GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO RURAL DO AMAPÁ
=RURAP=
SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO RURAL
=SDR=

PLANO DE AÇÃO LOCAL – 2009 –

PEDRA BRANCA DO AMAPARI

PEDRA BRANCA DO AMAPARI / 2008

01 - INT RODUÇÃO

Nos últimos anos surgiram várias expressões no ramo da agricultura familiar: agro-ecologia,
manejo sustentável, produção orgânica, sistemas agroflorestais, Permacultura, esses conceitos são
usados rotineiramente, mas poucas vezes são diferenciadas, embora se trate de temas totalmente
distintos, descrevendo filosofias, princípios e sistemas de produção.

Pesquisadores afirmam que o aspecto mais complexo e transversal seja o da agro-ecologia. Pois
a mesma pode ser entendida como uma filosofia de como produzir em harmonia com a natureza,
incorporando e respeitando todos os seres vivos (não somente os “úteis”) as plantas, os animais e os
homens, assim como os elementos naturais, que inclui o ar, a água e a terra, entretanto os extensionistas
que não se adequarem a nova conjuntura produtiva, tornando-se apenas meros repassadores de
tecnologias , através de projetos cujo dimensionamento não representarem os anseios da nova
sociedade e somente do capital, estarão fadados ao fracasso juntamente com seus clientes
beneficiários.
O presente plano propõe uma ATER onde as intervenções se façam de forma participativa,
contemplando o conhecimento local e a analise dos agros-ecossistemas facilitando o surgimento de
soluções ajustadas a cada realidade, daí o conceito de Extensão rural agro-ecologia, a qual advoga um
novo compromisso com os beneficiários e com os resultados de sua intervenção, buscando-se a
integração das dimensões sócio-econõmico-ambientais. Com a ética e a política cultural, na perspectiva
da sustentabilidade.

02 - JUSTIFICATIVA

No setor produtivo agrícola do município de Pedra Branca do Amaparí, destaca-se a agricultura
de subsistência com o cultivo de produtos como: mandioca, arroz, feijão caupi, cultivos estes com o
mínimo de aproveitamento da madeira, aumentando a cada safra colhida as áreas de capoeiras, as
vezes substituídas por pastagens e em menos intensidade por culturas perenes como: banana, cupuaçu,
graviola, laranja, acerola, manga e outras, sem que haja um planejamento da propriedade como um todo,
com ausência de políticas públicas adequadas ao desenvolvimento local sustentável, o que têm
contribuído de maneira decisiva para a redução da qualidade de vida dos produtores rurais
Amaparienses.
Diante do quadro atual pretendemos implementar políticas públicas baseados em diagnósticos já
elaborados pela comunidade local (Plano municipal de desenvolvimento Rural de Pedra Branca) no
sentido de promover o desenvolvimento social, econômico e ambiental, envolvendo os poderes públicos
nas esferas Municipal, Estadual e Federal, tendo a consciência das enormes dificuldades, mas também
sabendo do imenso potencial que dispomos, é neste contexto que estaremos trilhando nossas ações no
caminho do desenvolvimento sustentável.

03 - OBJETIVO GERAL

Promover a melhoria da qualidade de vida dos agricultores familiares do município de Pedra
Branca do Amaparí através de políticas públicas, participativas em consonância com os aspectos sociais,
econômicos e ambientais.

2.1 - OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Promover o manejo florestal sustentável com o Máximo de aproveitamento dos recursos
naturais existentes.











Fortalecer o trabalho social nas comunidades rurais, através das organizações civis e
grupos solidários existente no município.
Incentivar as atividades parceiras entre indivíduos, grupos, comunidades, etc.
Acessar as múltiplas linhas de crédito rural destinado ao setor primário, como forma de
propiciar sustentabilidade nas atividades econômicas e sociais do setor.
Fortalecer de maneira decisiva as organizações dos produtores, quer seja de maneira
Econômica, Social, Política e Gerencial.
Utilizar o Crédito Rural como instrumento viabilizador, capaz de melhorar as condições
sócias, econômicas e ambientais dos produtores e suas famílias;
Melhor assessoramento ao produtor rural na adoção de tecnologias apropriadas a sua
realidade;
Promover a diversificação alimentar com a implantação de hortas, pomares domésticos,
criação de pequenos animais e com o aproveitamento dos produtos naturais disponíveis na
propriedade;
Despertar o interesse para a agricultura orgânica, orientando a produção e o uso de
composto orgânico e dos defensivos caseiros;
Dar continuidade e incentivar novas áreas de Sistemas Agro- florestais - SAF’S;
Orientar pequenos criadores nas práticas de sanidade animal e manejo do rebanho;
Orientar o agricultor a manejar a terra já desmatada, evitando assim a agricultura itinerante;

04 - ESTRATÉGIAS DE AÇÃO

A equipe técnica local será subdivida, ficando cada técnico responsável pelo atendimento de
suas comunidades, baseando suas ações no plano comunitário desenvolvido conjuntamente com os
moradores locais (Plano de comunidade), mas integrados entre si formando uma equipe coesa na busca
dos objetivos traçados, no uso de diversas metodologias de ATER, como dia de campo, cursos, visitas,
demonstrações de métodos, palestras, implantação de unidades demonstrativas etc, priorizando o
atendimento coletivo e organizado, através de programações mensais bem definidas, ficando a
coordenação das ações no escritório local situado na sede do município, contando ainda com uma base
física na comunidade de Sete-Ilhas para minimizar os custos financeiros e de deslocamentos.
A sede dispõe de 01 microcomputador, dois Fiats uno e 3 motocicletas para suporte nas ações
de ATER, buscando sempre proceder a monitoria e avaliação efetuando o replanejamento das
atividades procedendo as devidas adequações quando necessárias no sentido de que seja alcançado os
objetivos almejados.

05 - ASSISTENCIA GRUPAL

COMUNIDADE

SIGLA

Nº DE SOCIOS

ATRA

15

Associação dos Trabalhadores de Arrependido.

APASSC

20

Ass. dos Produtores de São Sebastião do Cachaço.

Centro Novo

APCN

23
150

Pedra Branca

COOPERNORTE

Ass. dos Produtores de Centro Novo.
Cooperativa Agro-extrativistas dos Produtores Rurais da Comunidade de Pedra
Branca.

Arrependido
São S. do Cachaço

NOME DA ENTIDADE

Água Fria

AMPAAF

93

Sete Ilhas

APRCSI

28

Associação de Moradores e Produtores Agro-extrativistas de Água Fria e
Arredores.
Associação de Produtores Rurais de Sete Ilhas

Munguba

APRAM

90

Associação dos Produtores do P.A Munguba

Munguba

ATRAM

30

Associação dos Trabalhadores do P.A Munguba

Munguba

AAGAM

60

Associação de Agricultores do P.A Munguba

Cachorrinho
Riozinho

AEFAPEN
AMPCR

150
15

Associação da Escola Família Agrícola da Perimetral Norte.
Associação Mulheres Produtoras da Comunidade de Riozinho

Pedra Branca

AAPRAP

40

Associação Agro-Extrativista dos Produtores do Amapari.

06 COMUNIDADES DE ATUAÇAO


01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11
12
TOTAL

COMUNIDADES
PEDRA BRANCA (Linhas: A, B, C, D, E Travessão da
linha E, Travessão do Água Fria) e Porto Alegre
MUNGUBA
CACHORRINHO
XIVETE
ARREPENDIDO
CENTRO NOVO
SÃO S. DO CACHAÇO.
RIOZINHO
SETE ILHAS
NOVA DIVISÃO
TUCANO I
TUCANO II

FAMILIAS

DISTANCIA DA SEDE LOCAL

153

De 01 a 15 km

100
23
25
15
40
40
20
50
15
25
55

15 km
12 km
1:00 horas de rabeta
08 km
20 km
40 km
50 km
60 km
65 km.
75 km
85 km

557

-

07 PEDRA BRANCA (Linhas: A, B, C, D, E Travessão da linha E, Travessão do Água Fria) e Porto Alegre

07.1 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADE
- Horticultura: Acompanhamento nas atividades
da horta comunitária do grupo solidário da linha
“B” 10 famílias.
- Legislação ambiental: Orientação e
preenchimento de formulário do uso racional
do solo
- Horticultura: Implantação de horta Escolar na
Comunidade de Água Fria.

MÉTODOS
VISITA

DM

REUNIÃO

PALESTRA

X

X

X

X

X

X

X

X

- Cultura da Pimenta-do-reino: Implantação de
projeto para 11 famílias do (grupo solidário da
Linha “C”).
- cultura do Açaí: implantação de projeto para
16 famílias (COOPERNORTE).
- Cultura do Açaí: Implantação de Projeto para
12 famílias. (Grupo solidário de Porto Alegre).

X

X

X

X

X

X

X

X

X

- Plantio: Distribuição de Sementes de Milho,
arroz e feijão.
Credito Rural: Vistoria técnica e elaboração de
laudos em 05 projetos do PRONAF “A”

X
X

X

X

EXCURSÃO

CURSO

UD

Mutirão CAMPANHA P. DE RÁDIO
X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

07.2 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADES

MÉTODO

Horticultura:
Orientação
e Visitas
acompanhamento de: demarcação e
DM
Levantamento de canteiros, leiras e
adubação, semeio, transplante, repicagem,
plantio direto, adubação de cobertura e Mutirão
monitoramento de pragas e doenças. .
- Palestra sobre desmatamento e uso
Palestra
racional do solo.
- Horticultura: Implantação de uma horta
VISITA
escolar Comunidade de Água Fria;
Curso
Acompanhamento de implantação:
levantamento de canteiro, leira,
Palestra
coveamento, adubação, de covas e
adubação de covas, semeio, repicagem,
adubação de fundação e cobertura.
DM e
Levantamento de canteiro leira e
MUTIRÃO
acompanhamento da implantação; de
canteiro, implantação de canteiro,.
- Cultura da pimenta-do-reino: Limpeza da
DM
área, demarcação de cova, coveamento, Curso
adubação de fundação, plantio, adubação
de cobertura, poda e controle de pragas e Mutirão
doenças.
- Cultura do Açaí: Preparo de Área,
DM

QUANT 1º TRIMESTRE
.
JAN FEV MAR
30
X
X
X
04
X
05

2º TRIMESTRE
3º TRIMESTRE
4º TRIMESTRE
ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X

X

X

02
20

X

01

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

x

06

X

04

X

02

X

05

X

X

X

X

X

20
01

02

X

30
04

02

X

02
01

X

TOTAL

X

X

X

02

X

X
X
X

05

02
01

X
X

X

X

04
02

demarcação de cova, Adubação, plantio, Curso
limpeza e adubação de cobertura.
Visitas e
Mutirões
- Cultura do Açaí: Preparo de Área,
DM
demarcação de área, adubação, plantio,
Mutirão e
limpeza e adubação de cobertura..
Visitas

01

- Distribuição de sementes: Distribuição de Reunião
1.722 kg de semente de arroz, 1.012 kg de Visitas
semente de milho e 434 kg de feijão.
Contatos
Orientação de plantio.
- Credito Rural: Vistoria técnica e emissão
Visitas
de 20 laudos técnicos.

X

25

X

02

X

30

X

X

X

03
40

X
X

X
X

X
X

X

50

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

20

X

X

X

X

X

01
X

X

X

X

X

X

X
X

X

X

25
02

X

X

X

X

X

X

30
03
40

X

50
20

07.3 PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS

UNIDADES PRODUTIVAS DA CULTURA DO AÇAÍ
GRUPO DE PRODUTORES RURAIS DE PORTO ALEGRE/Recurso do Fundo Municipal de Desenvolvimento Comunitário –
CMDC – PEDRA BRANCA
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11
12

Antonio Lopes da Silva
Laudo Ferreira Barbosa
José Matias Braga de Oliveira
Denise Farias do Nascimento
Edgar do Nascimento
José Alfaia Ferreira
Daniel Braga de Oliveira
Manoel Ferreira Aguiar
Reginaldo Ferreira Aguiar
Matias Souza Corrêa
Josias Farias do Nascimento
Getulio Braga de Oliveira

07.4 PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS

01
02
03
04
05
06
07
08
09
10

HORTICULTURA
Grupo de Produtores Solidários da Linha “B” Recurso Mineração Anglos Ferro do Brasil.
Nelma Souza Miranda da Silva
Noelma Souza Miranda
Nelielma Miranda dos Santos
Kátia Regina Ferreira Corrêa
Walter Pereira Moura da Silva
Abraão Góes dos Santos
Elói Vieira Nunes
Ronaires Miranda Santana
Ronailton Miranda Santana
Lucivaldo Góes dos Santos

UNIDADES PRODUTIVAS DA PIMENTA-DO-REINO
Grupo de Produtores Solidários da Linha “C” Recurso/ Ministério Publico estadual – Promotoria de Justiça
de Serra do Navio
01 Carlos Alberto de Oliveira Junior
02 Jonas Cardoso de Moraes
03 Josaniel Gomes de Jesus
04 Aldecir Marques de Oliveira
05 Alcir Marques de Oliveira
06 Eusebio Monteiro da Costa
07 Josemar Gomes de Jesus
08 Josenir da Silva Costa
09 Francisco Fontineli de Araújo
10 Alcides Ferreira Batista
11 José Ribamar Alves da Costa
UNIDADES PRODUTIVAS DA CULTURA DO AÇAÍ
COOPERATIVA DE PRODUORES DA PERIMETRAL NORTE/ Recurso Ministério Publico estadual –
Promotoria de Justiça de Serra do Navio
01 Antonio Vicente das chagas
02 Antonia Almeida Cruz
03 Alcides Gouveia Rodrigues
04 Anacleto Gomes da Silva
05 Deuselino Fontineli de Araújo
06 Edilene Rodrigues de Almeida
07 Francisco Rodrigues dos Santos
08 Francisco Alves da Silva
09 Josué Dimas Nunes
10 José da Silva Ribeiro
11 Nelielma Miranda dos Santos
12 Manoel das Graçs Pastana
13 Vicente da Silva Souza
14 Raimundo Martins Souto
15 Pedro da Silva Cunha
16 Sanclé Ferreira Ramos
IMPLANTAÇÃO DE HORTA ESCOLAR/Recurso Mineração Anglo Ferros do Brasil

Escola Estadual de Água Fria

08 COMUNIDADE DE RIOZINHO

08.1 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADE

M
VISITA

Cadastrar as unidades produtivas das famílias
beneficiárias existentes na comunidade;

X

Elaboração de cadastros pronaf –A;
Elaborar levantamento de campo para projetos
a serem financiados;
Elaboração de projetos (Pronaf –A);
Elaboração de laudos de assistência técnica

X
X

REUNIÃO

PALESTRA

X

X

X
X

Incentivar a organização rural através
associação de mulheres existente na
comunidade
Orientar as famílias na aderência de benefícios
sócias junto à previdência social;
Informar aos agricultores sobre a política de
crédito rural;
Elaboração de projetos comunitários para a
comunidade;
Apoiar no gerenciamento das ações da
associação existente
Acompanhamento técnico na implantação do
projeto de casa de farinha semi - mecanizada

DM

X
X
X

X
X

X

X

É

T O

EXCURSÃO

D O S
CURSO

UD

Mutirão

CAMPANHA

P. DE RÁDIO

08.2 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADES

MÉTODO

QUANT 1º TRIMESTRE
.
JAN FEV MAR

Cadastrar as unidades produtivas das
famílias
beneficiárias
existentes
na Visita
20
comunidade;
Elaboração de cadastros pronaf –A;
Visita
02
Elaborar levantamento de campo para Visita
02
projetos a serem financiados;
Elaboração de projetos (Pronaf –A);
Visita
02
Elaboração de laudos de assistência técnica Visita
08
Incentivar a organização rural através
Reunião/p
associação de mulheres existente na
03
alestra
comunidade
Orientar as famílias na aderência de
Palestra
01
benefícios sócias junto à previdência social;
Informar aos agricultores sobre a política de
Palestra
01
crédito rural;
Elaboração de projetos comunitários para a Visita/reun
06
comunidade;
ião
Apoiar no gerenciamento das ações da
Reunião
06
associação existente
Acompanhamento técnico na implantação do Visita/reun
08
projeto de casa de farinha semi - mecanizada ião

2º TRIMESTRE
3º TRIMESTRE
4º TRIMESTRE
ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

X
X

20
X

02
X

02

X

02
08

X
X

X

X

X

X

01
X

X

X

X

X

X

X

03

X

X

TOTAL

01
06

X
X

X

X
X

X

X
X

X

X

06
08

08.3 PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS


01
02

TIPO DE
FINANCIAMENTO
Bovinocultura
Bovinocultura

NOME
Abílio Carlos Batista
Jairo Marques de Souza Alencar

08.4 CAPACITAÇÃO DE AGRICULTORES

DISCRIMINAÇÃO
02 PRODUÇÃO DE FARINHA DE MANDIOCA

LINHA DE CRÉDITO
PRONAF - A
PRONAF - A

09 COMUNIDADE DE SETE ILHAS

09.1 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA
M
ATIVIDADE
Cadastrar as unidades produtivas das famílias
existentes na comunidade;
Elaboração de cadastros pronaf –A;
Elaborar levantamento de campo para projetos
a serem financiados;
Elaboração de projetos (Pronaf –A);
Incentivar a organização rural através da
Associação de produtores rurais existente.
Orientar as famílias na aderência de benefícios
sócias junto à previdência social;
Informar aos agricultores sobre a política de
crédito rural;
Implantação do projeto comunidades duráveis;
Elaboração de projetos comunitários para a
Associação de produtores existente
Apoio no gerenciamento das ações da
Associação de produtores rurais existente
Orientar e acompanhar a implantação da casa
de farinha semi – mecanizada da associação de
produtores rurais existente
Implantar em parceria com o ministério publico e
APRCSI 15 unidades de produção com a cultura
do açaí na comunidade de Sete Ilhas.

VISITA

DM

REUNIÃO

PALESTRA

É

T O

EXCURSÃO

D O S
CURSO

UD

X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X

X

X

X

Mutirão

CAMPANHA

P. DE
RÁDIO

Criação de uma gincana estudantil rural
Implantação de um viveiro de mudas de banana
em parceria com APRCSI/EFAPEN

X
X

09.2 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADES

MÉTODO

Cadastrar as unidades produtivas das
Visita
famílias existentes na comunidade;
Elaboração de cadastros pronaf –A;
Visita
Elaborar levantamento de campo para Visita
projetos a serem financiados;
Elaboração de projetos (Pronaf –A);
Visita
Incentivar a organização rural através da Reunião
Associação de produtores rurais existente.
Orientar as famílias na aderência de
Palestra
benefícios sócias junto à previdência social;
Informar aos agricultores sobre a política de
Palestra
crédito rural;
Implantação do projeto comunidades
UD
duráveis;
Elaboração de projetos comunitários para a
Reunião
Associação de produtores existente
Apoio no gerenciamento das ações da
Reunião
Associação de produtores rurais existente
Orientar e acompanhar a implantação da
Visita/reun
casa de farinha semi – mecanizada da
ião
associação de produtores rurais existente
Implantar em parceria com o ministério
publico e APRCSI 15 unidades de produção Visita/reun
com a cultura do açaí na comunidade de ião
Sete Ilhas.

QUANT 1º TRIMESTRE
.
JAN FEV MAR
50

X

X

20

X

X

2º TRIMESTRE
3º TRIMESTRE
4º TRIMESTRE
ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

X

TOTAL
50
20

20

X

X

20

16

X

X

16

12

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

01
01

12
01

X

01

10

X

X

X

10

02

X

X

02

12

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

12

12

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

12

12

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

12

Criação de uma gincana estudantil rural
Reunião
Implantação de um viveiro de mudas de
UD
banana em parceria com APRCSI/EFAPEN

01
01

X
X

X

01
01

09.3 PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS

UNIDADES PRODUTIVAS DA CULTURA DO AÇAÍ
ASSOCIAÇÃO DE PRODUTORES RURAIS DA COMUNIDADE DE SETE ILHAS/ Recurso Ministério Publico estadual –
Promotoria de Justiça de Serra do Navio
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11
12
13
14
15


01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11
12
13
14
15
16

Adão Souza Medrado
Alberto Ferreira de Souza
Andréia Lopes Macedo
Benedito Franco Pereira
Cleuto Rodrigues Rocha
Edmundo José de Souza
Eliziário Ferreira da Rocha
Ilsomar Ferreira do Carmo
Juarez Francisco dos Santos
Maria Lucia Conceição Silva
Otacílio Teodoro da Silva
Raimunda Maria da Silva Magalhães
Raimundo Lopes Lima
Jaqueline Araújo de Souza
Valmir Rocha de Castro

NOME
Alberto Ferreira de Sousa
Antonio Felix da Silva
Valmir Rocha de Castro
Ilsomar Ferreira do Carmo
Juarez Francisco dos Santos
Valmir Rocha de Castro
Valmir Pereira de Souza
Raimundo Lopes Lima
Edmundo José de Souza
Adão Souza Medrado
Otacílio Teodoro da Silva
Benedito Franco Pereira
Raimunda Maria da S. Magalhães
Eliziário Ferreira da Rocha
Valdenor Vicente Ferreira
Sabino Pereira da Silva

TIPO DE FINANCIAMENTO
Bovinocultura
Bovinocultura
Aquisição de maquina agricola
Aquisição de maquina agricola
Aquisição de maquina agricola
Aquisição de maquina agricola
Aquisição de maquina agricola
Aquisição de maquina agricola
Aquisição de maquina agricola
Aquisição de maquina agricola
Aquisição de maquina agricola
Aquisição de maquina agricola
Aquisição de maquina agricola
Aquisição de maquina agricola
Cultura do Açaí
Criação de peixe

LINHA DE CRÉDITO
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF - A

UNIDADES DEMOSNTRAVIVAS DE GALINHA CAIPIRA
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11

Adão Souza Medrado
José Marcos Pereira da Silva
Edmundo José de Souza
Raimunda Maria da Silva Magalhães
Benedito Franco Pereira
Luiz Teixeira da Silva
Juarez Francisco dos Santos
Valmir Pereira da Silva
Francisca Maria da Conceição Silva
Cícero Monteiro da Silva
Otacílio Teodoro da Silva

09.4 CAPACITAÇÃO DE AGRICULTORES

DISCRIMINAÇÃO
01 MANEJO DE AÇAIZAL
02 PRODUÇÃO DE FARINHA DE MANDIOCA

10. COMUNIDADE DE NOVA DIVISÃO

10.1 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

M

ATIVIDADE

VISITA

Cadastrar as unidades produtivas das famílias
beneficiárias existentes na comunidade;

X

Elaboração de cadastros pronaf –A;
Elaborar levantamento de campo para projetos
a serem financiados;
Elaboração de projetos (Pronaf –A);
Elaboração de laudo de assistência técnica

X
X

DM

REUNIÃO

PALESTRA

X
X

Orientar as famílias na aderência de benefícios
sócias junto à previdência social;

X

Informar aos agricultores sobre a política de
crédito rural;
Elaboração de projetos comunitários para
comunidade;
Acompanhamento técnico na implantação do
projeto de casa de farinha semi - mecanizada

X
X
X

X

É

T O

EXCURSÃO

D O S

CURSO

UD

Mutirão

CAMPANHA

P. DE
RÁDIO

10.2 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADES

MÉTODO

Cadastrar as unidades produtivas das
famílias
beneficiárias
existentes
na Visita
comunidade;
Elaboração de cadastros pronaf –A;
Visita
Elaborar levantamento de campo para
Visita
projetos a serem financiados;
Elaboração de projetos (Pronaf –A);
Visita
Elaboração de laudo de assistência técnica
Visita
Orientar as famílias na aderência de
Palestra
benefícios sócias junto à previdência social;
Informar aos agricultores sobre a política de
Palestra
crédito rural;
Elaboração de projetos comunitários para
Reunião
comunidade;
Acompanhamento técnico na implantação do Reunião/V
projeto de casa de farinha semi - mecanizada isita

QUANT 1º TRIMESTRE
.
JAN FEV MAR
15

2º TRIMESTRE

ABR

3º TRIMESTRE

TOTAL

MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

X

02

4º TRIMESTRE

15

X

02

02

X

02

02
08

X

02
08

01

X

01

01

X

01
03

03

X

X

08

X

X

X

X

X

X

X

X

08

10.3 PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS


01
02

TIPO DE
FINANCIAMENTO
Bovinocultura
Bovinocultura

NOME
José Ferreira Amorim
José Jovino da Silva

10.4 CAPACITAÇÃO DE AGRICULTORES

DISCRIMINAÇÃO
02 PRODUÇÃO DE FARINHA DE MANDIOCA

,

LINHA DE CRÉDITO
PRONAF - A
PRONAF - A

11. COMUNIDADE DE SÃO SEBASTIÃO DO CACHAÇO

11.1 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADE
Cadastrar as unidades produtivas das famílias
existentes na comunidade
Elaboração de cadastros Pronaf
Elaborar levantamento de campo para
projetos a serem financiados
Elaboração de projetos Pronaf
Elaboração de laudos de assistência técnica
Incentivar a organização rural através da
Associação de produtores rurais existente na
comunidade
Orientar as famílias na aderência de
benefícios sócias junto à previdência social;
Orientar os agricultores sobre a política de
crédito rural
Acompanhar a Implantação de projetos
comunitários
Elaboração de projetos comunitários para a
comunidade
Informação sobre a importância do
sociativismo para a comunidade

M

VISITA

DM

REUNIÃO

PALESTRA

X
X
X
X
X
X
X
X
X

X

X

X
X

É

T O

EXCURSÃO

D O S

CURSO

UD

Mutirão

CAMPANHA

P. DE RÁDIO

11.2 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADES

MÉTODO

Cadastrar as unidades produtivas das famílias
Visita
existentes na comunidade
Elaborar levantamento de campo para Visita
projetos a serem financiados
Elaboração de projetos Pronaf
Visita
Elaboração de laudos de assistência técnica
Visita
Incentivar a organização rural através da
Associação de produtores rurais existente na Reunião
comunidade
Orientar as famílias na aderência de
Palestra
benefícios sócias junto à previdência social;
Orientar os agricultores sobre a política de
Palestra
crédito rural
Acompanhar a Implantação de projetos Visita/Reu
comunitários
nião
Elaboração de projetos comunitários para a visita/Reu
comunidade
nião
Informação sobre a importância do
Palestra
sociativismo para a comunidade

1º TRIMESTRE
QUANT
.
JAN FEV MAR

40

2º TRIMESTRE

ABR

3º TRIMESTRE

MAI JUN JUL

4º TRIMESTRE

TOTAL

AGO SET OUT NOV DEZ

X

40

07

X

07
28

07
X
X

X

X

X

07
28

X

02

02

25

X

01

25

X

01

50

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

50

04

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

04

01

X

01

11.3 PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS


01
02
03
04
06
07
08

NOME
Magnaldo Pereira da Rocha
José Raimundo Pereira Gonçalves
Alberto Pereira Gonçalves
Marcelino Golçalves
Raimundo Patrício Costa
José Lopes da Silva
Maria Monte de Souza

TIPO DE
FINANCIAMENTO
Bovinocultura
Bovinocultura
Bovinocultura
Bovinocultura
Bovinocultura
Bovinocultura
Bovinocultura

11.4 CAPACITAÇÃO DE AGRICULTORES

DISCRIMINAÇÃO
01 CRIAÇÃO RACIONAL DE PEIXE

LINHA DE CRÉDITO
PRONAF – D
PRONAF - D
PRONAF – D
PRONAF - D
PRONAF – D
PRONAF - D
PRONAF – D

12. COMUNIDADE DE CENTRO NOVO

12.1 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADE
Cadastrar as unidades produtivas das
famílias existentes na comunidade;
Elaboração de cadastros PRONAF
Elaborar levantamento de campo para
projetos a serem financiados;
Elaboração de projetos PRONAF
Incentivar a organização rural através da
Associação de produtores rurais, existente na
comunidade.
Orientar as famílias na aderência de
benefícios sócias junto à previdência social;
Informar os agricultores sobre a política de
crédito rural;
Implantação do projeto comunidades
duráveis;
Elaboração de projetos comunitários
Apoio no gerenciamento das ações da
Associação de produtores rurais.
Orientação e acompanhar no projeto de
implantação da avicultura de corte da
comunidade;
Acompanhar a implantação dos projetos de

M

VISITA

DM

REUNIÃO

PALESTRA

É

T O

EXCURSÃO

D O S

CURSO

UD

Mutirão

X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X

X

X

X

X

X

CAMPANHA

P. DE RÁDIO

açaí e piscicultura na comunidade.

12.2 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADES

MÉTODO

Cadastrar as unidades produtivas das famílias
Visita
existentes na comunidade;
Elaboração de cadastros PRONAF
Visita
Elaborar levantamento de campo para Visita
projetos a serem financiados;
Elaboração de projetos PRONAF
Visita
Elaboração de laudos de assistência técnica
Visita
Incentivar a organização rural através da Reunião
Associação de produtores rurais, existente na
comunidade.
Orientar as famílias na aderência de
Palestra
benefícios sócias junto à previdência social;
Informar os agricultores sobre a política de
Palestra
crédito rural;
Implantação do projeto comunidades
UD
duráveis;
Elaboração de projetos comunitários
Reunião
Apoio no gerenciamento das ações da Reunião
Associação de produtores rurais.
Orientação e acompanhamento no projeto de Visita/reun
implantação da avicultura de corte da ião/multirã
comunidade;
o
Acompanhar a implantação dos projetos de Visita/reun
açaí e piscicultura na comunidade.
ião/multirã
o

1º TRIMESTRE
QUANT
.
JAN FEV MAR

40

2º TRIMESTRE

ABR

3º TRIMESTRE

MAI JUN JUL

40
X

05

05

X

05
20

05
X
X

X

X

X

X

05
20
01

X

01
01

TOTAL

AGO SET OUT NOV DEZ

X

05

01

4º TRIMESTRE

01

X

01

10

X

X

X

X

10

02

02

12

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

12

20

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

20

30

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

30

12.3 PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS


01
02
03
04
06

TIPO DE
FINANCIAMENTO
CRIAÇÃO DE PEIXE
-

NOME
Benedito Pereira de Souza
IZAN MENDES COSTA
Luis Edinelson Souza Rodrigues
João Batista de Lima
Manoel Mendes

12.4 CAPACITAÇÃO DE AGRICULTORES

DISCRIMINAÇÃO
01 SANIDADE ANIMAL - AVECULTURA

UNIDADES DEMOSNTRAVIVAS DE GALINHA CAIPIRA
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10

Nazilda da Silva Maciel
Izabel Ribeiro
Francisca Dias dos Santos Castro
João Batista Martel
Luis Edinelson Souza Rodrigues
Marcilene de Freitas Amorim
Maria do Amparo Santos da Silva
Maria Tenório Amorim
Doralice da Silva Martel
Manoel Mendes

LINHA DE CRÉDITO
PRONAF- D
PRONAF- D
PRONAF- D
PRONAF- D
PRONAF- D

13. COMUNIDADE DE ARREPENDIDO

13.1 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADE
- Cadastrar as unidades produtivas das
famílias existentes na comunidade
- Cultura do Açaí: Implantação de projeto de
açaí para 12 famílias
- Laudo Técnico

M

VISITA

DM

REUNIÃO

PALESTRA

x

x

x

É

T O

EXCURSÃO

D O S

CURSO

UD

Mutirão

CAMPANHA

P. DE RÁDIO

X
X

x

x

X

13.2 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADES

MÉTODO

- Cadastrar as unidades produtivas das
Visita
famílias existentes na comunidade
- Cultura do Açaí: demarcação de área, Visita
abertura de covas, adubação de fundação, DM
plantio, limpeza e adubação de cobertura.
Curso
- Vistoria técnica e elaboração de laudos

Visita

1º TRIMESTRE
QUANT
.
JAN FEV MAR

15
36
03

X
X
X

X
X

2º TRIMESTRE

ABR

3º TRIMESTRE

MAI JUN JUL

X

X

15
X
X

X

X

X

X

X

X

X

X
X

X

X

X

TOTAL

AGO SET OUT NOV DEZ

X

01
36

4º TRIMESTRE

X

X

X

X

36
03
01

X

X

X

X

36

13.3 PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS

UNIDADES PRODUTIVAS DA CULTURA DO AÇAÍ
ASSOCIAÇÃO DE PRODUTORES RURAIS DA COMUNIDADE DE ARREPENDIDO/Recurso do Fundo Municipal de
Desenvolvimento Comunitário – CMDC – PEDRA BRANCA
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10

Maria Cleonice conceição Lima
Antonio Amâncio dos Santos
Cloves Conceição do Carmo
Eustaquio Oliveira Santos
Jurandi de Oliveira Santos
Josuel dos Santos Miranda
Odorico da Silva Lima
Graciane Alves Chaves
Elisio Conceição do Carmo
Raudinei Rodrigues dos Santos

14 - CAPACITAÇÃO DE TÉCNICOS

DISCRIMINAÇÃO
01
02
03
04
05

Interpretação de analise de solo (curso)
Enxertia (curso)
Pimenta do reino (curso)
Irrigação (curso)
Elaboração de projeto (curso)

14. COMUNIDADE DE XIVETE

14.1 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADE
- Cadastrar as unidades produtivas das
famílias existentes na comunidade
- Cultura do Açaí: Implantação de projeto de
açaí para 12 famílias
- Laudo Técnico

M

VISITA

DM

REUNIÃO

PALESTRA

x

x

x

É

T O

EXCURSÃO

D O S

CURSO

UD

Mutirão

CAMPANHA

P. DE RÁDIO

X
X

x

x

X

14.2 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADES

MÉTODO

- Cadastrar as unidades produtivas das
Visita
famílias existentes na comunidade
- Cultura do Açaí: demarcação de área, Visita
abertura de covas, adubação de fundação, DM
plantio, limpeza e adubação de cobertura.
Curso
- Vistoria técnica e elaboração de laudos

Visita

1º TRIMESTRE
QUANT
.
JAN FEV MAR

15
36
03

X
X
X

X
X

2º TRIMESTRE

ABR

3º TRIMESTRE

MAI JUN JUL

X

X

15
X
X

X

X

X

X

X

X

X

X
X

X

X

X

TOTAL

AGO SET OUT NOV DEZ

X

01
36

4º TRIMESTRE

X

X

X

X

36
03
01

X

X

X

X

36

14.3 PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS

UNIDADES PRODUTIVAS DA CULTURA DO AÇAÍ
GRUPO DE PRODUTORES DA COMUNIDADE DO XIVETE/Recurso do Fundo Municipal de Desenvolvimento Comunitário
– CMDC – PEDRA BRANCA
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10

Luiz Carlos Brazão Fernandes
Dario Ferreira dos Santos
Antonio Ferreira dos Santos
Antonio Barbosa Santana
Arnaldo Viana de Almeida
Natan Ferreira dos Santos
Maria Dias Palheita da Conceição
Orias da Silva Ferreira
Eladio

15 MUNGUBA

15.1 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADE
Acompanhamento a 05 projetos do PRONAF,
sendo 04 PRONAF A e 01 PRONAF D, já
implantados.
Distribuição de 659 kg de milho.
Distribuição de 1.231 kg de arroz.
Distribuição de 450 kg de feijão caupi.
Palestra sobre credito RURAL
Levantamento de produção
Elaboração de 05 cadastros do PRONAF A
Levantamento de campo
Elaboração de 05 projetos do PRONAF A
Elaboração de 40 laudos
Unidade demonstrativa de feijão caupi.
Unidade demonstrativa de banana.
Acompanhamento a 05 projetos do CONSAD
Palestra sobre licenciamento ambiental.
Apoio as organizações rurais.
Emissão de carteira de agricultor
Emissão de declaração de atividade rural.
Preenchimento
das
solicitações
de
licenciamento ambiental
Recadastramento das unidades produtivas.

M

VISITA

DM

REUNIÃO

PALESTRA

É

T O

EXCURSÃO

D O S

CURSO

UD

X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X

Mutirão

CAMPANHA

P. DE RÁDIO

15.2 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADES

MÉTODO

Acompanhamento a 05 projetos doVisita
PRONAF, sendo 04 PRONAF A e 01
PRONAF D, já implantados.
Distribuição de 659 kg de milho.
Reunião
Distribuição de 1.231 kg de arroz.
Reunião
Distribuição de 450 kg de feijão Reunião
caupi.
Palestra sobre credito RURAL
Palestra
Levantamento de produção
Visita
Elaboração de 05 cadastros do Visia
PRONAF A
Levantamento de campo
Visita
Elaboração de 05 projetos doReunião
PRONAF A
Elaboração de 40 laudos
Visita
Unidade demonstrativa de feijãoUD
caupi.
Unidade demonstrativa de banana. UD
Acompanhamento a 05 projetos doVisita
CONSAD
Palestra
sobre
licenciamentoPalestra
ambiental.
Apoio as organizações rurais.
Visita
Emissão de carteira de agricultor
Visita

1º TRIMESTRE

QUANT.
20

JAN

2º TRIMESTRE

FEV MAR

ABR

3º TRIMESTRE

MAI JUN JUL

4º TRIMESTRE

TOTAL

AGO SET OUT NOV DEZ

x
20

02
02
02
02
150
05

X
X

02
02
X
x

X
x

05
02

x

X

x

05
X

02
x

x

x

x

X

x

x

X

01

x

20

X
x
x

40
01

X

02
40
40

X

02
150
05

40
01
01
20

02

x
x

02
x

x

40
40

Emissão de declaração de atividade Palestra
rural.
Preenchimento das solicitações de Reunião
licenciamento ambiental
Recadastramento das unidadesMutirão
produtivas.

02
04
04

x
x

02
x

x

X

04
04

15.3 PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS


01
02
03
04
05

NOME
Raimundo dos Santos Carvalho
Carlos Alberto
Antonia Fernandes de Souza
Luiz Bezerra de Souza
Antonio Teixeira dos Santos

TIPO DE FINANCIAMENTO
Casa de farinha mecanizada
Fruticultura
Pecuária
Fruticultura
Fruticultura

LINHA DE CRÉDITO
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF A/C
PRONAF - D
PRONAF – A

16 TUCANO I

16.1 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADE

M
VISITA

Cadastrar as unidades produtivas das famílias
beneficiárias existentes na comunidade;

X

Elaboração de cadastros pronaf –A;
Elaborar levantamento de campo para projetos
a serem financiados;
Elaboração de projetos (Pronaf –A); e A/C
Elaboração de laudos de assistência técnica

X
X

DM

REUNIÃO

PALESTRA

X
X

Orientar as famílias na aderência de benefícios
sócias junto à previdência social;

X

Informar aos agricultores sobre a política de
crédito rural;
Elaboração de projetos comunitários para a
comunidade;
Acompanhamento técnico na implantação do
projeto de casa de farinha semi - mecanizada

X
X

X

X

X

É

T O

EXCURSÃO

D O S
CURSO

UD

Mutirão

CAMPANHA

P. DE RÁDIO

16.2 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADES

MÉTODO

QUANT 1º TRIMESTRE
.
JAN FEV MAR

Cadastrar as unidades produtivas das
famílias
beneficiárias
existentes
na Visita
25
comunidade;
Elaboração de cadastros pronaf –A;
Visita
04
Elaborar levantamento de campo para Visita
04
projetos a serem financiados;
Elaboração de projetos (Pronaf –A); e A/C
Visita
04
Elaboração de laudos de assistência técnica Visita
16
Orientar as famílias na aderência de
Palestra 01
benefícios sócias junto à previdência social;
Informar aos agricultores sobre a política de
Palestra
01
crédito rural;
Elaboração de projetos comunitários para a
Reunião
01
comunidade;
Acompanhamento técnico na implantação do Visita/reun
06
projeto de casa de farinha semi - mecanizada ião

2º TRIMESTRE
3º TRIMESTRE
4º TRIMESTRE
ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

X
X

25
X

04

X

NOME
Silvino Borges da Silva
Antonio Gonçalves de Souza
Manoel Rodrigues de Souza
Edílson Pereira da Silva

04

X

04
16

X

TIPO DE FINANCIAMENTO
Suinocultura
Fruticultura
Mandioca
Fruticultura

X

X

01

X
X

X

01

01
X

X

X

X

16.3 PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS


01
02
03
04

X
X

X

TOTAL

LINHA DE CRÉDITO
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF A/C
Pronaf - A

06

16.4 CAPACITAÇÃO DE AGRICULTORES

DISCRIMINAÇÃO
02 PRODUÇÃO DE FARINHA DE MANDIOCA

17 TUCANO II

17.1 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADE

M
VISITA

Cadastrar as unidades produtivas das famílias
beneficiárias existentes na comunidade;

X

Elaboração de cadastros Pronaf –A;
Elaborar levantamento de campo para projetos
a serem financiados;

X
X

DM

REUNIÃO

PALESTRA

É

T O

EXCURSÃO

D O S
CURSO

UD

Mutirão

CAMPANHA

P. DE RÁDIO

Elaboração de projetos (Pronaf –A);
Elaboração de laudos de assistência técnica
Incentivar a organização rural
associação existente na comunidade

X
X

através

X

X

Orientar as famílias na aderência de benefícios
sócias junto à previdência social;

X

Informar aos agricultores sobre a política de
crédito rural;
Elaboração de projetos comunitários para a
comunidade;
Apoiar no gerenciamento das ações da
associação existente
Acompanhamento técnico na implantação do
projeto de casa de farinha semi - mecanizada

X
X

X
X

X

X

17.2 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES/ METODOLOGIA

ATIVIDADES

MÉTODO

Cadastrar as unidades produtivas das
famílias
beneficiárias
existentes
na Visita
comunidade;
Elaboração de cadastros Pronaf –A;
Visita

QUANT 1º TRIMESTRE
.
JAN FEV MAR
55

X

07

X

2º TRIMESTRE
3º TRIMESTRE
4º TRIMESTRE
ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

TOTAL

55
X

07

Elaborar levantamento de campo para Visita
projetos a serem financiados;
Elaboração de projetos (Pronaf –A);
Visita
Elaboração de laudos de assistência técnica Visita
Incentivar a organização rural através Reunião/p
associação existente na comunidade
alestra
Orientar as famílias na aderência de
Palestra
benefícios sócias junto à previdência social;
Informar aos agricultores sobre a política de
Palestra
crédito rural;
Elaboração de projetos comunitários para a Visita/reun
comunidade;
ião
Apoiar no gerenciamento das ações da
Reunião
associação existente
Acompanhamento técnico na implantação do Visita/reun
projeto de casa de farinha semi - mecanizada ião

07

X

07

07
28

X

07
28

X

03

X

01

X

NOME
José Umbelino Alves
Romildo César de Souza
Bernando de Souza
Sebastião Santana Monteiro
Aldair Aulino Amâncio de Lima
Valdeir Paulino Lima
Francisco Marques de Souza

X

X

X

01

01
X

06

X

X

06

X

X

08

X

X

TIPO DE FINANCIAMENTO
Fruticultura
Fruticultura
Fruticultura
Pimenta do Reino
Fruticultura
Piscicultura
Fruticultura

X

03

01
06

X
X

X

X
X

X

X
X

17.3 PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS


01
02
03
04
05
06
07

X

LINHA DE CRÉDITO
PRONAF - A
PRONAF - A
PRONAF A
PRONAF - A
PRONAF – A
PRONAF – A
PRONAF – A

X

X

06
08

17.4 CAPACITAÇÃO DE AGRICULTORES

DISCRIMINAÇÃO
02 PRODUÇÃO DE FARINHA DE MANDIOCA

MATERIAL TÉCNICO DE DIVULGAÇÃO
MATERIAL
Folder
Apostila
Apostila
TOTAL

ASSUNTO

RESPONSAVEL
José adecildo
Wilson da Silva Maciel
Francisco Ferreira
-

Manejo de acaizais
Galinha caipira de corte
Manejo de açaizal
-

QUANTIDADE
120
140
100
360

DEMONSTRATIVO DA FORÇA DE TRABALHO

DISCRIMINAÇÃO

SERVIDOR
EXISTENTE

NECESSIDADE

TOTAL

Técnico Agrícola
TOTAL

06
06

0
0

06
06