Serviço Público Federal

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR
INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO

Portaria n.º 387, de 06 de agosto de 2015.
O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE
TECNOLOGIA - INMETRO, no uso de suas atribuições, conferidas no § 3º do art. 4º da Lei n.º
5.966, de 11 de dezembro de 1973, nos incisos I e IV do art. 3º da Lei n.º 9.933, de 20 de dezembro
de 1999, e no inciso V do art. 18 da Estrutura Regimental da Autarquia, aprovada pelo Decreto n.º
6.275, de 28 de novembro de 2007, com redação alterada pelo Decreto n.º 7.938, de 19 de fevereiro
de 2013, resolve:
Considerando a alínea f do subitem 4.2 do Termo de Referência do Sistema Brasileiro de
Avaliação da Conformidade, aprovado pela Resolução Conmetro n.º 04, de 02 de dezembro de
2002, que outorga ao Inmetro competência para estabelecer diretrizes e critérios para a atividade de
avaliação da conformidade;
Considerando Lei n.º 9.503, de 23 de setembro de 1997, que Institui o Código de Trânsito
Brasileiro - CTB;
Considerando a Resolução Contran n.º 292, de 29 de agosto de 2008, que dispõe sobre as
modificações de veículos previstas nos artigos 98 e 106 do CTB;
Considerando a Portaria Inmetro n.º 32, de 22 de janeiro de 2004, que, entre outras medidas,
aprova os Regulamentos Técnicos da Qualidade (RTQ) para Inspeção de Motocicletas e
Assemelhados - Modificação ou Fabricação Artesanal e para Inspeção de Motocicletas e
Assemelhados - Recuperadas de Sinistro, publicada no Diário Oficial da União de 27 de janeiro de
2004, seção 01, página 32;
Considerando a necessidade de estabelecer novos critérios referentes à verificação dos freios
de serviço (subitem 7.3.4.1) e à eficiência de frenagem (subitem 7.3.11.3) dos RTQ para Inspeção
de Motocicletas e Assemelhados - Modificação ou Fabricação Artesanal e para Inspeção de
Motocicletas e Assemelhados - Recuperadas de Sinistro, resolve baixar as seguintes disposições:
Art. 1º Determinar que, para a verificação dos freios de serviço, referida no subitem 7.3.4.1,
e da eficiência de frenagem, apresentada no subitem 7.3.11.3, dos RTQ Inspeção de Motocicletas
e Assemelhados - Modificação ou Fabricação Artesanal e Inspeção de Motocicletas e
Assemelhados - Recuperadas de Sinistro, aprovados pela Portaria Inmetro nº 32/2004, os
Organismos de Inspeção Acreditados (OIA) pelo Inmetro e as Entidades Técnicas Públicas ou
Paraestatais (ETP) autorizadas pelo Inmetro, poderão utilizar os seguintes critérios:
I - o equipamento mecanizado denominado frenômetro, em conformidade com a norma ABNT
NBR 14.180:1998 (Parte 6);
II - o próprio espaço físico da infraestrutura do OIA ou ETP utilizado para a realização das
inspeções de segurança veicular;
III - os espaços físicos externos, em conformidade com os requisitos estabelecidos nos subitens
descritos no caput, devidamente autorizados por órgão responsável pelas vias públicas.

de acordo com cada critério utilizado. 12.67(dez vírgula sessenta e sete) metros para a categoria L3. considerando as motocicletas e assemelhados transportando somente o condutor (sem carga). os valores da distância de frenagem deverão ser de. conforme estabelecido no art. de 06/08/2015 Art. 4º Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União. com o veículo na condição de “massa de freio do veículo completo”.54 (catorze vírgula cinquenta e quatro) metros para as categorias L1 e L2. os valores da velocidade poderão ser reduzidos para 40 km/h. 3º Determinar que os OIA e as ETP deverão elaborar o(s) procedimento(s) técnico(s) pertinente(s) à realização dos ensaios de verificações dos freios de serviço e da eficiência de frenagem dos veículos. e o valor descrito na nota “*” da Tabela 2 deverá ser de 16. para todos os critérios estabelecidos no artigo anterior. 1º desta Portaria.00 (dezesseis) metros. 1º. no máximo. no mínimo. 2 da Portaria n° 387/Presi. JOÃO ALZIRO HERZ DA JORNADA . Art. § 1º Para as verificações de todas as categorias listadas nas Tabelas 2 dos RTQ citados no art. 2º Determinar que os OIA e as ETP deverão utilizar. Art. 10. e utilizando ambos os freios (dianteiro e traseiro). § 4º Para as condições de verificação estabelecidas nos parágrafos 2º e 3º. a nota “**” da Tabela 2 deverá ser desconsiderada. os novos parâmetros de verificação descritos nos parágrafos a seguir. Neste caso. os valores da distância de frenagem deverão ser ajustados e proporcionais aos fixados para as verificações realizadas à velocidade de 40 km/h. 30 km/h.31(doze vírgula trinta e um) metros para as categorias L4 e L5. 1º.Fl. 14. § 2º Para a velocidade de 40 km/h. a velocidade poderá ser reduzida para. § 3º Para o critério estabelecido no inciso II do art. caso o espaço físico da infraestrutura do OIA ou ETP não seja compatível com as distâncias de aceleração e frenagem necessárias às verificações.