You are on page 1of 9

Escalas maiores , Henarmônicas, e Armaduras de Clave(decorando acidentes

de todas as escalas mais facil)

FORMAÇÃO DE ESCALAS MAIORES
As escalas maiores não são nada mais do que uma réplica do que
conhecemos como "do ré mi fa sol lá si do" (ou escala maior de Dó) porém
em outras regiões podendo ser mais agudas. Para que isso funcione é
necessário a analise de como é construída a escala de Dó, e então copiar sua
estrutura para os outros tons(regiões, notas) que desejamos utilizar em uma
música. Observe :

Mi

Sol

Si

1° Que o que conhecemos por Dó maior, inicia sua escala com a nota que
nomeia a mesma "Dó" passa pelas outras 6 notas(completando 7) e finaliza
com a repetição da nota Dó, em uma região mais aguda ,como 8° nota da
escala. Assim deve acontece com todas outras escalas! Ex:
RE

MI

FA

SOL

LA

SI

DO

MI

FA

SOL

LA

SI

DO

RE

MI

Sol

LA

Si

Do

Re

Mi

Fa

Sol

Obs: A 1° da escala é chamada de tônica pois vai definir a tonalidade da sua
escala.

2° Note que existe uma existe uma distância especifica entre as notas que
se sucedem dentro da escala padrão de Dó maior:


Tom

Mi


Tom

Sol

Semi-Tom


Tom

Si


Tom

Tom

Semi-Tom

tom. tom. semi tom. (Ou seja segue a ordem: tom. aumentaremos a distancia entre ele e a 6° (mi) para tom e diminuiremos a distancia entre ele e a (8°) para semi-tom. E para isso seram necessário inserir acidentens(# ou b) para que a escalas permaneçam em tal proporção. tom. semi-tom. semi-tom. lá (6°)para si(7°) . tom. si (7°)para dó(8°) . e a (7°) e (8°) estabeleceram uma distância de tom quando deveriam ser semi-tom. Para arrumarmos isso vamos reduzir o intervalo entre a 3° e 4° e aumentar entre a 4° e 5°. O intervalo entre a 6° nota (mi) e a 7°(fá) estabeleceram uma distância de semi-tom. tornando a escala enfim maior! Sol Lá Si Tom do Tom ré Semi-Tom mi Fa# Tom Tom Sol Tom Semi-Tom Veja outro Exemplo: Fa Sol Tom Lá Tom Si Tom do Semi-tom ré mi Tom fa Tom Semi-Tom Neste caso ficou : tom. semi-tom. tom. semi tom. diminueros o espaço entre ela é a 3° para tom e aumentaremos o espaço entre ela e a 5° para semi-tom. ré(2°) para mi(3°) Tom. tom. 3°(lá) para 4°(si) ficou com interva-lo de tom. semi-tom. fá (4°)para sol(5°). semi-tom. Veja: Sol Lá tom Si ´ tom dó ré semi-tom mi Tom fá Tom Sol semi-tom Tom Verifique que sem acidentes a escala ficou nesta ordem : tom. 1° nota(dó) para 2° nota(ré).Por tanto temos uma distância de. tom . quando deveriam estabelecer uma distância de tom. sol (5°)para lá(6°). tom . semi tom. Tal distância deve acontecer da mesma forma em todas as escalas. tom . tom. tom. semi-tom. tom. tendo então o efeito que desejamos de escala maior. tom. . Colocando um bemol na 4° nota. tom. mi (3°)para Fá(4°) semi-tom.semi-tom) . tom. tom . semitom. tom . Colocando um Sustenido no Fá(7°) neste caso especifico. quanddo deveria ser: tom. tom sendo que deveria ficar como : tom. tom .tom. tom .tom. tom . semi tom. quando deveria ser ao contrário. e 4°(si) para 5°(do).tom.

após a 5° do Sol. La#. Escalas hernarmônicas e ciclo das quintas: Ao formular todas as escalas com sustenidos teremos a seguinte sequência: do = 0# Sol = 1# = Fá# Ré = 2# = Fá# Do# Lá = 3# = Fá#. Ré com uma escala de dois sustenidos e assim sucessivamente. Do#. Sol#. que sempre que forém utilizados # não poderam ser utilizados b para fazer uma escala maior. Teremos todas as notas com sustenidos. Ré#. e notas com dobrado sustenido. Ré#. Si# É possível notar que existe apenas uma escala com um sustenido. Lá#. Sol#. La# Fá# = 6#= Fa#. Do#. tudo sustenido e fá## do##. Mi#. depois a 5° de Dó. Lá#. tudo sustenido e fa ##. Então ao invés e utilizarmos as escalas Maiores nas tonalidades de Sol#. Re#. Ré#. um com 2 e assim por diante. Si#. Re#. Mi#. Do#. Sol#. Dó com nenhum sustenido. Si#. Do#. percebe-se que temos um ciclo de quintas. Mi#. e vice-versa. LEMBRANDO. chegando em Do# que terá todos as notas sustenido. Sol#. Re#. Sol#. podendo ser utilizado quantos acidentes (# ou b) tiverem que ser utilizados para chegar na mesma. . Sol# Mi = 4# = Fá#. La#. o Sol com 1 sustenido. Re# Si = 5# = Fa#. uma escala maior deve ser completado ou apenas com # ou apenas com b. OBSERVAÇÃO. porém trabalhar com uma escalas com acidentes dobrados seria muito dificil e ilégivel em escrita. Do#. Mi# do# = 7#= Fa#. Seguindo essa sequência é possível perceber que ao formular as escalas maiores seguintes : Sol#. Observando a sequência em ordem crescente.Fá Sol Lá Tom Si b Tom dó Semi-Tom ré mi Tom fá Tom Tom Semi-Tom Este procedimento pode ser feito com todas as notas para encontrar suas respectivas escalas maiores.

Por exemplo: Em um intrumento temperado como Piano ou Violão. Mi Maior. Ré#. Do# Maior. portanto. Escalas henarmônicas. para que não seja necessário repetir toda vez o mesmo acidente. Lá#. Sol Maior.usamos as escalas henarmônicas de Sol#. Réb Maior. e teremos o mesmo som de Sol# e uma leitura mais fluente e simples. Ex: . LabMaior. ARMADURAS DE CLAVE As Armaduras de clave são uma indicação de todos os acidentes da escala que será utilizada em uma música. representam a mesma tecla ou corda do instrumento. simplificando a escrita e também simplificando a leitura. Fa#. Dob Maior. Está situação ocorre com as seguintes escalas: Sol# = tocasse Lab Maior Re# = tocasse Mib Maior La# = tocasse Sib Maior Mi# = tocasse Reb Maior Si# = tocasse Dó Maior Obedecendo essa regra. Maior. Podemos escrever músicas em todas tonalidades maiores desejadas e necessárias. e utilizando as escalas maiores de Do Maior.Mib Maior. são escalas que possuem nomes diferentes porém possuem o mesmo som dentro das regras de temperamento ocidental. escrevemos dentro do padrão da escala de Lab. pois assim o músico saberá em qual tonalidade estará trabalhando ao tocar uma música . Ela aparece depois da Clave utilizada em uma partitura e antes da fórmula de compasso. possuí menos acidentes que Sol#. Si#. A escala de láb. Fá Maior. Si Maior. Sib Maior. La Maior. Mi#. Sol# e Lab possuem o mesmo som no piano. Ré Maior. Então ao invés de escrevermos em Sol#.

que vai nos ajudar inclusive a decorar os acidentes de todas escalas maiores. La#. Sol#. Mi# Mib. Re#. Para entender esses padrões. o mesmo ocorre no Bemol. Mib. Re# Reb Si = 5# = Fa#. Do#. Reb. apenas 1 com1 bemol. Reb. Solb. começando por Dó com nenhum sustenido. Mi#. La#. Re#. Si# Mib. Reb. Sol#. Do#. uma escala com 2 sustenidos. Reb = 5b = Sib. é legal observar que ao formular todas as escalas maiores teremos as seguintes situações: Sustenido Bemol Sol = 1# = Fá# Fá = 1b = Sib Ré = 2# = Fá# Do# Si= 2b = Sib. Sol#. Dob do# = 7#= Fa#. Mib.. Re#. Mib Lá = 3# = Fá#. Mib. fab Mib = 3b = Láb = 4b = Sib. Do#. Do#. Sol# Sib. Do#. Sol#.Para colocar uma armadura de clave é necessário seguir certos padrões de notação musical. Observando a sequência em ordem crescente. Solb Fá# = 6#= Fa#. La# Lab. no sentido horário temos a 5° .(como já dito) percebe-se que temos um ciclo de quintas. Solb = 6b = Sib. Observe que existe apenas uma escala com 1 sustenido. Dob. Solb. dob = 7b = Sib. Lab. Lab. e assim por diante. Láb Mi = 4# = Fá#. Lab. apenas 1 com 2 bemóis e etc.

solb.ascendente de Dó. fá 1 bemol . devemos seguir está ordem crescente em que os acidentes aparecem fomando o tal ciclo das quintas. Dó nenhum bemol. dob. após a 5° do Sol. Mib . Observe a Imagem: Ao se colocar os sustenidos ou Bemóis em uma armadura de clave. o Sol com 1 sustenido.Em sentido anti-horário . Ré com uma escala de dois sustenidos e assim sucessivamente. réb. Láb. . a quinta descendente de dó. e o inverso para Bemol: Sib. Ficando para sustenidos a ordem de acidentes: Fa# Do# Sol# Re# La# Mi# Si#. temos a mesmo ordem mas com bemol. a 5° descendente de fá. Sib. fab. 2 bemol e novamente assim por diante.

Pense na ordem (FA# DO# ). Outro Exemplo você quer Dó# Maior. Neste caso FA# DO# SOL# RE# LÁ# MI# SI#. SOL# RE# LÁ# MI# SI# Para Bemol: Para decorar a ordem dos bemóis e as escalas as quais pertencem basta pensar na ordem dos sustenidos porém de forma invertida: FA# DO# SOL# RE# LÁ# MI# SI# . exemplo: SOL. então pense qual nota antecede Sol? Fá.Para decorar de forma facil os acidentes de todas as escalas basta decorar então para sustenidos: FA# DO# SOL# RE# LÁ# MI# SI# Quando desejarmos saber quais acidentes pertencem a uma determinada escala . pense em qual escala quer. copie todos os sustenidos que existirem de Si para trás na ordem em que aparecem. neste caso somente o próprio Fa#. Qual nota Antecede Dó ? Si. agora lembre da ordem decorada(FA# DO# SOL# RE# LÁ# MI# SI# ) copie todos os sustenidos que existirem de fá para trás.

Neste caso irei até o Fab. Outro exemplo: Quero Dob Maior. A forma de descobrir a quais sustenidos pertence a qual escala também muda! Uma coisa que temos que saber é que FA sempre vai ter apenas um bemol. serão os acidentes pertencentes a escala da tonalidade escolhida Réb Maior. pense na tonica que deseje. pense na ordem SIb MIb Láb Réb Solb Dob Fab siga até 1 acidente depois da tonalidade desejada e copie ele e todos os outros acidentes na ordem para ter os acidentes para a tonalidade bemol desejada. Dob Maior. pertenceram a armadura de clave de Dob Mario. Solb e todos os acidentes anteriores a Solb. . o Fab e todos acidentes anteriores a ele. ou seja vou seguir até Solb. vou lembra da ordem: SIb MIb Láb Réb Solb Dob Fab e vou chegar um acidente depois da nota da escala escolhida . o SIb e a tônica das outras escalas vão sempre ser em bemol. Para descobrir os acidentes da escala bemol desejada. então vou lembrar a ordem : SIb MIb Láb Réb Solb Dob Fab e vou seguir pelo menos um acidente depois da minha tônica Réb. Exemplo: Quero Réb.SIb MIb Láb Réb Solb Dob Fab Veja que SIb MIb Láb Réb Solb Dob Fab é exatamente o inverso da do que acontece nos sustenidos.