You are on page 1of 2

25/08/2015

Saúde pública no Brasil ainda sofre com recursos insuficientes ­ Câmara Notícias ­ Portal da Câmara dos Deputados

CÂMARA NOTÍCIAS

Saúde
08/01/2015 - 10h56

Saúde pública no Brasil ainda sofre
com recursos insuficientes
Gestão e financiamento são alguns dos principais problemas do SUS, segundo
especialistas; proposta de iniciativa popular em tramitação na Câmara destina pelo
menos 10% das receitas correntes brutas para a saúde, o que teria representado R$ 41
bilhões a mais em 2014.

Saúde é uma das principais preocupações do brasileiro e também um dos
maiores desafios dos governantes que assumiram em 1º de janeiro. Em um
levantamento do Ministério da Saúde para atestar a qualidade do Sistema
Único de Saúde (SUS), a média nacional ficou em 5,5, em uma escala de 0 a 10.
O sistema de saúde pública que tem a pretensão de atender a todos os
brasileiros, sem distinção, apresenta falhas em seus principais programas. Um
exemplo é o Saúde da Família, que tem o objetivo de atuar na prevenção de
doenças, alterando um modelo de saúde centrado nos hospitais.
Em 20 anos, no entanto, nenhum estado alcançou cobertura completa. Apenas
dois ultrapassaram os 90% de cobertura: Piauí e Paraíba. Na outra ponta, sete
estados têm atendimento abaixo da metade: Amazonas, Rio de Janeiro, Paraná,
Roraima, Rio Grande do Sul, São Paulo e Distrito Federal, com 20%.
A consequência dessa e de outras falhas são hospitais lotados. Dados do
Tribunal de Contas da União (TCU) indicam que 64% dos hospitais estão sempre
com superlotação. Apenas 6% nunca estão cheios.
Outro problema nacional é a mão de obra. Não só faltam médicos no interior,
mas também estrutura para o atendimento e oportunidades para a capacitação
dos profissionais. A formação dos médicos também é questionada.
“Os centros de formação formam profissionais para o mercado de saúde. O SUS
é uma política pública de Estado, não é mercado. A saúde no SUS é vista como
direito social, enquanto que no mercado é vista como mercadoria”, observa o
consultor legislativo Geraldo Lucchese.
Financiamento
O financiamento do SUS é um dos problemas a serem resolvidos. Apesar da
promessa de atender a todos, o Brasil é um dos países que menos investe em
saúde: menos de 490 dólares por habitante em 2012. “Não podemos manter o
Sistema Único de Saúde com a missão para a qual ele foi criado com esse
volume de recursos”, avalia a presidente do Centro Brasileiro de Estudos de
Saúde, Ana Maria Costa.
Referências como o Canadá ou a Inglaterra investiram, respectivamente, mais
de 4 mil dólares e mais de 3 mil dólares por habitante no ano. Entre os países
da América do Sul, a Argentina investe quase 700 dólares por pessoa e o Chile,
quase 550.
Em 2000, a Emenda Constitucional 29 determinou que os municípios
investissem em saúde pelo menos 15% do que arrecadam, e os estados, 12%. Já
o governo federal deve investir, pelo menos, o mesmo valor do ano anterior
http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/SAUDE/480185­SAUDE­PUBLICA­NO­BRASIL­AINDA­SOFRE­COM­RECURSOS­INSUFICIENT…

1/2

leg. e muitas vezes até estaduais. tramita na Câmara uma proposta de iniciativa popular (Projeto de Lei Complementar 321/13). Camila Manuella | 09/01/2015 .13h12 É muito triste. mas sim a má gestão pública e a corrupção que desvia essa verba e super fatura as notas para benefício próprio. há corrupção. Isso precisa ser resolvido e se resolve com um gerenciamento competente e também com um financiamento adequado”. Para especialistas. ex-presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM). a proposta prevê a destinação.18h35 O problema não é a falta de dinheiro. é questão de tempo para esse governo cair. a regra não estimula o governo federal a fazer muito mais do que isso. E sim a máquina pública que está ENORME e os recursos são desviados. A incompetência para o povo brasileiros mas conformidade com o governo federal. pelo governo. O Brasil NÃO vai se curvar ao comunismo NÃO! A nossa pátria só não está acima de Deus. o governo federal avisa que só será possível chegar a valores desejados com um imposto específico para o setor. mas também de gestão dos recursos. desperdiçados e mal utilizados. Ver todos os comentários http://www2.mais triste ainda é que são profissionais qualificados em escolas e universidades. Por outro lado. Na graça de Deus. Apesar de garantir investimentos mínimos.pois podem sofrer ameaças diversas internas e ainda responderem processos por não conseguirem provar. Este governo é ilegítimo pois o sistema eleitoral foi montado para permitir falhas.br/camaranoticias/noticias/SAUDE/480185­SAUDE­PUBLICA­NO­BRASIL­AINDA­SOFRE­COM­RECURSOS­INSUFICIENT… 2/2 . que prezam acima de tudo a DESESTRUTURAÇÃO da sociedade. Os brasileiros estão cada vez acordando mais. Chamada de “Saúde+10”. de pelo menos 10% das receitas correntes brutas para a saúde. Na tentativa de mudar a reserva de recursos.camara. extinta em 2007. “Não há gestão qualificada.É prova incontestável do fracasso das unidades funcionais da sociedade. Há fraude.11h07 Não são os recursos que são insuficientes. no entanto. Em 2014. o problema da saúde no Brasil não é apenas de financiamento. defende o médico Roberto Luiz d’Ávila. ÍNTEGRA DA PROPOSTA: PLP-321/2013 Da Reportagem Edição – Marcos Rossi A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias' COMENTÁRIOS Erasmo Neto | 21/01/2015 . poderiam ter sido R$ 41 bilhões a mais. Marco | 09/01/2015 . papel que no passado coube à Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).25/08/2015 Saúde pública no Brasil ainda sofre com recursos insuficientes ­ Câmara Notícias ­ Portal da Câmara dos Deputados reajustado pela inflação.Com a democracia ficaram com medo.