruiria aqueles “anos de
gafanhotos” em minha vida, o tempo que havia perdido, as pessoas que
havia magoado, o mal que eu havia feito, o bem que havia deixado de
praticar. Sabia que, como sempre, Nosso Senhor me surpreenderia, pois Ele
não se deixa vencer em misericórdia e bondade. Não contava, contudo, com
o que me diria a seguir.

Mostrou-me uma planta cuja folha maior havia sido destruída por
gafanhotos. Em sua superfície havia buracos, mordeduras e raladuras.
Perguntou-me, então, como remendaria aquela folha. “Senhor, não sei. Para
mim, isso seria impossível, mas para ti, tudo é possível, inclusive fazer
voltar o passado.”

“Acontece que não sou um Deus de fazer voltar o passado. Veja, com minha
ressurreição e o envio do Espírito Santo, aqueles que creram tornaram-se
novas criaturas, não criaturas remendadas.”

Na mesma planta que me havia mostrado, começou a surgir outra folha:
novinha em folha, verdinha, saudável, viçosa. Nosso Senhor, então, me
explicou que era essa a Sua obra: fazer novas todas as coisas, não
remendar as velhas. Em meu orgulho e presunção, na mania de querer
mandar em minha vida, eu poderia até querer que o passado fosse
reconstruído, remendado, mas não era essa a forma de Ele agir. A própria
história da salvação comprova isso. Ele é o Senhor da vida ressuscitada, da
vida nova. É o Senhor que descongela o rio do passado e o faz correr, cálido
e fecundo, para uma vida nova e para a feliz eternidade. É o Senhor das
folhas vivas, novas, sadias.

tolice.Caí em mim. Percebi o quanto insistimos com o Senhor sobre refazer. a oportunidade nova que Nosso Senhor nos dá. com a graça de Deus. totalmente melhor. É a folha nova. ou seja. Daí – triste realidade! – provavelmente o viveria do mesmo jeito. Seria. Antes sofrido e voltado para nós mesmos. somos novas criaturas.comshalom. Grande presunção achar que faria tudo diferente! Sabemos que do ponto de vista do tempo. podemos – devemos! – pedir-lhe que o ordene para o amor. fé. Como diz Eclesiastes. Entretanto. graça da salvação. para o Evangelho. divinizado. paciência. que o modifique. como aprendizado para o presente com vistas ao futuro. “nunca mais nos envergonhará”. “vaidade das vaidades”! Na verdade. Para que ele voltasse. transformado em algo totalmente novo. pensamentos. ele me pertence como passado e não como presente! Pertenceme para que o utilize como “matéria prima”. elevado. pedir a Deus que reconstrua nosso passado.org Entrelinhas da Revista Shalom Maná (edição outubro de 2011) 8 . todas frutos da lei da caridade. pois o presente acaba de passar e o futuro ainda não chegou. o passado mal vivido não é remendado – correríamos o risco de colocar remendo novo em pano velho! – mas renovado. portanto. que o faça funcionar segundo as leis do amor e gere em nós humildade. Pelo arrependimento. No máximo. passa a ser. as mesmas pessoas. Como desejamos que o tempo retroceda para que vivamos bem o que havíamos vivido mal. o passado é o único tempo que me pertence. Maria Emmir Oquendo Nogueira TT @emmiroquendo Facebook/ mariaemmirnogueira Coluna da Emmir – www. tolerância. reconstruir o nosso passado. mentalidade. agora. confissão. os mesmos sentimentos. para a vida eterna. tendo por alvo o céu. a graça nova. nascidos de novo e o gafanhoto. teria que ter a mesma idade. exatamente as mesmas circunstâncias. totalmente diferente. esperança. apontado para o outro. É então que se dá o milagre: segundo as leis do amor de Deus. “orgulho dos orgulhos”. cheio de esperança e voltado para o amor. graça de Deus. a vida nova.

Share 1.53k Share Share Share .