BRONISLAW MALINOWSKI, RADCLIFF-BROWN E C

STRAUSS O FUNCIONALISMO, O ESTRUTURO FUNC
ESTRUTURALISMO

RESUMO
O presente paper trata de um estudo focalizado da constituição
histórica e conceitual de algumas teorias que formam o corpo da
antropologia. Destaca-se o funcionalismo de Bronislaw Malinowiski, o
estruturo-funcionalismo de Radcliff-Brown e o estruturalismo de Claude
Lévi-Strauss. Objetiva-se com a apresentação breve e sucinta das
teorias já citadas, proporcionar ao leitor, o conhecimento geral das
contribuições oferecidas pelos teóricos à antropologia. Os resultados
oferecidos com este estudo centrado nos aspectos históricos e
conceituais poderá auxiliar teoricamente na formação de futuros
profissionais da área das ciências humanas, jurídicas e sociais.

INTRODUÇÃO

De forma preliminar cabe destacar o que se concebe enquanto
antropologia. Exatamente, tal ciência essencialmente humana, uma
ciência do homem e que procura entender o outro e a diferença do

cultural e social. O que o homem é pode ser vislumbrado pelo outros (alter). E a antropologia? Teria como base as conclusões primárias da etnografia e da etnologia. se faz mister mencionar o estudo focado na diversidade cultural. administradores de colônias e viajantes. Já a etnologia caracteriza-se por uma síntese. genéticos biológicos do homem. Deste modo. busca entender as condições de existência de grupos de indivíduos humanos desaparecidos ou extintos. O século XIX é marcado pelas reflexões que são vindas da área da biologia. tratando dos aspectos físicos. estrutural e do ponto de vista das instituições. Geralmente para fins didáticos e por efeito dos desdobramentos históricos a antropologia se verticaliza em outras antropologias. ou de uma pesquisa que tenha como objeto de estudo o homem? A resposta parte de Claude Lévi-Strauss. a antropologia segue historicamente para um novo paradigma. sob a plataforma de analise e conhecimento da organização social. dizendo que os primeiros estágios se dão pela descrição e pelo trabalho de campo. tendo como característica. uma síntese primária dos dados e do material coletado no trabalho de campo. Neste período deu-se por completo a organização dos saberes dos povos “primitivos”. a antropologia social. Mas quais seriam os primeiros estágios de uma pesquisa antropológica. se detém no conhecimento dos sistemas simbólicos. critérios e colocações antropológicas referente ao estudo do homem. diferenciado níveis. Mas. sociais e culturais datam-se no espaço do século XVI ao XIX. sendo uma fronteira determinante e fundamental para o estudo e a pesquisa da antropologia. no andar da carruagem acadêmica surgiram outros tantos termos. política. militares. A formação da literatura etnográfica sobre as diversidades históricas. O século XIX é o período que marca o surgimento da antropologia . também parte da antropologia. religiosos e comportamentais do homem. A antropologia cultural. Tais descrições possuíam como performance cartas. isso na maior parte das vezes construídas por exploradores[1]. desbravadores. ou ainda. principalmente de Charles Darwin. mesmo que primária.ponto de vista biológico. diários e relatórios. tais como: física ou biológica. não mais a campo de forma descritiva e inserida. o paradigma que define este período é a etnografia. desdobrando-se num trabalho ainda mais sistemático e profundo. o evolucionismo. Assim sendo. já a arqueologia. As características do século XIX na antropologia foram às sistematizações e os trabalhos desenvolvidos nos escritórios. Qualquer que seja a pretensão de definição do campo de abrangência da antropologia. no entanto. A evolução biológica e a sobrevivência de seres mais aptos definiu o desenho histórico teórico deste período. tais como a etnografia e a etnologia.

as influencias da psicanálise e de Friedrich Nietzsche. Neste período definem-se as regras do pensamento sociológico[4]. ou seja. unidade de parentesco. Já para Durkheim função significa uma satisfação da necessidade social. O que para Bronislaw Malinowiski função é igual à organização social satisfazendo necessidades biológicas. Nos anos 60. tais como: as noções de função. O pensador destaque foi Claude Lévi-Strauss com uma gama renomada de escritos. É forte neste período as investigações sobre as leis da evolução humana. psicológicas e sociais. A igualdade. civilizadas. totenismo[5]. as culturas com acentuado grau de desigualdade. a liberdade e a fraternidade entre os homens tornam-se um forte ideal em contra partida. a saber: Selvagismo Barbárie Civilização. Com Spencer surge à compreensão de função é igual à obrigação nas relações sociais. Desenvolveram-se pelos teóricos desta época[2] temas fundamentais neste recorte histórico. solidariedade mecânica e orgânica. E característico desta época o acento em determinadas áreas. principalmente nos anos 20. É marca fundamental deste período o positivismo nas ciências sociais. surge a antropologia interpretativa[9]. A caracterização teórica deste período está na ênfase dada ao trabalho de campo. Já na década de 40. surge o estruturalismo com o ideal de entender as regras estruturantes das culturas presentes na mente humana. a escola sociológica francesa[3]. É continuada a dicotomia forte entre primitivo e civilizado. As noções epistemológicas seguem as ideias de Franz Boas. estudo das origens. Tal labor teórico e investigativo é obra de James Frazer com os concebidos três estágios: Magia. Temas e conceitos trabalhados nesta época seguem as seguintes preocupações: as representações coletivas. Neste período é que se inicia a sistematização do conhecimento produzido acerca de uma cultura. As características desta época são: definição de fenômenos sociais como objetos de investigação social e antropológica. Nos anos 30 do século XX[8] a antropologia leva em conta as contribuições do culturalismo norte americano. a saber: evolução de sociedades primitivas para sociedade mais desenvolvidas. tendo como destaque teórico o método comparativo. Religião e Ciência. a participação inserida na observação. estrutura social interdependência equilíbrio funcional necessidade e ordem. O funcionalismo é característico do século XX[7]. Depois do período de sistematização do percurso formativo da antropologia e o surgimento da ciência propriamente antropológica se tem o seguinte. substituição do conceito de raça pelo conceito de cultura. Algumas oposições são claras. consideração do fato social e a busca do mesmo[6]. A personalidade de base partilhada por todos os membros de uma cultura.como ciência. cujo . da reciprocidade. a vida social orientada pela cultura da troca.

organizada. ou ainda. na década de 80 surge a antropologia pós – moderna ou crítica[10].Elaboraram muitos e diferentes conceitos. . onde os interesses se voltam para uma preocupação localizada com os recursos retóricos presentes nas etnografias clássicas e contemporâneas. o cerne dos interesses da antropologia interpretativa é a interpretação antropológica. Neste momento da história da antropologia surge uma forte crítica ao paradigma do observador. . As investigações antropológicas tinham como caracteres determinantes os seguintes tópicos: a cultura presente dentro de uma hierarquia de significados.Imprimiu novas e diferentes formas explicativas para os fenômenos culturais.Configuração do conceito cultura para Bronislaw Malinowski: o próprio . Talcott Parsons e Wrigth Mills. uma leitura da leitura que os primitivos. .Preocupa-se com a lógica do sistema organizado.1942) e Radcliffe – Brown (1881 – 1955). mas com profundas semelhanças.Concepção de Realidade: Ideia de um todo organizado. busca da descrição densa. seguindo inspirações da interpretação hermenêutica. Para o funcionalismo não existe essência que origine o fenômeno.Salienta Tendências Organicistas. .Promoveu uma nova abordagem antropológica. uma concepção metodológica que interpreta fenômenos sociais com base na função que eles exercem em um determinado contexto. à autoridade do antropólogo. REVISÃO DA LITERATURA O funcionalismo apara as ciências sociais é um método. 1. . E em suma. 1.Abordagem Funcionalista: todo = parte. As temáticas desenolvidas pelos pensadores pós .modernos da antropologia são: a cultura como um processo polissêmico. . Influencia do pensamento fisiológico = fisiologia social. .expoente teórico ficou a cargo de Glifford Geertz. . No entanto. Abaixo seguem alguns tópicos que fundamentam as inovações proporcionadas pelo funcionalismo. nativos fazem da sua própria cultura e de seus significados. . . a etnografia como um processo polifônico e a antropologia como uma arte da crítica cultural.Pensadores Funcionalistas pré – cursores: Bronislaw Malinowski. (1884.A cultura é vista como um sistema.O funcionalismo possui uma visão sistêmica.1 O FUNCIONALISMO[11] . ou ainda. Os precursores desta corrente são Émile Durkheim. parte = todo.

2. .Dedicando-se mais a antropologia social do que a cultural.Radcliffe-Brown considera a cultura como um sistema adaptativo. .Bronislaw Malinowski possui uma preocupação focalizada nas explicações psicológicas dos fenômenos culturais. interligado. Mas o conceito cultura permanece intacto como ele o desenvolveu.conceito cultura está configurado ao conceito de natureza humana. configurando sua própria estrutura.2 POSTULADOS BÁSICOS DO FUNCIONALISMO 1. defesa.As partes se relacionam entre si com o sistema cultural total.Conceito Cultura para Bronislaw Malinowski: um todo vivo. Radcliffe-Brown: são as estruturas sociais. a cultura está apta a satisfazer as necessidades de seus membros (finalidade da cultura).Eunomia: integração social saudável. . 3. religião. Cultura entendida como um todo sistêmico.A abordagem de Radcliffe-Brown é estruturo-funcionalista = sociedade concebida através de partes e cada parte desempenha a sua função.O Conceito de Necessidade: primeira abordagem para a compreensão do comportamento humano organizado. . arte etc. . dinâmico desempenhando um esquema integral. Constitui-se de partes interdependentes entre si.Abre reservas a definição de cultura como um organismo vivo. . educação. . . 3. . . 4. enfatizando a importância da função e da estrutura social. Interativas/sintéticas: magia. para o equilíbrio da sociedade. RadcliffeBrown preocupou-se com o conceito de sistema = um todo organizado. 2. normas. .Centro do Sistema de Radicliffe-Brown: a função de um elemento é o papel que ele representa em toda a vida social.Euforia: ordem/equilíbrio. material. Natureza Humana e Cultura levaram a existência de mundo natural e mundo artificial. . . . Criação da teoria das necessidades. . . Bronislaw Malinowski: instituições culturais são a unidade de análise.Disforia: conflito/disfunção social.Instituição: composta de estatuto pessoal. Razão da integração social. Derivadas/instrumentais: organização econômica.Bronislaw Malinowski desenvolve: Teoria das Necessidades Humanas 1.Segundo Bronislaw Malinowski. atividades e função.Disnomia: desarmonia social. 5. 1. . Primárias/biológicas: nutrição.Uma Instituição Social tem a função de contribuir para a manutenção e continuidade da estrutura da sociedade. . 6.

é necessário regras de bom-senso: 1. antropólogo deve ter objetivos inteiramente científicos.2 MÉTODOS Na etnografia apresentação dos fatos. não existe a projeção do observador. um fenômeno econômico.. Deste modo.4 CONDIÇÕES DE PESQUISA .1 O KULA É denominado como um sistema de comércio. 2. Valorizou a pesquisa de campo. 2.][13] 2. Para tanto. A seguir segue uma breve apresentação da obra levando em conta os capítulos e o cerne de cada um deles. BRONISLAW MALINOWSKI: ARGONAUTAS DO PACÍFICO OCIDENTAL: UM RELATO DO EMPREENDIMENTO E DA AVENTURA DOS NATIVOS DO ARQUIPÉLAGO DA NOVA GUINÉ MELANÉSIA[12] Na obra acima referida Malinowiski revoluciona a antropologia e o seu campos de estudo. torna-se repulsiva para uma análise científica. Introdução ao Relativismo Cultural. propõe metodologicamente as diretrizes para a pesquisa etnográfica. 2. Lógica: o pesquisador. é necessário sinceridade extrema na Um trabalho etnográfico só terá valor científico irrefutável se nos permitir distinguir claramente. os nativos são um centro de referência para a pesquisa = são portadores de padrões próprios = respeitados dentro da lógica do sistema que desenvolvem. Realizou uma verdadeira revolução nas ciências do comportamento. de um lado. Condições de Trabalho: vivência inserida nas tribos e possuir métodos especiais para a coleta de dados. pleno conhecimento dos valores da etnografia.. os resultados da observação direta e das declarações e interpretações nativas e. 2. de outro. 8. as inferências do autor [. 9. 2.7. Pode-se concluir quer.3 PROBLEMAS COM FONTES SECUNDÁRIAS NA PESQUISA Ocidentais consideravam os nativos com preconceito.

Estão essencialmente no código tribal e não são percebidos.Modos de pensa típicos.Costumes. 2. 2. mas sim estão presentes no ser humano (nativos) e em suas organizações próprias.Costumes. .7 PRINCIPIOS . Não retratar em seus estudos e pesquisas as formas de organização nativas como algo infantil. sem cultura. 2. . utilização de quadros que sintetizem as ideias e os dados coletados. hábitos moldados pela cultura.O tom dos comportamentos. da companhia dos povos brancos. . sem costumes. Será necessária uma pesquisa essencialmente sistemática metódica e contínua.Fatos: falarem por si mesmos e não sofrerem predominância da subjetividade do observador. . .Interesse pelo o que os indivíduos sentem enquanto membros de uma comunidade/tribo. A presença do pesquisador não deve destoar à organização e a naturalidade do ambiente que rodeia a todos. 2.6 ELEMENTOS E O SER HUMANO Todos os elementos captados pelo pesquisador não estão cristalizados em algum lugar. Mas como fazer isso? O método deve ser o indutivo sob o levantamento de todos os fatos ao nosso alcance. . a pesquisa etnográfica deve tornar-se uma genealogia da comunidade que se pesquisa. .Afastamento do convívio dos europeus. o pesquisador deve ter o objetivo de perscrutar a cultura nativa na sua totalidade.Pontos de vista e observações pontualizadas pelos nativos. Assim sendo. Não se pode apresentar os nativos como bárbaros.8 REGISTROS: O QUE DEVE SER OBSERVADO E REGISTRADO .Peculariedades da sociedade que se está pesquisando. levando em conta objetivos de digna importância.Palavras dos nativos. Buscar contato próximo com os nativos. .Vida real. mas demonstrar a organização da tribo. A pesquisa etnográfica deve abranger o máximo de detalhes possível.5 EXIGÊNCIA DE MÉTODOS O pesquisador vai depender inteiramente das inspirações dos estudos teóricos. os comportamentos e as boas maneiras que lhes são próprias. .

9 DESFECHO DA PESQUISA E OBJETIVO FINAL . querer buscar a compreensão dos sistemas que organizam seus comportamentos. hábitos e modos de organizar a vida. a antropologia se torna uma “ciência” da alteridade que vira as costas ao empreendimento evolucionista de reconstituição das origens da civilização. São necessariamente os costumes de outrem. sistemas lógicos que devem ser explorados do ponto de vista científico.Tipos de comportamento. A pesquisa de Malinowski se deu a partir de um modelo de troca existente entre os habitantes das ilhas vizinhas à nova Guiné. . . Com Malinowiski. . . Não são puerilidades que testemunham de alguns vestígios da humanidade. por isso. diga-se a antropologia não esconde preconceitos em relação ao outro e sim curiosidade e necessidade. 2. mas não calando a voz dos fatos e sim. O que o leitor aprende ao ler Os Argonautas é que os costumes dos Trobriandeses.. A parte vertebral do estudo foi desenvolvido nas ilhas de Trobrinad. considerando a alteridade como plataforma de análise e compreensão. tal renome e implicância. A monografia organizada por Bronislaw Malinowiski estendeuse dos anos de 1914 até 1920 distribuída em várias expedições pelas ilhas da nova Guiné. deixando que os mesmos se pronunciem-se por si mesmos.Organização da tribo. tão profundamente diferentes dos nossos.Apreender o ponto de vista do nativo. significação e coerência na hora da descrição aumentam o grau de proximidade do etnógrafo ao seu objeto de pesquisa. explicando os processos metodológicos utilizados e documentados pelo pesquisador etnógrafo. Nos aspectos iniciais da obra eleva-se um capítulo metodológico. Foi a primeira experiência adotada como método científico.Visão de mundo do nativo.Tatos da vida real. Tal metodologia revolucionou os campos da etnografia entre os anos de 1920 a1942. . Pois bem.Anatomia da cultura tribal. . e se dedica ao estudo das lógicas particulares características de cada cultura. têm uma significação e uma coerência. e sim sistemas lógicos perfeitamente elaborados[14] A ciência da alteridade.Modos de sentir.

necessitando longas permanências no campo ou nos lugares de pesquisa). no momento em que a observamos. . a saber: Boas. Oposição clara às reconstruções históricas de sociedades primitivas em relação às civilizadas bem como a historiografia de tais sociedades. A sociedade deve ser estuda independentemente de sua história (passado). A antropologia americana se preocupa compreender o processo de transmissão dos elementos estruturais de uma cultura para a outra. a antropologia britânica privilegia os sistemas sociais em detrimento da abordagem comportamental e cultural dos indivíduos. A antropologia britânica está oposta ao racionalismo e ao idealismo francês.3. Para os pesquisadores e antropólogos ingleses. Segue uma forte tendência das correntes empíricas (observação de uma sociedade de maneira direta. Rivers et al. Malinowiski. a antropologia britânica é uma antropologia social. 4. Em seguida estruturais com Radcliffe-Brown. a antropologia chega a sua idade adulta ou maturidade. Portanto. 1. pelas heranças históricas (passado) e nem por o que é recebido como empréstimo dos vizinhos (elementos advindos de culturas próximas). O período de maturação da antropologia segue por volta de meio século de 1930 a 1986. Em suma. 3. Assim sendo. cabe um antievolucionismo. não se deve explicar uma sociedade uma cultura pelas heranças culturais. e pelos teóricos da ciência do social Durkheim e Mauss. RADCLIFF-BROWN E O ESTRUTURO – FUNCIONALISMO Falar da antropologia no limiar das reflexões de Radcliffe-Brown é levam em conta as contribuições dos da etnografia. 2. A dedicação do estudo do presente através de métodos funcionais caracteriza as pesquisas de Malinowiski. Deve ser analisada e estuda a partir do que se apresenta ao presente. Ao contrário. Muitos trabalhos e uma diversidade de pesquisas foram organizados neste meio século de maturidade antropológica. As contribuições desde Malinowiski são contra as propostas evolucionistas. A antropologia britânica teve o seu crescimento muito rápido tal e qual a dos Estados Unidos. É uma antropologia de campo desenvolvida a partir de Malinowiski. Sigamos didaticamente 4 tópicos para melhor compreendermos os flashes do crescimento e maturidade da antropologia. Diferente do campo de exploração da monografia (etnografia) Radcliffe-Brown apresenta uma proposta sincrônica e estruturo-funcionalista[15].

compreendendo um todo complexo e integrado. os seres humanos são essencialmente indivíduos. Não trata de cultura. A vida social da comunidade é definida aqui como o funcionamento da estrutura social. “O CONCEITO DE FUNÇÃO APLICADO A SOCIEDADES HUMANAS[16] baseia-se na analogia entre vida social e vida orgânica”[17]. A sua contribuição afirma Brown é dada pelo papel desempenhado e toda a contribuição dada à vida de todo o organismo. A ideia de unidade funcional o sistema social é em primeira instância uma hipótese. a estrutura social só pode ser observada através de seu funcionamento. Brown observa. não os estuda sob um fim em si mesmos. “Como a palavra função está sendo empregada aqui. A continuidade da estrutura é mantida pelo processo da vida social. afirma Brown. A antropologia para Brown trata das relações sociais e essencialmente das redes de relação social existentes nas sociedades. Embora a fisiologia social estude os fenômenos sociais.[19] Assim sendo. pois. Em suma. E seguindo. Para ele a antropologia social deve basear-se num estudo concreto e observável. como uma unidade funcional. segundo Radcliffe-Brown.3. numa série de unidades. para a escola britânica que Brown faz parte denota-se como abstração da realidade empírica. Mas. profundamente organizadas na obra Règles de La Méthode Sociologique. assim as partes são . que consiste de atividades e interações dos seres humanos como indivíduos.1 SOBRE O CONCEITO DE FUNÇÃO E CIÊNCIAS SOCIAIS O que Radcliffe-Brown se propõe estudar as estruturas sociais e o funcionamento das mesmas. a única possibilidade de mudança que o antropólogo pode considerar é a desintegração das estruturas sociais. deve perceber a vida social de qualquer povo em sua totalidade e ainda. Assim. e dos grupos organizados nos quais estão unidos. para o funcionalista. O conceito de função[20] tal como é tratado por Brown implica numa noção e existência de estrutura. singulares essenciais e relacionados por uma série de relações. mas como um meio para entender as estruturas sociais que são determinantes. o funcionalismo se for um método que signifique algo. O importante é a relação que uns estabelecem com os outros. com um processo vital constituído de atividades de todas as partes que são unidades de maneira integrante. a vida do organismo é concebida como o funcionamento de sua estrutura”[18]. torna-se uma boa possibilidade de exame sistemático dos fenômenos sociais tratados como fatos. Radcliffe-Brown assume como primeiro estudo científico da sociedade as produções de Durkheim.

2. 5.unidas ao todo estruturando uma sociedade pelas funções que as partes exercitam no todo. invariantes. Diferentes estruturações destes materiais culturais. Pode-se ter como síntese: um estudo comparável a um quebra cabeças. O sentido não está mais ligado a consciência. É a partir de um estudo do parentesco que se constitui o estruturalismo de Claude Lévi-Strauss. a antropologia estrutural defini-se como: um estudo de cada cultura em particular. 3. Lévi-Strauss com uma série de rompimentos não quis substituir a realidade de analise por outra. Ruptura com o empirismo (o objeto da pesquisa deve ser captado pela percepção espontânea). . 2. Rompimento dos modelos atomistas (elementos separados do todo). a saber: 1. demonstrando as tendências que empiricamente se apresentam ao observador. 4. Algumas diferenças devem ser elencadas para que se saiba como lidar e considerar a antropologia estrutural em relação as anteriores e posteriores. A abordagem dada por Lévi-Strauss segue uma série de rupturas. A seguir. proporcionando a possibilidade de análise e encontro em objetos diferentes. Materiais culturais sempre idênticos. 6. relacionando ao conjunto das relações sociais (Antropologia Social). uma estrutura é definida como um sistema de relações fora do objeto. mas sim explicá-la. 4. Crise na epistemologia da racionalidade (combinação da antropologia estrutural com a psicanálise). seguem alguns tópicos de estudo para a compreensão do estruturalismo: 1. CLAUDE LÉVI-STRAUSS[21] E O ESTRUTURALISMO Diferente das antropologias demonstradas acima. A antropologia não segue mais um estudo em si de uma determinada sociedade. Rompimento do pensamento histórico (entender o presente através do passado). 1. 2. De maneira precisa. Rompimento com as correntes humanistas e com a filosofia (sujeito fonte de significações). A antropologia não estuda mais a cultura e sua lógica peculiar (antropologia cultural).

e “de antropologia e de ciências sociais” e outros títulos equivalentes. A história quis que ela começasse por se interessar pelas sociedades ditas “selvagens” ou “primitivas” [. na discussão do que cabe a antropologia entre e dentre as ciências sociais. e. .3. 4. Qualificação do estético. aponta ele que não se pode inferir que o ocidente é que possui a história sob o signo de um nível mais elevado de consciência. estas investigações acham-se frequentemente associadas às ciências sociais num outro plano: muitos departamentos universitários. No momento em que acreditamos apreender a relação entre antropologia e ciência social. por um singular paradoxo. perdemo-la. são ditos “de antropologia e de sociologia”. reencontramo-la num novo plano. cuja ilusão entre as ciências sociais não é de modo algum evidente. Defina a teoria funcionalista de Malinowski e Radcliffe-Brown.][23] CONCLUSÃO Para orientar os finais deste ensaio levemos em conta três questões que nos nortearam. no entanto. Uma consciência de progresso seria falsária e não carregaria nenhuma verdade. compenetrarmo-nos desde o inicio desta verdade: a antropologia não se distingue das outras ciências humanas e sociais por um objeto de estudos que lhe seria próprio. com efeito. É importante. Para estudar a história. É salvaguardado por ele um “ecletismo cultural” que poderia ser um veneno para o trabalho e a pesquisa.1 LUGAR DA ANTROPOLOGIA NAS CIÊNCIAS SOCIAIS E PROBLEMAS COLOCADOS POR SEU ENSINO Mas a situação é ainda mais complexa: se antropologia social tende a se confundir num vasto conjunto de investigações. pela confusão que poderia promover. mas aponta que não quer dar conta de estudar a diversidade entre as culturas. apenas perdida. 1.. nos Estados Unidos notadamente. Lévi-Strauss considera a diversidade entre as culturas.[22] No entanto..

Prof. de como ela se apresenta a ele em dado momento. qual a sua impressão da teoria funcionalista? De maneira extremamente subjetiva. licenciado em Filosofia pela UFPR. Já para Radcliffe-Brown. A partir de sua compreensão de mundo e de ser humano. Edinei M. não carece o pesquisador da história para abordar tal sociedade. a maior contribuição da antropologia para as práticas didáticas e pedagógicas é o aporte teórico para algumas reflexões que poderão auxiliar na resolução de muitos entraves do dia dia. a sociedade deveria ser abordada como um todo. projeto de Malinowiski é gigantesco. culturas. . nem de seu passado. Isso caracterizou o funcionalismo de Malinowski. Comente algumas contribuições da Antropologia para o campo da Sociologia e como isso vai contribuir na sua tarefa pedagógica como educador e educadora. algumas reflexões da sociologia desenvolveram a antropologia e assim. Grison. do ponto de vista teórico. Deste modo. interdependente. 2. mas sim. conhecimentos e de pessoas. No entanto. tal que ela e seus membros se apresentassem como naturais. Na verdade. No entanto. o estruturo funcionalismo e o estruturalismo são áreas que sumamente podem aclarar respostas para os problemas enfrentados frente à diversidade de crenças.Oferece-se como resposta ao primeiro questionamento o seguinte: para Malinowiski. conclui-se com as palavras de François Laplantine: a antropologia é a ciência por excelência do homem. contemplando a totalidade da sociedade a ser analisadas e do ponto de vista empírico. No entanto. vice e versa. as sociedades devem ser analisadas como elas se apresentam aos olhos do observador. esquecendo a participação do analista. 3. tornar-se parte da sociedade a ser analisada. especialista em Psicologia Práticas Sociais e Desafios Contemporâneos pela UNOCHAPECÓ. o funcionalismo.