SUMÁRIO

Introdução......................................................................................2
INTRODUÇÃO AO PENSAMENTO ECONÔMICO............................................2
PENSAMENTO ECONÔMICO ANTIGO..........................................................2

2. Fisiocracia................................................................................... 3
François Quesney...................................................................................3
Teoria....................................................................................................3

3. Economia clássica........................................................................4
Adam Smith............................................................................................5
Teoria....................................................................................................................... 5

Jean Baptiste................................................................................... 5
Teoria....................................................................................................5
Empreendedorismo.................................................................................6
Valor e Utilidade.....................................................................................6
Lei de Say..............................................................................................7

Thomas Malthus..............................................................................7
Teoria....................................................................................................7
Modelo de crescimento malthusiano.......................................................................8
Críticas recebidas.................................................................................................... 8

David Ricardo.................................................................................. 8
Teoria....................................................................................................8
Princípio Rendimentos Decrescentes.......................................................................9
A Renda................................................................................................................... 9
O Salário.................................................................................................................. 9
Os Lucros................................................................................................................. 9
A teoria do Crescimento........................................................................................ 10

John Kenneth Galbraith..................................................................11
A Relação de Galbraith e o Marxismo.....................................................11

John Maynard Keynes.....................................................................12
Escola Keynesiana................................................................................12
Keynes, e a bipolaridade entre Capitalismo e Anti-Capitalismo................13

Referências................................................................................... 15

1

Joseph Shumpeter e tandos outros que existiram e ainda existem mais em sua época Smith e Ricardo foram dois dos maiores pensadores já vistos pela economia moderna.Introdução Nunca poderíamos começar falar de pesadores antes de explicar suas origens. Persa. Nesse período antes da Renascença dos séculos XV e XVI. PENSAMENTO ECONÔMICO ANTIGO O pensamento econômico na Antiguidade remonta às civilizações Mesopotâmicas. Indiana. No entanto. Especulação do homem quanto ao seu meio: desde os tempos antigos. Gregas. pois tudo era contra: a dominação do Estado e da Igreja. Chinesa. Chanakya. de juros e do valor dentro de uma 2 . Joseph Shumpeter considerou inicialmente a escolástica tardia do período que vai do século XIV ao XVII como a “que chega mais perto do que qualquer outro grupo de ser os fundadores da economia científica quanto as teoria monetária. INTRODUÇÃO AO PENSAMENTO ECONÔMICO A História do Pensamento Econômico é um estudo da herança deixada pelos que escreveram sobre assuntos econômicos no transcurso de muitos anos. Desenvolvimento da Análise Econômica: de origem relativamente recente (a partir do século XVIII). Tomás de Aquino. a natureza e a amplitude limitada da atividade econômica. Qin Shi Huang. Ibn Khaldm. Tomás de Aquino. e Árabe. Chanakya. John Maynard Keynes que irar criar os primeiros pensamentos relacionado a economia como estudo assim incluído o pensamento de Keynes. Entre grandes pensadores nunca poderíamos deixar de citar Aristóteles. A origem do pensamento econômico é história falada e escrita como uma herança herdada pelos grandes pesadores que aqui irei descrever e contar a suas histórias outros os seus relatos e seus maiores feitos. Romana. o sistema econômico existe desde a pré-história mais de maneira autossustentável. a força dos costumes e as crenças religiosas e filosóficas. o estado tinha poder mais dividia suas forças com a igreja pois costumes e crença religiosa e até mesmo filosóficas. Mas o ser humano tem por intuição a fazer suas melhoras assim surgindo os grandes pensadores de nossa história como Adam Smith que e considerado o pai da economia. Dentro os autores mais notáveis estão Aristóteles. Qin Shi Huang. Antes da Renascença (séculos XV e XVI): era quase impossível a emergência da Economia como campo específico de estudo. Os grandes pensadores começam a desenvolver uma Análise Econômica mais ou menos no começo do século XVIII. Ibn Khaldm. a atividade econômica para a satisfação de necessidades ocorreu em todas as épocas da história humana.

deixar passar). Schumpeter mais tarde considerou Ibn Khaldun o mais próximo antecedente da economia moderna. laissez-passer” François Quesney Um dos principais representantes da fisiocracia. O estudo Quadro Econômico (1756). laissez-passer (deixar fazer. mas decorrem de bens pré-existentes  “Quadro Econômico (1756)”. Teoria Quesnay acreditava que somente a agricultura era criadora de riqueza. no entanto. Outro representante é o francês Anne Robert Jacques Turgot (1727-1781). o francês François Quesnay (1694-1774) funda a escola fisiocrata. que contesta o pensamento mercantilista. os indivíduos mais úteis à sociedade eram os grandes proprietários e os fazendeiros. a terra é a única fonte de riqueza de uma nação. o autor demonstra como a renda gerada na agricultura é redistribuída na comunidade. já que a indústria limitava-se a transformar a matéria. porém produtivos por se limitar a transformar uma coisa em outra ou a transferir de lugar mercadorias preexistentes. de Quesnay. Os fisiocratas defendem as sociedades agrícolas porque. próximo a Paris em 1694. e faleceu em Versalhes em 1774.perspectiva das leis naturais”. Assim. Ao contrário dos mercantilistas. Nasceu na cidade francesa de Méré. nasce com os fisiocratas. 2. Nele. François Quesney foi um medico da corte do rei francês Luís XV e economista francês. A indústria e o comércio são necessários. Depois de descobrir a obra Muqaddimah de Ibn Khaldun. de Quesnay: primeira análise do equilíbrio global da economia  Demonstra como a renda gerada na agricultura é redistribuída na comunidade  Rejeitam a interferência do governo nas atividades econômicas  Origem conceitual do liberalismo: “laissez-faire. A expressão laissez-faire. autor de Reflexões sobre a Formação e a Distribuição da Riqueza (1766). os fisiocratas rejeitam a interferência do governo nas atividades que seguem leis naturais da economia – oferta e procura. que se converte na máxima do liberalismo. • Escola que contesta o pensamento mercantilista • Século XVIII Teóricos  François Quesnay (1694-1774) 1 “Reflexões sobre a Formação e a Distribuição da Riqueza” (1766) Anne Robert Jacques Turgot (1727-1781) Teses:  Defesa das sociedades agrícolas: Terra é única fonte de riqueza de uma nação  Indústria e comércio são necessários. Opunha-se às teorias mercantilistas. defendendo 3 . uma vez que muitas das suas teorias econômicas não eram conhecidas na Europa até épocas modernas. para eles. Defensor da agricultura como principal fonte de riquezas de uma nação e da retirada das barreiras estatais que dificultavam a produção e circulação de mercadorias. Fisiocracia No século XVIII. é a primeira análise do equilíbrio global da economia.

A principal delas – além da mecanização – é a divisão social do trabalho. como por exemplo a formulação de princípios de filosofia social utilitarista – obter máxima satisfação com o mínimo esforço. ou seja. se dispuserem de um capital no sentido de riqueza acumulada antes de iniciar a produção. Essa busca egoísta e competitiva. 3. mas não analisou a formação do capital e o comportamento do capital monetário e do capital real. e não prata/ouro. acabam promovendo um fim que não era intencional. expressa na máxima deixem fazer. do escocês Adam Smith (1723-1790). este era o símbolo do liberalismo. trazidas pela Revolução Industrial. Os clássicos defendem o liberalismo e elaboram o conceito de racionalidade econômica. mas sim o trabalho humano. Desse modo centra suas reflexões nas transformações do processo produtivo. deixem passar. O marco fundamental é a obra Uma Investigação sobre a Natureza e Causas da Riqueza das Nações (1776). A escola também aborda as causas das crises econômicas. os homens. Em consequência. Usando a metáfora econômica de Smith. no entanto. conduzidos por uma "mão invisível". as implicações do crescimento populacional e a acumulação de capital. amplamente estudada por ele. resulta em prosperidade 4 . Adam Smith afirma que não é a prata ou o ouro que determina a prosperidade de uma nação. Após a morte de Smith. o que seria mais tarde desenvolvido como a teoria do capital – os empresários agrícolas só podem iniciar seu trabalho devidamente equipados. estaria na origem de todo o bem público porque qualquer intervenção nessas leis naturais do comportamento humano bloquearia o desenvolvimento das forças produtivas. O pensamento clássico se desenvolve na segunda metade do século XVIII e no século XIX. • Consolidação da economia como conhecimento científico • Segunda metade do século XVIII e no século XIX • Contexto da Revolução Industrial • Foco nas transformações do processo produtivo Teóricos:  Adam Smith (1723-1790) 1 “Uma Investigação sobre a Natureza e Causas da Riqueza das Nações” (1776)  Jean-Baptiste Say (1767-1832)  Thomas Malthus (1766-1834) David Ricardo (1772-1823) Teses: • Trabalho humano.que os entraves à produção. Quesnay foi o precursor em alguns campos. Quesnay abordou os interesses das classes num ambiente competitivo. Trata-se pois de uma visão defensora da liberdade económica. Economia clássica A ciência econômica é consolidada com a escola clássica. qualquer mudança que aprimore as forças produtivas enriquece uma nação. circulação e consumo de géneros deveriam ser suprimidos. no qual o indivíduo deve satisfazer suas necessidades sem se preocupar com o bemestar coletivo. da propriedade e da liberdade individual. três nomes aperfeiçoam e ampliam suas ideias: o francês Jean-Baptiste Say (1767-1832) e os ingleses Thomas Malthus (1766-1834) e David Ricardo (1772-1823). O melhor Estado era aquele que menos governava e este só se deveria interessar com a manutenção da ordem.

onde fez pesadas críticas ao intervencionismo estatal na economia e à política econômica mercantilista. Teoria Em plena época do Iluminismo. Nasceu em uma família de mercadores de tecidos. Adam Smith tornou-se um dos principais teóricos do liberalismo econômico. Sua explicação de como um produto muito procurado espontaneamente se transforma em um meio de troca aceito lembra o famoso tratamento que Carl Menger deu à mesma questão. Sua principal obra foi A riqueza das nações. em 05 de janeiro de 1767. Historicamente. sem a intervenção do Estado. provocando a queda de preços e as inovações tecnológicas necessárias para melhorar a qualidade dos produtos e aumentar o ritmo de produção. A teoria de Adam Smith foi de fundamental importância para o desenvolvimento does capitalismo nos séculos XIX e XX. em 5 de junho de 1723. além de contestar o regime de direitos feudais que ainda persistia em muitas regiões rurais da Europa. As ideias de Adam Smith tiveram uma grande influência na burguesia europeia do século XVIII. Teoria A discussão sobre a teoria monetária de Say abre com o que é agora um argumento padrão. 5 . o problema da "dupla coincidência de desejos" e de como um meio de troca é capaz de resolvê-lo. Adam Smith foi um importante filósofo e economista escocês do século XVIII. Jean Baptiste Jean Baptiste foi um economista francês.• Aprimoramento das forças produtivas enriquece uma nação • Mecanização. Nasceu na cidade escocesa de Kirkcaldy. pois atacavam a política econômica mercantilista promovida pelos reis absolutistas. e faleceu em Paris no dia 15 de novembro de 1832. embora antecedendo Menger em sete décadas. o dinheiro aparece devido ao autointeresse. A livre concorrência entre os empresários regularia o mercado. e não a algum decreto do governo e sua forma deve ser determinada livremente pela interação das preferências dos consumidores. fortemente influenciada pelas ideias iluministas. Adam Smith Precursor do liberalismo econômico. divisão social do trabalho • Processos de crises econômicas e acumulação de capital • Implicações do crescimento populacional • Conceito de racionalidade econômica • Liberalismo e a “mão invisível” dos mercados • Necessidades individuais acima do bem-estar coletivo Bem público resulta do desenvolvimento das forças produtivas. na cidade de Lyon. Sua principal teoria baseava-se na ideia de que deveria haver total liberdade econômica para que a iniciativa privada pudesse se desenvolver. e faleceu em Edimburgo no dia 17 de julho de 1790.

Esses desejos e as preferências. Malthus e outros de que a base de valor é o trabalho. O segundo é o resultado de poupar uma parte da renda da atividade produtiva ganha no passado e gerar recebimentos de juros. mas que. mas Say. que é a propriedade que um bem ou serviço possui para satisfazer algum desejo humano. o único critério justo do valor de um objeto é a quantidade de outras commodities em geral. expectativas e costumes que estão por trás deles devem ser tomados como dados pelo analista. então todas as transações de mercado devem envolver a troca de 6 . como o ar. com duplo sentido. por estar sempre preocupado com o mundo real e não com situações de equilíbrio de longo prazo. que podem ser facilmente obtidas por ele em troca. são previsores. mas Say os denomina de "riqueza social". Say é mais enfático em negar as alegações de Adam Smith. aderindo a essa taxonomia de valores. David Ricardo. Mas não são meros gerentes. Os primeiros são o resultado de algum processo de produção mais indireto e. O que esses empresários fazem. trouxe-a de volta ao palco. ou (b) o capital financeiro. algumas coisas. porque é uma medida do que é preciso dar-se a fim de adquirir um bem no mercado. é necessária uma prévia fonte de oferta. Estes bens são modernamente conhecidos como "bens livres". A tarefa do economista é raciocinar sobre tais dados. Say incorre em um erro. que são parte integrante da produção de novos bens finais. para organizar e dirigir os fatores de produção. A Lei de Say não faz a afirmação que a oferta automaticamente cria demanda. Empreendedorismo Adam Smith excluiu do pensamento econômico a importante figura do empreendedor. na visão de Say? A resposta é que usam sua "indústria". embora de modo irregular. segundo o contexto exige: (a) de bens de capital. em linguagem moderna. mas o suficiente para que continuasse. Não tão fortemente quanto Cantillon e Turgot. literalmente e precisamente.Muitas vezes a Lei de Say é resumida da seguinte maneira: • A oferta de um produto sempre gera demanda por outros produtos • "A oferta cria sua própria demanda. é importante notarmos que essas são interpretações Keynesianas e não necessariamente expressam o que a Lei de Say realmente disse. Valor e Utilidade Para Say. o valor é fundamentado na utilidade. Say era favorável ao empreendedorismo como força motriz das alocações e ajustamentos da economia de mercado. porém ainda ausente do mainstream dominante do classicismo britânico. O valor de troca encontra-se no domínio da economia. ou. para significar. tal como na abordagem austríaca. Em termos econômicos. de maneira que não podem possuir um preço." Porém. a "estrutura de capital" da economia. o seu preço de mercado. ou seja. como a medida do valor econômico de um bem é. visto como o funding da empresa. Tais bens que possuem "valor de troca" hoje seriam chamados de "bens econômicos". pois eles estão presentes em abundância. Infelizmente. a água e a luz do sol possuem apenas "valor de uso". Outro componente austríaco de sua obra. "trabalho". Em contraste. na linguagem austríaca. quando combinados com a indústria do empreendedor. ao concluir que. mas Say os denominava de "riqueza natural". de modo a alcançar a satisfação de necessidades dos consumidores. para se ter uma fundação efetiva para demanda. geram lucros ou prejuízos. no pensamento econômico continental. avaliadores de projetos e que se arriscam voluntariamente. As duas categorias de valor para Say são "valor de troca" e "valor de uso". Say usa a palavra "capital" um tanto confusamente.

demógrafo e erudito. Keynes não foi capaz de entender. então por que o comprador e o vendedor concordariam em negociar? Lei de Say A lei de Say é muito famosa pela interpretação de Keynes. enquanto a produção de alimentos em progressão aritmética (pa). pobreza e miséria no mundo. Em outras palavras. Se não for esse o caso. num futuro breve. a Lei de Say: a oferta (venda) de X cria a demanda por (pela compra de) Y. Thomas Malthus Thomas Malthus foi um importante economista inglês do final do século XVIII e início do século XIX. De acordo com sua teoria. Em suma. Ao afirmar incorretamente. pois agora possui renda para gastar. igual valor é realmente dado para igual valor: a prata paga. seguindo John Stuart Mill. Foi também clérigo. onde uma frase era atribuída a Say. ou. com sua teoria. a existência da fome. sobre os problemas gerados pelo elevado crescimento demográfico mundial. por meio de seu próprio valor. que a lei reza que "a oferta cria sua própria demanda". enquanto são voluntários.valores iguais e isso. na verdade. professor universitário. Teoria De acordo com sua teoria a população mundial cresce em progressão geométrica (pg). um indivíduo precisa antes vender. conjunto de fórmulas matemáticas que tinha como objetivo projetar o crescimento populacional no curto e médio prazos.". A frase em questão era “"A oferta cria sua própria demanda. distorceu-a deliberadamente — o que é pior — a Lei de Say. seria necessário o controle da natalidade para que não ocorresse. ele. é claro. Mas essa frase foi atribuída erroneamente a Jean Baptiste Say. A teoria malthusiana explicava. e um aumento na produção é o que permite que haja um maior gasto com consumo. devem ser mutuamente benéficos em termos de utilidades esperadas por cada um. Para poder comprar alguma coisa. 7 . Estes cálculos eram feitos utilizando a Lei de Malthus. todas as transações de mercado são um "jogo de soma zero". Entretanto. Teve grande importância no estudo do crescimento populacional ao desenvolver a teoria malthusiana. falta de alimentos e o aumento considerável da fome e da miséria no mundo. Ou. É considerado o precursor da demografia mundial. desta forma. o comprador e o vendedor. se a entendeu. a produção é o que gera o consumo. desde aquele instante. E que quando um vendedor produz e vende um produto. "Quando o vinho espanhol é comprado em Paris. Infelizmente. e essa é uma abordagem exclusivamente Keynisiana de sua teoria. são dignos um do outro. Thomas Malthus procurou alertar. implicar que nem compradores nem vendedores ganhem. ele instantaneamente se torna um potencial comprador. proporciona acesso a outros mercados e a outros produtos. ele na realidade sugeriu que o objetivo de Say era dizer que qualquer bem ou serviço que venha a ser produzido será automaticamente comprado nos mercados. e o vinho recebido. Apontava como uma das principais soluções o controle de natalidade. em outras palavras. Say queria dizer quando um produto é criado. Os austríacos são inflexíveis em sustentar que os intercâmbios. pois o mesmo nunca publicou essa frase.

que tinha como objetivo calcular o crescimento demográfico no curto prazo (10 a 20 anos). Morreu em Gatcomb Park. o casamento tardio e o controle de natalidade em países pobres seriam as principais formas de combater o crescimento populacional desordenado. David Ricardo David Ricardo nasceu em Londres. o preço do bem variava mas o seu Valor Não. Ricardo admitia que a qualidade do trabalho contribuía para o 8 . o celibato. e foi o pioneiro na exigência de rigor científico nos estudos econômicos e analisou os aspectos mais significativos do sistema capitalista de produção. caso não fossem tomadas medidas de controle de natalidade. contudo não dependia da abundância. Teoria Ricardo fazia distinção entre a noção de valor e a noção de riqueza. A teoria de David Ricardo é válida para bens reproduzíveis (Por exemplo um objecto de arte tem valor pela sua escassez e não pela quantidade de trabalho que lhe está inerente). este modelo seria muito importante para os países poderem fazer previsões de curto prazo sobre o crescimento populacional. Ricardo definia o Valor da Moeda como a quantidade de trabalho necessária à produção do metal que servia para fabricar o numerário. mas sim do maior ou menor grau de dificuldade na sua produção. O preço de um bem era o resultado de uma relação entre o bem e outro bem Esse preço era representado por uma determinada quantidade de moeda.De acordo com Malthus. em 18 ou 19 de abril de 1772. sociólogos e geógrafos nos anos seguintes a sua publicação. Analiticamente Se o Valor da Moeda variasse. obviamente que variações no valor da moeda implicam variações no preço do bem. De acordo com ele. bens que eram necessários. é considerado um dos principais economistas do mundo. Já a riqueza era entendida como os bens que as pessoas possuem. principalmente entre os mais pobres.O Valor era considerado como a quantidade de trabalho necessária à produção do bem. podendo tomar medidas para evitar problemas de ordem demográfica. Desumana. úteis e agradáveis. Tal Como Adam Smith. conhecido como Lei de Malthus. Críticas recebidas A teoria malthusiana recebeu várias críticas de economistas. Pessimista. Gloucestershire. pois defendia a redução da natalidade. Estes críticos consideravam esta teoria muito pessimista e desumana. Modelo de crescimento malthusiano Malthus criou um modelo matemático. Terceiro filho de um judeu holandês que fez fortuna na bolsa de valores. pois ela apontava para um cenário social mundial negativo.

o facto.Outra contribuição foi a Lei do Custo Comparativo. Varia de acordo com o caso específico dos países. devido a renda das terras. Os Lucros Smith considerava que as Rendas era a diferença entre o Rendimento e os Salários+Lucros. exportando manufaturas e importando matérias primas. Há a distinguir duas noções de preços. Tentou deduzir um teoria do valor a partir da aplicação do trabalho. das épocas. estabelecendo-se um raciocínio antagónico ao anterior. (Rendas=Rendimento-Salários-Lucros) 9 . Essa diminuição da Procura de Trabalho levará a uma subida dos salários Começa-se aqui a desenhar um dos ciclos viciosos que iremos explorar com maior detalhe na Sétima Parte da História do Pensamento Económico. se tornam mais baratos e essenciais).valor de um bem. tendência para a menor reprodução. depende do ambiente em que se esteja inserido. aplicado pela Inglaterra. a saber: Preço Corrente à Salário determinado pelo jogo de mercado e pelas forças da procura e da Oferta Preço Natural à O Salário que permitia subsistir e reproduzir sem crescimento nem diminuição. Este Preço tende a elevar-se (tomemos em consideração por exemplo. O seu peso no Rendimento depende das condições de produção. pois Smith acreditava que a Renda era a diferença entre o Rendimento e o Somatório dos Salários e dos Lucros. que será também dedicada ao Pensamento de David Ricardo. Princípio Rendimentos Decrescentes Sua principal contribuição foi o princípio dos rendimentos decrescentes. isto é. durante o século XIX. O Preço Natural não é constante. e com mais condições de vida. Este facto levará a uma tendência para uma maior reprodução. era na realidade o consumidor final. Quem trabalha em melhores condições paga mais renda. O Salário • • • • O trabalho era visto como uma mercadoria. Duas situações podem ocorrer: Se o Preço de Mercado for maior que o Preço Natural . ou seja. Este foi o principal argumento do Livre Comércio. existirá a tendência a viver melhor. Essa subida da População levará a um aumento do número de trabalhadores (um aumento da procura de trabalho) e consequentemente os Salário praticado abarão por descer para o nível do Preço Natural Se O Preço Natural for superior ao Preço de Mercado. quem acabava por pagar essa renda. a qualidade de vida das populações será menor. A Renda A Renda deveria ser tal de forma a que permitisse ao rendeiro a conservação do seu lucro à taxa de remuneração normal dos seus capitais. de o bem estar passar a incluir objectos que antes eram considerados de luxo e que com o progresso tecnológico e principalmente social. Eis uma grande diferença relativamente a Adam Smith. Com a reprodução subirá a população. o que baixará a Procura de Trabalho. contudo. que demonstrava os benefícios advindos de uma especialização internacional na composição dos commodities do comércio internacional.

haverá uma maior tendência para a procriação). sem contudo representar um papel muito relevante para o Crescimento Económico. como vimos anteriormente. Sendo as Rendas Fixas. Começa aqui a surgir a noção do Lucro ser um fenómeno inerente à Luta de Classes. mais concretamente a tendência para a baixa da taxa de lucro. que permitirá a sua canalização para o Investimento. mais concretamente dos Salários e das Rendas. depende de outras variáveis. A Subida da População levará a que novas terras (as menos férteis) tenham que ser cultivadas. estabelece que os Lucros são a diferença entre o Rendimento e os Salários+Rendas (Lucros=Rendimentos-Salários-Rendas). Para Ricardo a existência de uma taxa de lucro elevada. Como mais terras são cultivas. quanto mais baixos sejam os salários. Caso o Agricultor seja detentor das Terras. Esse maior crescimento Económico levará a existência de uma poupança mais abundante. sem contudo deixar de ser necessário. o que. Já o Comércio tem pouca importância no Crescimento Económico. obviamente que o lucro diminuirá. existindo a necessidade de se aumentar a produção. implica um maior crescimento económico. A sua importância releva da teoria das vantagens comparativas. O 10 . Como as rendas aumentam. o crescimento estará assegurado. Por isso o Comércio é muito importante. pois permite que com a maior exportação. Ricardo explica esta tendência para a baixa da taxa de lucro de uma outra forma. Raciocínio de Ricardo é muito simples. irá se verificar uma diferenciação no pagamento das rendas para as terras mais ou menos férteis. Portanto. o Mundo apresenta uma tendência para a expansão. Isso levará a um aumento da procura de trabalho. possamos importar mais e mais barato. A acumulação de capital leva a uma subida da população (por exemplo com a existência de uma melhoria das condições de vida. e aqui se começará a desenhar uma das contradições do sistema capitalista. logo. A teoria do Crescimento Para Ricardo o crescimento depende da acumulação de capital. guarda um lucro que é o que sobra depois de pagos as rendas e os salários. De fato. que Marx irá explorar. levará a uma subida das rendas. fruto da subida do preço das rendas das terras mais férteis. Um Agricultor que é detentor do Capital. ganha o Lucro e a Renda. Essa expansão tem consequência ao nível da subida da população. os lucros tornam-se cada vez mais importantes. isto é do Lucro. Ricardo defende que enquanto existir evolução da taxa de lucro. Contudo o Lucro. que levará a uma subida do nível de salário (consequentemente das condições de vida). Esse aumento da produção é obtido com a utilização de terras menos férteis.Ricardo por outro lado. depende da sua taxa de crescimento. como vimos na Teoria da Repartição do Rendimento na Sexta Parte da História do Pensamento Económico. Desenvolvimento Económico é assegurado pelo aumento do emprego e também pela melhoria das técnicas de produção.

um livro sobre a história do pensamento econômico. atingindo-se uma fase estacionária. ele se tornou cidadão americano.Lucro irá obviamente descer. o Rendimento Nacional parará de crescer. Galbraith não era apenas um seguidor e discípulo de Keynes. Pela Importação de Produtos Agrícolas Com a importação de produtos agrícolas. Contudo. John Kenneth Galbraith Galbraith foi um economista nascido no Canadá. a cada um. Ricardo encontrou duas formas de retardar isto: 1. O lema tem dezoito palavras em português. “Economistas como Galbraith são cada vez mais raros. isso irá se repercutir no salário que também ira crescer. há muito 11 . Boa parte da economia que se faz nas universidades. Ricardo considerava que o seu desenvolvimento irá ser lento. John Kenneth Galbraith. por causas naturais em Cambridge. Após se tornar Doutor na Universidade de Berkley. sendo um dos mais brilhantes e lúcidos economistas do século vinte. de acordo com a sua capacidade. Era um intelectual criativo. consegue-se impedir que o preço suba e consequentemente os salários e as rendas aumentem. capaz de abordar com riqueza e originalidade uma gama impressionante de temas econômicos. John Kenneth Galbraith afirmou que essas 12 palavras tiveram um efeito revolucionário ainda maior do que os volumes de “O capital”. Mais cedo ou mais tarde. na California. no ano de 2006. Aumento da Produtividade Agrícola. o crescimento fica ameaçada. Galbraith é muito famoso pelas suas posições Keynisiana. 2. de acordo com as suas necessidades". via mecanização e novas descobertas à Esta mecanização poderá Ter um efeito perverso. escrito com Friedrich Engels. foi muito além disso: ele deu uma contribuição própria e profunda a diversos ramos da economia. onde faz uma análise da sua contribuição. menor será a apetência para o investimento. em conclusão. A Relação de Galbraith e o Marxismo Em “A era da incerteza”. sociais e políticos. Por causa desta lei. incluiu um capítulo dedicado a Karl Marx. Na “Crítica ao programa de Gotha”. converteu-se. Galbraith foi um dos maiores economistas de nossa época. obviamente que me refiro ao problema do desemprego. em outubro de 1908. os seres humanos vão inscrever como lema de sua bandeira: "De cada um. infelizmente. e de O capital. Galbraith faleceu recentemente. Quanto maior for a taxa de lucro. e um dos mais famosos economista dessa corrente de pensamento. quando a sociedade estiver mais amadurecida. mais um factor que corrobora a ideia da tendência para a baixa da taxa de lucro. to each according to his needs". apenas doze em inglês: "From each according to his capacity. Marx menciona que. inclusive no Brasil. ressaltando em especial a importância do “Manifesto Comunista”. e se o preço dos produtos agrícolas sobe.

que era contra qualquer tipo de guerra. em 1883. este clássico ainda está em impressão. Keynes. quando já tinha idealizado um plano de de reconstrução e recuperação da economia dos países devastados pela guerra.tempo. que era muito ligada a Galbraith. Em 1897." Retórica livre-mercado é uma matéria de capa para a política equivocada hoje. no ano em que Marx faleceu. e de fato fez. em 1919. e se opôs as sanções postas a Alemanha. Nos anos vinte. do Lucro e da Moeda”. A Sociedade Afluente (1958) continua a ser sua principal obra. No início da guerra alistou-se no departamento do Tesouro. Em 1936 escreveu sua principal obra. na Inglaterra. O capitalismo americano (1952) e O Novo Estado Industrial (1967) concluir a trilogia. Escola Keynesiana Após uma das mais cruéis crises do capitalismo. Foi nessa situação que participou na Conferência de Versalhes para discutir as compensações impostas à Alemanha. 12 . a refletir sobre as limitações e riscos dessa abordagem das questões econômicas. dizia Eduardo Matarazzo Suplicy sobre Galbraith. veio a falecer um ano após o fim da segunda guerra mundial. após um ataque cardíaco. e se tornou professor em Cambridge. em seguida se dedicou a economia. no começo dos anos 30. Veio com o intuito de contrapor o pensamento liberal e recolocar nos trilhos as economias americana e europeia. num ramo não muito nobre da matemática aplicada. Faleceu em Tilton. como dizia Joan Robinson. Pediu a demissão e publicou um primeiro trabalho que se tornaria célebre: As consequências económicas da paz. diferente de Malthus que até justificava a guerra como fator importante para o controle populacional. John Maynard Keynes John Maynard Keynes nasceu em Cambridge. Fazia parte das famílias burguesas que ainda estavam em uma situação relativamente bem na Inglaterra vitoriana. Em seguida entra em Kings College da universidade de Cambridge. Isso facilitou seu percurso escolar. diz Galbraith. tido como brilhante. na Inglaterra. em 1902. como eles. "em torno de um conflito sobre a distribuição de renda. em 1929 se tornou o principal conselheiro no governo trabalhista de Ramsey MacDonald. quando fazia parte do Partido Liberal.”. surgiu com força o que era conhecida como Doutrina Keynesiana. em 1946. Apesar de ter recebido uma proposta pra fazer parte do Partido Trabalhista e ter recusado. Um comentário social sobre a riqueza e a desigualdade na América. por ser injusto fazer parte de um partido sem fazer parte da classe social que o partido luto. Foi um brilhante estudante de matemática. entra em Eaton. “Teoria Geral do Emprego. um dos colégios mais prestigiados das ilhas britânicas. Ficou horrorizado pela lógica seguida pelas potências aliadas que pretendiam esgotar o país vencido. "A política americana tornou-se cada vez mais polarizado". Nem sempre os economistas se dispõem. onde neste livro ele faz propostas que seriam tidas como as colunas estruturais do que viria a ser o pensamento Macroeconômico.

o Estado deve fazer investimento maciço em obras públicas e em setores vitais da economia em tempos de crise econômica. houve a criação do plano Marshall. do Lucro e da Moeda”. em muitos países. manteria a inflação controlada. mas sem excessos. 13 . Keynes foi um dos maiores contribuidores do capitalismo como conhecemos. É por conta desse “espirito animal” e a eterna gana por reduzir custos que o sistema capitalista é incapaz de empregar todos que queiram trabalhar. que posteriormente. o ciclo econômico não é autorregulado. O bom controle por meio de políticas fiscais e monetária. Por conta dessas ideias que a Escola Keynesiana é conhecida como defensora da “teoria do bem-estar social”. teorizou as sanções em seu livro “Teoria Geral do Emprego. com o intuito de criar um bem-estar social. Esta doutrina também atribui o estado o direito e o dever de conceder benefícios sociais a população. Evidentemente. Segundo a Escola Keynisiana. que teve como intuito a reconstrução dos países desconstruídos pela guerra. Tais sanções foram baseadas nas ideias de John Maynard Keynes. O ciclo de negócios segundo Keynes ocorre porque os empresários têm "impulsos animais" psicológicos que os impedem de investir a poupança dos consumidores. Keynes. a redução da jornada de trabalho (que era de 12 horas nesta época). e a bipolaridade entre Capitalismo e Anti-Capitalismo Após a crise de 1929. Um desses benefícios é o salário mínimo. para terminar. e também a assistência médica gratuita. e hoje em dia o capitalismo de mercado. pois isso poderia causar aumento na inflação. é pautado pelas ideias de Keynes Entretanto. A crise. uma vez que é determinado pelo “espirito animal”. e foi um dos economistas que se opôs ao capitalismo de maneira brilhante. e um padrão mínimo de vida. o que gera desemprego e reduz a demanda efetiva novamente. Esta doutrina defendia também políticas voltadas ao protecionismo econômico. o Presidente Theodore Roosevelt criou uma serie de sanções que tinham como o principal intuito salvar a econômica americana da crise que assolava o país. Participou diretamente e indiretamente de planos de reconstrução de sistemas econômicos. Segundo Keynes o Estado deveria atuar em áreas onde a iniciativa privada não desejava atuar ou não era competente o suficiente para atuar. Segundo esta doutrina. deve ter uma intervenção estatal que aumente a demanda efetiva através do aumento dos gastos públicos. mesmo com seu falecimento em seguida. as teorias de bem-estar econômico de Keynes vem questionando as injustiças sociais causadas pelo sistema econômico até hoje.O pensamento Keynesiano propunha intervenção estatal na economia. Keynes foi um dos principais questionadores do capitalismo. para manter o pleno emprego. ou promover o mínimo de bem-estar social que contribuiria com o bom andamento do ciclo social. que previa investimento em obras públicas e em setores privados que se viam em crise por conta da guerra. Maior parte da base teórica na área econômica do plano foi baseado nas ideias da doutrina Keynesiana. e por sua vez causa uma crise econômica. Após a Segunda Guerra Mundial. E por isso seria necessário a intervenção do aparelho público na economia. Mesmo as ideias de Keynes tendo salvado o capitalismo de suas inúmeras crises. O objetivo do Keynesianismo é manter o crescimento da demanda em paridade com o crescimento econômico.

Por mais que o capitalismo se renove. ainda nos dias de hoje se opõe ao sistema de bem-estar econômico. que têm como berço a cidade americana de Chicago. o passado nos mostra que o mercado tem uma incapacidade de se autorregular sem causar uma situação de divisão social. nem que seja minimamente. Então. Tal Keynes uma figura tão brilhante 14 . e consequentemente. Porém. a não ser que o país seja uma potência imperialista. o pensamento capitalista liberal com sua teoria da manutenção capitalista.Hoje em dia. crises em muitos países. Tais correntes tentam trazer novamente os ideais de livre comércio e de auto regulação da economia. e até correntes monetaristas. falta de emprego. e a contradição é o que torna na história do pensamento econômico. temos correntes neoliberais. teorias liberais. com novas Keynesiano. está propicio a crises. em sua economia. qualquer outro pais que insiste em não interver. mesmo sendo colaborador bipolaridade da situação.

Adam (1776). Friedrich (1848). de 2015. de 2015. 12 de Junho. “A era da Incerteza. de 2015.economiabr. http://www. “Uma Investigação sobre a Natureza e as Causas da Riqueza das Nações”. Alta Books. http://www. "Economia Para Leigos”. 12 de Junho. KEYNES . FRANÇOIS QUESNAY. Wikipédia.Referências FLYNN. 12 de Junho.wikipedia.economiabr. Eduardo Matarazzo.html.html.” MARX. http://www. Karl.org/wiki/Jean-Baptiste_Say.net/biografia/malthus. http://www. THOMAS MALTHUS. 12 de Junho. “Sobre o legado de John Kenneth Galbraith”.economiabr. Economist. ENGELS. Economist.scielo. JEAN SAY. Sean Masaki (2012). “Manifesto Comunista” SUPLICY. John Kenneth (1977). Economist.html. de 2015.net/biografia/keynes.br/scielo.net/teoria_escolas/teoria_keynesiana. de 2015.php?pid=S010131572006000400009&script=sci_arttext. de 2015. Economist. 12 de Junho. SMITH. 12 de Junho. 15 . https://pt. GALBRAITH. Teoria Keynesiana.net/biografia/quesnay.html. http://www.economiabr.