You are on page 1of 1

BOLETIM INFORMATIVO DA PLANTAR EDIÇÃO Nº 34 • 2010

responsabilidade social
Estes são os 18 educadores
selecionados para o Projeto
Projeto Ação vem com tudo em 2010
Ação 2010
As atividades do Projeto Ação 2010 iniciaram em 3 de fevereiro, com todo o gás. • Ademilde G. Garcia
A equipe se reuniu por três dias no Centro Cultural de Curvelo, oportunidade em que • Angélica Mônica de Freitas Barbosa
32 pessoas das comunidades de Cobu, Meleiros, Paiol, Canabrava, Angicos, Bananal,
• Poliane Antônia Mendes
São José das Pedras, Poções, Várzea de Cima, Estiva e Tomás Gonzaga participaram das
discussões sobre as atividades que serão desenvolvidas este ano. • Juliette Mendes de Sá
• Daniela Alves Mesquita
Durante o encontro foram realizadas oficinas, dinâmicas e aulas sobre temas ligados
à terra, à cultura e ao meio ambiente. Entre as 32 pessoas, foram selecionados • Nathalia Menezes Veiga
18 educadores que irão trabalhar para a valorização da cultura nas comunidades e • Poliane Patrick Mendes Ribeiro
para a preservação ambiental (veja no Box). • Cátia Aparecida Vieira
• Silvia Cristina de Souza
Foto: Plantar/arquivo

• Daiana Alves Trindade


• Julia Danielle Gonçalves
• Luciane G. de Araújo
• Eunice Barbosa Mendes
• Leila Pereira da silva Pinto
• Viviane da silva
Reunião no Centro
Cultural da Praça • Rosiane Aparecida de Macedo
Central do Brasil, em • Maria Aparecida de Souza
Curvelo, contou com
participação de 32
• Claudia de Melo silva
P
pessoas

minhas raízes

Saiba mais sobre o AÇÃO


Desenvolvido em parceria com o Centro estratégicas, direcionadas para: (A) Acolhi- Foto: CPCD/divulgação

Popular de Cultura e Desenvolvimento – CPCD mento (familiar, comunitário e cidadão), (C)


e Secretaria Municipal de Saúde - que atua Convivência (diversidade, harmonia e solidarie-
diretamente em todas as comunidades rurais dade), (A) Aprendizagem (conhecimento, habi-
do município, através do Programa de Agentes lidade e atitude) e (O) Oportunidade (participa-
Comunitários/PAC e aos Conselhos Municipal ção, decisão e protagonismo) de crianças e
dos Direitos da Criança e do Adolescente/ jovens na vida social, econômica e cultural de
CMDCA e Tutelar, e com apoio do Fundo da Curvelo. Atenta a esse ideal e pronta a partici-
Infância e Adolescência (FIA), o projeto AÇÃO par diretamente do desenvolvimento das
– Acolhimento, Convivência, Aprendizagem e comunidades em que atua, a Plantar se enga-
Oportunidade, integra as tecnologias sociais e jou no projeto, que vem dando muito certo,
as pedagogias educacionais já testadas em tanto que foi um dos instrumentos responsá-
outras cidades e regiões brasileiras, principal- veis pela conquista do Selo de Responsa-
mente no Vale do Jequitinhonha, sistematiza- bilidade Empresarial 2009 do CEMAIS – Centro
das e aprovadas, colocando-as como platafor- Mineiro de Alianças Intersetoriais, instituição
ma para o desenvolvimento integral da popu- diretamente ligada ao Governo de Minas, atra-
lação infanto-juvenil do município de Curvelo. vés do Instituto de Governança Solidária (IGS).
De acordo com o idealizador, Sebastião Rocha, P
Dentre as atividades empreendidas pelo
o projeto surgiu a partir da atuação em
Projeto Ação, estão a formação de “mães Tião Rocha, fundador do CPCD e idealizador
Moçambique, na África, onde trabalhou, na
cuidadoras”, agentes comunitários de educa- do Projeto Ação, apoiado pela Plantar: “é
década de 90, na formação de educadores que
ção e educadores sociais, implantação dos necessário toda a aldeia (comunidade) para
cuidavam de crianças e jovens, nos campos de
bornais de livros e algibeiras de leitura; implan- educar uma criança”. A Plantar cumpre o
refugiados de guerra. “De lá trouxemos um seu papel social
tação do bornal de “Jogos da Paz”, com
princípio fundamental de AÇÃO: é necessário
oficinas de criação e utilização e sistematiza-
toda a aldeia (comunidade) para educar uma
ção de jogos, oficinas comunitárias e dissemi-
criança”, explica o fundador do CPCD.
nação das tecnologias comunitárias, monitora-
Este princípio, segundo Tião Rocha, é o centro mento, sistematização e avaliação do processo
de todas as ações educacionais, comunitárias e de aprendizagem.
janeiro/fevereiro 2010 O Jornalipto 03