A6 O ECO

ENTREVISTA

LENÇÓIS PAULISTA, SÁBADO, 6 DE MARÇO DE 2010
Cristiano Paccola

RODRIGO GARCIA

Perfil
NOME:
Rodrigo Garcia

Visita
política
Deputado estadual e secretário de Kassab, Rodrigo Garcia visita Lençóis e fala sobre política, eleições e administração municipal
VITOR GODINHO O deputado estadual licenciado pelo DEM e Secretário de Gestão da Prefeitura de São Paulo, Rodrigo Garcia esteve em Lençóis Paulista no último sábado para fazer uma visita política ao diretório local do partido. O objetivo, segundo ele, era falar de administração municipal e de um repasse de R$ 300 mil para o novo estádio municipal João Roberto Vagula, o Vagulão, e também de eleições 2010. Em entrevista à imprensa, Rodrigo Garcia defendeu o partido no escândalo do Distrito Federal e disse que o caso é localizado e se restringe a um nome que é governador José Arruda, preso por corrupção com imagens de distribuição de dinheiro e que deve responder a um processo de impeachment. “Não houve mensalão do DEM o que houve foi o mensalão do Arruda”, defendeu. Em seguida, disparou contra o PT. “Qual partido que teve problemas e que prestigiou as pessoas que roubaram dinheiro público? Hoje para mim é o PT. Qual o partido que tendo um problema em seus quadros tomou a atitude e expulsou? Esse é o Democratas”, concluiu Rodrigo Garcia. O deputado falou ainda sobre o trabalho que realiza à frente da Secretaria de Gestão na Prefeitura de São Paulo e sobre o uso da internet para facilitar o acesso aos serviços públicos. Confira a entrevista na íntegra. O ECO – Qual é o motivo da visita do senhor a Lençóis Paulista? Rodrigo Garcia – Olha, hoje é uma visita de cortesia que estou fazendo e o objetivo é conversar com nossos companheiros aqui da cidade, dialogar um pouco sobre a administração municipal. Afinal de contas, o presidente do DEM aqui, Luiz Carlos Trecenti, também é o vice-prefeito de Lençóis. Nós queremos também, enquanto partido, nos colocar à disposição para colaborar com a administração da prefeita Bel (Lorenzetti/ PSDB), enfim, é uma reunião política para falar de administração como também de eleições 2010. O ECO – E o posicionamento do DEM nas eleições de 2010, já está definido? Rodrigo Garcia – Nós temos a convicção de apoio à campanha presidencial do candidato José Serra (PSDB), nós esperamos que ele aceite esse desafio de disputar a presidência da República e vamos, portanto, estar coligados com o PSDB numa eleição nacional e vamos estar coligados também no plano estadual a um candidato indicado pelo PSDB. O ECO – O senhor está trazendo novidades para Lençóis, parece que tem uma verba reservada para a cidade? Rodrigo Garcia – Olha, o Trecenti (Luiz Carlos), junto com toda Executiva do partido, vem solicitando apoio através de emendas parlamentares, discutimos recursos para a pavimentação da entrada do distrito industrial, mas o que parece que ficou estabelecido e nós vamos fechar agora nesta conversa é o apoio a conclusão do campo de futebol, ou algumas melhorias no campo. (O deputado se refere estádio municipal João Roberto Vagula, o Vagulão, na Núcleo). O valor que eles estão nos solicitando para essa parte é de aproximadamente R$ 300 mil O ECO – Em recente convenção, o PT lançou o nome de Dilma Roussef como candidata do partido à presidência da República. O senhor acha que a indecisão de Serra em se lançar como candidato pode atrapalhar sua campanha? Rodrigo Garcia – De forma nenhuma, eu não levo para o lado da indecisão, José Serra é governador do Estado de São Paulo e está trabalhando para nosso Estado e o momento de discutir eleição é quando a lei determina, que é a partir do mês de abril, quando aqueles que vão disputar eleição têm que deixar os seus cargos. Então eu acho que o governador José Serra está certo, ao contrário do PT que faz campanha e a Dilma se coloca como candidata. No momento certo, ele tomando a decisão vai dialogar com todo Brasil, vai mostrar uma proposta de país e, com certeza, vai ganhar as eleições. O ECO – Recentemente, o deputado federal Ciro Gomes (PSB) aventou a possibilidade de que o Serra não disputaria as eleições de 2010... Rodrigo Garcia – O Ciro tem que cuidar do Estado que ele conhece que é o Ceará. Ele é deputado federal por aquele Estado. Por uma oportunidade política transferiu seu título eleitoral para São Paulo e o que eu quero saber é se o Ciro mudou de opinião com relação a São Paulo, porque até então ele sempre criticou o Estado de São Paulo, sempre criticou o poder econômico no Estado e agora aventa-se candidato a governador. Ele está aqui unicamente para falar do nosso governador José Serra, e isso nós não vamos admitir. O ECO – O senhor acha que o escândalo envolvendo o DEM no Distrito Federal pode afetar a campanha nas eleições de 2010? E os problemas do prefeito de São Paulo Gilberto Kassab com a Justiça Eleitoral e chegou a ser cassado, também podem atrapalhar? Rodrigo Garcia – São coisas muito distintas. O Arruda cometeu um erro, foi pego roubando dinheiro público e, portanto, está preso e o partido expulsou o governador de seus quadros desde o primeiro momento.Num primeiro momento, infelizmente, isso contaminou nosso partido. É importante destacar que não é o mensalão do DEM como se convencionou chamar, esse é o mensalão do Arruda, foi um membro do partido que errou e o partido puniu. O governo do prefeito Kassab dá orgulho aos nossos correligionários. Ele tem feito uma grande obra em São Paulo, tem sido um grande prefeito. Tem discussões técnicas da Justiça sobre doações de campanha que ocorreram com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva da mesma maneira e com vários políticos brasileiros, e nós confiamos muito que vá dar tudo certo. Kassab tem feito um grande trabalho, São Paulo é vitrine para o Brasil, sofreu muito nos últimos dois meses com a chuva, como sofreu o Brasil inteiro. Ele está superando esses desafios e quem visita São Paulo já pode observar a recuperação rápida da cidade. O ECO – O senhor acredita que a cassação do Kassab foi uma questão política? Rodrigo Garcia – Não acredito, foi uma questão técnica. Existe uma interpretação do juiz eleitoral de que alguns doadores da campanha tinham impedimento legal para doar, como fizeram para outros candidatos. Então, o juiz que julgou o caso do Kassab entendeu isso. Depois, é importante ressaltar que o mesmo juiz que deu a sentença na terça-feira (23/2), na quintafeira (25/2)ele suspendeu sua sentença até porque ele vai aguardar o Tribunal Regional Eleitoral avaliar esse caso e a Justiça Eleitoral vai tratar desse caso e eu tenho certeza que vai dar tudo certo. O ECO – Voltando a questão do Distrito Federal, o senhor não acredita que esse caso possa contaminar a campanha de José Serra? Rodrigo Garcia – O partido fez o que tinha que fazer. A única punição para o Arruda era a expulsão do DEM e agora ele está preso. Na campanha nós vamos ter que mostrar. Qual partido que teve problemas e que prestigiou as pessoas que roubaram dinheiro público? Hoje para mim é o PT. Qual o partido que tendo um problema em seus quadros tomou a atitude e expulsou? Esse é o Democratas. Então esse é o discurso que nós vamos querer discutir nessa eleição. O ECO – Qual sua avaliação do trabalho do Legislativo paulista e do governador José Serra? Rodrigo Garcia – Olha, eu acho que o Estado vai bem. O Estado aumentou muito sua capacidade de investimento, um amplo programa de investimento em infraestrutura na área das estradas, principalmente. Agora é obvio o Estado de São Paulo cresce a todo instante, portanto, é preciso correr atrás e manter o investimento para que o Estado mantenha a infraestrutura que tem. Acho que a Assembleia está trabalhando em conjunto com o governador José Serra e ele vai deixar uma contribuição enorme nesses quatro anos em que esteve à frente do governo paulista. O ECO – O senhor é secretário de Gestão de uma das maiores cidades do mundo. Na opinião do senhor, quais são os principais desafios que precisam ser enfrentados pelos governantes? Rodrigo Garcia – Eu acho que o mais difícil será enfrentar os passivos que foram se acumulando ao longo do tempo. São Paulo cresceu de maneira desorganizada, muitas invasões territoriais, muita habitação em lugares de risco e é uma coisa que hoje o prefeito Kassab está enfrentando de frente. Quando o prefeito Kassab vai até o Jardim Pantanal, que como o próprio nome diz é um local que alaga, e diz que a única solução para o Jardim Pantanal é remover as famílias de lá, ele está dando uma solução definitiva e não uma solução paliativa como fizeram os outros prefeitos. Então, nós estamos fazendo a remoção de cinco mil famílias, são quase 10 mil pessoas que vivem lá. Eu acho que nós temos que enfrentar isso com muito rigor e eficiência na gestão. Porque sendo eficiente na gestão sobra mais dinheiro para você investir e é isso que o prefeito faz em São Paulo e o governador faz no Estado. O ECO – O senhor também trabalhou intensamente na desburocratização dos serviços públicos. Como está sendo esse trabalho na maior cidade do país? Rodrigo Garcia – É uma prefeitura que tem quase 200 mil funcionários, uma cidade que tem quase 11 milhões de habitantes, portanto é uma administração pública complexa, com 28 secretarias, com 31 subprefeituras, agora o que nós investimos muito lá foi na eficiência da gestão. Nós criamos mecanismos que ao invés de eu usar funcionários, a internet substituiu esses funcionários e fez com que a gente economizasse esses recursos para que o prefeito Kassab aplicasse em obras, aplicasse em investimentos na cidade. Então, em uma administração pública a eficiência de gestão é muito importante para que você gaste menos com a máquina e mais com aquilo que interessa para a sociedade. Eu não tenho dúvida que agora, por exemplo, o desafio da cidade é melhorar as condições de habitação. Tem ainda muitas áreas de invasão. Fazer com que a gente formalize o comércio, tem muitos comerciantes ainda na informalidade. Nós estamos fazendo uma campanha de incentivo a formalização. É preciso enfrentar também a questão da drenagem da cidade. Nesses últimos meses ficou claro que a cidade não está preparada para um volume de chuva como esse. Ou seja, o programa de piscinões tem que continuar. Mas eu acho que nós estamos mostrando um padrão novo de administração pública para a cidade de São Paulo e para o Brasil e que a população está reconhecendo.

IDADE:
35 anos

FORMAÇÃO:
Direito

CARGO ATUAL:
Deputado Estadual e Secretário de Gestão da cidade de São Paulo

O ECO – Qual a importância da internet para a administração pública? Rodrigo Garcia – O papel da internet é fundamental. Quanto mais serviços públicos você conseguir disponibilizar sem a necessidade de um comparecimento presencial, mais barato e eficiente ele é e a internet é um grande instrumento para isso. Mas veja bem, quando você coloca um serviço público na internet não é apenas um serviço que você está disponibilizando, você fez todo um trabalho para tornar esse serviço público possível pela internet, que simplificou. Você não pode correr o risco de burocratizar a informatização. Não adianta a gente pegar um serviço como é ele é prestado e simplesmente informatizar. Então, você primeiro precisa organizar o serviço e depois informatizar, tudo isso são experiências que nós estamos vivendo em São Paulo. Outro exemplo que pode ser seguido aqui por Lençóis, é o portal da transparência. Hoje você entrando lá no site da prefeitura (www.prefeitura. sp.gov.br) você tem todos os pagamentos que foram feitos pela prefeitura até o dia anterior. Todos os funcionários que trabalham na prefeitura estão cadastrados, mostrando onde eles trabalham e quanto eles ganham. Então, isso ajuda o prefeito a fiscalizar. Cada cidadão vira um corregedor da administração pública. O ECO – E como é a visitação ao portal? As pessoas participam? Rodrigo Garcia – São mais de 1 milhão de visitações ao portal por mês. Isso mostra que as pessoas estão atentas. Nós temos no nosso SAC, que é o Serviço de Atendimento Ao Cidadão, mais de 3 mil solicitações por dia. É um país, não dá para comparar, é um volume muito grande. Isso mostra o seguinte: que o cidadão de São Paulo que quer falar com a prefeitura e têm um canal aberto.