You are on page 1of 2

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

O ESTADO DE S. PAULO
A15
A15

INTERNACIONAL
Republicanos criticam
reforma da saúde
Obama não convence oposição a
aderir à sua proposta em encontro
com congressistas q PÁG.18

AMÉRICA LATINA

Cuba persegue dissidentes em


sepultamento de preso político
Regime detém 100 pessoas, incluindo a blogueira Yoaní Sanchéz, e proíbe críticos do governo de ir a enterro de Zapata

HAVANA

O corpo do preso político


cubano Orlando Zapata –
que morreu na terça-feira
após passar 85 dias em greve
de fome – foi sepultado on-
tememBanes,a850quilôme-
tros a leste de Havana, sob
um virtual estado de sítio. A
cerimônia foi marcada pelo
silêncio da imprensa local e
por uma série de detenções
de dissidentes, que foram
proibidos de sair de casa e de
viajar para comparecer ao
enterro.
A morte de Zapata – o pri-
meiro preso político a mor-
rernailhadesde1972–coinci-
diu com a chegada a Cuba do
presidente brasileiro, Luiz
Inácio Lula da Silva, e provo-
cou uma série de críticas da
comunidade internacional à
situação dos direitos huma-
nos no país. Antes de Lula
chegaraHavana,presospolí-
ticos haviam pedido a ele, em
carta aberta (disponível na
internet desde domingo),
que ele intercedesse ante o
governo cubano pela liberta-
ção de cerca de 200 dissiden-
tes, entre eles Zapata.
O presidente lamentou a
morte,mas alegounãoter re-
cebido nenhuma carta de
grupos de defesa de direitos
humanos.Eletambémjustifi-
cou seu silêncio em relação à
falta de liberdade na ilha sob
aalegaçãodeque nãointerfe-
re em assuntos internos de
outro país. Lula visitou Cuba
para reforçar os laços econô-
micos com a ilha, que tem o
Brasilcomoseusegundopar-
ceiro comercial.
O líder cubano, Raúl Cas-
tro – ao lado de Lula –, disse
lamentar a morte de Zapata,
atribuindo-a à “luta ideológi-
ca contra os EUA”. A mãe do
dissidente, Reina Luisa Ta-
mayo, porém, criticou as de-
claraçõesdeRaúl.“Éumcíni-
co! Não permito que ele en-
vie mensagens porque meu
filho leva impregnado em
seucorpoosgolpeseastortu-
ras”, disse Reina.
Segundo a mãe do dissi-
dente morto, o velório de Za-
pata foi fortemente vigiado
pelapolícia,que passouanoi-
te inteira rondando sua casa.
Pelo menos mil agentes fo-
ram enviados à cidade, res-
tringindo a movimentação
na área. A blogueira Yoaní
Sánchez, uma das faces mais
conhecidas da nova geração
de dissidentes, disse ter sido
detidapor algumashoras pe-
la polícia quando se prepara-
va para viajar até Banes.

PERSEGUIÇÃO POLÍTICA
Pelo menos cem dissidentes
foram presos temporaria-
mente desde a morte de Za-
pata, informou ontem a ile-
gal,embora tolerada, Comis-
são Cubana de Direitos Hu-
manos e Reconciliação Na-
cional.
“O número de vítimas da
onda de repressão iniciada
após a morte de Zapata já es-
tá em uma centena de dissi-
dentes em todo o país, in-
cluindodetençõesemdelega-
cias de polícia e reclusões do-
miciliares obrigatórias e ex-
trajudiciais”, disse o porta-
voz da organização, Elizardo
Sánchez. “A maioria deles já
foi liberada.”
O porta-voz ainda afirmou
que as autoridades cubanas
demoraram para entregar o
corpo de Zapata à família em
Banes e deram apenas duas
horas para que o enterro fos-
se realizado, com o objetivo
de impedir que muitas pes-
soas comparecessem ao fu-
neral. ● AP, AFP, EFE E REUTERS
A16 INTERNACIONAL SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010
O ESTADO DE S.PAULO

AMÉRICA LATINA
FRANKLIN REYES/AP

UE pressiona
região por
direitos
humanos
Bloco vai condicionar novos
acordos comerciais ao tema

Jamil Chade da nos anos 90 “não funcionou”,


CORRESPONDENTE
já que Havana não apenas não
GENEBRA se abriu, como endureceu a re-
pressão. “Queremos resulta-
A Europa exige a libertação de dos”, disse o chanceler espa-
todos os prisioneiros de cons- nhol, Miguel Ángel Moratinos,
ciênciaemCubae,emumamen- que também insistiu no diálogo.
sagem clara a governos latino- Mas Grã-Bretanha e Alemanha
americanos, alerta que exigirá estão entre os governos euro-
cláusulas de direitos humanos peusque nãoaceitamumaapro-
nos novos acordos comerciais ximação com Cuba enquanto
que o bloco assinará com a re- não houver um sinal claro do re-
gião nos próximos meses. gime de que haverá mais liber-
Ontem, o primeiro-ministro dade na ilha.
espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero também tentou
Zapatero, exigiu que Cuba to- mostrar que essa aproximação
me medidas para libertar todos não seria incondicional e co-
os presos políticos, mas insistiu brou “a devolução da liberdade
que prefere o diálogo à estraté- aos prisioneiros de consciência
gia americana de impor embar- e o respeito aos direitos huma-
go contra a ilha. nos”. Para Zapatero, essa deve
Odebate na Europa sobre co- ser uma “exigência fundamen-
mo lidar com Cuba voltou ao tal da comunidade internacio-
centro da agenda após a morte nal”.
do preso político Orlando Zapa- Catherine Ashton, a chefe da
ta, que estava havia 85 dias em diplomacia europeia, usou exa-
grevedefome.AEspanhapresi- tamente os mesmos termos e AÇÃO – Cubanos protestam contra morte de Zapata: jornal espanhol critica silêncio de Lula em relação aos direitos humanos na ilha
de a UE até julho e, como um exigiu “a libertação incondicio-
dos principais pontos em sua nal de todos os presos políticos, da região de que a democracia
agenda, defende uma reavalia- incluindo os (membros do gru- precisa ser mantida. Nos basti-
ção do diálogo com os cubanos. po de 75 dissidentes) detidos e dores, uma das preocupações Ao deixar Cuba, Lula pede aos EUA fim do embargo
condenados em 2003”. de Bruxelas é com o comporta-
mento de governos como o da ●● ●Ao fim de uma viagem em que presidente Obama, que ganhou mento de Cuba. O Brasil hoje tem
Zapatero pressiona COMÉRCIO Venezuela, que está em proces- recebeu duras críticas por não se as eleições em Miami, deveria mais condições do que tinha há
Ontem, os espanhóis deixaram so de adesão ao Mercosul. ter pronunciado contra a situa- tomar essa decisão”, disse Lula. dez anos e, portanto, não faltare-
Cuba pela claro que os direitos humanos ção dos direitos humanos em “Uma coisa que eu tenho dito, mos em discutir os projetos mais
libertação de presos farão parte da aproximação co- CRÍTICA A LULA Cuba, o presidente Luiz Inácio com todo respeito ao presidente importantes para Cuba para pre-
de consciência mercialentreaEuropaeaAmé- O jornal espanhol El País, em Lula da Silva fez ontem um apelo Obama, ele não tem de fazer na- pará-la para o futuro.”
rica Latina e não será mais ape- editorial, criticou o Brasil e o ao presidente dos EUA, Barack da mais do que fez o povo ameri- O presidente falou ainda do
nas uma questão de retórica. presidente Luiz Inácio Lula da Obama, para que ele acabe com cano ao ter a ousadia de votar no encontro com o ex-presidente
O que Madri quer é mudar a Em março, por exemplo, o Mer- Silva pelo silêncio em relação à o embargo a Cuba. Em entrevista Obama para presidente. É essa Fidel Castro. “Foi muito importan-
forma pela qual a UE dialoga cosul e a UE voltarão a negociar situação dos direitos humanos à imprensa cubana pela manhã, ousadia do povo americano que te o encontro que tivemos. Fiquei
com Cuba. Em 1996, ficou esta- um acordo de liberalização co- em Cuba. “Nem a Europa nem a em Havana, antes de embarcar permite que ele seja ousado e muito feliz por ele estar bem de
belecido que o avanço na rela- mercial, paralisado há cinco América Latina, especialmente para o Haiti, Lula avaliou que o resolva o problema do embargo a saúde. Está com uma cabeça me-
ção bilateral dependeria de anos por causa de diferenças de o Brasil, pode ignorar a morte embargo não tem mais sentido. Cuba”, completou Lula. lhor do que a minha, falando de
avançosna questão dos direitos posições entre os dois blocos. de um dissidente”, assinalou o “Não existe mais explicação polí- O presidente disse ainda que o economia como se fosse um jo-
humanos em Cuba. Agora, a Es- Neste semestre, devem ser fi- diário, que instou Lula a “não tica, econômica, não existe mais Brasil trabalha com a convicção vem, pensando no futuro de
panhaquerumareavaliaçãoob- mados acordos com Colômbia e manter seu silêncio frente a Guerra Fria, não existem mais de ser o primeiro parceiro cuba- Cuba, pensando no futuro da
jetiva e com visão de futuro des- Peru. A condicionante euro- uma ditadura como a castris- mísseis, nada. Portanto, penso, no em prol do investimento e de- América Latina, como não pode-
sa estratégia. peia,nessecaso,não cita aques- ta”, a qual qualificou de “uma basta apenas uma tomada de de- senvolvimento da ilha. “Acredita- ria deixar de ser, no futuro do
Para o governo espanhol, a tão cubana diretamente. Mas é das mais liberticidas do mun- cisão. Estou convencido de que o mos no potencial de desenvolvi- mundo”, disse. ● TÂNIA MONTEIRO
fórmula de diálogo estabeleci- um sinal aos demais governos dos”. ● COM EFE E AP

Silêncio diante de violações palavrasque,no jargãodiplo-


mático, têm um peso maior,
como “exorta” e “urge”.
Visita a Fidel recebe
é diretriz do Itamaraty
“O Brasil também não fa-
lou sobre a repressão após as
eleições”, critica Lúcia Na-
críticas na Câmara
der, coordenadora de rela-
ções internacionais da ONG
Para deputado opositor, Lula foi a
Brasil diz rejeitar ‘agenda seletiva’ de direitos humanos; Conectas. “Mas foram apre-
sentadas boas ideias.” Cuba ‘celebrar morte de dissidente’
País torna-se cúmplice de violadores, dizem analistas A crítica de Amorim à su-
posta “seletividade” dos acu-
DIDA SAMPAIO/AE -18/2/2010 sados de violação também é
Roberto Simon questionável. Em pratica- Eugênia Lopes Grazziotin (PC do B-AM), que é
mente todas as votações que BRASÍLIA
presidente do grupo parlamen-
O silêncio do presidente Luiz tocavam Israel (cerca de um tar Brasil/Cuba. A deputada
Inácio Lula da Silva diante da terço das propostas no CDH A atitude do presidente Luiz disse ter “muitas divergências”
repressão cubana a dissidentes são sobre o tema) o Itamara- Inácio Lula da Silva – que, em com o presidente dos EUA, Ba-
reflete uma diretriz da política ty foicontra israelenses. ON- visita a Cuba, esquivou-se de rack Obama. “Os EUA fizeram
externa brasileira quando o as- Gsaplaudirama posiçãobra- condenar violações dos direitos o que fizeram com o povo, com
sunto é direitos humanos. sileira, mas criticaram essa humanosnopaís –provocou po- seres humanos, na prisão de
Quemdiz issoé o própriogover- “outra seletividade”. lêmicaontemnoplenário daCâ- Abu Ghraib; mantêm até hoje
no Lula. “Não estamos aqui pa- mara.ODEMentrouemobstru- Guantánamo funcionando;
ra colocar diploma (de direitos CONSTITUIÇÃO ção, impedindo a votação de se- mantêm cinco presos políticos
humanos) na parede de nin- Apolíticade abstençãosiste- te projetos de decreto legislati- cubanos sem nem sequer se-
guém”, disse o chanceler Celso mática, porém, foi praticada vo de acordos internacionais. O remjulgadosemterritórioame-
Amorim no programa Roda Vi- também durante o governo presidente da Câmara, deputa- ricano”, afirmou Grazziotin.
va, da TV Cultura, em junho. “O AMORIM – ‘Quantas resoluções há na ONU sobre Guantánamo?’ Fernando Henrique Cardo- do Michel Temer (PMDB-SP), ParaolíderdogovernonaCâ-
Brasil não tem pretensão de su- so. À época, o País não decidiu suspender as votações mara,deputadoCândidoVacca-
perioridade moral.” ABSTENÇÃO SISTEMÁTICA apoiou decisões contra ocer- depoisdobate-bocaentreovice- rezza(PT-SP),“nãocabeaopre-
OPaís é um “interlocutor pri- co chinês a dissidentes, a re- líder do DEM, deputado José sidentechegar emCuba seimis-
vilegiado”,afirma,capazde dia- ● Irã – Itamaraty se calou em vota- ● Sudão – Em votação condenan- pressão russa na Chechênia Carlos Aleluia (BA), que cha- cuindo na política interna do
logar tanto com países do sul, ção contra abusos de Teerã con- do Cartum pelo genocídio em Dar- e ao Irã e não criticou Cuba. mou Fidel Castro (ex-presiden- país”. Ele argumentou que o ex-
quanto do norte. Por isso, deve tra manifestantes da oposição fur, Brasil voltou a se abster Flávia Piovesan, professo- te de Cuba) e seu irmão Raul presidente Fernando Henrique
rejeitar a “agenda seletiva” im- rade direitodaPUC-SP,lem- Castro de assassinos, e deputa- Cardoso se encontrou diversas
posta pelos poderosos – leia-se: ● Coreia do Norte – Prestes a ● Investigações – Não votou para bra que a Constituição de dos do PT e do PC do B, que saí- vezes com Fidel Castro e nunca
EUA e Europa. “Quantas reso- abrir embaixada em Pyongyang, renovar investigação no Congo e 1988 impõe a “prevalência ram em defesa de Lula. se referiu às denúncias de viola-
luçõeshánaONUsobreGuantá- País não condenou regime não apoiou inquérito no Sri Lanka dosdireitoshumanos”nasre- Temer fez questão de ressal- ção de direitos humanos em
namo?”, provoca o chanceler. lações exteriores brasilei- tar que a posição oficial da Câ- Cuba. O petista lembrou ainda
Mas ONGs e analistas afir- ras,elevandootema a umpa- maraéderepúdioa“todaequal- que o ex-governador da Bahia
mam que essa posição diplomá- (CDH) das Nações Unidas ilus- uma condenação ao Sudão pelo tamarinédito.“Elaéinovado- quer atitude antidemocrática e AntonioCarlosMagalhães,mor-
tica, na prática, faz do Brasil so- tra a ambiguidade. genocídio em Darfur e calou so- ra sob esse aspecto”, afirma agressiva em qualquer país do to em 2007, recebeu Fidel “com
lidário e até mesmo cúmplice A plenária dos 192 países da bre o Congo e no Sri Lanka. A Flávia. “O Brasil não pode se mundo”. “Quem poderia imagi- pompaecircunstância”noEsta-
de países que cometem viola- ONU realizou recentemente 3 China também foi poupada. aquietar em nome da solida- nar um presidente operário, o do e, na época, Aleluia era da ba-
ções sistemáticas. Em nome da votações com propostas contra O programa nuclear e os pro- riedade sul-sul.” nosso presidente metalúrgico, sealiadaaogovernador.Odepu-
“solidariedade sul-sul”, a diplo- Coreia do Norte, Mianmar e testos que sucederam às elei- A nova Carta “animou” ir a Cuba para comemorar a tado Nilson Mourão (PT-AC)
macia brasileira estaria viran- Irã. Nas três oBrasil seabsteve. ções de junho no Irã (qualifica- umprocessointernoderede- morte de um dissidente do regi- também usou de ironia para se
do a cara a atrocidades cometi- dos de “choro de perdedor” por mocratização, diz Flávia. me de Fidel? Isso é inaceitável. referirà posiçãodeAleluia:“La-
dasem países que vão de Cuba e AHMADINEJAD Lula), colocaram o regime per- “Mas a esfera externa não Tirar foto dando risada, ao lado mentavelmente,nãoviodeputa-
Irã, a Sudão e Coreia do Norte. O Itamaraty justifica que a ins- sanocentro dosdebates. OBra- acompanhou esse movimen- de assassinos, ao lado de bandi- do Aleluia comovido quando os
A relação de votos brasilei- tância adequada para o debate silseabstevenaAssembleia-Ge- to” e a ação brasileira no dos, em Cuba”, disse Aleluia. EUA mataram 70 iraquianos e
ros na Assembleia-Geral e no é o CDH. Mas, nesse conselho, o ral e fez um discurso brando so- mundo está excessivamente Sua fala foi rapidamente con- foram a TV para simplesmente
Conselho de Direitos Humanos País também se absteve em breocasonoCDH.Evitaram-se submetida ao Executivo. ● testada pela deputada Vanessa pedir desculpas.” ●