You are on page 1of 6

compra e venda

1/2011
____________________

CONTRATO DE

COMPRA

E

VENDA

PRIMEIRO

e
SEGUNDO

sobre
a identificação das partes,
vendedor e comprador, ver “notas”

celebram entre si contrato de compra e venda, nos termos das cláusulas seguintes:

Primeira
Pelo preço de

… euros,

que

já recebeu e de que dá quitação,

o PRIMEIRO

vende ao SEGUNDO a

fracção autónoma designada pela letra … , correspondente a … , do prédio urbano, sito em
de

, freguesia

… , concelho de … , descrito na Conservatória do Registo Predial de … sob o número … da freguesia de …

, submetido ao regime da propriedade horizontal nos termos da inscrição F - … , inscrito na matriz predial
urbana sob o artigo … , sendo de … euros o valor patrimonial da fracção autónoma, que está registada
a favor do vendedor pela inscrição G- … .
Segunda
A fracção autónoma é vendida livre de ónus ou encargos, ficando assegurado o cancelamento da hipoteca
registada a favor de

pela inscrição C - …

.
Terceira

Para o prédio/para a fracção autónoma ora transmitida
,

o alvará de autorização de utilização n. º …

não sendo exigível

foi

emitido pela Câmara Municipal de … , no dia …

/O prédio foi inscrito na matriz em data anterior a 1951,

licença de utilização.
Quarta

O SEGUNDO aceita a venda, destinando a fracção adquirida a habitação própria permanente.

1. O SEGUNDO aceita a venda, destinando a fracção adquirida a habitação própria permanente.
2. O Comprador utilizou no pagamento, a quantia de … euros, proveniente de conta “Poupança-Habitação”,
titulada em seu nome, e aberta há mais de um ano, junto do Banco … .

Quinta

1/6

Sétima No presente negócio interveio o mediador imobiliário … ..º … / As partes não recorreram a mediação imobiliária. local: data: assinaturas: 2/6 .º … /registado(a) no Instituto da Construção e do Imobiliário. I. Sexta … não exerceu o respectivo direito legal de preferência. sob o n.compra e venda 1/2011 ____________________ A ficha técnica do imóvel será entregue pelo PRIMEIRO ao SEGUNDO no acto de autenticação do presente contrato. /As partes não recorreram a mediação imobiliária. titular da licença n.P. Sétima No presente negócio interveio F … .º … . Licença AMI n. mediador imobiliário/sociedade de mediação imobiliária.

perante mim. para a compra e venda.P. advertidos de que. advertidos de que a omissão ou a prestação de falsas declarações sobre a intervenção de mediador imobiliário no contrato os faz incorrer na pena prevista para o crime de falsidade de depoimento ou declaração. emitida pela Conservatória … . ver notas”   os elementos registrais da fracção autónoma transmitida por consulta da certidão permanente de registo predial. para a compra e venda. nos termos do disposto no artigo 40. E que.compra e venda 1/2011 ____________________ TERMO DE AUTENTICAÇÃO No dia … . licença AMI n. declararam ainda que. que exprime a sua vontade [e/ou a vontade do seu Representado].º … / não recorreram a mediação imobiliária. compareceram: sobre a identificação das partes [vendedor e comprador]. que exibiram.º 1 do artigo 50.º … Instituto da Construção e do Imobiliário.º … /por certidão do teor da descrição e das inscrições em vigor. mediação imobiliária prestada por … .º 348. para autenticação.º da Lei n. E que. declarando que já o leram/que estão perfeitamente inteirados do seu conteúdo. demais intervenientes e sobre a verificação da respectiva identidade.º … no recorreram a titular da licença n. Verifiquei:  a identidade das partes … e a qualidade e poderes para o presente acto … 3 . me apresentaram o contrato de compra e venda anexo. /registado(a) sob o n. nos termos do disposto no n.1. … 2 .º do Decreto-Lei n. / não recorreram a mediação imobiliária. com o código de acesso n. declararam ainda que. de 20 de Agosto. sobre a verificação da identidade das partes e demais intervenientes. I. os elementos matriciais por consulta da caderneta predial … /por caderneta predial/certidão do 3/6 . de 8 de fevereiro. recorreram a mediação imobiliária prestada por … . ver notas” que. no dia …. o cliente mediação imobiliária que omita intervenção desta no contrato a de empresa de informação incorre na pena sobre a aplicável ao crime de desobediência previsto no art.º do Código Penal.º 211/2004. em ….º 15/2013.

As partes foram advertidas da anulabilidade/ ineficácia do acto em relação a … por … 10.º … . no valor de …. Exibiram:  alvará de autorização de utilização n. proveniente da conta poupança-habitação que tem naquela instituição bancária. pelo que a respectiva utilização não estava sujeita a licenciamento municipal]. da qual consta que o imóvel foi inscrito na matriz em data anterior a 7 de Agosto 1951/certidão emitida pela … no dia …. comprovativa de que o comprador utilizou na aquisição do imóvel o montante de …. no valor de … .pt/por … . demais intervenientes 11 e da entidade autenticadora] 4/6 . no dia/ certidão de escritura pública. O presente termo de autenticação foi lido e explicado.º …. o alvará de autorização de utilização n. comprovativo do pagamento do imposto do selo da verba 1. º … /caderneta predial emitida no dia …. e o extracto da declaração para a liquidação.casapronta. foi emitido pela Câmara Municipal de ….  documento único de cobrança n. a informação relativa à manifestação da intenção de exercício do direito legal de preferência 4 por consulta do sítio www.1 da tabela geral. comprovativa de que o prédio foi edificado antes de 7 de Agosto de 1951. liquidado no dia … e pago no dia.  declaração emitida pelo Banco … no dia.  a ficha técnica da habitação7. emitido para a fracção autónoma/para o prédio 5 pela Câmara Municipal de …. neste acto entregue ao comprador Ficam arquivados:  documento único de cobrança do imposto municipal sobre as transmissões onerosas de imóveis n.compra e venda 1/2011 ____________________  teor da inscrição matricial/comprovativo da declaração para inscrição ou actualização da inscrição de prédios urbanos na matriz (modelo 1) emitido no dia … . da qual consta que para o prédio/para a fracção autónoma vendida 6. no dia … . em voz alta e na presença simultânea de todos os intervenientes [assinaturas das partes. e o extracto da declaração para a liquidação 8 .º … . liquidado no dia … e pago no dia … . que exibiram. tendo respeitado o prazo contratual mínimo de um ano de imobilização 9.mj.

º do Decreto-Lei n.º do Código Civil). lugar e.º 4).º … /por certidão de registo comercial emitida pela Conservatória de … no dia … . n. 2 nome completo da entidade que autentica o documento.º CCivil). À liquidação do imposto do selo devido pelos actos e contratos previstos na verba 1. a naturalidade.º 18. que exige o consentimento de ambos os cônjuges sempre que se trate de alienação. ou a disposição legal que prevê a sua isenção (art. a apresentação da autorização de utilização nos termos do n. n. perante a entidade que celebrar a escritura ou autenticar o documento particular (n. esta regra não se aplica aos prédios construídos antes da entrada em vigor do RGEU. caso entre ambos não vigore o regime de separação de bens. leitores ou testemunhas. menção da respectiva qualidade. oneração. de 30 de Dezembro. não pode ser transmitida a propriedade de prédio ou fracção destinada à habitação sem que a entidade autenticadora se certifique da existência de ficha técnica da habitação e de que a mesma é entregue ao comprador.º 263-A/2007. a menção deve especificar se a autorização de utilização foi atribuída ao prédio na sua totalidade ou apenas à fracção autónoma a transmitir (n. (c) a venda feita por pais e avós a filhos ou netos.º 1687. se for o caso. não podem autenticar documentos particulares que operem transmissões de bens imóveis sem que lhes seja apresentado o extracto da declaração para liquidação de IMT e imposto do selo.º … [da assembleia geral/do conselho de administração] realizada dia … /por certidão emitida pela Comissão de Mercado de Valores Mobiliários no dia … . Do termo de autenticação devem constar o valor dos impostos e a data da liquidação. tradutores.º do CódigoCivil).º do Decreto-Lei n.º 4. ou que o negócio exclua por sua natureza a possibilidade de conflito de interesses (cfr art. para a alienação. 10 A autenticação não pode ser recusada com fundamento na anulabilidade ou ineficácia do acto. nos actos de transmissão de imóveis é feita sempre menção do alvará de autorização de utilização. disso fazendo menção no termo (cfr art. arrendamento ou constituição de outros direitos pessoais de gozo sobre a casa de morada da família e. 11. de 23 de Julho.º 1). Como exemplo de actos anuláveis destacam-se as seguintes: (a) o negócio celebrado pelo representante consigo mesmo. 6 Certidão de escritura notarial ou outro documento. designadamente. Se o contrato estiver assinado a rogo. a não ser que o representado tenha especificadamente consentido na celebração.º 116/2008. sem o consentimento dos outros filhos ou netos. Já o acto praticado por pessoa sem poderes de representação.º da Portaria n. 7 Nos termos do disposto no artigo 9.º 268. nos prédios submetidos ao regime de propriedade horizontal.º. CIMT). Ou ainda. intérpretes.º 49.º CC). para aquisição de fracções de prédios para habitação própria permanente. da cédula e domicílio profissional. de 3 de Fevereiro.º 27. os encargos do registo predial são reduzidos a metade.º do Decreto--Lei n. peritos. O termo . na redacção dada pelo DecretoLei n.º 3). que arquivo. nem aos prédios sobre os quais exista licença de utilização ou houvesse requerimento apresentado para a respectiva emissão à data da entrada em vigor daquele diploma. oneração.A do Código Civil. com o código de acesso n.1 da tabela geral aplicam-se com as necessárias adaptações. 3 Por consulta da certidão permanente de registo comercial.º 261. não podem ser realizados actos que envolvam a transmissão da propriedade de prédios urbanos ou de suas fracções autónomas sem que se faça prova da existência da correspondente autorização de utilização. este. quando solicitado pelas partes. 11 é ineficaz em relação a São «intervenientes acidentais» os abonadores. com indicação do respectivo número e data de emissão. em nome de outrem.1 Data. ou o respectivo suprimento judicial (cfr art.º). arrendamento ou constituição de outros direitos pessoais de gozo sobre imóveis próprios ou comuns (cfr art. devem constar do termo o nome completo. as regras estabelecidas no CIMT (cfr art. por procuração … / por fotocópia certificada da acta n.º 1535/2008. seja em representação de terceiro.º do mesmo diploma. seja em nome próprio. autêntico ou autenticado. a hora em que se realizou. 8 Os documentos particulares que titulem actos sujeitos a registo predial não podem ser autenticados enquanto não se encontrar pago ou assegurado o imposto municipal sobre as transmissões onerosas de imóveis e o imposto do selo liquidados. De acordo com o artigo 2.º. de 4 de Julho). o estado e a residência do rogado e a menção de que o rogante confirmou o rogo no acto da autenticação.º 25.º 2). (b) os actos praticados contra o disposto no artigo 1682. As entidades e profissionais com competência para autenticar documentos particulares que titulem actos ou contratos sujeitos a registo predial. que exibiram. de 25 de Março. se não for por si ratificado (cfr art.º 1 é dispensada se a existência desta estiver anotada no registo predial e o prédio não tiver sofrido alterações (n. que arquivarão.º. 9 Nos termos do disposto no art.º 281/99. do qual conste ter sido exibido o alvará de autorização de utilização. de 26 de Julho.º 877.º 23. desde que o saldo da conta poupança-habitação seja mobilizado. as partes devem ser advertidas da existência do vício e a advertência feita consignada no termo. Em caso de anulabilidade ou ineficácia do acto. e aplicar-se-á “aos contratos celebrados entre consumidores” caso o prédio urbano destinado a habitação objecto de transmissão já tenha ficha técnica de habitação (art.º 1. 5 Nos termos do disposto no artigo 1. beneficiando a prática de tais actos de um regime de prioridade ou urgência gratuita. acompanhada do correspondente comprovativo de cobrança.º do Decreto-Lei n.º 27/2001.º 68/2004. do Código do Imposto do Selo). ou da sua isenção (n. 4 Nos termos do disposto no art.

de autenticação é assinado também pelo rogado. .