You are on page 1of 14

Superior Tribunal de Justiça

RECURSO ESPECIAL Nº 1.397.476 - PE (2013/0261456-0)
RELATOR
RECORRENTE
REPR. POR
RECORRIDO
ADVOGADO

: MINISTRO HERMAN BENJAMIN
: DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE
TRANSPORTES - DNIT
: PROCURADORIA-GERAL FEDERAL
: DJALMA ALVES DA SILVA E CÔNJUGE
: DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO
EMENTA

PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO. VIOLAÇÃO DO ART. 535
DO CPC. FUNDAMENTAÇÃO DEFICIENTE. SÚMULA 284/STF.
DESAPROPRIAÇÃO POR UTILIDADE PÚBLICA. ART. 26 do DL
3.365/41.
CONTEMPORANEIDADE
DA
AVALIAÇÃO.
JUSTA
INDENIZAÇÃO. REEXAME DE PROVAS. SÚMULA 7 DO STJ. EFEITOS
DA REVELIA. AUSÊNCIA DE PREQUESTIONAMENTO. SÚMULA
282/STF. JUROS MORATÓRIOS E COMPENSATÓRIOS. BASE DE
CÁLCULO: DIFERENÇA ENTRE A OFERTA E A INDENIZAÇÃO.
1. Cuida-se, na origem, de Ação de Desapropriação por utilidade pública proposta
pelo DNIT visando à expropriação do imóvel situado entre as estacas 1981+9,58
a 1982+10,14 (LE), às margens da BR 101, para fins de adequação da
capacidade da referida rodovia federal. O DNIT ofertou e depositou o valor de
R$ 47.592,68 pelo imóvel. O Tribunal de origem, acatando o laudo pericial, fixou a
indenização no montante de R$ 56.676,71 (fl. 340, e-STJ).
2. O recorrente sustenta que o art. 535, II, do CPC foi violado, mas deixa de
apontar, de forma clara, o vício em que teria incorrido o acórdão impugnado.
Assim, é inviável o conhecimento do Recurso Especial nesse ponto, ante o óbice
da Súmula 284/STF.
3. Não se conhece de Recurso Especial quanto à matéria não especificamente
enfrentada pelo Tribunal de origem (efeitos da revelia e levantamento integral,
pelos expropriados, do valor depositado), dada a ausência de prequestionamento.
Incidência, por analogia, da Súmula 282/STF.
4. O art. 26 do Decreto-Lei 3.365/1941 atribui à justa indenização o predicado da
contemporaneidade à avaliação judicial, sendo desimportante, em princípio, o
laudo elaborado pelo ente expropriante para a aferição desse requisito ou a data
da imissão na posse. AgRg no REsp 1.438.111/ES, Rel. Ministro Mauro
Campbell Marques, Segunda Turma, DJe 21.5.2014; AgRg no REsp
1.436.510/PE, Rel. Ministro Humberto Martins, Segunda Turma, DJe 14.4.2014.
5. Impossibilidade de revisão da premissa fixada pela Corte de origem, de que
"foram consignadas expressamente no parecer oficial as características do
imóvel, sua localização, bem como as diversas fontes consultadas (jornais,
profissionais que atuam na área, ...) e os critérios empregados para a definição do
justo preço da área expropriada, bem como a indenização para as benfeitorias".
Necessidade de reexame do contexto fático-probatório dos autos, vedado pela
Súmula 7/STJ.
6. É firme a jurisprudência do STJ de que a base de cálculo, tanto dos juros
compensatórios quanto dos juros moratórios, deve ser a diferença entre os 80%
Documento: 1402164 - Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJe: 01/07/2015

Página 1 de 14

por unanimidade. Ministro Relator. nos termos do voto do(a) Sr(a). acordam os Ministros da SEGUNDA Turma do Superior Tribunal de Justiça: "A Turma. Ministros Og Fernandes. Brasília. Assusete Magalhães e Humberto Martins votaram com o Sr. Recurso Especial não provido. Mauro Campbell Marques (Presidente). MINISTRO HERMAN BENJAMIN Relator Documento: 1402164 ." Os Srs.DJe: 01/07/2015 Página 2 de 14 .7.998/SP. Ministro(a)-Relator(a). Min. negou provimento ao recurso.197. 28 de abril de 2015(data do julgamento).2013.Superior Tribunal de Justiça do preço ofertado em juízo e o valor do bem definido judicialmente para a indenização na Sentença. ACÓRDÃO Vistos.Inteiro Teor do Acórdão . relatados e discutidos os autos em que são partes as acima indicadas. 7. Precedente: AgRg no Ag 1.Site certificado . Eliana Calmon. DJe 1º. Rel.

Em relação aos juros compensatórios. Precedente do STJ. Acolhimento do laudo oficial.DJe: 01/07/2015 Página 3 de 14 . A documentação coligida ao recurso não atesta a concordância dos expropriados com a avaliação administrativa. 5º . SR. ACORDO ADMINISTRATIVO. LAUDO PERICIAL. consubstanciando-se no justo preço assegurado pelo texto constitucional (art.PE (2013/0261456-0) RELATOR RECORRENTE REPR.Inteiro Teor do Acórdão . e não os possíveis lucros que deixou de auferir com a utilização econômica do bem expropriado. "a". INDENIZAÇÃO.Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.DNIT : PROCURADORIA-GERAL FEDERAL : DJALMA ALVES DA SILVA E CÔNJUGE : DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO RELATÓRIO O EXMO. estando de acordo com as técnicas usualmente empregadas nas perícias judiciais em desapropriações. MINISTRO HERMAN BENJAMIN (Relator): Trata-se de Recurso Especial interposto. sendo. Documento: 1402164 . julgado em 23/06/2009. portanto. Ministro FRANCISCO FALCÃO. devidos mesmo em se tratando de imóvel improdutivo" (REsp 1073793/BA. 105. 3. O parecer acostado pelo louvado se mostra bem fundamentado.476 . A doutrina manifesta-se no sentido de que o critério adotado pelo legislador brasileiro para a definição deste momento corresponde ao “estado ”do bem no momento da fixação judicial do preço . POR RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO HERMAN BENJAMIN : DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES . NÃO COMPROVAÇÃO. Por outro lado. dada a posição de imparcialidade do perito em face dos interesses dos litigantes. da Constituição da República.397. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. o recebimento do valor depositado pela via judicial infirma a existência de anuência quanto ao preço ofertado administrativamente. APELO DOS EXPROPRIADOS PROVIDO.Site certificado . 5. DESAPROPRIAÇÃO PARA FINS DE UTILIDADE PÚBLICA. 4. PRIMEIRA TURMA. Imprescindibilidade de realização da prova pericial.365/41 estabelece que o valor da indenização será contemporâneo à avaliação . do Decreto Lei nº 3. 2. XXIV). CORREÇÃO MONETÁRIA. contra acórdão assim ementado: ADMINISTRATIVO. 1. JUROS COMPENSATÓRIOS. utilizando-se de descrição pormenorizada dos critérios utilizados para a fixação do preço de mercado do imóvel. VALOR DE MERCADO. O art. III. o STJ consolidou a orientação de que estes "destinam-se a remunerar o capital que o expropriado deixou de receber desde a perda da posse. Rel. com fundamento no art. Demonstração de que o valor atribuído pela perícia ao imóvel corresponde aos preços praticados na região. 26. JUROS MORATÓRIOS.

do STF e 69 e 113. corroído pela inflação (Súmula nº 561. do Decreto-Lei n. Rel. incidem os juros compensatórios à base de 12% ao ano. após a vigência da liminar concedida na ADIn nº 2.577 e reedições.DJe: 01/07/2015 Página 4 de 14 .20 (quatrocentos e cinqüenta e quatro reais.829/SP. 15-B e 26 do DL 3. 14. do STF). nos termos do art. A base de cálculo dos juros compensatórios.577/97. b) é descabida a atuação da Defensoria Pública da União na Documento: 1402164 . 7. 319. Assim. vinte centavos). consoante jurisprudência do STJ. o posicionamento do STJ. devendo incidir à alíquota de 6% ao ano.9. mas tão-somente na reposição do valor real da moeda. 6.672/2008.332. considerando que a imissão de posse ocorreu em 21. 1.05. a partir daí. Razoabilidade. O mesmo raciocínio deve ser adotado em relação à base de cálculo dos juros moratórios. 12.Inteiro Teor do Acórdão . § 1º. como da quantia fixada judicialmente. Sustenta. correspondendo à quantia de R$ 454. conforme a Lei n. cuja constitucionalidade foi reconhecida pelo STF em sede de liminar na ADI 2. do STJ.5. que são regidas pelo art. Os limites percentuais previstos no art. que "à luz do princípio do tempus regit actum . 11.332/DF (13. 20. o trabalho desenvolvido pelo causídico e o tempo da prestação do serviço. da LC 80/1994. em suma: a) há omissão no acórdão recorrido. inclusive em julgamento de RESp sujeito à sistemática dos recursos repetitivos (REsp 1.2001). 11. XVI. Teori Albino Zavascki. 3. No que tange aos honorários de sucumbência. 3. 131. Súmulas 618. para que só então haja a apuração da diferença a ser adimplida pelo expropriante.2008. Quanto à taxa de juros aplicável. 13. observando-se o limite máximo de 5% (cinco por cento). do CPC.332/DF (13. O recorrente alega violação dos arts. No caso sob luzes. §4. DJE 25. 8. de 12% (doze por cento) ao ano".365/41.111. Provimento ao apelo dos expropriados. A atualização monetária incidente sobre indenização expropriatória não se constitui em um plus. 10.pelo que deve ser observado o art. é devida a tanto a correção do valor ofertado. e.2010 . os juros compensatórios serão de 6% ao ano a partir da imissão até a data da liminar proferida na ADIn 2.365/41. 15-A. 9. 4º. devem ser disciplinados pela lei vigente à data da sentença que os arbitra –in casu. do CPC para os honorários advocatícios sucumbenciais não se aplicam às sentenças desfavoráveis à Fazenda Pública.365/1941.09.º 2183-56. 27. § 3. consoante definido pelo STJ. com a modificação introduzida pela MP n. pois é essa a quantia que fica efetivamente indisponível para o expropriado.Superior Tribunal de Justiça DJe 19/08/2009).º. consubstancia-se na diferença eventualmente apurada entre oitenta por cento (80%) do preço ofertado em juízo e o valor do bem arbitrado na sentença.11. ocorrida a imissão na posse após a vigência da MP 1. a partir do primeiro dia do exercício financeiro subseqüente àquele em que o precatório deva ser pago. do percentual de 5 % (cinco por cento) sobre o valor da diferença entre a oferta inicial e a indenização fixada na sentença apelada. II. 20. 436 e 535 do CPC. do Decreto-lei n.º.2001). 15-B.Site certificado . Min. 9º. considerando a natureza da causa. com redação conferida pela Medida Provisória n.2009).

Inteiro Teor do Acórdão . 416-426. e-STJ.DJe: 01/07/2015 Página 5 de 14 . a indenização deve ser fixada no valor ofertado na inicial da Ação de Desapropriação. Contrarrazões às fls. e e) não há justificativa para incidência dos juros moratórios e compensatórios. c) no caso de revelia. porquanto os expropriados levantaram integralmente o valor da oferta depositada pelo DNIT. e-STJ).Superior Tribunal de Justiça presente lide. d) a perícia deveria ter levado em consideração o valor do imóvel no momento em que avaliado pela autarquia. 383-391. É o relatório. O Ministério Público Federal opina pelo parcial provimento do recurso (fls.Site certificado . Documento: 1402164 .

1) TRIBUTÁRIO. de forma clara. Documento: 1402164 . 535 DO CPC – FUNDAMENTAÇÃO DEFICIENTE – SÚMULA 284/STF – CONTRATOS DE SWAP COM COBERTURA HEDGE – GANHOS DE CAPITAL – IMPOSTO DE RENDA – INCIDÊNCIA – ART. O Tribunal de origem. 5º DA LEI 9.. fixou a indenização no montante de R$ 56.676. ante o óbice da Súmula 284/STF. mas deixa de apontar. Deve o recorrente. Assim.Site certificado .2008 p..779/99. Ministra ELIANA CALMON. 535 do CPC. e-STJ). às margens da BR 101. 535.397. ao apontar violação do art. MINISTRO HERMAN BENJAMIN (Relator): Os autos foram recebidos neste Gabinete em 31.DJe: 01/07/2015 COMPENSAÇÃO.431/SP. Cito precedentes: TRIBUTÁRIO E PROCESSUAL CIVIL – VIOLAÇÃO DO ART. 340.Inteiro Teor do Acórdão . Página 6 de 14 .2015.476 . o vício em que teria incorrido o acórdão impugnado. sem indicar as matérias sobre as quais deveria pronunciar-se a instância ordinária. DJ 26. nem demonstrar a relevância delas para o julgamento do feito.Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.68 pelo imóvel. PIS..14 (LE). A irresignação não merece prosperar. (. Assevera apenas ter oposto Embargos de Declaração no Tribunal a quo. acatando o laudo pericial. para fins de adequação da capacidade da referida rodovia federal. SR. Cuida-se. de Ação de Desapropriação por utilidade pública proposta pelo DNIT visando à expropriação do imóvel situado entre as estacas 1981+9.. SEGUNDA TURMA. (.) (AgRg no Ag 990. II. PRESCRIÇÃO. O DNIT ofertou e depositou o valor de R$ 47. na origem.58 a 1982+10.71 (fl.) 1. A parte recorrente sustenta que o art.05. sob pena de aplicação da Súmula 284/STF. é inviável o conhecimento do Recurso Especial nesse ponto.592.PE (2013/0261456-0) VOTO O EXMO. Rel.3. indicar com precisão e clareza os artigos e as teses sobre os quais o Tribunal de origem teria sido omisso. do CPC foi violado.

por analogia. na decisão recorrida. o que atrai. do CPC." Ademais.Site certificado . Também não se pode conhecer da irresignação contra a ofensa ao art. aplica-se na espécie. Desta feita. Ora..Superior Tribunal de Justiça CORREÇÃO MONETÁRIA.. que trata dos efeitos da revelia. 319 do CPC. pois o referido dispositivo legal.) (REsp 906.058/SP. EXPURGOS INFLACIONÁRIOS. por si só. o óbice da Súmula 282/STF: "É inadmissível o recurso extraordinário. o óbice da Súmula 283/STF: "É inadmissível o recurso extraordinário. não vejo óbice a validar os atos praticados pela representante dos expropriados. SEGUNDA TURMA. Ausente. Sobre esse ponto. 62/63). Dessa maneira. não tendo cabimento a atuação da Defensoria Pública na lide. vez que os expropriados foram citados pessoalmente (fls. JUROS DE MORA. o curador especial somente pode ser concedido pelo Juiz nas hipóteses expressamente previstas pelo art. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. quando não ventilada. o recorrente alega não ser o caso de atuação da Defensoria Pública da União como curadora especial dos expropriados. 9º. a teor da Súmula 284 do Supremo Tribunal Federal. o que não é o caso dos autos.2007. a questão federal suscitada. Meras alegações genéricas quanto às prefaciais de afronta ao artigo 535 do Código de Processo Civil não bastam à abertura da via especial pela alínea "a" do permissivo constitucional. DJ 09. p. pois sua atuação visa resguardar o justo preço do imóvel expropriado e não houve qualquer impugnação à sua participação no processo.. o indispensável requisito do prequestionamento. (. tenho que devem ser tecidas algumas considerações quanto à participação da Defensoria Pública da União em feito no qual ocorreu a revelia. (. por analogia. sua participação não foi impugnada em momento algum nas instâncias ordinárias. para manter o decisum combatido e não houve contraposição recursal sobre o ponto. Entretanto. embora indevida a atuação da Defensoria Pública na lide. quando a decisão recorrida assenta em mais de um fundamento suficiente e o recurso não abrange todos Documento: 1402164 . como a fundamentação supra é apta. 311). o Tribunal de origem consignou: Em primeiro lugar. Ministro CASTRO MEIRA.03. não foi analisado pela instância de origem.DJe: 01/07/2015 Página 7 de 14 . o recorrente não atacou o fundamento do acórdão recorrido de que. Rel.) 1. Todavia.. portanto.Inteiro Teor do Acórdão . impende examinar as suas alegações no apelo manejado.

mas aquela feita pelo perito judicial. o óbice da Súmula 284/STF. conforme a correta interpretação do art.. 124) consubstancia-se no justo preço assegurado pelo texto constitucional (art.) Desse modo. está bem fundamentado e compatível com os elementos existentes nos autos. segundo a qual "é inadmissível o Recurso Extraordinário. XXIV). estando o laudo oficial bem fundamentado e compatível com os elementos existentes nos autos. a Corte de origem adotou o laudo oficial também por ter ele aferido o preço de mercado do imóvel contemporâneo à avaliação.) e os critérios empregados para a definição do justo preço da área expropriada. há de prestigiar-se o parecer elaborado pelo perito do Juízo. Verifica-se que.Superior Tribunal de Justiça eles. Assim. 5º. diversamente do que afirma o recorrente.. Ocorre.DJe: 01/07/2015 Página 8 de 14 . bem como a indenização para as benfeitorias. e-STJ). realizado por profissional eqüidistante das partes. 26 do Documento: 1402164 . bem como as diversas fontes consultadas (jornais. bem como os procedimentos normativos adotados pela técnica avaliatória. tem-se que o preço encontrado para o imóvel – R$ 56. Incide.71 (cinqüenta e seis mil.. porém. dada a sua posição de imparcialidade em face dos interesses dos litigantes. o recorrente requer seja a indenização fixada com base no preço do imóvel na data em que realizada a avaliação administrativa. embora não a avaliação administrativa. quando a deficiência na sua fundamentação não permitir a exata compreensão da controvérsia". que o Tribunal a quo consignou: Nessa senda. profissionais que atuam na área. tenho que devem ser acolhidos os valores apontados pelo perito para a indenização do imóvel expropriado. foram consignadas expressamente no parecer oficial as características do imóvel. setenta e um centavos – fl. Isso porque restou evidenciado que o laudo oficial. tendo sido aplicadas a metodologia matemática e estatística recomendável. seiscentos e setenta e seis reais. 340-341. portanto.Site certificado . sua localização. (fls. . A respeito do momento básico em que se calcula o valor do bem expropriado.676. Ressalto que o entendimento do acórdão recorrido está em sintonia com a atual jurisprudência do STJ no sentido de que. deve-se destacar que a avaliação do imóvel deve ser contemporânea à sua desapropriação com o escopo de assegurar o justo preço. Outrossim. Com efeito. por analogia.Inteiro Teor do Acórdão ." No mais. manifesta-se a doutrina: (..

em princípio. ART. o que não ocorreu no caso dos autos. INEXISTÊNCIA. CONTEMPORANEIDADE. Ministro HUMBERTO MARTINS. UTILIDADE PÚBLICA. o valor da indenização será contemporâneo à data da avaliação. Agravo regimental improvido. tal regra pode ser mitigada quando o longo prazo entre o início da expropriação e a elaboração do laudo pericial ocasiona relevante valorização do imóvel. a despeito disso. PRAZO EM DOBRO. SEGUNDA TURMA. PROCESSUAL CIVIL. 1. são mantidos os procuradores distintos. DESAPROPRIAÇÃO POR UTILIDADE PÚBLICA. O art. Ministro MAURO CAMPBELL MARQUES. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. desde que fundamente a decisão. no caso. DJe 14/04/2014). PATRONOS DISTINTOS. sendo o juiz livre para formar sua convicção. PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO. AGRAVO REGIMENTAL EM RECURSO ESPECIAL. nessa esteira. o laudo elaborado pelo ente expropriante para a aferição desse requisito ou a data da imissão na posse. Rel. para a demonstração da similitude fático-jurídica. 3. Nesse sentido: ADMINISTRATIVO.Superior Tribunal de Justiça Decreto-Lei 3. INDENIZAÇÃO. Agravo regimental não provido. Precedentes. Inadmissível o recurso especial que se fundamenta na existência de divergência jurisprudencial. VIOLAÇÃO. 26 do DL Documento: 1402164 .Inteiro Teor do Acórdão . Em casos excepcionais. AVALIAÇÃO JUDICIAL. PRECEDENTES. PRINCÍPIO. Nos termos da jurisprudência do STJ. sendo desimportante. Rel. tampouco a data em que se deu a vistoria do ente expropriante. nas ações de desapropriação por utilidade pública. vencido pela preclusão consumativa. AUSÊNCIA. será contemporâneo à avaliação. por extensão. DESAPROPRIAÇÃO POR UTILIDADE PÚBLICA. 2. (AgRg no REsp 1438111/ES. DJe 21/05/2014). 191 do CPC a mera circunstância de os litisconsortes interporem recurso mediante petição única quando. não sendo relevante a data em que ocorreu a imissão na posse. porque momento processual inadequado para tanto e porque. 26 do Decreto-Lei 3.365/1941. SEGUNDA TURMA. o valor da indenização. Inviável. DISSÍDIO JURISPRUDENCIAL. COTEJO ANALÍTICO. PROCESSUAL CIVIL. mas se limita. 1. ARBITRAMENTO. DIREITO ADMINISTRATIVO. MANUTENÇÃO. DESAPROPRIAÇÃO. a realização do cotejo apenas por ocasião da petição de agravo regimental.365/1941 atribui à justa indenização o predicado da contemporaneidade à avaliação judicial. em regra. à mera transcrição de ementas e de trechos de votos. Não afasta a regra do art. LITISCONSÓRCIO. da Súmula 284/STF. 5. Hipótese.Site certificado . (AgRg no REsp 1436510/PE.DJe: 01/07/2015 Página 9 de 14 . 2. VALOR DA INDENIZAÇÃO CONTEMPORÂNEO À DATA DA AVALIAÇÃO E NÃO DA IMISSÃO NA POSSE OU DA VISTORIA DO ENTE EXPROPRIANTE. 4.

2009).º 3.111. ocorrida a imissão na posse após a vigência da MP 1.. assim.332/DF (13. in casu. O art. Teori Albino Zavascki.) O STJ também consolidou entendimento no sentido de que estes “destinam-se a remunerar o capital que o expropriado deixou de receber desde a perda da posse. Impossibilidade de revisão da premissa fixada pela Corte de origem. 251). devidos mesmo em se tratando de imóvel improdutivo ”(REsp 1073793/BA. sendo. A jurisprudência consolidou-se igualmente no que tange à base de cálculo sobre a qual devem incidir os juros compensatórios. Rel. DJe 19/08/2009). o Tribunal de origem asseverou: No que concerne ao cabimento dos juros compensatórios. 11.Site certificado . 3. do STF e 69 e 113.9. vedado pela Súmula 7/STJ. SEGUNDA TURMA. o que atrai o óbice da Súmula 7/STJ. confira-se: (. os juros compensatórios serão de 6% ao ano a partir da imissão até a data da liminar proferida na ADIn 2.2008 (fl. ao determinar que o valor da indenização seja contemporâneo à avaliação. (AgRg no AREsp 329.365/41.829/SP.09.5. CONTEMPORANEIDADE DA AVALIAÇÃO.11.Superior Tribunal de Justiça 3. 1.577/97. revolvimento do acervo fático-probatório dos autos. Agravo regimental não provido. 2. conforme a Lei n. Observo. Ministro FRANCISCO FALCÃO.2001). Na mesma linha. inclusive em julgamento de RESp sujeito à sistemática dos recursos repetitivos (Resp 1. Min. que rever as conclusões alcançadas pelo Tribunal de origem quanto à correção do montante fixado a título de indenização demanda.332/DF (13. Necessidade de reexame do contexto fático-probatório dos autos. pouco importando a data da imissão na posse ou mesmo a data da avaliação administrativa. ainda. portanto.936/CE. considerando que a imissão de posse ocorreu em 21.. 26 do Decreto-Lei n. publicado no Diário da Justiça Eletrônico de 25. a partir daí. Nesse sentido. consoante os termos das Súmulas 618.2001).Inteiro Teor do Acórdão .. decidiu Documento: 1402164 . incidem os juros compensatórios à base de 12% ao ano. e. de que "o preço atribuído pela perícia à terra nua não sofreu influência da implantação do açude.672/2008. de 12% (doze por cento) ao ano”. Quanto aos juros compensatórios e moratórios. que trago à colação: (. No caso.) Quanto à taxa de juros aplicável. Rel.DJe: 01/07/2015 Página 1 0 de 14 . o posicionamento do STJ. aos preços praticados na região". do STJ. a matéria guarda tranqüila orientação jurisprudencial. após a vigência da liminar concedida na ADIn nº 2. correspondendo. assim o faz em relação ao laudo adotado pelo juiz para a fixação do justo preço.. Ministra ELIANA CALMON. Rel. que “à luz do princípio do tempus regit actum.365/41. PRIMEIRA TURMA. DJe 13/11/2013). e não os possíveis lucros que deixou de auferir com a utilização econômica do bem expropriado. seja ele qual for.

365/41. DJe 27/11/2009 Os juros moratórios. DJ 29/11/2007 p. ou seja. JUROS MORATÓRIOS. PRIMEIRA TURMA. conforme decidido pela Corte Suprema no julgamento da MC na ADI 2. 33. OFERTA INICIAL. Rel.365/41 – e o valor do bem fixado na sentença. Rel.569/RN.Superior Tribunal de Justiça a 1ª Seção do STJ. por sua vez. o que. Ministro JOSÉ DELGADO. Ministra DENISE ARRUDA. PRIMEIRA SEÇÃO. Sobre o tema. O caráter vinculativo do julgamento de recurso especial pelo regime do art. com redação conferida pela Medida Provisória n. 3.5% ao mês) a partir do primeiro dia do exercício financeiro subseqüente àquele em que o precatório deva ser pago. 1. AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. 15-B. nos termos da jurisprudência do STJ. REFORMA AGRÁRIA. 227). seguindo a orientação do STF quanto à matéria. nos termos do art.DJe: 01/07/2015 Página 1 1 de 14 . INDENIZAÇÃO. nos termos do art. BASE DE CÁLCULO. julgado em 13/11/2007. sejam eles compensatórios ou moratórios. JUROS COMPENSATÓRIOS. entende-se que sua Documento: 1402164 . IDENTIDADE. No que respeita à base de cálculo dos juros moratórios. REsp 1. 543-C do CPC obriga ao exame de questões idênticas seja aplicado o mesmo entendimento.116.Site certificado . do Decreto. DIFERENÇA. que somente serão recebidos após o trânsito em julgado.Lei 3. CABIMENTO. no caso concreto. pois é essa a quantia que fica efetivamente indisponível para o expropriado ”(EREsp 967. devendo incidir sobre a diferença eventualmente apurada entre oitenta por cento (80%) do preço ofertado em juízo – percentual máximo passível de levantamento. não permite sua incidência sobre valores já adiantados pela parte expropriante.611/CE. ADEQUAÇÃO. "A própria natureza dos juros. MONTANTE NÃO LEVANTADO. do Decreto-lei n. que “os juros compensatórios remuneram o capital que deixou de ser pago no momento da imissão provisória na posse. 2. não se podendo interpretar os termos da sentença exequenda de outra forma. PROCESSUAL CIVIL. Tratando-se de verba decorrente do inadimplemento do valor principal. 1. INTERESSE SOCIAL. devem ser estabelecidos em 6% ao ano (ou 0. deve seguir o mesmo raciocínio adotado para os juros compensatórios (REsp 923. DESAPROPRIAÇÃO. a jurisprudência desta Corte é firme no sentido de que a base de cálculo dos juros moratórios é a mesma dos juros compensatórios: a diferença entre os 80% do valor da oferta inicial e o que foi fixado em sentença para a indenização. resulta em adequar o julgado monocrático à disciplina do REsp 1. os valores que ficaram indisponíveis ao expropriado.364/PI quanto à alíquota e ao período de incidência dos juros compensatórios. § 2º. cuja constitucionalidade foi reconhecida pelo STF em sede de liminar na ADI 2.577 e reedições.116.Inteiro Teor do Acórdão .364/PI. julgado em 11/11/2009. sob pena de enriquecimento sem causa do expropriado.332. Nesse sentido: DIREITO ADMINISTRATIVO.332-2/DF.

pelos expropriados. do valor depositado pelo DNIT em juízo. tão-somente para determinar que a base de cálculo dos juros moratórios seja a diferença entre os 80% do preço ofertado em juízo e o valor do bem fixado na Sentença. (.07. ELIANA CALMON. RECURSO ESPECIAL. Rel. DESAPROPRIAÇÃO PARA FINS DE REFORMA AGRÁRIA. PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO. (AgRg no Ag 1. Segunda Turma. portanto. DJe 1º/7/2013). INCIDÊNCIA DA SÚMULA 131/STJ. Rel. RECURSO ESPECIAL PARCIALMENTE PROVIDO. (REsp 1. (.242/PE. entende-se que sua incidência. 535 DO CPC. Ministro MAURO CAMPBELL MARQUES. INEXISTÊNCIA DE VIOLAÇÃO DA COISA JULGADA. DJe 6/9/2013). AUSÊNCIA DE VIOLAÇÃO AO ART. Ministra ELIANA CALMON. Agravo regimental provido parcialmente. JUROS MORATÓRIOS E COMPENSATÓRIOS. 3. por Documento: 1402164 . não se podendo interpretar os termos da sentença exequenda de outra forma. Min. BASE DE CÁLCULO: DIFERENÇA ENTRE A OFERTA E A INDENIZAÇÃO..) 6. RECURSO ESPECIAL DA PARTE EXPROPRIADA. tanto dos juros compensatórios quanto dos juros moratórios.Inteiro Teor do Acórdão . Ministro NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO. PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO." (AgRg no Ag 1.DJe: 01/07/2015 Página 1 2 de 14 . Turma (AgRg no Ag 1. Agravo regimental não provido. 1. Rel. nos feitos expropriatórios. está limitada à diferença entre a condenação e oitenta por cento (80%) do valor da oferta.998/SP. 2.998/SP. (AgRg no REsp 1. não permite sua incidência sobre valores já adiantados pela parte expropriante.273.197.) 10. Recurso Especial do INCRA parcialmente provido. A própria natureza dos juros.358. Tratando-se de verba decorrente do inadimplemento do valor principal. Ministra Eliana Calmon. está limitada à diferença entre a condenação e oitenta por cento (80%) do valor da oferta. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS.Site certificado ..197. Precedente desta egrégia 1a. Precedentes. Ausente.197. nos feitos expropriatórios. sob pena de enriquecimento sem causa do expropriado.. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO. Rel. que o Tribunal de origem não se manifestou sobre a alegação de que houve o levantamento integral.2013). deve ser a diferença entre os 80% do preço ofertado em juízo e o valor do bem definido judicialmente para a indenização na Sentença. DJe 28/2/2014).Superior Tribunal de Justiça incidência. DESAPROPRIAÇÃO. 3. DJe 01/07/2013). Ressalto.. o indispensável requisito do prequestionamento. Rel. julgado em 20/06/2013. SEGUNDA TURMA. SEGUNDA TURMA.998/SP. DJe 01. por fim. PRIMEIRA TURMA. Precedentes. sejam eles compensatórios ou moratórios.996/PB. É firme a jurisprudência desta Corte de que a base de cálculo. o que atrai.

nego provimento ao Recurso Especial É como voto. quando não ventilada. o óbice da Súmula 282/STF: "É inadmissível o recurso extraordinário. a questão federal suscitada. na decisão recorrida.Site certificado ." Diante do exposto.DJe: 01/07/2015 Página 1 3 de 14 . Documento: 1402164 .Inteiro Teor do Acórdão .Superior Tribunal de Justiça analogia.

365/1941 CERTIDÃO Certifico que a egrégia SEGUNDA TURMA. Mauro Campbell Marques (Presidente). nos termos do voto do(a) Sr(a). proferiu a seguinte decisão: "A Turma. Documento: 1402164 . VALÉRIA ALVIM DUSI AUTUAÇÃO RECORRENTE REPR. ao apreciar o processo em epígrafe na sessão realizada nesta data.476 / PE Números Origem: 200883000107346 475582 PAUTA: 28/04/2015 JULGADO: 28/04/2015 Relator Exmo.DJe: 01/07/2015 Página 1 4 de 14 . DARCY SANTANA VITOBELLO Secretária Bela. Ministro Relator. negou provimento ao recurso.Intervenção do Estado na Propriedade . por unanimidade.Site certificado . Sra. Ministros Og Fernandes. Ministro MAURO CAMPBELL MARQUES Subprocuradora-Geral da República Exma.Desapropriação por Utilidade Pública / DL 3. Dra. Ministro HERMAN BENJAMIN Presidente da Sessão Exmo.Inteiro Teor do Acórdão . Ministro(a)-Relator(a).397.Superior Tribunal de Justiça CERTIDÃO DE JULGAMENTO SEGUNDA TURMA Número Registro: 2013/0261456-0 PROCESSO ELETRÔNICO REsp 1. Assusete Magalhães e Humberto Martins votaram com o Sr. Sr. Sr." Os Srs. POR RECORRIDO ADVOGADO : DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES DNIT : PROCURADORIA-GERAL FEDERAL : DJALMA ALVES DA SILVA E CÔNJUGE : DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO ASSUNTO: DIREITO ADMINISTRATIVO E OUTRAS MATÉRIAS DE DIREITO PÚBLICO .