You are on page 1of 2

Primeira participação de sempre de uma dupla nacional na prova

Única baja do mundo que se disputa em pistas de neve e gelo


44 equipas de 9 países apresentam-se amanhã à partida

Nuno Matos cumpre este fim-de-semana


baptismo internacional na Baja Rússia
Tudo a postos para o arranque oficial da 8ª edição da Baja Rússia Northern Forest, o único evento do calendário
internacional de todo-o-terreno a disputar-se integralmente em pistas de neve e gelo. Pela primeira vez na
história, Portugal estará representado nesta difícil e insólita prova, a segunda do ano pontuável para Taça
Internacional FIA de Bajas, através da dupla Nuno Matos/Filipe Serra, na Isuzu D-Max T2 com as cores do Cetelem
| Fedima Team. Dividida por 2 etapas e 6 sectores selectivos que perfazem 260 km cronometrados, a corrida
marca o baptismo internacional do actual Campeão Nacional do Agrupamento T2 e o primeiro medir de forças
com os restantes aspirantes ao “título” mundial de 2010…

As principais características de uma vulgar prova de todo-o-terreno são por demais conhecidas de todos: um longo
percurso fora de estrada, sem qualquer reconhecimento prévio, e um piso tradicionalmente duro e exigente para as
mecânicas – em caminhos de terra, areia e… pedra! Durante dias ou mesmo semanas, cruzam-se serras, rios,
desertos e até países, às vezes com sol e muito pó, outras com chuva e alguma lama à mistura.

Porém, um dia alguém lembrou-se de ir um pouco mais longe e propor algo completamente diferente: uma baja de
Inverno! A primeira em todo o mundo a realizar-se em pistas integralmente cobertas de neve e gelo.

Assim nasceu, em 2003, a Baja Rússia Northern Forest. A única prova do calendário internacional em que os pilotos
são obrigados a montar pneus de pregos nas suas viaturas 4x4 e que tem a sua base operacional situada numa
estância de esqui. Nada mais apropriado, sobretudo, quando estamos em pleno Inverno russo e os termómetros
chegam facilmente aos 30 graus negativos…

Ironia do destino, é do Alentejo que chega a primeira equipa portuguesa a aventurar-se nesta corrida de contornos
algo… insólitos, mas cada vez mais popular e participada – este ano são já 44 pilotos em representação de nove
nacionalidades, incluindo a estrela local Boris Gadasin, vencedor da última edição.

Bicampeão Nacional do Agrupamento T8 e actual detentor do título no Agrupamento T2, Nuno Matos cumpre a
partir de amanhã, sábado, a sua estreia absoluta na prova e também numa competição fora de portas, num ano em
que se propõe lutar por um lugar no pódio final da Taça Internacional FIA de Bajas.
Segunda prova do calendário de 2010, a Baja Rússia Northern Forest é seguramente um dos maiores desafios da
época para o piloto de 32 anos, natural de Portalegre: “É uma corrida de características únicas no mundo e que
tinha enorme curiosidade em disputar um dia. Toda a equipa fez um enorme esforço para estar aqui presente,
pelo que espero agora corresponder e dar uma enorme alegria a todos os que acreditaram no projecto”.

“Embora consciente que esta prova vai ser uma descoberta a todos os níveis, estou ansioso por começá-la”,
reforçou Nuno Matos, este ano acompanhado por Filipe Serra na Isuzu D-Max T2 do Cetelem | Fedima Team.

Na região de São Petersburgo desde a passada segunda-feira, a dupla portuguesa viveu já as primeiras peripécias,
nomeadamente à chegada do seu carro de prova, que viajou mais de 4 mil km e atravessou 10 países no camião de
assistência: “Logo que tentámos pôr o carro a funcionar, o motor começou a fazer um barulho estranho…
Explicação? O gasóleo colocado na Polónia congelou nas tubagens, pelo que foi preciso substitui-lo por outro com
um aditivo anticongelante para muito baixas temperaturas”, recorda.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES NA NEVE

Em compensação, o piloto pôde ontem, quinta-feira, realizar um primeiro e curto teste com a Isuzu D-Max numa
pequena pista coberta de neve, a sul de São Petersburgo: “Deu para perceber minimamente como se conduz nestas
condições e como se comportam os pneus de pregos. São realmente muito eficazes, embora a traseira do carro
fique muito solta, o que faz um pouco confusão”, explica Nuno Matos.

“De qualquer forma, só no sábado, quando a prova começar, é que poderei ter uma ideia mais clara do que é esta
prova e onde me poderei situar em termos de classificação. Serei talvez o único piloto do pelotão que nunca
correu na neve! Por isso, terei de aprender depressa, embora adoptando um ritmo cauteloso nas primeiras
passagens. Tudo isto é novo para mim e as condições – há 100 anos que não nevava tão intensamente nesta
região! – também são muito exigentes”, conclui o piloto que, esta tarde, cumpre as obrigatórias verificações
administrativas e técnicas em Igora, cerca de 60 km a norte da cidade de São Petersburgo.

Dividida em duas etapas, num total de 260 km cronometrados, a Baja Rússia Northern Forest arranca oficialmente
amanhã, a partir das 9h30 locais (+ 3h que em Portugal Continental) com a realização de uma Super Especial (2,70
km), seguida de dupla passagem por um Sector Selectivo (SS) de 85,76 km. Domingo, entre as 8h00 e as 16h20
locais, a prova completa-se com mais três passagens pelo mesmo percurso, agora em sentido inverso.