Ecologia II

(BIE – 0214)

2015

Docentes
Prof. Dr. Paulo Roberto Guimarães Junior
(prguima@gmail.com)

Prof. Dr. Sergio Rosso
(serrosso2@gmail.com)

Prof. Dr. Tiago Bosisio Quental
(tbquental@gmail.com)

2

Moodle:

http://disciplinas.stoa.usp.br/login/index.php
Neste link, se você não está cadastrado e é
matriculado na disciplina, cadastre-se para
acessar o sistema.

3

Ecologia II - 2014

Informações gerais:

1. Objetivos do curso: conceituação, integração e
aplicação
2. Programa

3. Bibliografia
4. Registro de Frequência
5. Avaliação: 𝑀
é𝑑𝑖𝑎 𝐹𝑖𝑛𝑎𝑙 =

3 ∗ 𝑚é𝑑𝑖𝑎 𝑑𝑎𝑠 𝑝𝑟𝑜𝑣𝑎𝑠 + 𝑚é𝑑𝑖𝑎 𝑑𝑜𝑠 𝑒𝑥𝑒𝑟𝑐í𝑐𝑖𝑜𝑠
4

OBS: a prova substitutiva cobre a nota mais baixa das 3 provas (com
toda a matéria)

4

Ecossistemas: fluxo energético II Ciclagem de nutrientes 3. Prova I 24/9 6.2014 Programa (poderá ser adaptado) DATAS AULAS 1.Ecologia II . Predação / Efeitos indiretos e teias tróficas 8/10 8. Neutralidade. Prova III 5 . Atributos funcionais e processos evolutivos em comunidades ecológicas 22/10 10. Comunidades: métricas de diversidade e dominância II 17/9 5. Interações ecológicas no Tempo Geológico II 3/12 16. Biogeografia de Ilhas Diversidade no Tempo Geológico I 5/11 12. deriva ecológica e a saturação de comunidades ecológicas 15/10 9. Não haverá aula 12/11 13. Comunidades: conceitos e atributos Métricas de diversidade e dominância I 3/9 4. Competição / Mutualismo e comunidades ecológicas 1/10 7. Diversidade no Tempo Geológico II 19/11 14. Interações ecológicas no Tempo Geológico I 26/11 15. Prova II 29/10 11. Introdução 13/8 Ecossistemas: conceitos básicos e delimitação Fluxo energético I 20/8 27/8 2.

J. MORTIMER.. Oxford. Blackwell.R. TOWNSEND. Sunderland. J. Blackwell. Blackwell. Oxford. J. Croom Helm. Bibliografia complementar GOTELLI. TOWNSEND. C. Porto Alegre. 2009 ECOLOGIA. DESHMUCK. LONDRINA. Sinauer Associates. Artmed. 1988 Ecological relationships of plants and animals.Ecologia II . FUTUYMA. 2007 Ecologia: de indivíduos a ecossistemas. F.E. N. WESTLEY. RICKLEFS.2014 Bibliografia: Bibliografia básica BEGON. M. M. Artmed.. PLANTA. Fundamentos em Ecologia. Rio de Janeiro. 1996 Ecology. 1996 A economia da natureza. BEGON.C. HARPER. M. C.. Mass. J. 2005.R. M. D. & HARPER. R.. A. HARPER. Oxford University Press. 6 . TOWNSEND. London. Evolution. BEGON. 2006.. HOWE.L. M. BRASIL MAGURRAN. 1988 Ecology diversity and its measurement..R. 2ª. C.L.J.H. Porto BEGON. Ed.L.E.. Oxford. 1986 Ecology and tropical biology. Guanabara Koogan. L. 1986 Population ecology: a unified study of animals and plants. I.

7 . 1972 – Ecology. estamos interessados em onde os organismos são encontrados. Assim.. quantos e por quê. Charles J.O que é ecologia? A ecologia é o estudo científico das interações que determinam a distribuição e a abundância dos organismos. .. Krebs.

O que é ecologia? O domínio da Ecologia: 8 .

O que é ecologia? 2008 http://izt.ve/ecologia/Archivos/ECO_POB%202008/ECOPO1_2008/Scheiner%20y%20Willig%202008.ucv.ciens.pdf 9 .

ECOSSISTEMA Aula 1 – Conceitos básicos e Fluxo energético 1. Fluxo de energia pelos ecossistemas I 10 . Conceitos importantes na definição de ecossistema. 3. Delimitação dos ecossistemas. 2.

Conceitos importantes Interação organismo .ambiente Formas de energia Outros indivíduos da mesma espécie Organismo (indivíduo) Compostos químicos Indivíduos de outras espécies Resolução de problemas de subsistência: obtenção de recursos diversos Adaptação às condições ambientais Minimização da ação de fatores limitantes 11 .

pH. água. movimentos do meio.Conceitos importantes Interação organismo . definido como sucesso na transferência de seus genes para a geração seguinte . efetivamente utilizados pelos organismos. nutrientes. etc…) Condições: fatores do ambiente que influenciam processos vitais (ex: temperatura. e que. Fatores limitantes: quaisquer fatores que diminuam a eficiência de processos executados por organismos.fitness). refúgios. parceiros para acasalamento. tornam-se menos disponíveis no ambiente (ex: energia assimilável. interferindo na sobrevivência. no crescimento ou na reprodução dos mesmos (ou seja.ambiente Recursos: componentes abióticos ou bióticos do ambiente. assim. substâncias tóxicas). interferindo em seu sucesso ecológico. salinidade. 12 . espaço. umidade relativa.

Conceitos importantes Interação organismo .ambiente Outros fatores Energia Organismo (indivíduo) Desempenho biológico: • Sobrevivência Nutrientes • Crescimento corporal • Atividade geral • Reprodução Gastos com manutenção 13 .

Conceitos importantes Definição de Ecossistema: Sistema dinâmico. com estrutura e funcionamento definidos. 14 . formado por componentes bióticos e componentes abióticos que se relacionam mutuamente de modo a propiciar transferências de energia (fluxo unidirecional) e transferências de materiais (ciclagem).

Delimitação dos ecossistemas O problema das escalas espaciais: 15 .

Delimitação dos ecossistemas O problema das escalas espaciais: 16 .

Delimitação dos ecossistemas O problema das escalas espaciais: 17 .

Delimitação dos ecossistemas O problema das escalas espaciais: 18 .

Delimitação dos ecossistemas Delimitação pelo hábitat: 19 .

Delimitação dos ecossistemas Delimitação pela estrutura trófica: 20 .

Delimitação dos ecossistemas Delimitação pela estrutura trófica (exemplo): 21 .

Delimitação dos ecossistemas Delimitação pela composição da comunidade: 22 .

Delimitação dos ecossistemas Delimitação pela composição da comunidade: Sistema “contínuo”: os limites não são claros – delimitação arbitrária Sistema “discreto”: os limites são reconhecíveis naturalmente 23 .

4.Fluxo de energia nos ecossistemas 1. 24 . A radiação solar. 5. 6. Produção e produtividade. Subsídios energéticos na produção de alimentos. 2. Pirâmides ecológicas. 3. Eficiência ecológica. A energia nos ecossistemas. Fixação e transferência de energia nos ecossistemas. 7.

Condições Desempenho biológico: Recursos Energia Organismo (indivíduo) • Sobrevivência • Crescimento corpóreo • Atividade Nutrientes • Reprodução Gastos para manutenção Autótrofos – dependem da radiação solar Heterótrofos – dependem de outros organismos ou detritos 25 .Fluxo de energia nos ecossistemas Definição: energia é a capacidade de realizar trabalho.

Fluxo de energia nos ecossistemas Na biosfera. 99. 26 .97% da energia que mantém os processos ecológicos são provenientes do Sol (“janela óptica”).

97% da energia que mantém os processos ecológicos são provenientes do Sol.org/oceano/) 27 . 99.Fluxo de energia nos ecossistemas Radiação Na biosfera.poemsinc. (http://www.

Fluxo de energia nos ecossistemas Fotossíntese: a principal entrada da energia nos ecosistemas. Composto orgânico rico em energia Energia necessária para conversão de 1g de C (CO2) em C (C6H12O6) = 9.3 kcal 28 .

Detritos: material orgânico não vivo. acumulado no ambiente Detritívoros – promovem fracionamento físico dos detritos 29 Decompositores – fracionam detritos quimicamente .Fluxo de energia nos ecossistemas Cadeias alimentares: vias de transferência de energia.

Fluxo de energia nos ecossistemas Cadeias alimentares: vias de transferência de energia. 30 .

somente transformada. 2) Nenhuma transformação espontânea de energia é 100% eficiente. 1) A energia não pode ser criada nem destruída. 31 .Fluxo de energia nos ecossistemas Leis da termodinâmica aplicam-se a fenômenos ecológicos.

Fluxo de energia nos ecossistemas Fluxo de energia pelos níveis tróficos. 32 .

Fluxo de energia nos ecossistemas Fluxo de energia pelos níveis tróficos. 33 .

Fluxo de energia nos ecossistemas Fluxo de energia pelos níveis tróficos. 34 .

35 .Fluxo de energia nos ecossistemas Fluxo de energia pelos níveis tróficos.

Fluxo de energia nos ecossistemas Fluxo de energia pelos níveis tróficos. 36 .

37 .Fluxo de energia nos ecossistemas Fluxo de energia pelos níveis tróficos.

Fluxo de energia nos ecossistemas Fluxo de energia pelos níveis tróficos. 38 .

Fluxo de energia nos ecossistemas Fluxo de energia pelos níveis tróficos. 39 .

40 .Fluxo de energia pelos níveis tróficos.

Fluxo de energia nos ecossistemas Fluxo de energia pelos níveis tróficos. 41 .

Fluxo de energia nos ecossistemas Fluxo de energia pelos níveis tróficos. 42 .

a energia apresenta trajetória unidirecional dentro dos ecossistemas. sob forma não-reaproveitável (calor). a quantidade total de energia 43 disponível torna-se menor. À medida que se avança pelos níveis tróficos. Devido às perdas. .Fluxo de energia nos ecossistemas Fluxo de energia pelos níveis tróficos.

Fluxo de energia nos ecossistemas Eficiência ecológica Conceito: medida da proporção (%) de energia efetivamente convertida por um determinado nível trófico (ou todo o ecossistema).10 Total convertido (III+R+D) / Total de trabalho agrícola 10 (cultivos pré-industriais) 1 (cultivos mecanizados) 44 . para os produtores) ~1 . Métodos de medida Valores obtidos (%) Total convertido / incidente (III+R+D) / I.5 Absorvido pelo nível trófico n / Absorvido pelo nível n-1 (IV / III) 2 .

** energia solar recebida por ano. 45 . biomassa e energia. Número 1 4. 106* 1.0 .7 . por ha (estimada a partir da variação da biomassa) – é uma taxa de assimilação.8 3. 105* 8086. por ha. 107 Biomassa (kg) Energia (cal/tempo) 74.5 2.0 .6 2.1.Fluxo de energia nos ecossistemas Pirâmides de números. 103* 1020.5 . 1010** * energia potencialmente assimilada por ano.6 3.

Remoção de partículas das superfícies foliares Solubilização de nutrientes no solo Renovação da micro-atmosfera ao redor das folhas Estímulo para crescimento vegetal pelo consumo (moderado) de tecidos velhos Trabalho humano na lavoura e pecuária .Subsídios energéticos.

Próxima aula: Fluxo de Energia II (Produtividade) Exercício II .