You are on page 1of 85

Por Peter Alex

Músicas
Repertório ......................................................................................................................... 7
Palco.............................................................................................................................. 7
A Banda .................................................................................................................... 7
Brilho Dental ............................................................................................................ 8
3.20 (Instrumental 2013) .......................................................................................... 9
Origens (Instrumental 2014) ..................................................................................... 9
Eu Não Sou Poeta ................................................................................................... 10
O Galo é o Dono dos Ovos ..................................................................................... 11
A Lenda dos Alcaides de Faria ............................................................................... 12
Serenatas ..................................................................................................................... 13
Zorro ....................................................................................................................... 13
Paixão ..................................................................................................................... 14
Cantar-te um Poema ............................................................................................... 15
Só Gosto de Ti ........................................................................................................ 16
Dedicação ............................................................................................................... 17
Delírio ..................................................................................................................... 18
Namoro ................................................................................................................... 19
Flor de Lis ............................................................................................................... 21
Outras .......................................................................................................................... 22
Tuna Tuna (HINO) ................................................................................................. 23
Quero Beber............................................................................................................ 24
Que Linda És Figueira ............................................................................................ 25
Mãe Negra .............................................................................................................. 26
Feira da Ladra ......................................................................................................... 27
Meddley Popular .................................................................................................... 28
A Pilinha ................................................................................................................. 29
Dá Cá Um Beijo ..................................................................................................... 30
Músicas de Rua............................................................................................................... 32
Tunas ........................................................................................................................... 32
TUM – “Tunalmente Molhado” ............................................................................. 32
TUM – “O Teu Segredo”........................................................................................ 32
TUIST – “Se Um Dia Não Houver Luar” .............................................................. 33
Magna Cartola Tuna – “Macho Português” ........................................................... 34
Magna Cartola Tuna – “Triste História” ................................................................ 35
Magna Cartola Tuna – “Meia Noite Às Quatro” .................................................... 35
Magna Cartola Tuna – “Olhos” .............................................................................. 36

Magna Cartola Tuna – “Serenata Nova” ................................................................ 37
Toada Coimbrã – “Balada despedida 5º ano 1988/89 Jurídico” ............................ 38
TUP – “Madalena” ................................................................................................. 38
TUP – “Ondas do Douro”....................................................................................... 39
TUP – “Timor” ....................................................................................................... 39
Azeituna – “Dá-me Lume” ..................................................................................... 40
Azeituna – “Suevos” ............................................................................................... 41
InfanTuna – “Águas Do Dão” ................................................................................ 41
Azeituna – “Minha Música” ................................................................................... 42
TMUC – “Coimbra dos Amores” ........................................................................... 44
EUL – “Velho Lobo do Mar” ................................................................................. 45
EUL – “Em Viagem” .............................................................................................. 45
EUL – “O Infante” .................................................................................................. 46
EUL – “Sinos da Sé” .............................................................................................. 46
EUL – “Desfolhada e Tourada”.............................................................................. 47
EUL – “O Amor A Portugal” ................................................................................. 48
Copituna d’Oppidana – “Menina Caloira” ............................................................. 48
Gatunos – “Cartas de Amor“ .................................................................................. 49
TAL – “As Sete Namoradas” ................................................................................. 50
Brasileiras ................................................................................................................... 51
Adoniran Barbosa – “Trem das Onze” ................................................................... 51
Adoniran Barbosa – “Tiro Ao Álvaro”................................................................... 51
Adoniran Barbosa – “Saudosa Maloca” ................................................................. 52
Niltinho/Haroldo Lobo– “Tristeza” ........................................................................ 53
Sambô – “Não Deixe O Samba Morrer” ................................................................ 53
Sambô – “Esperanças perdidas & Alegria de Domingo” ....................................... 54
Natiruts – “Natiruts Reggae Power” ....................................................................... 55
Natiruts - “Sorri, Sou Rei” ...................................................................................... 56
Seu Jorge – “Amiga da minha mulher” .................................................................. 57
Seu Jorge – “Eu Sou o Samba “ ............................................................................. 57
Seu Jorge – “Burguesinha” ..................................................................................... 58
Seu Jorge – “Mina Do Condomínio”...................................................................... 59
Martinho da Vila – “Roda Ciranda / Quem É Do Mar Não Enjoa / Canta, Canta
Minha Gente / Segure Tudo / Casa de Bamba” ...................................................... 60
Bezerra da Silva – “Se Leonardo Dá Vinte” .......................................................... 61
Demônios da Garoa - Vem Cantar Comigo ........................................................... 61
Demônios da Garoa – “Noel Rosa Meddley” ......................................................... 62

............ 70 Rui Veloso – “Porto Sentido”......................................................................................................................................................................... 80 Jarabe De Palo – “La Flaca” ....... 70 TIRANA – “Tirana meu bem Tirana” ..... 77 Espanholas ........................................................... 79 “Hoy estoy aqui” ......... 74 Jorge Palma – “Frágil” .................... Vampiros Velhos..................................... 73 Daniel Pereira 'Cristo' ........................................................................................................................ 69 Origem Tradicional -”Malhão do Souto” ............................... 85 ........ 67 Origem Tradicional feat........................................................................................... 80 Armando Manzanero – “Mia” ..... 69 Origem Tradicional -“Chula do Bombo” .................................................................... 83 Anexo ....” .................................................................................................... Azeituna – “Passeio ao Minho” ..... 65 Portuguesa ............................................................................................. 73 Ornatos Violeta – “Ouvi Dizer” ........................................................................................................................................................................... 79 Los Lobos – “Cancion Del Mariachi” ................................................... 71 Rui Veloso – “Porto Côvo” .................................... 68 Origem Tradicional ............................................................... 72 Ornatos Violeta – “Chaga” ..................................................................................... 79 Antunia – “Lágrimas Negras” (Cover) ................... 67 José Rosa Valente e Paulo Colaço ............................................................................................................................................. 69 Adriano Correia de Oliveira – “Vira Velho” .............. 69 “Moda do Entrudo” ....... 67 Origem Tradicional ......................'Vampiros Novos..................................' ...... 71 Rui Veloso – “Nunca Me Esqueci de Ti” .......................................................................................... 75 Jorge Cruz ................................................................................................................................................................................................................................................“Adriana” ........................................“Eu Que Nunca Vi o Mar.... 75 Jorge Cruz – “Fado De Uma Rua Qualquer” ................................................................................. 77 César Mourão ..............................Meddley Brasileiro ................................ 72 Rui Veloso – “Primeiro Beijo” ...................................................................."Sem hipóteses de devolução"............................................................. 76 Homem Ao Mar – Adeus Até Mais Ver ................................................................................. 83 ABBA – “Dancing Queen”..... 81 Inglesas ............................................................................................"Moda da Padeirinha" ..... 76 Jorge Cruz – “Anda Menina” .............................................. 63 Caetano Veloso – “A Luz de Tieta” ..................................................................“Anda Ver o Minho e as Suas Moçoilas” ........................................................................................................................................

.

Ré] [Sol. Mi. Ré*. Sol. Lám. Mi. Lá7. Sol. Lám. Mi. Sol. Mi. Si7. Sol. Ré. Que toque a Bannnndaaaaaaaa… /____________________________________________________________________________/ . Lá7. Sol. Sol] Verso [Sol. Ré. Si7.. Lá7. Ré] [Sol. Sol*] Refrão [Ré. Ré. Ré. Ré. Mi. Sol] O velho fraco se esqueceu do cansaço e pensou Que ainda era moço para sair do terraço e dançou A moça feia debruçou na janela Pensando que a banda tocava para ela A marcha alegre se espalhou na avenida e insistiu A lua cheia que vivia escondida surgiu Minha cidade toda enfeitou Pra ver a banda passar cantando coisas de amor Mas para meu desencanto/O que era doce acabou Tudo tomou seu lugar/Depois que a banda passou E cada qual no seu canto/Em cada canto uma dor P’ra ver a banda passar/Cantando coisas de amor P’ra ver a banda passar/Cantando coisas de amor. Lá7.. Lá7. Mi. ouvir e dar passagem A moça triste que vivia calada sorriu A rosa triste que vivia fechada se abriu E a meninada toda se assanhou Pra ver a banda passar Cantando coisas de amor Intro [Mi. Sol] Que Toque a Banda [Sol] Final [Ré. Ré*.Repertório Palco A Banda Estava à toa na vida/O meu amor me chamou Pra ver a banda passar/Cantando coisas de amor A minha gente sofrida/Despediu-se da dor Pra ver a banda passar/Cantando coisas de amor O homem sério que contava dinheiro parou O faroleiro que contava vantagem parou A namorada que contava as estrelas parou Para ver. Ré. Ré*.

Fá] [Lá7. Ré. Ré]x2 [Dó. Sim. Solm. tu que me sorris / Diz-me quem é o teu dentista Eu nunca vi sorriso assim / Nunca vi sorriso assim Nem em capa de revista O teu brilho dental / Não é coisa de amador É brilho profissional / É brilho profissional Em busca dum projetor Pré-Refrão Mas no fundo tens razão / Temos que estar preparados Em qualquer ocasião / Podemos ser convocados Para ir à televisão / Dar uma opinião Ou demonstrar um talento / Para ir à televisão Fazer opinião / E ter o nosso momento Refrão Verso Tu cantas e danças mal / Não tens voz de rouxinol Mas tens um brilho dental / Tens um brilho dental Tomara o Carlos Gardol Mas no fundo tens razão / Só assim se ganha o mundo E se vai ao coração / Se vai ao coração de Portugal profundo Pré Refrão (E Por isso tens razão.Brilho Dental Povo que lavas no rio / Horas e horas a fio Povo que lavas no rio / Horas e horas a fio Sempre a rir e a chorar Agarrado ao sabão Sempre a rir e a chorar / Agarrado ao sabão Pode a alma enferrujar / Mas o teu sorriso não Instrumental Intro [Lá7. Ré*] Verso Olá. Solm. Lá7*. Mim. Mim] x2 [Sol. Ré] Pré-Refrão [Fá#7. Mim. Ré*] Verso/Refrão [Lá7.. Sim7] x2 [Si7. Lá7*. Ré.) Refrão (x4): Segunda vez só vozes / Instrumental /____________________________________________________________________________/ . Ré*.Lá7.. Sim. Ré*. Ré.Lá7. Ré7] [Sol.

Ré/Fá#. Fá. Mi. Lám] Fim [Lá7] [Lá7*. %. Ré*. Ré. Ré/Fá#. Lá7] [Lá7. Sol. Fá#*. Lá7. Lá. Fá] [Lá. Lám. Mi. Ré. Si7. Lám] [Lám*. Descida. Lá. Mi*] [Lá7. lá7] [Mi9. Mi. Lá] /____________________________________________________________________________/ . Lá]x4 | |(x2) [Lá] [Sol. Si/Lá. Lá7] [Lám. Lám. Rém. Ré. Dó]x2 [Lá. Fá*. Lám. Si/Lá. Lám [Rém. Lá7. Sol. Si7. Mi*. lá]x4 | |(x2) [Lá. Lá]x4 [Sol. Lá. Lá] [Lá. Lám] [Lá*. Sol#*. Mi.20 (Instrumental 2013) [Lám. Mi9. Rém. Sol. Si7. Sol*. Sol] x4 [Sol. Lám.Ré] | [Lá. Ré9. Lá7~~~~] /____________________________________________________________________________/ Origens (Instrumental 2014) [Mi] [Mi. Lá. Mi] [Lá. Mi9. Lá] |(x2) E|-----------------|-----------------| B|-----------------|-----------------| G|-----------------|-----------------| D|-2-2-2-2-----0-0-|-----0-0-2-2-2-2-| A|-0-0-4-4-2-2-2-2-|-2-2-2-2-0-0-4-4-| E|---------3-3-----|-3-3-------------|x6 [Fá. Mi.3. Sol.

Fá. Lá] [Lá#. Lá. Dó. Lá#] [Solm. Ré. Lá. Ré7] Verso A [Solm. Lá. agonia. Lá] [Ré. Dó. Lá. Sol. Lá. Lá] [Ré. Ré7] B [Solm. Dó.Eu Não Sou Poeta Quem me dera saber Fazer versos. Mim. Rém. Ré#7. não Não sou poeta Não te sei falar de amor Mas seu eu fosse poeta dotado Ou se ao menos julgasse que sim Falaria com um ar afectado Aprenderia Latim Só faria canções eruditas E se as ditas ninguém entendesse Rematava com frases bonitas P'ro que desse e viesse Refrão (x3): Segunda vez só vozes / Fim /____________________________________________________________________________/ . Mim. Lá. Ré] Eu não sou poeta. Lá#. rimar Para um dia escrever Que tu és a mulher que eu quero amar Quem me dera fazer poesia Inspirada na minha paixão Inventar sofrimento. Lá] | | x2 Fim [Ré. Ré] Refrão [Ré. Fá. Mim. Rém. Lá#]x2 [Rém. Lá#] [Solm. Ré#7. O amor de Platão Quem me dera chamar-te de musa Em sonetos e coisas que tais Uma escrita solene e confusa Com palavras a mais Intro [Rém. Ré. não Não sou poeta Nunca fui um grande sofredor Eu não sou poeta. Mim. Ré.

Dó. Dó. /____________________________________________________________________________/ Intro [Rém7. Fá. Sol. Rém7. Rém7] Verso A [Rém7. Dó. Rém7] Refrão [Rém. Dó. Rém7] B [Rém7. Fá.O Galo é o Dono dos Ovos O galo é o dono da casa / a galinha. Fá. Rém] B (último verso) [Rém7. Rém7] . Lá#. Lá#. Fá. Rém7. Sol]x2 [Rém7. Dó. da cozinha ou se porta direitinha / ou apanha com a asa que o galo é o dono da casa (x2) O galo canta de galo / a galinha cacareja e o pintainho deseja / o fim de tanto badalo e o galo canta de galo (x2) O galo come faisão / a galinha é quem o assa e o pobre do pinto passa / passa uma fome de cão e o galo come faisão (x2) O galo é o dono dos ovos / a galinha é quem os bota e o pinto é compatriota / da miséria de outros povos que o galo é o dono dos ovos (x2) Por mais que cante de galo / o galo está a dar o berro é que nem com mão de ferro / faz do pinto seu vassalo por mais que cante de galo (x2) Anda amarelado o galo / como a gema que o pariu o sol nunca lhe sorriu / quanto ao pinto é um regalo não há sol que não o tisne / o galo canta de galo para o pinto é canto do cisne. Lá#M7. Rém7. Dó. Dó#7M.

D. temendo que a sua liberdade fosse utilizada como moeda de troca pela posse do Castelo de Faria.. Verso [Mim... Mim] E era vê-los… Os Alcaides de Barcelos E era vê-los… Os Alcaides de Barcelos INSTRUMENTAL O Alcaide. Sol. Aquando das invasões de Castela. Ré.. Saíram-lhe ao encontro forças de Barcelos Sob o comando do Alcaide de Faria Caíram nas forças Portuguesas. Fernando primeiro. da Galiza pelo Minho. Lá] x2 [Dó. guarnecido pelo seu filho.Gonçalo Nunes.] Instrumental [Mim..Nuno Gonçalves de Faria. Mim] x2 [Ré. D. Si7. Sim. Ré. Mim.A Lenda dos Alcaides de Faria Era o reinado de D. concedeu um estratagema.. Mim] x2 Refrão [Mim. Ré. E capturado o mui nobre Alcaide. (A)vançavam por Viseu rumo a Lisboa E a norte. (Con)vencendo o Comandante de Castela Falar ao filho no Castelo de Faria Co'apelo à rendição como argumento Exortou-o afinal à resistencia Morto pelos espanhóis diante de seu filho Resistiu o Castelo ao assalto E este acto corajoso ecoa pelos tempos A força das gentes de Barcelos(2x) Refrão (x2) INSTRUMENTAL Ôôô's /____________________________________________________________________________/ .

Dó#7. Sol#m. Fá#m. Lám. Si7] Pararuré Pararurérarurou (x8) Pararuré Fim Pararuré Pararurérarurou [Fá#m. Mi7] [Lá. Si7](x3). Ela é que pediu! [Fá#m. num volte face vestir os calções Acreditar de novo nos papões E adormecer contigo ao pé de mim Verso B Eu quero ser para ti a camisola dez Ter o Benfica todo nos meus pés Marcar um ponto na tua atenção Se assim faltar a festa na tua bancada Eu faço a minha ultima jogada E marco um golo com a minha mão Verso C Eu quero passar contigo de braço dado E a rua toda de olho arregalado A perguntar como é que conseguiu Eu puxo da humildade da minha pessoa Digo da forma que menos magoa Foi fácil. Si7] Intro /____________________________________________________________________________/ E|--------------|-------------------|--------------|-----------| B|--------------|-------------------|--------------|-----------| G|-6-5-4----2-4-|-6-5-4----2p1-2-4--|-6-5-4----2-4-|-5-4-2-4/6-| D|-------\4-----|-------\4----------|-------\4-----|-----------| A|--------------|-------------------|--------------|-----------| E|--------------|-------------------|--------------|-----------| Final E|-------|----|-------| B|-2-1---|----|-------| G|-----4-|----|-------| D|-------|-OU-|-------| A|-------|----|-------| E|-------|----|-5-4-2-| . Mi] Instrumental Verso C Ela é que pediu! (x3) Foi fácil. Si7. Ela é que pediu! Versos [[Fá#m.Serenatas Zorro Intro Verso A Eu quero marcar um Z no do teu decote Ser o teu Zorro de espada e capote P'ra te salvar à beirinha do fim Depois. Mi.

Dó*. Fá]x4 Verso [Dó. Sol. Sol. Lám. Mim] [Fá. Sim9*. Sim9*. Fá. Mim. Fá. Fá.Sol] . Lám] /____________________________________________________________________________/ [ Fá. Mim. só por te amar A saliva que eu gastei para te mudar Mas esse teu mundo era mais forte do que eu E nem com a força da música ele se moveu Mesmo sabendo que não gostavas Empenhei o meu anel de rubi Para te levar ao concerto Que havia no rivoli Ohhh--ohhh Era só a ti que eu mais queria Ao meu lado no concerto nesse dia Juntos no escuro de mão dada a ouvir Aquela música maluca sempre a subir Mas tu não ficaste nem meia-hora Não fizeste um esforço p'ra gostar e foste embora Contigo aprendi uma grande lição Não se ama alguém que não ouve a mesma canção Refrão Foi nesse dia que percebi Nada mais por nós havia a fazer A minha paixão por ti era um lume Que não tinha mais lenha por onde arder Refrão Intro [Dó. Dó*.Paixão Tu eras aquela que eu mais queria P'ra me dar algum conforto e companhia Era só contigo que eu sonhava andar P'ra todo o lado e até quem sabe? Talvez casar Ai o que eu passei. Fá. Sol. Lám. Sol] Refrão [(Sol).

Cantar-te um Poema Queria cantar-te um poema Cheio de amor Queria fazer-te uma serenata Cantar a minha dor Verso/Instrumental [Fá7M. Dó#m] [Fá#m. Si7. Si7. Mi] Sei que o desejamos os dois E é bom querer Não deixemos para depois Vamos viver E os teus olhos chorando assim por mim Fazem os meus chorar por ti também Poder beijar-te e dizer que te quero Tirar o nó do peito e ficar bem Queria beijar tua pele Seios e pernas Queria dar-te o meu amor Num mar de penas Refrão (INSTRUMENTAL) Depois da noite passada Vou-te pedir Para amar-te só mais uma vezes Ver-te a sorrir Refrão /____________________________________________________________________________/ . Mi. Dó7M] Refrão x2 [Fá#m.

Só Gosto de Ti Verso Sentado no cais A ver ao longe o mar E a ponte sobre o Tejo Se tudo é tão bonito É por causa de ti E desse meu desejo Intro/Verso [Mi. Lá. lá. Do#m7. lá . Ré.. lá. lá. lá. Lá. %. lá. /____________________________________________________________________________/ .Refrão [Ré. Si9. Fá#m]x2 Refrão [Mi. Si7] Pré-refrão Afinal vale a pena Não pensar em mais ninguém! Só gosto de ti Porquê?! Não sei Mas estou bem assim E tu também! (2x) Verso (PASSOS & Ritmo com Strum) Ali vai o paquete Aqui passa o navio Lá vão eles viajar Se tu aqui estivesses Gostavas como eu Gostavas de os ver passar Pré-Refrão Refrão Lá. lá. Fá#m]x3 [Mi. lá.. Ré. %. Ré. lá. Si7] Pré. lá . lá. lá.

Ré# dim. Ré. Mim. Ré] Refrão [Ré7. Mi] Final [Ré7M] .Dedicação Tu és o sol que há em mim Tu és o amor que eu conheci Rosa vermelha do meu jardim Que vale viver a vida sem ti E não te esqueças nem um segundo Que eu tenho o amor maior do mundo Coisas tão lindas para te dar Sempre a cantar Deixa-me os teus olhos Agora que partes e o calor da tua mão Deixa-me ser só uma saudade No teu coração… E quando olhares as aguas do rio Lembra-te de mim És andorinha de uma primavera Que chegou ao fim… REFRÃO Intro [Ré. Réb/Ré] /____________________________________________________________________________/ Verso [Ré. Ré. Ré#dim. Sol. Ré. Mim. Lá.

Fá#m.Delírio (Instrumental) Delírio é estar Contigo e te beijar Delírio é estar Contigo e te beijar São duas almas na eternidade É serenata ao luar São duas almas na eternidade É serenata ao luar Instrumental [Sol. Mim. Solm. Lá7] Fim [Ré7M] De Amor Espelho do meu coração De Amor Espelho do meu coração São lábios que procuram os teus é sonho de uma ilusão Tua vida sem a minha É como um jardim sem flor Para que ter te a meu lado Se tu queres outro amor (Instrumental) Refrão Fim /____________________________________________________________________________/ . Ré][Ré7] Verso [Ré. Lá7. Sim. Mim. Ré#o.

/ As ela lá estava . Mi7. Januário./ pela Sta Efigénia déeeeessseeee /ohohohohohoh me desse a venturado/ do seu namoro déeeeessseee / do seu namoro e ela disse que não Não não não não não não não não não não Levei à Vó Xica./ Quimbanda de fama A areia da marca/ Que o seu pé deixou Para que fizesse um feitiço/ Bem forte e seguro E dele nascesse/ Um amor como o meu E o feitiço falhou E o feitiço Falhououou Andei barbado./ Sujo e descalço Como um monangamba/ Procuraram por mim Não viu ai/ Não viu Benjamim Não viu ai /Não viu Benjamim E perdido me deram/ No morro da Samba Instrumental Para me distrair / Levaram-me ao baile Mandei-lhe uma carta / Com letra da boooonita Do Sr.Namoro Mandei-lhe uma carta /Em papel perfumado E com letra bonita /Eu disse ela tinha Um sorriso luminoso /Tão triste e gaiato Como o sol de Novembro /Brincando de artista Nas acácias floridas/ Na fímbria do mar [Sol. Ré] Sua pele macia/ Era suma-uma Mandei-lhe / Uma carta Sua pele macias/ cheirando a rosas Com letra /da boooonita Seus seios laranja/ Laranja do Loge Com sol /sol do loge Eu mandei-lhe essa carta /e ela disse que não Não não não não e-ela disse que não Mandei-lhe um cartão /Que o amigo maninho tipografou / 'Por ti sofre o meu coração'/ Num canto 'sim'/ Noutro canto 'não' Sim/ Não não não e ela o canto do 'não' Dobrouououou Mandei-lhe um recado pela Zefa do sete Mandei-lhe um recado pela Zefa do sete Pedindo e rogando de joelhos no chão Pedindo e rogando de joelhos no chão pela Sra do Cabo. Lám7.

Talvez sim /Ou talvez não não Num canto a rir./ Contando o meu caso Às moças mais lindas/ Do bairro operário Tocaram a rumba/ E dancei com ela Dom dom dom /Dom dom dom e num passo maluco/ Voamos na sala Dom dom dom /Dom dom dom Qual uma estrela / Riscando o céu Dom dom dom /Dom dom dom e a malta gritou 'Aí Benjamim' 'Aí Benjamim' Olhei-a nos olhos /Sorriu para mim Olhei-a nos olhos /Sorriu para mim Pedi-lhe um beijo Ela disse que sim ela disse que sim/ ela disse que sim ela disse que sim/ ela disse que sim ela disse que sim/ ela disse que sim ela disse que sim/ ela disse que sim /____________________________________________________________________________/ .

or..or Fizeste de mim O teu grande amor Porque te tornaste Num espinho de dor Minha amada flor-de-lis Diz-me porquê Que entre este vento E tu flor Não pode haver Preferiste outro soprar Que para outro vale Te encaminhou Agora nas noites de luar Quando lá volto a passar Apenas me resta recordar O teu dançar de flor Que me enfeitiçou Refrão (Instrumental) Não pode haver amor Não não pode Haver amor | |(x2) | /____________________________________________________________________________/ .. Eu a passar Vejo a mais bela flor A bailar para mim Sem qualquer pudor Voltei a passar Naquele vale de encantar Na esperança de conquistar Aquele amor.Flor de Lis Numa noite de Luar.....

Dó. Dó] Verso [Rém. Dó. Dó. Dó.Moda do Entrudo Ó entrudo ó entrudo |x2 Ó entrudo chocalheiro |x2 Tu não deixas assentar |x2 As mocinhas ao solheiro Ó entrudo chocalheiro Intro [Rém. Lá#] Refrão [Rém. Fá. Dó. Fá. Dó. Lá. Rém. Rém. Rém. Rém] [Rém. Lá. Rém. Mib] Pelo mar abaixo Vai um pintasilgo Com o arado às costas | Semeando o trigo |x2 Pelo mar abaixo Vai uma cabaça Se ela leva vianho | Leva toda a graça |x2 /____________________________________________________________________________/ .

Sol. Ré*] [Sol. Refrão / Instrumental / Refrão Intro [Dó*] [Sol. Sol. Dó. Ré. Ré. ninguém vai desafinar.. Sol7. Com amor e com o vinho Com carinho e bem baixinho os tunos vão abraçar. Ré. Que estes tunos a cantar canções trovas ao luar Te fazem da noite dia. Dó. Sol. Sol. Violões a acompanhar. Todos querem escutar. Lá.Outras Tuna Tuna (HINO) Quando começa a tocar irreverente e alegre Por onde passa. Que na hora de cantar Com beleza e magia os tunos vão inspirar. Ré. Dóm. Dó. Tuna tuna quando canta. Quando vão a caminhar pelas ruas de Barcelos..As Raparigas. Sol] . Sol7. Ré. Sol] Último Refrão [Sol*][Ré. Leva longe e com paixão. os bandolins a trinar E a quem ouve encanta! Tuna tuna quem diria. Aiiiii. Nesta tuna E ao chegar à academia corações a palpitar. Sol] /____________________________________________________________________________/ Verso [Sol*..As Raparigas. Que silêncio. Sol] Refrão [Sol*] [Ré.... Aiiiii. Ré. Sol. Sol. Dó. com prazer e devoção O seu nome E à noite ao luar canções fazem suspirar.

beber. Sol. Dó] Verso Eu não me posso queixar/ Da vida de estudante Os tempos de academia / Esses passam num instante Ser caloiro já foi bom/ E agora vamos praxar Quando a noite é de farra/ Eu quero ouvir cantar Refrão Bebe. bebe com jeitinho/ Que o compasso cá eu marco Olha lá essa mistura/ Não vás tu virar o barco Refrão /____________________________________________________________________________/ . Dó.[Fá. beber.[Dó. bebe com jeitinho/E não entornes pra fora Se beberes com jeitinho/Outro já não demora Bebe.Quero Beber Quero beber. até não poder mais E de manhã/ P'ra curar a ressaca Pego no copo e encho-o com sais A . Sol] B . beber. beber Quero Beber .

Ré7M. Lá7] [Lá7. Mi. Sol9] Finais do Verso (1ª verso e instrumental) [Ré7M. ó Figueira da Foz Cidade que é de todos nós (bis no final) /____________________________________________________________________________/ Intro [Fá#7m. Ré7M] .Que Linda És Figueira Que linda és. Sol. Lá7. Ré7M. Mim. Lá#7M] (x3) [Ré7M] [Lá7m. Lá7. Mi7m. Lá#7M] (3ª vez) [Ré7M. Ré. Fá7m. Sol9] x2 [Ré7M. Mi7m. Mim. Fá#7m. como é belo o fulgor Do sol que te dá cor Figueira Que linda és Como é sereno o mar Que beija o teu lugar Figueira Tens praia. Lá7M. Fá7m. Fá7m. Lá7. Fá7m. Ré7. Ré7. Fá7m. Sim. Lá7] [Ré7M. Solm. Sol. Fá#7m. tens monte Em rara união Por tudo és a fonte De mais esta canção Que linda és. Si7] [Mi. Lá7] Verso/Instrumental [Ré7M. Solm. Mim.

. Tem voz de noite. (2x) Mãe-negra não sabe nada... (2x) Quem ouve agora as histórias Que costumava contar?. (2x) Nem buganvílias vermelhas. Lá7] Pela estrada desce a noite Mãe-negra... /____________________________________________________________________________/ .. (2x) Mãe-negra não sabe nada. Sol9. Nem vestidinhos de folhos. (2x) Mãe-negra não sabe nada.. descendo. (3x) Mãe-negra não... (2x) Que é feito desses meninos Que gostava de embalar?.. Mim7b5. De mansinho..Mãe Negra [Rém7.. Em duas faces cansadas.... Só duas lágrimas grossas. Voz de silêncio batendo Nas folhas do cajueiro... Nas suas mãos apertadas.. pela estrada. (2x) Mãe-negra não sabe nada.. desce com ela. Nem brincadeiras de guizos. (2x) Mãe-negra tem voz de vento.

Sol. Lám] [Ré7. Dó#m. Mi] [Lá. Mi. Lá] Refrão [Lá*. toda em linho. Dóm. fora de mim. Fádim. Lá#m7b5*. Mi. ali uma gravura. Sidim. Mi7] [Rém. Lám] [Ré7. Aqui está um lençol. Mi] E na Feira da Ladra nos vingamos dum pouco desse tempo que morreu. É a Feira da Ladra ternura. Sol#dim.Feira da Ladra (Primeiro Verso – Acapela) É na Feira da Ladra que eu relembro uma toalha velha. eu pintei. Sim7b5. que já serviu uma noite de Dezembro. Lá. como o Outono sabe a vinho. Esta Feira da Ladra é dos amantes. pelos frutos. pelas flores que em São Vicente das Dores. Lá. Sim7b5. e agora cheira a Setembro. Mi7] [Rém. bordado como dantes. Mi. Mim. Refrão /____________________________________________________________________________/ . Aqui um coração. Mi7. Agora não compramos velharias. Sim. tudo passado é lastro do futuro. O que é que eu vou trazer da Feira? Um corpo de mulher braseira. Nascemos para o sol todos os dias. na nossa Feira da Ladra já não há ladrões no escuro. Sim. O que é que eu vou roubar à Feira? Um beijo de mulher trigueira. Sim7b5. mas valem.Mi7] [Lám. Sim7b5. Mi. Rém. Verso [Lám.Rém. Em cada botão velho que compramos há sempre uma corja de amos que em Abril. Fádim. Não valem muito mais que dois pintores os quadros das paisagens que eu já sei. Abril venceu.

Às quatro da madrugada. [Ré. Mim. Às quatro da madrugada.Meddley Popular Sou do Minho. A sua amada chorou. De Barcelos natural. Quem não conhece Barcelos. Às quatro da madrugada. Lá] Por ouvir cantar tão belo. Não conhece Portugal! Eu ouvi um passarinho. O passarinho cantou.Lá] Laurindinha [Ré. Lá] [Sol. O passarinho cantou. sou do Minho. Refrão Ó laurindinha | Vem à janela |x2 Ver o teu amor | Ai ai ai que ele vai para a guerra |x2 Se ele vai para a guerra | Deixai-o ir |x2 Ele é rapaz novo | Ai ai ai ele torna a vir |x2 Ele torna a vir | Se Deus quiser |x2 Ainda vem a tempo | Ai ai ai de arranjar mulher|x2 Refrão Instrumental Refrão /____________________________________________________________________________/ . À porta da sua amada. Cantando lindas cantigas. Cantando lindas cantigas. Ré. Sim. À porta da sua amada.

Lá] Refrão Menina da saia curta / Mande sardinhas assar Que eu não queimo a pilinha | Para contigo casar |(x2) Refrão Passei-lhe a mão pelas pernas / Para as comparar com as minhas Ela disse ao "skinhead" | Vai mas é assar sardinhas |(x2) Refrão Ó filha não digas isso / Trinca lá nessa sardinha Se queres ver um "skinhead" / Olha para a minha pilinha Refrão(x2) /____________________________________________________________________________/ . Ré]x3 Refrão [Ré. vai Vai depressa assar sardinhas Para o jantar do teu pai (x2) Estava a assar sardinhas / Com o lume a arder Queimei a pilinha / Sem ninguém saber Se fosse outra coisa / Eu não me importava Mas era a pilinha / Que eu tanto estimava Verso [Sol] [Lá.A Pilinha Quando eu era pequenino / Minha mãe disse vai.

Foi por causa dela que eu me confessei. não advinha não. na minha confissão. Refrão /____________________________________________________________________________/ . naquela capelinha. Refrão Eu nunca pensei. Ninguém advinha. Dá cá um beijo. de quem eu gostei. dá cá. não advinha não. Na minha confissão. De quem eu gostava. [Sol. ninguém o advinha. dá cá. Ré] Ninguém advinha. Dá cá um beijo. O que eu disse ao padre. eu nunca pensava. O que eu disse ao padre. Que era só dela de quem eu gostava. Ré. %. não sejas má. Sol. Dá cá um beijo da tua boca. Sol. Não sejas má. Sol7. na minha ladainha. ninguém o advinha. O que eu disse ao padre. não sejas louca. na minha confissão. Dó.Dá Cá Um Beijo Fui me confessar. O que eu disse ao padre.

No dia em que o rei fez anos Houve arraial e foguetes no ar O vinho correu à farta E a fanfarra não parou de tocar E o povo saiu à rua Com a alegria que costumava ter Cantando se o rei faz anos Que venha à praça. para nos conhecer Mas nesse reino distante Quem tinha um olho era rei Lá vai rei morto rei posto Levado em ombros p'la grei E a festa continuou Já que ninguém tinha nada a perder Só ficou um trovador P'ra contar o que acabava de ver. para nos conhecer E veio a gente da gleba Mais a gente que vivia do mar Para enfeitar a cidade E abrir-lhe as portas de par em par No dia em que o rei fez anos Houve arraial e foguetes no ar O vinho correu à farta E a fanfarra não parou de tocar E o povo saiu à rua Com a alegria que costumava ter Cantando se o rei faz anos Que venha à praça. para nos conhecer No dia em que o rei fez anos Houve arraial e foguetes no ar O vinho correu à farta E a fanfarra não parou de tocar Intro Versos Refrão .No dia em que o Rei fez anos Vieram tribos ciganas Saltimbancos sem eira nem beira Evitaram a estrada real E passaram de noite a fronteira E o povo saiu à rua Com a alegria que costumava ter Cantando se o rei faz anos que venha à praça.

Sol*. Ré. mas canto trovas ao luar E a minha capa solta ao vento. Rém. para assim poder ter Uma amarra em cada porto. sou um Tuno Nunca andei no alto mar. Ré*. a quem eu canções compus Um dia cortou amarras. Sol*. Dó. Lá#. foi mau tempo no alto mar Cortei as velas e o leme. Sol. Mim] [Dó. e com calma ver o mar Cantar canções às gaivotas. Lá#. Solm. Ré*. Ré. Lá7] Verso [Rém. tem paixão e desalento De uma barca a naufragar Instrumental [Rém.Músicas de Rua Tunas TUM – “Tunalmente Molhado” Instrumental Gostava de ser marinheiro. Lám. Dó. Mim. Ré*. Dó. Solm. Ré. Solm. Rém. Dó.. Lá7] Refrão [Rém. para com elas voar. e a nenhuma pertencer Percorrer o mundo inteiro. Lá#. Ré*. Sol] E num beijo dado a medo / Quem havia de supor Nasceu a nossa amizade / Começou o nosso amor Refrão / Instrumental / Refrão Quanto mais longe de nós / O passado vai ficando /____________________________________________________________________________/ . / Descobrir o teu segredo Bateu forte o coração / Bateu forte e continuou Num beijo dado com medo / Namorar o teu amor Instrumental [Dó*. Ré*] Todo este afecto tão grande / Que maior se vai tornando Quanto mais longe de nós / O passado vai ficando As nossas bocas bem juntas / Por longo tempo vibraram Serenamente uma jura / Sem ter palavras juraram Refrão [Sol. Dó. / Deste-me um beijo com medo E nesse beijo deixaste. Sol*. Mim*] E nunca mais esqueci / Nem a noite nem a hora Em que daí começou / Todo este afecto de agora Verso [Mim. Lá7. Si. Sol7. Solm. Sol. Não sou marinheiro. Ré7. já nem lhe vejo a luz Nesse dia perdi tudo. Lá. Sol. Dó]x2 [Lá#.. Sol*. Si] [Sol*. p’rá deriva navegar Refrão (x3): Segunda vez só vozes Instrumental /____________________________________________________________________________/ TUM – “O Teu Segredo” Numa noite não sei quando. Solm Lá#. Lá7] Instrumental Houve um porto que eu amei.

Mi. quanto me doi esse abraçar. vou para lá do teu clarão. | Sofrimento de alguém que provou do teu amor. Dó#7][Fá#m. Mi. Lá#7b9] [Fá#m. eu estou de novo aqui. Ré. Lá. Lá Sim. fecho olhos. Fá#m] Se um dia não houver Se um dia não houver Break Se um dia não houver luar [Fá#m. Lá. Ré]x2 [Rém. Dó#7*. Sim. Fá#m*. Sol#dim. Fá#m. E mesmo assim. Lá. Ré. Ré. Lá. Dó#7. | Faço dela um novo luar. Lá.TUIST – “Se Um Dia Não Houver Luar” Se um dia não houver luar. Fá#m] /____________________________________________________________________________/ [Fá#m. por trazer verdade tua. pronto a recomeçar. Lá. Lá. Sol#dim. Lá. Lá#7b9. Sim. Lá#7b9. Sim. Dó#7] Instrumental [Fá#m. pegadas já marcadas pela dor. Fá#m]x2 [Mi. Ré7M. Dó#7] Instrumental Verso [Fá#m. Fá#m. vou à tua porta pedir a razão Perguntar num beijo. Sol#dim. / Volto de novo aqui Aos braços de um olhar que enfrenta o enredo num desprezo par. Mi. Sim. Pronto para partir e depois voltar. pelos olhos a falar do coração | | | E se me disseres que o olhar nunca foi o espelho da tua paixão. Ai. Sim. Sol#dim] [Fá#m*. Sim. Lá#7b9. | | BIS Seguirei no chão. Fám*] [Mi. Fá#m*. Lá. Dó#7*. Ré. Sim*.Dó#7] [Lá. Ré]x3 [Dó#7] [Fá#m. Sim. pela luz que já nâo vejo. Ré. Se um dia não houver luar Intro [Fá#m. Fá#m. Fá#m. | Ardo no caminho em saudade de te amar. Ré. Sol#dim. Dó#7. Dó#7. | Assim. Lá. Fá#m*] . Fá#m] Refrão Refrão [Fám*. Fá#m. | Agradeço à lua. Lá. Fá#m] Final [Dó#7.

Sol. Ré] [Mi. portu.Sim. portu.Ré#] [Dóm. No Japão esqueceu as moças de Paris / As espanholas são baris E despediu-se à francesa / E foi viver com uma inglesa Yes baby. Sol. Tuuu.LáFá#7. Mi] [Lám. Lám.Sim.Fá] [Dó. /____________________________________________________________________________/ . Si7] [Mi.Sol] [Mi.do chega o verão / Vou para a praia me bronzear Uso tanga pequenina / O que é bom é para mostrar E com todo este aparato / Elas caem que nem um pato E se de repente eu vejo E se de Uma miúda no areal Uau Levanto-me e faço peito / Para se ver o meu cabedal E sem ser nada machista / Digo-lhe assim com ar de artista… I love you ó mon amour.Dó#.Mi.Fá] Refrão [Lá.. Si7. Ele é o macho português Foi assim que deus me fez.Si7] [Dó7.Dó…. Sól#m.Lá7] [Ré.Sim. Fá#m] [Sim.Fám.Mi. seeenta-te No meu colinho / Que eu não mordo nem aleijo Não me digas que não / Quando te pregar um beijo Cá para mim já estás no papo / Saiu-te a lotaria. pois sou / Pois és Eu sou o macho portu.Lá] Refrão2 [Ré. Mi] [Lá.Lá…] [Mi.Lá.Lá] [Ré. Mi.Sol] [Ré/Fá#.] [Sol. portu Sei quem ele é / Rapaz bem parecido chamado Zezé Tinha uma boite em Nova York.Mi.Fá#7] [Sim. Ré.Lá.Magna Cartola Tuna – “Macho Português” Verso Des….Lá.Fá#7.de a minha juventude / Que sou rapaz com muita pinta Sempre com peúga branca / Um bigodinho e brilhantina Três anéis em cada mão / Pareço mesmo um campeão. Mi] [Lám. Lá.Lá] Refrão Eu sou o macho português Pois sou.Mim] [Mim. portu.Ré. ai ai ai Esta é a peça que deus fez Eu sou o macho porto / Eu sou o macho português Verso Quan….Lá#] [Dó. ai ai ai Esta é a peça que deus fez Eu sou o macho português. portu.Sib. Mi.Lá] x2 [Sol…. Guês. vais ser a minha Maria Acredita no que vês… Verso [Sól. portu.Mim.Lá. Ré.Lá]2x [Lá…] [Mi…] [Fá#. És tão rechonchudinha / Tão linda e jeitosinha E eu sou tão bom rapaz / Sou melhor que o deus me livre E até tenho um estilo freak / Pareço uma ganda estrela de um filme americano Acredita no que vês… Refrão Eu sou o macho português Ele é o macho português Foi assim que deus me fez.Dó. Ao domingo d’ habitude Ao domingo Vou de zundapp para o engate Gate Camisa aberta até ao umbigo / Eu sou melhor que uma obra de arte O teu perfume patcholi / Lembra-me os coros que te bati Anda cá ó minha linda. portu.Si7.

inspira. ele ficou com o meu chapéu O meu chapéu não tem bicos. Fá. inspira. Ré] Triste História [Sol. x3 As pombinhas da Catrina andaram de mão em mão Foram ter à quinta nova. x3 Aiê! /____________________________________________________________________________/ Magna Cartola Tuna – “Meia Noite Às Quatro” Quando a saudade paira no ar/Sinto vontade de lá voltar Guardo no peito recordações/Dos meus tempos de estudante De aprender a ser amante/Ai!! das mais belas sensações Esta noite vou sair/Pelas ruas a cantar Estas belas melodias/Serenatas ao luar Venha lá quem quiser vir/As donzelas encantar Encantar encantar encantar/Acordes e cantorias Recordar belas manias/E de manhã regressar Capa caída ombros cansados/Canto a tristeza neste meu fado Mas finalmente o anoitecer/Cai a noite nasce a lua Sai o tuno para a rua/Ai!! eis a alma a renascer /____________________________________________________________________________/ .. Triste historia. Verso [Sol] [Dó] Refrão [Ré.. Dó. Ré#.Magna Cartola Tuna – “Triste História” Pobre o infeliz cartola / Faltou ao seu combinado Acaso não fosse artola / Não se tinha castigado. Giroflá e o que foste lá fazer? / Ver as pombas a voar Atirei o pau ao gato. O mar enrola na areia. inspira. Giroflé. quantos bicos faz o seu. Quem não tem vai se afogar. a areia enrola no mar Quem tem botija inspira.. Dó] Refrão Triste historia. Disse-lhe o pai com fervor / Já que à viola tens amor Nela tu podes tocar / E a tuna tens que deixar Esta é a triste historia Da desgraça de um cartola Que num dia sem memória Perdeu a sua viola. ao pombal de São João Fui ao jardim da Celeste.

são tortos Os teus olhos são cegos. Si. Si] [Dó#m. Ré. Fá#. Fá. Si. Fá. Mi] Fim [Mi] *Passagem Rápida Mas são meus… /____________________________________________________________________________/ . Lá. são tortos Os teus olhos são cegos. Si] Break [Fá#. Si] Verso [Mi. são o céu Os teus olhos são o céu. Mi. Fá#. Lá. Lá/Sol# *. (fill)] Refrão [Mi. Lá. Ré. no mistério que neles encontrei Achei nos teus olhos um império À procura de um rei Refrão Os teus olhos são o céu. (subida). Si. Fá. são tortos Os teus olhos são cegos. Lá. Mi. Si.Magna Cartola Tuna – “Olhos” Foi apenas num segundo Que por ti me apaixonei Ainda me pergunto se te vi ou se sonhei Perdido nos teus olhos. Mi] x2 [Fá#. Mi] [Lá. Lá. Dó. são o céu Tu tens guardado e escondido Desejo louco de viver No teu olhar perdido Eu vejo um pouco Do teu ser E mesmo a paixão Não me impede de te dizer Que é uma ilusão empenhar a vida Sem te ter Refrão (x2) Às vezes a vida é dura Parece loucura Remar contra a maré O amor é o nosso lume Tu és o ópio Eu sou o camané Os teus olhos são cegos. são tortos Intro [Mi. Si]x3 [Sol#.

Magna Cartola Tuna – “Serenata Nova”
Cada palavra tua
Tem travo de aventura
Lábios salgados que espalham sensação
Cada sorriso teu
É para mim é só meu
Amo-te toda nua
Despida de fronteiras
Corpo enfeitado
Com o calor da paixão
É tão bom ver-te assim
Apaixonada, apaixonada por mim
Ai esta luz da loucura
Que o nosso amor acendeu
Já não há sol, nem há lua
Brilhamos tu e eu
Iluminando o céu
Instrumental
Cada palavra tua
Tem travo de aventura
Lábios salgados que espalham sensação
Cada sorriso teu
É para mim é só meu
Amo-te toda nua
Despida de fronteiras
Corpo enfeitado
Com o calor da paixão
É tão bom ver-te assim
Apaixonada, apaixonada por mim
You’re unbelievable / Parapapedura, Parapedura
Boa / Tão boa
Boa / Tão boa
Cada palavra tua tem travo de aventura
Boa
Cada sorriso teu é pra mim só meu
Auê, essa greta me mata
Amo-te toda nua, sem roupa
Corpo enfeitado, calor da paixão
Minina louca, me ama na boca, me beija no chão..
Ai esta luz da loucura
Que o nosso amor acendeu
Já não há sol, nem há lua
Brilhamos tu e eu
Iluminando o céu
/____________________________________________________________________________/

Toada Coimbrã – “Balada despedida 5º ano 1988/89 Jurídico”
Sentes que o tempo acabou / Primavera que é flor adormecida
Qualquer coisa que não volta que voou / Que foi um rio, um ar na tua vida
E levas em ti guardado / O choro de uma balada
Recordações de um passado / O bater da velha cabra
Capa negra de saudade
No momento da partida
Segredos desta cidade
Levo comigo p'rá vida

Verso A
[Ré, Sim, Fá#m, Sol, Lá]
Verso B
[Sol, Lá, Ré – Sim, Sol,Lá]
[Sol, Lá, Ré – Sim, Sol,Lá, Ré]

(x2)

Refrão
[Ré, Sim, Fá#, Sol, Lá,Ré]

Intro
Sabes que o desenho do adeus / É fogo que nos queima devagar
E no lento cerrar dos olhos teus / Fica esperança dum dia aqui voltar
E levas em ti guardado / O choro de uma balada
Recordações de um passado / O bater da velha cabra

Refrão (x2)
/____________________________________________________________________________/

TUP – “Madalena”
Intro
Verso
Chorar (chorar) como eu chorava (como eu chorava)
Ninguém (ninguém) pode chorar (deve chorar)
E amar (e amar) como eu amava (como eu amava)
Ninguém (ninguém) deve amar
(lalaralala lalaralala)
Verso 1
Chorava que dava pena (lalara lalaralala)
Por amor a Madalena
Mas ela, me abandonou
E assim murchou em meu jardim essa linda flor
Refrão
Lalalalalara! Lalalalalara!
Lalalaralala lalaralala!

Intro/Refrão
[Solm, Rém, Lá#, Lá, Rém, RéM]
(x2)

Verso 2
E Madalena foi / Como um anjo salvador
Que eu adorava com fé / Um barco sem timão
Perdido em alto mar / Que sou eu Madalena sem ti amor

Verso1
[Rém, Solm, Dó, Fá]
[Rém, Solm, Lá, Rém, Ré7M]
Verso2
[Solm, Dó, Fá, %, Lá7, Rém, Ré7M]

Refrão
/____________________________________________________________________________/

TUP – “Ondas do Douro”
Linda donzela vem à janela que a tuna passa
Ouve este canto que o teu encanto enche de graça
Olha p'ra lua que noite é tua e o trovador
Enamorado canta enlevado trovas de amor.
São teus cabelos ondas que o Douro leva p'ró mar
Lento embalo de melodia que faz sonhar
Barcos Rabelos feitos da esperança de um teu olhar
E a tuna ronda junto à Ribeira p'ra te cantar.
Refrão
Levo nos olhos a tua imagem brando fulgor
Levo a saudade deixo esta trova ao teu amor
Põe um sorriso, não te entristeças se a tuna parte
Que o estudante eterno amante virá cantar-te.

Refrão
[Ré, Lá, Lá7, Ré, Lá7, Dé, Ré7, Sol, Solm,
Ré, Lá7, Ré, Fá#7]
Verso
[Sim, Fá#7, %, Sim, Si, Si7, Mim, Sim,
Fá#7, Si, Lá7]
Fim [Solm, Ré, Lá7, Ré]

Refrão
Enamorado, canta enlevado trovas de amor.
/____________________________________________________________________________/

TUP – “Timor”
Lavam-se os olhos, nega-se o beijo
Do labirinto escolhe-se o mar
No cais deserto fica o desejo
Da terra quente por conquistar
Nobre soldado que vens senhor
Por sobre as asas do teu dragão
Beijas os corpos no chão queimado
Nunca terás o nosso perdão
Ai Timor
Calam-se as vozes / Dos teus avós
Ai Timor
Se outros calam / Cantemos nós

Verso
[Mi, Lá, Mi, Si7]
[Lá, Dó#m, Fá#m, Si7, Mi]
Aummm [Mi, Lá]
Refrão
[Mi. Si7, Lá, Mi, Lá]
[Mi, Sol#m, Lá, Mi, Si7, Mi]

Salgas de ventres que não tiveste
Ceifando os filhos que não são teus
Nobre soldado nunca sonhaste
Ver uma espada na mão de Deus
Da cruz se faz uma lança em chamas
Que sangra o céu no sol do meio dia
Do meio dos corpos a mesma lama
Leito final onde o amor nascia
/____________________________________________________________________________/

Azeituna – “Dá-me Lume”
Chegaste com três vinténs / E o ar de quem não tem
Muito mais a perder / O vinho não era bom
A banda não tinha tom / Mas tu fizeste a noite apetecer
Mandaste a minha solidão embora / Iluminaste o pavilhão da aurora
Com o teu passo inseguro e o paraíso no teu olhar
Eu fiquei louco por ti / Logo rejuvenesci
Não podia falhar / Dispondo a meu favor
Da eloquência do amor / Ali mesmo à mão de semear
Mostrei-te a origem do bem e do reverso
Provei-te que o que conta no universo
É esse passo inseguro e o paraíso no teu olhar
Dá-me lume, dá-me lume
Deixa o teu fogo envolver-me até a música acabar
Dá-me lume, não deixes o frio entrar
Faz os teus braços fechar-me as asas
Há tanto tempo a acenar
Eu tinha o espirito aberto / às vezes antei perto
Da essência do amor / Porém no meio dos colchões
No meio dos trambolhões / A situação era cada vez pior
Tu despertaste em mim um ser mais leve
E eu sei que essencialmente isso se deve
A esse passo inseguro e ao paraíso no teu olhar

Intro

[Fá7M]

Verso [Dó, Dó7, Fá](x2)
[Lá#7M, Fá, Ré7, Solm, Dó7, Fá]
Refrão [Lá, Rém, Sol, Sol7, Dó, Dó7]
[Lá, Rém, Sol, Lá#7M, Dó]
[Dó, Fá]

Refrão
Se eu fosse compositor
Compunha em teu louvor
Um hino triunfal
Se eu fosse crítico de arte
Havia de declarar-te
Obra-prima à escala mundial
Mas eu não passo de um homem vulgar
Que tem a sorte de saborear
Esse teu passo inseguro e o paraíso no teu olhar
/____________________________________________________________________________/

Lá#. Lá#. Rém. Sim] [Sol. Ré]x2] Refrão [[Fá#.Azeituna – “Suevos” Intro I / Intro II O amor não se escolhe /É o que conto nesta estória Passada há muito tempo / Um tempo já sem memória É a estória de um rei/ Rei do reino dos Suevos Que se enamorou de alguém / A mulher de um dos seus servos Foi em Braga / Capital dos Suevos Que um Rei / Beijou a musa dos seus sonhos Intro [Rém. Ré. Lá. Lá] [Fá. Lá. Lá#. Lám] Triste Sina a do Rei / O Rei Miro dos Suevos Que enfim foram conquistados / Do Sul pelos Visigodos Refrão [Fá.Lám] Refrão (x2) / Instrumental / Intro II / Refrão (x2) / Intro II /____________________________________________________________________________/ InfanTuna – “Águas Do Dão” Quando Deus criou o mundo/ Por vontade ou brincadeira [Fez o céu e depois a Terra/ E a seguir a parreira] (2x) É a alegria da vida / Que a gente sente melhor [O vinho é coisa santa / Não o bebesse o prior] (2x) Ai amor / Onde é que isto vai parar [Foram as águas do Dão / Fiquei de pernas para o ar] (2x) E quando nos falta a coragem / Para a garota conquistar [Há sempre uns copos à espera / Que nos podem ajudar] (2x) Instrumental/Verso [[Lá. Ré.Rém] Esse amor proibido / Teve mesmo que acabar Um reino quase perdido / E um último olhar Verso [Rém. Solm. Lá. Rém. Dó. Dó. Lá#. Ré]x2] Fim [Ré] Em tempos de marração /Quando tudo corre mal [Uma noitada nas águas / Levanta logo a moral] (2x) (Refrão) /____________________________________________________________________________/ . Rém. Rém] Break [Rém. Fá. Lá#. Fá. Solm. Ré] [Sol. Dó.

Fá#m] Verso [Fá#m. Dó#.Fá*. Dó#. Fá#m*. Dó#. Si. Dó#. Dó#. Mi. %. Fá#] Final Refrão [Fá#. o Marco e Michael Eram os mil cento e onze Os Beatles.Azeituna – “Minha Música” Música. Mi. Sim. Fá#m] [Fá#*m. Mi. Dó#. o Blues e o Rock and Roll O Antonio. Fá#m] Refrão [Fá#. a Bossanova. Fá#] [Fá#. Elton John. Mi. Sol#m*] [Lá. Sol#m. Fá#. Dó#] x2 [Fá#. Si ] [Fá#] Quando entrei para o liceu Comecei a tocar O Jazz. Fá#m] [Fá#m. Bob Dylan e os Rolling Stones E o meu pai dizia filho Tens que usar gravata Vê mas é se ganhas tino e juizinho De blusão e de Blue Jeans igual a James Dean Já mordia cá por dentro esse bichinho Refrão (x2) Na minha mú Na minha mú Minha música /____________________________________________________________________________/ . Dó#. eu nasci prá música Para te ver sorrir e a sonhar E se escutares com atenção Tens o bater do teu coração Na minha música [Fá#] Recordo-me hoje vagamente De quando era criança Vivia numa vila linda à beira Tejo Tinha uma namorada loira E os amigos da escola Sexta-Feira Santa ia no cortejo E o meu pai dizia filho quando fores maior Tens que ser um engenheiro ou Doutor Qual Doutor dizia eu Que mau Doutor seria Quero é cantar numa telefonia Instrumental [Fá#m.

Tudo o que eu te dou tu me das a mim tudo o que eu sonhei tu serás assim tudo o que eu te dou tu me das a mim e tudo o que eu te dou Sentado na poltrona. ecstasy ou paixão hum. cantar. amar e partir promessas perdidas escritas no ar e logo ali eu sei. gritos de prazer que um homem também chora quando assim tem de ser Foram tantas as noites sem dormir tantos quartos de hotel.. Lá#] Refrão [Sol#m.Caso se queira subir de tom . coragem de leão as vezes fraco assim é o coração eu não sei.. esse odor. beijas-me a pele morena fazes aqueles truques que aprendeste no cinema mais peço-te eu.Si] [Sol. que mais posso ser um dia rei.Dó.Azeituna – Tudo o que eu te dou Eu não sei. adormecer Verso [Mi. que mais te posso dar um dia jóias noutro dia o luar gritos de dor. já me sinto a viajar para. Fá#m.Ré]. recomeça.Lá. faz-me acreditar Não dizes tu. e o teu olhar mentiu enrolados pelo chão no abraço que se viu é madrugada ou é alucinação estrelas de mil cores. outro dia sem comer por vezes forte. traz tanta saudade mata-me de amor ou da-me liberdade deixa-me voar.Si7] [Dó#m.

Fez Inês rainha. Estudantes que trajam de negro. Ré. Ré.TMUC – “Coimbra dos Amores” Viver e Amar! Coimbra. O berço dos doutores. Trovadores da boémia e Mondego!" /____________________________________________________________________________/ . em morte. tão forte. Guitarras. Ré]x2 Refrão [Sol. Dó. Do milagre das rosas. Os teus amores. Se ergue com esplendor A cidade da saudade. Ré. Embalam o luar! Bela cidade Dos poetas da saudade Que para sempre eu vou amar! Intro [Ré] Verso [Sol. Da tragédia de um amor Eterno e. Sol] | | | |x2 | | Da portagem ao penedo. cantores. no sentir. Ré] [Lám. cidade de antigas tradições.

Fá. Mim. Sol. Dó. Inst. Rém] [Dó. Ré]x2 [Dó. pla madrugada / Saem naus de Lusitanos E longa será a jornada / Por todos os oceanos Caravelas já partiram / De Belem para além-mar E nas velas. Fá. Fá] Verso [Dó. Refrão [(Lá#). / Coragem mais ninguém tem.. Si] Verso [Mim. /____________________________________________________________________________/ EUL – “Em Viagem” Do Tejo. Enfrentar o adamastor. Solm. Mandam-me ir além-mar. um dia. Dó]x2 Vou passar o bojador. Lá#. Sou um velho lobo do mar. Ré. Si7] [Mim. [Mim. / Quero chegar mais além. Dó. Mim. Si7. E levam no peito a coragem / Unidos nesse mistério Portugueses vão em viagem / Pela Fé e pelo Império Instr. [Dó. estarei a teu lado. Fá] [Solm. marinheiro. Mi7] [Lá. / Os versos desta canção. / Do amor que és para mim. poder cantar / Um Camões e um Pessoa /____________________________________________________________________________/ . Sol.. Rém. Dó. Lá. Lám. Rém]x2 Estrelas do céu que me guiam. Mim. Si7. Solm. Fá. Lá.. Dó.. Lá#. / Serás a minha sereia. Saudades são minhas trovas. Ré] Povo e terra. a Cruz de Cristo / Novas gentes irão salvar Ai Adeus. Si7. Ré]x2 [Mim. Ré]x4 [Sol. Mim. Rém] [Lá. / Meu coração incendeia. / Que brotem de um Mar sem fim. Rém. %] Refrão [Lám. Lá. / Em viagem. Mim] [Dó. Rém. Solm. Fá. Fá. / Serás a minha sereia. Lá#. Dó. / As velas roçam no vento.EUL – “Velho Lobo do Mar” A A espuma vou desbravar. Mim. / Tão triste é o teu fado Ai Adeus. Sou um velho lobo do mar. Brilha a estrela-polar. Refrão / A / Refrão Brilha a estrela-polar. Procurando Terras Novas. Fá. / Meu coração incendeia. / Em noites de solidão. Mim.(x2) Ao leme sigo o Luar. Nunca deixem de brilhar. Ré. Rém. feito ao mar / Nessa voz que ainda soa E. / Que clareia a escuridão. Si7. companheiro. / Cantanto este lamento. Mi7] [Lám. Sozinho vou trauteando. Fá. Dó. Lá. Mim]x2 [Lám. / Aqueçam o meu coração.

Mim7. Sol. Fá. Rém. a obra nasce Deus quis que a Terra fosse toda uma Que o mar unisse. Dó. Ré. Lá. Mim. Mim7. Lá#. Solm. Lá. o homem sonha. Rém. Ré7. Fá. Sol/Si. Lám/Sol. Lá#. Sim. Ré. Rém. Solm. Lám. Rém. Lám/Sol. Mim7. Ré][Rém] Refrão Final [Lá#. falta cumprir-se Portugal Refrão /____________________________________________________________________________/ EUL – “Sinos da Sé” A Lua já se foi embora /E o sol bate no rio Voando pelos céus fora /Vão as pombas do Rossio E o meu amor acordou / Veio à janela também Sorrio quando encontrou / A luz que Lisboa tem Intro [Rém. Ré] [Ré. Lá. Lám/Sol. criou-te português Do mar e nós em ti nos deu sinal Cumpriu-se o mar e o império se desfez Senhor. Ré. Solm. Lá. Lá. Rém. és p´ra mim Refrão [Ré. Ré] Não há beleza no mundo / Como o brilho de Lisboa Não há beleza no mundo / Como o brilho de Lisboa /____________________________________________________________________________/ . Lá] Tocam os sinos da Sé / E o Cristo-Rei sorri Põe-se a cidade de pé / Quando eu canto para ti Tocam os sinos da Sé / No ar um pregão entoa. Solm. Ré. Lá. Não há beleza no mundo / Como o brilho de Lisboa Verso [(Rém). já não separasse Sagrou-te e foste desvendando a espuma E a orla branca foi De ilha em continente Clareou correndo até ao fim do mundo E viu-se a terra inteira. Lá] [Solm. Lám. Sol/Si. Lá#. Rém] [Solm. Lá. ó Lisboa. Rém. Lá. Rém. Lá. Fá. Ré] E até mesmo o Cristo-Rei / Do outro lado a olhar Ergue os braços p'ró céu / Porque te quer abraçar Instrumental [Solm.EUL – “O Infante” Deus quer. Lá] [Solm. Mim7] [Lám. Solm. Rém. Si. Ré. de repente Surgir redonda do azul profundo Verso [Lám. Rém. Rém. Lám/Sol] Quem te sagrou. Lá#. Lám] Refrão [Lám. Lá] Um arco-iris brilhante / A cair sobre um jardim Mpstra a luz do diamante / Que. Solm.

Lá. minha lonjura / Por mim perdida. Lá. Rém/Dó. Instrumental = Refrão [Lá#] Final [Rém. Lá#] A [Rém. Dó.EUL – “Desfolhada e Tourada” Corpo de linho. Entram velhas doidas e turistas / entram excursões entram benefícios e cronistas / entram aldrabões entram marialvas e coristas / entram galifões de crista. Fá. Solm. Lá. Lá#. Entram cavaleiros à garupa / do seu heroísmo entra aquela música maluca / do passodoblismo entra a aficionada e a caduca / mais o snobismo e cismo. Lá#. milho vermelho / Cravo de carne. que sendo velho / Volta a nascer. Lá. Lá. Ó minha terra. Lá] E dizia. Mi. Ré] Final [Ré. quando há calor. Lá. Eira de milho. Sol#dim. Solm. Lá.. Rém] Minha palavra dita à luz do sol nascente Meu madrigal de madrugada. bago de amor. Refrão Não importa sol ou sombra / camarotes ou barreiras toureamos ombro a ombro / as feras. lábios de mosto / Meu corpo lindo. Refrão [Rém. Lá#. Fá. Filho de um rei. amor. Lá#7M. Verso [Rém. Mi. /____________________________________________________________________________/ .. Lá. fá-lo por gosto. Nós vamos pegar o mundo / pelos cornos da desgraça e fazermos da tristeza / graça. Lá. Lá. Entram vacas depois dos forcados / que não pegam nada. Solm*] [Lá#. Lá. Ré7*] B [Rém. amor. Desfolhada Intro [Ré. Rém. Rém] [Ré7. Entram guizos chocas e capotes / e mantilhas pretas entram espadas chifres e derrotes / e alguns poetas entram bravos cravos e dichotes / porque tudo o mais são tretas. moira encantada / Lenda perdida. Lá] Com bandarilhas de esperança / afugentamos a fera estamos na praça / da Primavera. Fá*. Rém. a desventura. por mim achada. Rém/Dó. Lá#7M] Tourada Intro [Lá. Solm. Lá. Soam brados e olés dos nabos / que não pagam nada e só ficam os peões de brega / cuja profissão não pega. Lá#. meu fogo posto. Rém] Olhos de amêndoa.. lenda encontrada. amor. Fá. Si7. É milho-rei. Rém.. E diz o inteligente que acabaram as canções. Moira escondida. cisterna escura / Onde se alpendra. Dó#7mb5. minha aventura / Casca de noz desamparada. Amor. Rém] [Rém. Ninguém nos leva ao engano / toureamos mano a mano só nos podem causar dano / espera. luar de Agosto / Quem faz um filho. Solm. Dó. amor presente Em cada espiga desfolhada. Solm. Mi. Rém/Dó. Lá#7M. Dó. Rém] Ó minha terra. [Lá#. Lá#. Entram empresários moralistas / entram frustrações entram antiquários e fadistas / e contradições e entra muito dólar muita gente / que dá lucro as milhões. Solm.

Ré]x3 Verso A [Sol. Lám. Lám. %. Ré]x4 [Sol. %. Lám.So. Ré. Ré] x2 [Sol. Ré]x4 Verso / Pré. Mim.EUL – “O Amor A Portugal” O dia há de nascer / Rasgar a escuridao Fazer o sonho amanhecer / Ao som da canção E então: O amor há de vencer / A alma libertar Mil fogos ardem sem se ver Na luz do nosso olhar Na luz do nosso olhar Um dia há de se ouvir / O cântico final Porque afinal falta cumprir O amor a Portugal O amor a Portugal! /____________________________________________________________________________/ Copituna d’Oppidana – “Menina Caloira” Verso Menina Caloira/Tu foges de mim Que fiz eu ao mundo /Para merecer algo assim Teus olhos azuis/Teus olhos clarinhos São flores do céu/São dois danoninhos São dois danoninhos/Prontos a comer Sem esses dois/Eu não posso viver Porque não me olhas/Porque não me vês Menina Caloira/São muitos porquês Pré. Sol. Sol] B [Dó. Lám. Sol] [Sol. Lám. Mi7. Dó]x2 Refrão [Sol. Ré. Ré.Refrão / Refrão (x2) /____________________________________________________________________________/ .Refrão Ooooooh! Menina!/Se eu pudesse dar-te-ia a lua E pela vida que me resta/Gritaria o teu nome pela rua Refrão (x2) Menina Caloira/Abre o coração Menina Caloira/Ouve esta canção Intro [Sol]x [Sol.

Si7]x2 [Mi. Si] Refrão [Mi. extensas. Si7.Gatunos – “Cartas de Amor“ Cartas de amor / Quem as não tem Cartas de amor / Pedaços de dor sentidas de alguém Cartas de amor. Lám. Dó. / Com verdade o amor que senti Quantas noites em claro passei / A escrever para ti Cartas banais / Que eram toda a razão do meu ser Cartas grandes. Si7. Lá. Si7] [Mi. iguais / Ao meu grande sofrer Refrão Verso [Mi. Mi. Lám. levam bem Saudades minhas / Cartas de amor. Si7. Lá. Fá#m. Mi7] Porém de ti / Nem sequer uma carta de amor Uma carta vulgar recebi / Pra acalmar minha dor Mas mesmo assim / Eu para ti não deixei de escrever Pois bem sabes que tu para mim / És todo o meu viver Refrão x2 /____________________________________________________________________________/ . Si7. andorinhas / Que num vai e vem. quem as não tem Como jurei. Mi.

.. Sol... Dó]x2 [Dó] Refrão [Dó... Ehh Lá Desculpa lá Natália Mas são só sete. Fá. Sol... eu sei que sou um tipo bem parecido que sou uma beldade Por vias disso sou bastante pertendido lá na minha faculdade E quando eu passo não sei o que faço deixo as todas baradas | Mas sou fiel às minhas 7 namoradas |(x2) E que são: A Amélia.TAL – “As Sete Namoradas” Instrumental Sim. Dó. Fá. Dó. Sol. bem charmoso e tão gentil Todas me querem todas elas me preferem a mim homem de sexappeal E o meu sorriso faz-lhe perder o juizo deixo-as todas baradas Mas sou fiel às minhas 7 namoradas |(x2) Refrão Instrumental [Fá. Dó. Dó] [Fá. Dó. Dó]x2 [Dó. Dó] [Fá. Dó]x2 [Dó.. %] .. Sol.Duas A Délia.Três / E a Dália.Uma / A Amália.. Dó.Cinco / A Ilaúria. educado...Quatro A Célia. Fá. Sol*]x3 [Dó] Instrumental /____________________________________________________________________________/ Verso [(Dó).Sete / E a Natália. atencioso.. Sol. Sol.Seis A Célia. (Dó)] [Fá. não posso contar contigo senão a Elizabete fica fula comigo Tenho a certeza que compreendes assim com a Ana Tereza (Mais Nomes Aleatórios) E as filhas do Carlos Mendes Instrumental Sou tão prendado.

Teu olhar mata mais / Que atropelamento De automóvel / Mata mais Que bala de revólver. Lá7. Ré7M. Pascarigudum.. Lá. Fá7. Pascarigudum. Sol#dim. Sim7. Mi7. Ré7] Verso (x2) Não posso ficar / Nem mais um minuto com você Sinto muito amor / Mas não pode ser Moro em Jaçanã / Se eu perder esse trem Que sai agora às onze horas / Só amanhã de manhã Verso [Rém. Lá7. Mi7] Refrão (x2) Verso Verso [(Lá7).Brasileiras Adoniran Barbosa – “Trem das Onze” Intro (x2) Quaz. Dó#m7. Rém. Pascarigudum.. Quaz Quaz Quaz Quaz. Rém.(Mim)] Refrão /____________________________________________________________________________/ .Rém] Break [Rém. Fá#7.. Quaz.. Mi7.. Intro / Refrão [Solm. Sim7.. Rém../Dó. Solm. Lá7. Lá] E|------------------------------------------| B|---3-2p1----------------------------------| G|-2-------3-2p0----------------------------| D|---------------4--1--0h1p0----------------| A|---------------------------3p1p0----------| E|---------------------------------3--------| Pré-Refrão Além disso mulher / Tem outra coisa Minha mãe não dorme / Enquanto eu não chegar Refrão Sou filho único Tenho minha casa pra olhar E|--2------------------|--1-----------------| B|-1-------------------|--3-----------------| G|-2-------------------|--2--2--------------| D|-0----0--2--4--0-2--4|--0---------------0-| A|---------------------|--------0---2--4----| E|---------------------|--------------------| Verso / Pré-Refrão / Refrão / Intro (x2) /____________________________________________________________________________/ Adoniran Barbosa – “Tiro Ao Álvaro” De tanto levar /Flechada do teu olhar Meu peito até / Parece sabe o quê? Táuba de tiro ao Álvaro / Não tem mais onde furar Não tem mais!. Lá7. Solm. Rém. Rém. Sim7. %. Lá#m7b5.. Mi. Lá#. }x2 Refrão [Lá7*. Ré. Teu olhar mata mais / Que bala de carabina Que veneno estricnina / Que peixeira de baiano. Lá#. Mi7] [Ré. Ré.

Mi7. Mi7. Mi7]x2 [Lám] Refrão [Rém. Mi7] Verso [Lám. Solm]x2 [Lá7... Rém. (x3) Se o senhor não tá lembrado Dá licença de contá Que aqui onde agora está Esse edifício alto Era uma casa veia Um palacete assobradado Foi aqui.Adoniran Barbosa – “Saudosa Maloca” Jogue as casca pra lá. maloca querida Que dim donde nóis passemos dias feliz de nossa vida Jogue as casca pra lá. seu moço Que eu. Lám] [Lá7. Mi7] [Rém. Si7. Lám Si7. Mi7. Si7. Lá7] [Rém. Lá7] [Rém. Rém] [Rém. Lá7] [Rém. Lám. Mi7. (x3) /____________________________________________________________________________/ . Lám. Lám. Si7. Mi. Lám. Lám. Lá7. Lám. Si7. Lám. Mi7] [Lá7. Lám. Mato Grosso e o Joca Construímos nossa maloca Mais um dia Nóis nem pode se alembrá Veio os homi cas ferramentas O dono mandô derrubá Peguemo tudo as nossas coisa E fumos pro meio da rua Preciá a demolição Jogue as Cascas [Rém. [Lám.. Fá.. Mi7]x2. Lám] Que tristeza que nóis sentia Cada tauba que caía Duía no coração Mato grosso quis gritá Mas em cima eu falei: Os homi tá ca razão Nóis arranja outro lugá Só se conformemos quando o Jocá falou: "Deus dá o frio conforme o cobertô" E hoje nóis pega a paia nas grama do jardim E pra esquecê nois cantemos assim: Saudosa Maloca.

Fá#7. Sol/Fá. Mim. Si7. Si7. Lá.. Mi7. espiando Minha escola / Perdendo ou ganhando Mais um carnaval Verso A [Sim. Fá#] Não deixe o samba morrer Não deixe o samba acabar O morro foi feito de samba Refrão De Samba. Lám.(2x) B [(Sim).. Si7] [Mim. Sim] [Mim. Si7] [Mim. rara Quero de novo cantar /____________________________________________________________________________/ Sambô – “Não Deixe O Samba Morrer” Quando eu não puder / Pisar mais na avenida Quando as minhas pernas / Não puderem aguentar Levar meu corpo / Junto com meu samba O meu anel de bamba / Entrego a quem mereça usar. Sol/Fá#. Si7] [Mim. Lám. Sim]x2 . Mi7. Ré. Mi. Dó#m7b5. Lá. Sim] Antes de me despedir / Deixo ao sambista mais novo O meu pedido final. Ré7] [Sol. Lá. [Sim. Sol7] Refrão [Dó. Ré. Ré7M. Mim] /____________________________________________________________________________/ [Dó#m7b5. Ré7m. Sol. Sol. Fá#7. }(x2) Eu vou ficar / No meio do povo. Ré7. Fá#7. Dó#m7b5. Dó#m7b5. Fá#7. Mim. Ré7M. Sol. Sol. Sim.Niltinho/Haroldo Lobo– “Tristeza” Tristeza Por favor vai embora A minha alma que chora Está vendo o meu fim Fez do meu coração A sua moradia Já é demais o meu penar Quero voltar aquela Vida de alegria Quero de novo cantar Intro [Sol] Verso [Sol. Lá.. Ré7M. Dóm. Sol... Sol] la ra rara. Dó#m7b5. Sol7M. Sim. Fá#7. prá gente sambar. la ra rara la ra rara. Lá.. Lám. Ré7M.

Vou curtir o Perequê numa legal / Ela gosta de tudo é liberal No fim da madrugada a gente vai se amar. Ré7. Lá7] Refrão [(Rém). Sabadabadá. O lindo bronzeado da menina / Um olhar tão profundo me fascina Um andar provocante e sensual...Sambô – “Esperanças perdidas & Alegria de Domingo” Quantas belezas deixadas nos cantos da vida Que ninguém quer e nem mesmo procura encontrar E quando os sonhos se tornam esperanças perdidas Que alguém deixou morrer sem nem mesmo tentar Minha beleza encontro no samba que faço Minhas tristezas se tornam um alegre cantar É que carrego o samba bem dentro do peito Sem a cadência do samba não posso ficar Não posso ficar. Sabadá. Solm.. Refrão (x2) Sá.. Solm7. Lá7.. Ré#.. Rém] E na praia eu vou curtir um sol (E na praia eu vou curtir um sol) Fio dental. Lá#.. Lá7.. Solm. Lá7] Verso A [Rém. /____________________________________________________________________________/ . Rém. Lá7] Quantas noites de tristeza ele me consola Tenho como testemunha minha viola Ai!Se me faltar o samba não sei o que será Sem a cadência do samba não posso ficar! Sá. Lá7.. Solm] [Dó.. Solm. | |(x2) Domingo é dia. Lá7] B [(Rém. Eu juro que não Não posso ficar eu tenho razão Já fui batizado na roda de bamba O samba é a corda e eu sou a caçamba Verso [Rém.. Solm.. Rém... Lá#. Lá7. Fá7.. Lám)] x2 [( Rém). Lá7. coisa e tal e frescobol (Frescobol!). Lá7. Solm. Refrão (x2) Intro / Refrão [Rém. Oh! / De alegria Pego uma prancha / Vou pro Guarujá (Vou pro Guarujá!) Curtindo ondas / Eu tiro onda E nessas ondas / Eu vou deslizar. Rém.Sabadabadá. Ré7. Lá7] [Rém. Peço duas cervejas só prá refrescar (Refrescar!) E um acerto prá noite a gente se encontrar (Encontrar!)....

Sim7. bum C Da paz e do amor eu quero muito mais /Não tenho a vida ganha vou correndo atrás A luz do seu sorriso pela noite é demais /Brasil. Dó#m7. harmonia de paz B Refrão /____________________________________________________________________________/ . Mi] A Quando a noite cair e o som / Te lembrar algum sonho bom E fazer tudo transcender / Tristeza vai sumir E ninguém vai sofrer B Sintonize sua vibração / Não há tempo pra viver em vão E não pense mais em desistir / Existe um mundo que só quer te ver sorrir Não chora / A nossa vida é feita mesmo para se aprender E agora / É hora de tentar se libertar não vai doer Deixe a energia do som te levar / A vibe positiva solta pelo ar Quem sente com a alma / É capaz de amar Tá sempre livre pra cantar Refrão (x2) Ooh Natiruts Reggae Power chegou Ooh Transformando toda noite em amor Bum.Natiruts – “Natiruts Reggae Power” [Fá#m. Jamaica.

Penso em você Lembro como é bom amar Quando você se foi / Choreeei. os seus sonhos tão raros com mentiras Não maltrate o coração. Rém9] [Lá7] [Solm. Que dedicou. Lá. Lám7] [Fá. Claudia Leitte) Saiba que o simples perfume de uma flor Pode vir. Choreeeei Agora que voltou / Sorri. porque já Está na hora. ao seu sorriso as suas batidas Será livre pra sentir Anseios de uma paixão. / Quero dançar sentir calor E poder só olhar o universo em torno de você / Brilhando em vida. Sol7. Sou Rei” Quando a esperança de uma noite de amor/ Lhe trouxer vontade para viver mais E a promessa que a chance terminou / É bobagem é melhor deixar pra trás Eu tô cansado de sofrer. da gente se encontrar e sermos um Mas não demora. Lám7] [Lá#. / Quero dançar sentir calor E poder só olhar o universo em torno de você / Brilhando em vida. Sorri.Natiruts . Penso em você Lembro como é bom amar REFRÃO /____________________________________________________________________________/ . Sou Rei (x2) (Part. Sorrindo à toa Só vibrando amor e paz / Vejo a Lua. Dó. Sorrindo à toa Só vibrando amor e paz / Sinto a noite. que é pra chama não desencantar Se esvair no ar. lembro do sonho Torço pra realizar / Sinto a noite. Choreeei. a ser uma história linda [Rém9. e ser um grande amor na sua vida Não gaste palavras pra viver De iludir. Sol7. e só restar lembrança Eu tô cansado de sofrer. Fá7M] (Claudia Leitte e Alexandre) Diga que me adora / Deixe o orgulho e venha.“Sorri.

não pego não (x2) Minha mulher me perguntou até/Qual é. Lám] Verso Ela é amiga da minha mulher/Pois é. enfim Ainda por cima é uma tremenda gata/Pra piorar minha situação [Se fosse mulher feia tava tudo certo / Mulher bonita mexe com meu coração] (x2) Não pego. cuíca. Sol7. Dó7M. muito prazer / Hoje você vai ser minha Esse corpo me pertence / Eu vou pegar você (2x) [Lám. qual é Eu respondi que não tô nem aí / Menti. eu pego. Mim] Eu cheguei chegando / Tô cheio de rima Na boca do povo / Em qualquer esquina Não faz isso não neguinha/ Que eu me perco todo Meu pandeiro quebra / Meu cavaco chora E eu fico louco / Louco pra te ver mexer E descer até o chão / Abre a roda pra geral Bate na palma da mão / Já dançaram funk aí Agora é a minha vez / Com surdo. menti De vez em quando eu fico admirando / É muita areia pro meu caminhão [Se fosse mulher feia tava tudo certo / Mulher bonita mexe com meu coração] (x2) Refrão O meu cunhado já me avisou / Que se eu der mole ele vai me entregar A minha sogra me orientou / Que isso não tá certo é melhor parar Falei ela não quis ouvir / Pedi ela não respeitou Eu juro a carne é fraca mas nunca rolou / Falei ela não quis ouvir Pedi ela não respeitou / Eu juro a carne é fraca mas nunca rolou (repete tudo) Refrão (4x) /____________________________________________________________________________/ Seu Jorge – “Eu Sou o Samba “ Coisa linda.Seu Jorge – “Amiga da minha mulher” [Rém. repique Eu vou pegar você Eu sou o samba / Tenho certeza que você vai se amarrar Eu sou o samba / Tenho certeza que você vai se entregar pra mim /____________________________________________________________________________/ . Lám] [Rém. eu pego. Mi7. tamborim. Sim7b5. Si7. pois é Mas vive dando em cima de mim/Enfim. Mi7. não pego.

. Tem o que quer Burguesinha.. burguesinha /Burguesinha. burguesinha /Burguesinha.. burguesinha /Burguesinha.. Suquinho de maçã /____________________________________________________________________________/ . burguesinha /Burguesinha. Do croissant Burguesinha.. burguesinha /Burguesinha. burguesinha /Burguesinha. Ré7M]X2 | [Dó#m7. Ré7M]x4 Com seu carro esporte / Vai zoar na pista Final de semana / Na casa de praia Só gastando grana / Na maior gandaia Vai pra balada / Dança bate estaca Com a sua tribo / Até de madrugada Burguesinha. Mi7] |x2 Saca dinheiro / Vai de motorista [Lá7m. burguesinha /Burguesinha. burguesinha /Burguesinha... Sim7. Só no filé Burguesinha.Seu Jorge – “Burguesinha” Vai no cabeleireiro / No esteticista Malha o dia inteiro / Pinta de artista [Lá7M..

Ré/Fá] Seu cabelo me alucina / Sua boca me devora Sua voz me ilumina / Seu olhar me apavora Me perdi no seu sorriso / Nem preciso me encontrar Não me mostre o paraíso / Que se eu for. não vou voltar Pois eu vou / Eu vou Eu digo "oi" ela nem nada / Passa na minha calçada Dou bom dia ela nem liga / Se ela chega eu paro tudo Se ela passa eu fico doido / Se vem vindo eu faço figa Eu mando um beijo ela não pega / Pisco olho ela se nega Faço pose ela não vê/ Jogo charme ela ignora Chego junto ela sai fora / Eu escrevo ela não lê Minha mina / Minha amiga Minha namorada / Minha gata Minha sina / Do meu condomínio Minha musa / Minha vida Minha monalisa / Minha vênus Minha deusa Quero seu fascínio (2x) (desde o começo) Minha namorada / Do meu condomínio Minha monalisa / Quero seu fascínio (3x) /____________________________________________________________________________/ . Dó#m7b5.Seu Jorge – “Mina Do Condomínio” Tô namorando aquela mina Mas não sei se ela me namora Mina maneira do condomínio Lá do bairro onde eu moro (x2) [Sim7. Mi9] x2 [Mim9.

Canta forte. não chora.Martinho da Vila – “Roda Ciranda / Quem É Do Mar Não Enjoa / Canta... Deixa a tristeza pra lá. Que a vida vai melhorar. canta alto. Canta Canta. Lá#7mb5*. segura. Lá] Na cabeça do bom Santo Amaro / Que é da Purificação E nas águas que rodeiam a ilha / De São Luiz do Maranhão Na rodilha embaixo da talha / E em cima do torso da negra Que ainda rebola / Nas curvas da vida da velha Que ainda consola / A criança que chora A roda é pra rodar na gira / Da vida que roda Olha a roda. que gira / Na roda da saia rendada Da moça que dança a ciranda / Ciranda da vida Que gira e faz girar a roda / Da vida que gira | (x2) [Lá7. minha Gente. Que a vida vai melhorar. Canta Minha Gente / Segure Tudo / Casa de Bamba” Ciranda de roda / De samba de roda da vida Que girou. segura. não larga / Essa tal felicidade Avareza é um defeito / Você nunca foi assim Eu também tenho direito / De tocar meu tamborim Segure Na minha casa / Todo mundo é bamba Todo mundo bebe / Todo mundo samba. é garoa. Mi7. /____________________________________________________________________________/ . Sim. vai embora. Quando a mulher vai embora. olha a roda / A roda é pra rodar na gira Da vida que roda Quem é do mar não enjoa. (x4) | | |(x2) | Segure tudo que for conquistado Segure tudo que não for de mais Segure o braço do seu namorado Segure a menina rapaz | | |(x2) | Assegure um amor sem despedida / Dando amor e lealdade Pra não terminar a vida / No tal bloco da saudade Assegure o pão de cada dia / Trabalhando com vontade Segura. Homem que é homem não chora! Não. Chuva fininha é garoa. não enjoa.

porque é que eu não posso dá dois? Se Leonardo dá vinte.. aí o doutor mandou assim pro malandro. Fá. cuidado quando for atravessar Lá no bixiga encontrei as mariposas Com lenço na moleira não dá pra acreditar Minha vila esperança Lá no metrô eu não me canso de cantar É de manhã é de manhã Já perdi o Trem das onze Não vou mais pro jáçanã | |(x2) | REPETE TUDO /____________________________________________________________________________/ . só deu dois.se liga: Leonardo é leonardo me disse o doutor Ele faz o que bem quer e está tudo bem Infelizmente é que na lei dos homens Agente vale o que é e somente o que tem Ele tem imunidade pra dar quantos quiser Porque é rico. quero ver você sambar.Ré7*. Solm. pinta sujeira depois Refrão [Si. Vem meu povão | |(x2) | Malvina joga a chave.. Dó7] Verso [Solm. vai ficar grampeado no doze Refrão /____________________________________________________________________________/ Demônios da Garoa . Dó#m. porque é que eu não posso dá dois? Mesmo apertando na encolha malandro. Fá#.. Ré#7*. Sol#m. Fá#] Verso [Sol#m.. não me chateia mais E fecha essa maloca que o Arnesto não vem mais | |(x2) Refrão [Fá*. vem cantar comigo numa boa Que samba é arte. Si] Levei um bode perfeito com um baseado aceso na mão Tomei um sacode regado a tapa." Eu respondi: “se leonardo dá vinte porque é que eu não posso dá dois. com Demônios da Garoa.. pontapé e pescoção Eu fui levado direto a presença do doutor delegado Ele foi logo gritando: “vai se abrindo malandro e me conta tudo como foi. Lám.Vem Cantar Comigo Vem meu povão. Fá.Bezerra da Silva – “Se Leonardo Dá Vinte” Se Leonardo dá vinte.. pinta sujeira depois Mesmo apertando na encolha malandro. poderoso e não perde a pose E você que é pobre favelado. Dó7] Iracema. Dó7.. Dó7*." A parada é essa. Iracema. Fá. Dó7.. Solm.

a minha cama é uma folha de jornal! Tenho passado tão mal. sem violão Perto de você me calo Tudo penso e nada falo Tenho medo de chorar Nunca mais quero o seu beijo Mas meu último desejo Você não pode negar Lá em Vila Isabel quem é bacharel Não tem medo de bamba São Paulo dá café. não quero choro.Demônios da Garoa – “Noel Rosa Meddley” O orvalho vem caindo. nem vela Quero uma fita amarela gravada com o nome dela Nosso amor que eu não esqueço E que teve o seu começo Numa festa de São João Morre hoje sem foguete Sem retrato e sem bilhete Sem luar. nem vela Quero uma fita amarela gravada com o nome dela Quando eu morrer. Minas dá leite E a Vila Isabel dá samba Eu hoje estou pulando como sapo Pra ver se escapo Desta praga de urubu O meu terno já virou farrapo Eu vou acabar ficando nu Meu paléto ja virou estopa Eu pergunto com que roupa Com que roupa que eu vou Pro samba que você me convidou? (x2) São Paulo dá café. não quero choro. Minas dá leite E a Vila Isabel dá samba Com que roupa que eu vou Com que roupa que eu vou Pro samba que você me convidou? Noel (x4) /____________________________________________________________________________/ . a minha cama é uma folha de jornal! Quando eu morrer. vai molhar o meu chapéu E também vão sumindo as estrelas lá no céu Tenho passado tão mal.

telecoteco / Coitado do tamborim... telecoteco Tá na crista do sucesso / Até fechar um botequim. sossegado Cidadão trabalhador / Um dia conheceu a Carolina Uma doçura de menina / E aí se apaixonou.(2x) Pararauê! Pararauê! Parara Pararauê! Pararauê Ô Irene.Meddley Brasileiro Teco.(2x) Maneco era um sujeito comportado / Educado.. Ô Irene Vai buscar o querosene / Pra acender o fogareiro Vai buscar o querosene / Pra acender o fogareiro Fui a <LOCALIDADE>/ Acabou-se a comida Acabou-se a bebida / Acabou-se a ganza Sobrou pra mim / O bagaço da laranja Sobrou pra mim / O bagaço da laranja (BIS) Um beijo em você eu quero dar / Saudade presa no meu coração Eu ando louco alucinado / Muito doido e apaixonado por você É pena que esse amor / Não possa mais ficar É pena que esse amor / Não vai poder se eternizar ... telecoteco / É a batida do maneco Castigando o tamborim / Teco. teleco... teleco. -Diz aí!: Teco.(2x) Não pense que meu coração é de papel / Não brinque com o meu interior Camarão que dorme a onda leva / Hoje é o dia da caça Amanhã do caçador / Camarão que dorme a onda leva Hoje é o dia da caça / Amanhã do caçador Mas não tem nada não / Só tá começando O Fim de Semana / O meu descanso E a curtição. telecoteco Tá na crista do sucesso / Até fechar o botequim.. Ô Irene / Ô Irene.. Carol não tinha lá muito juízo / Ele ficou no prejuízo Quando o amor chegou ao fim / Agora chora no boteco Teleco. teleco.. teleco. telecoteco / É a batida do maneco Castigando o tamborim / Teco.

minha linda flor / Minha flor bonita. ficou pra trás Faz tanto tempo que eu te conheço / Mas você mudou comigo Faz tanto tempo que eu te conheço / Mas você mudou comigo Minha flor bonita. ficou pra trás / Então diga que valeu O nosso amor valeu demais / Que pena. ficou pra trás Então diga que valeu /____________________________________________________________________________/ .Então diga que valeu / O nosso amor valeu demais Foi lindo. ficou pra trás / Então diga que valeu O nosso amor valeu demais / Que pena. minha linda flor Um beijo em você eu quero dar / Saudade presa no meu coração Eu ando louco alucinado / Muito doido e apaixonado por você É pena que esse amor / Não possa mais ficar É pena que esse amor / Não vai poder se eternizar Então diga que valeu / O nosso amor valeu demais Foi lindo.

Eta. Ré] [Sim. Eta. é fevereiro / É sete de setembro Futebol e carnaval / Nada muda. Lá. Mim. Mim. Lá7. Mim. Lá7. Eta | | |(x2) | Verso A Verso C Toda a noite é a mesma noite / A vida é tão estreita Nada de novo ao luar / Todo mundo quer saber Com quem você se deita / Nada pode prosperar É domingo. Ré. Si7. Lá7. Mim. É a lua. Ré. Ré. Ré7] [Sol. Ré]x2 B [Sim. Lá7. Lá7. Ré]x4 Refrão [Ré7. Sim. Ré. Ré] Verso B Existe alguém em nós / Em muito dentre nós esse alguém Que brilha mais do que milhões de sóis / E que a escuridão conhece também Existe alguém aqui / Fundo no fundo de você de mim Que grita para quem quiser ouvir / Quando canta assim: Eta Eta. Sol#dim. Lá7. é tudo escuro E até onde eu me lembro / Uma dor que é sem igual Verso B Refrão (x2) /____________________________________________________________________________/ . Sol.Caetano Veloso – “A Luz de Tieta” Verso A Todo o dia é o mesmo dia / A vida é tão tacanha Nada novo sob o sol / Tem que se esconder no escuro Quem na luz se banha / Por debaixo do lençol Nessa terra a dor é grande / E a ambição pequena Carnaval e futebol / Quem não finge Quem não mente / Quem mais goza e pena É que serve de farol A [(Ré). é o sol é a luz de Tieta Eta.

.

Intro/Refrão [Dó. Lá. /____________________________________________________________________________/ . Ré] [Sim. anda ver as faces da cor das papoilas. Azeituna – “Passeio ao Minho” Quem vem ao Minho não se esquece com certeza. dó. Fá. Rém] [Fá. Lá. Ré] Acerta a pancada | Acerta-a no chão |(x2) Bate padeirinha | No meu coração |(x2) /____________________________________________________________________________/ Origem Tradicional feat. Passando o Lima deves subir ao Gerês para veres de cima este jardim português. deste cantinho mais belo da Natureza. Dó. Fá. Ternura e luz há nesta bela paisagem que o Bom Jesus construiu à sua imagem. Anda ver o Minho terra sem igual. Fá. Dó. Rém. Lá. Lá. Fá] Verso [(Fá).Portuguesa José Rosa Valente e Paulo Colaço . Rém. Tamanha verde a loucura divinal onde se fez o berço de Portugal. também a Santa Luzia. uma desfolhada regada com verde vinho. E de abalada vê bem não esqueceres o Minho. Fá] Anda ver o Minho e as suas moçoilas. Lá. Dó."Moda da Padeirinha" Lá na minha aldeia Toda a gente chora Pela padeirinha Que se vai embora | |(x2) | |(x2) Que se vai embora Já está de abalada Bate padeirinha Acerta a pancada | |(x2) | |(x2) [Ré. és forasteiro vai quando houver romaria. %. Vai ao Sameiro. Tens broa e vinho como há muito tu não vês porque no Minho é tudo bem português. Dó. Fá. %. porque o Minho é jardim de Portugal. Vem ver o Minho que não esqueces com certeza deste cantinho mais belo da Natureza. Lá]x2 [Ré.

a faca é na bigorna Na vinha se faz o vinho que mais alegres nos torna Menina das sete saias.Origem Tradicional . tu que danças sem parar Conta-me tudo o que saibas… eu que nunca vi o mar Conta-me os teus mistérios.“Anda Ver o Minho e as Suas Moçoilas” Anda ver o Minho e as suas moçoilas Que trazem nas faces a cor das papoilas Anda ver o Minho Terra sem igual Porque o Minho é Jardim de Portugal O fio faz-se do linho. de lendas e feiticeiras De tantos outros impérios ao redor destas fogueiras Se o cantar dera dinheiro / Meio Mundo era rico Como cantar não dá nada / Pobre sou e pobre fico Se a morte fosse interesseira / Ai meu deus o que seria O rico copraba a bida / Só o Pobre morreria Semeei no meu quintal / Os cacos de uma caneca Nasceu-me uma burra belha / A tocar uma rabeca Cantigas são desafio / Já há tempos isso sei Bós cantais o que quiserdes / Eu canto aquilo que sei Canto bem e canto mal / Canto de toda a maneira Tenho oubido dizer / Que o cantar não vai à feira Lariloléla ao Alto e ao Alto Lariloléla ao Alto Piu Piu Lariloléla oh Chula de Braga Lariloléla eu quero eu qu’ria Lariloléla eu bem te dizia Lariloléla oh Chula de Braga /____________________________________________________________________________/ .

Origem Tradicional . Fá. Lá#] [Rém. Dó. Dó. Dó.. Dó. Dó] /____________________________________________________________________________/ Origem Tradicional -“Chula do Bombo” [Dó .. Sol] Menina das sete saias Tu que danças sem parar Conta-me tudo o que saibas (eu que nunca vi o Mar!) Conta-me os teus mistérios / De lendas e feiticeiras De tantos outros impérios / Ao redor destas fogueiras Tenho um lenço bordado / Não sei para quem será Onde estará meu amado? / Só Deus é que saberá Os mitos que cá se conta / Serão verdade ou não? Mas para mim o que conta / É que nunca falte o Pão! O fio faz-se do linho / A faca é nba bigorna Na vinha se faz o vinho / Que mais alegres nos torna /____________________________________________________________________________/ Origem Tradicional -”Malhão do Souto” [Sol. Fá. Lá#. Lá#] À noite quando me deito / Se a Lua no céu não está Sinto uma dor cá no peito / Com o medo que me dá Final [Rém. Dó9. Sol] Refrão [Ré9. Rém. Dó9. Rém. Dó. Fá. Dó] /____________________________________________________________________________/ “Moda do Entrudo” /____________________________________________________________________________/ . Lám.” Meu Deus que nunca sai / Daqui destas Serranias Sabes bem o que sofri / Nestas noites tão sombrias Verso [Ré9. Dó. Sol. Rém. Fá. Dó.“Eu Que Nunca Vi o Mar. Fá. Lá#. Ré9.

Para trazer ao pescoço Ó ai ó lari lolela. Para prender os teus olhos E não sei se estão seguros.. Dormes comigo na cama És a minha rapariga. Se ainda te bato os olhos Foi jeito que me ficou. E não sei se estão seguros Ó ai ó lari lolela. | | | | | | | A Quem as deitara num fosso As velhas são marabelhas Quem as deitara num fosso. | | | | | | | B Um castelo com dois muros Eu hei-de mandar fazer Um castela com dois muros. Tirana minha querida. | |(x2) Deitada de contra peso... |(x2) Deitada de contra peso O coração de nós ambos | |(x2) INSTRUMENTAL Eu já vi a Tiraninha.. | |(x2) INSTRUMENTAL Eu já vi a Tiraninha | Na praça a vender morangos. | Nas asas d'um passarinho..Adriano Correia de Oliveira – “Vira Velho” Agora já não o sou Eu já fui o teu amor Agora já não o sou.. Foi jeito que me ficou Ó ai ó lari lolela. As moças jovens são joias Para trazer ao pescoço. Na praça a vender toucinho. |(x5) /____________________________________________________________________________/ . | | | | | | | C A /____________________________________________________________________________/ TIRANA – “Tirana meu bem Tirana” Tirana minha querida / Tirana meu bem Tirana.

Si. / No calmo improviso do poente Em baixo fogos trémulos nas tendas / Ao largo as águas brilham como prata E a brisa vai contando velhas lendas / De portos e baías de piratas Havia um pessegueiro na ilha Plantado por um Vizir de Odemira Que dizem que por amor se matou novo Aqui. Si. no lugar de Porto Côvo Verso [Mi. Dó#m. Fá#m] [Lá. Mi] A lua já desceu sobre esta paz / E reina sobre todo este luzeiro Á volta toda a vida se compraz / Enquanto um sargo assa no brazeiro Ao longe a cidadela de um navio / Acende-se no mar como um desejo Por trás de mim o bafo do destino / Devolve-me à lembrança do Alentejo REFRÃO Roendo uma laranja na falésia / Olhando à minha frente o azul escuro Podia ser um peixe na maré / Nadando sem passado nem futuro REFRÃO /____________________________________________________________________________/ . E esse teu ar grave e sério / Dum rosto e cantaria Que nos oculta o mistério / Dessa luz bela e sombria Refrão [Lá. Mi] Por ruelas e calçadas / Da Ribeira até à Foz Por pedras sujas e gastas / E lampiões tristes e sós. Si] Ver-te assim abandonada / Nesse timbre pardacento Nesse teu jeito fechado / De quem mói um sentimento E é sempre a primeira vez / Em cada regresso a casa Rever-te nessa altivez / De milhafre ferido na asa Instrumental / Refrão /____________________________________________________________________________/ Rui Veloso – “Porto Côvo” Roendo uma laranja na falésia / Olhando o mundo azul à minha frente. Sol#m. Fá#m. Lá. são-joanina Erigida sobre o monte / No meio da neblina. Sol#m. Sol#m. Si. Fá#m] [Lá. Dó#m.Rui Veloso – “Porto Sentido” Quem vem e atravessa o rio / Junto à serra do Pilar Vê um velho casario / Que se estende ate ao mar Quem te vê ao vir da ponte / És cascata. Dó#m. Fá#m. Verso [Mi. Ouvindo um rouxinol nas redondezas. Mi] Refrão [Sol#.

Fim da tarde É a brisa onde adormeço / Quente como a tua mão Verso [Sol. Si. Sol. Si7. Lám. Sol] [ Lá. / É o cais. Sol. Ré#] [Sol] (Variações através de Sim7) Tudo muda. Si7.. Dó#. Lám. é a lágrima / A expressão incontrolada Não podia ser de outra maneira / É a sorte.. já não durmo / e eu caia se te minto havera gente informada / se é amor isto que sinto Quero o meu primeiro beijo / não quero ficar impune e dizer-te cara a cara / muito mais é o que nos une que aquilo que nos separa Promete lá outro encontro / foi tão fogaz que nem deu para ver como era o fogo / que a tua boca prometeu pensava que a tua língua / sabia a flôr do jasmim sabe a chicla de mentol / e eu gosto dela assim Verso [Mim. Ré. Lám. Si7 Mim]x2 Refrão [Ré. Flor do cais: Águas mansas e a nudez / Frágil como as asas de uma vida É o riso.. Mim. Lám. / Olho só mais uma vez Como é tão bonita esta avenida. Ré] Nunca me esqueci de ti / Não não não não não nunca me esqueci de ti Não não não não não não não não / Nunca me esqueci de ti Não não / Nunca me esqueci de ti. Si7. Frágil a memória da paixão. Mim.. Sol/Fá#. Mim. Si7. Sol. Lám.Rui Veloso – “Nunca Me Esqueci de Ti” Bato a porta devagar.. /____________________________________________________________________________/ Rui Veloso – “Primeiro Beijo” Recebi o teu bilhete / para ir ter ao jardim a tua caixa de segredos / queres abri-la para mim e tu nao vais fraquejar / ninguém vai saber de nada juro nao me vou gabar / a minha boca é sagrada Estar mesmo atrás de ti / ver-te da minha carteira sei de cor o teu cabelo / sei o shampoo a que cheira já não como. é a sina Uma mão cheia de nada / E o mundo à cabeceira Mas nunca / Me esqueci de ti Não nunca me esqueci de ti Eu nunca me esqueci de ti Não nunca me esqueci de ti Intro [Dó#. / É a lua. tudo parte / Tudo tem o seu avesso. Dó. Mim] [Ré. Mi. Sol] REFRÃO Refrão [Dó9. Ré. Mim] Quero o meu primeiro beijo / não quero ficar impune e dizer-te cara a cara / muito mais é o que nos une (x2) que aquilo que nos separa /____________________________________________________________________________/ .

Final Quando nele julgamos ver a nossa cura! [Sol#m. / Pois eu não tive a noção do seu fim! Pelo que eu já tentei. Solaug. / Um dia vais ser tu E um homem como tu. Sol. Dó#/F. E alguém escreveu o teu nome em toda a parte: Verso Nas casas. Sol. Si. Si. Sol. Em todo o lado essa palavra Lásus4. Sem tirar das palavras seu cruel sentido! / Sobre a razão estar cega: Resta-me apenas uma razão. Dó#/F. Dó#/F. Si/Lá#. Dó#/F. Solaug. nas pontes. / E ao que eu vejo. Lá. [Sol#m. Mi. Sol#m. Lá. / Eu não vou vê-lo em mim: Se eu não tive a noção de ver nascer um homem. nas ruas.Ornatos Violeta – “Chaga” Foi como entrar / Foi como arder Para ti nem foi viver / Foi mudar o mundo Sem pensar em mim / Mas o tempo até passou E és o que ele me ensinou / Uma chaga pra lembrar que há um fim Diz sem querer poupar meu corpo / Eu já não sei quem te abraçou Diz que eu não senti teu corpo sobre o meu / Quando eu cair Eu espero ao menos que olhes para trás / Diz que não te afastas de algo que é também teu Não vai haver um novo amor / Tão capaz e tão maior Para mim será melhor assim / Vê como eu quero E vou tentar / Sem matar o nosso amor Não achar que o mundo é feito para nós Foi como entrar / Foi como arder Para ti nem foi viver / Foi mudar o mundo Sem pensar em mim / Mas o tempo até passou E és o que ele me ensinou / Uma chaga pra lembrar que há um fim /____________________________________________________________________________/ Ornatos Violeta – “Ouvi Dizer” Ouvi dizer que o nosso amor acabou. Tudo foi para ti / Uma estúpida canção que só eu ouvi! E eu fiquei com tanto para dar! / E agora Não vais achar nada bem / Que eu pague a conta em raiva! E pudesse eu pagar de outra forma! Ouvi dizer que o mundo acaba amanhã. Lá] . /____________________________________________________________________________/ Lásus4. / E eu tinha tantos planos pra depois! Fui eu quem virou as páginas / Na pressa de chegar até nós. Mi. Sol] Pra nos lembrar que o amor é uma doença. / Como eu não fui. Lá] Repetida ao expoente da loucura! Refrão Ora amarga! Ora doce! [Si. Si. Um dia vou-te ouvir dizer: / E pudesse eu pagar de outra forma! Sei que um dia vais dizer: / E pudesse eu pagar de outra forma! A cidade está deserta. Si/Lá#. nos carros. Si.

Sol] Vai-te embora / Ladrão que roubas nosso pão Está na hora / De nos devolveres a nação Fim [Mi9] Pá pá pá pápá pá Pápá pá pá pá | |(x2) P'ros vampiros com (o) seu ar vil / Não deixaremos morrer Abril Cantando o Zeca. Fá. Mi] Os vampiros vão vislumbrar / Que algum dia terão que parar Os vampiros vão perceber / Que a sua força vai fenecer Verso [Lám .... / Refrão [Lá.'Vampiros Novos. Sol.' Pá pá pá pápá pá Pápá pá pá pá | |(x2) Os vampiros vão saber / Que a força está no nosso querer Os vampiros vão ouvir / (A) Força que de nós vai surgir Estás a ouvir / Ladrão que roubas nosso pão Está na hora / De nos devolveres a nação Pá.. Vampiros Velhos.Daniel Pereira 'Cristo' . o Sérgio e Adriano / Com militância e por muitos anos Sempre mais com humanidade / Pela igualdade e liberdade Porque a luta é sempre nova / O nosso canto é disso uma prova Vai-te embora / Ladrão que roubas nosso pão Está na hora / De nos devolveres a nação Pá pá pá pápá pá Pápá pá pá pá | |(x2) Vai-te embora / Ladrão que roubas nosso pão | Está na hora / De nos devolveres a nação |x2 /____________________________________________________________________________/ ..Dó.. Fá.

Pré-Verso [Lám7. Lám7/Sol. Mi] Eu quero ver-te no meu espelho / Intimidar-te com o olhar E confessar-te que foste eleita / para eu me dar Vá vem dormir para os meus braços / Que eu vou mostrar-te o que é o amor Se eu não vencer / quem vence a prova do teu rigor Refrão Mais um dia na cidade / E ainda não sei nada de ti Mas é tão bom ter o teu nome aqui / aqui. Fá. eu quero ir. Fá. eu quero ir. eu estou aqui /____________________________________________________________________________/ . Lám7/Sol. / neste tom Mas se te vejo. adriana / Se te vejo.. Lám7/Sol. adriana Eu quero ir. Mi7] Verso/Refrão [Lám7..“Adriana” Mais um dia na cidade / Eu não sei nada de ti Ainda não vi o teu milagre / sobre mim Eu nem ouso sentir esperança / Estou tão longe do que é bom Não te tenho nesta dança.. Lám] Refrão [Mi..aqui.. Fá7. Lám] Frágil / Esta noite estou tão frágil Frágil / Já nem consigo ser ágil Está a saber-me mal / Este whisky de malte Adorava estar in / Mas estou-me a sentir out Frágil Eu sinto-me frágil Acompanha-me a casa / Já não aguento mais Deposita na cama / Os meus restos mortais Frágil Eu sinto-me frágil /____________________________________________________________________________/ Jorge Cruz ..aqui.Jorge Palma – “Frágil” Põe-me o braço no ombro / Eu preciso de alguém Dou-me com toda a gente / E não me dou a ninguém Frágil Sinto-me frágil Faz-me um sinal qualquer / Se me vires falar de mais Eu às vezes embarco / Em conversas banais Frágil Eu sinto-me frágil Verso [Lám] .. Mi] x3 [Lám7. eu quero ir atrás de ti.Frágil / Sinto-me frágil [Rém.

/ E a vida pode recomeçar onde eu quis sentar-me ao pé de ti / cheio de assuntos para te impressionar. O que agora só me resta é a dor. Dó. Sol] E se cada gesto teu For uma lágrima no meu rosto É porque cada sonho meu É um poema a teu gosto Ninguém ensina o amor ou o silêncio Quando houver espaço eles vão morar em ti. Mi . Fá . anda menina mergulha bem fundo Na morte assistida da vida que eu vivi. Mi.Jorge Cruz – “Fado De Uma Rua Qualquer” Longe fica a rua onde eu te vi. [Ré. anda menina mas traz alegria Para as luzes do mundo voltarem a acender. Dó. Dó. Lám] Fim [Mi. O medo dizima e aquilo que eu penso Enrola-se em ventos que hão-de uivar por aí. Lá. Fá. Pronto para ir ao fim do mundo atrás de ti. Verso [Lám. Lám] x3 [Sol#o/Mi . Pronto para ir ao fim do mundo atrás de ti. / Eu tinha a vida a desesperar e num instante o futuro decidi / ao não decidir. Sim. ao congelar. Refrão /____________________________________________________________________________/ . (Refrão) É que os fracos não agarram / as hipóteses de mudar. Vá. Pronto para ver perder-se a lembrança de mim. Mi] x2 Refrão [(Mi). / Acordar. Lám] (Refrão) /____________________________________________________________________________/ Jorge Cruz – “Anda Menina” Anda menina. Vá. Os teus olhos passaram por mim.Lám] Break [Lá#. Refrão Anda menina vem ver o dia E dançar comigo até anoitecer. vem ver o mundo Tão mais pequeno que o meu amor por ti. Fá.

Rém7. fazeres-me o café. Lám7] Quero te ler uma historia / que te fique na memória com cheiro a jasmim. / perguntar-te pelos teus pais saber só como te sentes. fazeres-me o café e eu descrever-te como é por dentro o meu coração. De manhã.Homem Ao Mar – Adeus Até Mais Ver Esta noite eu pensei/ parar para te dizer 2x que sonho por imposição / de uma lei sobrenatural 2x Partir sem questionar / sem olhar para trás sem nada a dizer / adeus ate mais ver não volto para jantar 2x [Lá. [Lá7. Si9. Sim7b5. E como no Natal anterior | te embrulhei de novo o meu amor |x2 sem hipóteses de devolução. quando for velhinho. E. / dizeres-me ao ouvido baixinho "ainda sou tua namorada".. / levar-te a passear Dar-te um beijo de te faltar o ar e um sorriso de mostrar os dentes. De manhã. | /____________________________________________________________________________/ ."Sem hipóteses de devolução" Quero abraçar sem medo. Quero contigo passar / a vida inteira a namorar sem ter tempo para mais nada. Sim7b5. Dar-te a mão.. Lám7] Quero saber como vais. / te contar um segredo que eu nem conto para mim. Rém7. Fá#m7] Esta noite eu pensei que se me desses a mão 2x seriamos apenas os dois o resto via-se depois 2x No cantinho violão / amor uma canção dois lugares num avião / ao almoço queijo e vinho um abraço e um carinho à noite sabe-se lá (x4) Refrão /____________________________________________________________________________/ César Mourão . Mi7M. [Lám7.

.

Lám. Lá] Refrão [Solm. Dó. Lám. (Mi. Lám. Fá. Rém. Mi. / ay ay amor ay mi Morena / de mi corazon Verso 2 me gusta tocar guitarra me gusta cantar el "song" mariachi me acompanha cuando canto mi cancion me gusta tomar mis copas agua ardiente selo mejor tambien el tequila blanco con su saleda sabor Verso [Rém. Dó. (Mi/Lám)] Refrão [Sol. Fá. Lám. Dó. Lám)] . Dó.Espanholas Los Lobos – “Cancion Del Mariachi” Verso 1 Soy un hombre muy honrado que me gusta lo mejor por mujeres no me falta ni el dinero ni el amor jineteando en mi caballo por la sierra yo me voy las estrellas y la luna ellas me dicen donde voy Refrão ay. Dó. (Mi/Lám)] [Fá. ay. Mi. Mi. Mi. Lá7. Rém] Refrão / Verso 2 / Refrão (x2) /____________________________________________________________________________/ “Hoy estoy aqui” Intro Hoy estoy aqui / Mañana me voy Passado mañana / Donde me encontraré Cartitas recibirás ( solista ) Retratos te mandaré (todos) Pero à mi persona Nunca lá tendrás Instrumental Mañana me voy / À lá guarnicion Soldado seré / Dame tu bendicion Intro [Fá. ay ay. (Mi/Lám)] Instrumental / Refrão Verso /____________________________________________________________________________/ [Fá. Dó. Dó. Fá.

Lám. Mi7. cuarenta kilos de Salsa. dice que asi el hambre engaña. Lám. Lám] 2ª B [Lám. y tomar y tomar una cerveza tras otra pero ella nunca engorda pero ella nunca engorda Por un beso de la Flaca daria lo que fuera por un beso de ella. Rém.tremendisima mulata. Dó] [Lám. Mi. Lá7. yo no quiero sufrir contigo me voy mi santo aunque me cueste morir un jardinero de amor / siembra una flor y se va otro viene y la cultiva / de cual de los 2 sera? tu me quieres dejar. Mi] Mojé mis sabanas blancas. Lá7. Rém. en la cara dos soles que sin palabras hablan que sin palabras hablan La Flaca duerme de dia. Lám] contigo me voy mi santo aunque me cueste 2ª lo que me cueste Final [Lám. Lá7. (Fá). como dice la canción Pré Verso [Fá. Sol. Mi] Recordando las caricias que me brindó el primer día Y enloquezco de ganas de dormir a su ladito Porque Dios que esta flaca a mi me tiene loquito O-oh. Mi. (Fá. Mi. Lám. lagrimas negras por ti /____________________________________________________________________________/ Jarabe De Palo – “La Flaca” En la vida conoci mujer igual a la Flaca coral negro de la Habana. Mi). Dó] [Lám. a mi me tiene loquito /____________________________________________________________________________/ . Dó7. Sol. Rém. Lám] Verso A [Lám. Lám. Lám. Cien libras de piel y hueso. Si] Refrão [Fá. Ré7. aunque solo uno fuera Verso [Lám. Y bailar y bailar. Lám] contigo me voy mi santo aunque me cueste morir porque no quiero llorar. Rém. Sol. cuando cae la noche baja a bailar a la Tasca. Rém. yo no quiero sufrir contigo me voy mi santo aunque me cueste morir Instrumental [Lám. Lám.Antunia – “Lágrimas Negras” (Cover) aunque tu me has echado en el abandono aunque ya han muerto todas mis ilusiones en vez de maldecirte con justo encono en mis sueños te colmo en mis sueños te colmo de bendiciones sufro la inmensa pena de tu extravio siento el dolor profundo de tu partida y lloro sin que sepas que el llanto mio tiene lagrimas negras tiene lagrimas negras como mi vida | | | | | | BIS | | | | | tu me quieres dejar. Mi. Rém. Ré#7. Mi. Sol.

Ré7. Sol. Mi] Pré Verso [Fá. Mi] porque jamás dejarás de nombrarme y cuando duermas habras de soñarme hasta tu misma dirás que eres mía mía aunque te liguen mañana otros brazos no habra quien sepa llorar en tus brazos nunca te olvides sigue siendo mía mía. mía /____________________________________________________________________________/ . Ré#7.Armando Manzanero – “Mia” aunque tu vayas por otro camino y que jamás nos ayude el destino nunca te olvides sigue siendo mía mía aunque con otros contemples la noche y de alegria hagas un derroche nunca te olvides sigues siendo mía mía Verso [Lám. Mi7. Lám. mía. Lám. Sol. Dó7. Si] Refrão [Fá.

.

(Mi)] You can dance You can jive Having the time of your life See that girl Watch that scene Dig in the Dancing Queen Woo… You're a teaser. only seventeen Dancing Queen Feel the beat from the tambourine.. Dó#m. Si] Refrão [(Mi Lá) x3. Fá#. Sol#. Dó#m. Lá. Lá] Verso [Mi. anyone will do You're in the mood for a dance And when you get the chance. Oh Yeah! Woo. %.. Si.. [Mi. Si. you turn them on Leave them burning and then you're gone Looking out for another...Inglesas ABBA – “Dancing Queen” Woo… Friday night and the lights are low Looking out for a place to go Where they play the right music Getting in the swing You come to look for a King Anybody could be that guy Night is young and the music's high With a bit of rock music Everything is fine You're in the mood for a dance And when you get the chance. Lá. You are the Dancing Queen Young and sweet. Mi.. Dó#m. /____________________________________________________________________________/ .. (Si-Do#m)x2] (x2) [Fá#m. Refrão Dig in the Dancing Queen. Fám.

.

(x 0 2 2 1 0) .(1 x 0 0 3 3) .Solm .Ré#7 – (x 6 5 6 4 x) (x 6 8 6 8 6) .Sol/Fá .Dó#m7(b5) .(x 4 6 4 5 4) .(x 7 5 7 7 x) Fá .Ré9 .Rém7 .(x 1 3 3 3 1) .Sim7 .(x 0 2 2 3 0) .Dó# .(4 6 6 5 4 4) .(x x 0 2 3 1) .(x 3 2 0 3 3) .Solm9 .Sim7(b5) .Lám7 .Ré#dim .Só se toca 1 vez  % .Dó#m7 .(2 x 0 0 3 3) .Sol#m .(x 0 2 0 1 0) .(4 x 2 2 2 x) .Ré# .Lá7 .(3 2 0 0 3 3) (3 5 5 4 3 3) .Fá# .(x 2 3 2 3 x) Legendas  Lá* .Fám7 .Lá#7(b9) .Dó .(1 1 0 1 0 1) Si .Lám .(x 1 4 4 4 x) .(x 0 2 0 2 0) .Mim7 .Dó#/Fá – (x 4 3 1 2 1) .Fá#7 .Dóm .RéM7 .(x x 0 2 3 2) (x 5 7 7 7 5) .Sol .(x x 3 4 3 4) .Mim9 .(x x 0 2 1 0) .(x x 0 2 1 2) .Dó#7 – (x 4 3 4 2 x) (x 4 6 4 6 4) .(0 2 2 0 3 0) .(3 2 0 0 0 1) (3 5 3 4 3 3) .Lá .(x 4 6 6 5 4) .Lám7/Sol .Dó#M7 .Sidim .Lá/Sol# .Si9 .Mi .(x 4 5 4 5 x) Ré .Lá#m7(b5) .(x x 1 2 1 2) Mi .Sol7 .Sol#dim .(0 2 2 0 0 0) .Dó9 .(4 6 6 4 4 4) .Sol# .(x 1 3 3 2 1) .Sol/Fá# .Lá#4 .Fá#m .FáM7 .(x x 0 1 2 1) .( x x 6 7 6 7) Lá .Fá#m7 .Dó#m .(x x 1 3 4 3) (x 6 8 8 8 6) .(1 3 1 1 1 1) .Ré/Fá# .Repetir a nota .Lá#M7 .Réb/Ré .SolAug .Fám .(0 3 2 0 0 0) .(2 x 0 2 3 2) .Fá .(1 3 1 2 1 1) .Si/Lá .(x 3 2 0 1 0) .(x 4 6 5 6 4) .(x 10 8 10 10 x) .(x 2 1 2 0 2) .Sim .(0 2 2 1 0 0) .(0 2 0 1 0 0) (0 2 0 1 3 0) .Ré7 .(x x 9 10 9 10) .Lá4 .Si7 .Si/Lá# .(2 4 4 3 2 2) .(2 4 4 2 2 2) .(x 4 6 6 6 4) .Lá#m .Sol/Si – (x 2 0 0 3 3) .Rém .(x 2 4 2 3 2) .(x x 0 2 1 1) .(x x 0 2 2 2) .(3 0 2 0 1 0) .Ré .(x 2 4 4 3 2) .(x 7 6 7 7 x) .(x 0 2 2 2 0) .Lá# .(1 3 3 1 1 1) .DóM7 .Fádim .Si .Anexo Dó .(3 2 1 0 0 3) .Lám/Sol .(1 3 3 2 1 1) .Sim9 .Fá7 .(3 0 2 2 1 0) .Mim .(x 2 1 2 2 x) .(x 1 2 1 2 x) .(x 2 4 4 4 2) .(3 5 5 3 3 3) .(x 1 3 3 4 1) .(x 2 0 2 2 2) .Mi9 .(x 0 4 4 4 x) .(1 0 2 2 1 0) .(x 3 5 5 4 3) .(2 4 2 2 2 2) Sol .Mi7 .(2 4 2 3 2 2) .(x 1 3 2 3 1) .