You are on page 1of 34

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL

INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS
DO DISTRITO FEDERAL - BRASÍLIA AMBIENTAL

PARQUES POR
REGIÃO ADMINISTRATIVA
RA II – GAMA

CONTÉM:
Informações Gerais
Quadro Sintético
__________________________________________________________________________
“Brasília - Patrimônio Cultural da Humanidade”
Setor Bancário Sul, Quadra 02, Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar.
CEP 70.070-928 – Brasília – DF
Fone: (61) 3325-6850

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL
INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS
DO DISTRITO FEDERAL - BRASÍLIA AMBIENTAL

RA II – GAMA

Lei de Criação
Limites

Área Total
População
Administrador
Sítio Governamental
Descrição genérica
das Áreas protegidas
– Parques.

Lei nº 4.545, de 10-12-1964
Norte: DF – 475; DF – 341; linha que une a DF – 341 com o córrego Monjolo;
córrego Monjolo; ribeirão Ponte Alta; linha que une o ribeirão Ponte Alta com a DF –
180; DF 180; nascente do córrego Capoeira Grande; linha que une a nascente do
córrego Capoeira Grande com a nascente do Ribeirão Engenho das Lajes; linha que
une a nascente do ribeirão Engenho das Lajes com a BR – 060; BR -060; linha que
une a BR – 060 com o alinhamento da nascente com o córrego Tição.
Sul: Paralelo 16º03´S.
Leste: DF – 001; rio Alagado; DF – 290; Poligonal DVO.
Oeste: Rio Descoberto.1
276,30 Km², ou seja, 7,78% da área total do Distrito Federal. 2
112.019 habitantes, ou seja,4,80% de todos os habitantes do Distrito Federal
Antonio Donizete Andrade
http://www.gama.df.gov.br
Conta com 3 Parques, todos inseridos na Bacia do Rio Corumbá.
Área total dos Parques: 5,78 Km2, ou seja, 2,09% da área da RA , bem como 0,10%
da área do Distrito Federal.

1

Fonte: Secretaria de Estado de Planejamento, Coordenação e Parcerias do Distrito Federal – Anuário Estatístico do Distrito
Federal 2006.
2
Nota: Cálculo efetuado pela Companhia do Desenvolvimento do Planalto Central – CODEPLAN, tomando como referência
os memoriais descritivos dos limites das Regiões Administrativas, lançadas sobre a base cartográfica 1:10.000.

__________________________________________________________________________
“Brasília - Patrimônio Cultural da Humanidade”
Setor Bancário Sul, Quadra 02, Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar.
CEP 70.070-928 – Brasília – DF
Fone: (61) 3325-6850

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL
INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS
DO DISTRITO FEDERAL - BRASÍLIA AMBIENTAL

LOCALIZAÇÃO GERAL DOS PARQUES

1 - PARQUE ECOLÓGICO E VIVENCIAL PONTE ALTA DO GAMA
2 - PARQUE URBANO E VIVENCIAL DO GAMA
3 – RESERVA ECOLÓGICA DO GAMA
4 - PARQUE RECREATIVO DO GAMA (MUNICIPAL/PRAINHA

__________________________________________________________________________
“Brasília - Patrimônio Cultural da Humanidade”
Setor Bancário Sul, Quadra 02, Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar.
CEP 70.070-928 – Brasília – DF
Fone: (61) 3325-6850

BRASÍLIA AMBIENTAL PARQUE ECOLÓGICO E VIVENCIAL PONTE ALTA DO GAMA Nome do Parque: Parque Ecológico e Vivencial Ponte Alta do Gama Ano de Criação: 1996 Lei nº 1.23 Legislação de Referência Bacia Endereço: Setor Oeste do Gama. da Silva/Arthur Campanholi Neto Principais atrações Dada sua localização situar-se em uma região de vales. Telefones: 3392-2742 ou 8496-2057 Sítio oficial: --------------- Horário de funcionamento --------------- Administrador Hugo Gutemberg C. C e D do Setor Sul. próximo à Vila Roriz. seus atributos naturais são exuberantes.02.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . acesso pelas Qd 12 e 13 do Setor Sul. defronte à Quadra 12. Quadra 02. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. Localização: Localizado às margens do Córrego da Serra .2006) Área (ha): Perímetro (m): Rio Corumbá RA II Gama 298. com cavernas. B. CEP 70. conhecida como Loca.195 10. limitado pela Avenida do Contorno. Setor Oeste.09. Conjuntos A.108. __________________________________________________________________________ “Brasília .070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . cachoeira com queda d’água de aproximadamente 12 m.202.1996) Lei Complementar nº 720. de 20 de setembro de 1996 (DODF de 23. de 27 de janeiro de 2006 (DODF de 02. M.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul.

de 28/01/97. por não tem poligonal definida. que são ocupadas por vários invasores. na sua maioria. Devido ao estabelecido nas leis de referência deste Parque. associado ao disposto na Lei Complementar nº 17. No entanto. este parque. com a presença de córregos com pequena vazão onde se nota que o leito do córrego está assoreado e que tem. o que implica na recuperação das áreas erodidas e o uso controlado do terreno. afluente do rio 3 Baseado em informações cedidas pela Vigilância Sanitária.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . mesmo assim. é possível observar a ausência de animais silvestres e a presença de animais domésticos como cavalo. dentro do Parque que apresentam o solo bem compactado. além da presença de espécies invasoras como a mamona (Ricinus communis) e leucena (Leucena leucocephala) características de áreas alteradas. tornando a área suscetível a processos erosivos. pois chega a apresentar parte de mata ciliar e áreas de preservação do cerrado constituído por morros. Podemos observar a existência de estradas de rodagem. permitiu o uso agropecuário. Da mesma forma. A vegetação do local. encontra-se degradada. foram observadas áreas com Brachiaria que servem de alimento para animais criados por chacareiros que vivem na área do parque. abrange área objeto de conservação. bem como atividades agro-industriais e de lazer na região. como o platô que contorna as nascentes do córrego da Mina. __________________________________________________________________________ “Brasília . cão e galinhas. Esse fato. Seu relevo é caracterizado por encostas íngrimes. A maioria da vegetação observada pertence ao ecossistema do tipo cerrado. isso faz com que o parque tenha um expressivo potencial turístico.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 .Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. às vezes ausente ou danificada em alguns trechos. observando-se as restrições estabelecidas em lei. Diante do exposto. que estabelece que a bacia do ribeirão Ponte Alta constitui Zona Rural de Uso Diversificado. os canais do curso d’água com uma capacidade muitas vezes maior do que as vazões existentes. preservados. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar.BRASÍLIA AMBIENTAL INFORMAÇÕES GERAIS O parque tem como principal atributo sua beleza cênica. A mata ciliar está em alguns pontos muito rala e em outros quase desapareceu. que institui o Plano Diretor de Ordenamento Territorial do Distrito Federal (PDOT). CEP 70. alvo de cascalheiras que por muitos anos foram usadas para retirada de brita e areia. Quadra 02. permitiu-se a manutenção daqueles indivíduos que ali residissem antes da criação do local. Por outro lado. porém. No interior do Parque existem outras cercas fracionando a área. é uma área rica em vegetação do cerrado. Descrição da Área3 O Parque da Ponte Alta possui cerca de 600 hectares de área total delimitada por cercas externas que contornam o parque.

não podemos esquecer que a região apresenta grande beleza cênica. os quais trazem agravos à saúde da população. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. na área do platô.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . Quadra 02. onde o solo sofre profundo desmonte e está sujeito à erosão e à compactação. também. descortina-se a baixada do rio Ponte Alta _ a Ponte Alta de Baixo _. e as encostas das próprias nascentes. como as da foto ao lado é possível encontrar lixo que posteriormente acaba sendo levado para dentro do curso d’água próximo. praticamente não há mais vegetação nativa. tais como dengue e outras arboviroses. perceber a presença de gado pastando na área.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . Segundo a Vigilância Sanitária. inclusive. existem trechos compactados. CEP 70. também. bem como as nascentes que abastecem __________________________________________________________________________ “Brasília . a vegetação do parque está bastante alterada. Há duas imensas cascalheiras. dificultando que a área seja recolonizada pela vegetação. O Parque apresenta. conforme foto acima). Nas proximidades da Avenida Contorno. que sugerem super pastoreio (sendo possível. Existe. Do platô. Apenas as encostas dos córregos e as matas ciliares estão em bom estado de conservação. Todas as fotos desta página foram cedidas pela Vigilância Sanitária. apesar dos problemas mencionados. Diante de todos esses problemas. em frente ao Setor Oeste. o acúmulo de lixo e entulho favorece a ocorrência de roedores e vetores biológicos e mecânicos. vários processos erosivos com grande acúmulo de resíduos sólidos. que separa o Parque da Vila Roriz. há ocupação com chácaras e um viveiro de mudas. Contudo. denominado Ponte Alta de Cima. No platô.BRASÍLIA AMBIENTAL Ponte Alta. um lixão.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. As áreas erodidas visualizadas são contínuas a rua. Em outras áreas. entre os Setores Sul e Oeste da cidade do Gama. Há barracos de catadores no local e nas áreas de encosta (conforme foto abaixo). com um pequeno grupo de catadores.

070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . A área já foi bastante visitada pela população e. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. Quadra 02. __________________________________________________________________________ “Brasília .2002). Fotos de Antônio Siqueira para o Correio Brasiliense (em reportagem datada de 20. Foto do arquivo do IBRAM 4 Em maio de 2006 foi entregue o Plano de Gerenciamento Integrado dos Recursos Hídricos do Distrito Federal – PGIRH/DF relatório temático parcial 2 (Diagnóstico e Prognóstico das Demandas Hídricas) deixando claro em seus estudos certo grau de contaminação da água. infelizmente. está sendo poluída pelos visitantes e pelo lixo que desce com as enxurradas4.BRASÍLIA AMBIENTAL esse rio.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . CEP 70.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. A mata ainda cobre boa parte da área e a vista é muito bonita na descida da encosta e na cachoeira. Ao se redefinir seu papel. deve-se ter em mente que se trata de uma área com grande potencial para a prática de esportes radicais (e ecológicos).07.

CEP 70.proporcionar recreação e lazer à população. em harmonia com a preservação dos ecossistemas. Interior do Parque Lixo. Pequizeiro.BRASÍLIA AMBIENTAL OBJETIVOS  Conteúdo Legislação I . Vegetação Exógena Cajueiro. Interior do Parque Voçoroca no período chuvoso. Manacá dentre outras. herbácea.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 .criar um núcleo de educação ambiental. INFRA-ESTRUTURA  Física  Esportes  Lazer Barras/Paralelas --------------- Bares --------------- Campos de Bocha --------------- Churrasqueiras --------------- Campo de futebol de areia --------------- Parques Infantis --------------- Centros de Alongamento --------------- Quiosques --------------- __________________________________________________________________________ “Brasília . 2009-1996 CARACTERÍSTICAS NATURAIS  Informações Gerais: O Parque situa-se em uma área rica em nascentes. possui queda d água. II . Lei nº 1. Angico (Anadenanthera Macrocarpa).Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. III . gruta. Fauna -------------- PRINCIPAIS PROBLEMAS AMBIENTAIS LOCAL PROBLEMA Interior do Parque A grande quantidade de chacareiros que degradam o local. A fauna e a flora são típicos do cerrado. amostras de trepadeiras. Vegetação Nativa arbustiva.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . os córregos da Mina e da Serra. Pau-terra (Qualea Grandiflora). Babatimão (Stryphnodendron Adstringens). arboretos com fins medicinais e comestíveis como: Imbaúba (Cecropia Pachystachya).proporcionar à comunidade área destinada à conservação local. Quarismeira. Quadra 02. visando à manutenção da viabilidade genética das espécies do cerrado. Sucupira branca. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar.202.

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . mas precisa ser refeito Quadras de Areia --------------- Cercamento Conta com apenas 35% ainda preservado. Quadras de futebol --------------- Corpo de Bombeiros --------------- Quadras de futebol gramadas --------------- Guaritas --------------- Quadras de vôlei --------------- Hidrantes --------------- Quadras de futvôlei --------------- Iluminação --------------- Quadras de basquete --------------- Placas Informativas --------------- Quadras de tênis --------------- Posto Policial --------------- Quadras poli esportivas --------------- Caixas de Proteção --------------- Quadras de bad mington --------------- Trilhas pavimentadas --------------- Cavalaria montada --------------- Trilhas não pavimentadas --------------- Calçadas ---------------  Segurança Outros  Apoio  Apoio Anfiteatros --------------- Estacionamentos --------------- Bancos --------------- Fraldários --------------- Banheiros --------------- Lixeiras comuns --------------- Bebedouros --------------- Lixeiras seletivas --------------- __________________________________________________________________________ “Brasília . Mesmo esse trecho necessita de reparos.BRASÍLIA AMBIENTAL INFRA-ESTRUTURA  Física  Esportes  Lazer Ciclovia --------------- Quiosques para alimentação --------------- Circuitos Inteligentes --------------- Píer --------------- Piscinas --------------- Pista de cooper pavimentada --------------- Pistas de Skate --------------- Aceiro 01. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. CEP 70. Quadra 02.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 .Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul.

BRASÍLIA AMBIENTAL INFRA-ESTRUTURA  Física  Apoio Bicicletários --------------- Mesas com bancos --------------- Duchas --------------- Telefones públicos --------------- Umidificadores --------------- Vestiários --------------- Flanelinhas --------------- --------------- INFRA-ESTRUTURA  Serviços  Limpeza  Vigilância Coleta de lixo --------------- Levantamento das ocorrências --------------- Limpeza da área verde --------------- Número de Vigilantes --------------- --------------- Turno ---------------  Permissionários Gerais --------------- Ambulantes --------------- Outros --------------- INFRA-ESTRUTURA  Administrativa  Servidores Cargo Administrador Função Gerencial Quantidade 02 __________________________________________________________________________ “Brasília . CEP 70. Quadra 02.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 .

população circunvizinha A população do Gama tem apresentado. solicitam permissão para realizar atividades de educação ambiental  Atividades Visitação para estudo e aprendizado prático.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . em diferentes ocasiões governamentais e sociais. conta com um IDH moderado. CEP 70. uma participação e predisposição para ações voltadas coletivas. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar.Associação dos Amigos do Parque Ecológico e moradores e o Parque Vivencial da Ponte Alta do Gama. como recentemente a Unibrasília.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul.BRASÍLIA AMBIENTAL INFRA-ESTRUTURA  Administrativa  Sede: Instalações Hidráulicas Instalações Elétricas --------------- --------------- Estrutura Física Estrutura de Trabalho --------------- Computadores por servidor administrativo --------------- Banheiros --------------- --------------- --------------- Cozinha --------------- --------------- --------------- Outros Problemas Específicos do Parque Local Problema --------------- --------------- EDUCAÇÃO AMBIENTAL  Projetos Algumas instituições de ensino. Quadra 02.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . socioeconômicas da conforme tabela constante no Diagnóstico. Destaca-se a Relação entre os ECOGAMA . dentre outras da região. bem como o trabalho individual dos biólogos e demais técnicos interessados no Parque. FREQÜÊNCIA DE USUÁRIOS: dado não levantado POTENCIALIDADES  Informações Gerais:  Condições  Sugestões Condições A região como um todo. --------------Lazer --------------Cultura __________________________________________________________________________ “Brasília .

2002. Universidade Católica de Brasília. São Paulo. FARIA.BRASÍLIA AMBIENTAL POTENCIALIDADES  Informações Gerais:  Condições  Sugestões Como os demais parques da região. Trabalho de Conclusão de Curso de graduação em Biologia. Dissertação de tese de mestrado em Planejamento e Gestão Ambiental. Carla Ferreira. FRANÇA. Comunidade de anfíbios (Anura) em um lago artificial na região de Ponte Alta de Cima. Goiânia. representa um interessante foco de atividades e esportes radicais e ecológicos. LABARRERE. In Anais do II ENEPEA – Anais do II Encontro Nacional de Ensino de Paisagismo em Escolas de Arquitetura e Urbanismo do Brasil. constituído por pessoas com maior poder aquisitivo. 2002. Universidade Católica de Brasília. na maior parte das vezes. Os movimentos sociais como instrumento dos processos de criação e de implantação de unidades de conservação no Distrito Federal: um estudo comparativo dos parques do Gama e Parque Ecológico de Águas Claras. BRAGA..Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul..Faculdade da Terra de Brasília. Universidade São Marcos – FAU-USP. BARCELLOS. B. DADOS PARA EFETIVA IMPLEMENTAÇÃO  Informação  Situação Definidas no Sistema Cartográfico do Distrito Coordenadas Federal – SICAD nº 214 Registro Cartorial Não Possui Plano Diretor/Plano de Manejo/Plano de Uso Não Possui ESTUDOS E PESQUISAS LEVANTADOS  ESPECÍFICOS FIGUEIREDO. __________________________________________________________________________ “Brasília . Mauro Oliveira. Alocação de parques urbanos no campo empírico do Distrito Federal. XXII Reunião Brasileira de Antropologia. UFG. Análise do risco ecológico no planejamento de parques de uso múltiplo. Vicente Quintella. S. Parques Ecológicos e população no Distrito Federal: à procura da “natureza” e do lazer. Quadra 02. Gama.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . DF. 2006. Brasília-DF. In: VI Jornada de Produção Científica das Universidades Católicas do Centro-Oeste. L. CEP 70. Giovanni Boscoli de. Brasília. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. Fórum de Pesquisa 3: “Conflitos Socioambientais e Unidades de Conservação”. G.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . A importância da iniciativa privada para manutenção dos parques ecológicos do Distrito Federal. Trabalho de Conclusão de Curso . Como esses esportes requerem Turismo muitos itens de segurança e equipamentos específicos.  AFINS BARBOSA. PIRES. 1996. C. Flavia Maria. seu público é. 2007. 2000. Maria Lúcia de Santana. dada as suas características naturais.

Roseli Senna. __________________________________________________________________________ “Brasília . Levantamento Florístico do Parque do Gama. Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília. Roberta Magalhães. Brasília. SILVA. BUCHER. HOLMES. Brasília.. 2000. FIRETTI. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. 2000. C. 2000. BRITO. SEMARH. C. Governo do Distrito Federal. C. . SEMARH. FARIAS. CEP 70. Semarh. M. Zita de Moura. 2005. SILVA. Ciência e Tecnologia – SEMATEC. 2000. PROENCA. Levantamento preliminar da flora fanerogâmica do Parque Ecológico do Gama. Beatriz Machado.. Eco Parques Gestão dos Parques Ecológicos do Distrito Federal. SEMATEC/IEMA. C. 2000. E. F. PROENCA. Brasília.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . Resumos. Análise da situação das possíveis áreas para empreendimento. Parques públicos urbanos: a síntese entre proteção ambiental e lazer público. P. BRITO. M. 62. Brasília. GOMES. Quadra 02.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . Sematec. Brasília.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. GDF Secretaria de Meio Ambiente. Brasília. Parques urbanos: a natureza na cidade – uma análise da percepção dos atores urbanos. Parques Ecológicos e de Uso Múltiplo do Distrito Federal. SEMATEC. Rosana.BRASÍLIA AMBIENTAL ESTUDOS E PESQUISAS LEVANTADOS  AFINS GANEM. In: VII Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Brasília. LEAL. ALTHOFF. N. R. 1999. Bey Ayres da. SEMARH. C. Instituto de Ecologia e Meio Ambiente. Luciene de Jesus Maciel. GOMES. 1997. Débora de. Sebrae... GUIMARÃES. Brasília: Câmara Legislativa do Distrito Federal. B. 1999. 102p. 2002. Universidade Católica de Brasília. 2001. SILVA. p. Brasília. R. p. Dissertação de mestrado em Planejamento e Gestão Ambiental. 2001. Brasília. Sematec.. Brasília-DF. Parques do Distrito Federal. E. J. o que todo empresário precisa saber. Brasília. B. C. Indicadores de risco ecológico na gestão de parques urbanos no Distrito Federal. 2007. Paulo José Fernandes. In: Congresso Nacional de Botânica. MUNHOZ. UnB. SEMATEC. 2000. Débora de. Parques Ecológicos e de Uso Múltiplo do Distrito Federal. Beatriz Machado. 126p GDF/IEMA.. B. mimeo. Unidades de Conservação no Distrito Federal. 2003. K. Brasília. Dissertação de tese de mestrado em Arquitetura e Urbanismo.. Universidade de Brasília. Resumos. OLIVEIRA. SEMARH. 255. SATO. Anais do Workshop Ecoparques: Gestão dos Parques Ecológicos do Distrito Federal. A questão ambiental.

CEP 70. M.RA II Telefones: 8496-2057/3392-2742 Sítio oficial: ------------------- Horário de funcionamento Administrador Hugo Gutemberg C.958. Quadra 02. de 08 de junho de 1998.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 .044.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL .7 Bacia Do Rio Corumbá Endereço: ------------------- Localização: Situado entre as quadras 1 e 2 do Setor Norte da Região Administrativa do Gama . Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. da Silva/Arthur Campanholi Neto Principais atrações Seu solo hidromórfico com campos de murundus __________________________________________________________________________ “Brasília .BRASÍLIA AMBIENTAL PARQUE URBANO E VIVENCIAL DO GAMA Nome do Parque: Parque Urbano e Vivencial Do Gama Legislação de Referência Ano de Criação: 1998 Decreto nº 1.95 3. Lei Complementar nº Lei nº Área (ha): Perímetro (m): RA II Gama 52.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul.

da Companhia de Água e Esgotos de Brasília (CAESB) e do Corpo de Bombeiros do DF. uma igreja Católica. com objetivos de proteger os mananciais. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. isto é. mais especificamente. igreja Evangélica e Igreja Católica. abrange lotes da Polícia Militar do DF. garantindo o uso dos recursos naturais e protegendo o patrimônio ambiental e cultural da região. criada pelo Decreto s/nº de 10 de janeiro de 2002. um estacionamento usado pelo DETRAN. Quadra 02. contratos ou convênios. Fotos do arquivo do IBRAM (quiosque.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . caracterizado como hidromórfico (ou seja. o local é favorável ao surgimento de nascentes. no setor norte da cidade. No Parque está instalado um quiosque de uso comercial.959.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . a qual não foi publicada ainda. Essa mesma lei determina que o Poder Executivo delimite a poligonal do parque. Existe ainda. mas. tendo grande parte do terreno sido drenado para construções vizinhas. vale lembrar que além desses três parques toda a área rural do Gama está inserida na Área de Proteção Ambiental (APA) do Planalto Central. bem como um lote destinado a centro de ensino. o lençol freático toca a superfície). duas associações de idosos. O outro. No interior do parque.BRASÍLIA AMBIENTAL INFORMAÇÕES GERAIS Dos três Parques que a RA possui dois – o Parque Ecológico e Vivencial Ponte Alta do Gama e o Parque Recreativo do Gama – estão localizados em área rural. localiza-se. Criado pela Lei nº 1. entre as quadras 1 e 2 do Setor Norte do Gama. contudo. existem várias ocupações. Apesar de sua situação fundiária ser foco de interesse. instaladas anteriormente à criação da área como parque. Todos esses instrumentos apontam que a área em questão. regular o uso dos recursos hídricos e o parcelamento do solo. algumas antigas. uma Loja Maçônica. de 8/6/98. A referência hoje existente baseia-se nos Projetos Urbanísticos. Nesse sentido. na planta da região (CODEPLAN) e no Plano Diretor Local da Região Administrativa (Lei Complementar nº 728. a maioria é irregular e outras foram instaladas com o consentimento da administração pública local sem que ocorresse o processo normal de licitação. respectivamente) __________________________________________________________________________ “Brasília . no local. no entanto. o Parque Urbano e Vivencial. CEP 70. O solo do Parque em questão situa-se em antiga área de brejo e murunduns.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. uma igreja Evangélica. de 18/08/2006). localiza-se em meio urbano. a vegetação nativa foi praticamente retirada e a área já está bastante degradada.

ocupações ilegais do espaço urbano que deveriam ter sido retiradas para implantação definitiva do Parque. a maioria delas sofrendo já há algum tempo. Contudo. não há uma intensa mobilização por parte da comunidade. CEP 70. abaixo) Além dessas entidades. Apesar de todo o exposto e do fato da área ser cercada por um setor adensado. e estacionamento.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . hoje. acima. Diante dessa situação surgem __________________________________________________________________________ “Brasília . o número de ocupações irregulares no parque é superior à quantidade que havia à época em que foi criado. pois há grandes árvores frutíferas e pequenas plantações misturadas aos remanescentes do antigo buritizal. Essas ocupações parecem realmente estar estabelecidas há longa data. no período de criação do parque.BRASÍLIA AMBIENTAL Fotos do arquivo do IBRAM (Loja Maçônica e Abrigo de idosos. fracionamento de terras e ocupação com novas famílias. Quadra 02. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. Foto do arquivo do IBRAM. mesmo havendo. no sentido de resgatar o Parque Urbano e Vivencial do Gama como espaço natural destinado à melhoria da sua qualidade de vida. existem chácaras instaladas na área com tempo de ocupação que varia entre 9 e 27 anos.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL .

será imprescindível para a boa implementação do Parque em questão. CEP 70. além do meio ambiente. uma organização e representação.BRASÍLIA AMBIENTAL conflitos de interesse diversos em relação a esse espaço público.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . Apesar de inúmeras reivindicações sobre essa área protegida. a comunidade não se identificou ainda com o Parque. a fim de se instaurar um debate a cerca do futuro do Parque. __________________________________________________________________________ “Brasília . o que parece. O apoio do poder público.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. para o seu bem-estar e uso responsável. de uma forma geral. ainda. não provocando impacto social relevante. Quadra 02. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. no Gama existe apenas uma ONG com trabalhos voltados especificamente para educação ambiental e mobilização social em prol do Parque Urbano e Vivencial do Gama: a Associação Comunitária do Setor Norte. o que exigirá das partes interessadas. porém suas ações são. As demais entidades existentes se dedicam. muito tímidas. Cabe destacar que. também. seja por desconhecimento sobre a importância ecológica (sobretudo hídrica) dessa área de preservação permanente.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . a outras questões. seja por não saber que aquela área não é particular e sim sua – pública. nesta área.

propiciar lazer e recreação.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. CEP 70. Quadra 02.BRASÍLIA AMBIENTAL OBJETIVOS  Conteúdo Legislação I . II .proporcionar o desenvolvimento de atividades culturais e educativas. contando apenas com alguns remanescentes de buritis entre outras. Lei nº 1.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 .  Vegetação Exógena O solo de grande parte da área encontra-se recoberto por vegetação graminosa (brachiária)  Fauna --------------- INFRA-ESTRUTURA  Física  Esportes  Lazer Barras/Paralelas --------------- Bares --------------- Campos de Bocha --------------- Churrasqueiras --------------- Campo de futebol de areia --------------- Parques Infantis --------------- Centros de Alongamento --------------- Quiosques --------------- Ciclovia --------------- Quiosques para alimentação --------------- Circuitos Inteligentes --------------- Píer --------------- Piscinas --------------- Pista de cooper pavimentada --------------- Pistas de Skate --------------- Aceiro --------------- Quadras de Areia --------------- Cercamento --------------- Quadras de futebol --------------- Corpo de Bombeiros ---------------  Segurança __________________________________________________________________________ “Brasília .959.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. 08-06-1998 CARACTERÍSTICAS NATURAIS  Informações Gerais: área ocupada e bastante degradada  Vegetação Nativa A área sofreu muita ação antrópica.

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL .BRASÍLIA AMBIENTAL INFRA-ESTRUTURA  Física  Esportes  Segurança Quadras de futebol gramadas --------------- Guaritas --------------- Quadras de vôlei --------------- Hidrantes --------------- Quadras de futvôlei --------------- Iluminação --------------- Quadras de basquete --------------- Placas Informativas --------------- Quadras de tênis --------------- Posto Policial --------------- Quadras poli esportivas --------------- Caixas de Proteção --------------- Quadras de bad mington --------------- Trilhas pavimentadas --------------- Cavalaria montada --------------- Trilhas não pavimentadas --------------- Calçadas --------------- Outros  Apoio  Apoio Anfiteatros --------------- Estacionamentos --------------- Bancos --------------- Fraldários --------------- Banheiros --------------- Lixeiras comuns --------------- Bebedouros --------------- Lixeiras seletivas --------------- INFRA-ESTRUTURA  Física  Apoio Bicicletários --------------- Mesas com bancos --------------- Duchas --------------- Telefones públicos --------------- Umidificadores --------------- Vestiários --------------- Flanelinhas --------------- --------------- INFRA-ESTRUTURA  Serviços  Limpeza Coleta de lixo ---------------  Vigilância Levantamento das ocorrências --------------- __________________________________________________________________________ “Brasília .Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. CEP 70.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. Quadra 02.

como recentemente a Unibrasília.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 .  Atividades Visitação para estudo e aprendizado prático. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . Quadra 02.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. __________________________________________________________________________ “Brasília . CEP 70.BRASÍLIA AMBIENTAL INFRA-ESTRUTURA  Serviços  Limpeza Limpeza da área verde  Vigilância --------------- Número de Vigilantes --------------- --------------- Turno ---------------  Permissionários Gerais --------------- Ambulantes --------------- Outros --------------- INFRA-ESTRUTURA  Administrativa  Servidores Cargo Administrador Função Quantidade Gerencial 02 INFRA-ESTRUTURA  Administrativa  Sede: Instalações Hidráulicas Instalações Elétricas --------------- --------------- Estrutura Física Estrutura de Trabalho --------------- Computadores por servidor administrativo --------------- Banheiros --------------- --------------- --------------- Cozinha --------------- --------------- --------------- Outros Problemas Específicos do Parque Local Problema --------------- --------------- EDUCAÇÃO AMBIENTAL  Projetos Algumas instituições de ensino. solicitam permissão para realizar atividades de educação ambiental.

Mauro Oliveira. Araujo. Universidade São Marcos – FAU-USP.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 .R. M. P. XXII Reunião Brasileira de Antropologia. Impresso. 2000. uma vez. como instrumento de educação ambiental. VI Congresso Brasileiro de Bioética e I Congresso de Bioética del Mercosur e Forum de la red Bioeticade Unesco: ISBN: Português. preservada poderia servir. --------------Cultura --------------Turismo DADOS PARA EFETIVA IMPLEMENTAÇÃO  Informação  Situação Coordenadas Não foram definidas Registro Cartorial Não Possui Plano Diretor/Plano de Manejo/Plano de Uso Não Possui ESTUDOS E PESQUISAS LEVANTADOS  ESPECÍFICOS BARBOSA. Quadra 02. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. Condições conforme tabela constante no Diagnóstico. Apenas um grupo Relação entre os organizado possui força e seu dirigente procura estar presente moradores e o Parque na mídia (enviando cartas. a área socioeconômicas da está se desenvolvendo no setor de serviços e possui um bom população circunvizinha nível de escolaridade.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . Maria Lúcia de Santana. __________________________________________________________________________ “Brasília . O caso específico deste parque destoa com a relação encontrada com os outros dois da Região. São Paulo. conta com um IDH moderado. Parques Ecológicos e população no Distrito Federal: à procura da “natureza” e do lazer.. pequenos artigos ou denúncias) Os principais beneficiados com a implementação do Parque seriam os próprios moradores locais e das regiões vizinhas. BRAGA.BRASÍLIA AMBIENTAL FREQÜÊNCIA DE USUÁRIOS: relatada (pessoal e oficialmente) como pequena pelos administradores. 2005. PIRES. inclusive. 1996. Brasília. No entanto. Alocação de parques urbanos no campo empírico do Distrito Federal. In Anais do II ENEPEA – Anais do II Encontro Nacional de Ensino de Paisagismo em Escolas de Arquitetura e Urbanismo do Brasil. Fórum de Pesquisa 3: “Conflitos Socioambientais e Unidades de Conservação”.  AFINS BARCELLOS. F.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. Vicente Quintella. A Lazer área de preservação permanente. CEP 70. POTENCIALIDADES  Informações Gerais:  Condições  Sugestões A região como um todo. Ética e espaço público: legitimidade dos processos de ordenamento territorial do Parque Urbano e Vivencial do Gama-DF.R.

070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . 2002. Trabalho de Conclusão de Curso . Roseli Senna. Carla Ferreira. 62.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL .BRASÍLIA AMBIENTAL ESTUDOS E PESQUISAS LEVANTADOS  AFINS FARIA. Análise do risco ecológico no planejamento de parques de uso múltiplo. 2000. In: VI Jornada de Produção Científica das Universidades Católicas do Centro-Oeste. 126p GDF/IEMA. Beatriz Machado. B.. Débora de. Brasília. mimeo. Paulo José Fernandes. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. UFG. Levantamento Florístico do Parque do Gama. C. BRITO. Goiânia. PROENCA. p. Quadra 02. 2001. Brasília. Governo do Distrito Federal.. GUIMARÃES. L. 2000. S. G. CEP 70. Resumos. Brasília: Câmara Legislativa do Distrito Federal. 2001. Parques do Distrito Federal. Parques Ecológicos e de Uso Múltiplo do Distrito Federal. E. LEAL. LABARRERE. Zita de Moura. __________________________________________________________________________ “Brasília . GOMES. Instituto de Ecologia e Meio Ambiente. A importância da iniciativa privada para manutenção dos parques ecológicos do Distrito Federal. GANEM. In: VII Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Brasília.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. C. B. FRANÇA.Faculdade da Terra de Brasília. 2002..

26 Horário de funcionamento --------------- Administrador Hugo Gutemberg C. de 06 de setembro de 1961 Decreto nº 6.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul.BRASÍLIA AMBIENTAL PARQUE RECREATIVO DO GAMA Nome do Parque: Parque Recreativo do Gama Ano de Criação: 1961 Bacia Decreto nº 108. de 23 de agosto de 1982 Decreto nº 25.557.O. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. M.GO Localização: Localizado na saída leste do Gama.953.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . na DF-190. da Silva/Arthur Campanholi Neto Principais atrações Excelente local para recreação unindo a beleza cênica de suas paisagens naturais. CEP 70. Quadra 02. No seu entorno. Telefones: 8496-2057/3392-2742 Sítio oficial: --------------- Legislação de Referência 227. o Condomínio Boa Vista. e pequeno vilarejo nos limites do parque. D. com possibilidade de exploração recreativa. de 23 de maio de 2005 Área (ha): Do Rio Corumbá RA II Gama Endereço: DF 290 – Entre o Gama Sul e Novo Gama .11 Perímetro (m): 6. __________________________________________________________________________ “Brasília .867.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 .V. encontra-se o Setor Sul do Gama.

com declividades de até 45%. piscinas e parque infantil. todavia.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . no interior do parque. conforme demonstra a foto abaixo. há. qual seja: sede para a administração. que pode ser desfrutado em caminhadas ao longo das trilhas que o margeiam. Entretanto. em volta do córrego do rio Alagado existia muita areia. espinha dorsal do vale localizado dentro da “Prainha”. oferece belo panorama. bem como para o desenvolvimento de atividades culturais e de educação ambiental. CEP 70. __________________________________________________________________________ “Brasília . as quais. O córrego.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. de acordo com as imagens a seguir. Quadra 02. Ambos estão em bom estado de conservação.BRASÍLIA AMBIENTAL INFORMAÇÕES GERAIS O Parque Recreativo do Gama foi criado em 1982. com o objetivo de proporcionar lazer e recreação para a população local. o parque encontra-se numa região dissecada por vales no alto curso do rio Alagado. em área do extinto Parque Municipal do Gama (criado em 1961). duas quadras poliesportivas. pois. segundo o administrador. lembrando uma praia. pois está poluído pelo esgoto e pelo lixo trazido pelas enxurradas. apreciar a presença de macacos (prego e guariba) em suas árvores. ainda é bem preservada e formada por cerrado stricto sensu e mata ciliar às margens do rio Alagado. sendo possível observar as corredeiras e cascatas do córrego de alguns pontos onde a mata é mais aberta e. como mostra a imagem a seguir: A “Trilha do Macaco” permite um passeio por dentro da mata ciliar que acompanha o Alagado. Foto da Nascente: arquivo IBRAM Existe na área do Parque uma boa infra-estrutura já implantada. O paredão do córrego citado é utilizado para a prática de rappel e tirolesa. O local é conhecido por “Prainha”. Todos esses equipamentos e benfeitorias necessitam de reforma. Sobrepondo-se à Reserva Ecológica do Gama. recebendo águas de nascentes e afluentes nas duas margens. As encostas da Chapada fazem parte da região dissecada do alto curso do Ribeirão Alagado.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . Além disso. possuem água de excelente qualidade. três nascentes. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. formado pelo paredão lateral e pelo leito rochoso. encontra-se impróprio para banho. com um pouco de sorte. quiosques e churrasqueiras. A vegetação nessa área.

Engenharia Florestal e Planejamento Ambiental. seus moradores atravessam a área para ir até à cidade do Gama. não oferecem. muitas vezes. que realizam assaltos nas dependências dessa área protegida ou no entorno. além dos roubos. O Parque é freqüentemente visitado por marginais. a reserva só atende em parte esta função recebendo alunos em atividades escolares. existente há muitos anos. pela falta de segurança. __________________________________________________________________________ “Brasília . Embora a unidade não esteja regularmente aberta à visitação pública. principalmente da ausência da policia ambiental. sobretudo das áreas de Botânica. o cerrado está mal conservado e a cerca foi praticamente destruída. por exemplo. Foto cedida pela Vigilância Sanitária hoje.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. em face. Diante do exposto. boas condições de uso. chegando em torno de 100 alunos por semana no transcurso de 2007 (não mantendo o mesmo em 2008). as quais foram reabertas pela população. as trilhas de cascalho/terraplanagem. permitindo o acesso fácil ao seu interior. Geologia.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . Ressalte-se. CEP 70. Todas essas questões impedem. poderia já propiciar bem estar aos visitantes atuais das escolas públicas do entorno. Nessa faixa. degradando a área em questão. contudo. Algumas dessas trilhas foram fechadas com barreiras de terra. Além disso.BRASÍLIA AMBIENTAL Foto da sede: arquivo do IBRAM Foto do quiosque: arquivo do IBRAM Apesar de constituir uma área com atributos naturais para o lazer da comunidade local. uma vez que a vigilância não possui as condições necessárias para tal enfoque. situado já no Estado de Goiás. sobretudo. As áreas do Parque lindeiras ao Condomínio supracitado apresentam-se bastante degradadas pelo acúmulo de lixo. por puro desconhecimento. onde o acesso de “vândalos” é constante. O Administrador informa que. é precário. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. como mostra a figura abaixo. já houve casos de violência grave e desmonte de carro no interior da área. O cercamento. Por localiza-se junto à cerca do parque. com poucos reparos. o uso de uma área de lazer que. o trânsito dos moradores do Condomínio Boa Vista. no limite entre Goiás e Distrito Federal. o parque tem sido objeto de pesquisa de professores de diversas instituições de ensino. Os seguranças encontrados em serviço no local alegam condições de muita insegurança na área. Quadra 02. existem diversas trilhas que atravessam o parque. muitas delas transitáveis por carro. Sobretudo. conforme anteriormente descrito.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL .

O Núcleo de Educação ambiental. de uma forma geral. para o Gama – DF. as construções edificadas para o lazer dos visitantes estão sem a conservação adequada (piscinas. Mas a reforma precisa ser completada. CEP 70.BRASÍLIA AMBIENTAL Por outro lado. Foto do Núcleo Ambiental: arquivo do IBRAM restrita à pintura e pequenos reparos. merecem uma ampla reforma. permitindo a entrada e saída de vetores e roedores. foi superficial. O trabalho não foi em vão. graças a esse trabalho. representa uma das deficiências do local. churrasqueiras. Quadra 02. bancos). pois as instalações do parque encontram-se desgastadas pelo tempo e inadequadas. Além disso.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. a tampa da caixa de esgoto é inadequada ao tamanho da mesma. de acordo com o parecer da Vigilância Sanitária. é lançada a céu aberto. pois o Parque ainda recebe as visitas dos estudantes locais. __________________________________________________________________________ “Brasília . mas podem ser facilmente recuperadas para que voltem a propiciar o lazer já uma vez ofertado (como pode ser observado pelas fotos comparativas das piscinas na página seguinte).GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . por exemplo. Em resumo e. A reforma. as instalações que servem para os funcionários da limpeza e vigilância do Parque. a água da pia da sede do Parque. foi reformado pela população local em um pequeno mutirão. no entanto.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . a ausência de uma guarita no limite com a área urbana (GO) e passagem de pessoas do loteamento Boa Vista – GO por dentro do Parque. especialmente no tocante aos banheiros (pois a parte hidráulica e elétrica necessita de supervisão e constante manutenção). conforme foto acima. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar.

à proposta elaborada pela comissão responsável pela revisão das poligonais dos Parques do Distrito Federal. Quadra 02.BRASÍLIA AMBIENTAL Foto das piscinas em 2001: Prof... OBJETIVOS  Conteúdo Legislação Art.para fins de lazer e recreação.. não corresponde à publicada no Decreto nº 25. que pode ser comparado com a imagem abaixo disponível e presente no referido relatório. por fim.953. Decreto nº 6. que a poligonal referida na imagem aérea do início do levantamento deste parque. trabalho conjunto realizado entre os técnicos da SEDUMA/IBRAM e apresentado em outubro de 2007. 2º . 23-08-1982 __________________________________________________________________________ “Brasília . Cleber Oliveira Foto das piscinas em maio de 2008: Arquivo do IBRAM Vale ressaltar.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. mas sim.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . CEP 70.867..

pintura e troca de areia. está em bom estado de conservação – seria necessário pintura e limpeza __________________________________________________________________________ “Brasília . cutias e diversas espécies de pássaros. LOCAL PROBLEMA Interior do Parque A proximidade com alguns aglomerados urbanos do DF e Goiás aumentam o fluxo de transeuntes.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. tais como Brachiaria decumbens. micos.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . INFRA-ESTRUTURA  Física  Esportes Barras/Paralelas  --------------- Lazer Bares --------------04 todas necessitando de reparos. matas de galerias. CEP 70. lagartos. mas Parques Infantis está em bom estado – limpeza. mesmo permitindo o uso da área em questão.BRASÍLIA AMBIENTAL CARACTERÍSTICAS NATURAIS  Informações Gerais: os diversos atributos naturais. devido a sua disposição próxima de uma possível área de recreação permite que seja contemplado e preservado.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . com presença de espécies endêmicas como Mimosa heringeri Barneby e Mimosa suburbana.  Fauna Apesar da degradação ainda existem algumas espécies como: Macaco pregos.  Vegetação Exógena É possível observar nas áreas antropizadas plantas invasoras e exóticas. guaribas. capivaras. rio Alagado Interior do Parque Construção de um elevatório de esgoto dentro da área protegida. Hyparrbenia rufa (capim Jaraguá) e Melinis minutiflora (capim gordura). Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. Quanto a animais domésticos foi observada a presença de um cão criado no parque e fezes de eqüinos e bovinos na área relatada. Quadra 02. especialmente na parte metálica Campos de Bocha --------------- Churrasqueiras Campo de futebol de areia --------------- 01 – necessita de reparos. Interior do Parque Poluição do córrego Crispim. o lixo e a contaminação das águas.  Vegetação Nativa Cerrado. Centros de Alongamento --------------- Quiosques 01 fechado.

CEP 70. 02 abandonadas e danificadas. o local Posto Policial encontra-se deteriorado. segundo um dos administradores. necessitando de reforma geral. perdeuse todo o cercamento da divisa como Novo Gama Quadras de futebol --------------- Corpo de Bombeiros --------------- Quadras de futebol gramadas --------------- Guaritas Quadras de vôlei --------------- Hidrantes Quadras de futvôlei --------------- Iluminação A rede atual funciona. foi Quadras poli esportivas completamente danificada por vândalos. estão altamente danificadas. e também está Quiosques para fechada e em bom estado de alimentação conservação – seria necessário pintura e limpeza Circuitos Inteligentes --------------- Píer Piscinas --------------- 02 desativadas e visualmente percebe-se a necessidade de reparos. necessitando de uma reforma geral. Quadra 02. mas precisa de ampliação Quadras de basquete --------------- Placas Informativas 02 – só restaram duas e bem danificadas --------------- Juntamente da sede.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL .070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 .BRASÍLIA AMBIENTAL INFRA-ESTRUTURA  Física  Esportes  Lazer Ciclovia --------------- 01 sorveteria. Quadras de tênis 02 – uma funciona. Pista de cooper pavimentada --------------- Pistas de Skate ---------------  Segurança Aceiro --------------- Quadras de Areia --------------- Cercamento 40% do cercamento está preservado. necessitando apenas de reparos. --------------- Caixas de Proteção --------------- __________________________________________________________________________ “Brasília . mas precisa de reforma no alambrado. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. No entanto. necessitando de uma reforma geral.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. Porém. a outra.

drogas. CEP 70. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar.BRASÍLIA AMBIENTAL INFRA-ESTRUTURA  Física  Apoio Quadras de bad mington --------------- Trilhas pavimentadas --------------- Outros Cavalaria montada --------------- Calçadas --------------- Estacionamentos --------------- Bancos 07 – 04 deles estão sem assento e 03 estão em bom estado de conservação Fraldários --------------- Banheiros 06 todos necessitando de reparos gerais Lixeiras comuns --------------- --------------- Lixeiras seletivas --------------- Trilhas não pavimentadas Anfiteatros --------------- Bebedouros Bicicletários --------------- 01 e ainda está em funcionamento Duchas Umidificadores --------------- Flanelinhas --------------- Mesas com bancos 12 – na área do antigo restaurante e estão em bom estado.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. roubos e assaltos. voluntária e Levantamento das insuficiente para a área ocorrências Vandalismo. necessitando apenas de pintura Telefones públicos --------------- Vestiários 02 – muito danificados. Quadra 02. necessitam de reforma geral --------------- INFRA-ESTRUTURA  Serviços  Limpeza Coleta de lixo Limpeza da área verde  Vigilância Esporádica.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL .070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . devido a insuficiência de pessoal para a área do Parque Roçagem esporádica Número de Vigilantes 03 por turno Turno 02 turnos (07h às 19h e das 19h às 07h) --------------- __________________________________________________________________________ “Brasília .

CEP 70.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . recebia visitas constantes dos alunos das escolas de toda a região. FREQÜÊNCIA DE USUÁRIOS: restrita à visitação dos alunos __________________________________________________________________________ “Brasília . Quadra 02. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL .Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul.BRASÍLIA AMBIENTAL INFRA-ESTRUTURA  Serviços  Permissionários Gerais --------------- Ambulantes --------------- Outros --------------- INFRA-ESTRUTURA  Administrativa  Servidores Cargo Administrador Função Quantidade Gerencial 02 INFRA-ESTRUTURA  Administrativa  Sede: Instalações Hidráulicas Instalações Elétricas --------------- Estrutura Física Estrutura de Trabalho --------------- Computadores por servidor administrativo --------------- Banheiros --------------- --------------- --------------- Cozinha --------------- --------------- --------------- Outros Problemas Específicos do Parque Local Problema --------------- --------------- EDUCAÇÃO AMBIENTAL  Projetos Possui Núcleo de Educação Ambiental  Atividades Até o ano passado.

GOMES. DF. DADOS PARA EFETIVA IMPLEMENTAÇÃO  Informação  Situação Coordenadas Publicadas pelo Decreto nº 25. C. em diferentes ocasiões governamentais e sociais. Destaca-se o moradores e o Parque trabalho individual dos biólogos e demais técnicos interessados no Parque. PROENCA. R.. 20  AFINS BARCELLOS..05 Registro Cartorial Não Possui O Plano de Manejo para a área da Reserva Plano Diretor/Plano de Manejo/Plano de Uso Ecológica está em fase de revisão ESTUDOS E PESQUISAS LEVANTADOS  ESPECÍFICOS BRITES. R. 2004. Vicente Quintella. Condições conforme tabela constante no Diagnóstico. J. Quadra 02. Débora Silva de. C. Luiz Fernando Macedo (et al. O.1. O Parque. no socioeconômicas da entanto.. __________________________________________________________________________ “Brasília . B. BESSA. ENIZ. A população do Gama tem apresentado. ed. Brasília: Universa.. ALCANFOR. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar.. G. DIVERSOS.BRASÍLIA AMBIENTAL POTENCIALIDADES  Informações Gerais:  Condições  Sugestões A região como um todo. Alocação de parques urbanos no campo empírico do Distrito Federal. São Paulo.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. 1.05. v. E. Sueli Correa de. Brasília. 1996. Série Planejamento e Gestão Ambiental. CARNEIRO. 2003. Universidade São Marcos – FAU-USP. LIMA. LEITAO. 164 p. In Anais do II ENEPEA – Anais do II Encontro Nacional de Ensino de Paisagismo em Escolas de Arquitetura e Urbanismo do Brasil. 1. conta com um IDH moderado. p. Possui um potencial para o lazer familiar devido à estrutura existente e o passado de exploração da área. FARIA. Paulo José Fernandes. Durante cinco Lazer anos o parque foi explorado comercialmente e obteve muito retorno.). S. v. Ricardo Seixas. Riscos ecológicos na área do Parque Recreativo do Gama e Entorno.. --------------Cultura Representa um interessante foco de atividades voltadas para um lazer familiar. uma participação e Relação entre os predisposição para ações voltadas coletivas. GUIMARÃES. já atraiu uma parcela variada de visitantes de diversos população circunvizinha grupos econômicos e de diferentes RAs.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL .. de 23. dado seu histórico e a infra-estrutura já Turismo existente.. FARIA. Brasília: 2005. A gestão de áreas protegidas no Cerrado: o caso da Reserva Ecológica do Gama – DF. K. CEP 70. A. Boletim do Herbário Ezequias Paulo Heringer.867. Brasília: UCB. F. Flórula fanerogâmica do Parque Recreativo e Reserva Ecológica do Gama. Beatriz Machado. P. Diagnóstico ambiental na área do Parque (Prainha) do Gama e entorno. v. BRITO. L. conforme relato dos servidores antigos do Parque. C. S. A. ALBUQUERQUE.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . 13.

Inês de Sampaio. 33-47. Brasília. Brasília. Luiz Fernando Macedo. F. Levantamento preliminar da flora fanerogâmica do Parque Ecológico do Gama. LEAL. p. E. Rosana. C. F. C.. ALTHOFF. 2004. LIMA.sugestões para a gestão participativa. 2000.. OLIVEIRA. PROENCA. 2007. 2002. Paulo José Fernandes. Zita de Moura. E. 2004. G. F. 2004. BRITO. M. Série planejamento e gestão ambiental. K.. Maria Célia. R. Goiânia. SEMARH. L. Brasília. N. PROENCA. p. 7-72. A Gestão de Áreas Protegidas no Cerrado: O caso da Reserva Ecológica do Gama-DF. C. A importância da iniciativa privada para manutenção dos parques ecológicos do Distrito Federal.. 62. Parques Ecológicos e população no Distrito Federal: à procura da “natureza” e do lazer. Débora de. M. Roberta Magalhães. RODRIGUES. M. Roseli Senna. P. A questão ambiental.. Texto didático. 4. A. J. Dissertação de mestrado em Planejamento e Gestão Ambiental. K. Instituto de Ecologia e Meio Ambiente. Maria Célia. 2001. Resumos. DELDUQUE. Parques Ecológicos e de Uso Múltiplo do Distrito Federal. MEDEIROS. M. SANTOS. 126p GDF/IEMA.. 4. Brasília: Câmara Legislativa do Distrito Federal. Carla Ferreira. FARIAS. MUNHOZ. Texto didático. Análise da situação das possíveis áreas para empreendimento. Levantamento Florístico do Parque do Gama. Texto didático. SILVA JUNIOR. BRITO. G. 2004.. BUCHER. Luiz Fernando Macedo. Brasília. v. 1997. DAMASCENO. Governo do Distrito Federal. Série planejamento e gestão ambiental.. SILVA. HOLMES. p.BRASÍLIA AMBIENTAL ESTUDOS E PESQUISAS LEVANTADOS  AFINS BESSA. 2000. Quadra 02. M. Brasília. UFG. Brasília-DF. BRAGA.. Reserva Ecológica do Gama ..Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. Maria Lúcia de Santana. v. 2001. P. C. BESSA. p. S. C.. A. Brasília. Mauro Oliveira. __________________________________________________________________________ “Brasília . R. A. A percepção da comunidade sobre a reserva ecológica do Gama. L. Brasília. Trabalho de Conclusão de Curso . E. 4. Texto didático. C. B. 2000. p. F. Série planejamento e gestão ambiental. p. Luiz Fernando Macedo. MENEZES. G. Indicadores de risco ecológico na gestão de parques urbanos no Distrito Federal. GOMES.. SATO..Conflitos Socioambientais. PACHECO. Sebrae. XXII Reunião Brasileira de Antropologia. Débora de. VIGNATTI. v. MENON. R. 2002.. 2000. Brasília. In: VII Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Brasília.GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . C. Análise do risco ecológico no planejamento de parques de uso múltiplo. 4. FARIA. Parques do Distrito Federal. MENON. In: VI Jornada de Produção Científica das Universidades Católicas do Centro-Oeste. P. B. Brasília. SEMARH. Beatriz Machado. Beatriz Machado. mimeo. B. C. Fórum de Pesquisa 3: “Conflitos Socioambientais e Unidades de Conservação”. Luciana Gleyb Cardoso. Inês de Sampaio. CAVALCANTE. C. 73-86. DELDUQUE. S. H. P. FRANÇA. Resumos. B. SEMARH. FIRETTI. GUIMARÃES. A. GANEM. o que todo empresário precisa saber. Reserva Ecológica do Gama . 12-32. C. PIRES. FARIA. B.. 2000. In: Congresso Nacional de Botânica. v.. Universidade Católica de Brasília. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. C. . 2000.. Série planejamento e gestão ambiental. PACHECO. M.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 .. A. BESSA. BARBOSA. T.Faculdade da Terra de Brasília. SILVA. LABARRERE. 255. CEP 70. C. GOMES.

Brasília. UnB. SEMATEC.070-928 – Brasília – DF Fone: (61) 3325-6850 . SEMATEC/IEMA. Universidade de Brasília. Ciência e Tecnologia – SEMATEC. Brasília. SILVA. 102p. Anais do Workshop Ecoparques: Gestão dos Parques Ecológicos do Distrito Federal. 1999. Luciene de Jesus Maciel.Patrimônio Cultural da Humanidade” Setor Bancário Sul. Unidades de Conservação no Distrito Federal. Parques públicos urbanos: a síntese entre proteção ambiental e lazer público. Edifício Lino Martins Pinto – 4º andar. Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília. 2000. Parques Ecológicos e de Uso Múltiplo do Distrito Federal. Sematec. Parques urbanos: a natureza na cidade – uma análise da percepção dos atores urbanos. GDF Secretaria de Meio Ambiente. 1999. SILVA. 2003. Bey Ayres da. Dissertação de tese de mestrado em Arquitetura e Urbanismo. SEMATEC. Semarh. Brasília. 2002. Eco Parques Gestão dos Parques Ecológicos do Distrito Federal.BRASÍLIA AMBIENTAL ESTUDOS E PESQUISAS LEVANTADOS  AFINS SEMARH. Brasília. 2005. Quadra 02. __________________________________________________________________________ “Brasília .GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL . Brasília. Sematec. Brasília-DF. CEP 70.