You are on page 1of 21

7º Festival Internacional

de Artes Performativas

fMD15
10 — 19Set

M AT E R I A I S

M AT E R I A I

M AT E R I A

M AT E R I

M AT E R

M AT E

DIVERSOS
DIVERSO
DIVERS

M AT

DIVER

MA

DIVE

M

DIV
DI
D

EDITORIAL

P.4

Uma janela entre mundos

BY HEART

P.26

SO NDA ESPACI A L – L .Q.F.U.B.

P.6

Friendly Fire

SENSE O F B ECO MIN G

P.28

PEQUENA VIDEOTECA DE PERFORMANCES SOBRE PAISAGENS BR ASILEIR AS

P.8

Natália Nolli Sasso
O B A IL E

P.10

Tiago Rodrigues
Slow is Possible
AUL A S DE DA N Ç A fMD

P.30

P.30

Aldara Bizarro

Maria Ramos
Políticas culturais para
Portugal na legislatura
2015-19

ARRASTÃO

P.12

Lander Patrick
A PRESEN TAÇ ÃO PÚB L I C A
NINH OU A RTS SUMMER C A MP

P.14

P.31

5 Minutos Diversos

P.31

Ponto de Encontro

P.32

Calendário fMD15

P.34

Infos úteis

P.36

Open Latitudes

P.37

Materiais Diversos

P.39

Equipa

Miguel Pereira
OS SERRENH OS D O C A L DEIR ÃO

P.16

Vera Mantero
SO PA DE PEDR A

P.18

Sopa de Pedra
MÉDUSES

P.22

Vincent Glowinski
INÊS

P.24

P.2

Volmir Cordeiro

P.3

das Sopa de Pedra e dos Pedra and Slow is Possible. e acolhemos 30 participantes locais em palco. respectively. que lançam este ano o seu primeiro álbum. We are certain that the Municipality of Alcane- versificada. Contraria discursos generalistas sobre identidade e território. at least. não apenas professional field. em Tor- other elements that make up the festival DNA. a renovação e a mudança. O Ponto de Encontro regressa ao centro de Minde e instala-se na Praça de Alber- structure for meetings and debates. mas a coesão e a renovação cial fabric. no dia 12. musical groups Sopa de dos promissores coreógrafos Lander Patrick e Volmir Cordeiro. in Torres Novas. e o Teatro Virgínia. na’s recent step back is only temporary and believe it is possible to resume a productive a quem agradecemos o apoio e colaboração activa. encontros e debates cujos resultados gráficos estarão acessíveis durante o festival. Depois de um ciclo de afirmação. E só podemos ver como temporário o dialogue with them in the near future. Reconhecemos a mesma preocupação na Câmara Municipal de Torres Novas. with 30 local participants. Os festi- new assemblies. Performing arts festivals today configure jecta a região no futuro e procura ampliar o imaginário e o horizonte do possível. e de Vincent Glowinski (aka (aka Bonom). e By Heart. inspired by Ettore Scola’s Le Bal. we prepare to inaugurate a new cycle of consolidation and iniciado por Tiago Guedes em 2009. Spacecraft. recuo do nosso mais antigo parceiro. The fMD Neste movimento renovado concentramos a nossa actividade em dois espaços principais meeting point returns to Minde’s town centre. a street artist who reinvents himself for the stage with Méduses. pro- ination. mais 7 anos. and on which we project our development do tecido cultural e social. Aqui se poderá encontrar tudo o que constitui o ADN do fMD e. projectar. our activities are divided between two main performance venues: espaço urbano. respectivamente Os do Caldeirão on the 12th and By Heart. and a pop-up media library dedicated to our invited artists will be available for public a Sonda espacial L. bem In addition to the exceptional days that the festival marks on the calendar. (pre)ocupam-nos out the year. Com o número 7 como magical number. período de consolidação e de relações capilares. not only by supporting artistic creativity and the development of the vais de artes performativas configuram hoje novas assembleias e promovem. O 7 é. the world. Also in the line-up are Serrenhos do Caldeirão. em Alcanena.U. nourished the collective imag- o espaço internacional. This is the legacy we claim for fMD. Apresentamos present two memorable pieces by Vera Mantero and Tiago Rodrigues: Os Serrenhos duas criações memoráveis de Vera Mantero e de Tiago Rodrigues. conotado com os ciclos lunares. Abrimos no dia 10 com O Baile. com quem acredi- Since its creation. We por Le Bal de Ettore Scola.F.Q. entramos agora num nuanced relationships in the visionary project founded by Tiago Guedes in 2009. Welcome to Festival Materiais Diversos 2015! Bem-vindos ao Festival Materiais Diversos 2015! Elisabete Paiva Elisabete Paiva Artistic Director Directora artística P. Bonom). um número Festival Materiais Diversos is celebrating its seventh year.. Armed with our lucky number seven and a solar disposition in the face of polit- constrangimentos financeiros.4 P. who we thank as condições para a presença no território de uma programação regular qualificada e di- for their support and active collaboration. this year’s programme draws Procurando dialogar com diferentes imaginários e actores. In many cultures. but by promoting the cohesion and renovation of our cultural and so- a criação artística e o desenvolvimento do meio profissional. É nesta herança que o fMD se revê e é sobre ela que se quer for. connoting renovation and amuleto e um entusiasmo solar perante a fragilidade das políticas culturais e subsequentes change. Printed materials from these sessions to Guedes. pelo menos. de Aldara Bizarro.B. together with the de apresentação.5 . a Fábrica de Cultura de Minde. another seven years.Um janela entre mundos A window between worlds O Festival Materiais Diversos completa 7 anos. do colectivo Friendly Fire. and broadened horizons of possibility. seven is a mágico.Q. fMD has opened a precious window from the Médio Tejo region to tamos poder brevemente retomar um diálogo profícuo. cupied with the conditions for diverse and qualified programming in the region through- Para além dos dias excepcionais que um festival recorta no calendário. We open on the 10th with O tre linguagens e referências. em inúmeras culturas. It has challenged generalised discourses on identity and territory. Contamos ainda com a presença promising choreographers Lander Patrick and Volmir Cordeiro. This concern is shared with the Municipality of Torres Novas. and Vincent Glowinski Slow is Possible.B. who release their first album this year. linked to lunar phases and women’s cycles. Seeking to dialogue with different imaginaries and actors. on the 19th. we are preoc- como uma Mediateca efémera dedicada aos artistas convidados desta edição. Praça Alberto Guedes. Alcanena. Friendly Fire’s L. na proximidade. predispomo-nos a dar continuidade ao projecto visionário ical and financial fragilities. and Teatro Virgínia. is nearby. a Câmara Municipal de Alcanena. projected a Sabemos que desde a sua criação o fMD abre uma preciosa janela entre o Médio Tejo e future for the region from a position in contemporaneity. Fábrica de Cultura in Minde. Esta sonda/mesa de trabalho acolhe consultation throughout the festival. o programa sugere tensões en- on tensions between artistic languages and references. inspirado Baile by Aldara Bizarro. a res Novas. no dia 19.F. que se reinventa no palco com Méduses após intenso trabalho de desenho em As part of the renewal.U.

News from Portugal e na Trienal de Arquitectura de Lisboa 2013 no programa A realidade e outras ficções. A sua publicação auto-impressa (em Fânzeres) está incluída na co. Archizines. Matilde Seabra. residente na Biblioteca do Victoria & Albert Museum e actualmente em digressão mundial. com foco na actividade cultural de Minde e nos espaços escolares como espaços pedagógicos favoráveis à criação.Q. Friendly Fire são Alexandra Areia. textos. Its aim is to address architectural culture and its effects on everyday life in an alternative and informal perspective. Trata-se de partilhar intenções e práticas.F. Cursos. is a spacecraft. Cónego Feliciano. A par da 1ª edição do Ninhou Arts Summer Camp.B.B.U. Like an interstellar probe. convidámos diversos actores envolvidos na formação em artes performativas em Portugal para uma jornada de reflexão. Trata-se de um espaço de trabalho que possibilita simultaneamente o debate e a produção de materiais gráficos. Pedro Baía e Pedro Barata Castro — colectivo de arquitectos. Em Minde. The information it records and produces takes the form of an ever-growing fan- Friendly Fire é um grupo editorial formado em 2011. Gonçalo Azevedo. bem como um © Lander © Catarina Patrick Botelho & Jonas Lopes grupo de trabalho sobre formação artística e a Mediateca fMD15. available for public consultation.6 P. Friendly Fire is an independent architecture collective interested in subversive and humorous narratives and practices. zine.Q. materiais gráficos e conversas que revelam os seus universos. L. the spacecraft hosts debates and workshops.B. ideias e práticas sobre a formação em artes performativas em Portugal 12 SET SAB / 11h00 às 13h00 e 15h00 às 17h00 Minde and school as pedagogical and creative environment.SONDA ESPACIAL – L. esta sonda espacial acolherá debates e oficinas. estabelecer vasos comunicantes entre percursos e contextos e fomentar parcerias que abram novos horizontes para criadores. nº5 1 a 19 SET [TER a SAB] Das 17h00 às 19h30 / Gratuito Mediateca fMD15 Nesta mediateca temporária dedicada aos artistas do programa.F.7 P. a workspace. it explores its surroundings and seeks to understand what forms of life are supported. The first issue of their limited-edition fanzine was published in 2011. P. as well as a workgroup concerned with performing arts education and a pop-up media library dedicated to the artists in the festival programme. estará disponível para leitura do público.Q. investigadores.7 . usando o humor e a subversão como ferramentas principais do seu discurso. tomando a forma de uma mesa redonda/ máquina de fanzines. é um projecto do colectivo Friendly Fire criado para o programa A realidade e outras ficções na Trienal de Arquitectura de Lisboa 2013.U.U. Este dispositivo pretende reproduzir e abrir ao público o modo de operação de Friendly Fire. Participou na Bienal de Arquitectura de Veneza com o desenho do “alçado tardoz” do pavilhão português Homeland. focusing on the cultural life of I N STA L AÇ ÃO / R E FL E X ÃO Minde R. and a fanzine machine. Ivo Poças Martins. O registo. colectivo de arquitectos que “sonda o espaço” construído enquanto suporte da vida quotidiana. Friendly Fire [PT] L. cuja actividade se centra nos efeitos e danos colaterais da arquitectura na vida quotidiana.F. o público poderá encontrar vídeos. pedagogos e estudantes. In Minde. necessariamente rápido como num fanzine em perpétua expansão.

© Periférico (2014). performance as a language.9 P. 2014. Colabora com a publicação Questão de Crítica (Rio de Janeiro/ Brasil). Natália Nolli Sasso is a poet.8 P. 7’). Olhando o olhar do outro Conversa com Elisabete Paiva 17 SET QUI / 18h30 / Torres Novas Museu Municipal Carlos Reis (inscrição prévia através de inscricoes@materiaisdiversos. Her MA research focuses on performativity in theatre. onde tudo parece exótico. 12’24’’) P. de Amanda Melo (Recife. (Estado do Pará. Ritual de Casamento. and therefore cannot exist as reality. 2014.PEQUENA VIDEOTEC A DE PERFORMANCES SOBRE PAISAGENS BR A SILEIR A S CUR ADORIA Natália Nolli Sasso [BR] Esta colecção resulta de uma visita prometida. de Luciana Magno. Since 2004. e.com) V Í D EO / P E R FO R M A N C E Minde / Bilheteira central 5 a 19 SET das 14h00 às 19h00 Torres Novas / Museu Municipal Carlos Reis 8 a 20 SET [TER a SEX] das 9h00 às 12h30 e das 14h30h às 17h30 [SAB e DOM] das 14h00 às 17h30 M16 / Gratuito This collection of videos and performances. Apresentada pela primeira vez no fMD15. Teatro S. não pode existir como realidade. com curadoria de Natália Nolli Sasso. 2011. Alter do Chão. Formada em Comunicação Social/ Jornalismo pela Unesp – Bauru/SP e mestranda em Artes/Teatro (Unesp – São Paulo). Curadoria de Natália Nolli Sasso com a colaboração de Elisabete Paiva Obras selecionadas 1/1. 2015. festive. de Joana Levi e Rita Natálio (Estado do Pará. where everything seems exotic. 14’21’’). pesquisa sobre performatividade no teatro. reveals Brazil in all of its complexity. 2014. de Renata Sampaio (Rio de Janeiro. and the relationships between the stage and reception. a colecção é formada por um conjunto de obras que se mostram capazes de desdobrar múltiplos modos de ver e pensar em prol da Heterotopia das paisagens humanas e naturais de um Brasil de facto pouco consistente enquanto unidade. O outro. and curator. coincide com o espectador e no espaço produzido por cada vídeo: território simbólico que só se completa se há o cruzamento dos olhares entre quem criou e quem assiste. portanto. festivo e exuberante. programmer. São vídeos de e sobre um país marcado por contradições profundas. Trabalha desde 2004 como programadora e curadora de projectos no Sesc São Paulo e foi uma das curadoras da Bienal Sesc de Dança (2007) e do Fest. Periférico. she programmes and curates projects at Sesc — São Paulo. Each work suggests multiple perspectives and readings of the heterotopia of human and natural landscapes in Brazil. aqui. de Rodrigo Munhoz (Rio Grande do Norte. and exuberant. Esplendor. as seen from the inside. presented at fMD15 for the first time. Natália Nolli Sasso é poeta. José do Rio Preto (2012). Série: Orgânicos. From and about a country marked by deep contradictions. a performance como linguagem e as relações entre cena e recepção. de Renata Sampaio apresentado em performatividades que incidem directamente sobre homogenias de um imaginário turístico. foi constituindo uma misteriosa cumplicidade e materializa-se agora sob a forma de uma colecção de olhares e projecções de criadores autóctones. 7’27’’). 4’42’’).9 . the videos act directly on the homogenies of the tourist’s imagination. programadora e curadora. Int.

She currently creates projects that connect dance with artistic. social. Paulo Ribeiro. direcção e coreografia Aldara Bizarro Interpretação/co-criação Costanza Givone. Miguel Calhaz (contrabaixo) e músicos da comunidade local Desenho de luz Francisco Tavares Teles Operação de luz Cláudia Valente Vídeo Catarina Santos Projecto criado a convite do programa Serralves em Festa. and pedagogical components. and Berlin and performed for Paula Massano. in an open invita- Aldara Bizarro estudou dança em Luanda. de 1983. Here. Concepção. 20 bailarinos amadores e 5 bailarinos profissionais. Actualmente desenvolve projectos que cruzam a dança com outras linguagens e as componentes artística. aqui se põem histórias verdadeiras em relação com o imaginário fantasioso e emocionante do teatro e do cinema. Marco Figueiredo (piano). © Silvana Torrinha O Baile is a participatory project. DA N Ç A Minde / Fábrica de Cultura QUI 10 SET / 21h30 70min. Francisco Camacho e Madalena Victorino. O trio de Artur Fernandes (Danças Ocultas) dá o tom. Uma produção Jangada com financiamento do Governo de Portugal / Secretário de Estado da Cultura — DG Artes P. colabora regularmente com o Fórum Dança. The accordion takes centre stage with the Artur Fernandos trio. Enquanto formadora. partially inspired by Ettore Scola’s 1983 film. Francisco Camacho.10 P. Evocando os tradicionais bailes de aldeia e de bairro com música ao vivo. New York. setting the tone for a cast of 10 musicians. Inês Jacques (interpretação no fMD15) e intérpretes da comunidade local Criação Artur Fernandes (Danças Ocultas) Interpretação musical Artur Fernandes (concertina). Aldarra Bizarro studied dance in Luanda. com o acordeão ao centro.11 . ainda hoje organizados por colectividades de norte a sul do país.Centro Histórico 2011/2012. realizado em parceria com o Manobras no Porto . Rui Horta. Diana Serrano. and Madalena Victorino. Isabel Costa. Nova Iorque e Berlim e trabalhou como intérprete com Paula Massano. por sua vez uma adaptação de um espectáculo de teatro. Lisbon. Centro Cultural de Belém. and five professional dancers. Rui Horta. e juntam-se em palco 10 músicos locais. Escola Superior de Dança. Le Bal. Paulo Ribeiro. parcialmente inspirado no filme Le Bal de Ettore Scola. social e pedagógica. Lisboa. The performance takes a contemporary look at the still-living tradition of town and neighbourhood dances. Bruno Rodrigues. M6 / 6€ through the stories of local participants who become co-creators of the piece. O Baile é um espectáculo que faz uma leitura contemporânea dessas danças cruzando-a com histórias dos participantes locais que se tornam co-criadores de cada edição. Manuel Henriques. Num movimento em espiral.O BAILE Aldara Bizarro [PT] O Baile é um espectáculo participativo. Fundação Calouste Gulbenkian e vários teatros nacionais. 20 amateur dancers. Começou a coreografar em 1990 e tem apresentado o seu trabalho por todo o país. tion to the audience. real stories and the fantasy world of cinema spiral together across the dance floor. envolvendo o público espontaneamente.

Materiais Diversos. destinado especialmente a associados do Teatro da Meia Via. Le Phénix. In 2014. parceiros desta apresentação. and is part of the compositional process and theatre space. © Lander Patrick & Jonas Lopes Nos dias que antecedem Arrastão. Marlene Monteiro Freitas. mas produz. Panorama Apoio residências artísticas CoLABoratório / Panorama. Teatro delle Moire. Arrastão modela um acordo coreográfico entre performer-espectador e espectador-espectador. Margarida Bettencourt.13 P. experiences. Tomaz Simatovic. M12 / 6€ tion of a rhythmic landscape under the direction of a performer/ maestro. com os quais faz comunicar um corpo cénico multidisciplinar. em Torres Novas. Centro Cultural do Cartaxo. He has worked with Luís Guerra. Esbatem-se assim as fronteiras entre espaço de acção e espaço de observação. Conceito Lander Patrick Co-criação e Interpretação Jonas Lopes&Lander Patrick Consultoria artística Jonas Lopes. Centro Cultural de Belém. Vooruit. the audience is invited to participate in the construcDA N Ç A. a multidisciplinary live composing sign language developed by Walter Thompson. Este projecto inspira-se no soundpainting. Body/Mind. Neste caso. Cineteatro Municipal João Mota Sesimbra Apoio Fundação GDA P.13 . como parte do dispositivo cénico. Materiais Diversos financiado pelo programa Cultura da União Europeia). Lander Patrick e Jonas Lopes orientam um workshop relacionado com o espectáculo. o todo inspira a parte e o todo contamina o todo. Margarida Bettencourt. o público não vê apenas o resultado da composição. um método de composição regido por códigos universais através de 1200 gestos. Lander Patrick’s career as a choreographer is recent but promising. Tomaz Simatovic. Jonas Lopes. Teodósio. L’Arsenic.CO N C E RTO Minde / Fábrica de Cultura SEX 11 SET / 21h30 45min. MIR Festival. Margarida Bettencourt e Teresa Gentil Participação especial Teatro da Meia Via Desenho e operação de luz Carlos Ramos Produção executiva e difusão [PI] Produções Independentes (Estrutura financiada pelo Governo de Portugal / Secretário de Estado da Cultura — DGArtes) / Tânia M. Obteve o 1º prémio no Festival Koreografskih Minijatura (Sérvia) com Noodles Never Break When Boiled (2012) e o 2º prémio no No Ballet International Choreography Competition (Alemanha) com Cascas d’OvO (2013). Jonas Lopes. Marlene Monteiro Freitas. Alkantara. he was considered an Aerowaves Priority Company with his piece Cascas d’OvO (2013). André E. entre outros. Teodósio.12 Lander Patrick nasceu no Brasil. criado por Walter Thompson. Sin Arts Culture. André E. Guerreiro Co-produção Centro Cultural de Belém. In Arrastão. In this performance. O seu percurso como coreógrafo é recente mas promissor.ARRASTÃO Lander Patrick [PT] Esta dança-concerto propõe um compromisso incontornável com e entre estranhos. PACT Zollverein. Lander Patrick moderates a choreographic concordat between the performers and the audience that bridges the divide between performing and observing. O Espaço do Tempo. Open Latitudes (Latitudes Contemporaines. Apoio à Apresentação * Conversa após o espectáculo P. the audience produces. among others. numa relação tripartida em que a parte determina o todo. que lhe valeu ainda a distinção Aerowaves Priority Company 2014. Tem colaborado com Luís Guerra. mas vive desde sempre em Portugal. experiencia e integra a mesma. em que Lander Patrick é o eixo de várias orquestrações e se forma uma matéria comum. This project is inspired by Soundpainting.

this year’s laboratory focuses on the borders between reality/ fiction and nature/artifice. A apresentação pública decorre em pleno fMD15. aprofundarem práticas de criação e de colaboração. among others. Taking its cue from Minde’s imposing natural landscape. Como intérprete trabalhou com Francisco Camacho. O ponto de encontro está marcado no Cine-teatro Rogério Venâncio. entre as 18h e as 20h de sábado. Este projecto. Orientação e direcção Miguel Pereira com a colaboração de Teresa Silva Práticas teóricas Paula Caspão Co-criação e performance Participantes no Ninhou Arts Summer Camp P. com o qual recebeu o Prémio Revelação José Ribeiro da Fonte e a menção honrosa do Acarte/ Fundação Calouste Gulbenkian. em particular de artes performativas. He worked with Jerôme Bel in Shirtologia(Miguel). Serão ainda equacionados e integrados no processo os diversos modos de relação com a figura do espectador. este é um laboratório atento às fronteiras entre o real e o ficcional. He teaches regularly at Forum Dança and at the Trinity Laban Conservatoire of Music and Dance. tirando partido das características singulares da Vila de Minde. o natural e o artificial. This annual project is an opportunity for arts students to develop their creative and collaborative practices. As a performer. and Jorge Silva Melo. dia 12.14 P. he has worked with Francisco Camacho. entre outros.APRESENTAÇ ÃO PÚBLIC A NINHOU ARTS SUMMER C AMP ORIENTAÇ ÃO: Miguel Pereira [PT] A 1ª edição do Ninhou Arts Summer Camp decorre entre 3 e 13 de Setembro de 2015. e foi bolseiro em Paris e Nova Iorque. Vera Mantero. a que se segue uma acção em percurso. com orientação de Miguel Pereira. M12 / Gratuito construct and deconstruct the theatrical protocol surrounding performer-audience relations. His piece Antonio e Miguel received the José Ribeiro da Fonte Award. Miguel Pereira leads the first edition of Ninhou Summer Arts Camp from September 3rd to 13th. and studied in Paris and New York. acompanhado por Teresa Silva e Paula Caspão. em Lisboa. nomeadamente no Forum Dança e do Trinity Laban Conservatoire of Music and Dance. Vera Mantero.15 P. entre outros. representa uma oportunidade para os estudantes de artes. anual.15 . Miguel Pereira frequentou a Escola de Dança do Conservatório Nacional e a Escola Superior de Dança. Reúne uma vasta experiência em formação e coaching. “Antonio Miguel”. accompanied by Teresa Silva and Paula Caspão. Miguel Pereira is a graduate of the National Conservatory and Lisbon School of Dance. construindo e desconstruindo o protocolo teatral. Jorge Silva Melo. The research and creative process will also P E RC U R S O P E R FO R M AT I VO Minde / Cine-teatro Rogério Venâncio SAB 12 SET / 18h00 2hrs. Como criador destaca. Valorizando processos fortemente ancorados no trabalho de pesquisa e criação. Trabalhou com Jérôme Bel em “Shirtologia(Miguel)”.

uma sabedoria na ligação entre corpo e espírito. tendo iniciado a sua carreira coreográfica em 1987 e mostrado o seu trabalho por toda a Europa. Teixoso (Covilhã). Putting her own video documentation in dialogue with recordings © Luis da Cruz by Michel Giacometti. a palavra estranhamente familiar de Eduardo Viveiros de Castro.17 P. Em 1999 a Culturgest organizou uma retrospectiva do seu trabalho até à data. Brasil. Vera canta para os poucos serrenhos que permanecem. Cruzando as suas próprias recolhas vídeo com as recolhas em filme de Michel Giacometti. Silêncio. Her work has been shown in Europe. Concepção e interpretação Vera Mantero Desenho de luz Hugo Coelho Captura de imagens e elaboração de guião para o vídeo Vera Mantero Montagem vídeo Hugo Coelho Excertos vídeo da Filmografia Completa de Michel Giacometti Salir (Serra do Caldeirão).DA N Ç A / CO N FE R Ê N C I A Minde / Fábrica de Cultura SAB 12 SET / 21h30 70min. em torno da desertificação/desumanização da Serra do Caldeirão. é também da palavra e da terra. Canadá. A serra. Tornou-se um dos nomes centrais da Nova Dança Portuguesa. Vera sings and dances for the few highlanders that remain. no Algarve. The Caldeirão Highlanders. in tribute to the knowledge we have lost. Eduardo Viveiros de Castro. Mês de Vera”.17 . having won several distinctions in her career as a dancer and choreographer. Vera Mantero fala-nos de povos que possuem uma sabedoria que perdemos. a palavra de Artaud em combustão. she also began performing as a singer. linking body and spirit. para nosso bem) reactivar. * Conversa após o espectáculo P. cantando repertório de vários autores e co-criando projectos de música experimental. Córdova de S. Mas uma sabedoria que podemos (e devemos. Vera Mantero casts light on traditional and rural practices. the Americas. conhecimentos das culturas orais de norte a sul do país e de outros continentes. Vera Mantero estudou dança clássica com Anna Mascolo e integrou o Ballet Gulbenkian entre 1984 e 1989. Jacques Prévert e Vera Mantero Residências Artísticas Centro de Experimentação Artística Lugar Comum/Fábrica da Pólvora de Barcarena/Câmara Municipal de Oeiras e DeVIR/CaPA/Faro Co-produção DeVIR/CaPA Produção O Rumo do Fumo Agradecimento Editora Tradisom Este projecto foi uma encomenda dos Encontros do DeVIR da DeVIR/CaPA/Faro. Em 2002 foi-lhe atribuído o Prémio Almada (IPAE/ Ministério da Cultura Português) e em 2009 o Prémio Gulbenkian Arte pela sua carreira como criadora e intérprete. sobretudo aquelas feitas em torno das canções de trabalho. Excercises in Fictional Anthropology was developed in response to the process of desertification/dehumanisation of the Caldeirão Mountains in the south of Portugal. Com este “retrato alargado” dos Serrenhos do Caldeirão. sourcing repertoire from various musicians and co-creating experimental music. criado em parceria com Rui Chafes. M12 / 6€ OS SERRENHOS DO C ALDEIR ÃO. EUA e Singapura. Manhouce (Viseu). Toda a peça é povoada de vozes que vêm de longe. Mas não é só de música que se trata. everyday life and art – knowledge we can and should recuperate. P. Argentina. Representou Portugal na 26ª Bienal de São Paulo 2004. In 2000. entre quotidiano e arte. com Comer o Coração. Cava da Manta (Coimbra). as well as on the oral cultures of Portugal and beyond.16 Vera Mantero is one of the main figures of the New Portuguese Dance movement. and East Asia. E XERCÍCIOS EM ANTROPOLOGIA FICCIONAL Vera Mantero [PT] Este trabalho foi elaborado no âmbito do Festival Encontros do Devir. a palavra de Prévert martelado em jeito de poesia sonora. Desde 2000 dedica-se também ao trabalho de voz. Pedro Paus (Viseu) e Portimão (Algarve) Excertos de textos de Antonin Artaud. Vera Mantero lança um forte olhar sobre práticas de vida tradicionais e rurais em geral. intitulada “Mês de Março. Dornelas (Coimbra). Coreia do Sul.

Inês Campos. Founded in Porto in 2012. ganhando voz para continuar a desempenhar o seu importante papel na história colectiva de um povo. Sara Yasmine. As Sopa de Pedra são um grupo vocal feminino dedicado ao canto a capella de canções de raiz tradicional. mainly from Portugal. Rita Sá. With new arrangements that explore the complexity. the group will release their first album this year. também interpretam canções de raiz tradicional de outros povos. Surgiu no Porto. SAB 12 SET / 23h30 60min. Desejando interpretar com rigor a música tradicional portuguesa. que partilharam a infância a cantar no Bando dos Gambozinos temas de Lopes-Graça e convivendo com José Mário Branco. Une-as o gosto de cantar canções que falam sobre a vida das gentes. e prepara-se neste momento para editar o seu primeiro álbum. de muitos lugares e costumes. Inês Loubet. Teresa Campos Técnico de som Tiago Ralha Produção Turbina P. they aspire to keep these songs alive and interesting MÚSICA Minde / Fábrica de Cultura younger generations. procuram avivar-lhe a frescura por meio de novas harmonizações e arranjos polifónicos que exploram a sua complexidade. and depth of traditional music. pondo a arte ao serviço da vida. em 2012. M6 / 3€ Sopa de Pedra Benedita Costa. Aspiram assim que ela se mantenha viva e interessante para as novas gerações. © Pedro Nascimento Sopa de Pedra is a women’s vocal group dedicated to the performance of traditional songs. founded by a group of young women of different artistic and musical backgrounds. Mariana Gil. richness. em 2012. graças à inquietação de nove jovens com diversas experiências musicais e artísticas. Rita Costa. maioritariamente portuguesa mas também de outros povos.19 P.18 P. Embora o seu principal objectivo seja a divulgação e promoção da música tradicional portuguesa. Sopa de Pedra is a women’s a cappella group that perform original arrangements of traditional songs.SOPA DE PEDRA Sopa de Pedra [PT] Sopa de Pedra é um grupo vocal feminino dedicado ao canto a capella de canções de raiz tradicional. Inês Melo. Maria Vasquez. riqueza e profundidade.19 . no Porto. João Lóio e Amélia Muge. Surgiu.

c) d) j) Troncos e paus provenientes da Mata de Minde. .a) j) h) b) c) d) g) e) l) i) f) STICKS & STONES — a) b) e) f) g) h) i) l) Pedras de origem calcária. provenientes do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros.

or is it the projected ancestral patterns that direct the choreography? Direcção e coreografia Vincent Glowinski Desenvolvimento de software e consultoria artística Jean-Francois Roversi Dança Vincent Glowinski. pois é ele que permite que se tornem visíveis as criaturas que o assombram. Open Latitudes (Latitudes Contemporaines. o corpo parece tentar apreender as me- © Alice Piemme mórias dos seus sonhos. O movimento de dois bailarinos desenha morfologias e arquitecturas primitivas e fica-se na dúvida se é este movimento que gera as formas visíveis sobre a tela ou se são padrões ancestrais que orientam a coreografia. Materiais Diversos. Manège Mons/Maubeuge . ainda que por momentos. Apoio à Apresentação * Conversa após o espectáculo P. between the digital and the tangible.Festival EXIT (Créteil . um corpo na penumbra com a sua imagem como única memória. L’Arsenic. Agindo em acordo com esta efemeridade. pelo que o dispositivo Human Brush se tornou ferramenta essencial para redefinir os suportes e os limites da criação.Festival VIA (Be/Fr) Avec les soutiens de WBT/D. Sin Arts Culture.22 O desenho é o radical da prática artística de Vincent Glowinski. A sua pesquisa centra-se sobre o registo do movimento. MAC . Vlaamse Gemeenschapscommissie Residências Ultima Vez (Bruxelas). Uma câmara instalada sobre o palco colhe os movimentos em cena e projecta-os em tempo real sobre um ecrã.Festival December Dance (BE). Teatro delle Moire. Méduses makes use of a DA N Ç A / D E S E N H O Torres Novas / Teatro Virgínia QUI 17 SET / 21h30 60min. Méduses é a imagem de um corpo em combustão confrontado consigo mesmo. Fascinated by nature and animal physiognomy. desde a sua ida de Paris para Bruxelas. Body/Mind. Charleroi/Danses (BE). Glowinski has created dozens of monumental urban drawings of mythical creatures in Brussels. Um corpo cujo movimento é condição para existir. em que emergem criaturas míticas de um universo peculiar. Life Long Burning (Programme Culture Europe). Teun Verbruggen Assistente de dramaturgia Greet Van Poeck Consultoria artística Wim Vandekeybus Desenho de luz e direcção técnica Davy Deschepper Produção e Difusão Entropie Production / Pierre-Laurent BOURDET Production Co-produção Ultima Vez. Dymitri Scypura Música Elko Blijweert.FR). Does the movement generate the images we see. The multifaceted work of Vincent Glowinski (aka Bonom) is revealed in this impressive symbiosis between drawing and movement.MÉDUSES Vincent Glowinski [BE] Aprofundando a pesquisa de Vincent Glowinski (aka Bonom). KWP Pianofabriek (Bruxelas) P.23 . constituindo com a performance um só corpo. M12 / 6€ specific video software to process. Drawing is the backbone of Vincent Glowinski’s artistic practice. Méduses recorre ao software Human Brush. financiado pelo programa Cultura da União Europeia). Video projection and performers create a single presence. sob o pseudónimo Bonom. tracing morphologies and drafting primitive architectural forms. Cultuurcentrum Brugge . where he lives. Vooruit. produziu dezenas de desenhos urbanos monumentais e misteriosos. O interesse na fisiologia animal e na natureza em geral deixaram uma marca inconfundível no seu trabalho artístico e. and project images captured in real-time by a camera positioned above the stage. um dispositivo vídeo para a captação e registo de movimento. His current research involves capturing movement using Human Brush technology.23 P. uma só entidade. Le Phénix. overlay. MIR Festival.

O seu primeiro solo. and choreogra- © Fernanda Tafner phic implications of the representation of marginalised people. Cristina Moura e Lia Rodrigues e actualmente trabalha com Emmanuelle Huynh. But the price – which she is willing to pay – involves her whole body. Volmir Cordeiro obteve. Centre National de la Danse . direção de Emmanuelle Huynh). Apoio à Apresentação * Conversa após o espectáculo P. onde figurar o “si mesmo” é um desafio constante.DA N Ç A Minde / Fábrica de Cultura SEX 18 SET / 21h30 50min. mas também para fazer desta problemática motor para a constituição de uma linguagem. un laboratoire” (Cia Mua. ter direito à palavra e combater o seu desaparecimento. Materiais Diversos. Volmir Cordeiro researches the political. Inês é um gatilho que vem questionar o preço da visibilidade. His debut solo Céu was presented in France and Brazil. Como intérprete e coreógrafo trabalhou com Alejandro Ahmed (Grupo Cena 11). L’Arsenic. Cristina Moura. Open Latitudes (Latitudes Contemporaines. to fight against her own invisibility. agricultores forçados ao êxodo. intelectuais desclassificados. Céu (2012).Pantin. MIR Festival. envolve todo o seu corpo. jovens segregados. from which he builds his creative vocabulary. Formado em teatro pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. He has performed with Alejandro Ahmed. researching the representation of marginalised individuals in contemporary dance. Volmir Cordeiro tem desenvolvido intensa pesquisa sobre a representação dos marginalizados e o que isso implica em termos políticos. for what kind of stage? Inês wants to see herself in the eyes of others.25 P. Le Phénix. sociais e coreográficos. em 2013. Ménagerie de Verre. Materiais Diversos. Pauline Simon P. que ela está pronta a pagar. M12 / 6€ INÊS Volmir Cordeiro [BR e FR] No solo Inês é proposto um contrato de exposição. Les Laboratoires d’Aubervilliers. Festival Panorama (Rio de Janeiro). What gestures are worth being exhibited on stage? What kind of body. onde inicia uma tese sobre representações de indivíduos marginais na dança contemporânea. Volmir Cordeiro is a doctoral student at Université Paris VIII.25 . Lafayette Anticipation Agradecimentos Anne-Lise Le Gac. Teatro delle Moire. financiado pelo programa Cultura da União Europeia) Com o apoio de Montevideo. to have a voice. Pauline Le Boulba. Centro Cultural de Belém. and Emmanuelle Huynh. Body/Mind. o Mestrado em Dança. Coreografia e interpretação Volmir Cordeiro Criação de luz Beto de Faria Produção delegada Météores Responsável de produção Margot Videcoq Co-produção Musée de la danse. “Emanticipation. Criação e Performance pelo Centre National de Danse Contemporaine d’Angers/Université Paris VIII. refugiados e imigrantes. Existe uma maioria de gente que o Estado entende como inexistente: desempregados e operários. porque ela merece… Palais de Tokyo. Laboratoires d’Aubervilliers Etapas de construção Inês. Théâtre de Vanves. Volmir serve-se deste trabalho para confrontar o público com o facto de que a nossa existência não é apenas um dado mas uma criação quotidiana. CNDC d’Angers. Mas tudo isso lhe custa muito caro e esse preço. Sin Arts Culture. Lia Rodrigues. social. Inês quer pertencer ao olhar dos outros. foi apresentado em França e no Brasil.24 He confronts the audience with an existence that is not a simple fact but rather a daily creation. Inês triggers a series of questions about the price of visibility. Vooruit.

Essas 10 pessoas nunca viram o espectáculo e não fazem ideia que poema irão aprender de cor à frente do público. estão ligados à sua avó e a ele próprio. em Bruxelas. It is about our minds and hearts. É sobre um teatro que se assume como esse lugar de transmissão do que não pode ser medido em metros. Enquanto as ensina. do invisível contrabando de palavras e ideias que guardar um texto na memória pode oferecer. criando mais de 30 peças até à data e fazendo digressão em países da Europa. even in the darkest of times. playwright.27 P. and to him. characters that are somehow connected to her. Esse poema vai sobreviver”. É sobre o esconderijo seguro que os textos proibidos sempre encontraram nos nossos cérebros e nos nossos corações. onde desenvolveu um trabalho fortemente baseado na colaboração artística e nos processos colectivos. while sharing stories of his grandmother and of writers and literary Tiago Rodrigues é actualmente o director artístico do Teatro Nacional D. Actor. Tiago Rodrigues teaches a poem to 10 people. Como diria George Steiner numa entrevista: “Assim que 10 pessoas sabem um poema de cor. or bytes. * Conversa após o espectáculo P. o mistério da escolha do poema que as 10 pessoas decoram vai sendo esclarecido. com fragmentos e citações de William Shakespeare. Foi professor convidado na escola de dança contemporânea PARTS. M12 / 6€ BY HEART Tiago Rodrigues [PT] Em By Heart. euros ou bytes. Tiago Rodrigues ensina um poema a 10 pessoas. we learn the poem and the reason for the exercise. Esses livros também estão lá. story by story. Maria II in Lisbon. garantia de civilização mesmo nos tempos mais bárbaros e desolados. a CIA ou a Gestapo possam fazer.27 . Ray Bradbury. By Heart é uma peça sobre a importância da transmissão.T E AT RO Torres Novas / Teatro Virgínia SAB 19 SET / 21h30 75min. his subversive and poetic theatre has made him one of Portugal’s leading artists. trabalhou com a companhia belga tg STAN tendo co-criado e interpretado espectáculos apresentados em mais de 15 países. In By Heart. Maria Matos Teatro Municipal P. and director. guarantors of civilization. Texto Tiago Rodrigues. Actor. Ásia. Tiago vai desfiando histórias sobre a sua avó misturadas com histórias sobre escritores e personagens de livros que. It is about theatre as place for the transmission of what cannot be measured in metres.26 Tiago Rodrigues is the artistic director of Teatro Nacional D. de algum modo. América e África. Joseph Brodsky. Maria II. entre outros Encenação e interpretação Tiago Rodrigues Cenografia. Rita Mendes Produção TNDM II a partir de uma criação original pela companhia Mundo Perfeito com financiamento do Governo de Portugal / Secretário de Estado da Cultura — DGArtes Co-produção O Espaço do Tempo. criou a estrutura Mundo Perfeito com Magda Bizarro. George Steiner. euros. Em 2003. By Heart is about the importance of transmission and the invisible contraband of words and ideas made possible by memorisation. não há nada que a KGB. Verse © Magda Bizarro by verse. dramaturgo e encenador cujo teatro subversivo e poético o afirmou como um dos mais relevantes artistas portugueses. adereços e figurino Magda Bizarro Produção executiva na criação original Magda Bizarro. E à medida que cada par de versos vai sendo ensinado. e lecciona frequentemente em escolas de teatro e dança em Portugal e no estrangeiro. em palco. His work has been presented in 15 countries on four continents. and the safe haven they provide for forbidden texts.

29 P.” Slow is Possible is a Portuguese septet founded in 2013 that draws on a multiplicity of genres and the various backgrounds of its members to create a bold and multifaceted sound. the goddess Maya holds up a veil of illusions that prevents us from seeing spiritual truth. cuja sonoridade incorpora uma multiplicidade de géneros.SENSE OF BECOMING (Maya Deren by Slow is Possible) Slow is Possible [PT] No Hinduísmo. This multiplicity is MÚSICA E CINEMA Minde / Fábrica de Cultura SAB 19 SET / 23h30 75min. © Afonso Bastos In Hinduism. / M12 / 3€ a direct consequence of the life and personality of Maya Deren. da JAZZ. Sendo este também um grupo multifacetado. Segundo Eduardo Paes. Gravaram o seu primeiro álbum em Outubro de 2014.PT: “Nada há. visões e reflexões que assumem múltiplas interpretações e simbologias.28 P. o véu da ilusão. constituído por elementos ligados aos mais diversos campos musicais. recorded in October 2014. The Very Eye of Night (1958. 12’). a congregação entre os filmes de Maya Deren e a música dos Slow is Possible acontece de forma congénita. 4’). 13’). less work. will be released by JACC Records. Ritual in Transfigured Time (1946. writer. Violoncelo André Pontífice Saxofone Bruno Figueira Bateria Duarte Fonseca Guitarra Eléctrica João Clemente Piano Nuno Santos Dias Clarinete Patrick Ferreira Contrabaixo Ricardo Sousa P. A Study in Choreography for Camera (1945. ritmos. O cinema de Maya Deren é distintamente ritualístico. and reflections. Slow is Possible creates a musical intervention for six of her short films. choreographer. who was also a dancer. 15’). Maya é o nome da deusa que segura o véu em frente dos nossos olhos. que nos impede de ver a realidade espiritual por detrás dele. Inspired by her enchanted and time- Slow is Possible são um promissor e ousado septeto português criado em 2013. Their first album. Meditation on Violence (1948. entre nós. Partindo da obra encantada e intemporal que Maya Deren nos deixou os Slow is Possible intervêm musicalmente em seis dos seus filmes com o intuito de acentuar os traços já desenhados pela mesma. photographer. escritora e sábia da cultura vudu. Esta multiplicidade é consequência directa da própria vida e personalidade da realizadora que foi também bailarina. habitado por sonhos. and an expert on voodoo culture. Seleção de filmes de Maya Deren Meshes of the Afternoon (1943. rhythms. que se possa comparar com o que os Slow is Possible têm para oferecer.29 . At Land (1944. coreógrafa. 15’). fotógrafa. O que estes revelam de atrevimento mostram igualmente de perfeccionismo. that open to multiple interpretations. visions. Maya Deren’s cinema is similarly ritualistic. inhabited by dreams. 15’). brevemente editado pela JACC Records.

Maria Ramos. Elisabete Paiva fará uma brevíssima introdução a cada projecto que compõe o programa fMD15 e segue-se a audição de um tema dos Slow is Possible ou das Sopa de Pedra. mas todos os elementos que habitam o espaço fazem parte de um ambiente em acção. Maria Ramos addresses the concepts of vastness and aridity. em que as assimetrias pelo país de norte a sul revelam o papel fundamental da consistência e continuidade das políticas públicas para a cultura. acessível a todos os interessados em dança. P. alcanenenses. mesmo sem experiência.materiaisdiversos.3 TER e QUA 15 e 16 SET Das 18h30 às 20h30 Para orientar as Aulas de Dança no fMD15 convidámos Maria Ramos. In this project.com Expandindo as acções do fMD ao espaço digital. www. a Materiais Diversos co-organiza com a REDE — Rede de Estruturas para a Dança Contemporânea um debate público sobre as políticas culturais em Portugal propostas pelos candidatos às eleições legislativas do presente ano. Neste projecto.3 de Minde.31 P. As aulas realizam-se na EB2. claro. Ponto de partida ou ponto de chegada este é o sítio onde podemos encontrar todos os que fazem o fMD: artistas e parceiros locais. in residency in Minde for her new project Árida. a realizar um pequeno laboratório coreográfico. mindericos e covanos. organise a public debate about the cultural policies in each party platform. Materiais Diversos and REDE. Assim. locals and foreigners. torrejanos e lisboetas. Elisabete Paiva makes a short introduction to each project in the fMD15 programme. convidamos o público para um aperitivo diário: 5 minutos de comentário e música lançados diariamente entre 7 e 19 de Setembro. Here. dançável.31 . this is the place to find the people who make fMD. the fMD team and audiences. based on her interest in the relationship between dance and sculpture. que este ano lançam o seu primeiro álbum.Aulas de Dança fMD com Maria Ramos Minde EB2. followed by a track from the new records by Slow is Possible and Sopa de Pedra. Ponto de Encontro Minde Praça de Alberto Guedes 10 a 19 SET QUI — SAB das 15h00 às 01h00 DOM — QUA das 15h00 às 23h00 Este ano o Ponto de Encontro regressa ao centro de Minde. tripeiros e estrangeiros e. all elements that inhabit a space are considered part of a danceable environment-in-action. As deepening national asymmetries have made clear for consistency and continuity in cultural policies clear. a concretização deste debate é necessária e urgente. Árida. em residência com o seu novo projecto. this is an urgent and necessary conversation. the Portuguese network for Contemporary Dance. artists and local partners. all toast in the local language. we invite our audience for a daily aperitif: 5 minutes of commentary and music. In the lead-up to parliamentary elections. produtores e técnicos. extending the fMD vibe to Alberto Guedes Square. is invited to lead a small choreographic laboratory. Num momento de franco retrocesso. a dança não é só a dos corpos ou do movimento dos corpos no espaço.30 Políticas culturais para Portugal na legislatura 2015-19 5 Minutos Diversos Torres Novas Podcast Auditório da Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes SAB 19 SET Das 15h00 às 18h00 Seguindo a tradição de debate no fMD. Minderico: à maqueda! P. producers and technicians. brindar em minderico: à maqueda! This year. Maria Ramos está a desenvolver uma pesquisa sobre os conceitos de vastidão e aridez. equipa fMD e públicos. a partir do seu interesse pelas relações entre dança e escultura. com possibilidade de explorar exercícios no exterior. the festival meeting point returns to the town centre. More than just bodies or movement. estendendo sobre a Praça de Alberto Guedes uma onda de boa disposição. Point of departure or arrival. townspeople and city people. Expanding into in the digital world. open to all – no previous experience required.

6 P. nº5 Minde P.18 P.31 5 MINUTOS DIVERSOS 7 — 19 SET Podcast P.30 SET 1 — 19 SET [TER 22h30a SAB] Das 17h00 22h30 às 19h30 Rua Cónego Feliciano.33 .10 P.6 CURSOS.. Gustavo Pinto Lopes / Torres Novas 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 QUI SEX SA B DOM S EG TER Q UA QUI SEX SA B P. Natália Nolli Sasso VIDEOTECA DE PERFORMANCES Aldara Bizarro O BAILE SEX SA B DOM S EG TER Q UA 10 11 12 13 14 15 16 QUI 17 5 — 19 SET [TER a DOM] 14h00 às 19h00 Bilheteira central / Minde 19 8 — 20 SET [TER a SEX] 9h00 às 12h30 e 14h30 às 17h30 [SAB e DOM] 14h00 às 17h30 Museu Municipal Carlos Reis / Torres Novas 18h00 Cine-teatro Rogério Venâncio / Minde 21h30 Fábrica de Cultura Minde Vera Mantero OS SERRENHOS DO CALDEIRÃO 23h30 Fábrica de Cultura Minde Sopa de Pedra SOPA DE PEDRA 21h30 Teatro Virgínia Torres Novas Vincent Glowinski MÉDUSES 21h30 Fábrica de Cultura Minde Volmir Cordeiro INÊS Slow is Possible 18 21h30 Fábrica de Cultura Minde APRESENTAÇÃO PÚBLICA P. P.28 SA B 21h30 Fábrica de Cultura Minde Ninhou Arts Summer Camp Tiago Rodrigues SEX 1 — 19 SET [TER a SAB] 17h00 às 19h30 Rua Cónego Feliciano.Q.16 P.26 P. nº5 Minde Vários Locais Vários Locais 22h30 Vários Locais 18h30 às 20h30 EB2. nº5 Minde ARRASTÃO 21h30 Teatro Virgínia Torres Novas BY HEART 23h30 Fábrica de Cultura Minde SENSE OF BECOMING CONVERSAS APÓS OS ESPECTÁCULOS P..F.32 Q UI Lander Patrick P.Q..U.6 MEDIATECA P. IDEIAS E PRÁTICAS SOBRE A FORMAÇÃO.22 P. P.U.12 P.8 P.24 Friendly Fire SONDA ESPACIAL – L. PERCURSOS.B.3 Minde Maria Ramos AULAS fMD 22h30 Vários Locais 22h30 Vários Locais 18h30 às 20h30 EB2.31 PONTO DE ENCONTRO 10 — 19 SET [QUI a SAB] 15h00 à 1h00 / [DOM a QUA] 15h00 às 23h00 Praça de Alberto Guedes/ Minde 11h00 às 13h00 15h00 às 17h00 L.30 POLÍTICAS CULTURAIS PARA PORTUGAL.Calendário P..14 P.3 Minde 1 — 19 SET [TER a SAB] Das 17h00 às 19h30 Rua Cónego Feliciano.F.B. / Minde 15h00 às 18h00 Bibl.

3 de Minde 5 ou + pessoas Excepção espectáculos Sopa de Pedra e Slow is Possible €3 preço único Rua António Roque Gameiro. TAXIS Minde + info em O seu fim-de-semana connosco materiaisdiversos. > 65.B. 8km de Torres Novas).com Rua Cónego Feliciano.materiaisdiversos.com Torres Novas — Teatro Virgínia 2 a 19 de Setembro Terça a sexta 12h00 às 19h00 / sábado 15h00 às 19h00 (e uma hora antes dos espectáculos) Praça José Lopes dos Santos (+351) 249 839 309 bilheteira@teatrovirginia.Bilheteira Locais Como chegar 6€ bilhete normal MINDE CARRO 3€ bilhete desconto Fábrica de Cultura PARA Minde Este ano. nº10 Auditório da Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes Jardim das Rosas Contactos Informações (+351) 21 3900165 festival@materiaisdiversos.34 (+351) 249822612 P. estudantes.1ª saída e seguir as placas para Alcanena (N243/N361) e/ou Minde (N243).com http://www.B. nº205 A1 > saída Nº7 para A23 Abrantes/Castelo Branco/Torres Novas Após a portagem .Q.tickets@materiaisdiversos. o fMD oferece descontos entre 15% a 20% nos hotéis e alojamentos parceiros: < 18. profissionais do espectáculo Antiga Fábrica Têxteis Emídio da Silva Raposo Avenida São Sebastião Parreirais dos Mouquinhos Retiro do Bosque CountryHouse EstaminéBar Onde ficar 4€ bilhete grupos E. MINDE SERRA DE SANTO ANTÓNIO Quinta da Escola TORRES NOVAS Hotel dos Cavaleiros Hotel Torres Novas Largo José Lopes dos Santos Museu Municipal Carlos Reis Rua do Salvador. 2.com (+351) 918766861 Alcanena Táxi O Marcolino (+351) 249043205 Táxi José Constantino (+351) 249881717 Torres Novas * Este programa foi escrito de acordo com a antiga grafia P. nº5 Cine-teatro Rogério Venâncio Rua das Escolas.com/ facebook + instagram materiaisdiversos COMBOIO A CP dispõe de comboios diários com frequência regular que efectuam paragem na estação de Entroncamento (23km de Minde. PARA Torres Novas ALVADOS A1 > saída Nº7 para A23 Abrantes/Castelo Branco/Torres Novas A23 (portagens electrónicas) > saída Torres Novas/Golegã. Sonda Espacial – L.U. Turismo Rural Casa dos Matos Cooking and Nature Emotional Hotel Casa dos Aromas Pousada da Juventude 15€ passe três espectáculos à escolha 18€ passe fim-de-semana 4 espectáculos no 1º fim-de-semana ou 4 espectáculos no 2º fim-de-semana 30€ passe total 8 espectáculos Locais de venda Minde .35 . nº14 (+351) 21 3900165 festival.Bilheteira central 5 a 19 de Setembro. nº10 Ponto de Encontro Praça de Alberto Guedes TORRES NOVAS Teatro Virgínia AUTOCARRO PARA Minde e Torres Novas A Rede Expressos dispõe de autocarros diários para Minde e Torres Novas.F. 14h às 19h Praça de Alberto Guedes. na compra de qualquer passe ou bilhete. rotunda 1ª saída e seguir as placas em direcção ao centro.

Marcelo Evelin. Setembro 2016 Criação 2016 de Sofia Dias & Vítor Roriz Estreia Alkantara Festival.PROJECTO EUROPEU EUROPEAN PROJECT ASSOCIAÇÃO CULTURAL CULTURAL ASSOCIATION O projecto europeu Open Latitudes gere um fundo de co-pro- A Materiais Diversos (MD) é uma associação cultural sem fins dução. Cialo Umysl Foundation (Warsaw). domiciliada no espaço fMD presents the following Open Latitudes projects: Arrastão Alkantara. Torres Novas e Cartaxo. This year. particularly dance. Coimbra 23/10/15 Festival Verão Azul. No quadriénio 2013- The European network Open Latitudes administers a co-pro- 2016. Pablo Fidalgo Lareo. Le Phénix (Va- Diversos. Arsenic (Lausane). Filipa Francisco 21/11/15 Centro das Artes do Espectáculo. Integra a rede Open Latitudes Materiais Diversos europeia Open Latitudes. o fMD integra os seguintes projectos Open Latitudes: formativas. em Minde/Alcanena e Torres Novas. MD is a member of the European network Open Latitudes and REDE. municípios de Alcanena. Teatro delle reo e Sofia Dias & Vítor Roriz. MIR Festival (Athens). Marcelo Evelin. Lagos 26/10/15 Festival BAD. Pablo Fidalgo La- trum (Gante). and promotes regular programming throughout the year in the municipalities of Alcanena. Porto 7-10/10/15 Teatro Municipal Maria Matos. Terrassa 3/10/15 Teatro Rivoli. the Portuguese association of contemporary dance organisations. organises festival Materiais Diversos. bem como a REDE – Associação de Estruturas para a Dança Contemporânea. From 2013 to 2016. Bilbao A Viagem.37 . Cialo Umysl Foundation (Varsóvia). and co-pres- gal/Secretário de Estado da Cultura – DGArtes e pelos Municí- ents the work of established and emerging artists. Open Latitudes é Vooruit Kunstencen- associados de Filipa Francisco. Teatro delle Moire Materiais Diversos (MD) is a not-for-profit cultural association (Milan). promove residências artísticas e colabora na apresen- lucrativos que tem como missão incentivar a investigação e ex- tação de obras de artistas estabelecidos e emergentes. an annual. develops residency opportunities. and Cartaxo. e programação regular nos and MIR Festival (Atenas). Torres Novas e Cartaxo. MD produces and tours associate projects by Filipa Francisco. A actividade da MD Arrastão de Lander Patrick. Materiais Diversos (Lisbon). Sin Arts and Culture (Budapeste). Arsenic (Lausanne). P.36 PRÓXIMAS DATAS TOURS 2015 Habrás de ir a la guerra que empieza hoy. com especial enfoque na dança. Inês de Volmir Cordeiro e Méduses desenvolve-se em três eixos: produção e difusão dos projectos de Vincent Glowinski. Em perimentação artísticas e sensibilizar o público para as artes per- 2015. Inês by Volmir Cordeiro and Méduses by Vincent Glowinski. international performing arts festival in Minde/Alcanena and Torres Novas. Pablo Fidalgo Lareo 1/10/15 Festival TNT. by Lander Patrick. Le Phénix (Valenci- that aims to support artistic development and experimentation ennes). a MD é uma estrutura financiada pelo Governo de Portu- duction fund. Sofia Dias & Vítor Roriz. Open Latitudes is Vooruit Kunstencentrum (Ghent). Sever do Vouga PRÓXIMAS CRIAÇÕES NEW WORK 2015 — 2016 Projecto Espiões de Filipa Francisco com Francisco Camacho. Torres Novas and Cartaxo and is in residence at Espaço Alkantara in Lisbon. Sin Arts and Culture (Budapest). festival internacional e anual de artes performativas lenciennes). Torres Novas. organização do festival Materiais Moire (Milão). MD is funded by the Portuguese Government in partnership with the municipalities of Alcanena. Maio 2016 Dança Doente de Marcelo Evelin Estreia em 2017 P. em Lisboa. Materiais Diversos (Lisboa). Lisboa 15/10/15 Teatro Académico Gil Vicente. Miguel Pereira e Sílvia Real Estreia Festival Materiais Diversos. pios de Alcanena. and and to engage communities in contemporary performing arts.

e muito especialmente à população. às associações. restauração e comércio local. agrupamentos escolares.EQUIPA TEAM Apoios e Parceiros Organização DIRECÇÃO ARTÍSTICA ARTISTIC DIRECTOR Estrutura Financiada Elisabete Paiva DIRECÇÃO DE PRODUÇÃO E ADMINISTRAÇÃO PRODUCTION AND ADMINISTRATIVE MANAGER Apoio Financeiro Parceria da Rede Europeia Ana Rita Osório Alto Patrocínio PRODUÇÃO PRODUCTION Bruno Coelho Mónica Talina Patrícia Guedes Sofia Matos Parcerias Estratégicas COORDENAÇÃO DE COMUNICAÇÃO COMMUNICATIONS COORDINATOR Milene Matos Silva Parcerias de Média APOIO À COMUNICAÇÃO COMMUNICATIONS ASSISTANTS Carla Nobre Sousa Sandra Costa Apoios DESIGN GRÁFICO GRAPHIC DESIGN Ana Teresa Ascensão WEBSITE Sofia Gomes DIRECÇÃO TÉCNICA TECHNICAL DIRECTOR Carlos Ramos BILHETEIRA E CONTABILIDADE BOX OFFICE MANAGER & ACCOUNTANT Joana Duarte FONTS LARISH NEUE & USUAL Apoios à Divulgação Agradecimentos A todos os que apoiam e suportam o fMD: aos municípios parceiros. aos parceiros de acolhimento. O nosso sincero obrigado. aos parceiros de hotelaria. PAPEL PAPER ARCOPRINT IMPRESSÃO PRINTING TIPOGRAFIA CUNHA E SIMÕES ALCANENA P. aos voluntários.39 . aos apoios técnicos. programação e formação.38 P. bibliotecas. aos parceiros média. aos parceiros europeus e institucionais. aos artistas e às equipas que são a alavanca desta 7ª edição. logísticos e de comunicação.

40 .c o m P.fMD15 10 — 19Set ALCANENA FRIENDLY FIRE MINDE NATÁLIA NOLLI SASSO TORRES NOVAS ALDARA BIZARRO LANDER PATRICK MIGUEL PEREIRA NINHOU ARTS SUMMER CAMP VERA MANTERO SOPA DE PEDRA VINCENT GLOWINSKI VOLMIR CORDEIRO TIAGO RODRIGUES SLOW IS POSSIBLE m a te ri a i s d i ve rs o s .