ABNT/ONS-58

PROJETO 58:000:11-002
MARÇÕ: 2008

Ensaios não destrutivos — Termografia por infravermelha — Guia para inspeção
de equipamentos elétricos e mecânicos
Non-destructive testing — Infrared thermography — Guide for inspection of electrical and
mechanical equipment
Palavras-chave: Imageamento. Termografia infravermelha. Ensaio não destrutivo. Análise qualitativa.
Análise quantitativa.
Descriptors: Imaging. Infrared thermography. Non-destructive testing. Qualitative analisys. Quantitative
analisys.

Sumário
Prefácio
0
Introdução
1
Escopo
2
Referência normativa
3
Termos e definições
4
Responsabilidades pessoais
4.1
Termografista
4.2
Assistente qualificado
4.3
Usuário final
5
Procedimento
6
Relatório
Bibliografia

Prefácio
A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Foro Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras,
cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB), dos Organismos de Normalização
Setorial (ABNT/ONS) e das Comissões de Estudo Especiais Temporárias (ABNT/CEE), são elaboradas por
Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas fazendo parte: produtores,
consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros).
Os Documentos Técnicos ABNT são elaborados conforme as regras da Diretivas ABNT, Parte 2.
A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) chama atenção para a possibilidade de que alguns dos
elementos deste documento podem ser objeto de direito de patente. A ABNT não deve ser considerada
responsável pela identificação de quaisquer direitos de patentes.

0

Introdução

Este guia pode ser usado por um usuário final para especificar inspeções termográficas de equipamentos elétricos
e mecânicos e por um termografista para estas inspeções.
A proposta de uma inspeção termográfica é identificar e registrar anomalias nos sistemas elétricos e/ou mecânicos
do usuário final.

NÃO TEM VALOR NORMATIVO

1/6

desalinhamento. aplicam-se as edições mais recentes do referido documento (incluindo emendas). 1 Escopo 1. Anomalias em sistemas de isolação térmica são usualmente causadas por materiais deteriorados. anomalias por aquecimento são usualmente criadas por um acréscimo da resistência causada por conexões frouxas ou deterioradas.1 assistente qualificado pessoa proveniente e autorizada pelo usuário final para realizar as tarefas exigidas pelo termografista e que possui conhecimento sobre a operação e história do equipamento a ser inspecionado e sobre as práticas de segurança e regras do usuário final NÃO TEM VALOR NORMATIVO 2/6 . Para referências datadas. componentes mal colocados ou instalados inadequadamente. contaminados ou pela falta dos mesmos. 2 Referência normativa O documento relacionado a seguir é indispensável à aplicação deste documento. aplicam-se somente as edições citadas. É de responsabilidade do usuário estabelecer as práticas de segurança e saúde e assegurar o atendimento à legislação pertinente. desequilíbrio ou falta de carga. sobrecargas. A inspeção termográfica não tem carácter corretivo. componentes aquecidos ou alterações de cargas mecânicas. ABNT NBR 15424. Em equipamentos mecânicos. Anomalias frias são usualmente causadas por falha de componentes. Ensaios não destrutivos – Termografia – Terminologia 3 Termos e definições Para os efeitos deste documento. AVISO — Este guia não pretende tratar de todos os aspectos de segurança relacionados ao seu uso. Os dados fornecidos pelas inspeções termográficas se referem às condições do equipamento no instante da inspeção.1 Este guia relaciona as responsabilidades do usuário final e do termografista para análise de sistemas elétricos e mecânicos.2 Este guia descreve o conteúdo específico recomendado para registrar inspeções termográficas qualitativas e quantitativas de equipamentos elétricos e mecânicos. a integridade do equipamento ou recomendações para ações corretivas exigem conhecimento e habilidades pelo termografista. Outros ensaios e manutenção apropriada são necessários para garantir seu desempenho esperado. movimento ou ambos ou equipamentos energizados eletricamente. curto-circuitos. Uma inspeção termográfica de equipamento elétrico e mecânico não assegura a plena operação do mesmo.ABNT/ONS-58 PROJETO 58:000:11-002 MARÇÕ: 2008 Em componentes elétricos. anomalias por aquecimento são usualmente criadas por atrito causado por lubrificação imprópria. aplicam-se os termos e as definições da ABNT NBR 15424 e os seguintes: 3. instalação imprópria ou quantidade insuficiente de material. Anomalias frias são usualmente causadas por falha de componentes. 1. Para referências não datadas. Fornecer opiniões sobre as causas das anomalias. Este guia pode envolver o uso de equipamentos e materiais na presença de calor.

1 Termografista 4. 0 e 0. 4.2 Recomenda-se que o termografista esteja ciente e obedeça às práticas e regras de segurança utilizadas pelo usuário final e use um sistema infravermelho adequado para atender às exigências da análise.1 Convém que o usuário final assuma a responsabilidade por conseqüências provenientes de ações tomadas. notificando o pessoal responsável pela área do início de cada atividade. 4.1. 5. garantindo o acesso do termografista aos objetos sob inspeção.2 Assistente qualificado Recomenda-se que o assistente qualificado responda todas as responsabilidades relacionadas em 0.1 Convém que o termografista tenha conhecimento dos componentes e da função dos equipamentos inspecionados para entender os padrões observados de radiação. com o auxílio do assistente qualificado.1 Recomenda-se que o termografista.3 Convém que o termografista atenda as normas da empresa. 0 a 0. 4. 5. 5. ou não. de acordo com as normas de segurança da empresa. para acompanhar o termografista.3 usuário final pessoa responsável por usar as informações provenientes de uma inspeção termográfica 4 Responsabilidades pessoais 4.3. 5. NÃO TEM VALOR NORMATIVO 3/6 . 4.1.3.5 É recomendado que o assistente qualificado confira se as cargas dos objetos sob inspeção são adequadas e.6 Quando analisando os objetos sob inspeção. desenvolva um inventário dos equipamentos a serem analisados numa rota lógica. convém que o termografista obedeça ao especificado em 0. 4.2 Recomenda-se que o usuário final forneça.ABNT/ONS-58 PROJETO 58:000:11-002 MARÇÕ: 2008 3.1. um assistente qualificado que tenha conhecimento sobre a operação e histórico dos equipamentos a serem inspecionados. como resultado de dados fornecidos por uma análise infravermelha.2 inventário relação dos equipamentos e/ou componentes a serem inspecionados pelo termografista 3. quando necessário e/ou possível. 5. aumente para valores satisfatórios.3 Usuário final 4.2 Recomenda-se que seja realizada uma verificação funcional e quantitativa das medições do termovisor e seus acessórios. 5 Procedimento 5. aguardando tempo suficiente para que os objetos sob inspeção atinjam padrões térmicos estáveis. eficiente e segura para facilidade da inspeção. 0.4 Recomenda-se que o assistente qualificado abra as tampas de proteção dos painéis antes do início da inspeção.3 Convém que o assistente qualificado obtenha autorização para acessar os equipamentos e instalações (objetos sob inspeção) a serem analisados.

d) fabricante. como temperatura. b) identificação do(s) assistente(s) qualificado(s). e identificação dos itens com superfícies de baixa emissividade (ver 0). Além disso.7 Convém que o termografista realize as análises quando as condições ambientais e físicas.9 Quando solicitado pelo termografista. 5. repetitividade ou interpretação da anomalia. umidade na superfície e na atmosfera e transferência de calor.8 Recomenda-se um cuidado especial quando forem analisadas superfícies que possuem baixas emissividades (< 0. para assegurar que a mesma fora eliminada. m) registro de qualquer meio atenuante. g) data e horário da inspeção e elaboração do relatório. n) qualquer outra informação ou condição operacional que possa afetar os resultados. velocidade do vento. quando solicitado pelo usuário final. 5. Recomenda-se que as seguintes informações sejam incluídas em um relatório para o usuário final: a) identificação do termografista. modelo e número de série do termovisor utilizado. l) características das lentes utilizadas com o termovisor. imediatamente após as inspeções e registros feitos pelo termografista. j) condições ambientais. NÃO TEM VALOR NORMATIVO 4/6 . forem favoráveis para a aquisição de dados precisos. reanalise cada anomalia após o reparo.11 Convém que o termografista elabore um relatório para o usuário final conforme a seção 0. 5. 5. e quaisquer coeficientes de correção utillizados na obtenção das temperaturas. as correspondentes imagens visuais.ABNT/ONS-58 PROJETO 58:000:11-002 MARÇÕ: 2008 5. Nestas circunstâncias. tais superfícies produzem reflexos que podem ser ilusórios. e) validade da calibração do termovisor e acessórios de medição. tais como mover a posição do termovisor e/ou bloquear as superfícies das fontes de reflexão. Essas condições de execução são definidas pelas normas internas do usuário. quando necessário. tais como radiação solar. c) identificação do usuário final.12 É recomendado que o termografista. umidade. k) termogramas e. filtros ou ópticas externas. 6 Relatório 6.10 Recomenda-se que o assistente qualificado feche e/ou recoloque as tampas protetoras dos painéis que tenham sido abertas em Erro! Fonte de referência não encontrada. Recomenda-se que o termografista esteja inteirado destas potenciais fontes de erro e utilize técnicas para minimizar as mesmas. 5.1 Convém que o termografista forneça os registros para todas as análises. as anomalias podem ser mais difíceis de serem detectadas. se aplicável. tal como janelas. vento. h) localização e identificação do equipamento inspecionado.5). i) condições nominais e operacionais do equipamento inspecionado. convém que o assistente qualificado meça as cargas de equipamentos elétricos. f) inventário (ver 0) com notas dos itens dos equipamentos analisados e explanações para os itens não analisados.

NOTA 1 A temperatura real das superfícies que têm baixa emissividade pode diferir de medições radiométricas corrigidas. ou ambos. emissividade e valores de transmissão utilizados para calcular a (s) temperatura (s) da anomalia. para análises quantitativas. incluindo suas fontes. temperatura ambiente ou padrão.ABNT/ONS-58 PROJETO 58:000:11-002 MARÇÕ: 2008 o) 6. Adicionalmente. d) caso solicitado. NOTA 2 A proposta de uma inspeção infravermelho quantitativa é fornecer dados de temperatura. Se o valor de temperatura não for desejado ou exigido.2 se desejado. então o termografista pode realizar uma inspeção qualitativa e não fazer a medição ou não fornecer as temperaturas. baseado na importância da anomalia para operação segura e proveitosa. uma estimativa de prioridade de reparo fornecida pelo assistente qualificado ou usuário. e identificação completa destes padrões. definida tal como um componente similar à carga similar. c) diferença entre a temperatura da anomalia e a temperatura de uma referência. b) temperatura corrigida. NÃO TEM VALOR NORMATIVO 5/6 . recomenda-se incluir as seguintes informações: a) distância termovisor-objeto. uma comparação das temperaturas medidas com os padrões de referências.

ABNT/ONS-58 PROJETO 58:000:11-002 MARÇÕ: 2008 Bibliografia [1] ASTM E 1316. Examining electrical and mechanical equipment with infrared thermography NÃO TEM VALOR NORMATIVO 6/6 . Terminology for nondestructive examinations [2] ASTM E 1934.