You are on page 1of 2

Aluno: Artur Alberti Vertuan RA: 1432044

RESENHA: Feiticeiros e Aprendizes - Capítulo 18.
O texto é responsável por levantar os aspectos históricos e geopolíticos focados
na consquência da tecnologia. Primeiramente, para uma breve noção, vemos o
crescimento exponencial dos cientistas na medida em que o século XX progredia,
sendo que em seu início, havia a marca de apenas alguns milhares de pesquisadores ao
longo do globo, com o tempo, já com meio século adiante, a marca subiu rapidamente
para a casa de milhões ( 1 milhão de cientistas apenas nos EUA, 1,5 milhões de
cientistas na URSS e um grande foco também localizado na Europa), durante esse
período, os governos passam a investir abertamente grande parte de seus orçamentos em
prol da tecnologia ( dois terços dos orçamentos federais de países desenvolvidos são
focados apenas a isso), graças a essa condição que os países desenvolvidos se
encontravam, também é notório citarmos a consequência de países em desenvolvimento
perdendo seus pesquisadores, o fenômeno que ficou conhecido a partir de então como
''fuga de cérebros'', sendo ela uma consequência principalmente da falta de investimento
do país natal ou por questões de crises políticas-culturais. Os cientistas sempre
apresentaram-se como uma classe compostas por uma minoria, embora sempre foram
necessários para a humanidade,

desde o século XVII, a burguesia era altamente

dependente de engenheiros e inventores para o enriquecimento próprio dos donos dos
meios, também em séculos posteriores, vemos grandes soluções por parte dessa classe
minoritária possibilitar uma vida mais tranquila e com mais direitos ao civil comum
( um dos exemplos, seria a própria Índia, cujo país dominado por um clima desértico,
teria um solo improdutível e com mínimas condições de suportar a grande densidade
demográfica que possui hoje caso não houvesse a inovação tecnológica e o emprego
prático, seja por meio da mecanização da agricultura, ou por facilitação no escoamento
de alimentos entre estados ou países). Além do impacto social trazido por cientistas, um
fato curioso foi relatarmos a situação da Guerra Fria, Estados e URSS estavam
divididos entre duas potências que regiam o mundo, uma das maneiras buscadas entre as
potências de competirem foi através da ciência, essa época marcou o alastramento de
cientistas entre as duas potências ao mesmo passo marcou uma disputa envolvendo o
orgulho entre os pesquisadores, fato esse que poderia ter sido evitado, cujo talvez
poderia facilitar a troca de informação entre ambos os países e acelerar ainda mais o
avanço tecnológico da época, ao invés de uma separação bipolarizada onde não se havia

como o exemplo o próprio celular. há um total desinteresse de um leigo em saber como a teoria científica funciona no aparato tecnológico em que está manipulando. cujo o termo mais apropriado seria de ''alienação tecnológica''. Outro aspecto importante de levantar-se sobre a relação de pesquisa e pesquisadores. seja algo totalmente desinteressante a pessoa. uma vez que o simples toque de um botão ou o seguimento de um procedimento lógico basta para a pessoa comum operar o que ela busca. é de um fenômeno decorrente principalmente nos dias atuais. deixando-se de lado todo o esoterismo e teoria aplicada.troca de informações entre ambos os lados. neste caso. onde o homem ''deixa de dominar a matéria''. neste fenômeno. porém. . cujo comandos simples e entendíveis a qualquer um é usado massivamente. a teoria sobre como os capacitores e os circuitos operam em série a fim de que a lógica binária traduz a linguagem de máquina em algo que o operador deseja que o celular execute. vemos uma distante relação entre cientistas e um civil comum (embora a aplicação de uma ideia tecnológica seja imediata comparada aos anos passados).