4T09

Relatório de Resultados e Informações Financeiras Suplementares
Relações com Investidores
Armando d’Almeida Neto Vice-Presidente e DRI Rodrigo Krause dos Santos Rocha Superintendente de RI

Leonardo Oliveira Analista Sênior de RI Franco Carrion Analista de RI
Hans Melchers Gerente de Planejamento ri@multiplan.com.br Tel: +55 21 3031-5224 Fax: +55 21 3031-5322

Teleconferência
Português 10 de março de 2010 11h00 (Brasília) 09h00 (Nova York) Tel.: +55 (11) 4003-9004 Código: Multiplan Replay: +55 (11) 4003-9004 Código: Multiplan
Inglês 10 de março de 2010 12h30 (Bras ília) 10h30 (Nova York) Tel.: +1 (800) 860-2442 (EUA) Tel.: +1 (412) 858-4600 (fora EUA) Código: Multiplan Replay: + 1 (877) 344-7529 Código: 438359#

4T09
MULTIPLAN ANUNCIA NOI DE R$359,1 MILHÕES EM 2009 COM CRESCIMENTO DE 26,8% SOBRE 2008

MULT3

Rio de Janeiro, 9 de março de 2010 – A Multiplan Empreendimentos Imobiliários S.A. (Bovespa: MULT3), anuncia seus resultados do quarto trimestre e do ano fiscal de 2009. As informações financeiras e operacionais a seguir, salvo onde indicado em contrário, são expressas em Reais (R$), com base em números consolidados, em conformidade com os princípios contábeis adotados no Brasil. Variação 4T09/4T08
FFO Ajustado ▲40.4% NOI ▲28.0% Receita de Locação ▲26.2% Vendas Shopping Centers ▲22.6% EBITDA ▲17.5% FFO Ajustado ▲17.7%

Variação 2009/2008
NOI ▲26.8% Receita de Locação ▲24.0% Vendas Shopping Centers ▲20.5% EBITDA ▲21.2%

DESTAQUES
As vendas dos shopping centers da Multiplan null alcançaram R$2,0 bilhões no 4T09, ficando 22,6% acima das vendas do 4T08. Em 2009, as vendas null aumentaram 20,5%, alcançando R$6,1 bilhões. null As Vendas nas Mesmas Lojas cresceram 10,6% no 4T09, enquanto as Vendas na Mesma Área null aumentaram 12,9%. A Receita denull Locação aumentou 26,2% no 4T09 em relação ao 4T08, e 24,0% em 2009, null contribuindo com R$366,2 milhões para a receita bruta da Multiplan. DESTAQUES O Aluguel nas Mesmas Lojas cresceu 6,5% no FINANCEIROS 4T09, enquanto o Aluguel na Mesma Área aumentou em 7,0%. Ambos os resultados ficaram acima da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que registrou 4,2% (entre 4T09 e 4T08). O Lucro Líquido foi de R$171,5 milhões, representando um aumento de 121,5% no comparativo 2009 sobre 2008. Já no quarto trimestre de 2009, o lucro líquido foi de R$32,9 milhões, o que representa uma queda de 16% sobre o 4T08. O Lucro Líquido Ajustado aumentou 41,6% no 4T09, alcançando R$83,4 milhões. Em 2009, o lucro líquido ajustado totalizou R$243,5 milhões, registrando uma elevação de 16,4% em comparação com o ano anterior. Os dividendos a serem submetidos para aprovação em Assembléia Geral para distribuição aos acionistas somam R$ 60,9 milhões, equivalentes a 37,6% do lucro líquido, deduzida a reserva legal. O FFO Ajustado (Fluxo de Caixa Operacional Ajustado) cresceu 40,4% no trimestre, e 17,7% no ano, alcançando R$283,2 milhões em 2009. O Resultado Operacional Líquido (NOI) somou R$125,4 milhões no 4T09, ficando 28,0% acima do 4T08. No ano de 2009, este resultado aumentou 26,8%, totalizando R$359,1 milhões, e em 2010, deverá beneficiar-se das inaugurações de novas expansões de shopping centers programadas para o ano. O EBITDA aumentou 17,5% na comparação entre o 4T09 e o 4T08, e 21,2% entre 2009 e 2008, alcançando a marca dos R$303,7 milhões. Este índice foi impulsionado por aumentos observados em todos os componentes da receita bruta, em especial nas receitas de locação e estacionamento, que cresceram 24,0% e 41,2%, respectivamente, em 2009. Impacto da Oferta Subseqüente: a Multiplan continua a manter uma relação positiva significativa na posição líquida de caixa (Dívida Líquida/EBITDA igual a -1,2x). O free float aumentou de 24,9% para 36,4% e a liquidez das ações de R$2,3 milhões/dia para R$14,6 milhões/dia, 4T09/4T08.

Projetos em desenvolvimento e eventos recentes: o Anunciados três novos projetos Greenfield: ParkShoppingSãoCaetano e JundiaíShopping (ambos no estado de São Paulo) e VillageMall (no estado do Rio de Janeiro). A Multiplan possui uma participação de 100% nos três projetos, que deverão contribuir para o aumento da ABL própria da Companhia em 99.651 o m² (ou 29% da ABL própria atual). Os três shopping centers deverão proporcionar um NOI combinado no 3 ano de R$118,8 milhões. A Companhia possui outras duas expansões em andamento (no BH Shopping e no ParkShoppingBarigüi) e um shopping center que aguarda aprovação (ShoppingMaceió). o Em novembro foi inaugurado o Shopping Vila Olímpia, em São Paulo, o 13 shopping center detido e administrado pela Multiplan. Com 28.091 m², o novo shopping obteve vendas de R$29,2 milhões e receitas de locação de R$3,2 milhões (participação da MPH) em 37 dias de operação. o A terceira expansão entregue em 2009, ParkShopping Expansão Frontal, foi inaugurada em outubro, acrescentando 8.476 m² à área do shopping center, com 78 novas lojas e uma nova área de estacionamento com 2.100 vagas.
o

2

4T09

MULT3

INDICADORES
null I Indicadores (R$ '000) Financeiros (MTE %) null Receita Bruta null Receita Líquida Despesas de Sede Receita de Locação Receita de Locação/m² Receita de Locação US$/pé² EBITDA Margem EBITDA Core EBITDA Margem Core EBITDA Receita Líquida Operacional (NOI) Receita Líquida Operacional/m² Receita Líquida Operacional US$/pé² Margem Rec. Líquida Operacional Lucro Líquido Ajustado FFO Ajustado FFO Ajustado/m²

DESTAQUES FINANCEIROS

4T09 4T08 187.264 138.129 171.114 125.134 25.946 19.791 123.533 97.923 374 R$/m² 318 R$/m² 19,9 US$/pé² 12,6 US$/pé² 94.198 80.163 55,0% 64,1% 103.362 94.561 70,7% 74,7% 125.438 97.968

Var% ▲35,6% ▲36,7% ▲31,1% ▲26,2% ▲17,6% ▲57,8% ▲17,5% ▼901 p.b ▲9,3% ▼397 p.b ▲28,0% ▲19,4% ▲60,2% ▼32 p.b ▲41,6% ▲40,4% ▲30,9%

2009 574.739 523.105 88.182 366.180 1.173 R$/m² 62,6 US$/pé² 303.721 58,1% 327.216 68,1% 359.127 1.150 R$/m² 61,4 US$/pé² 85,3% 243.525 283.160 907 R$/m²

2008 452.914 411.231 79.121 295.252 1.128 R$/m² 44,8 US$/pé² 250.620 60,9% 282.823 68,5% 283.126 1.081 R$/m² 43,0 US$/pé² 85,1% 209.185 240.599 919 R$/m²

Var% ▲26,9% ▲27,2% ▲11,5% ▲24,0% ▲4,0% ▲39,6% ▲21,2% ▼288 p.b ▲15,7% ▼44 p.b ▲26,8% ▲6,4% ▲42,7% ▲21 p.b ▲16,4% ▲17,7% ▼1,3%

380 R$/m² 318 R$/m² 20,3 US$/pé² 12,6 US$/pé² 88,8% 89,1% 83.407 58.922 93.730 66.768 284 R$/m² 217 R$/m²

Mercado (‘000) Desempenho de Mercado Número de ações Ações Ordinárias Ações Preferenciais Preço médio da ação Preço final da ação Volume médio diário negociado Dólar (US$) final Valor de Mercado Dívida Bruta Caixa Dívida Líquida Lucro/Ação NOI/Ação P/FFO Ajustado(12M) EV/EBITDA(12M) Dívida Líquida/EBITDA(12M) Operação Operacional (100%) ABL Total Final ABL Própria Final ABL Total Ajustada (média) ¹ ABL Própria Ajustada (média) ¹ Vendas Totais (R$„000) Vendas Totais/m² Vendas Totais US$/pé² Vendas nas mesmas lojas/m² Vendas na mesma área/m² Aluguel nas mesmas lojas/m² Aluguel na mesma área/m² Custos de Ocupação ² Aluguel como % das Vendas Outros como % das Vendas Turnover ² Taxa de Ocupação ² Inadimplência (Atraso 29 dias) Perda de Aluguel

4T09 177.699 165.841 11.858 R$ 30,22 R$ 32,45 14.614 R$ 1,74 5.766.347 461.684 827.967 (366.283) R$ 0,96 R$ 2,02 20,36 x 17,78 x (1,21) x

R$ R$

R$ R$

4T08 147.799 119.801 27.999 12,71 12,31 2.276 R$ 2,34 1.819.411 371.542 167.585 203.957 0,52 1,92 7,56 x 8,07 x 0,81 x

Var% ▲20,2% ▲38,4% ▼57,6% ▲137,7% ▲163,6% ▲542,2% ▼25,5% ▲216,9% ▲24,3% ▲394,1% ▼279,6% ▲84,2% ▲5,5% ▲169,3% ▲120,2% ▼248,2%

2009 177.699 165.841 11.858 R$ 21,59 R$ 32,45 12.544 R$ 1,74 5.766.347 461.684 827.967 (366.283) R$ 0,96 R$ 2,02 20,36 x 17,78 x (1,21) x

R$ R$

R$ R$

2008 147.799 119.801 27.999 17,11 12,31 2.534 R$ 2,34 1.819.411 371.542 167.585 203.957 0,52 1,92 7,56 x 8,07 x 0,81 x

Var% ▲20,2% ▲38,4% ▼57,6% ▲26,2% ▲163,6% ▲394,9% ▼25,5% ▲216,9% ▲24,3% ▲394,1% ▼279,6% ▲84,2% ▲5,5% ▲169,3% ▲120,2% ▼248,2%

4T09 533.741 m² 347.985 m² 494.769 m² 330.490 m² 2.023.848 4.090 R$/m² 218,3 US$/pé² 4.310 R$/m² 4.715 R$/m² 321 R$/m² 361 R$/m² 12,0% 7,8% 4,2% 1,4% 98,9% 0,6% 1,5%

4T08 484.373 m² 330.308 m² 460.410 m² 308.096 m² 1.650.592 3.585 R$/m² 142,5 US$/pé² 3.895 R$/m² 4.178 R$/m² 302 R$/m² 338 R$/m² 12,5% 8,2% 4,4% 2,5% 98,1% 3,7% 0,6%

Var% ▲10,2% ▲5,4% ▲7,5% ▲7,3% ▲22,6% ▲14,1% ▲53,1% ▲10,6% ▲12,9% ▲6,5% ▲7,0% ▼54 p.b ▼39 p.b ▼15 p.b ▼102 p.b ▲81 p.b ▼317 p.b ▲91 p.b

2009 533.741 m² 347.985 m² 482.201 m² 312.287 m² 6.109.019 12.669 R$/m² 676,0 US$/pé² 14.065 R$/m² 14.260 R$/m² 1.088 R$/m² 1.152 R$/m² 14,5% 8,1% 6,4% 6,2% 96,5% 2,7% 0,9%

2008 484.373 m² 330.308 m² 407.503 m² 261.845 m² 5.071.404 12.445 R$/m² 494,7 US$/pé² 13.119 R$/m² 13.049 R$/m² 995 R$/m² 1.051 R$/m² 13,1% 8,1% 5,0% 5,3% 96,6% 3,6% 0,9%

Var% ▲10,2% ▲5,4% ▲18,3% ▲19,3% ▲20,5% ▲1,8% ▲36,6% ▲7,2% ▲9,3% ▲9,4% ▲9,7% ▲143 p.b ▲05 p.b ▲139 p.b ▲91 p.b ▼07 p.b ▼94 p.b ▲02 p.b

¹ ABL ajustada é a média da ABL do período excluindo 14 mil m² do supermercado BIG no BarraShoppingSul. ² Desconsiderando o Shopping SantaÚrsula, BarraShoppingSul e o Shopping VilaOlímpia.

3

4T09

MULT3

MENSAGEM DO PRESIDENTE
Prezados investidores, O ano de 2009, que começou em clima de incerteza e insegurança, terminou de forma memorável para a nossa empresa: investimos R$ 380 milhões em novos empreendimentos e acrescentamos 49 mil metros quadrados de área bruta locável ao nosso portfólio; fizemos um aumento de capital (follow on) em setembro e nossos shopping centers fecharam o ano com um novo recorde de vendas – R$ 6,1 bilhões, sendo pouco mais de R$ 1 bilhão somente no mês de dezembro. A conseqüência desses esforços foi um forte crescimento dos nossos indicadores financeiros no ano passado: o lucro líquido foi de R$ 171,5 milhões, um aumento de 121,5% sobre 2008 e o EBITDA foi de R$ 303,7 milhões, um incremento de 21,2%. FINANCEIROS 574,7 milhões representou um aumento de 26,9% DESTAQUES A receita bruta de R$ sobre 2008. Já o resultado operacional líquido (NOI) chegou a R$ 359,1 milhões, 26,9% a mais do que no ano anterior. O desempenho dos lojistas dos nossos shoppings também merece destaque: as vendas totais dos empreendimentos cresceram 20,5% em 2009 em comparação a 2008. Segundo a Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers), as vendas do setor de shopping centers tiveram um incremento de 18,3% no período, enquanto as vendas do varejo nacional cresceram 5,9% de acordo com o IBGE. Considerando apenas o quarto trimestre do ano passado, as vendas de nossos shoppings atingiram R$ 2 bilhões, 22,6% a mais do que o mesmo período de 2008. O ano foi coroado ainda com a entrega de três expansões (Shopping Anália Franco – SP; RibeirãoShopping – SP e ParkShopping – DF) e com a inauguração de um novo empreendimento: o Shopping Vila Olímpia, na capital paulistana. Também inauguramos uma nova área de estacionamento no ParkShopping, em Brasília, com 2.100 vagas. Com a retomada do crescimento econômico, no segundo semestre de 2009, a Companhia acelerou seu plano de expansão e anunciou um novo empreendimento, o ParkShoppinSãoCaetano, na Grande São Paulo. Para 2010, temos dois novos shoppings em desenvolvimento, o JundiaíShopping, em São Paulo, e o VillageMall, no Rio de Janeiro, além de outros projetos que planejamos anunciar em breve. Os três novos shoppings já lançados (ParkShoppingSãoCaetano, JundiaíShopping e VillageMall), juntamente com o ShoppingMaceió, representam um CAPEX total de R$ 932 milhões e um acréscimo, nos próximos dois anos, de aproximadamente 135 mil metros quadrados à ABL total da companhia, que atualmente é de 533.741 metros quadrados. Para o primeiro ano de operação desses quatro shoppings espera-se uma receita operacional líquida da ordem de R$ 104 milhões apenas no primeiro ano, e, para o terceiro ano, um montante na faixa dos R$ 129 milhões. Considerando as duas expansões em curso – do BH Shopping, em Belo Horizonte, e do ParkShoppingBarigui, em Curitiba, ambas previstas para inaugurar em 2010, a companhia ganhará mais 20 mil m2 de ABL ainda neste ano. A Empresa reforça a sua principal vocação, que é o desenvolvimento de novos shopping centers, com foco prioritário em projetos multiuso, que reúnem torres comerciais, hotéis e prédios residenciais no entorno dos shoppings centers, agregando valor aos empreendimentos e promovendo um forte efeito sinérgico entre serviços e comércio. Temos uma posição de caixa sólida – em dezembro de 2009 nosso caixa era de R$ 828 milhões e nossa dívida bruta, financiada a longo prazo, de R$ 462 milhões. Com a geração de renda expressiva nos shopping centers e financiamentos bancários mais acessíveis, nossa Companhia está em condição vantajosa para investir. Além de desenvolver novos shoppings, continuamos atentos às oportunidades do mercado para eventuais aquisições. Acreditamos fortemente no potencial de crescimento do varejo brasileiro, o que nos dá segurança para acelerar a implementação dos nossos projetos. Obrigado a todos pelo apoio e pela confiança que vêm depositando na Multiplan. José Isaac Peres Presidente

4

4T09
FINANCIAL HIGHLIGHTS
Visão Geral
null

MULT3

A Multiplan é uma das maiores empresas de shopping centers do Brasil e desenvolve, detém e opera um dos null maiores e mais qualificados portfólios de shopping centers. Com 35 anos de experiência no setor, a null Companhia também possui operações estratégicas nos setores de incorporação imobiliária residencial e comercial, gerando sinergias em operações relacionadas a shopping centers, por meio do desenvolvimento de null projetos multiuso em terrenos detidos pela Companhia nas adjacências dos shoppings . Em 31 de dezembro de null 2009, a Multiplan administrava 13 shopping centers próprios, com uma participação média de 65,2%, totalizando uma ABL de 533.741 m², 3.429 lojas e um tráfego anual estimado em 147 milhões de null consumidores, posicionando a Companhia entre as maiores operadoras de shopping centers do Brasil, null segundo a Associação Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE). A Multiplan, com o propósito de controlar e exercer sua excelência em gestão, detém o controle de 10 dos 13 shopping centers que integram seu portfólio, DESTAQUES administrando atualmente todos onde possui uma participação.

FINANCEIROS

Demonstrações Financeiras Consolidadas
(R$ '000) Receitas de locação de lojas Receitas de serviços Receitas de cessão de direitos Receitas de estacionamento Receitas com venda de imóveis Outras receitas Receita Bruta Impostos e contribuições sobre vendas e serviços prestados Receita líquida Despesas de sede Despesas de remuneração baseada em opções de ações Despesas de shopping centers Despesas de projetos Despesas (ou repasse) de estacionamento Custo de imóveis vendidos Resultado de equivalência patrimonial Amortização do ágio Receitas financeiras Despesas financeiras Depreciações e amortizações Outras receitas (despesas) operacionais Lucro antes do imposto de renda, da contribuição social e da participação de minoritários Imposto de renda e contribuição social Imposto de renda e contribuição social diferidos Participação dos acionistas minoritários Lucro líquido EBITDA NOI FFO Ajustado Lucro Líquido Ajustado 4T09 123.533 17.870 7.680 30.771 7.103 307 4T08 97.923 14.521 4.155 21.016 Var. % ▲23,1% ▲84,8% ▲46,4% nd 2009 73.372 26.990 95.332 11.869 997 2008 295.252 66.129 21.242 67.509 2.781 452.914 (41.683) 411.231 (79.121) (1.272) (49.715) (7.331) (29.920) (1.150) 7.003 34.298 (30.754) (31.414) Var. % ▲24,0% ▲11,0% ▲27,1% ▲41,2% ▲326,8% nd ▲26,9% ▲23,9% ▲27,2% ▲11,5% ▲168,6% ▲24,7% ▲162,9% ▲34,9% ▲642,3% nd ▼100,0% ▲5,8% ▲34,6% ▲26,2% ▲164,1% ▲20,8% ▲918,0% nd ▲121,5% ▲21,2% ▲26,8% ▲17,7% ▲16,4% ▲26,2% 366.180

513 ▲1.283,5%

187.264 138.129 (16.149) (12.995) 171.114 125.134 (25.946) (19.791) (1.048) (318)

▲35,6% 574.739 ▲24,3% (51.634) ▲36,7% 523.105 ▲31,1% (88.182) ▲229,6% (3.415)

(15.846) (11.979) (12.214) (13.020) (4.527) (4.575) 19.965 (11.183) (10.323) 259 92.657 (9.627) (50.473) 377 32.934 94.198 125.438 93.730 83.407 (4.322) (8.992) 526 2.311 (8.237) (7.846) 172 35.922 (7.221) 10.764 (248) 39.217 80.163 97.968 66.768 58.922

▲32,3% (62.012) ▲182,6% (19.272) ▲44,8% (40.373) (8.539) nd (20.031) nd ▲763,8% 36.274

(267) ▲1.596,8%

- (30.469)

- (124.708)

▲35,8% (41.388) ▲31,6% (39.635) ▲50,9% 22.440 ▲157,9% 258.973 ▲33,3% (15.458) nd (72.077) nd 11 ▼16,0% 171.449 ▲17,5% ▲28,0% ▲40,4% ▲41,6% 303.721 359.127 283.160 243.525

897 ▲2.401,3% 98.044 (12.800) (7.081) (766) 77.397 250.620 283.126 240.599 209.185

¹ O total da remuneração por opção de compra de ações da Empresa (stock option) para o ano de 2008 foi contabilizado nas demonstrações financeiras do 4T08. Com o objetivo de comparação do 4T09 com o 4T08, a despesa total de R$ 1,3 milhão em 2008 foi dividida igualmente nos quatro trimestres do ano. ² De acordo com a Lei 11,638/07, válida a partir do 1T09, os ágios decorrentes de aquisição deixaram de ser amortizados contabilmente. ³ Maiores informações sobre o efeito dos novos princípios contábeis e impostos diferidos encontram-se na página 6.

5

4T09
Efeito dos Novos Princípios Contábeis

MULT3

Brasil passa por mudanças contábeis rumo à convergência para as normas internacionais A Multiplan, visando à maior transparência e alinhamento de expectativas, tem proativamente apontado o efeito das mudanças contábeis brasileiras em seus relatórios. O objetivo é descrever alguns dos maiores impactos ocorridos em 2009 e dar indicação de outros fatores que poderão influenciar os resultados futuros. Stock Options Em 31 de dezembro de 2008, em atendimento ao CPC10, as despesas com o plano de opções (stock option), anteriormente reconhecidas no resultado quando do exercício das opções, passou a ser mensurada pelo valor justo das opções outorgadas na data das R$ 5 Programa4 respectivas outorgas e reconhecida pela R$ 4 Programa3 Companhia pelo período de aquisição do R$ 4 Programa2 plano (“vesting period”), sendo os efeitos da R$ 3 adoção inicial desse CPC, tomando-se como base a data de transição de 1º de janeiro de R$ 3 2008, registrados de forma retroativa ao R$ 2 início do resultado do exercício que ocorreu a R$ 2 outorga. Vale, no entanto, lembrar que, por R$ 1 se tratar de um plano de opções liquidável e R$ 1 ações, o valor da despesa estipulado na data R$ da outorga não é reajustado.
Milhões

2008

2009

2010

2011

2012

2013

Nesse contexto, o efeito no resultado de 2008 e de 2009 foi de R$1,3 milhão e R$3,4 milhões, respectivamente. Até a presente data, a Companhia fez quatro distribuições de opções, cujos efeitos no resultado encontram-se demonstrados no gráfico a seguir: Reflexo da amortização dos ágios nos impostos diferidos A Companhia possui ágios decorrentes da aquisição da Multishopping Empreendimentos Imobiliários S.A., Bozano Simonsen Centros Comerciais S.A., Realejo Participações S.A., Brazilian Realty, JPL Empreendimentos Ltda., e Solução Imobiliária Ltda., fundamentados em rentabilidade futura. De acordo com as novas normas contábeis, a partir de 1º de janeiro de 2009 esses ágios deixaram de ser amortizados contabilmente, mas continua sendo reconhecido o imposto de renda diferido passivo sobre a diferença entre a base fiscal e o valor contábil dos respectivos ágios. A amortização que deixou de ser contabilizada no exercício 2009 foi de R$113,7 milhões, e os impostos diferidos passivos que foram contabilizados somaram R$38,7 milhões.
Despesas Diferidas Antes Despesas de Sede Depois Despesas de Sede

Ativo diferido Os gastos com projetos, que anteriormente podiam ser capitalizados no ativo diferido, agora devem ser lançados como despesas quando incorridos. Dada a estratégia da Empresa de desenvolver novos shoppings, projetos imobiliários e expansões, a Multiplan aumentou suas despesas, principalmente com marketing, corretagem e estudos de viabilidade. Dado o número de projetos lançados e por lançar em 2010, essas despesas devem sofrer aumentos.

Despesas Diferidas

Despesas de Projeto

Custos/Ativo

Custos/Ativo

Efeito do fim dos Ativos Diferidos

Linearidade da receita de locação A partir do exercício de 2009, a Companhia passou a registrar suas operações com locação de lojas como arrendamentos mercantis operacionais. O valor mínimo do aluguel estabelecido, incluindo os aumentos fixos periódicos previstos nos contratos e excluindo os reajustes inflacionários, é reconhecido na proporção da participação da Companhia em cada empreendimento, em bases lineares durante os prazos dos respectivos contratos, independentemente da forma de recebimento. Tendo em vista o grande número de lojas abertas recentemente, este procedimento levou a receita de aluguel da empresa a aumentar em R$6,0 milhões. O destaque vai para o Shopping BarraShoppingSul que, pelo seu

6

4T09

MULT3
tamanho e ser o primeiro ano de operação, representou mais da metade deste valor, tendo um efeito de R$3,6 milhões. Diferença Tempo 8 8 -2 -2 -12 0

125 120 115 110 105 100 95 90 Ano1

Período Ano1 Ano2 Ano3 Ano4 Ano5 Total

Contrato 100 100 110 110 120 540

Linear 108 108 108 108 108 540

Contrato Linear

Ano2

Ano3

Ano4

Ano5

Exemplo de apropriação linear vs faturamento

Outras mudanças contábeis podem afetar os resultados de 2010 Prevendo questões futuras, a empresa gostaria de antecipar algumas possíveis mudanças contábeis que poderão afetar seus resultados em 2010. Resultado de empreendimentos imobiliários pode ser postergado Em 22 de dezembro de 2009 foi emitida a Deliberação CVM nº 612 que aprovou a Interpretação ICPC 02. Esta interpretação aborda, entre outros aspectos, a contabilização das receitas e dos correspondentes custos das entidades que realizam a incorporação ou construção de imóveis diretamente, ou por meio de subempreiteiras. A Companhia espera que o referido Pronunciamento Técnico produza impactos sobre suas demonstrações financeiras, uma vez que a Empresa adota como prática contábil o reconhecimento das receitas e correspondentes custos das operações de incorporação imobiliária com base no OCPC 01 e, de acordo com o disposto no ICPC 02, os procedimentos para reconhecimento das respectivas receitas e custos deverão ser alterados. Até a presente data, a Companhia apura o resultado de seus empreendimentos imobiliários 120% pelo desenvolvimento físico da obra. Com a Antes 100% aplicação da nova norma contábil, a apropriação Depois do resultado ocorrerá somente no momento da 80% entrega das chaves. Dessa forma, o resultado do 60% Cristal Tower, que deveria ter seu pico junto com o andamento da obra no decorrer de 2010, deverá 40% ser apropriado somente no momento de sua 20% conclusão, em 2011. Outros projetos da empresa, também podem ser afetados caso esta mudança 0% for aprovada, levando as receitas e resultados da Obra ano 1 Obra ano 2 Ano de Conclusão Companhia a serem postergadas.
Exemplo de Apropriação do resultado de projetos imobiliários antes (FísicoFinanceiro) e depois (momento da entrega) dos novos princípios contábeis

Avaliação dos ativos poderia aumentar ativo e patrimônio da empresa substancialmente Em 31 de julho de 2009, foi emitida a Deliberação CVM nº 584, a qual aprovou o CPC 28. O CPC 28 aborda, dentre outros aspectos, os procedimentos a serem aplicados no reconhecimento, mensuração e divulgação de propriedades para investimentos. A Companhia espera que o referido Pronunciamento Técnico produza impactos relevantes sobre suas demonstrações financeiras, uma vez que os shopping centers de propriedade da Companhia possuem a natureza de Propriedades para Investimento, havendo a necessidade de mensuração das respectivas propriedades através de valor justo dos ativos. Em 2009, a Multiplan anunciou uma avaliação feita por consultoria especializada em avaliação de ativos. Tomando-se em consideração apenas a participação da empresa em cada ativo, foi identificada uma grande divergência entre o valor justo de seus ativos e o ativo considerado em seu balanço, em que os shoppings avaliados tinham um valor muito superior.

7

4T09
VENDAS E OPERAÇÕES
Vendas
Vendas nos shopping centers no 4T09 alcançam R$2,0 bilhões
null

MULT3

null As vendas da Multiplan continuaram a apresentar crescimento de dois dígitos, aumentando 22,6% no 4T09, em relação ao mesmo período do ano anterior. Impulsionadas pela inauguração do BarraShoppingSul, em null novembro de 2008, do Shopping Vila Olímpia, em novembro de 2009, e de três novas expansões no segundo null semestre de 2009, as vendas de 2009 alcançaram R$6,1 bilhões, representando um aumento de 20,5% sobre 2008. O null MorumbiShopping se juntou ao BarraShopping ao ser mais um shopping center que ultrapassou a marca de R$1 bilhão em vendas, dado seu crescimento de 11,5% em 2009. Com exceção do New York City null Center e do Shopping SantaÚrsula, todos os shopping centers apresentaram crescimento de dois dígitos no 4T09. DESTAQUES

Enquanto o New York City Center era impactado em 2009 por uma mudança no mix de lojistas que FINANCEIROS acrescentou uma nova loja-âncora e alguns novos restaurantes, o Shopping Santa Úrsula, como já reportado no trimestre anterior, está passando por uma completa mudança em seu mix de lojas e projeto arquitetônico. Esta mudança, que está em fase final, alterou a arquitetura interna melhorando o fluxo de pessoas e a iluminação.
Vendas (R$ '000) Shoppings BHShopping RibeirãoShopping BarraShopping MorumbiShopping ParkShopping DiamondMall New York City Center Shopping AnáliaFranco ParkShoppingBarigüi Pátio Savassi Shopping SantaÚrsula ¹ BarraShoppingSul ² Shopping VilaOlímpia ³ Total
¹ Adquirido em maio de 2008. ² Inaugurado em novembro de 2008. ³ Inaugurado em novembro de 2009.

4T09 206.681 134.032 372.359 325.821 220.702 113.241 41.955 189.277 148.529 81.432 25.177 135.406 29.236 2.023.848

4T08 179.402 115.527 323.019 283.649 183.735 88.001 39.875 136.013 130.004 70.571 29.645 71.152 1.650.592

Var. % ▲15,2% ▲16,0% ▲15,3% ▲14,9% ▲20,1% ▲28,7% ▲5,2% ▲39,2% ▲14,2% ▲15,4% ▼15,1% ▲90,3% ▲22,6%

2009 635.203 412.146 1.147.705 1.003.088 658.024 331.972 139.539 523.877 465.390 253.573 83.822 425.442 29.236 6.109.019

2008 569.387 363.298 1.021.508 899.631 553.150 287.430 141.114 439.675 431.838 218.741 74.480 71.152 5.071.404

Var. % ▲11,6% ▲13,4% ▲12,4% ▲11,5% ▲19,0% ▲15,5% ▼1,1% ▲19,2% ▲7,8% ▲15,9% ▲12,5% ▲497,9% ▲20,5%

+22,6%

Vendas nas Mesmas Lojas ultrapassam 10% As Vendas nas Mesmas Lojas no 4T09 (que incluem apenas lojas em operação há um ano), aumentaram 10,6% nos shopping centers da Multiplan, em relação ao 4T08, enquanto as Vendas na Mesma Área (que considera a mesma área de um shopping center, um ano antes, onde o mix de lojas pode ter sido alterado), cresceu 12,9% no mesmo período. Assim, os varejistas puderam entregar um crescimento acima da média da inflação medida pelo IPCA, de 4,2% no trimestre. Lojas Satélite liderando as vendas no 4T09
+8,8% +4,2% +10,6%

+12,9%

IPCA

Vendas do Vendas nas Vendas na Varejo mesmas mesma area lojas

Vendas

Análise do crescimento de vendas - 4T08 vs 4T09

O índice de Vendas nas Mesmas Lojas das Lojas Âncora manteve um forte ritmo de crescimento, com 10,1% no 4T09, em relação ao quarto trimestre de 2008. Enquanto as Lojas Satélite tiveram um desempenho um ainda melhor, registrando 10,9% de crescimento no mesmo período. Em ambos os casos, o segmento de Serviços contribuiu de modo considerável (Âncoras: +14,1%; Satélites: +18,3%), liderados por cinemas e agências de turismo. O segmento de Diversos contribuiu para o crescimento das vendas das Lojas Satélite (+13,6%), graças à participação das joalherias e farmácias. O segmento de Vestuário das Lojas Âncora também merece destaque (+12,7%).

8

4T09
Vendas nas mesmas lojas (R$) Segmentos Alimentação Artigos Diversos Artigos do Lar e Escritório Serviços Serviços Profissionais Vestuário Portfólio Satélites ▲12,1% ▲13,6% ▲6,9% ▲18,3% ▲4,8% ▲10,3% ▲10,9% 4T09 x 4T08 Âncoras nd ▲5,8% ▲8,9% ▲14,1% nd ▲12,7% ▲10,1% Total ▲12,1% ▲11,7% ▲7,8% ▲15,8% ▲4,8% ▲10,8% ▲10,6% Satélites ▲7,8% ▲8,2% ▲1,3% ▲11,9% ▲11,8% ▲8,2% ▲7,0% 2009 x 2008
Âncoras

MULT3
Total ▲7,8% ▲9,0% ▲2,3% ▲12,2% ▲11,8% ▲8,3% ▲7,2%

n.a. ▲11,2% ▲3,5% ▲12,5% n.a. ▲8,6% ▲7,6%

Vendas em 2009: o mais forte aumento anual dos últimos cinco anos As vendas nos shopping centers da Multiplan registraram aumentos de dois dígitos em todos os meses de 2009. As vendas nacionais do varejo também apresentaram números positivos durante o ano encerrado. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) as vendas nacionais do varejo subiram 8,8% no 4T09, enquanto as vendas dos lojistas Multiplan registraram elevação de 22,6%. Em 2009, as vendas do varejo brasileiro aumentaram 5,9% enquanto as vendas dos lojistas da Multiplan registraram uma elevação de 20,5%. As novas áreas, aliadas ao crescimento orgânico e ao impulso gerado pelos consistentes investimentos em suas propriedades, completam a lista das principais razões para os resultados positivos da Companhia.

Crescimento das Vendas do Varejo 26,0% 20,0% 15,8%
7,0%

Crescimento de Vendas da Multiplan 24,2% 20,2% 12,9%
19,9%

22,6% 16,7%

22,0%

20,6%

22,9%

6,0%

3,8%

1,3%

2,9%

5,7%

6,0%

8,6%

8,6%

9,1%

4,7%

5,0%

jan-09

fev-09

mar-09

abr-09

mai-09

jun-09

jul-09

ago-09

set-09

out-09

nov-09

dez-09

Vendas Multiplan versus Vendas do Varejo no Brasil (mês/mês)

27,9% 19,3% 13,8% 9,2% 4,8% 13,1% 15,1% 9,7%
6,2% 18,7%

20,5%

9,1% 5,9%

-3,7% 2003

2004

2005

2006

2007

2008

2009

Vendas Multiplan vs. Vendas no Varejo no Brasil (ano/ano)

9

4T09
Estudo de caso: Um ano de BarraShoppingSul, um ano de sucesso

MULT3

Este estudo de caso visa a descrever o desenvolvimento do BarraShopping Sul desde seu lançamento, em 2007, ao seu primeiro ano de operação no 2009, além de tecer comentários sobre seu futuro. Focando na liderança No início de 2007, a Multiplan anunciou o lançamento de seu shopping center de referência em Porto Alegre, capital do estado do extremo sul do País, o Rio Grande do Sul. O shopping center segue a estratégia da Multiplan de ser proprietária e administradora dos melhores shopping centers nas cidades em que estiver presente: o projeto foi concebido com uma area bruta locável de quase 70 mil m², quase o dobro da área do concorrente mais próximo e quase do tamanho do maior shopping center da Multiplan (BarraShopping), que já passou por seis expansões até atingir o tamanho de hoje. O projeto do shopping center foi de 153 mil m² de área construída, 250 lojas e mais de 4.600 vagas de estacionamento, tudo 100% de propriedade da Multiplan. Desencadeando o crescimento na região A Empresa desenvolveu o projeto a ser implementado na zona sul de Porto Alegre, no vetor de crescimento da cidade e assim crescer com toda a região tal como tem feito nos 35 anos de existência. O lançamento do projeto acabou provocando uma onda de desenvolvimento nos bairros próximos como resultado dos investimentos feitos pela Multiplan, pelo governo local e outras empresas de construção civil que também lançaram empreendimentos nas áreas próximas ao shopping center. O projeto desencadeou esse processo por causa das sinergias com o BarraShoppingSul identificadas por esses empresários. Outro estímulo adicional forte foram os investimentos da Multiplan na infra-estrutura do bairro, em particular nas vias de acesso no entorno do empreendimento. Este fenômeno permitiu que a Multiplan lançasse seu projeto multi-uso dois meses antes da abertura do shopping, ao invés de dois anos após o lançamento do projeto, como planejado. O primeiro projeto lançado foi a torre de escritórios, construída ao lado do shopping center (Cristal Tower). Lançado e alugado Desde o lançamento o projeto foi bem aceito e uma forte demanda levou a um processo rápido de assinatura das lojas, impulsionado pela qualidade do projeto, o desenvolvimento da região, o esforço dos corretores da Empresa e a confiança dos lojistas depositada na marca. O processo de locação bem-sucedido e o desenvolvimento que tomou conta da região fizeram com que a área se valorizasse, e junto valorizou-se o aluguel das lojas. Um ano após a inauguração, o projeto estava 100% locado graças ao esforço da Empresa em montar um mix de acordo com o perfil dos consumidores. A percepção de que o shopping center iria criar um forte fluxo de consumidores também levou à assinatura de contratos de merchandising dois anos antes do previsto, contribuindo ainda mais para que o projeto superasse o planejado. Chuvas não impedem o sucesso Ao longo dos menos de dois anos de construção, a Empresa fez melhorias no projeto, inclusive com o aumento da área bruta locável. Nem as chuvas recordes que caíram sobre a cidade conseguiram atrasar as obras da

10

4T09

MULT3
Multiplan e impedir seu objetivo de garantir um bom começo aos seus lojistas abrindo o shopping center antes do natal de 2008, dada a importância que essa data tem para o comércio. A Empresa planeja cada shopping center novo para que seja melhor que o anterior, utilizando os 35 anos de experiência acumulada. O projeto deve não só ser o mais atualizado possível, mas também ter o menor custo operacional. O BarraShoppingSul foi agraciado com o prêmio de melhor Projeto Econômico de Refrigeração e iluminação, conferido pela Associação Brasileira de Ar Condicionado e Ventilação. O projeto apresentou uma redução de 40% no consume de energia pelo maior uso de luz natural e menos iluminação artificial sem afetar a refrigeração do edifício. O projeto estava pronto para entregar um grande e moderno novo líder. Maior fluxo de pessoas e maiores receitas O shopping center foi inaugurado em novembro de 2008 e a sua importância foi logo percebida nos meses que se seguiram. A Multiplan, consciente de que os primeiros anos de um shopping center são críticos, fez importantes investimentos específicos para aumentar a já expressiva consciência da sua existência na cidade. a A Multiplan patrocinou a 16 Edição do “Porto Alegre em Cena”, um evento cênico internacional organizado pela Prefeitura de Porto Alegre, além de trazer para a cidade e ao shopping center a exposição “O Corpo Humano: Real e Fascinante” pela primeira vez a Porto Alegre. Estas campanhas aumentaram expressivamente o fluxo de pessoas no shopping e começaram a criar os primeiros “clientes fiéis”. A demanda tem sido tão consistente que a Companhia decidiu dar início à cobrança do estacionamento seis meses após iniciadas as operações e dois anos antes do previsto. Outro resultado importante foi o esforço da administração para promover vendas, que representaram 7,0% do total das vendas do portfólio em 2009, seu primeiro ano de operação, atingindo a marca de R$425,4 milhões, e foram responsáveis por um terço do crescimento das vendas totais da companhia no comparativo 2009 sobre 2008. 2010: uma oportunidade para se superar Desde o seu lançamento, o projeto passou por várias melhorias sendo seu resultado aprimorado pela assinatura de contratos de locação maiores que os esperados, e pelo recebimento de +3,2 M 28,4 M 28,0 M merchandising e de receitas de -0,4 M estacionamento antes do esperado. Isto levou a uma receita líquida operacional no primeiro ano, em 2009, 11,1% maior do que o primeiro 25,2 M valor divulgado sobre o projeto. Este desempenho é ainda mais impressionante quando se consideram que algumas áreas do shopping center abriram ao longo de 2009, e não na inauguração, deixando uma expectativa NOI planejado no 3T07 NOI planejado no 3T08 NOI Real de receita futura da ordem dos R$2 milhões, Resultado Líquido Operacional (NOI) esperado para 2009 que poderiam ter levado o NOI do primeiro ano no 3T07 e 3T08 vs. NOI Real para a casa dos R$30,0 milhões, 19,0% acima das estimativas iniciais.
29, 0 M 28, 0 M 27, 0 M 26, 0 M 25, 0 M

24, 0 M

23, 0 M

Lançamento Abril 2007 Conhecimento para gerar valor Por fim, vale à pena mencionar o valor que o projeto Inauguração Novembro 2008 trouxe para a Empresa, não apenas pela importância Participação Multiplan 100% estratégica sendo o primeiro shopping center da Multiplan na cidade, mas também pelo retorno 2 ABL (m ) 68.041 financeiro que gerou. No final do ano de 2008, logo após a sua abertura, a Empresa contratou uma CAPEX Total (R$ mm) 310,4 consultoria especializada, para fazer uma avaliação (-) Cessão de Direitos (R$ mm) 34,2 do ativo. O BarraShopping Sul foi avaliado em R$573,0 milhões, praticamente mais do que o dobro Investimento Líquido (R$ mm) 276,2 do investimento líquido feito no projeto. A Multiplan (1) tem o conhecimento para desenvolver shoppings de Valor do Ativo (R$ mm) 573,0 referência no Brasil com altos retornos, e o o Retorno NOI 3 ano 16,9% BarraShopping Sul é um dos exemplos da Empresa sobre como ela pretende gerar valor para seus investidores. ¹ De acordo com avaliação da Jones Lang LaSalle em 2008

11

4T09
RECEITAS
Receita Bruta

MULT3

Elevação em todas as receitas, levando a receita bruta a um crescimento de 35,6% no 4T09. null A receita bruta alcançou R$187,3 milhões no 4T09, comparados aos R$138,1 milhões obtidos no mesmo null período do ano anterior. Em 2009, as receitas chegaram a R$574,7 milhões, 26,9% mais elevadas que em 2008, com todas as receitas contribuindo com crescimentos de dois dígitos. A receita de locação, que null representou 2/3 da receita da Multiplan no 4T09, aumentou 26,2% no trimestre, seguida pela receita de null estacionamento, com participação de 16,4% na receita da Companhia, e um crescimento significativo de 46,4% no 4T09. null
null null
+26,2%

S

138.129

DESTA 9.755 3.525 3.349 25.610 QUES FINANCEIR OS +35,6%
Locação Serviços Cessão de Estac. de Lojas direitos

+23,1%

+84,8%

+46,4%

+1.283%

n.a.

6.589

307

187.264

Venda de imóveis 3,8% Receita de estacionamento 16,4%

Receita Bruta 4T08

Venda de Outras imóveis

Receita Bruta 4T09

Cessão de direitos 4,1% Serviços 9,5%

Receita de Aluguel 66,0%
Linearidade 4,9%

Mínimo 81,3%

Abertura de Receita Bruta – (R$’000) Números em negrito referem-se à variação percentual no comparativo 4T08 com 4T09

Merchand. 10,0%

Complementar 3,9%

Abertura de receita bruta % – 4T09

Cabe notar que em todo o relatório, em relação aos resultados do Shopping Vila Olímpia onde a Companhia possui uma participação de 30,0%, será considerada a receita da MPH Empreendimento Imobiliário Ltda., uma companhia holding que detém 71,5% do shopping, na qual a Multiplan possui uma participação de 42,0%. A parcela do resultado detida pelos sócios da MPH será deduzida na rubrica de "participações minoritárias" da demonstração de resultados.

1. Receita de Locação Forte crescimento nas receitas de locação em 2009 Conforme explicado na página 7, o reconhecimento linear da receita de locação beneficiou a rubrica de receitas da Multiplan, com o acréscimo de R$6,0 milhões no 4T09, levando a um crescimento de 26,2% no trimestre. Isto demonstra o efeito positivo das faixas dos contratos sobre as receitas da Companhia. As principais razões para esse efeito foram as novas inaugurações, que 123.533 contaram com diversos lojistas assinando contratos +6.000 +3.227 de locação com cláusulas de reajuste real de aluguel.
130. 000 125. 000 120. 000 115. 000

+13.516

+2.867

Sem considerar o efeito da linearidade, a receita de locação da Multiplan, composta pelo aluguel mínimo, aluguel complementar e receita de merchandising, aumentou 20,0% no 4T09, em relação ao 4T08, ou 22,0% em 2009, em relação ao ano anterior. Nove entre dez shopping centers administrados pela Multiplan apresentaram aumentos em 2009.

110. 000

105. 000

100. 000

97.923 +26.2%

95. 000

90. 000

85. 000

80. 000

Locação 4T08

Orgânico

Expans ões Novos SC's Linearidade

Evolução da receita de locação – 4T09

Locação 4T09

O New York City Center, shopping center voltado para entretenimento e integrado ao BarraShopping, passou por uma alteração no mix de lojistas para melhor atrair novos clientes. Apesar da receita de locação do shopping ter apresentado uma queda de 3.2% em 2009, ele deverá registrar crescimento nos próximos trimestres.

12

4T09
Receita de Locação (R$ '000) BHShopping RibeirãoShopping BarraShopping MorumbiShopping ParkShopping DiamondMall New York City Center Shopping AnáliaFranco ParkShoppingBarigüi Pátio Savassi Shopping Santa Úrsula¹ BarraShoppingSul² Shopping Vila Olímpia³ Sub-Total Portfólio Apropriação de receita de aluguel linear Total
¹ Adquirido em maio de 2008 ² Inaugurado em novembro de 2008 ³ Inaugurado em novembro de 2009

MULT3
4T09 13.237 8.373 20.309 22.841 9.798 8.392 1.555 5.167 8.306 4.674 409 11.244 3.227 117.533 6.000 123.533 4T08 12.841 7.512 17.734 21.600 7.109 7.382 1.563 4.085 7.783 4.387 500 5.427 0 97.923 0 97.923 Var. % ▲3,1% ▲11,5% ▲14,5% ▲5,7% ▲37,8% ▲13,7% ▼0,5% ▲26,5% ▲6,7% ▲6,5% ▼18,2% ▲107,2% n.a. ▲20,0% n.a. ▲26,2% 2009 44.080 27.194 62.570 72.474 27.239 26.619 5.300 15.335 26.112 15.329 1.586 33.114 3.227 360.180 6.000 366.180 2008 39.930 22.630 56.545 67.518 21.638 24.035 5.473 13.341 23.942 13.478 1.275 5.447 0 295.252 0 295.252 Var. % ▲10,4% ▲20,2% ▲10,7% ▲7,3% ▲25,9% ▲10,8% ▼3,2% ▲14,9% ▲9,1% ▲13,7% ▲24,4% ▲508,0% n.a. ▲22,0% n.a. ▲24,0%

Aluguel complementar subiu 45,1% no 4T09 No 4T09 a Multiplan conseguiu elevar o aluguel mínimo em 21,3%, ou 25,7% na comparação entre 2009 e 2008. Maior volume de vendas natalinas ajudaram a Companhia a atingir um crescimento de 45,1% em sua receita de aluguel complementar no quarto trimestre, significando que o aluguel mínimo poderá ser elevado a patamares mais altos futuramente. A receita de merchandising mostrou um crescimento de 1,3% em 2009 sobre 2008, e 3,8% no 4T09 comparado com o 4T08. Isto é explicado em parte pelo restrito orçamento das grandes companhias dedicado à publicidade alternativa, uma das conseqüências da crise de crédito do ano anterior. Finalmente, o efeito do reconhecimento linear da receita de locação, como já explicado, trouxe R$6,0 milhões adicionais à Companhia.
+ 21,3% + 45,1% 1.487

+ 3,8%
454

n.a. 123.533 6.000

17.669
97.923

+ 26,2%

Locação 4T08

Mínimo

Complementar Merchand.

Linearidade Locação 4T09

Abertura do crescimento da Receita de Locação (R$‘000) Números em negrito se referem ao crescimento percentual na comparação entre 4T08 e 4T09

Abertura da Receita de Aluguel (R$'000) BHShopping RibeirãoShopping BarraShopping MorumbiShopping ParkShopping DiamondMall New York City Center Shopping AnáliaFranco ParkShoppingBarigüi Pátio Savassi Shopping SantaÚrsula ¹ BarraShoppingSul ² Shopping Vila Olímpia ³ Total do Portfolio Contab linear Rec. de aluguéis Total
¹ Adquirido em maio de 2008 ² Inaugurado em novembro de 2008 ³ Inaugurado em novembro de 2009

2009 Mínimo 38.552 23.039 55.515 61.345 21.957 23.084 4.492 13.230 21.786 12.264 1.028 29.447 3.191 308.932 6.000 314.932 Complementar 1.103 748 1.590 2.163 1.847 1.372 161 533 803 1.605 9 670 19 12.624 12.624 Merchand. 4.425 3.408 5.465 8.965 3.435 2.164 647 1.572 3.522 1.460 548 2.996 17 38.624 38.624 Mínimo 33.436 18.388 49.580 55.382 17.089 20.387 4.702 10.697 19.516 10.420 1.046 5.141 245.784 245.784

2008 Complementar 1.223 963 1.318 2.007 1.245 1.413 151 624 941 1.245 31 193 11.355 11.355 Merchand. 5.271 3.279 5.647 10.129 3.304 2.235 621 2.019 3.485 1.813 198 113 38.113 38.113

13

4T09
Crescimento da receita de locação da Multiplan mais uma vez com desempenho acima da inflação Conforme apresentado no gráfico abaixo à esquerda, a receita de locação da Multiplan (com crescimento de 26,2% no 4T09), como resultado do crescimento orgânico e da abertura de novas áreas, teve um desempenho significativamente superior ao índice de inflação IPCA (4,2%) e ao índice de reajuste IGPDI (2,9%), seguida pelas receitas de Vendas nas Mesmas Lojas e Vendas na Mesma Área, respectivamente, com aumentos de 6,5% e 7,0% no 4T09. A Companhia reajusta seus contratos de locação com base no índice IGP-DI. Seu efeito no trimestre é medido pela média trimestral da variação do IGP-DI acumulada em 12 meses. O gráfico à direita mostra a contribuição trimestral para o efeito do reajuste do IGP-DI no 4T09.
2,4%

MULT3

0,9%

0,2%

-0,5% 1T09 2T09 3T09 4T09

Abertura do efeito do IGP-DI no 4T09

+26,2%
+3.6

6,5%

+2.3%

4,2% 2,9%

+2,9%

+4,2%

+6,5%

+7,0%

Efeito do Ajuste do IGP-DI ¹

IPCA ²

Aluguel nas Aluguel nas mesmas mesmas lojas areas

Receita de locação

Efeito do Ajuste do IGP-DI ¹

Aluguel nas Mesmas Lojas

IPCA ²

Análise dos Aluguéis 4T09 x 4T08 ¹ Média trimestral da variação do IGP-DI acumulada nos 12 meses. ² Variação média no trimestre

Crescimento real dos Aluguéis nas Mesmas Lojas (SSR)

2. Serviços Aumento devido ao crescimento da ABL A receita de serviços no 4T09 aumentou 23,1% em comparação com o último trimestre de 2008, alcançando R$17,9 milhões (9,5% da receita bruta da Multiplan), ou 11,0% superior na comparação entre 2009 e 2008. O crescimento da ABL gerou um aumento na área de condomínio administrada pela Multiplan em nome de seus lojistas, e, em conseqüência, aumentou a receita de serviços de administração do condomínio. Ainda, o aumento da participação em ABL detida pelos sócios da Multiplan com as novas inaugurações, contribuiu para o aumento da receita de serviços. 3. Cessão de direitos Crescimento liderado por diversos projetos inaugurados em 2009 A receita da Cessão de Direitos (taxa paga pelo lojista pelo direito a um ponto comercial em um shopping center de qualidade) aumentou 84,8% no 4T09, em relação ao 4T08, ou 27,1% na comparação entre 2009 e 2008. No 4T09, a cessão de direitos representou 4,1% da receita bruta, 100 pontos-base acima da participação de 3,0% verificada na receita bruta do 4T08. Em 2009, a receita de cessão de direitos da Multiplan foi positivamente impactada por quatro inaugurações: três expansões (ParkShopping, ShoppingAnaliaFranco e RibeirãoShopping) e a inauguração do Shopping Vila Olímpia (que inclui o valor integral da MPH, a companhia que detém uma participação de 71,5% no shopping). O resultado de exercícios futuros, que registra toda a receita de cessão de direitos a ser reconhecida (lembrete: a cessão de direitos é reconhecida à razão de 1/60 ao mês, considerando um contrato de 60 meses), alcançou R$132,0 milhões em dezembro de 2009.

14

4T09

MULT3

+27.1%
138.788 141.224 121.479 110.183 110.506 126.298 137.099

26.990

21.242

131.976

+84.8%
96.381 81.194 set-07 dez-07 mar-08 jun-08 set-08 dez-08 mar-09 jun-09 set-09 dez-09

7.680

4.155

4T08

4T09

2008

2009

Evolução da receita diferida (R$’000)

Receita da cessão de direitos (R$’000)

Cessão de Direitos recorrentes, relativa à cessão de direitos contabilizada em shopping centers com mais de cinco anos de operação (veja a tabela abaixo), apresentou um forte crescimento no quarto trimestre de 2009, devido às mudanças de mix de lojistas realizadas ao longo do ano, refletindo o esforço da companhia em buscar as melhores operações em seus shopping centers. A taxa de renovação, ou turnover, de 6,2% em 2009, mostrou a eficiência do seu resultado através do maior crescimento dos indicadores de „Mesmas Áreas‟, tanto aluguel quanto vendas, quando comparadas ao critério de „Mesmas Lojas‟, também de aluguel e vendas. A companhia trouxe novas operações para os shopping centers, que apresentaram um melhor desempenho em vendas, que levou a companhia a atingir uma maior receita de aluguel, assim como cessão de direitos ou taxa de transferência das operações.
Receita de CD/Tipo (R$ '000) Operacionais (Recorrentes) Novos projetos abertos nos últimos 5 anos Total do Portfolio 4T09 4.039 3.641 7.680 4T08 2.202 1.953 4.155 Var. % ▲83,4% ▲86,5% ▲84,9% 2009 12.608 14.381 26.990 2008 13.228 8.015 21.242 Var. % ▼4,7% ▲79,4% ▲27,1%

4. Receita de Estacionamento Operações de estacionamento implantadas com sucesso em todos os shopping centers A Multiplan registrou R$30,8 milhões em receitas brutas de estacionamento no 4T09, 46,4% acima do último trimestre de 2008. Em 2009, a receita de estacionamento alcançou R$95,3 milhões, sendo 41,2% mais elevada que no ano anterior. O crescimento foi devido às novas operações de estacionamento no RibeirãoShopping, ParkShopping, BarraShoppingSul e Shopping Vila Olímpia, bem como ao crescimento expressivo de todas as operações já existentes. Considerando apenas as operações de estacionamento existentes no início de 2008, a receita de estacionamento ainda teria aumentado em 25,6% em 2009, na comparação ano-a-ano. O recémaberto Shopping Vila Olímpia, em São Paulo, deu início à cobrança de estacionamento no primeiro dia de operações, pois está localizado em uma área da cidade com intensa atividade comercial. Atualmente todos os shopping centers possuem operação de estacionamento. O ano de 2010 será o primeiro a apresentar receita de estacionamento do portfólio completo.
Receita de Estacionamento (R$'000) BH Shopping RibeirãoShopping BarraShopping MorumbiShopping ParkShopping DiamondMall New York City Center Shopping AnáliaFranco ParkShoppingBarigüi Pátio Savassi Shopping Santa Úrsula ¹ BarraShoppingSul ² Shopping Vila Olímpia³ Total do Portfolio Número de vagas 3.122 2.889 5.097 3.108 3.096 1.289 1.192 4.134 2.338 1.294 824 4.630 1.578 34.591 4T09 2.615 2.015 5.923 6.718 1.770 1.486 1.340 2.816 2.191 1.844 285 1.639 127 30.771 4T08 2.324 5.215 5.606 1.176 1.049 2.212 2.064 1.352 19 21.016 Var. % ▲12,5% n.a. ▲13,6% ▲19,8% n.a. ▲26,4% ▲27,8% ▲27,3% ▲6,2% ▲36,4% n.a. n.a. n.a. ▲46,4% 2009 8.865 4.286 21.262 23.021 1.770 4.851 4.738 8.860 7.576 5.627 737 3.612 127 95.332 2008 7.644 18.601 18.783 4.083 4.075 5.579 4.152 4.573 19 67.509 Var. % ▲16,0% n.a. ▲14,3% ▲22.6% n.a. ▲18,8% ▲16,3% ▲58,8% ▲82,5% ▲23,1% n.a. n.a. n.a. ▲41,2%

¹ Adquirido em maio de 2008 ² Inaugurado em novembro de 2008 ³ Inaugurado em novembro de 2009

15

4T09
5. Venda de Imóveis 76% das unidades do Cristal Tower já vendidas A construção do Cristal Tower, uma torre comercial localizada no terreno do BarraShoppingSul registrou progressos no 4T09, com 76% de suas unidades já vendidas. Estas vendas, juntamente com o progresso da construção, foram responsáveis pelo reconhecimento de R$7,1 milhões em receitas no 4T09, contra R$0,5 milhão no mesmo período do ano anterior. A torre tem entrega programada para maio de 2011, devendo contribuir com o fluxo de clientes do BarraShoppingSul, especialmente em dias de Ilustração da ponte que conectará a Cristal Tower ao BarraShoppingSul semana - como parte da estratégia multiuso, onde projetos de desenvolvimento imobiliário aceleram o processo de consolidação dos shopping centers.

MULT3

1. Despesas de Shopping Centers Crescimento de despesas em linha com as novas inaugurações As Despesas de Shopping Centers aumentaram 32,3% dado que a Multiplan inaugurou o Shopping Vila Olímpia e três expansões, enquanto a receita bruta cresceu 35,6% no mesmo período. Na comparação anual, as despesas foram 24,7% maiores em 2009. A margem NOI da Multiplan foi 88,8% no 4T09, e 85,3% em 2009. A taxa de vacância superior a 30,0% do Shopping Santa Úrsula, que passa por uma importante reformulação em seu mix de lojas, foi responsável por um significativo crescimento nas despesas de condomínio durante 2009. Os gastos de publicidade com a campanha dos 30 anos do BH Shopping e as melhorias na operação de estacionamento em diversos shopping centers também contribuíram para maiores despesas.

DESPESAS S

DESTA QUES Despesas Gerais e Administrativas beneficiadas pelos ganhos de escala FINANCEIR A Multiplan concluiu e entregou quatro projetos no decorrer de 2009 e, OS setembro de 2009, anunciou o lançamento de três novos
2. Despesas Gerais e Administrativas (Sede)

desde sua Oferta Subseqüente em

shopping centers. A Companhia tem agora sete projetos em desenvolvimento (quatro shopping centers, duas expansões e 30% 26.7% uma torre comercial), e uma forte equipe de profissionais altamente qualificados para expandir o portfólio de qualidade 25% da Multiplan. Como anunciado em trimestres anteriores, a Companhia possui sede no Rio de Janeiro e uma filial de 19.2% 20% 16.6% desenvolvimentos em São Paulo. O investimento em pessoal 16.5% e a manutenção de um qualificado e experiente grupo de 15% profissionais da indústria brasileira de shopping centers, é 2006 2007 2008 2009 parte importante da estratégia da Multiplan de treinamento e Evolução das Despesas Gerais e Administrativas/Receita retenção de profissionais de talento. As despesas gerais e Líquida administrativas aumentaram 11,5% em 2009, em comparação com o ano anterior. Ainda assim, a Companhia já apresenta economias de escala com a receita bruta crescendo acima deste número, no trimestre e no ano. 3. Despesas de Estacionamento Todos os shopping centers agora com operações de estacionamento As despesas de estacionamento aumentaram 44,8% no 4T09, enquanto as receitas de estacionamento melhoraram um pouco mais, alcançando 46,4% em relação ao 4T08. A Multiplan implantou em 2009 operações de estacionamento no RibeirãoShopping, ParkShopping, BarraShoppingSul e no Shopping Vila Olímpia. O resultado líquido das operações de estacionamento registrou um crescimento de 47,6% no 4T09, similar à expansão de 46,2% entre 2009 e 2008.

16

4T09
Estacionamento (R$'000) Receita de estacionamento Despesa de estacionamento Receita Líquida de Estacionamento 4T09 30.771 (13.020) 17.751 4T08 21.016 (8.992) 12.024 Var. % ▲46,4% ▲44,8% ▲47,6% 2009 95.332 (40.373) 54.959 2008 67.509 (29.920) 37.589

MULT3
Var. % ▲41,2% ▲34,9% ▲46,2%

4. Projetos Mais projetos anunciados, maiores custos reconhecidos Seguindo a exigência feita pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no pronunciamento CPC 04, as despesas de exercícios futuros de projetos em andamento (como estudos de viabilidade e publicidade) são agora reconhecidos à medida que ocorrem. No 4T09, as despesas com projetos totalizaram R$12,2 milhões, enquanto o mesmo período do ano anterior apurou despesas de R$4,3 milhões. As principais razões para tais despesas em 2009 foram o Shopping Vila Olímpia e o ParkShoppingSãoCaetano. Não incluindo projetos não anunciados, a Companhia possui atualmente sete projetos em andamento: duas expansões (ParkShoppingBarigüi e BH Shopping), quatro shopping centers (ParkShoppingSãoCaetano, JundiaíShopping, Village Mall e ShoppingMaceió) e uma torre comercial localizada em frente ao Cristal Tower. 5. Custo de Imóveis Vendidos A construção do Cristal Tower reconheceu R$4,5 milhões em custos no 4T09 Segundo o método PoC (andamento da obra), os custos são reconhecidos na medida em que avança a construção do Cristal Tower, em Porto Alegre, considerando que mais de ¾ da torre já estão vendidos. Em 2009, a Multiplan reconheceu R$8,5 milhões em custos relacionados ao desenvolvimento da torre comercial, com entrega programada para maio de 2011. Resultado de Equivalência Patrimonial Ajustes finais no Royal Green Península O empreendimento Royal Green Península, composto por dois prédios residenciais construídos pela Multiplan na Barra da Tijuca, entregue no início de 2009, passou por extensas melhorias durante o ano, para que os edifícios atendessem aos exigentes padrões de qualidade da Multiplan. As melhorias incluíram os elevadores, a fachada, as portas, a portaria, a área de estacionamento e a área comum. As oito unidades restantes disponíveis para venda deverão atingir um VGV estimado em R$13,5 milhões. Os investimentos no Royal Green Península serão concluídos no 1T10, e a partir desta data não mais impactarão o resultado da equivalência patrimonial da Multiplan, enquanto as receitas da Companhia serão ainda beneficiadas pelos impactos positivos do empreendimento.

17

4T09
RESULTADOS
Resultado Financeiro, Dívida e Disponibilidades A Multiplan encerrou 2009 com uma dívida líquida negativa (ou uma posição de caixa líquido positivo) de R$366,3 milhões, como resultado da Oferta Subseqüente realizada em setembro de 2009. Em relação ao trimestre anterior, a dívida permaneceu praticamente inalterada, com a dívida bruta crescendo menos de 1,0%. O resultado financeiro no 4T09 foi positivo (ver gráfico à DESTAQUE direita), especialmente devido aos rendimentos da posição de caixa investida, S FINANCEIROS que aumentaram significativamente após a Oferta Subseqüente.
8.782

MULT3

(5.926) 4T08 4T09

Novos Financiamentos Em Dezembro de 2009 a Multiplan celebrou um contrato de financiamento no valor de R$ 38,4 milhões, prazo de quatro anos e meio e custo de TJLP+ 3,53% a.a junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiamento da expansão “frontal” do Park Shopping, em Brasília. O valor de R$36,6 milhões foi liberado para a empresa em Janeiro de 2010. Em novembro de 2009 a Multiplan celebrou um financiamento de R$ 102,4 milhões, prazo de 10 anos com carência+amortização e custo de TR+10% a.a para financiamento da expansão do BH Shopping. Em Janeiro de 2010 o valor de R$60,8 milhões foi utilizado do referido contrato.
Abertura do Endividamento Dívidas de Curto Prazo Empréstimos e financiamentos Obrigações por aquisição de bens Debêntures 31/12/2009 104.168 41.660 62.122 386 30/9/2009 100.043 43.757 53.398 2.888 Variação % ▲4,1% ▼4,8% ▲16,3% ▼86,6%

Resultado financeiro 4T08 vs 4T09 (R$‟000)

Dívida de longo prazo Empréstimos e financiamentos Obrigações por aquisição de bens Debêntures Dívida Bruta Caixa Dívida Líquida (Caixa Líquido)

357.516 130.035 127.481 100.000 461.684 827.967 (366.283)

358.125 135.660 122.465 100.000 458.168 796.794 (338.625)

▼0,2% ▼4,1% ▲4,1% ▼0,0% ▲0,8% ▲3,9% ▲8,2%

100,0 Empréstimos e financiamentos (bancos) Obrigações por aquisição de bens (terrenos e participações) 62,1 41,7 38,0 38,2 21,6 0,4 2010 2011 2012 2013 2014 2015 Debêntures

28,4 20,4

33,1

20,2 16,9

20,0 10,9 9,0 2016 0,6 >=2017

Amortização da dívida em 31 de dezembro de 2009 (R$ milhões)

18

4T09
Indicadores financeiros mostram que a Multiplan está pronta para crescer

MULT3

Os indicadores financeiros pouco se alteraram desde setembro de 2009. A relação Dívida Líquida/EBITDA segue negativa em 1,2x, e a relação Dívida Bruta/EBITDA permanece em 1,5x. A Multiplan possui uma sólida posição de caixa, pronta para sustentar sua estratégia de crescimento e oportunidades de mercado. Com quatro shopping centers, duas expansões e uma torre comercial em desenvolvimento, além de diversos outros projetos sendo avaliados, os indicadores financeiros deverão ser impactados nos próximos trimestres.

Indicadores Financeiros Dívida Líquida (Caixa Líquido) /EBITDA Dívida Bruta/EBITDA Dívida Líquida (Caixa Líquido) /FFO Dívida Bruta/FFO Dívida Líquida (Caixa Líquido) /Patrimônio Líquido Passivo/Ativo Dívida Bruta/Passivo

31/12/2009 -1,2x 1,5x -1,3x 1,6x -13,0% 22,8% 55,2%

30/9/2009* -1,2x 1,6x -1,3x 1,8x -12,4% 22,1% 58,8%
CDI 29%

NãoBancos 41%

Bancos 59%

Endividamento da Multiplan no 4T09

*EBITDA e FFO para os 9M09 equivalem à soma dos 12 meses precedentes.

Diversificação de Índices As taxas de juros da dívida da Multiplan são indexadas principalmente pelo CDI e pela TR. A exposição ao IPCA foi aumentada devido à renegociação da aquisição do terreno do JundiaíShopping.

IGP-M 14%

Pré-Fixado 6%

TR 28%

Outros 1% IPCA 21% TJLP 1%

Índices de dívida Multiplan no 4T09

Indicadores de endividamento em 31 e dezembro de 2009
Curto Prazo Longo Prazo Total Taxa Média de Juros (R$ ‘000) Taxa Média de Juros (R$ ‘000) Taxa Média de Juros (R$ ‘000) 4,69% 4.262 4,50% 1.448 4,64% 5.710 7,40% 31.640 2,55% 63.123 4,17% 94.763 10,00% 20.187 10,00% 109.747 10,00% 129.934 0,78% 1.359 0,78% 2.946 0,78% 4.305 128,97% 16.159 118,60% 115.000 119,88% 131.159 2,99% 5.546 2,96% 59.627 2,96% 65.173 12,00% 22.143 12,00% 5.536 12,00% 27.679 n.d. 2.961 n.d. 1 n.d. 2.961 104.257 357.427 461.684

TJLP IPCA TR CDI + % do CDI IGP-M Pré-Fixado Outros Dívida Líquida

*Taxa media de juros (ponderada) a.a.

(R$ ‘000) TJLP IPCA TR CDI + % do CDI IGP-M Pré-Fixado Outros Total

Desempenho do Índice em 2009 Taxa Média de Juros Índice + taxas Dívida (R$ ‘000) 6,00% 4,31% 0,71% 8,75% 8,75% -1,72% 0,00% -1,22% 3,48% 4,64% 4,17% 10,00% 0,78% 119,88% 2,96% 12,00% 5,37% 10,64% 8,48% 10,71% 9,53% 10,49% 1,24% 12,00% -1,22% 8,84% 5.710 94.763 129.934 4.305 131.159 65.173 27.679 2.961 461.684

*Taxa media de juros (ponderada) a.a.

19

4T09
NOI NOI ultrapassa R$350 milhões em 2009

MULT3

O Resultado Operacional Líquido (NOI) aumentou 26,8% em 2009 em relação a 2008, e 28,0% no 4T09 sobre o 4T08, alcançando R$125,4 milhões no trimestre. A substancial melhora do resultado operacional que engloba as receitas de locação e estacionamento levou o NOI da Companhia a obter um recorde histórico, tanto no trimestre quanto no ano. As margens do 4T09 foram as maiores do ano, mesmo sendo afetas por despesas com marketing, margens mais baixas das novas áreas abertas (em comparação aos shopping centers consolidados), além das despesas com a alteração do mix de lojistas no Shopping SantaÚrsula. Apesar das despesas citadas, a margem NOI em 2009 ficou acima de 2008, atingindo 85,3%. Em relação à margem NOI + Cessão de Direitos (CD), dado que um número menor de projetos foi locado em 4T09, em comparação ao 4T08, menos contratos de CD foram assinados, reduzindo a margem no 4T09. Ainda assim, a companhia conseguiu assinar contratos de CD no montante total de R$36,8 milhões no ano, gerando um NOI + Cessão de Direitos de R$395,9 milhões, com margem de 86,5%.
NOI Locação de Lojas Resultado de Estacionamento Resultado Operacional Despesa de Shopping NOI Margem NOI Contratos de CD assinados NOI + CD Margem NOI + CD 4T09 123.533 17.751 141.284 (15.846) 125.438 88,8% 2.557 127.996 89,0% 4T08 97.923 12.024 109.947 (11.979) 97.968 89,1% 15.127 113.096 90,4% Var. % ▲26,2% ▲47,6% ▲28,5% ▲32,3% ▲28,0% ▼32 p.b. ▼83,1% ▲13,2% ▼144 p.b. 2009 366.180 54.959 421.139 (62.012) 359.127 85,3% 36.793 395.920 86,5% 2008 295.252 37.589 332.841 (49.715) 283.126 85,1% 55.387 338.513 87,2% Var. % ▲24,0% ▲46,2% ▲26,5% ▲24,7% ▲26,8% ▲21 p.b. ▼33,6% ▲17,0% ▼74 p.b.

EBITDA e Core EBITDA O EBITDA alcançou R$303,7 milhões em 2009 O EBITDA da Multiplan registrou um crescimento de 21,2% em 2009 em relação ao ano anterior, alcançando R$303,7 milhões. No quarto trimestre, o EBITDA totalizou R$94,2 milhões, 17,5% acima do 4T08. Este resultado deve-se ao crescimento do negócio principal da Companhia (desenvolvimento e administração d shopping centers), que inclui receitas de locação e estacionamento, as quais aumentaram 24,0% e 41,2%, respectivamente. O EBITDA de 2009 também foi positivamente impactado por uma compensação não recorrente de créditos tributários de PIS/COFINS, originados da aquisição do Bozano Simonsen Centros Comerciais S.A. em 2006.
EBITDA (R$'000) Lucro líquido Imposto de renda e contribuição social Resultado financeiro Depreciações e amortizações Participação dos acionistas minoritários Amortização do ágio Imposto de renda e contribuição social diferidos ¹ EBITDA Margem EBITDA 4T09 32.934 9.627 (8.782) 10.323 (377) (0) 50.473 94.198 55,0% 4T08 39.217 7.221 5.926 7.846 248 30.469 (10.764) 80.163 64,1% Var. % ▼16,0% ▲33,3% n.d. ▲31,6% n.d. n.d. n.d. ▲17,5% ▼901 p.b 2009 171.448 15.458 5.114 39.635 (11) 0 72.077 303.721 58,1% 2008 77.397 12.800 (3.544) 31.414 766 124.708 7.081 250.621 60,9% Var. % ▲121,5% ▲20,8% n.d. ▲26,2% n.d. ▼100,0% ▲918,0% ▲21,2% ▼288 p.b

¹ Devido à aquisição reversa da Bertolino e outras aquisições em 2006.

Core EBITDA perto dos R$330 milhões em 2009 O Core EBITDA da Multiplan, concebido para proporcionar maior transparência e melhor comparabilidade aos números da Multiplan com aqueles de seus concorrentes, cresceu 15,7% em 2009 em relação ao ano anterior, somando R$327,2 milhões. Conforme indica a tabela abaixo, o Core EBITDA considera apenas receitas e despesas relacionadas ao negócio principal da Companhia, ou seja, a propriedade e administração de shopping centers. O cálculo exclui receitas com as vendas de imóveis e inclui apenas despesas relacionadas a shopping centers, inclusive 100% das despesas da sede, como se não houvessem custos relacionados aos empreendimentos imobiliários. A Cessão de Direitos é também reconhecida à razão de 100% na assinatura, para este fim.

20

4T09
Core EBITDA (R$'000) Locação de Lojas Serviços Contratos de CD assinados Receita líquida de estacionamento Imposto Principal Receita principal Despesas de Sede Despesas remuneradas baseadas em opções de ações Despesas de Shopping centers Core EBITDA Margem Core EBITDA 4T09 123.533 17.870 2.557 17.751 (15.510) 146.201 (25.946) (1.048) (15.846) 103.362 70,7% 4T08 97.923 14.521 15.127 12.024 (12.947) 126.649 (19.791) (11.979) 94.561 Var. % ▲26,2% ▲23,1% ▼83,1% ▲47,6% ▲19,8% ▲15,4% ▲31,1% ▲32,3% ▲9,3% 2009 366.180 73.372 36.793 54.959 (50.478) 480.825 (88.182) (3.415) (62.012) 327.216 68,1% 2008 295.252 66.129 55.387 37.589 (41.427) 412.931 (79.121) (49.715) 282.823 68,5%

MULT3
Var. % ▲24,0% ▲11,0% ▼33,6% ▲46,2% ▲21,8% ▲16,4% ▲11,5% ▲24,7% ▲15,7% ▼44 p.b.

(318) ▲229,6%

(1.272) ▲168,6%

74,7% ▼397 p.b

Lucro Líquido e FFO Ajustados FFO ajustado acumula em um ano o suficiente para construir um shopping inteiro O lucro líquido da Multiplan acumulou R$32,9 milhões no último trimestre de 2009, e R$171,4 milhões no ano de 2009, mais que dobrando o lucro registrado no ano anterior. Um dos fatores determinantes para este aumento foi a exclusão da amortização de ágio do resultado da empresa de acordo com as novas práticas contábeis brasileiras. Mas, mesmo considerando o lucro líquido ajustado, que ignora o efeito do imposto de renda e contribuição social diferidos, a Empresa mostrou um crescimento de 16,4%, alcançando o maior lucro líquido ajustado de sua história: R$243,5 milhões. Como já discutido no início deste relatório, o imposto de renda diferido sofreu mudanças, dado que o benefício fiscal decorrente da amortização do ativo intangível foi incluído nesta conta. Adicionalmente, tendo em vista o aumento do lucro da Multiplan, a empresa fez maior uso de suas reservas de impostos diferidos que constam em seu balanço, aumentando esta conta em igual valor. Vale notar que estes impostos não representam um pagamento e sim uma provisão contábil e, por esse motivo são desconsiderados no lucro líquido ajustado da Multiplan. Por fim, adicionada a depreciação ao lucro líquido ajustado, o crescimento é reafirmado no FFO ajustado da empresa com crescimento de 40,4%, no 4T09, acumulando R$93,7 milhões. No ano, o FFO ajustado levou a uma geração de R$283,2 milhões, suficiente para concluir qualquer um dos últimos três projetos anunciados pela Multiplan, revelando a forte geração de caixa da Empresa.
Cálculo do FFO & Lucro Líquido Lucro líquido Amortização do ágio Imposto de renda e contribuição social diferidos ¹ Lucro Líquido Ajustado Depreciações e amortizações FFO Ajustado 4T09 32.934 50.473 83.407 10.323 93.731 4T08 39.217 (10.764) 58.922 7.846 66.768 Var. % ▼16,0% n.d. ▲41,6% ▲31,6% ▲40,4% 2009 171.448 72.077 243.525 39.635 283.160 2008 77.397 124.708 7.081 209.185 31.414 240.599 Var. % ▲121,5% ▼100,0% ▲918,0% ▲16,4% ▲26,2% ▲17,7%

30.469 ▼100,0%

¹ Devido à aquisição reversa da Bertolino e outras aquisições em 2006.

21

4T09

MULT3

DESEMPENHO DA AÇÃO
A ação da Multiplan (MULT3 na BM&FBovespa; MULT3 BZ na Bloomberg) encerrou 2009 cotada a R$32,45/ação, representando uma valorização de 164% em relação ao preço de fechamento em 30 de dezembro de 2008, de R$12,31/ação. O IBOV, principal índice da Bolsa de Valores brasileira, teve uma valorização de 83% no mesmo período.
R$ Mihões

280 260 240 220 200 180 160 140 120 100 80

Volume Médio Diário Negociado

Multiplan

Ibovespa

$35 $30
$25 $20

DESTAQUES FINANCEIROS

$15 $10
$5 $0

dez-08

mar-09

abr-09

jun-09

ago-09

out-09

dez-09

Ações em circulação aumentam de 24,9% em 2008 para 36,4% em 2009 A estrutura acionária da Multiplan, composta pelas ações em circulação no mercado (free float), Multiplan Participações e família controladora, e Ontario Teachers‟ Pension Plan (OTPP) foi impactada pela emissão de ações ocorrida em 2009, resultante da Oferta Subseqüente realizada em setembro. Cabe mencionar que ambos, Multiplan e OTPP aumentaram suas participações na Oferta Subseqüente, apesar de terem suas posições diluídas em vista da maior parte das ações terem sido ofertadas no mercado. Os efeitos positivos na evolução da estrutura acionária podem ser verificados pelo aumento do volume negociado da MULT3 (código da ação da Multiplan na BM&FBOVESPA). Enquanto o volume médio diário negociado no 4T08 correspondia a R$2,3 milhões, este volume no 4T09 saltou para R$14,6 milhões, um aumento de 642%.

14,6 M

+642%

2,3 M

4T08

4T09

Volume médio diário negociado pela MULT3 (R$)

Adm+Tesouraria 0,1%
Free Float 24,9% OTPP 34,7% MTP+Peres 40,2%

Adm+Tesouraria 0,2% Free Float 36,4% OTPP 29.3% MTP+Peres 34,0%

Preferenciais 18,9% Ordinárias 15,8%

Ordinárias 22,7%

Preferenciais 6,7%

Evolução da estrutura acionária da Multiplan de dezembro de 2008 a dezembro de 2009

22

4T09
ESTRATÉGIA DE CRESCIMENTO
Pipeline de projetos em desenvolvimento

MULT3

Crescimento de 38,6% na ABL própria
533.741 m²
552.865 m² 687.986 m² 687.986 m²

17.735 m² 205.694 m² 2.203 m²
185.756 m²

117.386 m² 16.921 m²

DESTAQUES FINANCEIROS
347.985 m²

482.292 m²

ABL Própria: +38,6% ABL Total: +28,9%
Shoppings em operação Expansões em desenvolvimento ABL Própria Shoppings em desenvolvimento ABL de Terceiros Total anunciado

Expansões em desenvolvimento – Expansão do BH Shopping e Expansão II do ParkShoppingBarigui. Shopping Centers em desenvolvimento – ParkShoppingSãoCaetano, JundiaíShopping, VillageMall e Shopping Maceió

Investimento

Investimento total em 2009: R$471,3 milhões A Multiplan investiu R$471,3 milhões em 2009. Os R$55,9 milhões investidos em "renovações e outros" incluem a renovação do Shopping Santa Úrsula, onde a Companhia efetuou grandes mudanças para elevar o shopping ao padrão Multiplan. Vários shopping centers foram renovados com o objetivo de inovar e ajustar seu interior às novas tendências, especialmente nos shoppings com novas expansões entregues em 2009. As novas operações de estacionamento (no BarraShoppingSul, ParkShopping e RibeirãoShopping) demandaram equipamentos, e alguns shoppings receberam sistemas de cobrança mais eficientes.

Plano de Investimento
Shoppings + Expansões + Revitalizações Imobiliário para venda

479,8 M
8,5 M

433,3 M 37,5 M

462,1 M

14,3 M

471,3 M

395,8 M

447,7 M

157,9 M

157,9 M 2009 2010 2011 2012

Os R$275,1 milhões investidos no desenvolvimento de shoppings incluem a construção do Shopping Vila Olímpia, aquisições de terrenos em São Caetano e Jundiaí, despesas com juros relacionados ao terreno da Barra da Tijuca, acabamentos finais no BarraShoppingSul, e gastos menores com novos projetos. As expansões dos shoppings consumiram R$104,9 milhões, e incluem os gastos com as expansões do BH Shopping, RibeirãoShopping, ParkShopping, Shopping AnaliaFranco e ParkShoppingBarigui. Os investimentos nas operações de estacionamento, somando R$35,4 milhões, foram feitos no ParkShopping, onde foi construída uma nova área de estacionamento (deck) acrescentando 2.100 novas vagas ao shopping. A estrutura foi construída de modo reforçado para contemplar a futura construção de duas torres comerciais sobre o deck.
Capex Econômico (R$'000) Renovação & Outros Desenvolvimento de Shopping Expansão de Shopping Estacionamento ParkShopping Total 9M09 36.934 180.039 70.283 30.448 317.704 4T09 18.928 95.056 34.654 4.950 153.588 2009 Descrição (ver acrônimos na página 37) 55.862 275.095 104.937 35.398 471.292 Todos os Shopping Centers, estacionamento e outros SVO, PSC, JDS e outros BHS, RBS, PKS, SAF e PKB Deck Parking PKS e equipamento

23

4T09
Shopping Center – Novos empreendimentos

MULT3

Três novos projetos anunciados: 135 mil m2 de ABL, quase R$ 1 bilhão de CAPEX Desde novembro que a Multiplan vem anunciando novos projetos – todos são 100% investimentos da Multiplan. ParkShoppingSãoCaetano, JundiaíShopping e VillageMall, junto com o ShoppingMaceió, devem 2 2 contribuir para aumentar a ABL total da Multiplan em 135.430 m (ou 117.695 m de ABL própria), com um investimento de R$932 milhões. Mais detalhes desses projetos podem ser encontrados na tabela abaixo e nas páginas seguintes.
Shoppings em construção/Aprovação Projeto ParkShoppingSãoCaetano VillageMall JundiaíShopping ShoppingMaceió Total * Sujeito a aprovação Estado SP RJ SP AL Inaug. Nov-11 Mai-12 Set-12 Out-12* ABL 38.889 m² 25.653 m² 35.418 m² 35.470 m² Participação Multiplan (R$‘000) % Mult. 100,0% 100,0% 100,0% 50,0% CAPEX 260.000 350.000 240.000 82.000 CAPEX Realizado 9% 25% 9% 17% Cessão de Direito 37.200 37.500 21.600 5.500

135.430 m²

86,9%

932.000

16%

101.800

Como indicado na tabela à direita, todos os quatro projetos novos devem gerar uma receita de cessão de direitos (key Money) e R$ 104,2 milhões e uma receita operacional líquida (NOI) de terceiro ano de R$ 128,6 milhões. Em relação à TIR combinada, a taxa de retorno esperada é de 18%. Vale mencionar que os quatro projetos se utilizam dos terrenos do land bank da 2 empresa que foi reduzido dos 960 mil m iniciais para 2 802 mil m .

Retorno dos Projetos
Projeto NOI 1º ano NOI 3º ano TIR ParkShoppingSãoCaetano 35.000 45.800 23,5% VillageMall 36.900 41.300 15,6% JundiaíShopping 24.500 31.700 15,8% Shopping Maceió 7.800 9.800 17,0%

Total

104.200

128.600 18,0%

24

4T09
Projetos Entregues

MULT3

Shopping Vila Olímpia, em São Paulo
O 13º shopping center da Multiplan abriu suas portas para o público em 25 de novembro de 2009. Com um investimento total de R$232,0 milhões (participação da Multiplan: R$97,4 milhões), excluindo a permuta de terreno, o shopping possui 216 lojas e 28.091 m² (dos quais aproximadamente 2.500 m², incluindo uma sala de cinema, serão abertos em segunda fase, em março de 2010). Em 37 dias em operação no 4T09, o shopping center apurou vendas no valor de R$29,2 milhões. O NOI estimado pela Multiplan para o primeiro ano é de R$8,8 milhões, e para o terceiro ano R$10,9 milhões, gerando um retorno NOI esperado para o terceiro ano de 14.0%. O Shopping Vila Olímpia está localizado na Rua Olimpíadas, próximo à Avenida Brigadeiro Faria Lima e à Marginal Pinheiros, constituindo um nova opção de compras, lazer e serviços na região. O shopping center foi construído em uma área com alta densidade de escritórios, hotéis e edifícios residenciais. A proximidade de importantes áreas e vias expressas faz da Vila Olímpia uma região adequada para crescimento continuado nos próximos anos.
Projeto do Shopping Vila Olímpia Interior do Shopping hoje

25

4T09
Expansão do ParkShopping Frontal, em Brasília
O oitava e mais aguardada expansão do shopping center da Companhia em Brasília foi entregue em outubro de 2009. O shopping recebeu 78 novas lojas e adicionou 8.476 m² de ABL. Apesar de ter sido inaugurada apenas 65 dias antes do encerramento do último trimestre de 2009, a expansão sozinha apurou vendas de R$25,8 milhões e uma receita de locação de R$1,8 milhões no 4T09, representando 11,7% das vendas do shopping center e 17,9% de sua receita de locação no mesmo período. Junto com a expansão do ParkShoppingFrontal, um novo estacionamento (deck) foi entregue na mesma data, com 2.100 novas vagas, para melhor acomodar os clientes do shopping center. A estrutura foi construída de modo reforçado para contemplar a futura construção de duas torres comerciais sobre o deck.

MULT3

Acima, imagens internas da expansão do ParkShopping Frontal e abaixo, vista externa no novo estacionamento deck

26

4T09
Projetos Anunciados ParkShoppingSãoCaetano
O ParkShoppingSãoCaetano, o projeto da Multiplan na cidade de São Caetano do Sul, a qual faz parte do ABC Paulista na região metropolitana de São Paulo, foi lançado em 5 de novembro de 2009. A Multiplan possui uma participação de 100% no projeto, que 2 2 inclui uma área construída de 84.300 m , e 38.889 m de ABL com 242 lojas, das quais 15 são lojas âncora, e um estacionamento com 2.031 vagas. O investimento bruto soma R$260 milhões, incluindo o custo do terreno. O NOI estimado pela Multiplan para o primeiro e terceiro anos é R$35,0 milhões e R$45,8 milhões, respectivamente.

MULT3

O projeto ParkShoppingSãoCaetano foi concebido com uma área para futura expansão, que também inclui quatro torres comerciais, com 870 salas para 2 escritório e um centro de convenções com 2.900 m . O conceito do shopping center está incorporado a um projeto multiuso em um novo bairro chamado Espaço Cerâmica, onde outras companhias já desenvolvem projetos imobiliários. O bairro possui uma área de 300 2 mil m destinada a absorver o crescimento da região. Isto inclui um moderno centro residencial e comercial, torres comerciais, empresas de serviços e alta-tecnologia, com o shopping center ao centro. A cidade de São Caetano do Sul foi apontada pelas Nações Unidas como a cidade brasileira com o mais elevado Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

À direita, no alto e abaixo, vemos a perspectiva preliminar do ParkShoppingSãoCaetano, incluindo as torres comerciais a serem desenvolvidas no futuro. Abaixo, à esquerda, a localização do terreno, ao centro do Complexo Espaço Cerâmica.

27

4T09
JundiaíShopping
A Multiplan retomou a locação de lojas no JundiaíShopping, na cidade de Jundiaí, estado de São Paulo. O shopping center terá uma ABL de 35.418 m² (primeira fase), com 193 lojas satélite, 17 lojas âncora e mega stores e 2.079 vagas de estacionamento. A Multiplan possui uma participação de 100% no shopping center. O investimento total está estimado em R$240 milhões, E tem inauguração prevista para setembro de 2012. O projeto do JundiaíShopping está em linha com a estratégia da Companhia de criar complexos multiuso, agrupando diversos empreendimentos no mesmo local (edifícios residenciais, torres comerciais e hotéis, entre outros). Além disso, o projeto inclui duas torres comerciais de 10 andares cada e 13.260 m² de ABL nova para o shopping center, em uma futura expansão. A cidade de Jundiaí possui o 23º maior PIB do Brasil e está situada a apenas 60 km a noroeste da capital do estado, São Paulo. O lote do terreno onde o JundiaíShopping está localizado fica na Avenida Nove de Julho, uma via expressa com fácil acesso de, e para, bairros vizinhos de maior renda. O shopping center atenderá a quatro municípios, além de Jundiaí.

MULT3

Perspectiva do JundiaíShopping, incluindo as torres comerciais planejadas para desenvolvimento futuro

28

4T09
Village Mall
O Village Mall da Multiplan, localizado na cidade do Rio de Janeiro, foi lançado em 4 de fevereiro de 2010. Este shopping center terá 2 uma ABL de 25.653 m , 125 lojas, incluindo 8 lojas âncora e mega-stores, e 1.462 vagas de estacionamento. A Multiplan detém uma participação de 100% no projeto. O investimento estimado do projeto é de R$350 milhões. O NOI de primeiro e terceiro anos deverá ficar em R$36,9 milhões e R$41,3 milhões, respectivamente O shopping tem inauguração prevista para maio de 2012. O Village Mall Shopping Center ficará localizado em uma área privilegiada, no coração da Barra da Tijuca, região com um dos maiores índices de crescimento visto em anos recentes no Rio de Janeiro. O shopping será diferenciado devido à presença de lojas de moda e novas opções de cultura e restaurantes, em um ambiente aberto, valorizando a paisagem vizinha. Estão programados um teatro com 680 lugares, seis salas de cinema com os mais avançados serviços e 2 tecnologias de projeção, um centro de convenções com área de 1.500 m , além de restaurantes com vista para a Lagoa da Tijuca. Este shopping center será um forte complemento ao complexo iniciado pela Multiplan há 30 anos, composto pelo BarraShopping, o New York City Center e pelo Centro Empresarial Barrashopping.

MULT3

Perspectiva preliminar do Village Mall acima e abaixo, à direita, e a localização do terreno, na Barra da Tijuca, abaixo, à esquerda.

29

4T09
ShoppingMaceió
Este projeto está localizado em uma área privilegiada na rota de crescimento da cidade de Maceió. O projeto encontra-se em fase final de aprovação junto às autoridades locais, e prevê um complexo urbano multiuso, 2 em um terreno de 210.000 m , que permite o desenvolvimento de um shopping center, um hotel e área para escritórios e edifícios residenciais.

MULT3

Localização do terreno em Maceió e vista preliminar do projeto: data de lançamento a ser anunciada

Expansões de Shopping Centers
Quase 20.000m² de ABL em novas expansões a serem inauguradas em 2010 A Multiplan inaugurou três expansões em 2009, no Shopping AnáliaFranco, no RibeirãoShopping e no ParkShopping, acrescentando aproximadamente 20.000m² de ABL total. A Empresa vai abrir mais duas expansões em 2010, no BH Shopping e no ParkShoppingBarigui. O primeiro deve contribuir com 11.015m² de ABL para o shopping center, com um CAPEX total de R$128,3 milhões – dos quais aproximadamente R$55 milhões foram destinados para a construção do deck parking no BH Shopping. A segunda expansão, no ParkShoppingBarigui, deve agregar À ABL total da Multiplan 8.110m² a um custo de R$53,7 milhões para a Empresa. Ambas as expansões têm uma media de 92% de suas lojas já locadas e devem gerar R$23,7 milhões de direitos de cessão. A TIR combinada dos dois projetos atinge os 18,2%.
Expansões em desenvolvimento Participação Multiplan (R$‘000)

Project
BHShoppingExp. ParkShoppingBarigüiExp.II Total
* 84% após a inauguração

Inaug.

ABL

% Mult. CAPEX
128,252 53,699 181,950

CAPEX Cessão Realizado de Direito
60% 19% 48% 10,870 12,854 23,724

NOI 1º NOI Lojas ano 3º ano Locadas
11,013 6,669 17,682 12,463 8,156 20,619 98% 85% 92%

IRR
14,1% 28,0%

out/10 11,015m² 80.0% nov/10 8,110m² 100.0%* 19,124m² 88.5%

18,2%

Projetos Futuros
Quatro projetos de expansão já planejados A Empresa tem quarto projetos de expansão planejados e aguardando serem anunciados. Juntos devem agregar uma ABL total da Multiplan de 33.158m², ou 30.232m² considerando a ABL própria. Isto inclui uma grande expansão no BarraShoppingSul, Projetos a serem anunciados em Porto Alegre, que deve aumentar a Project GLA MTE % (constr.) Own GLA ABL do shopping para quase 90.000m², BarraShopping Exp. VII 4,894 m² 51.1% 2,499 m² tornado-se o maior shopping center em 5,299 m² 100.0% 4,769 m² ABL total do portfólio da Multiplan. Os DiamondMall Exp. II* 1,327 m² 60.0% 796 m² projetos estão sujeitos a alterações a ParkShopping Gourmet Exp. qualquer momento, e maiores BarraShoppingSul Exp. I 21,638 m² 100.0% 21,638 m² informações serão divulgadas no Total 33,158 m² 91.2% 30,232 m² momento em que os projetos forem anunciados. * A participação durante a construção será de 100%, passando a 90% após a inauguração.

30

4T09
Projetos Imobiliários

MULT3

Cristal Tower
Área para Venda Lançamento Inauguração Participação VGV estimado (% MTE) Total de unidades % das unidades vendidas 11.912 m
2

Junho de 2008 Maio de 2011 100% R$70 milhões 290 76%

Status: Em construção O empreendimento Cristal Tower, a torre comercial da Multiplan na cidade de Porto Alegre, já possui 76% de suas unidades vendidas e encontra-se em fase de construção. Conforme já mencionado, a torre alia infraestrutura moderna à conveniência de estar conectada a um dos maiores shopping centers da região sul do Brasil, sem mencionar a vista privilegiada do Rio Guaíba. Esta proximidade gera um fluxo de clientes qualificados para o shopping center durante a semana e uma sinergia natural, entre o centro de conferências, localizado no BarraShoppingSul, e o Cristal Tower.

Banco de Terrenos Seis projetos a caminho, e 800 mil m² a serem utilizados Mesmo após os anúncios do ParkShoppingSãoCaetano, JundiaíShopping e VillageMall consumindo 170 mil m², a Multiplan ainda possui 802.108 m² em seu banco de terrenos para futuros projetos. Além disso, a participação no terreno de Campo Grande cresceu para 90% após um contrato de permuta com o sócio.

Local BarraShoppingSul Campo Grande Maceió Jundiaí MorumbiShopping ParkShoppingBarigüi ParkShoppingBarigüi Pátio Savassi RibeirãoShopping São Caetano Shopping AnáliaFranco Total

% 100% 90% 50% 100% 100% 84% 94% 81% 100% 36% 84%

Tipo Residencial, Hotel Residencial, Comercial Residencial, Comercial, Hotel Comercial Comercial Apart-Hotel Comercial Comercial Comercial Residencial

Área do Terreno 12.099 m² 338.913 m² 140.000 m² 4.500 m² 21.554 m² 843 m² 27.370 m² 1.111 m² 200.970 m² 24.948 m² 29.800 m² 802.108 m²

100% Residencial, Comercial, Centro Médico

31

4T09

MULT3

PORTFÓLIO ATUAL
1 10 6 15

5

17

AL 2 7

DESTAQUES FINANCEIROS
11

DF

MG

SP PR 8 RS

3

14 9
12 16 13 4

Em operação

Em desenvolvimento/ aprovação
Vendas 2009 (R$’000) 635.203 412.146 1.147.705 1.003.088 658.024 331.972 139.539 523.877 465.390 253.573 83.822 425.442 29.236 6.109.019 6.109.019 Taxa de Ocupação 99,3% 97,4% 99,3% 99,4% 99,5% 99,5% 99,6% 99,4% 98,6% 99,6% 65,8% 98,0% 87,8% 96,9% 96,9%

Shopping

Estado

% Multiplan

ABL Total (100%) 36.899 m² 46.846 m² 69.318 m² 55.085 m² 51.512 m² 21.360 m² 22.269 m² 50.972 m² 42.986 m² 16.319 m² 24.043 m² 68.041 m² 28.091 m² 533.741 m² 38,889 m² 35,470 m² 35,418 m² 25,653 m² 11.015 m² 8.110 m² 154.245 m² 687.986 m²

Locação 2009 ¹

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

14 15 16 17

SC's em Operação BHShopping MG 80,0% RibeirãoShopping SP 76,2% BarraShopping RJ 51,1% MorumbiShopping SP 65,8% ParkShopping DF 59,6% DiamondMall MG 90,0% New York City Center RJ 50,0% Shopping AnáliaFranco SP 30,0% ParkShoppingBarigüi PR 84,0% Pátio Savassi MG 80,9% Shopping SantaÚrsula SP 37,5% BarraShoppingSul RS 100,0% Shopping VilaOlímpia ² SP 30,0% Sub-Total SC's em Operação 65,2% SC's em Desenvolvimento (% obra) ParkShoppingSãoCaetano SP 100,0% Shopping Maceió AL 50,0% Shopping Jundiaí SP 100,0% Village Mall RJ 100,0% Expansões em Desenvolvimento (% obra) BHShopping Exp. MG 80,0% ParkShoppingBarigüi Exp. II ² PR 100,0% Sub-Total SC's em Desenvolvimento 87,1% Portfólio Total 70,1% ¹ Receita de Locação dividida pela ABL Própria Ajustada (média) ² Participação durante a construção.

1.493 R$/m² 768 R$/m² 1.766 R$/m² 2.003 R$/m² 1.009 R$/m² 1.385 R$/m² 478 R$/m² 1.157 R$/m² 723 R$/m² 1.164 R$/m² 176 R$/m² 616 R$/m² n.a. 1.052 R$/m² 1.052 R$/m²

32

4T09
ESTRUTURA ACIONÁRIA

MULT3

Incorporação de três subsidiárias reduz a estrutura da Companhia Em dezembro de 2009, após a aprovação dos acionistas, a Companhia executou a incorporação de três de suas subsidiárias: Indústrias Lunas S.A., Solução Imobiliária Participações e Empreendimentos Ltda. e JPL Empreendimentos LTDA. Desse modo, a Companhia espera simplificar sua estrutura, seus controles e pagamentos de tributos, dando um maior nível de transparência, consistência e escala em suas operações. Adicionalmente, devido as incorporações, a Multiplan tem o total de R$48,8 milhões relativos a amortização de ágio, que poderá gerar R$16,6 milhões de créditos fiscais. Eventos Subsequentes: A Multiplan emitiu 1.497.773 ações ordinárias (0,83% do capital da empresa) em janeiro de 2010, em razão do exercício do programa de opção de ações, outorgados ao Diretor Presidente da Companhia, Sr. José Isaac DESTAQUES Peres. Em 28 de janeiro de 2010, Sr. Peres vendeu as 1.497.773 ações ao mercado, aumentando o free float e permanecendo, após a vendam detentor, direto e indireto, de 33,8% das ações emitidas pela Multiplan, o que FINANCEIROS leva sua participação na Companhia de volta ao mesmo número de ações detidas anteriormente ao exercício da mencionada opção de ações.

Free Float

22,25%

Maria Helena Kaminitz Peres 0,39% ON 0,36% Total

39,54% ON 36,92% Total

Tesouraria 0,24% ON 0,23% Total

Multiplan Planejamento, Participações e Administração S.A.
77,75%

Ontario Teachers’ Pension Plan
100,00%

34.41% ON 32.14%Total 1,34% ON 1,25% Total

24,07% ON 100,00% PN 29,10% Total

1700480 Ontario Inc.

Jose Isaac Peres
1,00%

Multiplan Administradora de Shopping Centers Ltda. Embraplan Empresa Brasileira de Planejamento Ltda.

99,00%

99,00%

Shopping Centers
100,00%

% 51,07% 100,0% 80,00% 90,00% 65,78% 50,00% 59,63% 84,00% 80,87% 76,17% 30,00% 30,00% 50,00% 37,50% 100,0% 100,0% 100,0% 99,66%

CAA Corretagem e Consultoria Publicitária Ltda. CAA Corretagem Imobiliária Ltda.
MPH Empreend. Imobiliário Ltda. Manati Empreendimentos e Participações S.A. Haleiwa Empreendimentos Imobiliários S.A.

2,00%

SCP Royal Green Península

98,00%

Renasce Rede Nacional de Shopping Centers Ltda.

99,99%

BarraShopping BarraShoppingSul BH Shopping DiamondMall MorumbiShopping New York City Center ParkShopping ParkShoppingBarigüi Pátio Savassi RibeirãoShopping ShoppingAnáliaFranco Shopping Vila Olímpia Shopping Maceió¹ Shopping Santa Úrsula ParkShopping SãoCaetano ² Shopping Jundiaí ² VillageMall ²
¹ Em aprovação ² Em desenvolvimento

41,96%

1

50,00%

2

50,00%

3

1. 2. 3.

MPH Empreendimento Imobiliário: Sociedade de Propósito Específico (SPE) do Shopping Vila Olímpia. Manati Empreendimentos e Participações S.A.: Sociedade de Propósito Específico (SPE) do Shopping Santa Úrsula. Haleiwa Empreendimentos Imobiliários S.A.: Sociedade de Propósito Específico (SPE) do Shopping Maceió.

Programa de recompra de ações Em 3 de fevereiro de 2010, o Conselho de Administração da Companhia aprovou a renovação do Programa de Recompra de Ações da Companhia, encerrado em novembro de 2009, tendo sido mantidos os termos e condições do programa anterior. O propósito do programa é utilizar fundos disponíveis da Companhia para maximizar valor para o acionista, em um prazo máximo de 365 dias, ou até 3 de fevereiro de 2011. Nenhuma aquisição de ações dentro deste segundo programa de recompra foi feita até a presente data. A Companhia adquiriu 340.000 ações ordinárias desde outubro de 2008, quando o primeiro programa foi instituído.

33

4T09
ANEXO I Demonstrações Financeiras Consolidadas
(R$ '000) Receitas de locação de lojas Receitas de serviços Receitas de cessão de direitos Receitas de estacionamento Receitas com venda de imóveis Outras receitas Receita Bruta Impostos e contribuições sobre vendas e serviços prestados Receita líquida Despesas de sede Despesas de remuneração baseada em opções de ações Despesas de shopping centers Despesas de projetos Despesas (ou repasse) de estacionamento Custo de imóveis vendidos Resultado de equivalência patrimonial Amortização do ágio Receitas financeiras Despesas financeiras Depreciações e amortizações Outras receitas (despesas) operacionais Lucro antes do imposto de renda, da contribuição social e da participação de minoritários Imposto de renda e contribuição social Imposto de renda e contribuição social diferidos Participação dos acionistas minoritários Lucro líquido EBITDA NOI FFO Ajustado Lucro Líquido Ajustado 4T09 123.533 17.870 7.680 30.771 7.103 307 4T08 97.923 14.521 4.155 21.016 Var. % ▲23,1% ▲84,8% ▲46,4% nd 2009 73.372 26.990 95.332 11.869 997 2008 295.252 66.129 21.242 67.509 2.781 452.914 (41.683) 411.231 (79.121) (1.272) (49.715) (7.331) (29.920) (1.150) 7.003 34.298 (30.754) (31.414)

MULT3

Var. % ▲24,0% ▲11,0% ▲27,1% ▲41,2% ▲326,8% nd ▲26,9% ▲23,9% ▲27,2% ▲11,5% ▲168,6% ▲24,7% ▲162,9% ▲34,9% ▲642,3% nd ▼100,0% ▲5,8% ▲34,6% ▲26,2% ▲164,1% ▲20,8% ▲918,0% nd ▲121,5% ▲21,2% ▲26,8% ▲17,7% ▲16,4%

▲26,2% 366.180

513 ▲1.283,5%

187.264 138.129 (16.149) (12.995) 171.114 125.134 (25.946) (19.791) (1.048) (318)

▲35,6% 574.739 ▲24,3% (51.634) ▲36,7% 523.105 ▲31,1% (88.182) ▲229,6% (3.415)

(15.846) (11.979) (12.214) (13.020) (4.527) (4.575) 19.965 (11.183) (10.323) 259 92.657 (9.627) (50.473) 377 32.934 94.198 125.438 93.730 83.407 (4.322) (8.992) 526 2.311 (8.237) (7.846) 172 35.922 (7.221) 10.764 (248) 39.217 80.163 97.968 66.768 58.922

▲32,3% (62.012) ▲182,6% (19.272) ▲44,8% (40.373) (8.539) nd (20.031) nd ▲763,8% 36.274

(267) ▲1.596,8%

- (30.469)

- (124.708)

▲35,8% (41.388) ▲31,6% (39.635) ▲50,9% 22.440 ▲157,9% 258.973 ▲33,3% (15.458) nd (72.077) nd 11 ▼16,0% 171.449 ▲17,5% ▲28,0% ▲40,4% ▲41,6% 303.721 359.127 283.160 243.525

897 ▲2.401,3% 98.044 (12.800) (7.081) (766) 77.397 250.620 283.126 240.599 209.185

¹ O total da remuneração por opção de compra de ações da Empresa (stock option) para o ano de 2008 foi contabilizado nas demonstrações financeiras do 4T08. Com o objetivo de comparação do 4T09 com o 4T08, a despesa total de R$ 1,3 milhão em 2008 foi dividida igualmente nos quatro trimestres do ano. ² De acordo com a Lei 11,638/07, válida a partir do 1T09, os ágios decorrentes de aquisição deixaram de ser amortizados contabilmente. ³ Maiores informações sobre o efeito dos novos princípios contábeis e impostos diferidos encontram-se na página 6.

34

4T09
ANEXO II
ATIVO Ativo Circulante Disponibilidades e valores equivalentes Contas a receber Empréstimos e adiantamentos diversos Impostos e contribuições sociais a compensar Imposto de renda e contribuição social diferidos Outros Total Circulante Ativo não Circulante Créditos a receber de empresa relacionadas Contas a receber Terrenos e imóveis a comercializar Empréstimos e adiantamentos diversos Imposto de renda e contribuições social diferidos Outros Investimentos Imobilizado Intangível Diferido Total do Ativo não Circulante Total Ativo PASSIVO Passivo Circulante Empréstimos e financiamentos Aquisição de ações Contas a pagar Obrigações por aquisição de bens Impostos e contribuições a recolher Dividendos a pagar Parcelamento de impostos Receitas diferidas Valores a pagar a partes relacionadas Debêntures Adiantamentos de clientes Outros Total Passivo Circulante Passivo não Circulante Empréstimos e financiamentos Debêntures Obrigações por aquisição de bens Parcelamento de impostos Provisão para contingências Receitas diferidas Total do Passivo não Circulante Participação dos acionistas minoritários Patrimônio líquido Capital social Reserva de Capital Reserva de lucros Gasto com emissão de ações Lucro do Período Ações em Tesouraria Total do Patrimônio líquido Total Passivo 31/12/2009 827.967 115.117 30.985 38.744 68.897 3.483 1.085.193 74 18.028 141.268 9.908 35.256 5.633 15.382 2.022.087 309.475 28.642 2.585.753 3.670.946 31/12/2009 41.660 16 66.762 62.122 24.904 40.521 279 54.279 92.198 386 9.559 1.464 394.150 130.035 100.000 127.481 1.359 5.511 77.698 442.084 12.073 1.745.097 961.691 152.138 (31.663) (4.624) 2.822.639 3.670.946 30/9/2009 796.794 88.549 35.785 34.563 60.382 3.268 1.019.340 2.120 17.781 142.277 12.782 93.980 5.865 14.864 1.875.904 309.729 29.650 2.504.954 3.524.294 30/9/2009 43.757 71.333 53.398 17.591 276 39.642 72.922 2.888 13.346 1.863 317.016 135.660 100.000 122.465 1.415 4.945 97.457 461.943 12.679 1.641.747 960.644 21.292 (24.914) 138.514 (4.624) 2.732.658 3.524.294

MULT3

Variação % ▲4% ▲30% ▼13% ▲12% ▲14% ▲7% ▲6% ▼97% ▲1% ▼1% ▼22% ▼62% ▼4% ▲3% ▲8% ▼0% ▼3% ▲3% ▲4% Variação % ▼5% ▲0% ▼6% ▲16% ▲42% ▲0% ▲1% ▲37% ▲26% ▼87% ▼28% ▼21% ▲24% ▼4% ▼0% ▲4% ▼4% ▲11% ▼20% ▼4% ▼5% ▲6% ▲0% ▲615% ▲27% ▼100% ▲0% ▲3% ▲4%

35

4T09
ANEXO III
Fluxo de Caixa das Operações (R$'000) Fluxo de caixa operacional Lucro líquido do exercício Ajustes Depreciações e amortizações Amortização do ágio Equivalência patrimonial Remuneração baseada em opções de ações Participação de acionistas não controladores Apropriação da receita diferida Atualização de debêntures Atualização de empréstimos e financiamentos Atualizações de obrigações por aquisição de bens Atualização de aquisição de ações Atualizações de empréstimos e adiantamentos diversos Atualização de créditos a receber de partes relacionadas Imposto de renda e contribuição social correntes Imposto de renda e contribuição social diferidos Resultado positivo de controladas não reconhecido anteriormente, e patrimônio líquido negativo de controladas Lucro líquido ajustado Variação dos ativos e passivos operacionais Estoques Contas a receber Impostos a recuperar Impostos diferidos Outros ativos Contas a pagar Amortizações de obrigações por aquisição de bens Impostos e contribuições a recolher Aquisições de ações Parcelamento de impostos Provisão para contingências Receitas diferidas Dividendos pagos Adiantamento de clientes Outras obrigações Fluxo de caixa gerado pelas operações Fluxo de caixa de investimentos Aumento nos empréstimos e adiantamentos diversos (Aumento) redução de créditos a receber com partes relacionadas Recebimento dos juros sobre os empréstimos e adiantamentos concedidos Saldos incorporados de controladas líquido de caixa e equivalente de caixa Pagamento de atualização monetária sobre debêntures (Aumento) redução em investimentos Adições em Imobilizado Adições em diferido Adições (amortização) em ágio Adições em intangível Emissão de Debêntures Fluxo de caixa usado nas atividades de investimento Fluxo de caixa de financiamentos Redução de empréstimos e financiamentos Pagamento de juros dos empréstimos e financiamentos obtidos Aumento (redução) do valor a pagar a partes relacionadas Recompra de ações p/ manutenção em tesouraria Aumento de capital social Gastos com emissão de ações Participação de minoritários Fluxo de caixa gerado pelas atividades de financiamento Fluxo de caixa Disponibilidades e valores equivalentes no início do exercício Disponibilidades e valores equivalentes no final do exercício Variação no caixa 2009 171.448 37.979 20.031 3.415 (811) (26.420) 386 1.149 3.733 (312) 11.138 30.813 2008 77.397 31.414 124,708 (7.003) 1.272 766 (21.242) 6.087 17.009 6.364 (427) (434) 12.800 27.794

MULT3

(873) 251.676 (11.811) (15.854) (18.546) 41.002 (6.087) 11.710 50.599 (11.560) (203) 940 32.099 (20.084) 959 (46) 304.794 (11.777) 1.613 20

437 276.942 (52.647) (20.965) (8.814) (20.714) (1.426) 46.118 (4.023) 3.411 (53.360) (177) 1.208 51.159 8.600 (4.619) 220.693 (23.447) (52) (294)

(12.566) (481.007) (651) (674) 100.000 (405.042) (71.602) 5.876 68.434 (2.696) 792.350 (31.663) (69) 760.630 660.382 167.585 827.967 660.382

32.717 (686.757) (8.011) (6.824) (692.668) 194.987 (3.105) 22.292 (1.928) 10.870 223.116 (248.859) 416.444 167.585 (248.859)

36

4T09
GLOSSÁRIO E ACRÔNIMOS

MULT3

ABC: Área Bruta Comercial, que corresponde ao somatório de todas as áreas comerciais dos shopping centers, ou seja, a ABL somada às áreas de lojas vendidas. ABL: Área Bruta Locável, que corresponde ao somatório de todas as áreas disponíveis para a locação nos shopping centers, exceto quiosques. ABL Própria: ou ABL da Companhia ou ABL Multiplan, refere-se à ABL total ponderada pela participação da Multiplan em cada shopping. Aluguel Complementar: É a diferença (quando positiva) entre o aluguel mínimo e o aluguel com base em porcentagem de vendas, conforme definida em contrato. Aluguel nas Mesmas Áreas/m² (na sigla em inglês SAR): É a relação entre o aluguel faturado em uma mesma área no ano anterior e o ABL da área menos a taxa de vacância. Aluguel nas Mesmas Lojas/m² (na sigla em inglês SSR): Aluguel faturado de lojas em operação há mais de um ano. Aluguel Mínimo (ou Aluguel Base): É o aluguel mínimo do contrato de locação de um lojista. Caso um lojista não tenha contratado um aluguel base, o aluguel mínimo será uma porcentagem de suas vendas. ANBID: Associação Nacional dos Bancos de Investimento. CAGR: Compounded Annual Growth Rate. Taxa Composta de Crescimento Anual. Corresponde à taxa média de crescimento em bases anuais. CDI: Certificado de Depósito Interbancário. Certificados emitidos pelos bancos para geração de liquidez. Sua taxa média de 1 (um) dia, anualizada, é utilizada como referência para as taxas de juros da economia brasileira. Cessão de Direitos (CD): Cessão de Direitos é o valor pago pelo lojista para abrir um ponto comercial em um shopping. O contrato de cessão de direitos, quando assinado, é reconhecido na conta de resultados diferidos e na conta de recebíveis, mas sua receita é reconhecida na conta de receita de cessão de direitos em parcelas lineares, pelo período do contrato de locação após sua abertura. Cessão de Direitos não recorrentes refere-se a contratos de lojas novas em novos empreendimentos ou expansões (inaugurados nos últimos 5 anos). Cessão de Direitos “Operacional” refere-se a lojas que estão se mudando para um shopping já em funcionamento. Core EBITDA: É o EBITDA do negócio principal. Considera a geração de caixa da Companhia relacionada ao seu negócio principal: operações em shopping centers. Custo de Ocupação: É o custo de locação de uma loja como porcentagem das vendas. Inclui o aluguel e outras despesas (despesas de condomínio e fundo promocional). Debênture: instrumento de dívida emitido pelas companhias para captar dinheiro. As debêntures da Multiplan são do tipo não conversíveis, significando que não podem ser convertidas em ações. Além disso, o titular da debênture não tem direito a voto. EBITDA: Lucro (prejuízo) líquido adicionado das despesas com IRPJ e CSLL, resultado não operacional, resultado financeiro, depreciação e amortização, participações minoritárias e despesas não recorrentes. O EBITDA não possui uma definição única, e sua definição pode não ser comparável ao EBITDA utilizado por outras companhias. Economic CAPEX: É a variação apurada entre ativo fixo, ativos intangíveis e despesas diferidas em um período de tempo, acrescida à depreciação e à amortização no mesmo período. Efeito do reajuste no IGP-DI: É a média ponderada do aumento mensal do IGP-DI com um mês de atraso, dividida pela porcentagem da ABL ajustada no respectivo mês. EPS (Earnings per Share): Ganhos por Ação; constitui-se do Lucro Líquido dividido pelo número total de ações da companhia. Estacionamento: A receita de estacionamento é o valor total (100%) da receita cobrada pelos shopping centers. As despesas (transferências) de estacionamento constituem a parcela da receita de estacionamento que deve ser repassada aos parceiros e condomínios da Companhia. FFO Ajustado (Fluxo de Caixa Operacional Ajustado): É a soma do Lucro Líquido Ajustado, depreciação e amortização. Lojas Âncora: Grandes lojas conhecidas do público, com características estruturais e mercadológicas especiais, que funcionam como força de atração de consumidores, assegurando permanente afluência e trânsito uniforme destes em todas as áreas do shopping center. As lojas devem ter mais de 1.000 m² para serem consideradas âncoras. Lojas Satélite: Pequenas lojas, sem características estruturais e mercadológicas especiais, localizadas no entorno das Lojas Âncora e destinadas ao comércio em geral.
Acrônimos: BHS BRS BSS DMM MAC MBS MTE NYCC JDS PKB PKS PSC PSS RBS SAF SSU SVO VIL BH Shopping BarraShopping BarraShoppingSul DiamondMall Shopping Maceió MorumbiShopping Multiplan New York City Center JundiaíShopping ParkShoppingBarigüi ParkShopping ParkShoppingSãoCaetano Pátio Savassi RibeirãoShopping ShoppingAnáliaFranco Shopping Santa Úrsula Shopping Vila Olímpia VillageMall

DESTAQUES FINANCEIROS

37

4T09

MULT3
Lucro Líquido Ajustado: Lucro Líquido Ajustado pelas despesas não recorrentes com o IPO, custos de reestruturação e amortizações de ágio provenientes de aquisições e fusões (incluindo impostos diferidos). Margem EBITDA: EBITDA dividido pela Receita Líquida. Margem NOI: NOI dividido pela receita de locação e lucro líquido de estacionamento. Merchandising: É todo tipo de locação em um shopping não vinculada a uma área da ABL do shopping. Merchandising inclui receitas de quiosques, stands, cartazes, locação de espaços em pilares, portas e escadas rolantes, entre outros pontos de exposição em um shopping. Receitas Diferidas: Cessão de Direitos diferida e despesas com recompra de lojas. Resultado Operacional Líquido (Net Operating Income, ou NOI): Refere-se à soma do resultado operacional (receita de locação e despesas do shopping) e o resultado das operações de estacionamento (receitas e despesas). Impostos sobre receita não são considerados. O NOI+CD também inclui a cessão de direitos de contratos assinados no mesmo período. Taxa de Ocupação: ABL locada dividida pela ABL total TJLP: Taxa de Juros de Longo Prazo – custo usual de financiamento apurado pelo BNDES TR: Taxa Referencial – Taxa média de juros utilizada pelo mercado. Turnover (giro): Consiste na ABL locada no período dividida pela ABL total Vendas: Vendas declaradas pelas lojas em cada um dos shoppings. Vendas na Mesma Área/m² (na sigla em inglês SAS): É a relação entre as vendas em uma mesma área no ano anterior e o ABL da área menos a taxa de vacância. Vendas nas Mesmas Lojas/m² (na sigla em inglês SSS): Vendas de lojas em operação há mais de um ano. Volume Geral de Vendas (VGV): Refere-se ao total de unidades à venda em um empreendimento imobiliário multiplicado pelo valor de tabela de cada uma. Segmentos de Shopping Centers: Praça de Alimentação – Inclui operações de fast food e restaurantes Diversos – Cosméticos, livrarias, cabeleireiros, lojas para animais, etc Utilidades Domésticas e Materiais para Escritório – Lojas de aparelhos eletrônicos, decoração, arte, materiais para escritório, etc Serviços – Centros esportivos, centros de lazer, teatros, salas de cinema, centros médicos, bancos, e etc Vestuário – Lojas de roupas, calçados e acessórios femininos e masculinos

Aviso Legal
Este documento pode conter considerações futuras, que estão sujeitas a riscos e incertezas, uma vez que se baseiam nas expectativas da administração da Companhia bem como nas informações disponíveis. Essas projeções incluem afirmações a respeito das intenções e expectativas atuais de nossa administração. Os leitores/investidores devem estar cientes de que muitos fatores podem afetar nossos resultados fazendo com que sejam materialmente diferentes das projeções contidas nesse relatório. A Companhia não está obrigada a atualizar tais afirmações. As palavras "antecipar“, “desejar“, "esperar“, “prever“, “pretender“, "planejar“, "prognosticar“, “projetar“, “objetivar" e termos similares são utilizados para identificar tais afirmações. As projeções referem-se a eventos futuros que podem ou não vir a ocorrer. Nossa futura situação financeira, resultados operacionais, participação de mercado e posicionamento competitivo podem diferir substancialmente daqueles expressos ou sugeridos em tais projeções. Muitos dos fatores e valores que estabelecem esses resultados estão fora do controle ou expectativa da Companhia. O leitor/investidor é encorajado a não se basear totalmente nas informações acima.

38