You are on page 1of 7

Sistemas Eletrônicos de ComunicaçãoPráticas CEFET-MG Campus IV Araxá prof. S.

Pithan

1

ATENUADORES
O ganho de um circuito é a relação entre duas grandezas. O ganho de potência é a relação
entre a potência de saída e a potência de entrada, assim como o ganho de tensão é a relação entre a
tensão de saída e a tensão de entrada e ganho de corrente idem para correntes, Equação 1.1 (a), (b) e
(c).
GP 

POUT
PIN

GV 

VOUT
VIN

GI 

I OUT
I IN

(1.1)

A atenuação de um circuito é o inverso do ganho, a atenuação de potência é então o inverso
do ganho de potência (Equação 1.2).
AT  1 / GP 

PIN
POUT

(1.2)

Os atenuadores, como a grande maioria dos circuitos, podem ser representados por
quadripolos que se intercalam entre uma fonte e uma carga, com o intuito de diminuir a potência
entregue a esta mesma carga, figura 1.1.

Figura. 1.1 Atenuadores

Tanto o ganho como a atenuação usualmente são expressos em decibéis, como é aplicado o
logaritmo para o cálculo, há uma redução no fator de escala, visto que a potência pode variar desde
micro watts até dezenas de megawatts. A princípio o decibel foi aplicado para compensar a resposta
exponencial da audição humana.
O ganho de potência em decibéis (dez vezes o Bell) é calculado da relação de potência da
Equação 1.1(a) usando a Equação 1.3, para calcular o ganho de potência a partir das tensões ou
correntes temos que substituir pelas equações de potência correspondentes, admitir que as
impedâncias de saída e entrada do quadripolo são iguais e aplicar as propriedades correspondentes
do logaritmo, resultando as Equações 1.4 (a) e (b).
P
(1.3)
GdB  10 log OUT
PIN
2

GdB  10 log

VOUT / ROUT
2

VIN / RIN
I OUT  ROUT
2

GdB  10 log

I IN  RIN
2

 20 log

VOUT
VIN

(1.4)

I
 20 log OUT
I IN

Aplicando os mesmos raciocínios e propriedades dos logaritmos a atenuação pode-se
escrever as Equações 1.5 (a), (b), (c) e (d).
ATdB  10 log

PIN
POUT

ATdB  20 log

VIN
VOUT

ATdB  20 log

I IN
I OUT

ATdB  GdB

(1.5)

2

Laboratório de Fundamentos de Telecomunicações - 01

Exemplo 1.1: Um circuito atenuador é ligado a um gerador e carga de maneira que as impedâncias
estão todas casadas, respeitando o teorema da máxima transferência de potência. Sendo a atenuação
igual a 8 dB e a tensão de entrada igual a 1000 mVp.

ATdB

V
V
A
V
 20 log IN  log IN  TdB  IN  10
VOUT
VOUT
20
VOUT

VOUT  V IN / 10

AdB
20

 VOUT  V IN 10

 AdB
20

1000.10

8
20

ATdB
20

 398,11 mVp

%-------------------------------------------------------------------------clear all; close all
disp('Exemplo 1')
A_dB = 8; Vin = 1000; syms Vout; % A_dB = 20*log10(Vin/Vout)
% Vout = Vin/(10^(A_dB/20)); % OU Solução Implícita
[Vout]= double(solve(20*log10(Vin/Vout)-8))
%--------------------------------------------------------------------------

Para conectar o quadripolo, no caso atenuador, devemos fazer a impedância de saída do
gerador, igual a impedâncias de entrada da carga e com um simples arranjo de resistores realizar a
atenuação.
Duas classes de atenuadores são, normalmente, utilizados na prática, os atenuadores T e π
representados nas Figuras 1.2 (a) e (b) e Equações (1.6) (a), (b), (c), (d) e (e) determinam os valores
dos resistores

Figura. 1.2 Atenuadores T e π
Atenuador“ ”

Atenuador “T”
 K 1 
R 1  R2  Z .

 K 1

 K 1
R 1  R3  Z .

 K 1 

 K 
R3  2Z . 2

 K 1

R2 
K  10

Z  K 2 1

.
2  K 

(1.6)

Ad B
20

Exemplo 1.2: Sendo AdB = 40 dB e ZG  ZI  ZO  Z L  600 . Achar os valores dos resistores
para os atenuadores T e π como representados na figura 1.2.
Solução:
AdB

K  10 20

40

 10 20  100

 K 1
T : R1  R2  Z .
  588,1188 
 K  1
 K 
R3  2 Z . 2
  12,0012 
 K 1

01 -Atenuadores

π:

3

 K  1
R1  R3  Z .
  1612,1212 
 K 1
R2 

Z
2

 K 2 1
 
.
 K 

29997 

%-------------------------------------------------------------------------clear all; close all;
disp('Exemplo 2') % Atenuador ? definir as variáveis.
A_dB = 40; Z = 600;
k_T=10^(A_dB/20);
k_T
R1_T = Z*(k_T -1)/(k_T+1); R2_T = R1_T;
R1_T
R3_T = 2*Z*k_T /(k_T ^2-1);
R3_T
% Atenuador T
k_PI = 10^(A_dB/20);
k_PI
R1_PI = Z*(k_PI+1)/(k_PI-1); R3_PI = R1_PI; R1_PI
R2_PI = Z/2*((k_PI^2-1)/k_PI);
R2_PI
%--------------------------------------------------------------------------

Outra vantagem de trabalhar com decibéis é na associação de circuitos atenuadores e
amplificadores, quando ligados em série (cascata) como na Figura 1.3 do Exemplo 1.3 para calcular
o ganho (atenuação) da associação partindo dos ganhos individuais teríamos que determinar a
tensão na saída de cada circuito e aplica-la para determinar a tensão na saída do circuito
subsequente. No caso dos valores em decibéis basta somar algebricamente os valores.
Exemplo 1.3 : Calcular a tensão na saída da associação sabendo que a tensão na entrada é V IN =
10mVP e os ganhos são 10dB e -3dB.
1
0
0

G=10 dB

A=3 dB

Solução: Ganho total é 10 - 3= 7 dB
GdB
7
V
GdB  20 log OUT  VOUT  10 20  VIN VOUT  10 20  10  10 3  22,4 mVP
VIN
%-------------------------------------------------------------------------% clear all; close all;
disp('Exemplo 3') % Ganho ou Atenuação total.
G = 10; A = 3;
GT = G - A;
GT
Vout = 10*10^(GT/20); Vout
%-------------------------------------------------------------------------Muitas vezes é vantajoso, para realizar os cálculos, expressar uma única potência em termos de
decibéis. Como referências mais comumente utilizadas são 1W e 1mW resultando o dBW e o dBm.
Exemplo 1.4: A potência rms de um amplificador é 50W. Expressar esta potência em dBW e dBm.
Solução: PdBW = 10log(50W/1W) = 16,9897 dBW
PdBm = 10log(50000mW/1mW) = 46,9897 dBm
Exercícios
(1.1) Sendo AdB = 8 dB e ZG  Z I  ZO  Z L  600  . Calcular os valores dos resistores para os
atenuadores T e π como representados na Figura 1.4.

4

Laboratório de Fundamentos de Telecomunicações - 01

Figura. 1.4(Atenuadores T e π)
Montar (simultaneamente) os atenuadores T e π
(aproximados) e preencher as quatro tabelas .

Atenuador  T

R1

R2

com valores das resistências na prática

R3 VIn ( mV ) VOut ( mV ) AdB

Calculados
Medidos na simulação

Atenuador  T

R1

R2

R3 VIn ( mV ) VOut ( mV ) AdB

Calculados RPr ática
Medidos
Atenuador  π

R1

R2

R3 VIn ( mV ) VOut ( mV ) AdB

Calculados
Medidos na simulação
Atenuador  π

R1

R2

R3 VIn ( mV ) VOut ( mV ) AdB

Calculados RPr ática
Medidos
%-------------------------------------------------------------------------clear all; close all;
disp('Exercício 1.1') % Atenuador T definir as variáveis.
A_dB = 8; Z = 600; Vin = 1000; % Vout = Vin/k);
k_T=10^(A_dB/20);
k_T
Vout_T = Vin/k_T;
Vout_T
R1_T = Z*(k_T -1)/(k_T+1); R2_T = R1_T;
R1_T
R3_T = 2*Z*k_T /(k_T ^2-1);
R3_T
% Atenuador T
k_PI = 10^(A_dB/20);
k_PI
Vout_PI = Vin/k_PI;
Vout_PI
R1_PI = Z*(k_PI+1)/(k_PI-1); R3_PI = R1_PI; R1_PI
R2_PI = Z/2*((k_PI^2-1)/k_PI);
R2_PI
%-------------------------------------------------------------------------%-------------------------------------------------------------------------% clear all; close all;
disp('Exercício 1.1 Prática') % Atenuador T definir as variáveis.
Z=600; R1_T = 270; R2_T = R1_T; R3_T = 560; Vin = 1000; syms k_T;
[k_T] = double(solve(Z*(k_T-1)/(k_T+1) - R1_T));
k_T
Vout_T = Vin/k_T;
Vout_T

01 -Atenuadores
A_dB_T = 20*log10(k_T);
A_dB_T
R1_PI = 1.5e3; R3_PI = R1_PI; R2_PI = 620 ; syms k_PI;
[k_PI] = double(solve(Z*(k_PI+1)/(k_PI-1)- R1_PI)); k_PI
Vout_PI = Vin/k_PI;
Vout_PI
A_dB_PI = 20*log10(k_PI);
A_dB_PI
disp('Exercício 1.2 Soma Atenuadores T e Pi Prática')
A_dB = A_dB_T + A_dB_PI; Vin = 1000; syms Vout
[Vout] = double(solve(20*log10(Vin/Vout)-A_dB))
%--------------------------------------------------------------------------

5

(1.2)Associar os dois atenuadores T e π em cascata (série) e também π e T, medir as tensões de
saída e calcular as atenuações.

Atenuador

AdB

resultante
T  π (prática)

VIn ( mV ) VOut ( mV )

π  T (prática)
(1.3) Achar a tensão de saída para o circuito com os ganhos especificados.

VIN  100mV

1
0

VOUT 

0

G=-10dB

ATdB  10 log

PIN
POUT

ATdB

mV

G=19dB

Formulário
V
I
 20 log IN
ATdB  20 log IN
VOUT
I OUT

ATdB  GdB

Atenuador“ ”

Atenuador “T”
 K 1 
R 1  R2  Z .

 K 1

 K 1
R 1  R3  Z .

 K 1 

 K 
R3  2Z . 2

 K 1

Z  K 2 1

R2  .
2  K 
Ad B

K  10 20

(1.4 ) Achar o ganho total do circuito em dB e a tensão de entrada (Vin) para a tensão de saída dada
na figura.

6

Laboratório de Fundamentos de Telecomunicações - 01

%-------------------------------------------------------------------------clear all; close all; disp('Exercício 1.4')
Vout=12.7;
GdB=20-3-5+6
Vin=Vout/(10^(GdB/20))
%--------------------------------------------------------------------------

(1.5) Conhecidos os atenuadores puramente resistivos π e T com atenuação 5dB e 9dB
respectivamente, fazer um arranjo com os dois circuitos em cascata, sendo a tensão na entrada igual
à 4/0° Vrms, considerando as impedâncias de entrada e saída iguais a 600Ω. Determinar:
(a) os valores das resistências dos atenuadores π e T
(b) Fazer os arranjos em série necessários, destes atenuadores, para que a tensão na saída seja igual
á 283,18 mVrms (Vout = 283,18 mVrms).
%-------------------------------------------------------------------------% clear all; close all;
disp('Exercício 1.5')
disp('Atenuador PI definir as variáveis')
clear; A_dB_PI = 5; Z = 600; A_dB_T = 9; Vout = 283.18; Vin = 4000;
k_PI = 10^(A_dB_PI/20);
k_PI
R1_PI = Z*(k_PI+1)/(k_PI - 1); R3_PI=R1_PI;
R1_PI
R2_PI = Z/2*((k_PI^2-1)/k_PI);
R2_PI
disp('Atenuador T definir as variáveis')
k_T = 10^(A_dB_T/20);
k_T
R1_T = Z*(k_T - 1)/(k_T + 1); R2_T=R1_T;
R1_T
R3_T = 2*Z*k_T/(k_T^2-1);
R3_T
disp(' Cálculo da atenuação')
A_dB = 20*log10(Vin/Vout);
A_dB
%--------------------------------------------------------------------------

(1.6) Para os circuitos representados nas Figuras 3.1 e 3.2 e Z = 600 Ω. Determinar em dB:
(a) A atenuação dos atenuadores individualmente
(b) A atenuação da associação em cascata
(c) Dobrando os valores de todos os resistores dos dois atenuadores. Calcular novamente os itens (a)
e (b).

Figura 3.1 Atenuador T

Figura 3.2 Atenuador

%-------------------------------------------------------------------------clear all; close all;
disp('Exercício 1.6')
disp('(a) Atenuador T definir as variáveis')
syms k_T k_PI
R1_T = 8.5499; R3_T = 141.9262; Z = 50;
[k_T] = solve(Z*(k_T - 1)/(k_T + 1)- R1_T,k_T );
k_T = double(k_T)
A_dB_T = 20*log10(k_T);
A_dB_T
disp('(b) Atenuador PI definir as variáveis')
R1_PI = 292.4022;
R2_PI = 32.1829;
[k_PI] = solve(Z*(k_PI + 1)/(k_PI - 1)- R1_PI,k_PI); k_PI = double(k_PI)
A_dB_PI = 20*log10(k_PI);
A_dB_PI
disp('(c) Atenuador T definir as variáveis')

01 -Atenuadores 7
syms k_Tc
[k_Tc] = solve(Z*(k_Tc - 1)/(k_Tc + 1)- 2*R1_T,k_Tc ); k_Tc = double(k_Tc)
A_dB_Tc = 20*log10(k_Tc);
A_dB_Tc
disp('(d) Atenuador PI definir as variáveis')
syms k_PId
[k_PId] = solve(Z*(k_PId + 1)/(k_PId - 1)- 2*R1_PI,k_PId); k_PId = double(k_PId)
A_dB_PId = 20*log10(k_PId);
A_dB_PId
%--------------------------------------------------------------------------

(1.7) Conhecidos os dois atenuadores conforme Figura 1 e sendo as impedâncias do gerador, de
entrada, de saída e de carga iguais a 600(Ohm). Determinar o ganho individual e o ganho total do
circuito todos em dB.

%-------------------------------------------------------------------------clear all; close all;
disp('Exercício 1.7')
disp('Atenuador T definir as variáveis')
syms k_T1 k_T2
R1_T1 = 100; R3_T1 = 1.75e3; R1_T2 = 300; R3_T2 = 450; Z = 600;
[k_T1] = solve(Z*(k_T1 - 1)/(k_T1 + 1)- R1_T1,k_T1 ); k_T1 = double(k_T1)
A_dB_T1 = 20*log10(k_T1); G_dB_T1 = - A_dB_T1;
G_dB_T1
[k_T2] = solve(Z*(k_T2 - 1)/(k_T2 + 1)- R1_T2,k_T2 ); k_T2 = double(k_T2)
A_dB_T2 = 20*log10(k_T2);
G_dB_T2 = -A_dB_T2;
G_dB_T2
G_dB = G_dB_T1 + G_dB_T2;
G_dB
%--------------------------------------------------------------------------