fls.

3

GLECIO MONTEIRO
ILMAH PELETEIRO
SAULO OLIVEIRA
Advogados

EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR (A) DOUTOR (A) JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA
DOS FEITOS DE RELAÇÕES DE CONSUMO, CÍVEIS E COMERCIAIS DA COMARCA

CELINA PURIFICAÇÃO DO CARMO (1ª AUTORA), brasileira, lavradora,
casada, portadora do RG 06374165-20 SSP/BA e inscrita no CPF/MF
634.550.995-72, residente e domiciliada à Rua Direta do Bom Juá, nº. 27-A,
Retiro, Salvador/BA, CEP 40.353-160, JOSENILTON PURIFICAÇÃO DO CARMO
(2º AUTOR), brasileiro, comerciante, casado, portador do RG 955349465 04 e
CPF/MF 910532770, residente e domiciliado à Rua Simão Sobral, nº. 07,
Massaranduba, Salvador/BA, CEP 40.435-260, JOSENILSON PURIFICAÇÃO DO
CARMO (3º AUTOR), brasileiro, comerciante, solteiro, portador do RG
941462170 e CPF/MF 012.495.275-54, residente e domiciliado à Rua Direta do
Bom Juá, nº. 27-A, Retiro, Salvador/BA, CEP 40.353-160 e JEANILTON
PURIFICAÇÃO DO CARMO (4º AUTOR),

brasileiro, comreciante, solteiro,

portador do RG 941464113 e CPF/MF 022.642.255-05, residente e domiciliado
à Rua Loteamento Jardim Santa Tereza, Ed. Vina Del Mar, ap. 505, Luis
Anselmo, Salvador/BA, CEP 40.260-330, por seus advogados in fine assinados,
devidamente constituídos mediante instrumento de mandato anexo,
indicando, para os efeitos do artigo 39, I do Código de Processo Civil, o
endereço profissional inserido no rodapé desta como o local em que
Rua Torquato Bahia, nº 15, Edifício Amerino Portugal, 6º andar, Sala 605, Comércio, Salvador/BA
CEP 40.015-110 / Contato: (71) 3497-5679

Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.
Se impresso, para conferência acesse o site http://esaj.tjba.jus.br/esaj, informe o processo 0543262-03.2015.8.05.0001 e o código 1922376.

DE SALVADOR/BA

fls. 4

GLECIO MONTEIRO
ILMAH PELETEIRO
SAULO OLIVEIRA
Advogados

deverão receber todas as intimações, sob pena de nulidade, vem
respeitosamente à presença de Vossa Excelência, vêm, respeitosamente,
perante V. Exa., com fundamento na Carta Magna, art. 5ºXXXII, Lei
8.078/1990, arts. 6º, V, 39,V, 51, I,III,IV e IX e no princípio constitucional da

AÇÃO ORDINÁRIA DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS E MORAIS COM
PEDIDO DE ANTECIPAÇÃO DE TUTELA

em face de BRF EMPREEDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA, pessoa jurídica de
direito

privado,

sociedade

empresarial

limitada,

inscrita

no

CNPJ

03.812.505/0001-49, com endereço na Av. Tancredo Neves, nº 274, Ed. Centro
Empresarial Iguatemi, Bloco A, Sala 415, Caminho das Árvores, Salvador-BA,
CEP 41.820-020.

1-

DA ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA
Preliminarmente os Autores declaram que não possuem condições

financeiras de arcar com custas, despesas processuais e honorários
advocatícios sem prejuízo dos seus próprios sustento e das suas famílias, razão
pela qual requererem o benefício da assistência judiciária gratuita, com
fulcro no art. 5.º, XXXV, da CF/88, no art. 2.º da Lei n.º 1.060/50 e demais
dispositivos legais atinentes à matéria, sob pena de cerceamento de acesso
ao Poder Judiciário.

2-

DOS FATOS
2.1 – Os Autores celebraram Contrato de Promessa de Compra e

Venda com Ré, sendo que a 1ª AUTORA (Celina) firmou o contrato no dia 05
Rua Torquato Bahia, nº 15, Edifício Amerino Portugal, 6º andar, Sala 605, Comércio, Salvador/BA
CEP 40.015-110 / Contato: (71) 3497-5679

Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.
Se impresso, para conferência acesse o site http://esaj.tjba.jus.br/esaj, informe o processo 0543262-03.2015.8.05.0001 e o código 1922376.

razoabilidade e proporcionalidade, propor a presente

fls. 5

GLECIO MONTEIRO
ILMAH PELETEIRO
SAULO OLIVEIRA
Advogados

de agosto de 2011, na modalidade de adesão, da unidade imobiliária porta
de número 307, no empreendimento denominado RESIDENCIAL VENEZA,
localizado na Rua Parambu, Quadra 15, Loteamento Jardim Santa Tereza,
subdistrito de Brotas, Salvador - Ba, descrito e caracterizado na matrícula
98862, situado no 3° pavimento e vaga de garagem de nº 42 G1, registrado
no Cartório do 3º Ofício de Imóveis desta Capital do Estado da Bahia. (Doc.

2.2 – O preço total de compra da unidade autônoma, objeto do
contrato, foi de R$ 139.230,89 (cento e trinta e nove mil, duzentos e trinta
reais e oitenta e nove centavos), conforme “item 4” do instrumento
supracitado. Já a forma de pagamento, prevista nos “itens 4.1, 4.2, 4.2.1 e
4.2.2”, restou assim pactuada:
4.1. SINAL:
a) Primeira Parte, no valor de R$ 40.913,89 (quarenta mil
novecentos e treze reais e oitenta e nove centavos),
pagos neste ato, através de depósito bancário na conta
corrente 1300560-1, agência 4109, banco 033, a ser
cobrado pela VENDEDORA em 05/08/2011.
4.2 PARCELAS A PRAZO:
4.2.1 100 (cem) prestações mensais e sucessivas, cada
uma no valor de R$ 749,17 (setecentos e quarenta e
nove reais e dezessete centavos), vencíveis, a primeira
no dia 06/09/2011 e as demais mensais sucessivas,
reajustadas mensalmente pelo INCC (Índice Nacional de
Custo da Construção Civil)-DI - (Coluna 06), publicada
pela Fundação Getúlio Vargas, até a conclusão da
obra, após a conclusão da obra reajustadas
mensalmente pelo IGPM, ou na falta desse pelo Índice
que venha a o substituir.
4.2.2 “Parcela para entrega da Unidade”, no valor de R$
23.400,00 (vinte e três mil e quatrocentos reais),
reajustada mensalmente pelo INCC (Índice Nacional
de Custo da Construção Civil)-DI - (Coluna 06),
publicada pela Fundação Getúlio Vargas, até a
conclusão da obra, após a conclusão da obra
Rua Torquato Bahia, nº 15, Edifício Amerino Portugal, 6º andar, Sala 605, Comércio, Salvador/BA
CEP 40.015-110 / Contato: (71) 3497-5679

Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.
Se impresso, para conferência acesse o site http://esaj.tjba.jus.br/esaj, informe o processo 0543262-03.2015.8.05.0001 e o código 1922376.

anexo).

fls. 6

GLECIO MONTEIRO
ILMAH PELETEIRO
SAULO OLIVEIRA
Advogados

reajustada mensalmente pelo IGPM ou na falta desse
pelo Índice que venha a o substituir.
Parágrafo Primeiro — Todos os pagamentos efetuados em
cheque, serão recebidos com a cláusula “salvo
embolso”.

referido imóvel na modalidade de adesão no dia 04 de agosto de 2011. o 2º
AUTOR (Josenilton) adquiriu a unidade imobiliária de unidade imobiliária
porta de número 208, no citado empreendimento denominado RESIDENCIAL
VENEZA, localizado na Rua Parambu, Quadra 15, Loteamento Jardim Santa
Tereza, subdistrito de Brotas, Salvador - Ba, descrito e caracterizado na
matrícula 98862 no Cartório do 3º Ofício de Imóveis desta Capital do Estado
da Bahia, situado no 4° pavimento e vaga de garagem de nº 05 G1 –
Coberta.
2.4 – O preço total de compra da unidade autônoma, objeto do
contrato, foi de R$ 148.859,11 (cento e quarenta e oito mil, oitocentos e
cinquenta e nove reais e onze centavos), conforme “item 4” do instrumento
supracitado. Já a forma de pagamento, prevista nos “itens 4.1, 4.2, 4.2.1 e
4.2.2”, restou assim pactuada:
4.1 SINAL:
a) Primeira Parte, no valor de R$ 44.321,11 (quarenta e
quatro mil trezentos e vinte e um reais e onze centavos),
pagos neste ato, através de depósito bancário na
conta corrente 1300560-1, agência 4109, banco 033, a ser
cobrado pela VENDEDORA em 04/08/2011.
4.2 PARCELAS A PRAZO:
4.2.1 100 (cem) prestações mensais e sucessivas, cada
uma no valor de R$ 795,38 (setecentos e noventa e cinco
reais e trinta e oito centavos), vencíveis, a primeira no
dia 06/09/2011 e as demais mensais sucessivas,
reajustadas mensalmente pelo INCC (Índice Nacional de
Rua Torquato Bahia, nº 15, Edifício Amerino Portugal, 6º andar, Sala 605, Comércio, Salvador/BA
CEP 40.015-110 / Contato: (71) 3497-5679

Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.
Se impresso, para conferência acesse o site http://esaj.tjba.jus.br/esaj, informe o processo 0543262-03.2015.8.05.0001 e o código 1922376.

2.3 – Os demais Autores firmaram o contrato de compra e venda do

até a conclusão da obra. Comércio.5 – O 3º AUTOR (Josenilson) da unidade imobiliária de unidade imobiliária porta de número 408. nº 15.65 (quarenta e quatro mil setecentos e vinte e um reais e sessenta e cinco centavos). após a conclusão da obra reajustada mensalmente pelo IGPM ou na falta desse pelo Índice que venha a o substituir. foi de R$ 151. no valor de R$ 44. serão recebidos com a cláusula “salvo embolso”. restou assim pactuada: 4.8. situado no 4° pavimento e vaga de garagem de nº 03 G1 – Coberta.2.tjba. Parágrafo Primeiro — Todos os pagamentos efetuados em cheque.2015. pagos neste ato. Se impresso.2.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. objeto do contrato. 6º andar.1 SINAL: a) Primeira Parte.000. no valor de R$ 25.00 (vinte e cinco mil reais).(Coluna 06). no referido empreendimento denominado RESIDENCIAL VENEZA. 7 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 4.2 “Parcela para entrega da Unidade”. Rua Torquato Bahia. . conforme “item 4” do instrumento supracitado.br/esaj. reajustada mensalmente pelo INCC (Índice Nacional de Custo da Construção Civil)-DI .0001 e o código 1922376. localizado na Rua Parambu. duzentos e sessenta e seis reais e sessenta e cinco centavos).fls.Ba. para conferência acesse o site http://esaj. Edifício Amerino Portugal.2.65 (cento e cinqüenta e um mil. 4.1 e 4. Salvador/BA CEP 40. 2. subdistrito de Brotas.(Coluna 06).2. até a conclusão da obra.2”. Custo da Construção Civil)-DI . 4. prevista nos “itens 4. publicada pela Fundação Getúlio Vargas. Já a forma de pagamento. Salvador . 2.05. publicada pela Fundação Getúlio Vargas. agência 4109. através de depósito bancário na conta corrente 1300560-1. Sala 605.721.266. descrito e caracterizado na matrícula 98862 no Cartório do 3º Ofício de Imóveis desta Capital do Estado da Bahia. informe o processo 0543262-03. Quadra 15.6 – O preço total de compra da unidade autônoma. após a conclusão da obra reajustadas mensalmente pelo IGPM. Loteamento Jardim Santa Tereza.1. ou na falta desse pelo Índice que venha a o substituir.jus.

a ser cobrado 04/08/2011. para conferência acesse o site http://esaj.2. no referido empreendimento denominado RESIDENCIAL VENEZA.(Coluna 06). reajustada mensalmente pelo INCC (Índice Nacional de Custo da Construção Civil)-DI .400. publicada pela Fundação Getúlio Vargas.0001 e o código 1922376. setenta reais e cinqüenta e quatro centavos).br/esaj.00 (vinte e cinco mil e quatrocentos reais). foi de R$ 150. Salvador/BA CEP 40. Edifício Amerino Portugal.2 “Parcela para entrega da Unidade”. Loteamento Jardim Santa Tereza. cada uma no valor de R$ 811. ou na falta desse pelo Índice que venha a o substituir. 2. Se impresso. 2. Parágrafo Primeiro — Todos os pagamentos efetuados em cheque.7 – O 4º AUTOR (Jeanilton) da unidade imobiliária de unidade imobiliária porta de número 308.2. após a conclusão da obra reajustadas mensalmente pelo IGPM.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. 6º andar. 4.1 100 (cem) prestações mensais e sucessivas.8.54 (cento e cinqüenta mil. descrito e caracterizado na matrícula 98862 no Cartório do 3º Ofício de Imóveis desta Capital do Estado da Bahia. até a conclusão da obra.tjba.2 PARCELAS A PRAZO: .2015. subdistrito de Brotas. informe o processo 0543262-03. até a conclusão da obra. situado no 3° pavimento e vaga de garagem de nº. conforme “item 4” do instrumento Rua Torquato Bahia.jus. 04 G1 – Coberta.05. a primeira no dia 06/09/2011 e as demais mensais sucessivas. Sala 605. reajustadas mensalmente pelo INCC (Índice Nacional de Custo da Construção Civil)-DI .070. 8 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados banco 033. Quadra 15. objeto do contrato.8 – O preço total de compra da unidade autônoma.45 (oitocentos e onze reais e quarenta e cinco centavos). nº 15. Salvador .(Coluna 06). após a conclusão da obra reajustada mensalmente pelo IGPM ou na falta desse pelo Índice que venha a o substituir. no valor de R$ 25. vencíveis.fls. 4. Comércio.Ba. localizado na Rua Parambu. serão recebidos com a cláusula “salvo embolso”. pela VENDEDORA em 4. publicada pela Fundação Getúlio Vargas.

reajustadas mensalmente pelo INCC (Índice Nacional de Custo da Construção Civil)-DI .br/esaj. 2. publicada pela Fundação Getúlio Vargas. para conferência acesse o site http://esaj. o prazo de tolerância de 90 (noventa) dias para Rua Torquato Bahia.Cumpre ressaltar que ficou ainda estabelecido no “item 8”.200.1 100 (cem) prestações mensais e sucessivas. do mencionado contrato. Parágrafo Primeiro — Todos os pagamentos efetuados em cheque. vencíveis.2015.(Coluna 06). nº 15.tjba. ou na falta desse pelo Índice que venha a o substituir. Sala 605.8. 6º andar.2.00 (vinte e cinco mil e duzentos reais). até a conclusão da obra. pagos neste ato. cada uma no valor de R$ 805. Já a forma de pagamento. que o prazo para conclusão das obras e entrega física da unidade seria o dia 30 de abril de 2014. prevista nos “itens 4.05. após a conclusão da obra reajustadas mensalmente pelo IGPM.0001 e o código 1922376.2 “Parcela para entrega da Unidade”. restou assim pactuada: a) Primeira Parte. 4. ficando estipulado.2”. Edifício Amerino Portugal.1 SINAL: .64 (quarenta e quatro mil duzentos e oitenta e três reais e sessenta e quatro centavos). 4.9 . 9 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados supracitado. Comércio.2. na sua “cláusula vigésima quinta”. no valor de R$ 25.2.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. através de depósito bancário na conta corrente 1300560-1.jus. serão recebidos com a cláusula “salvo embolso”. 4.(Coluna 06). até a conclusão da obra.87 (oitocentos e cinco reais e oitenta e sete centavos). banco 033. reajustada mensalmente pelo INCC (Índice Nacional de Custo da Construção Civil)-DI .2.283. Se impresso. a primeira no dia 06/09/2011 e as demais mensais sucessivas. 4.fls.1. após a conclusão da obra reajustada mensalmente pelo IGPM ou na falta desse pelo Índice que venha a o substituir. Salvador/BA CEP 40.1 e 4. 4. agência 4109. a ser cobrado pela VENDEDORA em 04/08/2011.2 PARCELAS A PRAZO: 4.2. no valor de R$ 44. informe o processo 0543262-03. publicada pela Fundação Getúlio Vargas.

sendo que em contrapartida. 10 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados entrega do imóvel. 2. informe o processo 0543262-03.13 – Todo o atraso na entrega da obra.0001 e o código 1922376.11 . além de gerar inúmeras conseqüências jurídicas a partir do contrato celebrado entre as partes.Resta comprovado que a empresa Ré vendeu a promessa de um imóvel devidamente finalizado.05. que não cumpriu com as suas obrigações contratuais.12 – Tal fato demonstra o total descaso da Ré com os adquirentes. com mais de 01 (um ano) de 2. contados do termo final previsto. 2. Anexo).10 . a quantia relativa a “Quarta Parte” correspondente à "PARCELA PARA ENTREGA DA UNIDADE" da contraprestação devida pelos Autores sofreu um acréscimo Rua Torquato Bahia. pois outras pessoas também não receberam seus imóveis ou receberam de maneira precária e abaixo do padrão prometido. de forma negativa.14 . 2. Se impresso. que acreditaram na credibilidade da empresa. Isto é. o que não passou unicamente de promessa. sendo que tais fatos confirmam a falta de credibilidade da empresa Ré. atraso (doc. 2. . para conferência acesse o site http://esaj.8. a efetiva liberação do “Habite-se” só fora concedida no dia 09/03/2015. nº 15. gerando prejuízos para os Autores que cumpriram com o que lhes cabiam no contrato. sendo os Autores informados apenas no dia 15/05/2015 . sem sombra de dúvida repercutiu.Cabe ressaltar que a empresa Ré possui outros litígios. Comércio. 6º andar.jus. Inúmeras foram as chateações e frustrações com os atrasos. Salvador/BA CEP 40.15 . Sala 605.Inobstante o termo definido no contrato. 2. na esfera pessoal dos Autores.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. todas individualizadas e pormenorizadas nesta proemial. consoante adiante demonstrado. ressalvadas as hipóteses de caso fortuito. vez que a aquisição de um imóvel residencial é o sonho e objetivo de muitas pessoas. Edifício Amerino Portugal.tjba.2015.br/esaj. a empresa Ré não cumpriu com o contrato firmado com os Autores. em razão do atraso na entrega do imóvel.fls.Frise-se. força maior ou outros fatos extraordinários.

diante dos fatos.2015. ao atrasar a entrega dos empreendimentos. 11 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados significativo. 3– DO DIREITO 3. Sala 605. 2. beneficiando. obstando os planos dos Autores de quitação em parcela única.tjba. e. eis que decorrente da atualização do saldo devedor durante o citado período de atraso. atualização esta indevida.18 . assim. e que. Se impresso.1 .1. a Ré através de sua própria conduta faltosa.Primeiramente cumpre ponderar que estamos diante de uma demanda típica de relação de consumo. Edifício Amerino Portugal. restou comprovado que os Autores buscaram diversas vezes a solução dos seus problemas diretamente com a empresa Ré. por via de consequência. ainda.fls.16 . que atrai. 2. ou melhor. visto que o imóvel não lhe foi entregue.Assim. haja vista que até o momento não obtiveram solução. que os valores originários dos imóveis sofreram um reajuste demasiado devido ao atraso na conclusão das obras bem como na forma de atualizar os saldos devedores. para conferência acesse o site http://esaj.8. resultando na presente Ação Judicial. informe o processo 0543262-03. quitar um montante superfaturado.Ressalta-se. ainda. por conseguinte. Salvador/BA CEP 40. impôs aos Autores a . impedindo que os Autores tivessem acesso ao bem adquirido. acabou por imputar aos Autores o ônus de “obrigação” de suportar o pagamento de uma quantia indevida.Código de Defesa do Rua Torquato Bahia. nº 15.0001 e o código 1922376. 6º andar.17 . 2.Observe-se que o comportamento faltoso da Ré. provocou o acréscimo dos valores a serem pagos. 3. Comércio. como originariamente haviam se comprometido.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. sendo que todas as tentativas restaram frustradas.05.br/esaj.jus. como restará demonstrado.1 .DA APLICAÇÃO DO CDC. a incidência dos dispositivos do CDC .

br/esaj. trazendo. no seu art.2. Sala 605.2 . aplicável à hipótese em apreço a teoria da responsabilidade objetiva. nº 15.2 .jus. inclusive. frustrou as expectativas. Edifício Amerino Portugal. que o fornecedor de produtos responde pela reparação dos danos causados aos seus consumidores. 12 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados Consumidor. exclusivamente por sua culpa.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. 6º andar. 14. ou seja.1 . porém não houve o cumprimento da obrigação pela empresa Ré e.2015. Comércio. bem como o saldo devedor dos imóveis em contenda.0001 e o código 1922376. 3. independentemente da existência de culpa. descumprindo com todas as cláusulas vigentes em relação ao contrato pactuado entre as partes.4 . Salvador/BA CEP 40.8.05.fls.2. criando enorme prejuízo moral e material aos seus consumidores.DO ATRASO NA CONCLUSÃO DA OBRA.O injustificado atraso da obra.Caracterizada resta. o prazo se findou em julho de 2014. quais sejam de gozar e dispor dos referidos bens. . para conferência acesse o site http://esaj. Se impresso. informe o processo 0543262-03.tjba. 3. Rua Torquato Bahia.3 . a responsabilidade da Ré. DA RESPONSABILIDADE DA RÉ. mesmo com a tolerância de 90 dias. legal.2. bem como afrontando o Código do Consumidor e demais normas que prezam por uma boa realização de serviço contratado.2. o que requer seja observado. 3. ora Autores. uma vez que na condição de fornecedora atuou de forma negligente e imprudente. planos e projetos dos Autores. que prevê. evidentes prejuízos de ordem material e moral a estes.Os contratos firmados entre as partes deveriam ter sido cumpridos com a entrega dos imóveis na data de 30 de abril de 2014. além de caracterizar inadimplemento contratual da Ré. majorou de uma forma absurda o valor da parcela da entrega das chaves. assim como os demais consectários previstos no citado diploma 3. 3.Ocorre que a empresa Ré. assim. sem sombra de dúvida.

ainda. hipótese em tela.8. 422.6 . da existência do nexo causal entre o fato lesivo e o dano provocado.)”. do CC e da função social dos contratos.fls. a proteção de seus interesses econômicos.Nesse sentido dispõe o art. nº 15. 13 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 3.º. 4. é hoje francamente balizada pelos princípios da boa-fé objetiva. 3. previsto no art.7 .. formou-se um consenso no momento em que se passou a regulamentar a responsabilidade pelo fato do produto ou pelo fato do serviço. O CDC deixou expresso que os fornecedores de produtos e serviços respondem pelos danos causados ao consumidor independentemente da existência de culpa”. conforme resume Paulo de Tarso Vieira “No Brasil. previsto no art. transferindo-lhe todos os riscos da relação de consumo.tjba. 5. Se impresso. o qual se encontra. 4. informe o processo 0543262-03. o primado da boa-fé é “(. Edifício Amerino Portugal.º. tornando objetiva a Responsabilidade do fornecedor. 799. Sala 605. claramente.8 .. São Paulo: Revista dos Tribunais. em torno da necessidade de também se dispensar a presença da culpa no suporte fático do fato ilícito de consumo.2. Sanseverino: .jus. no caso em concreto.br/esaj.2. do citado diploma legal. adstrito ao princípio do equilíbrio contratual. para conferência acesse o site http://esaj. o respeito à sua dignidade. in verbis: “Art. Comércio. professora Cláudia Lima Marques. em geral.Como já ressaltado.ª ed.05.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.2. 3.Destaque-se que nas relações de consumo. 2006. Portanto.) o princípio máximo orientador (. do CDC. p.2015.. o que implica tão somente na necessidade de identificação.5 . no direito brasileiro.0001 e o código 1922376. a Rua Torquato Bahia. por um regime de responsabilidade objetiva não culposa do fornecedor de produtos e serviços”.. saúde e segurança. optou-se. 3. a legislação consumerista determina a responsabilidade objetiva do fornecedor pelos produtos por ele disponibilizados ao mercado consumidor.É ainda sabido que a disciplina jurídica dos contratos. A Política Nacional das Relações de Consumo tem por objetivo o atendimento das necessidades dos consumidores.2. no seu livro Contratos no Código de Defesa do Consumidor – O Novo Regime das Relações Contratuais. 6º andar. 421. Salvador/BA CEP 40.. segundo leciona a i.

de modo a viabilizar os princípios nos quais se funda a ordem econômica (art.br/esaj.8. 170.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.fls.Neste sentido. a boa-fé objetiva. VI. bem como ante o fato de se encontrarem presentes os pressupostos ensejadores da responsabilidade civil. Sala 605. do CDC. Se impresso.05.DA NULIDADE DA “CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA” DO INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA. 14 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados melhoria da sua qualidade de vida. 3. é tratada pelo legislador com status de verdadeiro princípio no campo do Direito Consumerista e as normas positivas. requer seja declarado descumprimento do contrato em comento. da Constituição Federal). (. uma vez comprovado ter sido a Ré a causadora do inadimplemento contratual. constantes dos arts. Fato que não se observa no caso em tela! 3. sempre com base na boa-fé e equilíbrio nas relações entre consumidores e fornecedores”. omissis) . atendidos os seguintes princípios: III . a fim de que seja a Ré condenada as implicações legais.. que definem a abusividade de práticas comerciais e de cláusulas contratuais. para conferência acesse o site http://esaj. nº 15. informe o processo 0543262-03. Assim. 927 e 186. Salvador/BA CEP 40.Como destacado.2. como uma das garantias de equilíbrio das relações contratuais.3 . indispensável ao desenvolvimento da relação jurídica sob o primado da boa-fé.0001 e o código 1922376. Edifício Amerino Portugal.º.2. (grifou-se e destacou-se). 6º andar. 3. bem como a transparência e harmonia das relações de consumo.10 . c/c o art. representam detalhamento aplicado dos princípios fundamentais. ambos do CC..jus.harmonização dos interesses dos participantes das relações de consumo e compatibilização da proteção do consumidor com a necessidade de econômico e tecnológico. Rua Torquato Bahia.tjba. 6. que deve lastrear tanto a celebração como a execução dos contratos em geral. que regem todo o microssistema do Direito do Consumidor.9 . necessário se torna o comprometimento das partes com o negócio pactuado. Comércio.2015.

bem como a prorrogação indefinida desse prazo. Parágrafo Primeiro – Para os efeitos desta cláusula. a obra do empreendimento objeto do presente contrato deverá estar concluída até a data indicada no “item 8” do Quadro Resumo.8. f) . revoluções ou alterações de ordem instituída.0001 e o código 1922376. que afetem o setor imobiliário.br/esaj. ainda. Senão veja-se a citada cláusula: “VIGESSIMA QUINTA– PRAZO DE CONCLUSÃO DA OBRA: Ressalvadas as hipóteses de caso fortuito. Edifício Amerino Portugal.3. guerras. cumpre reiterar que na hipótese em apreço.Feita a ponderação supra. ou dificultem. contatos do termo final previsto. no entanto. Sala 605. para atraso na .05. consideram-se fatos extraordinários: a) – inexistência de materiais de construção.fls.jus. Comércio. ou similares.2015. ou dos quais decorram danos ou prejuízos de qualquer espécie a construções vizinhas. a possibilidade entrega do imóvel. informe o processo 0543262-03. em seu favor. nº 15. a Ré estabeleceu como prazo de entrega das unidades adquiridas pelos Autores o dia 30 de abril de 2014. Se impresso.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. 15 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 3. de tolerância de 90 (cento e oitenta) dias. para compra no mercado. b) – demandas judiciais em relação a vizinhos ou terrenos lindeiros c) – longo período de chuvas que impeça ou dificulte.1 . de algum modo. o andamento normal de etapas importantes da obra d) – ventos constantes e/ou fortes que impeçam. previu. uma tolerância de até 90 (noventa) dias. e) – greves. força maior. para conferência acesse o site http://esaj. substancialmente.Impontualidade do Promissário Comprador no cumprimento de suas obrigações. g) – interrupção nos meios de transporte Rua Torquato Bahia. 6º andar. valendo-se de contrato que contém cláusula revestida de abusividade. entretanto. admitindo-se. ou outros fatos extraordinários. Salvador/BA CEP 40. na hipótese de ocorrência de “fatos extraordinários”.tjba. a execução de algum serviço.

” 3. (.2015. omissis) IV . a mencionada cláusula é manifestamente abusiva e nula de pleno direito. Salvador/BA CEP 40. Sala 605. entre outros casos. ou sejam incompatíveis com a boa-fé ou a equidade. abusivas. nº 15..8.jus.05. São nulas de pleno direito.fls. 51.tjba.0001 e o código 1922376.Na ocorrência de qualquer dos impedimentos acima. que coloquem o consumidor em desvantagem exagerada. 393 do Código Civil.. por motivo independente da vontade Promitente vendedora.ofende os princípios fundamentais do sistema jurídico a que pertence. (. Se impresso. quando analisada em cotejo com o que prescreve o art.. Edifício Amerino Portugal.2 . Presume-se exagerada. entre outras. o prazo de conclusão da obra será prorrogado por período idêntico ao do impedimento.br/esaj. omissis) XV . a vantagem que: I . j) – eventuais embargos da construção provocados por autoridades públicas ou proprietários vizinhos. Parágrafo Segundo . Senão veja-se: “Art.Como se vê. 6º andar.3. k) – qualquer fato que se enquadre em alguma das hipóteses do art.. Comércio. para conferência acesse o site http://esaj. exonerem ou atenuem a responsabilidade do fornecedor por vícios de qualquer natureza dos produtos e serviços ou impliquem renúncia ou disposição de direitos. 51.estabeleçam obrigações consideradas iníquas.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. Rua Torquato Bahia. . 16 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados h) – demora na execução de serviços a cargo de empresas concessionárias de serviços públicos i) demora do poder público na concessão do “Habitese”. as cláusulas contratuais relativas ao fornecimento de produtos e serviços que: I impossibilitem. informe o processo 0543262-03. do CDC.estejam em desacordo com o sistema de proteção ao consumidor. § 1º.

3. entre as condições defesas se incluem as que privarem Rua Torquato Bahia. a ser suportado exclusivamente pela Ré. tais intercorrências não se aproveitam à mesma para autorizá-la a descumprir o prazo anunciado. 6º andar.4 . Em contrapartida.restringe direitos ou obrigações fundamentais inerentes à natureza do contrato.O Código Civil no art. Eis a dicção do citado dispositivo: Art. 17 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados II .3 .br/esaj. o interesse das partes e outras circunstâncias peculiares ao caso. única e exclusivamente.fls. reza os contratos celebrados entre as partes que a incidência de multa e juros em desfavor dos Autores com apenas um dia de atraso no pagamento de qualquer parcela sob sua responsabilidade. 122.3. Salvador/BA CEP 40.tjba. Se impresso. aplicável a hipótese subsidiariamente.8.se mostra excessivamente onerosa para o consumidor. informe o processo 0543262-03. mas isso faz parte do risco do empreendimento.5 . todas as condições não contrárias à lei. entendidas estas como aquelas que se sujeitam ao exclusivo arbítrio de uma das partes. 3. veda cláusulas ou condições consideradas puramente potestativas. de modo abusivo e desproporcional as Rés. e por ela deveria ser levado em consideração quando da fixação do prazo de entrega do imóvel.05.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. fácil evidenciar–se que todo o disciplinamento alusivo aos prazos de entrega beneficia.2015. “sem qualquer exigência” ou fundamentação legal.3. nº 15. à ordem pública ou aos bons costumes. em geral.É comum se ouvir que o prazo de tolerância se deve a imprevisibilidade de ocorrências que podem comprometer o andamento das obras. III .jus.Ademais. Sala 605. considerar prorrogado o prazo por 180 (cento e oitenta) dias ou até mesmo por 90 (noventa) dias. 3.3. que. considerando-se a natureza e conteúdo do contrato. São lícitas. Logo. menos ainda para fixar “prazo de tolerância” em seu favor. mascarando o prazo originariamente pactuado. ao seu capricho pode simplesmente.” .0001 e o código 1922376. Comércio. para conferência acesse o site http://esaj. de tal modo a ameaçar seu objeto ou o equilíbrio contratual. 122. Edifício Amerino Portugal.

fls.Com efeito.8. que pode obstá – lo ou ensejá – lo. Salvador/BA CEP 40.3.10 .11 . seja para conservar (condição resolutiva) os efeitos por elas previstos. eficácia do contrato depender de uma simples e arbitrária declaração de vontade de uma das partes contratantes.Ora.0001 e o código 1922376. Se impresso. 3. mas nem por isso o contrato de adesão deixa margem para que o mesmo possa. nº 15.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. para o fornecedor faltoso. roubo de seu salário. como o desemprego inesperado.05. para conferência acesse o site http://esaj.7 . de nada serve ao consumidor ter um prazo fixado pelo fornecedor. Sala 605. se o desrespeito a esse prazo não resultar. que o contrato preveja idêntica tolerância para a mora do consumidor.3. 6º andar. 3. seja para produzir (condição suspensiva). 3.3. vale lembrar que o consumidor também está sujeito a uma indeterminável série de imprevistos que podem lhe comprometer a pontualidade no adimplemento de suas obrigações. 3. atrasar a prestação do imóvel. a menos. informe o processo 0543262-03.Segundo a doutrina de Nelson Nery Jr.3. impunemente.9 .tjba.br/esaj. o Direito Positivo não se compadece com esta sorte de previsão contratual que estipula uma tolerância para a mora do fornecedor. obviamente. 3. ou o sujeitarem ao puro arbítrio de uma das partes. morte de cônjuge. Edifício Amerino Portugal. considera–se puramente potestativa a condição se.Em suma. e Rosa Maria de Andrade Nery. uma consequência efetiva e simétrica às sanções previstas para as faltas do consumidor.3. Rua Torquato Bahia.8 . bastar a volição exclusiva e arbitrária de uma das partes. 3.Por oportuno. doença grave na família. para seu implemento.6 .2015.3.O mero reconhecimento de um direito é desvalido juridicamente se não fica assegurado o meio bastante para seu exercício ou a sanção bastante para o seu desrespeito. 18 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados de todo efeito o negócio jurídico. é puramente potestativa a condição que faz a . Comércio.jus.

664185. OU SEJA. VALOR CORRETAMENTE FIXADO COM BASE EM PLANILHA FORNECIDA PELA CONSTRUTORA E NÃO CONTRADITADA PELO CONSUMIDOR. TAL QUAL POSTO NA SENTENÇA GUERREADA. NO MÁXIMO. NÃO COMPROVAÇÃO DO VALOR ATUALIZADO DO IMÓVEL. O QUE PERFAZ UM ATRASO DE 4 MESES. MULTA CONTRATUAL. CDC). RELATOR: JOÃO FISCHER. REVISOR: SANDOVAL OLIVEIRA. A FIM DE FIXAR O PRAZO DE PRORROGAÇÃO EM 180 DIAS CORRIDOS. A CONTAR DA DATA DA ASSINATURA DO FINANCIAMENTO BANCÁRIO. DATA DE JULGAMENTO: 19/03/2013. para conferência acesse o site http://esaj. Comércio. HOUVE INFORMAÇÃO INADEQUADA POR PARTE DA CONSTRUTORA. O IMÓVEL DEVERIA TER SIDO ENTREGUE AO CONSUMIDOR. 6º.CLÁUSULA CONTRATUAL QUE PREVÊ A PRORROGAÇÃO DE 180 DIAS ÚTEIS PARA A ENTREGA DO IMÓVEL IMPÕE DESEQUILÍBRIO CONTRATUAL. INDENIZAÇÃO DEVIDA. Sala 605. DURANTE A CONSTRUÇÃO DO IMÓVEL.1. LUCROS CESSANTES. PUBLICADO NO DJU SEÇÃO 3: 21/02/2008. 2ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS CÍVEIS E CRIMINAIS DO DF. 51. PORQUANTO EXCESSIVAMENTE ONEROSA PARA O CONSUMIDOR (ART. informe o processo 0543262-03. SOMENTE FOI ENTREGUE EM MAIO/2013. INADIMPLEMENTO CONTRATUAL CONFIGURADO. 2. CONSUMIDOR. Salvador/BA CEP 40. PRECEDENTE DO TJDFT (20030110153159APC. ALÉM DISSO. CASO FORTUITO OU FORÇA MAIOR.05. UMA VEZ QUE ADMITE A POSSIBILIDADE DE RETARDAMENTO NA ENTREGA DO IMÓVEL. Se impresso. CONSIDERA-SE DISPONÍVEL O IMÓVEL AO CONSUMIDOR DESDE QUE HAJA A ENTREGA DAS CHAVES. IV. ASSIM.A RECORRENTE COMPROVA QUE HOUVE VARIAÇÃO NOS ÍNDICES PLUVIOMÉTRICOS.Sobre o tema vem decidindo os Tribunais Pátrios: COMPRA E VENDA DE IMÓVEL. PÁG.: 246).015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.8. VALOR COMPATÍVEL COM ALUGUEL REFERENTE A IMÓVEL SIMILAR. NÃO BASTANDO A CONCESSÃO DO HABITE-SE. NÃO DESTACOU A CLÁUSULA CONTRATUAL (ART. CLÁUSULA ABUSIVA. EM JANEIRO/2013. 6º andar. Edifício Amerino Portugal.3. 3. DATA DE JULGAMENTO: 13/02/2008.jus. III. 1. QUE EMBORA LIMITE DIREITO DO CONSUMIDOR. PRINCIPALMENTE SE A CONSTRUTORA NÃO POSITIVA QUE HOUVE CULPA DO CONSUMIDOR NA DEMORA. PUBLICADO NO DJE: 26/03/2013.2015. 20120310217510ACJ. 4ª TURMA CÍVEL.br/esaj. CDC).DESSA FORMA. RELATOR: GILBERTO PEREIRA DE OLIVEIRA.0001 e o código 1922376.12 . SENTENÇA MANTIDA. RECURSOS CONHECIDOS E NÃO PROVIDOS.fls.tjba. CONFORME CLÁUSULA CONTRATUAL 4. 19 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 3. MAS A CHUVA É FATO PREVISÍVEL E SOMENTE SE PERFAZ EM CASO FORTUITO OU FORÇA MAIOR SE Rua Torquato Bahia. NO ENTANTO. PRAZO DE PRORROGAÇÃO EXPIRADO. AUSÊNCIA DE PROVA.: 1493) E DAS TURMAS RECURSAIS (ACÓRDÃO N. NULIDADE. APÓS 180 DIAS CORRIDOS. CONTRATO DE . PRORROGAÇÃO DO PRAZO DE ENTREGA POR 180 DIAS ÚTEIS. JUIZADO ESPECIAL CÍVEL. CORRETA A DECLARAÇÃO DE NULIDADE PARCIAL DA CLÁUSUAL QUINTA DO CONTRATO. nº 15. PÁG.

3% SOBRE O VALOR ATUALIZADO DO IMÓVEL (CLÁUSULA QUINTA).A INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS. NÃO INCUMBE AO JUDICIÁRIO DETERMINAR RETENÇÃO DE VALOR A TÍTULO DE IMPOSTO. AINDA.jus. AINDA QUE ASSIM NÃO FOSSE. Sala 605. SE O AUTOR NÃO COMPROVA. DE PRONTO. NA FORMA DO Rua Torquato Bahia. UTILIZA-SE COMO PARÂMETRO O VALOR DO ALUGUEL PARA IMÓVEIS SIMILARES APENAS PARA SE FIXAR O QUANTUM DEBEATUR.099/95). 7. nº 15. BEM COMO.0001 e o código 1922376. SERVINDO A SÚMULA DE JULGAMENTO COMO ACÓRDÃO. A REQUERIDA NÃO SE DESINCUMBIU DO ÔNUS PROBATÓRIO ESTABELECIDO NO ARTIGO 333. PARÁGRAFO ÚNICO. Se impresso. TAL NÃO RESTOU DEMONSTRADO NOS AUTOS E. EM MUITO. QUE. SENTENÇA MANTIDA POR SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS.2015. SENDO A CEF RESPONSÁVEL PELA LIBERAÇÃO DAS PARCELAS. FOI FIXADA EM 0. POR ISSO. LEI 9. NA HIPÓTESE. 8. INADMISSÍVEL EM SEDE DE JUIZADOS ESPECIAIS LIQUIDAÇÃO DE SENTENÇA. QUE. NÃO PODIA EXIGIR O CUMPRIMENTO DA AVENÇA. O VALOR ATUALIZADO DO IMÓVEL. 5. CPC. MÁXIME SE ESTE NÃO É SUFICIENTE PARA INTERFERIR NO RESULTADO DO JULGAMENTO. 4. PORQUANTO EVENTUAL DECLARAÇÃO DE RENDA É DEVER DO CREDOR JUNTO AO FISCO. APLICA-SE A MULTA AJUSTADA.fls. ALÉM DISSO. POIS IMPEDE A FRUIÇÃO DO IMÓVEL PELO COMPRADOR.NÃO CONSTITUI NUILIDADE A OMISSÃO NA SENTENÇA EM ANALISAR FUNDAMENTO DA DEFESA.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. O POSTULANTE NÃO ESTAVA EM MORA COM O PAGAMENTO DO SALDO DEVEDOR. RETARDANDO A CONCLUSÃO DA OBRA. PORQUANTO DEFESA A PROLAÇÃO DE SENTENÇA ILÍQUIDA (ARTIGO 38. 20 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA RESTAR COMPROVADO QUE ULTRAPASSOU. OS ÍNDICES PLUVIOMÉTRICOS ORDINÁRIOS. CC.O ATRASO NA ENTREGA DO IMÓVEL. Comércio. Salvador/BA CEP 40.br/esaj. NÃO SE CONFUNDE COM O PAGAMENTO DE ALUGUERES. IMPORTA NA INDENIZAÇÃO POR LUCROS CESSANTES. 6.CONFIGURADO O INADIMPLEMENTO CONTRATUAL. II. 6º andar. Edifício Amerino Portugal. para conferência acesse o site http://esaj. PORTANTO. O VALOR DO CONTRATO FOI PAGO MEDIANTE FINANCIAMENTO BANCÁRIO. Advogados .RECURSO CONHECIDOS E NÃO PROVIDOS. DE FORMA A CAUSAR A PARALIZAÇÃO DO TRABALHO. CORRETA A SENTENÇA QUE ACATA A QUANTIA INDICADA EM PLANILHA FORNECIDA PELA CONSTRUTORA E NÃO CONTRADITADA PELO PROMISSÁRIO COMPRADOR. CONFORME PROVA COLACIONADA PELO AUTOR/RECORRIDO (FLS.8. NO CASO. A PROVA DOCUMENTAL (FLS. NA MODALIDADE LUCROS CESSANTES. 64/65). 112/113) POSITIVA QUE. informe o processo 0543262-03. POR SI MESMO. A PARTIR DE NOVEMBRO/2011. UMA VEZ QUE COMPATÍVEL COM O VALOR MENSAL DOS ALUGUERES REFERENTES ÀQUELES PRATICADOS NO LOCAL ONDE SE SITUA O IMÓVEL.05. INAPLICÁVEL O DISPOSTO NO ARTIGO 476. NA DATA DA ENTREGA DO IMÓVEL. CORRETA A FIXAÇÃO DO QUANTUM INDENIZATÓRIO. DEMONSTRA. DESMOTIVADA A TESE DEFENSIVA DE QUE O AUTOR ESTAVA EM MORA E. POIS ESTE FOI QUITADO EM AGOSTO/2012.tjba.

6º andar. PELO PRAZO DE 5 ANOS. deve ser utilizado exclusivamente em se tratando de fortuito ou força maior passível de comprovação. para conferência acesse o site http://esaj.tjba. ULTRAPASSADO PRAZO DE ENTREGA DO IMÓVEL. nº 15.099/95.jus. Rua Torquato Bahia.fls. PRESUNÇÃO JURIS TANTUM ACERCA DOS FATOS ALEGADOS PELO AUTOR.: 282) E. Relator: CARLOS ALBERTO MARTINS FILHO. Salvador/BA CEP 40. desde se tratasse comprovadamente daquilo que a doutrina e a jurisprudência chamam de fortuitos externos. quando previsto no contrato. APELO PROVIDO 3.0009.AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DO CASO FORTUITO OU FORÇA MAIOR.ACJ: 20130910126905 DF 0012690-14.2012. PELAS CUSTAS PROCESSUAIS E RESTAM COMPENSADOS OS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. LEI 9.0001 Foro de Origem: Salvador Órgão: Primeira Câmara Cível Apelante :Agda de Souza Amaral Advogado : Henrique Borges Guimarães Neto (OAB: 17056/BA) Advogado : Márcio Beserra Guimarães (OAB: 21323/BA) Apelado : Construtora Tenda S/A Advogado : Ary Fonseca Bastos Filho (OAB: 22237/BA) Advogado :Antonio Roberto Prates Maia (OAB: 4266/BA) Relator: Des. Apelação nº 0335286 -31. OS RECORRENTES RESPONDEM.07.0001 e o código 1922376. CLÁUSULA FIXANDO PRAZO DE TOLERÂNCIA DE 180 DIAS. COMPRA E VENDA DE IMÓVEL. NULIDADE À LUZ DO CDC. ARTIGO 46. Data de Julgamento: 19/11/2013. Detalhe.O prazo de carência.3.8. LEI 1.8. AÇÃO E INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS E MORAIS. Augusto de Lima Bispo Assunto: Indenização por Dano Moral publicado em 27/03/2014 APELAÇÃO CÍVEL. PRO RATA. Edifício Amerino Portugal.05. informe o processo 0543262-03.060/50.8.05.2013. Pág. COM RELAÇÃO AO AUTOR/RECORRENTE. 21 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados (TJ-DF . 3ª Turma Recursal dos Juizados Especiais do Distrito Federal. PROVA DOCUMENTAL SUFICIENTE. NA FORMA DO ARTIGO 12. SUSPENSA A COBRANÇA DA VERBA SUCUMBENCIAL. AUSÊNCIA DE CONTESTAÇÃO. Sala 605.13 .br/esaj. REVELIA PARCIAL. . APLICAÇÃO DAS NORMAS CONSUMERISTAS. Data de Publicação: Publicado no DJE : 10/12/2013 .015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. DISPOSITIVO PREJUDICIAL AO ADQUIRENTE. Se impresso. Comércio.2015. ou seja.

ser declarada de ofício pelo Julgador.tjba. fixado em favor da Ré. no que pertine à sua principal obrigação na avença. para o .br/esaj. entregar os imóveis na data pactuada. até os dias atuais. 6º andar. no máximo. que seria adimplido pelos Autores.2 . 3. com base no art. e vem. o INCC continuou incidindo sobre o valor relativo a “PARCELA PARA A ENTREGA DA UNIDADE” durante todo o período de atraso. no adimplemento da principal obrigação que lhe competia. Salvador/BA CEP 40. provocado única e exclusivamente pela Ré.jus. Isto porque. informe o processo 0543262-03. operando-se por força de lei. inclusive. para conferência acesse o site http://esaj.4 . 51. seja reconhecida e declarada a nulidade da “cláusula vigésima quinta” do “Instrumento Particular de Promessa de Compra”.3.3. qual seja.4. Ocorre que em função do descumprimento por parte da Ré. requer o Autor. Sala 605. Atraso esse. Comércio. que pertine ao prazo de tolerância. repita-se. Edifício Amerino Portugal.14 . do CDC.8.15 .DA INCIDÊNCIA INDEVIDA DA CORREÇÃO MONETÁRIA (INCC) NO PERÍODO DO ATRASO DA ENTREGA DO IMÓVEL. 22 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados situações não inerentes ou não diretamente relacionadas com a própria atividade empresarial desenvolvida pelas Rés. dia 30 de abril de 2014. além de acarretar um acréscimo significativo na “PARCELA PARA A ENTREGA DA UNIDADE” do débito.Observe-se que a conduta faltosa da Ré. nº 15. inviabilizou o seu pagamento em uma única parcela. 3. podendo. servindo de entrave para a tão sonhada casa própria. Se impresso.Ante o todo acima exposto. 3. o índice de reajuste deveria incidir até.0001 e o código 1922376. já que coloca os Autores em excessiva desvantagem.Ressalte-se que tal nulidade é absoluta. data contratada para a entrega dos Rua Torquato Bahia.No contrato em análise.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.4.fls. 3.1 .2015.05. restou fixado na “Cláusula Quinta” que a parcela referente à “PARCELA PARA A ENTREGA DA UNIDADE” do contrato seria monetariamente corrigida segundo o INCC. 3.

(Grifos aditados). ATRASO NA ENTREGA DO IMÓVEL.2013. seria feito o pagamento da parcela ajustada na promessa de compra e venda.3 .4.8. I.4. 23 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados imóveis adquiridos pelos Autores. AGRAVO DE INSTRUMENTO. Senão veja-se: PROCESSO CIVIL. E. 3. nos termos do Código de Defesa do Consumidor e que. Salvador/BA CEP 40. informe o processo 0543262-03. Raimundo José Barros de Sousa. Sala 605. para conferência acesse o site http://esaj.4. do contrário. Ac.br/esaj.jus. Pedido de antecipação dos efeitos da tutela parcialmente deferido.tjba. quando. Des. Insurgência. 3. Comércio. AGRAVO DE INSTRUMENTO.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. para fazer incidir. 25/11/2013. 3. Conduta considerada abusiva.fls. por culpa do fornecedor. Rel. a correção monetária referida. nº 15.10. CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL. ou seja. haja vista que ninguém pode se beneficiar da própria torpeza (neo turpitudinm suam allegare potest).0001 e o código 1922376. II. Ação de obrigação de fazer c/c indenização por danos materiais. Se impresso. Edifício Amerino Portugal. Julg. diga-se de passagem. indevidamente. DJEMA 28/11/2013). inclusive. Congelamento do saldo devedor. Agravo improvido.0000.O que acontece em verdade é a clara vontade da Ré de se beneficiar do seu próprio descumprimento contratual. se estaria beneficiando quem teria dado causa ao atraso na obra. muito menos se pode aceitar que os Autores Ré em relação ao pactuado entre as partes. deve ser rechaçada de plano pelo Poder Judiciário. é razoável manter a suspensão da correção monetária do saldo devedor. portanto. pois. ratifique-se. 138904/2013. CONGELAMENTO DO SALDO DEVEDOR.5 - Este é o entendimento jurisprudencial. Presentes os requisitos autorizadores da tutela antecipada.05. sobre a “PARCELA PARA A ENTREGA DA UNIDADE” do contrato. Quinta Câmara Cível. pelo congelamento do saldo devedor no período de atraso da entrega.8. Rec 0008607-95. AGRAVO IMPROVIDO. 6º andar. então. Correção monetária Rua Torquato Bahia. pelo descaso e desrespeito da . (TJMA.2015. durante o período em que provocou o atraso da obra. ANTECIPAÇÃO DE TUTELA. paguem e muito caro.Mais uma vez.4 . OBRIGAÇÃO DE FAZER. não se pode admitir que o consumidor arque com todas as consequências inerentes ao risco das atividades do fornecedor.

42. por via de consequência. o consumidor inadimplente não será exposto a ridículo. Se impresso.5.Além de indevida a atualização dos encargos acima mencionada. Rua Torquato Bahia. .fls. do contrato firmado entre as partes.0001 e o código 1922376.DA COBRANÇA INDEVIDA DA CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA . 42 . determinando o seu congelamento.4. 24 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 3. Curitiba.Os julgados acima transcritos confirmam a previsão do art. nº 15.Ante o manifesto ato de má-fé da Ré. Comércio. acrescido de correção monetária e juros legais. Atraso na entrega da obra que justifica o congelamento da atualização dos valores. 65) (Grifos nossos).6 . Verossimilhança das alegações e receio de dano irreparável ou de difícil reparação demonstrados.1 . Perigo de irreversibilidade da medida. Agravo de instrumento conhecido e não provido.br/esaj. informe o processo 0543262-03.8. salvo hipótese de engano justificável”.5 . requerendo. por valor igual ao dobro do que pagou em excesso.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. Inexistente. Parágrafo único. seja declarada indevida a cobrança perpetrada pela Ré. 6º andar. Ag Instr 1054627-3. Multa diária dentro dos padrões fixados por este tribunal de justiça.7 . Salvador/BA CEP 40.tjba.COMISSÃO DE CORRETAGEM. JAMAIS poderá ser cobrada dos Autores. Edifício Amerino Portugal. (Grifouse. para conferência acesse o site http://esaj. Pág. Sala 605. Decisão mantida. do CDC que diz. Sexta Câmara Cível. destinada à recomposição da desvalorização da moeda.Na cobrança de débitos. nem será submetido a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça. 3. DJPR 08/10/2013. destacou-se). requer seja declarada abusiva a correção do saldo devedor durante o período de atraso da obra.05. (TJPR.4. Ana Lúcia Lourenço. O consumidor cobrado em quantia indevida tem direito à repetição do indébito.2015. Relª Juíza Conv. 3. 3.jus. a taxa de corretagem constante da “Cláusula Décima Quinta”. in verbis: “Art.

da “Proposta de Compra e Venda” (Doc.5. dentro de stand de vendas desta.2 . com quem se está contratando. dentro do seu próprio stand. sem justa causa. bem como. o pagamento da comissão de corretagem é de 3. 51.br/esaj.0001 e o código 1922376. anexo) que a compra se deu diretamente com a Ré. informe o processo 0543262-03. responsabilidade da construtora.Isto porque. São nulas de pleno direito.Não fosse o claro afronte à razoabilidade e a boa – fé objetiva a cobrança da intermediação imobiliária dos Autores. quando o próprio adquirente opta por comprar um imóvel direto com a construtora. dentre outras práticas abusivas: Inciso I: “condicionar o fornecimento de produtos ou serviços ao fornecimento de outro produto ou serviço. Sala 605.4 .015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. I: Art. com os corretores contratados por ela. inciso VIII: Art.A Construtora ignora as disposições consumeristas. a limites quantitativos” 3. entre outras.8. quando o adquirente contrata um corretor para auxiliar na procura do imóvel. 39. 51. 39 – é vedado ao fornecedor de produtos ou serviços.fls.tjba. as cláusulas contratuais relativas ao fornecimento de produtos e serviços que: VIII – imponham representante para concluir ou realizar outro negócio jurídico pelo consumidor. Se impresso. 25 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 3. .5. art. dissimulando o repasse dos valores de corretagem ao consumidor como requisito à aquisição da unidade habitacional. impondo o serviço de intermediação.2015. por oportuno. nº 15. O Código de Defesa do Consumidor é claro ao estabelecer como nula a condição que determina a presença de um representante para a conclusão ou realização de outro negócio jurídico pelo consumidor. Rua Torquato Bahia.jus. Por outro lado. 3. 6º andar.5. tal ainda se configura como prática abusiva e ilegal da venda casada. para conferência acesse o site http://esaj. Salvador/BA CEP 40. art. vedada pelo CDC.3 . Edifício Amerino Portugal. como se sabe.05. Comércio.Nota-se.5 .5. será dele a obrigação de pagar a comissão do serviço prestado.

05.fls. e a prestar ao cliente.br/esaj. nº 15.0001 e o código 1922376. o consumidor é informado do preço total da compra e que se faz necessário pagar um “sinal”.5. artigos 6º. 723. ou ainda. esta fornece um grupo de corretores que serão treinados. de 2010) Rua Torquato Bahia. que deveria ter sido paga pelo vendedor.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.O consumidor só descobre que foi enganado quando recebe o contrato definitivo e identifica que o valor do imóvel adquirido não corresponde ao informado na proposta e a diferença é justamente a comissão paga em favor do corretor. uniformizados. para conferência acesse o site http://esaj. Elabora–se a proposta de compra. 31 e 46. CC que dispõe: CAPÍTULO XIII – Da Corretagem Art. Sala 605. uma espécie de taxa mínima caso haja descumprimento do contrato.5.(Redação dada pela Lei nº 12. pois a ação da Construtora ocorre da seguinte maneira: ela escolhe uma imobiliária que atua no ramo.236.8 . Se impresso.Essa conduta seria aceitável se não houvesse a má–fé na atitude da Construtora e dos Corretores que deveriam prestar as informações corretas e claras ao consumidor como orienta o CDC. Edifício Amerino Portugal.7 . todas as informações sobre o andamento do negócio.tjba. O corretor é obrigado a executar a mediação com diligência e prudência. Os corretores que agem desta forma estão ferindo o art. incluindo aquele valor colocado como arras.6 .5. Comércio. física e logística de Stand no local da construção do imóvel e em . No intuito de concluir o negócio.jus.2015. nem os Autores. 26 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 3. obrigatoriamente. 723.Dessa forma. equipados com material publicitário.8. 3. nem nenhum outro consumidor conseguiria adquirir qualquer imóvel no empreendimento em tela se não contratasse. geralmente fundamentado sob os argumentos de que restam poucas unidades e que a procura está alta. espontaneamente. informe o processo 0543262-03. 3. 6º andar. que a tabela de preços será reajustada. o serviço de corretagem. disponibilizando estrutura contrapartida têm exclusividade na venda das unidades imobiliárias do empreendimento. III. Salvador/BA CEP 40.

602. impõe–se a sua condenação à restituição em dobro dos referidos valores aos Autores. 12.11 . j. os atos sob qualquer forma manifestados.Sob pena de responder por perdas e danos. inciso XVIII: Art. Sala 605.05.fls. ou subordinar a prestação de um serviço à utilização de outro ou à aquisição de um bem. Rua Torquato Bahia. § 3º. 3.5. (Incluído pela Lei nº 12. engendrando por via oblíqua a cognominada „venda casada‟.8.. 27 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados Parágrafo único. 3. no seu art.5. o corretor prestará ao cliente todos os esclarecimentos acerca da segurança ou do risco do negócio.)” (REsp. que tenham por objeto ou possam produzir os seguintes efeitos. caracterizam infração da ordem econômica: XVIII – subordinar a venda de um bem à aquisição de outro ou à utilização de um serviço. informe o processo 0543262-03.5. 36. 744. (. 01/03/07.. Edifício Amerino Portugal.tjba.br/esaj.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. ainda que não sejam alcançados: § 3º As seguintes condutas.jus. 36. Comércio. Se impresso. Salvador/BA CEP 40.A prática é tão lesiva às relações de consumo que a Lei . das alterações de valores e de outros fatores que possam influir nos resultados da incumbência. além de outras.O Superior Tribunal de Justiça também já se manifestou sobre a questão: “A prática abusiva revela – se patente se a empresa cinematográfica permite a entrada de produtos adquiridos nas suas dependências e interdita o adquirido alhures. na medida em que configurem hipótese prevista no caput deste artigo e seus incisos.529/2011 avançou e tipificou essa prática também como infração à ordem econômica. Luiz Fux. Min. de 2010).9 .10 .Configurada e demonstrada à prática abusiva e a infração à ordem econômica da “venda casada” pela Ré. 3. Rel. 6º andar. independentemente de culpa. DJ 15/03/07).2015.236.0001 e o código 1922376. Constituem infração da ordem econômica. nº 15. para conferência acesse o site http://esaj.

Se impresso. .12 . 42. de prestação de serviços ou por qualquer relação de dependência.5.5. Salvador/BA CEP 40.O serviço de corretagem em encontra – se disciplinado no art. já que havia acordo comercial prévio mantido entre a Construtora Ré e a empresa imobiliária. 3. 722 do Código Civil.5. 3. não ligada a outra em virtude de mandato.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. 28 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados obedecendo – s e ao comando normativo do parágrafo único do art. informe o processo 0543262-03. não há que se falar em serviços de corretagem contratado pelos Autores. Edifício Amerino Portugal. 3. Comércio. in verbis: Art. estes conduziram – se. de sorte que não houve a atividade da aproximação entre compradores e vendedores prestado pelo corretor.05. CDC. 6º andar.jus. 722. parágrafo único. conforme as instruções recebidas.br/esaj.13 . sendo assim.Assim. um ou mais negócios.2015. 42 do CDC: 3. art.0001 e o código 1922376. Em verdade os corretores que se postavam no stand de vendas eram previamente contratados pela construtora para ali estarem e atuarem em nome e no interesse da construtora.tjba.14 . para conferência acesse o site http://esaj. uma pessoa. Pelo contrato de corretagem.15 - A orientação legal é clara ao disciplinar que a responsabilidade pelo pagamento da comissão de corretagem é de quem Rua Torquato Bahia. “O consumidor cobrado em quantia indevida tem direito à repetição do indébito. por valor igual ao dobro do que pagou em excesso.8. por conta própria. resta evidente que o ônus da comissão de corretagem não poderia ser transferido aos consumidores. visto que. acrescido de correção monetária e juros legais. conforme as instruções recebidas. além do fato de que não houve intermediação propriamente dita. até o stand de vendas da construtora Ré. nº 15. obriga – se a obter para a segunda um ou mais negócios. Sala 605.fls. senão mera explicação padronizada das formas de pagamento.5. salvo hipótese de engano justificável”.O contrato de corretagem é aquele em que uma pessoa se obriga a obter para outra.

ao invés de pagar comissão à empresa imobiliária por ela escolhida e contratada.No caso em tela. § 1º DO CDC. CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL. Edifício Amerino Portugal.19 .16 . SENTENÇA DE PROCEDÊNCIA. ILEGITIMIDADE PASSIVA. CULPA EXCLUSIVA DA CONSTRUTORA.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. INCOMPETÊNCIA DO JUIZADO ESPECIAL ANTE O VALOR DA CAUSA. 25. Em nenhum momento houve qualquer persuasão por parte de qualquer corretor. ou seja. não há o que se falar na cobrança de taxa de corretagem perante aos Autores. os Autores não conheciam e nem tampouco atraídos ao stand de vendas pela robusta publicidade espalha da pela cidade. RELAÇÃO DE CONSUMO.17 . REPARAÇÃO INTEGRAL DOS DANOS. COMISSÃO DE CORRETAGEM.5.18 . no caso. ENUNCIADO 39 DO FONAJE.Neste sentido. Comércio.5. VALOR DA CAUSA QUE DEVE CORRESPONDER AO PROVEITO ECONÔMICO PRETENDIDO PELA PARTE. ART.Assim é o entendimento das cortes pátrias. Os Requerentes foram . informe o processo 0543262-03. escolheram qualquer profissional de intermediação. 3. vejamos: RECURSO INOMINADO. A transferência desse ônus aos consumidores viola os termos da lei. pois é ela quem se beneficia dos serviços prestados. 6º andar. RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA. Salvador/BA CEP 40. Se impresso.Na presente relação o que ocorre em verdade é o repasse de custos. INOCORRÊNCIA. ART. 3.5. transfere esse ônus aos adquirentes de forma totalmente abusiva e violadora da boa – fé objetiva. a construtora.br/esaj. 3. procedente assim de forma ilícita a Ré ao efetuar cobrança de taxa de corretagem. COMISSÃO DE CORRETAGEM INDEVIDA. AÇÃO DE RESCISÃO CONTRATUAL C/C DEVOLUÇÃO DE VALORES E INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. nº 15. SERVIÇO NÃO CONTRATADO PELO CONSUMIDOR. para conferência acesse o site http://esaj.8. que em verdade. INSURGÊNCIA RECURSAL. visto que os mesmos não contrataram o corretor e nenhum serviço lhes foi prestado.0001 e o código 1922376. elucidando acerca da forma de pagamento. RESCISÃO CONTRATUAL DECORRENTE DO ATRASO NA ENTREGA DO IMÓVEL.jus. SITUAÇÃO QUE Rua Torquato Bahia. 3. servindo apenas como mero informante. Sala 605. 389 DO CÓDIGO CIVIL. a construtora. em nada influenciou a conclusão do negócio. INOCORRÊNCIA. DANO MORAL CONFIGURADO.05.2015.fls. 29 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados contrata/usufrui dos serviços do corretor.5.tjba.

Sala 605. Se impresso.. em desfavor dos Autores.Face o exposto. para conferência acesse o site http://esaj. prescindindo de prova por parte deste último de que estava ou não morando de aluguel durante os meses em que o imóvel não fora entregue pela construtora. Senão vejamos: AGRAVO RECURSO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO. 6º andar.16.16.8.0001 e o código 1922376.11. Data de Publicação: 15/12/2014).DOS DANOS MATERIAIS 3. requer seja declarada indevida a imposição da cláusula supra. 25.Incontroverso que a conduta da Ré é ilícita e.5.fls. nos termos dos arts. no caso de atraso na entrega de obra por culpa exclusiva do vendedor. deverá indenizar os Autores pelos danos materiais daí decorrentes. Relator: LEO HENRIQUE FURTADO ARAÚJO.Cumpre registrar que o STJ já vem entendendo no sentido de que. conhecer e negar provimento ao recurso. INCAPAZ DE ALTERAR O JULGADO. 46 DA LEI 9099/95. bem como a restituição em dobro dos valores pagos como taxa de correção. portanto. Data de Julgamento: 25/11/2014. 30 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados (TJ-PR RI: 001860140201381600140 PR 001860140.1 .Rel. LUCROS Rua Torquato Bahia.Londrina .0014/0 (Acórdão).1 . . 3.001860140. 186 e 927.1ª Turma Recursal .6 .J. nº 15.0014/0 . como é o caso em questão.2015. 3. DOS LUCROS CESSANTES.2 .8. SENTENÇA MANTIDA POR SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS. Recurso desprovido. 1ª Turma Recursal. há presunção de prejuízo do promitente-comprador.DO ATRASO NA ENTREGA DO IMÓVEL.6. Edifício Amerino Portugal.8.6.2013.2014) .jus. do CC. informe o processo 0543262-03. DA PRESUNÇÃO DE PREJUÍZO DO PROMITENTE-COMPRADOR 3.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.tjba.6. por unanimidade de votos. EXTRAPOLA O MERO ABORRECIMENTO. APLICABILIDADE ART.: LEO HENRIQUE FURTADO ARAÚJO . nos exatos termos deste vot (TJPR . decidem os Juízes integrantes da 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais do Estado do Paraná. Comércio.20 .br/esaj.05. 3.2013. Salvador/BA CEP 40.

Ainda. Sala 605.3 .05.fls. 07/02/2012. j. Precedentes. é cabível a condenação por lucros cessantes. descumprido o prazo para entrega do imóvel objeto do compromisso de compra e venda. 2.2015. Data de Julgamento: 25/06/2013.jus. cabendo a este. (AgRg no Ag 1036023/RJ AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO 2008/0071103-7 rel. IMÓVEL. 3. Precedentes.8.Ora. FUNGIBILIDADE DOS RECURSOS. para se eximir do dever de indenizar. CIVIL E PROCESSUAL. Salvador/BA CEP 40. 23/11/2010. T3 . 1.LUCROS CESSANTES .CABIMENTO DECISÃO AGRAVADA MANTIDA . Nesse caso. que se mantém por seus próprios fundamentos. I. II. 6º andar. . Relator: Ministro RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA. LUCROS CESSANTES. (STJ.COMPRA E VENDA. PRESUNÇÃO DE PREJUÍZO. fazer prova de que a mora contratual não lhe é imputável. (Grifo nosso).tjba. Comércio.A jurisprudência desta Casa é pacífica no sentido de que. ATRASO NA ENTREGA. (AgRg no REsp 1202506/RJ AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL 2010/0123862-0.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. AGRAVO REGIMENTAL . 2.IMPROVIMENTO. fazer prova de que a mora contratual não lhe é imputável. há presunção de prejuízo do promitente-comprador. DJe 03/12/2010). Min. nº 15. rel.TERCEIRA TURMA). informe o processo 0543262-03. 31 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados CESSANTES. COMPRA E VENDA. PRECEDENTES. Min. 3. Edifício Amerino Portugal. Esta Corte Superior já firmou entendimento de que. diante da impossibilidade dos Autores de usufruírem e disporem dos respectivos imóveis durante o período aproximado de 13 Rua Torquato Bahia. é cabível a condenação por lucros cessantes. E.Nos termos da mais recente jurisprudência do STJ. Aldir Passarinho Junior. DJe 24/02/2012).Agravo Regimental improvido.O agravo não trouxe nenhum argumento novo capaz de modificar o decidido. Sidnei Beneti. 1. (Grifo nosso). Órgão Julgador T4. cabendo ao vendedor. (Grifo nosso). para conferência acesse o site http://esaj. IMÓVEL. PROVIMENTO. Agravo regimental não provido. j. RECEBIMENTO COMO AGRAVO REGIMENTAL.PRESUNÇÃO . EMBARGOS DECLARATÓRIOS CUJAS RAZÕES SÃO EXCLUSIVAMENTE INFRINGENTES.0001 e o código 1922376. ATRASO NA ENTREGA . descumprido o prazo para entrega do imóvel objeto do compromisso de compra e venda. Se impresso.br/esaj. havendo presunção de prejuízo do promitente-comprador. ATRASO NA ENTREGA DE IMÓVEL.Agravo regimental provido.6. há presunção relativa do prejuízo do promitente-comprador pelo atraso na entrega de imóvel pelo promitente-vendedor. para se eximir do dever de indenizar. PRESUNÇÃO. Órgão Julgador T3.

05.) descumprido o prazo para entrega do imóvel objeto do compromisso de compra e venda. informe o processo 0543262-03.Ora. pela Ré. consistindo no pagamento. 32 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados (treze) meses. há que se considerar também que por tal razão os Autores deixaram de auferirem renda extra. julgado em 15/09/2005.. inerente ao próprio sistema político. Comércio. 3. evitando a respectiva despesa.6. sendo .No mesmo sentido.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. APELAÇÃO. durante todo o citado período de inadimplência da Ré. pretendiam morar ou alugar o bem. do valor correspondente à rentabilidade que os Autores poderiam extrair de uma locação. fazer prova de que a mora contratual não lhe é imputável de indenizar.6. para a compra de um imóvel.6 . e a data do recebimento da comunicação do “habite-se”. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO. 6º andar. o C. no lapso compreendido entre a data em que deveria ser entregue o imóvel em condições de habitabilidade.8. Sala 605. poderia alugá-lo a terceiros ou nele residir.Nesse contexto. STJ: “(. conforme previsto no contrato. já que não houve a sua efetiva entrega. LETARGIA DA ADMINISTRAÇÃO. é cabível a condenação por lucros cessantes.4 .Nesse sentido vem decidindo. 365) (grifou-se e destacou-se). devem os lucros cessantes serem considerados como in re ipsa.fls. DJ 10/10/2005. fazer prova de que a mora contratual não lhe é imputável.6. mormente.5 .0001 e o código 1922376.br/esaj. os Tribunais Pátrios: “CIVIL E PROCESSO CIVIL. para se eximir do dever de indenizar. cabendo ao vendedor. nº 15. p. Ministro CASTRO FILHO. ao fazerem investimentos esse um raciocínio lógico que decorre da fomentação da circulação de riquezas. Salvador/BA CEP 40. ATRASO NA ENTREGA. Se impresso.jus.6. 3.” (AgRg no REsp 735353/RJ. para conferência acesse o site http://esaj.2015. visto que se houvesse recebido o bem no prazo convencionado. 3. Rel. IMÓVEL. NÃO CONFIGURAÇÃO DE EXCLUDENTE DE Rua Torquato Bahia. Edifício Amerino Portugal. advinda do aluguel dos imóveis em tela.tjba. há presunção relativa do prejuízo do promitente-comprador. em decorrência do atraso das obras. econômico e social em que vivemos.7 . 3. há muito.. Nesse caso. TERCEIRA TURMA. não há dúvida de que os Autores.

Comércio.br/esaj.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. observando-se que o mesmo deverá corresponder a todo o período compreendido entre a data que deveria ser entregue o imóvel em condições de habitabilidade.fls.8. 33 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA RESPONSABILIDADE. MÁXIME EM FACE DA RELAÇÃO DE CONSUMO EXISTENTE ENTRE AS PARTES. DADO PROVIMENTO AO APELO DA AUTORA A NEGADO PROVIMENTO AO RECURSO DO RÉU. CONHECIDOS AMBOS OS RECURSOS.: Desemb.0001 e o código 1922376. a ser quantificado através de competente perícia técnica. A MULTA CONTRATUAL INCIDE EM RAZÃO DO ATRASO NA ENTREGA DO IMÓVEL.tjba. 3. para conferência acesse o site http://esaj. JÁ OS LUCROS CESSANTES CORRESPONDEM À QUANTIA QUE RAZOAVELMENTE A AUTORA DEIXOU DE AUFERIR. 3. conforme previsto no contrato. DECORRENTE DA CRISE NO CENÁRIO LOCAL. JJ Costa Carvalho.6. valor equivalente ao que este teria auferido com a locação do imóvel em tela. Salvador/BA CEP 40.7 DA INCIDÊNCIA DOS JUROS E MULTA MORATÓRIA EM DECORRÊNCIA DO INADIMPLEMENTO DA RÉ – BILATERALIDADE DA “CLÁUSULA SÉTIMA” DO CONTRATO DE COMPRA E VENDA.jus. 6º andar. Rua Torquato Bahia. 3. e a da sua efetiva entrega. Sala 605. informe o processo 0543262-03.013) (grifou-se e destacou-se). NO CASO. 2.8. requer seja a Ré condenada ao pagamento. EM DECORRÊNCIA DA NATUREZA JURÍDICA DISTINTA QUE OSTENTAM. Edifício Amerino Portugal. nº 15. em favor dos Autores. CUMULAÇÃO.0001. TAMPOUCO SUSCETÍVEL DE EXIMIR A INCORPORADORA DA ENTREGA DO IMÓVEL NA DATA APRAZADA. APC 20110110617715 DF 0017871-88.07.8 .05. A SUPOSTA LETARGIA DA ADMINISTRAÇÃO EM ENTREGAR A CARTA DE HABITE-SE. SENTENÇA REFORMADA. POSSIBILIDADE.” (TJDF. Valor esse a ser acrescido de juros de 1% ao mês e correção monetária. OS ALUGUÉRES CORRESPONDENTES.Face o acima exposto. É POSSÍVEL A CUMULAÇÃO DE MULTA CONTRATUAL COM LUCROSCESSANTES QUANDO HOUVER ATRASO NA ENTREGA DE IMÓVEL ADQUIRIDO NA PLANTA. FAZ PARTE DA ÁLEA DO NEGÓCIO E NÃO É HÁBIL A CONFIGURAR O ALEGADO FORTUITO EXTERNO. DJE 23/08/2. Advogados . MULTACONTRATUAL E LUCROS CESSANTES.ª Turma Cível. Se impresso. 2.2015.2011. de lucros cessantes durante o prazo de 13(treze) meses. rel. 1. COMO VERDADEIRA PUNIÇÃO (CLÁUSULA PENAL).

7.05.fls. judicial ou extrajudicial. devidos em razão do inadimplemento contratual.7. certamente como forma de afastar alegações de descumprimento das cláusulas previstas. b) – sobre o valor atualizado do débito incidirão juros moratórios de 1% (hum por cento) ao mês ou fração de mês.1% (hum décimo por cento) por dia de atraso até completar 2% (dois por cento). Rua Torquato Bahia. compra e venda prevê penalidades bem distintas entre à Construtora Ré e . qual seja impontualidade do pagamento das parcelas estabelecidas. às seguintes consequências: a) – o valor da dívida vencida será atualizado monetariamente pelo indexador contratual.2015.Ocorre que. de imediato. 3. conforme acima visto a Ré.tjba. sujeitando-o.Somente – e injustamente – para o Autor há diversas penalidades. mormente na hipótese de atraso na conclusão e entrega da obra. a título de clausula penal moratória”. informe o processo 0543262-03. 407 do Código Civil.1 - Além dos lucros cessantes.3 . nos termos do art. ainda. acrescido de sua variação “pro rata dia”. 6º andar.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. multa de 0.0001 e o código 1922376.7. inclusive pecuniárias. Senão vejamos: “SÉTIMA – MORA E INADIMPLEMENTO”: O vencimento e não pagamento de qualquer parcela do preço avençado no presente contrato importará em mora do Promissário Comprador.jus. c) – sobre o valor atualizado do débito incidirá. para conferência acesse o site http://esaj.2 . 34 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 3. desde a data do vencimento da obrigação até a data de seu efetivo pagamento. deve ainda. nº 15.8.br/esaj. notificação ou interpelação. Se impresso. Comércio. 3. arcar com as penalidades decorrentes da sua conduta morosa. Edifício Amerino Portugal. Sala 605. conforme visto o presente contrato de promessa de os Autores em caso de inadimplemento contratual. Salvador/BA CEP 40. independentemente de qualquer aviso. no caso do descumprimento da sua obrigação contratual.

vale notar entendimento firmado pelo Egrégio STJ acerca da matéria: “CIVIL E PROCESSUAL. de 13. Comércio. Edifício Amerino Portugal.). (.. Salvador/BA CEP 40. a Portaria SDE n. IMPOSSIBILIDADE. pois. Sala 605.fls. que são nulas de pleno direito as cláusulas que “estabeleçam sanções em caso de atraso ou descumprimento da obrigação somente em desfavor do consumidor”.7. AÇÃO DE RESCISÃO CONTRATUAL.0001 e o código 1922376..Inclusive. informe o processo 0543262-03. quando dispõe. (DOC.tjba. MULTA E HONORÁRIOS. INADIMPLÊNCIA DA CONSTRUTORA RECONHECIDA PELO TRIBUNAL ESTADUAL.2015.). ATRASO NA ENTREGA DO IMÓVEL. INCC INCIDENTE ATÉ O AJUIZAMENTO DA AÇÃO. 6º andar. por aplicação da regra penal.. POR VINCULAÇÃO À CONSTRUÇÃO.jus. REEXAME. I.8. . PROVA. Multa compensatória. a multa moratória deve ser 3. 3. sob pena de ferir de morte os princípios da equidade e da bilateralidade dos contratos.05. anexo).015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.. Igualmente sem nenhuma razão a apelante principal quando pleiteia que seja eliminada da condenação a parcela relativa ao pagamento da multa convencional no percentual de 0. por eqüidade. Se impresso. JUROS MORATÓRIOS.4 .com o direito ao recebimento de multa no mesmo percentual devido Rua Torquato Bahia. V.03. (. CORREÇÃO MONETÁRIA DAS PARCELAS A SEREM RESTITUÍDAS.7. pois contempla o promissário comprador .7. POR EQÜIDADE. a contrario sensu. as mesmas penalidades deverão ser igualmente aplicadas à parte Ré.br/esaj.1998) previu a simetria entre as sanções contratuais para consumidor e fornecedor. (.Desta maneira.reafirmo. III. nº 15. para conferência acesse o site http://esaj. 7-STJ. parte mais fraca na relação contratual .Observe-se que para que exista equilíbrio contratual entre as obrigações do fornecedor e do consumidor. a solução encontrada na sentença monocrática é justa..º 4. II.1998. igualmente prevista para ambos. APLICAÇÃO EM CONSONÂNCIA COM A PREVISÃO CONTRATUAL. RECURSO ESPECIAL.).7 . 3. no “item 6”. PROMESSA DE COMPRA E VENDA. da Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça (DOU 16.5% sobre o valor do imóvel. Recurso especial conhecido em parte e parcialmente provido. apesar de não existir previsão contratual desse pagamento em caso de inadimplemento da obrigação por parte da construtora. SÚMULA N. 35 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 3.03. juros e honorários estabelecidos de conformidade com a previsão contratual.7.6 .. INPC APLICÁVEL A PARTIR DE ENTÃO.5 .A propósito.

que será calculada da data avençada para entrega até a data do aviso da liberação do “habite – se..tjba. até a data do efetivo comunicado do “habite-se”..0001 e o código 1922376.7.8 .” (. (STJ – Quarta Turma . sobre o qual deverão ser calculadas todas as penalidades desde a data prevista para entrega do imóvel. PELO INPC (OU OUTRO ÍNDICE MENOS GRAVOSO AO CONSUMIDOR) E QUE EXPRESSE APENAS A ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA. para conferência acesse o site http://esaj.Caso não seja esse o entendimento deste MM.8 .No caso em questão. Sala 605.jus.2015. Comércio. nº 15. previstas na “CLÁUSULA SÉTIMA” do contrato em comento. pela mora no cumprimento da obrigação de entrega do imóvel. (planilha de cálculo anexa).9 . como forma de restaurar o equilíbrio contratual. 36 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados à apelante principal se se tratasse de mora do adquirente do bem.0033% em casa de atraso na entrega do empreendimento.). ao menos que seja aplicada a multa presente na “CLÁUSULA OITAVA” parágrafo segundo. . o que não é de se acreditar.fls. Juízo. transcritas alhures. qual seja 30 de abril de 2013. informe o processo 0543262-03. requer. pecuniárias previstas na supracitada cláusula contratual. 3.br/esaj.10 . Rua Torquato Bahia.DJ 29/03/2004 p. Se impresso. 3. o valor da obrigação de entrega é o valor do próprio imóvel. que estipula uma multa diária de 0.7.Neste sentido.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. as mesmas penalidades acima transcritas. Edifício Amerino Portugal. Salvador/BA CEP 40.05. sobre o valores atualizados dos imóveis.DA RESTITUIÇÃO DO SALDO DEVEDOR PAGO A MAIOR DURANTE O PERÍODO DE ATRASO - CONGELAMENTO DO SALDO DEVEDOR/ALTERNATIVAMENTE: SUBSTITUIÇÃO DO INCC .7.SALVADOR/FGV COMO ÍNDICE DE REAJUSTE DO SALDO DEVEDOR DURANTE O PERÍODO DE ATRASO.Recurso Especial Nº 510. 3. deve-se impor à Ré. que encontram-se em contenda. 6º andar.472 / MG – Relator: Ministro Aldir Passarinho Junior – Julgado em 02/03/2004 . 247 – Grifos nossos). 3.8. o que desde já se requer.

onde a responsabilidade é exclusiva da Ré pelo descumprimento contratual. Se impresso.8. em face do vício do produto ou na prestação do serviço. quando da entrega das chaves e geralmente efetuado através de financiamento imobiliário. impondo injusto prejuízo para os Autores.2- . ou seja. 3. Rua Torquato Bahia. Mormente no caso em tela.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. entende–se no mercado imobiliário o termo “poupança” como o conjunto dos pagamentos efetuados diretamente à construtora durante a construção do imóvel até a entrega das chaves. faz–se necessário determinar a restituição em dobro dos valores pagos a maior do saldo devedor.br/esaj. 6º andar.jus. É conhecido como “saldo devedor” a parte do pagamento do imóvel a ser quitada após o pagamento da poupança.3. Apenas como esclarecimento.No caso sub judice o contrato prevê a utilização do INCC (ÍNDICE CONSTRUÇÃO CIVIL – FGV) como índice de reajuste aplicável às parcelas da “poupança” do contrato. Para tanto. informe o processo 0543262-03.Assim. 3. calculando–se o valor deste. VI).Desta forma. seja direito ou indireto.8.0001 e o código 1922376. o saldo devedor dos Autores continuou a ser reajustado. àquelas com vencimento até a entrega das chaves.tjba. 3.8. Comércio. durante o período de mora da Ré. nº 15.fls.4.5. para conferência acesse o site http://esaj.Em razão do princípio da reparação integral (CDC. que deveria ter sido pago à época do prazo previsto para entrega da obra até a data que efetivamente recebeu o 'HABITE-SE” (MAIO de 2015). art. Sala 605. Edifício Amerino Portugal. nenhum prejuízo poderá advir para o consumidor. Salvador/BA CEP 40. adiante destrinchado. 3. 37 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 3.2015. como se atraso não houvesse.8.8. deve–se desconsiderar os reajustes feitos no período de atraso. que deveriam pagar ou financiar seu saldo devedor com reajuste somente até a data da entrega da obra. 6º.1.05. para evitar os referidos prejuízos. congelando–se o saldo devedor dos Autores durante o período de atraso (mora) da obra.8.

0001 e o código 1922376.tjba. depois de ultrapassado o prazo original para a entrega da obra (abril de 2014). atendendo aos comandos legais supra expostos e aos princípios da razoabilidade e equidade. elenca como prática abusiva e.8. 3. informe o processo 0543262-03. entre outras. 6º andar.8. Nos meses em que o Rua Torquato Bahia.8. 3.Ocorre que toda vez que o INCC foi superior à inflação mensal calculada pelos indicadores oficiais. a consumidora sofreu prejuízos causa. nº 15. pela substituição do índice de correção dos mesmos pelo INPC. do art.jus.Caso não acatado o pedido de congelamento do saldo devedor dos Autores.O Art. 51. consequentemente.10. Não parece difícil perceber como abusiva a prática de continuar reajustando o saldo devedor dos consumidores que cumpriram devidamente e no prazo contratualmente assinalado as suas obrigações contratuais. ou sejam incompatíveis com a boa – fé e a equidade. Sala 605. injustificáveis. vedada pela Lei: exigir do consumidor vantagem manifestamente excessiva.7. nem.9. que coloquem o consumidor em desvantagem exagerada. Salvador/BA CEP 40. ao passo que as Rés estarão praticando enriquecimento sem . 39 . Se impresso. as cláusulas contratuais relativas ao fornecimento de produtos e serviços que: IV – estabeleçam obrigações consideradas iníquas.fls.Neste sentido o inciso V. quando o atraso na entrega das chaves se deve única e exclusiva à conduta (ilícita) da Ré.Assim. 38 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 3. Edifício Amerino Portugal.6. portanto. já que aquela não deu causa ao atraso na entrega da obra. contribuiu para postergar a data de pagamento ou financiamento do “saldo devedor”. pugna–se. abusivas.8. 3. do CDC dispõe como nulas de pleno direito.br/esaj. alternativamente.8.8.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.2015. do CDC. para conferência acesse o site http://esaj. IV.05. Comércio. 3.8. somente poderá ser autorizada a atualização monetária do saldo devedor pelo INCC – FGV quando este índice for menor do que o INPC ou outro índice oficial menos gravoso ao consumidor (arbítrio judicial) e que expresse apenas a atualização monetária do valor do saldo devedor.

cumpridores fiéis de suas obrigações. os Autores se viram ultrajados em sua dignidade enquanto consumidores e pessoas de bem. Comércio. até a presente data encontram-se impossibilitados de usufruir dos imóveis que tanto sonharam. caracterizado o prejuízo pelo simples atentado aos interesses jurídicos personalíssimos”.Com efeito.Isso porque.9 . Edifício Amerino Portugal. incontestável foi a frustração de um sonho. nº 15. além de ter suportado os transtornos de lidar com empresa inidônea.2015. Sala 605.9. sem qualquer justificativa plausível. 3. por culpa exclusiva da empresa Ré. o inadimplemento cometido pela Ré causou diversos e incomensuráveis danos de ordem moral aos Autores.Nas palavras dos civilistas Cristiano Chaves de Farias e Nelson Rosenvald. 3. informe o processo 0543262-03. qual seja ter sua casa própria. que sequer respondeu satisfatoriamente aos questionamentos ventilados e as tentativas Rua Torquato Bahia.5 . já que.9. 39 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados INCC – FGV for maior. durante o período de abusivo e injustificado atraso. não há dúvidas de que os Autores tiveram violado este direito.fls.0001 e o código 1922376. Se impresso. deverá ser utilizado o índice requerido para realizar a atualização monetária. 3.tjba. não existem dúvidas de que os Autores devam ser reparados pela Ré que.9. atrapalhando os projetos de vida daqueles. o que fora cuidadosamente planejado. fácil perceber que além da reparação pecuniária pelos danos materiais comprovadamente sofridos pelos Autores.br/esaj. 3.jus. No caso em questão. 3. 6º andar. para conferência acesse o site http://esaj.Diante de todas as razões trazidas a baila. Salvador/BA CEP 40.8.Ora. 3.9.2 . descumpriu com sua parte na avença.9.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.DO DANO MORAL .1 . o dano moral é “decorrência de violação a direito da personalidade.3 . Situação essa que causou inegável angústia e sofrimento aos Autores e seus familiares.4 .05.

3. 6.05. assim. o que demonstra total desrespeito da Ré ao art.º.APC: 20110110037097 DF 0001416-48.br/esaj.0001.O ATRASO NA ENTREGA DE IMÓVEL A CONSUMIDOR QUE VIVE EM SITUAÇÃO DE PAGAMENTO DE ALUGUEL E O ADQUIRIU PARA RESIDÊNCIA PRÓPRIA GERA DANO MORAL INDENIZÁVEL. em reiteradas decisões.Nesse panorama. que garante ao consumidor o direito de receber informação adequada e transparente sobre o produto. angariados em anos de intenso trabalho e sacrifício. não merecendo. 2ª Turma Cível. Sala 605. III e IV. isso é.NEGOU-SE PROVIMENTO AO APELO DA RÉ.tjba.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. 70). destarte. Data de Publicação: Publicado no DJE : 16/08/2013 .7 . informe o processo 0543262-03.8. do CDC. 1. Rua Torquato Bahia. 3. reincidências.9. deve ser arbitrada de modo a compensar a vítima pelo prejuízo amargado e punir o ofensor pelo ilícito cometido. Se impresso. Excelência. TENDO EM VISTA O VALOR QUE O ADQUIRENTE DEIXA DE AUFERIR OU DESEMBOLSA COM O ALUGUEL DE IMÓVEL.J.2015. Relator: J.O ATRASO NA ENTREGA DE IMÓVEL ADQUIRIDO POR CONSUMIDOR PERANTE INCORPORADORA GERA A OBRIGAÇÃO DE INDENIZAR LUCROS CESSANTES. 40 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados de resolver de modo consensual as questões contratuais relatadas. já firmou posicionamento no sentido de que a indenização decorrente do dano moral tem natureza híbrida. Salvador/BA CEP 40. (TJ-DF .8 . 3.9.2011. nº 15. já confirmou este entendimento: APELAÇÃO CÍVEL .CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA DO IMÓVEL . (Grifo nosso). 3.0001 e o código 1922376. além do aborrecimento de ser tratado de forma desrespeitosa pela empresa na qual se confiou previamente para depositar os seus investimentos financeiros.Cumpre salientar que o STJ. Comércio.jus. evitando. COSTA CARVALHO. 2. de acordo com o entendimento adotado pela colenda Corte Federal. Data de Julgamento: 31/07/2013.07.8.9.fls. os Tribunais. que tamanha agonia e prejuízo sofridos sejam considerados por este Juízo como meros dissabores.6 .ATRASO NA ENTREGA DO IMÓVEL CONFIGURAÇÃO DE DANO MATERIAL E MORAL.Ora. 6º andar. Pág. Edifício Amerino Portugal. emocional consequentes da longa e injustificada espera por receber o . dificilmente se restitui a ansiedade e desgaste imóvel próprio tão sonhado. para conferência acesse o site http://esaj.

(Apelação Cível Nº 70054210075.0001 e o código 1922376. Décima Sétima Câmara Cível. ATRASO NA ENTREGA DO IMÓVEL. nº 15. tendo como termo final a data da expedição do habite-se. PROMESSA DE COMPRA E VENDA. muitas vezes criando critérios objetivos para se alcançar a sua extensão. . decorrentes do atraso injustificado da obra. saliente-se que. senão vejamos: Art. ansiedade e transtornos experimentados pelos compradores. Se impresso. 14. inequívoca a existência de dano extrapatrimonial. em nosso ordenamento jurídico. O fornecedor de serviços responde. AÇÃO ORDINÁRIA. PAGAMENTO DE ALUGUEL.jus. 3. 3. uma vez evidenciada a existência de dano moral indenizável. Presente o nexo causal entre a omissão da vendedora e a angústia.9. Data de Publicação: Diário da Justiça do dia 07/06/2013). TERMO INICIAL E TERMO FINAL. E. 41 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados APELAÇÃO CÍVEL.9.8. informe o processo 0543262-03. 6º andar. APELO PARCIALMENTE PROVIDO.tjba. DANO MATERIAL.9.10. Julgado em 23/05/2013) (TJ-RS . Condenação da ré ao pagamento de dano material desde o descumprimento do prazo estabelecido no aditamento contratual para a entrega do imóvel. Relator: Liege Puricelli Pires. para conferência acesse o site http://esaj. a doutrina e a jurisprudência vêm desempenhando papel de fundamental importância no que toca à mensuração do quantum indenizatório. do CDC. independentemente da existência de culpa.fls. Tribunal de Justiça do RS. bem como Rua Torquato Bahia.2015. Décima Sétima Câmara Cível.br/esaj. cumpre registrar que. 14. embora não haja. Dano moral. Sala 605. (Grifo nosso). critérios legalmente estabelecidos que definam o seu modo de quantificação. Salvador/BA CEP 40. Edifício Amerino Portugal.Assim. OCORRÊNCIA. Relator: Liege Puricelli Pires.AC: 70054210075 RS. nos termos do art. DANO MORAL. Data de Julgamento: 23/05/2013. Comércio. a responsabilidade do fornecedor pelos defeitos no produto é objetiva.05.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. UNÂNIME. Devido o pagamento pelos locativos que a compradora viu-se obrigada a pagar desde o descumprimento do prazo estabelecido no aditamento contratual para a entrega do imóvel.Ademais. pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviços.

42 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados por informações insuficientes ou inadequadas sobre sua fruição e riscos. considerando as peculiaridades do caso. os efeitos da tutela pretendida no pedido inicial. em conjunto . Edifício Amerino Portugal. nº 15. Se impresso. antecipe.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.9. total ou parcialmente.12.br/esaj.2 . pois decorre da inequívoca frustração dos demandantes que tiveram todos os com seus familiares. (Grifo nosso). levando em consideração os princípios proporcionalidade e da razoabilidade. seus planos de vida.05. Comércio.0001 e o código 1922376.1 . Rua Torquato Bahia.11 . ou seja. em montante a ser arbitrado por Vossa Excelência. quais sejam. razão pela qual não há de se falar em mero inadimplemento contratual.fls. para conferência acesse o site http://esaj. os Autores requerem que seja condenada a parte Ré para indenizá-los pelos danos morais suportados. ambos fundados em prova inequívoca anexa a esta petição. a verossimilhança das alegações e o fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação. 3. informe o processo 0543262-03. 6º andar.jus. 3. Sala 605.Destarte. existindo prova inequívoca. restam plenamente configurados os requisitos caracterizadores da antecipação da tutela constantes no artigo 273 do CPC.No caso concreto.8. Salvador/BA CEP 40.2015.DA ANTECIPAÇÃO DE TUTELA (VALOR DA ENTREGA DAS CHAVES) 4.O instituto da tutela antecipada permite ao juiz que. os quais organizaram cuidadosamente. a fim de que a Ré seja inibida de cometer futuras reincidências.Pelo demonstrado.tjba. 4.9. e convencido da verossimilhança das alegações. assim como em observância ao caráter punitivo-pedagógico da verba indenizatória. trata-se de dano moral in re ipsa. conforme demonstrado ao longo do presente petitório é presumido. 4 . Excelência. abalados por culpa exclusiva e descaso da Ré.

br/esaj. 4.4 .A verossimilhança das alegações reside nos argumentos fáticos e jurídicos acima expostos. requer a Vossa Excelência o deferimento da antecipação dos efeitos da tutela antecipada para que as partes AUTORAS realizem o valor do pagamento da parcela referente a entrega das chaves. 4. Comércio. 43 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 4. por este motivo. as atualizações deveriam estar congeladas. 4.2015. Edifício Amerino Portugal. pelo menos.tendo assim a Ré o dever de entregar as chaves e toda documentação necessária aos autores. que é provável.6 . bem como as parcelas de amortização do valor do montante devido.3 . os quais dão conta que existe o bom direito ora ventilado. Diante da fundamentação do pedido e das provas que acompanharam o requerimento de antecipação de tutela o órgão julgador fará apenas um juízo de probabilidade de que o direito requerido é possível. sob pena de multa diária em valor não inferior a R$ 500.5 – Nesse esteio.0001 e o código 1922376. (A Tutela Antecipada e Execução Específica – p. para conferência acesse o site http://esaj. de que existe a aparência de verdadeiro.O fundado receio de dano irreparável. 6º andar.8. 4. consiste no prejuízo sofrido pelos Autores. para que assim possam usufruir da tão sonhada casa própria. por sua vez.00 (quinhentos reais). 21). Rua Torquato Bahia. quanto na jurisprudência dominante no país. supracitados. Salvador/BA CEP 40.tjba.fls. bem como as parcelas de amortização do valor do montante devido.jus. de acordo com a atualização correta. Sala 605. onde sofrera atualizações em um período de 13 (treze) meses. que ocorreu devido o atraso na entrega da obra e. informe o processo 0543262-03.Desta feita. conforme PLANILHA DE CÁLCULO anexa. notadamente em face das violações às normas e aos princípios Verossímil é o que tem aparência de verdadeiro ou. . os AUTORES estão amparados tanto pelo Direito positivado nos códigos. não restando dÚvidas que a presente ação é merecedora de êxito.7 .05.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. em virtude do aumento indevido do valor da parcela pertinente a entrega das chaves. Se impresso. nº 15.

Comércio. aos pedidos ora deduzidos. c) Seja determinada a citação e intimação postal da Ré na pessoa do seu representante legal. que seja autorizado o pagamento das custas ao final do processo.DOS PEDIDOS Ante o exposto. caso não seja acolhida a solicitação de Assistência Judiciária Gratuita.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. os Autores. com expressa advertência sobre os efeitos da revelia (CPC. nº 15. como lucros cessantes. sob pena de confissão. apresente resposta. Salvador/BA CEP 40. Edifício Amerino Portugal. em especial a cláusula de tolerância de 90 (noventa) dias (Cláusula Vigésima Quinta) do contrato anexo. para conferência acesse o site http://esaj.br/esaj. por não poderem. d) Sejam declaradas nulas todas as cláusulas contratuais que sejam abusivas ou que coloquem os Autores em situação de excessiva desvantagem perante a Ré. a fim de que. que abusivamente estipula a prorrogação unilateral do prazo de entrega do imóvel em questão. b) Sucessivamente. 6º andar.tjba. 44 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados 5 . pugna os Autores pela TOTAL PROCEDÊNCIA dos a) Sejam acolhidas as solicitações de Assistência Judiciária Gratuita. arcarem com as custas processuais.2015.0001 e o código 1922376. sem prejuízo da própria subsistência e de suas famílias. informe o processo 0543262-03.jus. no endereço informado no cabeçalho da presente ação. Rua Torquato Bahia. devidamente corrigidos até a data do comunicado da liberação do “HABITE-SE”.05. e) Pagamento aos Autores de alugueres. período este compreendido entre abril/2014 à maio/2015. pedidos abaixo: . Se impresso. Sala 605. equivalente a 1% (um por cento) mensais do valor do imóvel de mercado.8. tendo em vista todo prejuízo que vem sofrendo em face da situação narrada. 285) e no prazo de 15 (quinze) dias. se lhe aprouver. art.fls.

Sala 605. para conferência acesse o site http://esaj. Rua Torquato Bahia.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.2015. nº 15. fato este claramente vislumbrado nos contratos ora guerreados. a fim de que não haja prejuízo injustificado para os Autores e enriquecimento sem causa par Ré. que incidirão sobre o valor atualizado do débito. h) Seja condenada a restituir aos Autores em dobro os valores pagos a título taxa de corretagem. Comércio. Pugna-se. desde a data prevista (30 de abril de 2014) até a data do efetivo comunicado do “HABITE-SE”. calculados dia a dia.  Multa de 0. desde a data prevista para entrega da obra até a notificação dos Autores sobre o “HABITE-SE”. condenando a Ré ao pagamento de todas as penalidades pecuniárias previstas unilateralmente ao Autor em caso de mora.1% (um décimo por cento) por dia de atraso até completar 2% (dois por cento). alternativamente pela substituição do índice de reajuste do saldo devedor do INCC(Índice Nacional da Construção Civil).jus. de acordo com os critérios previstos neste contrato e calculado “pro rata dies”. a título de clausula penal.05. ou do IGPM (Índice Geral de Preço de Mercado) pelo INPC (Índice Nacional . ou outro índice oficial menos gravoso ao consumidor e que expresse apenas a atualização monetária.  Juros de mora de 1% (um por cento) ao mês.tjba. Salvador/BA CEP 40. corrigidos monetariamente. quais sejam:  Reajuste monetário. ou fração. através do congelamento do saldo devedor dos Autores.fls. Edifício Amerino Portugal.br/esaj.8. 6º andar. pois é vedada no nosso Ordenamento Jurídico Pátrio a venda casada. g) Aplicação do princípio da bilateralidade a “CLÁUSULA SÉTIMA” do contrato firmado entre as partes. de Preços ao Consumidor). informe o processo 0543262-03. Se impresso.0001 e o código 1922376. com a devida correção monetária. 45 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados f) Seja determinada a restituição aos Autores da diferença em dobro do saldo devedor que foi cobrado a maior indevidamente. daquele que deveria ter sido pago da data da correta entrega das chaves em 30 de abril de 2014.

informe o processo 0543262-03. em caso de responsabilidade extracontratual. 46 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados i) Sejam todos os valores acima pleiteados corrigidos monetariamente. por ser de Direito e Justiça. Dá-se o valor à causa de R$ 589. em especial as provas documental e testemunhal. 6º andar. Se impresso.05. Sala 605.427. j) Sejam concedidos os efeitos da antecipação de tutela para que as partes . inciso VIII.fls.19 (quinhentos e oitenta e nove mil. quatrocentos e vinte e sete reais e dezenove centavos) Nestes termos. bem como as parcelas de amortização do valor do montante devido.8. l) Condenação da Ré ao pagamento de danos morais a serem arbitrados por este Ilustre Juízo.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA. Rua Torquato Bahia. do CDC.0001 e o código 1922376.tjba. sob pena de confissão. para conferência acesse o site http://esaj. à razão de 20% (vinte por cento) sobre o valor da condenação. além do depoimento pessoal das representantes legais das empresas acionadas. bem como a juntada posterior de documentos em prova e contraprova. 6°. bem como seja admitida a prova documental que já instrui esta exordial e deferida a produção dos demais meios de prova em Direito admitidos para demonstrar o quanto alegado. AUTORAS realizem o valor do pagamento da parcela referente a entrega das chaves. Comércio. nº 15. m) Condenação da Ré no pagamento das custas processuais e honorários advocatícios. conforme planilha de cálculo. conforme Súmula 43 do STJ – Incide correção monetária sobre dívida por ato ilícito a partir da data do efetivo prejuízo e Súmula 54 do STJ – Os juros moratórios fluem a partir do evento danoso. n) Seja aplicada a inversão do ônus da prova em favor do Autor. com base no art.jus.2015. Edifício Amerino Portugal.br/esaj. Salvador/BA CEP 40. de acordo com a atualização correta. pede deferimento.

informe o processo 0543262-03.br/esaj.fls.015-110 / Contato: (71) 3497-5679 Este documento foi assinado digitalmente por SAULO CHRISTIANO COSTA DE OLIVEIRA.419 Glecio Cerqueira Monteiro OAB/BA 42. 47 GLECIO MONTEIRO ILMAH PELETEIRO SAULO OLIVEIRA Advogados Salvador/BA. OAB/BA 42.2015. Se impresso. Comércio.0001 e o código 1922376.05.291 Rua Torquato Bahia. nº 15. Sala 605. para conferência acesse o site http://esaj.jus.8. Documento Assinado Digitalmente Saulo Christiano Costa de Oliveira Ilmah Moura Peleteiro Segundo OAB/BA 39.tjba. Edifício Amerino Portugal. 21 de julho de 2015.238 . Salvador/BA CEP 40. 6º andar.