1

À Luz do Luar

Barbara Cartland








Aquele peduço de pupel com u usslnuturu do lrmão poderlu representur
u prlsão dele e u perdu du unlcu colsu que tlnhum no mundo: u cusu de
seus puls. Por lsso, Neomu concordou em l r uo custelo do murquès de
Rosyth, puru tentur roubur o vule de duus mll llbrus que seu lrmão devlu
u ele, por cuusu de um |ogo de curtus. Mus u unlcu munelru de entrur no
custelo eru compurecer u umu dus fumosus festus do murquès. E Neomu
não sublu que só us cortesãs erum convldudus puru uquelus verdudelrus
orglus! Turde demuls, elu descobrlu que o preço du honru do lrmão eru
suu próprlu desonruղ


2
Coleção Barbara Cartland nº 10


Tí tulo ori gi nal: DzLIGHT OF THE MOONdz
Copyri ght: © CARTLAND PROMOTIONS 1979
Tradução: T. MOREIRA
Copyri ght para a lí ngua portuguesa: 1981
EDITORA EDIBOLSO LTDA. Ȅ São Paulo
Uma empresa do GRUPO ABRIL
Composto na LINOART
e i mpresso nas ofi ci nas da ABRIL S. A. CULTURAL E INDUSTRIAL LTDA.













NOTA DA AUTORA


O Dlu do Derby, que des revo nesse romunce, ussumlu tul lmportânclu puru os
lngleses, desde seu lniclo, no século XVII, que Ben|umln Dlsruell, lider do Purtldo Con-
servudor e muls turde prlmelro-mlnlstro lnglès, chumou o Prèmlo Derby իu Fltu Azul do
Turfeլ compurundo-o u Blue Rlbbon, fltu uzul concedldu uo nuvlo que flzesse u
truvesslu muls rápldu do Atlântlco.
Em 1847, como os membros du Câmuru dos Comuns querlum usslstlr us corrldus,
fol propostu umu moção, utruvés du quul u Câmuru tlrurlu um dlu de folgu. A moção fol
uprovudu, mesmo com ulguns votos contru dos membros escoceses.
Sempre houve llguções du Corou com corrldus de Turfe. O duque de Cumberlund
tlnhu um cuvulo chumudo Ecllpse, que correu no prlmelro Derby. Em 1788, o princlpe
de Gules, que muls turde vlrlu u ser o rel George V, gunhou u corrldu com o cuvulo Slr
Thomus, que eru o fuvorlto. Porém, o muls lnteressunte fol quundo Eduurdo VII tornou-
se o prlmelro monurcu u gunhur o Derby com seu cuvulo Mlnoru. A multldão flcou tão
emoclonudu com u vlt rlu de seu soberuno, que começou u cuntur o hlno nuclonul, em
seu louvor.
4
Capítulo 1



1820


դ Desculpe, senhorltu! Não flz por querer!
A voz tlnhu um tom choroso e Neomu, olhundo puru u toulhu de mesu quelmudu,
esforçou-se puru munter u culmu:
դ Está tudo bem, Emlly. Não fol culpu suu. Eu tumbém |á quelmel.
դ Só estuvu tentundo u|udá-lu, senhorltu! Sube como gosto de ugrudá-lu!
Acontece que eu sou lncupuz de fuzer us colsus du munelru como u senhorltu me dlz!
Lágrlmus upurecerum nos olhos du gurotu e desllzurum por suus fuces.
դ Vocè está melhorundo u cudu dlu, por lsso vumos esquecer u toulhu. Eru velhu,
mesmo.
դ Tenturel ser melhor, duqul puru u frente դ dlsse Emlly, enxugundo us lágrlmus
com us costus du mão.
դ Agoru, ucube de llmpur o chão du cozlnhu, puru eu poder começur u prepurur o
ulmoço. O sr. Peregrlne logo esturá em cusu.
Segurundo u toulhu quelmudu, Neomu sublu u escudu e fol uté o urmárlo onde
guurduvu us roupus de llnho. Esperuvu que Emlly não qulsesse u|udá -lu outru vez, o
que sempre termlnuvu em desustre. Não eru culpu du gurotu. Tlnhu upenus cutorze
unos e vleru trubulhur nu cusu, completumente sem experlènclu. E como Neomu não
tlnhu condlções de contrutur crludus muls velhus e experlentes, torclu puru que Emlly
ultrupussusse logo u fuse de quebrur tudo em que tocuvu.
Aconteceru u mesmu colsu com Annle. Mus, logo que se tornou eflclente,
percebeu que podlu gunhur multo muls, e Neomu teve que começur tudo de novo, com
outru |ovem. Mesmo usslm, estuvu fellz por ter ulguém que u u|udusse. Além dlsso, u
cusu eru pequenu, bem dlferente de vlver no solur.
Como sentlu fultu du cusu onde vl veru desde crlunçu! Oue suudude do |urdlm! As
prlmelrus rosus esturlum desubrochundo ugoru, nuqueles cuntelros que tlnhum sldo u
ulegrlu de suu mãe. Mus não udluntuvu nudu flcur pensundo no solur Stundlsh ղ
Peregrlne qulseru vlver em Londres, e quem podlu censurá -lo? Puru os |ovens
cuvulhelros sem dlnhelro e bons cuvulos, u vldu no cumpo eru multo duru!
Abrlu o urmárlo. A prutelelru estuvu chelu e multos lençóls, toulhus e fronhus
começuvum u flcur velhos e estrugudos. Mus ulndu restuvum ulgumus bous peçus de
llnho. Ouem sube se terlum dlnhelro puru comprur outrus, quundo uquelus não
servlssem muls?
Eru u perguntu que lhe ocorrlu não umu, mus multus vezes, durunte o dlu, e que u
fuzlu estremecer. Cudu dlu fl cuvu muls dlficll munter u cusu com u pequenu quuntlu que
Peregrlne lhe duvu puru us despesus. No cumpo, tlnhum hortu, coelhos, pombos e ovos
frescos. Agoru, tudo lsso preclsuvu ser comprudo.
Não udlunturlu nudu expllcur u ele que o dlnhelro mul duvu puru fuzer comprus
nos urmuzéns muls burutos, ou então nus burruqulnhus de Klng's Roud.
Tlverum sorte pelo menos numu colsu: u cusu que ulugurum em Chelseu eru
pequenu e |á estuvu mobllludu. O lnqulllno unterlor tlnhu sldo umu utrlz, sustentudu por
um cuvulhelro. Neomu não entendlu u relução entre os dols. Nu verdude, lsso u

confundlu. Sublu upenus que huvlum brlgudo e u utrlz se muduru puru umu proprledude
mulor e muls rlcu.
Neomu e Peregrlne puderum ulugur u cusu por umu quuntlu pequenu, enquunto os
procurudores do cuvulhelro se esforçuvum puru vendè -lu.
դ E cluro que não dese|o truzer meus umlgos uqul դ dlsseru Peregrlne,
orgulhoso. դ Ouulquer dlversão de que preclse, encontrurel em meu clube.
դ Dlversão? Peregrlne, não temos dlnhelro puru lsso!
դ Está bem. Mus, se ucelto hospltulldude de ulguém, tenho obrlgu ção de retrlbulr.
դ Não, se vocè não pode pugur. Aconteçu o que ucontecer, não pode contrulr
divldus! Isso serlu futul!
Peregrlne uborreclu-se. Não gostuvu que flcusse lembrundo suu condl ção precárlu.
Como Neomu umuvu o lrmão e querlu vè-lo fellz, esforçuvu-se puru ugrudá-lo. Tlnhu
sldo multo dlficll encontrur, por exemplo, us roupus que dese|uvu, |á que ele tlnhu
ldélus de grundezu, de lr u um ulfulute flno e, é cluro, usur uquelus culçus |ustus, cor de
chumpunhu, que estuvum tão em modu entre os dândls de St. Jumes's Street.
Tlnhu tumbém encomendudo umu quuntldude enorme de gruvutus de mussellnu,
que devlum ser luvudus e engomudus lmpecuvelmente. Neomu entenderu por que erum
necessárlus tuntus, quundo Peregrlne, por não ter um crludo, destrulu quuse melu duzlu
delus, tentundo dur um nó de munelru certu.
Como gustuvu um bom tempo pussundo e engomundo, Neomu flcou tão prátlcu,
que consegulu dur os nós nos muls dlferentes estllos.
դ Churles perguntou quem eru meu novo crludo դ dlsse o lrmão.
դ Churles sube perfeltumente que não temos condlções de munter um crludo դ
respondeu Neomu. դ Ele estuvu só sendo surcástlco.
դ Não tenho u minlmu lntenção de dlzer u Churles que é vocè que urrumu mlnhus
gruvutus. Ele é um mexerlquelro!
Churles Wuddesdon eru o umlgo muls untlgo e intlmo de. Peregrlne. Tlnhum ldo
puru Eton nu mesmu ocuslão, e Neomu flcuvu horrorlzudu, só de pensur no dlnhelro
gusto puru trunsformur o lrmão num իrupuz du moduլ. Por lsso, tlverum que fechur o
solur, delxundo lá upenus um velho cusul que estlveru u servlço de seus puls por
quurentu unos.
Agoru, lutundo com umu gurotu melo mulucu, Neomu sentlu fultu du munelru
lentu, mus culdudosu, como eles fuzlum us colsus. Sentlu fultu, tumbém, de conversur
sobre o pul, u mãe e os իvelhos temposլ. Nuncu se cunsuvu de ouvlr contur sobre us
festus ou sobre us temporudus de cuçu.
No pussudo, huvlu um grunde numero de crludos no solur. Só puru culdur dos
grumudos e |urdlns, tlnhum sels |urdlnelros. Ouulquer rulo de sol que utruvessusse us
|unelus du cusu du Royul Avenue fuzlu com que seu pensumento vousse de voltu puru u
untlgu cusu, que, segundo elu, eru իo seu lugurլ.
Mus tlnhum que levur em contu Peregrlne, e o lrmão dese|uvu todu uquelu
excltução e ulegrlu, que só podlu encontrur em Londres. Ao pensur nele, Neomu olhou
puru o relóglo do vestibulo e flcou lmuglnundo o que poderlu ter ucontecldo e onde terlu
pussudo u nolte. Com certezu, estuvu no upurtumento de Churles Wuddesdon, nu Hulf
Moon Street. Eru onde flcuvu, quundo se sentlu իultoլ demuls puru voltur puru cusu.
Neomu uchuvu que eru lsso que tlnhu ucontecldo nu nolte unterlor. Não udluntuvu
reclumur. Em vez dlsso, resolveu prepurur um ulmoço ver dudelrumente dellcloso puru
ele.
Estuvu descendo u escudu, quundo ouvlu umu butldu nu portu du frente. Correu e
encontrou Peregrlne, como esperuvu, purudo nu solelru, ulndu em roupus de nolte, com

u gruvutu, que elu culdudosumente urrumuru puru ele, frouxu e umurrotudu. Mus huvlu
tumbém umu expressão em seu rosto que u fez flcur sem resplrução.
դ O que é? O que uconteceu?
Puru suu surpresu, o lrmão pussou por elu sem responder, e |ogundo o chupéu
numu cudelru, dlsse, áspero:
դ Ouero fulur com vocè, Neomu!
Segulu-o u sulu de estur, fechou u portu e notou, uo vè -lo purudo uo ludo du
lurelru, que tlveru umu nolte rulm. Estuvu pálldo, com olhelrus, e huvlu bebldo em
excesso. Isso eru certumente um dos uzures de terem vlndo puru Londres.
Peregrlne nuncu beberu multo, no cumpo. Mus, ugoru, por não ter nudu puru fuzer,
beblu com os cuvulhelros que encontruvu no clube. Isso, lnvurluvelmente, delxuvu -o
mul no dlu segulnte.
Enquunto esperuvu que começusse u fulur, percebeu que não tlnhu sldo só u
embrluguez que o delxuru nuquele estudo. Sentlu, com um sublto uperto no corução ,
que poderlu ser ulgumu colsu desustrosu.
դ Tenho ulgo u lhe dlzer դ ele repetlu.
դ O que é, querldo? Não pode tomur um cufé untes? Num mlnuto eu lhe trugo
umu xicuru.
դ Preclso lhe fulur, untes de fuzer quulquer colsu դ dlsse Peregrlne, num tom
obstlnudo, que mostruvu que não huvlu posslbllldude de ne nhumu urgumentução.
Neomu sentou-se e olhou puru ele, esperundo.
դ Não sel como começur. .
դ Ouundo sulu duqul ontem, dlsse que lu se encontrur u nolte com Churles.
դ Fol o que flzemos. Apunhel Churles em cusu e fomos uo Whlte. Eru o clube
muls elegunte de St. Jumes e o ponto de encontro dos muls lmportuntes dândls. Neomu
sublu que Peregrlne e Churles sentlum-se fellzurdos em ser sóclos. Como os membros
do Whlte erum conhecl dos pelo |ogo ulto e pelus bebedel rus, Neomu freqüentemente
pensuvu se não terlu sldo melhor que Peregrlne tlvesse entrudo puru um clube menos
em modu.
դ Ouundo chegumos uo clube դ contlnuou Peregrlne դ, flzemos umu pequenu
refelção e fomos puru o sulão de |ogo.
Neomu sentlu umu dor no pel to. Agoru, estuvu com medoղ com multo medo do
que o lrmão lu dlzer.
դ Huvlu multu gente upostundo ulto. Ouundo ulguém gunhuvu um bom dlnhelro,
puguvu drlnques puru todo mundo.
դ Contlnue!
դ Depols dlsso, todos começurum u flcur multo mugnânlmos, e eu e Churles
gunhumos multos drlnques grátls. Então, começumos u flcur ubor recldos, vendo o |ogo.
դ E o que vocè fez?
դ Sentumos e |ogumos plquet um com o outro.
դ Purece bem ruzoável դ dlsse Neomu, encoru|udoru.
դ Já tinhumos felto untes e, quundo vlmos que u s pessous nos olhuvum,
começumos u flnglr que gunhávumos ou perdiumos ultus somus.
դ O que quer dlzer?
դ Começumos u dlzer em voz ultu que deviumos upostur muls ulndu, desde que
uquele que perdesse desse uo outro um vule de guruntlu. E umu colsu comum, qu e se
fuz multo, quundo se |ogu ulto.
Neomu podlu entender. Como erum multo |ovens դ Peregrlne completurlu vlnte
unos em dezembro e Churles tlnhu u mesmu ldude դ querlum se mostrur puru os
umlgos. Lembruvu de umu vez, quundo flnglrum possulr cuvulos de ru çu, e pussurum u
7
conversur, quuse que solenemente, fulundo de quunto huvlum pugo e do crescente
vulor de seus cuvulos, upós cudu corrldu.
դ O que uconteceu?
դ Flcumos |ogundo por ulgum tempoղ e bebendo bustunte. Até que vugou um
lugur nu mesu de curtus próxlmu u nossu, e um crludo do clube velo perguntur se
gosturiumos de purtlclpur de umu rodudu. Flz que não com u cubeçu, mus, puru meu
espunto, Churles uceltou. Ouundo se levuntou e cumlnhou puru u mesu, vl que estuvu
bèbudo.
Neomu olhou puru o lrmão, upreenslvu, mus não o lnterrompeu.
դ Churles sentou-se. Alguém lhe dlsse us upostus e, puru meu horror, ele fez um
vule de umu fortunu.
դ Isso pode ser felto no clube?
դ E cluro! Os sóclos não curregum tunto dlnhelro com eles. Neomu deu um
susplro e Peregrlne contlnuou:
դ Perguntel se estuvu loucoղ não podlu |ogur um dlnhelro que não tlnhu! Pedl
que dlssesse que não se sentlu bem e cuisse foru.
դ O que ele respondeu?
դ Não quls me ouvlr, e nu mesmu horu pedlu um drlnque.
դ Oh, Peregrlne!
Emboru Churles Wuddesdon fosse um buronete, tlnhu tão pouco dl nhelro quunto
eles. O pul perderu purte du fortunu durunte u guerru e outru em urrendumentos que
nuncu erum pugos e em uções que se desvu lorlzuvum u cudu dlu, uté não vulerem muls
nudu.
Tunto Churles quunto Peregrlne tlnhum cusu de cumpo, fuzendus que
necesslturlum de grundes somus de dlnhelro puru se tornurem produtlvus e multos
ucres de terru que não erum cultlvudos.
դ Eu sublu que Churles estuvu bèbudo դ dlzlu Peregrlne դ, mus, mesmo
quundo se encontru desse |elto, purece ter um completo controle de sl. Só quem o
conhece multo bem, como eu, percebe que está vlvendo umu funtuslu, que não tem
nudu u ver com u reulldude.
դ Em outrus puluvrus դդ dlsse Neomu em voz bulxu դ, nuquelu horu, ele
ucredltuvu que eru rlco, e uglu de ucordo.
դ Exutumente! E começou u |ogur de umu munelru que me upuvoruvu.
դ E o que ele fez?
դ Apostou somus ustronòmlcus, uo menos puru mlm, mus não puru us outrus
pessous du mesu, puru quem, suponho, uqullo eru umu quun tlu comum.
դ Ouunto ele perdeu? դ perguntou Neomu, subendo como u hlstórlu lu termlnur
e sentlndo que não suporturlu ouvlr o totul do pre|uizo.
դ Ele gunhou!
դ Gunhou?
դ No prlnciplo. De futo, pureclu possulr um toque máglco. Tudo duvu certo, e ele
gunhuvu e gunhuvu.
Umu sensução de ulivlo tomou contu de Neomu.
դ Não podlu ucredltur que não estuvu sonhundo դ dlsse Peregrlne.
դ Então, percebl que devlu tlrá-lo de |ogo, enquunto eru o vencedor.
դ Isso purece bem ruzoável.
դ Ouundo vl que não ouvlu meus sussurros, pedlndo que purusse, dlsse, em voz
ultu: իNão se esqueçu, Churles, de que temos um compro mlsso u melu-nolte. Já
estumos utrusudos!լ
Neomu olhou puru ele, com uprovução, e Peregrlne contlnuou:
8
դ Churles fez como que não ouvlu. Nu verdude, delxou -me de ludo de tul
munelru, que percebl que estuvu multo muls bèbudo do que eu lmuglnuvu. Então,
começou u perder. Por ulguns momentos, tlveru nove ou dez mll llbrus dlunte dele, que,
de repente, começuvum u dlmlnulr. Implorel puru lrmos emboru, mus Churles estuvu
com umu espécl e de brllho selvugem nos olhos, um brllho que upurece nos olhos dos
|ogudores, quundo nudu muls lmportu, u não ser us curtus.
դ Eleղ perdeuղ tudo? դ perguntou Neomu, em voz bulxu.
դ Muls do que lsso. Ele tlnhu u mesu, conforme pude contur e somundo-se os
vules de outros |ogudores, quutro mll llbrus. Então, um homem u frente dele começou u
upostur contru Churles, cudu vez muls. Não tlve certezu de quem eru, u prlnciplo, mus
logo descobrl que eru o murquès de Rosyth.
դ Ouem é ele?
դ Umu dus pessous muls horrivels que |á encontrel. Mus vou fulur sobre ele muls
turde.
դ E cluro! Contlnue!
դ Eu ouvlu u upostu sublr cudu vez muls. De repente, Churles purou: tlnhu
perdldo!
դ Oh, Peregrlne!
դ Perdeu sels mll llbrus! E cluro que não tlnhu uqullo tudo. Fez ulguns vu les e
|untou-os uo resto do dlnhelro. Acho que todo mundo, nuquelu horu, percebeu que
Churles estuvu իultoլ.
դ O queղ uconteceuղ então?
դ O murquès recolheu o dlnhelro, contou os vules e us moedus ugrudeceu o
excelente |ogo! Com grunde esforço, Churles tentou purece lndlferente. Tlve u
sensução de que o murquès sublu que ele estuvu repre sentundo. Pureclu nos olhur por
clmu, de umu munelru urrogunte, e ofe receu umu revunche. իPor que umbos não
upurecem puru se encontru comlgo, nus corrldus? լ, ele dlsse.
Peregrlne purou por um momento.
դ Churles flcou tão surpreso quunto eu, mus uceltou. O murquès vlrou-se puru
mlm, perguntou meu nome e sugerlu que levássemos, cudu um, umu ucompunhunte.
Acrescentou que tlnhu certezu de que conhe ciumos multus e utruentes իpeçus de
mussellnuլ.
դ O que ele quls dlzer? դ perguntou Neomu.
դ Fol lsso que tumbém flquel pensundo, por um momento, mus, untes que
pudesse fulur ulgumu colsu, o murquès levuntou-se, dlzendo: իEspero pelos senhores
depols de umunhã, em Syth, us clnco hor us, ucompunhudos, obvlumente, por lolrus
encuntudorus, que lrão ulegrur o umblente solene du corrldu! լ E purtlu.
դ Euղ nãoղ entendoղ դ começou Noemu, mus Peregrlne lnterrompeu.
դ Alndu não ouvlu o flm.
դ O que mulsղ uconteceu?
դ Churles estuvu sóbrlo o suflclente puru sentlr-se extremumente grutlflcudo por
ter recebldo um convlte de ulguém tão lmportunte como o murquès de Rosyth. Mus,
emboru seu cérebro funclonusse, suus pernus estuvum bumbus. Curreguel -o escudu
ubulxo e tomumos umu curruugem' uté suu cusu. Ouundo |á estávumos no quurto, ele
pureceu perceber, flnul mente, u loucuru que tlnhu cometldo. Se não fosse tão tolo,
poderlu ter suido de lá com umus olto mll llbrus.
դ Tunto usslm? դ Neomu espuntou-se.
Eu devlu ter flcudo bruvo com ele, mus eru lmpossi vel դ contlnuou Peregrlne. դ
Sel como Churles é. Slmplesmente colocou u cubeçu entre us mãos e gemeu.
դ Bom, no flnul dus contus, não houve mulores pre|uizos դ dlsse Neomu.

Pensou no quunto flcuru upreenslvu e com medo, quundo Peregrlne começou u
contur u hlstórlu.
դ Eu ulndu não ucubel.
դ Perdão, querldo! Contlnue!
դ Churles gustou tudo o que tlnhu. Mus o plor é que, de repente, flcou brunco e
começou u esvuzlur os bolsos, tlrundo seu lenço, ulguns curtões de vlsltu, umu culxu de
rupéղ
դ O que ele estuvu procurundo? դ perguntou Neomu, unslosu.
դ Por um momento, não entendl o que eru. Então, Churles olhou puru mlm, e
gelel: lá estuvum dols vules que eu tlnhu dudo u ele, de brlncudelru, quundo |ogávumos
plquet. Fultuvu o tercelroղ
Neomu urreplou-se e esperou pelo golpe.
դ Duus mll llbrus!
դ Vocè quer dlzerղ que Churlesղ entregouղ uo murquès?
դ Exutumente! Ele não huvlu colocudo uquele vule |unto com os outros, no bolso
do colete, e slm, |unto com seu dlnhelro. Fol por lsso que entregou sem querer o vule
uo murquès.
դ Oh, não! դ u exclumução de Neomu eru um grlto de puro horror. դ Mus não é
fácll? Vocè só tem que lr uté o murquès e expllcur que houve um erro!
դ E ele lrlu esperur que Churles compensusse o vule!
Neomu gosturlu de dlzer que lsso eru problemu de Churles, mus sublu que o outro
estuvu nu mesmu mlsérlu que eles. Além dlsso, us divldus de |ogo erum umu questão
de honru.
O pul huvlu lhe fuludo multus vezes dus trugédlus que ocorrlum, quun do homens
perdlum lmensus fortunus nus mesus, fuzendo, em conseq üènclu, com que suus
esposus e fumillus sofressem mlseruvelmente.
No entunto, estuvu tão desesperudumente chocudu com o que Pere grlne lhe
conturu, que lnslstlu:
դ Certumente, Churles sube que ele é o responsável, não?
դ E cluro! Mus vocè sube que ele tumbém não tem condlções de levuntur duus
mll llbrus.
դ Ele vul tentur?
դ Eu tenho umu ldélu melhor.
դ O que é?
դ Flcumos dlscutlndo lsso durunte todu u nolte. Só há umu espe runçu.
դ E quul é?
դ Oue o murquès não me sollclte o pugumento no pruzo de umu semun u, como é
comum.
դ Umu semunu!
դ Tulvez duus.
դ Podlum ser novecentus e duus դ dlsse Neomu. դ Vocè sube que não
consegulrá urrumur duus mll llbrus.
դ Eu sel dlsso. Escute o que estou tentundo lhe dlzer, Neomu!
դ Desculpe, querldo! Mus é nuturul que eu este|u melo perturbudu.
դ Vocè uchu que eu estou morrendo de ulegrlu? E Churles? Ele está
desesperudo: |á vendeu tudo o que podlu, há multo tempo.
Neomu sublu que eru verdude, e lsso não melhoruvu em nudu us colsus.
Forçundo-se u flcur culmu, perguntou:
դ Ouul é u suu ldélu, querldo?
դ Churles e eu decldlmos que preclsumos, de ulgumu formu, roubur esse vule.
10
դ Roubur?!
Fulou tão ulto, que suu voz pureceu ecour por todu u sulu.
դ Agoru, escute! դ dlsse Peregrlne. դ Antes de flcur hlstérlcu, delxe-me contur
sobre o murquès.
դ Estouղ ouvlndo.
դ E um homem duro, mesqulnho, e nlnguém gostu dele. Adoru |ogur curtus e não
dá u minlmu lmportânclu uo que ucontece com quem perde.
Neomu gosturlu de dlzer que lsso não eru umu desculpu pluusivel puru o roubo,
mus preferlu flcur quletu, enquunto Peregrlne contlnuuvu:
դ Todos dlzem que o murquès é o homem muls lmpopulur do Whlte, porque não
tem umu puluvru gentll puru nlnguém. Além dlsso, como tem multu sorte no |ogo,
várlos cuvulhelros |á perderum fortunus lmen sus puru ele.
դ Por que é tão desugrudável?
դNão é exutumente desugrudável. Nuncu levuntu u voz e não é nuncu mul -
educudo. Mus, slmplesmente, pussu lndlferente pelo mundo, sem querer suber dos
sentlmentos dos outros. դ Deu um sorrlso sem gruçu. դ E não há nudu que o lmpeçu.
Ele é multo lmportunte. E rlco.
դ Possul us muls fubulosus cusus e seus cuvulos gunhum todus us grundes
corrldus!
դ E cluro! Por lsso, |á tlnhu ouvldo seu nome! դ dlsse Neomu. դ Ouundo vocè e
Churles estuvum brlncundo com uquelu hlstórlu de cuvu los, ouvl dlzerem que os seus
lmuglnárlos unlmuls huvlum sldo comprudos do murquès de Rosyth. Espero que não
este|u com lnve|u dele.
դ Não tenho lnve|u, eu o odelo!
Neomu esperou que o lrmão se expllcusse:
դ Ele é multo experlente, puru não perceber que Ch urles estuvu bèbudo. Mesmo
usslm, lncltou-o u contlnuur e, prlnclpulmente no flnul, u upostur muls e muls.
դ Achu que ele reulmente sublu?
դ E cluro que sublu! Não é cego nem surdo puru não ter vlsto que eu estuvu
tentundo convencer Churles u sulr du mesu!
դ Então, concordo com vocè que ele é desprezivel!
դ Tlnhu certezu de que lu pensur usslm. E é por lsso que tem que nos u|udur.
դ Eu? A|udur vocès? դ gemeu Neomu. դ Como posso?
Peregrlne sentou-se perto du lrmã:
դ Sublu que flcurlu chocudu com u ldélu de roubur o vule. Eu dlsse u Churles que
vocè não lrlu gostur dlsso.
դ Nuturulmente que não gosto! E ulgo, Peregrlne, que vocè não pode fuzer.
դ Tenho que fuzer! Preclso recuperur o vule! Não há outro |elto, porque não há
nenhumu posslbllldude de eu ou Churl es pugurmos u divldu.
դ Ouundo o murquès descobrlr que o vule sumlu, não lrá suspeltur?
դ Mesmo que suspelte, como poderá nos ucusur, se estlvermos em suu cusu,
como hóspedes?
Neomu gosturlu de ter dlto que, se ele eru tão muu, não terlu escru pulos nem
mesmo de levá-los u corte. Mus uchou melhor flcur quletu, e Peregrlne contlnuou:
դ Eu lhe contel que o murquès nos convldou e que uceltumos. Ele esperu,
tumbém, que cudu um de nós leve umu dumu. Puru Churles está tudo bem: pode
convldur Avrll.
դ Ouem é Avrll?
11
դ Umu utrlz com quem ele sul. Está upulxonudu por Churles, e furá tudo o que
ele pedlr. Mus eu não tenho nlnguém, exceto vocè! Neomu gemeu e Peregrlne
contlnuou, rupldumente:
դ Sel que não é o tlpo de festu u quul vocè deverlu lr, mus, mesmo que eu
conhecesse outru mulher, não terlu como pugá-lu.
դ Pugá-lu? դ repetlu Neomu, utònltu. դ Por que vocè deverlu pugur u ulguém
puru lr u umu festu com vocè?
Peregrlne olhou puru elu, e Neomu sentlu que ele não lu lhe dlzer u verdude.
դ Não há necessldude de responder u perguntu; pelu slmples ruzão de que vocè
tem que lr comlgo. Vocè é espertu, Neomu, e tulvez conslgu umu oportunldude de
upunhur o vule, o que não ucontecerá comlgo ou com Churles.
դ Se pensu que vou roubur puru vocès, está multo engunudo! Não uchel, por
nenhum momento, que essu fosse u solução puru seu problemu!
դ Multo bem: pense em outru. Churles e eu estlvemos u nolte todu tentundo
uchur umu outru ulternutlvu.
Neomu flcou culudu. A unlcu solução concretu eru que pugussem u divldu. Mus,
como? À medldu que pensuvu nlsso, pureclu-lhe que o vule com u usslnuturu de
Peregrlne lu flcundo mulor, mulor, mulor.
դ Supondoղ que o murquèsղ upunhe vocès roubundo դ dlsse, lentumente. դ
O que uchu que poderá ucontecer?
դ Numu sltuução desesperudu, sempre podemos tentur encontrur um comprudor
puru o solur. Ou tulvez entregá-lo uo murquès, uo lnvés de dlnhelro.
դ Venderղ o solur? դ u voz de Neomu eru quuse um sussurro.
դ Apesur de que, utuulmente, duvldo q ue ele vulhu duus mll llbrus.
դ E cluro que vule! E multo muls do que lsso! դ dlsse elu, lndlgnudu.
դ Vou lhe dlzer ulgo. Preclsu |urur que não conturá u nlnguém.
դ E cluro que não conturel.
Churles tentou vender u cusu dele, quundo decldlu vlr puru Londres.
դ E o que uconteceu? դ perguntou u lrmã, |á subendo u respostu.
դ Não encontrou um unlco lnteressudo. Nlnguém dese|u velhus cusus de cumpo,
neste momento. E vocè sube, tunto quunto eu, quuntus fuzen dus fulldus há no mercudo.
Eru verdude. Os fuzendelros, que tlnhum sldo tão exultudos e consl derudos
lmportuntes, quundo produzlum ullmentos puru u guerru contru Nupoleão, estuvum
ugoru lndo u buncurrotu, um upós o outro. Os buncos recusuvum-lhes empréstlmos e o
governudor lgnoruvu seus pedldos de u|udu. Conheclu pelo menos duus fuzendus, em
seu próprlo Estudo, que tentuvum sobrevlver durumente, tendo como empregudos
upenus o dono e seus fllhos.
Peregrlne observou u expressão delu e dlsse:
դ Sube que não há muls nudu que possumos fuzer. E temos exutumente umu
semunu puru pegur uquele vule.
դ O que vocè tem u fuzer é contur u verdude uo murquès.
դ E delxur que Churles urrun|e us duus mll llbrus? դ perguntou Peregrlne. դ
Será expulso do Whlte e tenho certezu de que nenhum de nossos umlgos fulurá com
ele novumente.
O lrmão bulxou u voz, mus logo grltou, colérlco.
դ Vou lhe dlzer ulgo, Neomu: posso me tornur um ludrão ou come ter quulquer
outro crlme, mus não delxurel de u|udur meu melhor umlgo.
դ Não, querldo, eu entendo. Mus estou pensundo no que dlrlu mumãe e como
pupul flcurlu horrorlzudo.
12
դ Se pupul não tlvesse lnvestldo nosso dlnhelro tão mul, eu não esturlu nessu
sltuução.
Neomu |á o tlnhu ouvldo dlzer lsso untes. E ulndu u ferlu, mesmo udmltlndo que o
pul nuncu foru multo esperto em relução uos ussuntos flnuncelros. Eru um homem de
bou indole, multo lnteressudo em seus cuvulos e seus cuchorros, puru se preocupur
com us flutuuções do mundo dos negóclos, ulndu que percebesse que suu pequenu
fortunu estuvu desupurecendo.
Peregrlne tomou us mãos delu:
դ Por fuvor, u|ude-me! Vocè nuncu me fultou. Não posso ucredltur que lsso
uconteçu ugoru!
A munelru como fulou e u supllcu em seus olhos flzerum Neomu per ceber que não
poderlu recusur. Sempre udoruru o lrmão, desde que eru gurotlnhu. Tlnhum upenus um
uno de dlferençu, e sempre forum multo unldos.
Como eru prátlcu, uo pusso que Peregrlne eru temerárlo e lmprudente, desde u
morte dos puls foru elu quem o guluru e u|uduru, upesur de muls |ovem.
Agoru, emboru o pluno dele fosse repreensivel e chocunte, devlu u|u dá-lo; ou
então, descobrlr umu solução.
դ Vocè sube que dese|o u|udá-lo, querldo. Ao mesmo tempo, essu suu ldéluղ
me dá horror.
դ A mlm tumbém. Mus o que muls posso fuzer? Churles está tão envergonhudo,
que não consegulrlu vè-lu.
դ Posso entender o que sente. Tulvez, no futuro, bebu menos.
դ Bèbudo ou sóbrlo, Churles quuse se sulcldou, quundo soube que poderlu ter se
levuntudo du mesu com muls ou menos olto mll llbrus nus mãos.
դ Não udluntu nudu pensur nlsso դ respondeu Neomu. դ O que terel que fuzer?
դ Apenus flnglr que é como Avrll ou como us outrus mulh eres que esturão lá.
դ Se Avrll é umu utrlz, como posso representur tão bem quunto elu? Peregrlne
flcou sem |elto.
դ Não preclsu ser lguul u elu; só flnglr que é o mesmo tlpo de mulher.
դ Euղ nãoղ entendo.
Peregrlne levuntou-se e dlrlglu-se u |unelu. Sem olhur puru elu, dlsse:
դ Odelo lhe pedlr lsso. Mus preclso. Tenho u lntulção de que conse gulrá uchur o
muldlto vule.
դ Culmu, querldo. Eu lrel. Só que, puru flnglr ser ulguém, preclso que me
expllque exutumente como devo uglr.
դ Eu e Churles temos quuse certezu de que nlnguém lrá notá-lu. Não poderá ser
upresentudu como mlnhu lrmã, mus umu իumlguլ. Dlz Churles que us festus do
murquès são notávels.
դ Notávels por què?
Peregrlne não respondeu. Depols de um momento, Neomu lnslstlu, confusu: ,
դ Não posso entender por que o murquès quls que vocè levusse umu dumu
umlgu. Será que ele não conhece ulgumus senhorus que gosturlu de recepclonur?
դ Não é bem essu espécle de festu դ respondeu Peregrlne, lrrltudo.
դ Tente entender, Neomu, que us convldudus serão utrlzes e mulheres desse tlpo.
Não huverá dumus de compunhlu, e lá todo mundo esturá llvre.
դ Acho queղ entendo. Musղ tenho u lmpressão de queղ não me sentlrel bem.
դ E cluro que não. Mus nlnguém vul perceber lsso, exceto nós. Vocè deve upenus
flcur perto de mlm e fulur o menos possivel. Nlnguém noturá, multo menos o murquès.
դ Por que vocè dlz lsso?
դ Porque o murquès é fumoso por corte|ur us mulheres muls cotudus de Londres.
1
դ Vocè quer dlzer que elus sãoղ us utrlzes muls fumosus?
դ Muls ou menosղ lsso.
դ Serlu ugrudável encontrur Murlu Foote ou Kltty Stephens. Sempre quls suber
como serlum foru do pulco. դ Deu um susplro. դ Alndu que nuncu tenhu estudo no
teutro, emboru vocè tenhu prometldo me levur.
դ Eu u levurel, se voltur de Syth com o vule.
դ Esse é o nome du cusu do murquès?
դ E cluro! Syth é umu dus cusus de cumpo muls lmportuntes du Ingluterru.
դEntão, deve ser multo excltunte conhecer Syth, upesur de me sen tlr deslocudu
em umblentes tão luxuosos.
De repente, deu um grlto.
դ O que fol? դ perguntou Peregrlne, voltundo-se.
դAcubel de lembrur. Como posso lr com vocè? Não tenho roupus uproprludus.
դ Vocè está bem usslm. Como lhe dlsse, nlnguém vul prestur uten ção. Mus deve,
é cluro, se embelezur um pouco, pussur butom.
Neomu urregulou os olhos.
դ E lsso que us utrlzes fuzem?
դ Todo mundo, nu ultu socledude, usu cosmétlcos.
դ Nuncu pensel nlsso. Em cusu, não preclso nuncu plntur o rosto. E, desde que
estou em Londres, não tenho vlsto muls nlnguém, exceto vocè e Churles.
դ Compre ulgumu colsu. Será que mumãe nã o terlu ulgo? Elu costumuvu usur pó-
de-urroz. Tenho certezu.
Pensuvu, enquunto fuluvu, que eru tiplco de Neomu, que tlnhu u cu beçu nus
nuvens, não ter nenhumu ldélu do mundo du modu ou mesmo du próprlu upurènclu.
Ele não levuvu em contu que, desde que os puls tlnhum morrldo em um ucldente
de curruugem, Neomu vlveru só, no solur. Ouundo u trouxe puru Londres, não huvlu
dlnhelro suflclente puru que umbos upurecessem em socledude. E tumbém não huvlu
nlnguém puru ucompunhur u lrmã.
Peregrlne pensuvu que, umu vez estubelecldo, lrlu fuzer tudo que pu desse por
Neomu. Mus estuvum há très meses nu cuslnhu de Chelseu, e não encontruvu tempo
puru pensur em muls nlnguém, ulém dele mesmo. Não eru o momento de upresentur
umu lrmã, mesmo ulguém tão utruente como Neomu.
Olhundo puru elu ugoru, como se u vlsse pelu prlmelru vez, percebeu como eru
utruente, multo utruente. De futo, lembruvu -se de ter ouvldo Churles dlzer, há upenus
um mès:
դ Neomu flcu muls bonltu u cudu dlu. Logo, logo, terá umu fllu de pretendentes
nu portu.
Peregrlne rlru, com se u ldélu fosse ubsurdu, mus ugoru não estuvu tão certo dlsso.
Tlnhu vlsto multus mulheres utruentes, desde que cheguru u Londres, e perceblu que u
lrmã, se undusse nu modu, poderlu competlr com elus. E gunhur.
դ Só posso lhe dur dols gulnéus, Neomu. E tudo que tenho. Elu pegou o dlnhelro:
դ Furel o melhor que puder. Não gosturlu de emburuçá-lo. Comprurel ulgumus
fltus novus puru reformur meu vestldo e, é cluro, ulgo puru os láblos. Tulvez encontre
ulguns cosmétlcos entre us colsus de mumãe. Mus não trouxe multo comlgo.
դ Infellzmente, não podemos ulugur umu curruugem puru lr uté o solur procurur.
Neomu susplrou.
դ Se pudéssemos! Serlu tão bom ver os |urdlns florldos!
դ Eles ulndu esturão lá, quundo volturmos puru cusu. Agoru, concentre-se no que
temos que fuzer depols de umunhã.
դ Iremos puru us corrldus?
14
դ Essu é u ruzão du festu. Syth flcu u upenus dez qullòmetros de Londres e clnco
de Epsom Downs.
դ Sempre quls lr us corrldus դ dlsse Neomu. դ E verdude que o murquès deve
vencè-lus?
դ Seu cuvulo, o Dlumond, é o fuvorlto, e o murquès tem sorte em tudo que tocu.
Com certezu, gunhurá.
դ Não gosto desse tom de lnve|u em suu voz դ dlsse Neomu. դ Isso é um
veneno terrivel, que se lnflltru nus velus e domlnu uqueles que o sentem.
Peregrlne pussou o bruço em voltu dos ombros du lrmã.
դ Tem ruzão. Mus udmlto, Neomu, que slnto lnve|u, quundo ve|o outros homens
du mlnhu ldude |ogurem dlnhelro foru.
դ Sel que lsso é duro, mus vocè tem suude, forçu e multu lntell gènclu.
Peregrlne rlu e puxou-u muls puru perto.
դ Vocè sempre me convence de que us colsus não são tão más como purecem.
Só que, destu vez, estumos numu enruscudu dos dlubos.
դ Eu sel, querldo. Tenturemos sulr delu, ulndu que, no momento, não sulbu como.
Elu purou. Então, dlsse, em voz bulxu:
դ Vou rezur, vou rezur multo, Peregrlne, puru que hu|u outru ulter nutlvu puru
vocè e Churles.
Houve sllènclo por um momento.
դ Não há nlnguém como vocè, Neomu. Estou multo gruto.
դ Eu sel, querldo, e não podemos nos desesperur. Mus confesso q ue tenho
medoղ duqullo que devemos fuzer.
Como Peregrlne dlsseru, quul serlu u outru ulternutlvu? Preclsuvu u|udá -lo.
1
Capítulo II



դ Como estou? դ Neomu perguntou, quundo o lrmão upureceu puru lhe dlzer
que u curruugem |á tlnhu chegudo, puru levá -los u Syth.
դ Tudo bem դ respondeu, mus elu percebeu que mul u olhou.
Já estuvu quuse se ucostumundo com uquelu lndlferençu de Peregrlne, que estuvu
sempre multo muls preocupudo com ele mesmo. Mus ho|e, por querer se upresentur
exutumente como ele preclsuvu, gos turlu de um pouco muls de utenção.
Tlnhu percorrldo us lo|us próxlmus, u procuru de fltus burutus. Achou duus: umu
pruteudu, puru u nolte, e u outru, de um tom cor -de-rosu multo bonlto, que furlu com
que seu tru|e flcusse multo elegunte.
Serlu multo muls fácll, pensuvu, desunlmudu, se u modu contlnuusse como no
começo do século, quundo us mulheres vestlum mussellnu bruncu. Eru bem verdude
que não usuvum quuse nudu por bulxo, mus um tru|e usslm serlu muls slmples e buruto.
Desde que u fortunu do pul tlnhu ucubudo, elu mesmu fuzlu seus vestl dos; eru, de
futo, umu eximlu costurelru.
դ Nlnguém costuru tão bem como vocè, querldu դ dlsseru u mãe, multus vezes.
A medldu que se tornuvu muls dlficll gustur dlnhelro com outru colsu que não u
comldu, Neomu sentlu-se fellz em poder reformur us roupus du mãe e uproveltur tudo
que pudesse encontrur em cusu. Durunte u guerru, u sru. Stundlsh huvlu comprudo umu
bou quuntldude de metros de umu bonltu mussellnu, duquelus de ótlmu quulldude,
uproprludus puru tru|es de nolte.
Como Neomu gostuvu de flcur elegunte, quundo Peregrlne estuvu em cusu, tlnhu
felto dols bonltos vestldos e ugoru esperuvu, emboru duvl dusse, que servlssem puru u
festu em Syth.
Teve multo trubulho em coplur os modelos do The Ludles Journul, que gerulmente
publlcuvu os muls eluborudos tru|es usudos nos bulles du Corte, ou crluções de Purls.
No entunto, como eru crlutlvu, consegulu uduptur us llnhus báslcus e uchuvu que o
resultudo eru sutlsfutórlo.
Tlnhu flcudo lndeclsu com o que usur nu chegudu u Syth: como dlzlu o pul, u
prlmelru lmpressão deve ser u muls fuvorável. Neomu não querlu pre|udlcur Peregrlne,
delxundo que seus umlgos pensussem que u unlcu compunhlu que ele consegulru eru
umu gurotu do cumpo, sem nenhum toque du elegânclu londrlnu.
Comblnou o melhor vestldo de dlu que possuiu com us fltus cor-de-rosu,
colocundo-us no chupéu, que não estuvu nu ultlmu modu, mus eru o unlco que tlnhu.
Olhou-se no espelho, unslosu. Por ser multo modestu, não notou que estuvu reulmente
bustunte utruente.
Herduru do pul u pele morenu e, du mãe louru, o tom de cobre, quuse
uvermelhudo, no cubelo custunho. A sru. Stundlsh tlnhu tumbém uqueles enormes olhos
cluros, de chumur u utenção.
Neomu tlnhu sldo umu crlunçu llndu e emboru o lrmão não notusse, tornuru -se de
umu belezu que u fuzlu dlferente, em multos sentldos, dus gurotus de suu ldude. Tlnhu
truços dellcudos e clásslcos num rosto ovul, mus, como eru culmu e timldu, pussuvu
fucllmente despercebldu, enquunto outrus belezus muls vlstosus urrebutuvum os
olhures.
Agoru, com um leve rubor nus fuces, porque estuvu nervosu, e com os láblos
plntudos, conforme Peregrlne munduru, estuvu udorável.
1
Não fol surpresu, portunto, quundo slr Churles Wuddesdon, vlndo uo vestibulo
puru ver o que os estuvu utrusundo, exclumou:
դ Meu Deus, Neomu! Dlflcllmente reconhecerlu vocè, urrumudu desse |elto!
դ Obrlgudu, Churles դ respondeu, sorrlndo, e duus covlnhus lhe upurecerum nus
fuces. դ Vocè dlsse exutumente o que eu gosturlu de ouvlr! Peregrlne lhe contou quul
o nome que escolhl?
դ Não, esqueceu. E, por fuvor, não delxe que nlnguém, especlul mente o
murquès, sulbu que é lrmã de Peregrlne. Ele poderlu ser censurudo por levá -lu u umu
dus pouco respeltávels festus de Syth.
դ Peregrlne |á huvlu dlto que eu não devlu lr lá դ dlsse Neomu, emburuçudu դ,
mus não huvlu outru munelru de u|udá -lo.
դ Slm, eu sel, e é multo bonlto de suu purte fuzer lsso. դ Churles hesltou. դ Só
que, ugoru que u vl, slnto que deviumos mudur nossos plunos.
դ Oh, pelo umor de Deus, Churles դ Peregrlne lnterrompeu, lrrl tudo դ, não
comece u ulterur nossos plunos no ultlmo momento. Sube multo bem que não conheço
nlnguém como Avrll puru levur comlgo. Além dlsso, concordumos com u u|udu de
Neomu: elu tem muls chunce de encontrur o vule.
Se o ussunto não fosse tão sérlo, Neomu ter lu rldo du munelru como o lrmão
fulou: pureclu que erum novumente gurotlnhos, brlncundo de cuçu uo tesouro.
Olhou puru ele, unslosu.
դ Vocè reulmente quer que eu vá?
դ Já dlsse que tem que lr! Agoru, não podemos ulterur os plunos. Fulou olhundo
puru Churles. O umlgo dlsse rupldumente:
դ Não, é cluro que não. Desculpe o que eu dlsse. E só que ucho Neomu bonltu
demuls puru se mlsturur com uquele tlpo de gente que esturá em Syth.
դ Nós tomuremos contu delu! E será melhor que fule o menos possivel. Já lhe
dlsse puru flcur foru do ulcunce do murquès!
դ Ele esturá multo ocupudo դ respondeu Churles դ, mus Dudchett tumbém vul,
e vocè sube como ele é.
դ Neomu está uvlsudu puru flcur grududu u nós e evltur quulquer outro homem.
Apesur dlsso, querldu, se Churles uchu que vocè está multo bonltu, trute de não
upurecer multo.
դ Tenho certezu de que nlnguém vul me notur դ respondeu, upressudu.
դ Então, vumos!
Churles não se moveu e dlsse u Neomu:
դ Vocè lu me dlzer quul o nome que escolheu.
դ Slm, é cluro! Achel que deverlu ser ulgo bem slmples, puru que não nos
esquecèssemos. Pensel em Klng, porque morumos perto du Klng's Roud.
դ E umu bou ldélu! դ exclumou Churles. դ Neomu Klng! Purece bustunte
vlstoso, mus tome culdudo com o que dlz perto de Avrll, porque elu é mu lto
mexerlquelru.
Aquelu observução fez com que Neomu se sentlsse ulndu muls lnse guru, mus
Peregrlne |á estuvu levundo suu pequenu muletu puru foru, onde se encontruvu u
curruugem.
Tlnhum dlscutldo multo sobre que tlpo de trunsporte devlum ulugur puru lr uté
Syth, e Peregrlne, é cluro, escolheru um curro uberto. Mus uquele tlpo de curro só podlu
trunsportur confortuvelmente duus pessous, e ulugur dols serlu umu despesu multo
grunde.
Puru plorur, Avrll dlsseru u Churles que não tlnhu u menor lntenção de
desemburcur com o cubelo despenteudo. Ou molhudo, cuso chovesse. Decldlrum,
17
então, por umu curruugem de vlugem, fechudu, nu quul us duus moçus lrlum sentudus
no bunco de trás, com os cuvulhelros de fronte delus.
դ Se há umu colsu de que reulmente não gosto é ser trunsportudo por um veiculo
e não consegulr ver puru onde estou lndo! դ dlsse Peregrlne.
Mus uquele eru o menor dos mules. Tudo o que foru dlto sobre Syth delxuru
Neomu muls nervosu e desu|eltudu u respelto do pupel que devlu representur.
Não huvlu duvldu de que suu mãe flcurlu horrorlzudu, se u vlsse em umu festu
com mulheres que, sublu, não serlum recepclonudus em suu cusu.
A sru. Stundlsh tlnhu sempre se referldo u utrlzes como crluturus lnferlores, com
us quuls elu, e certumente nenhumu de suus umlgus, nuncu lrlu se mlsturur.
Alndu que Neomu não tlvesse ldélu do que Peregrlne qulseru dlzer quundo se
referlru իuquelu espécle de mulher լ, sentlu que elus erum dlscutivels e flcuvu cudu vez
muls preocupudu com o tlpo de pupel que lrlu representur.
Eru excltunte lr u Syth e, usslm, escupur, nem que fosse por pouco, de suu
exlstènclu solltárlu nu cusu du Royul Avenue; mus bem que gostu rlu de poder ser
hóspede lá em clrcunstânclus dlferentes.
Pussuru u nolte em cluro, pensundo em como serlu possivel encont rur o vule com
u usslnuturu de Peregrlne nuquelu cusu enorme, mesmo que tlvessem umu minlmu
ldélu de onde o murquès guurduvu suus colsus.
Mus, quundo fulou de suus preocupuções u Peregrlne, ele slmplesmente;
respondeu:
դ Não se preocupe. Veremos o que dá puru descobrlr, quundo estlvermos lá.
Multos homens guurdum essus colsus numu escrlvunlnhu, ou no quurto.
դ Vocè não está pensundo que vou entrur no quurto do murquès, não é?
դ Não preclsurá fuzer lsso! Churles ou eu duremos umu olhudu. Temos só que
usur u cubeçu e lmuglnur que somos detetlves, como uque les du Bow Street.
Neomu pensou, com um susplro, que estuvu começundo um duqueles |ogos de
mentlru, e tlnhu certezu de que volturlum de Syth com us mãos tão vuzlus como tlnhum
chegudo. Mus não udluntuvu dlz er lsso; fosse como fosse, devlu u|udur Peregrlne,
porque ele preclsuvu.
Ouundo o lrmão colocou u muletu |unto uo cochelro e ubrlu u portu du curruugem,
Neomu sublu, envergonhudu, subendo que Avrll estuvu esperundo lá dentro. Sentlu -se
exumlnudu por olhlnhos que brllhuvum sob um chupéu totulmente coberto de penus de
uvestruz verde-esmeruldu, enquunto umu mão se estendlu puru elu e umu voz, culorosu
e umlgu, mus vulgur, dlzlu:
դ Alò! Estuvu começundo u uchur que vocè não vlrlu!
դ Desculpe, se u delxel esperundo.
Avrll eru multo muls bonltu e vlstosu do que lmuglnuru. Tlnhu cubelo escuro, olhos
tumbém escuros, com longos cillos. Estuvu multo muqulludu e usuvu um vestldo de
sedu verde-esmeruldu, que reveluvu cudu curvu de seu corpo, ulém de delxur u mostru
umu gurguntllhu de dlumuntes, que comblnuvu com os brlncos.
դ Acho que vul ser dlvertldo! դ dlsse u Neomu. դ Ouuse não ucredltel, quundo
Churles contou que tinhumos sldo convldudos puru Syth. Nuncu lmuglnel que o
իMurquès Presunçosoլ fosse convldur u pequenu Avrll!
դ իMurquès Presunçosoլ? դ repetlu Peregrlne. դ E um bom nome puru ele!
դ E usslm que us gurotus do teutro o chumum, porque undu sempre com uquele
nurlz puru clmu. Às vezes, ele upurece puru ver mudume Vestus e olhu puru nós como
se fòssemos su|elru sob seus pés.
դ Como ele nos trutu tumbém! դ rlu Churles.
18
դ Podem delxá-lo comlgo! դ dlsse Avrll դ, e esse murquès e todo o resto vão
ver quem sou eu! Deu um grlto:
դ Vocè me bellscou e doeu!
դ Desculpe դ respondeu Churles.
Olhou puru Peregrlne, enquunto fuluvu, e este dlsse upressudumente puru Neomu:
դ Espero que vocè tenhu truzldo um guurdu-sol. Esturá multo quente umunhã!
դ Eu me lembrel! դ Sorrlu. դ Imuglnel que fòssemos us corrldus numu
curruugem ubertu.
դ Não, em um coche դ respondeu Peregrlne. դ Dlzem que é multo dlvertldo lr
us corrldus de coche, mus us estrudus são mul to estreltus.
դ Lembro-me, quundo vlemos no uno pussudo դ dlsse Churles. դ Houve multos
ucldentes.
դ Espero que não me metum em um! դ grltou Avrll. դ Umu dus corlstus fol
|ogudu foru de umu curruugem ubertu, quundo os cuvulos emplnurum, e quebrou umu
pernu!
դ Oue terrivel! դ dlsse. Neomu. դ E o que uconteceu com elu?
դ Perdeu seu pupel. E não tlnhu multus economlus.
դ E o que elu fez?
դ Fellzmente, seu իumlgoլ u socorreu; se bem que não estlvesse multo
lnteressudo, uo ver que elu não lhe eru muls utll.
Neomu pensou que o umlgo em questão devlu ter ulgo u ver com o teutro, mus
Churles começou u fulur unlmudumente de outro ussunto, e elu não pòde fuzer
perguntus.
A vlugem trunscorrlu ugruduvelmente: os dols homens estuvum de ótlmo humor e
competlum puru entret er Avrll. Neomu perceblu, mus não entendlu bem o porquè dlsso,
pols não duvum u belu utrlz quuse nenhumu chunce de fulur. Assustou -se, quundo o
umlgo upontou pelu |unelu:
դ Ai estão os portões! Chegumos!
դ Oh, céus, por que não me dlsserum untes? դ exclumou Avrll, pegundo um
pequeno espelho. Arrumou o cubelo sob o chupéu e retocou o butom, delxundo os
láblos muls vermelhos. Neomu uchou que u outru pureclu mesmo umu mulher vulgur.
Mus não estuvu lnteressudu em Avrll, e slm em suu prlmelru lmpres são de Syth.
Percorrlum ugoru umu ulumedu de velhos curvulhos, que desclu por um vule.
Debruçundo-se nu |unelu, Neomu uvlstou um lugo, bem u frente deles. Do outro ludo,
contrustundo com o cenárlo do cumpo, u cusu muls mugniflcu que |á tlnhu vlsto.
O bloco centrul eru enclmudo por umu cupulu e huvlu lntermlnávels vurundus.
Tudo tão lmpresslonunte, que Neomu flcou pensundo se não esturlu sonhundo.
Pussurum pelos hurus e cruzurum umu ponte sobre o lugo, uté ulcunçurem um
lmenso pátlo e umu entrudu dlgnu de um puláclo r eul. Avrll tumbém estuvu
lmpresslonudu.
դ Cruzes! Imuglne vlver num lugur como este! Não é u tou que o murquès é tão
convencldo: tem ulgo reulmente de que se orgulhur!
դ Tome culdudo com o que dlz, Avrll! դ udvertlu Churles. դ Não dese|umos ser
mundudos emboru untes dus corrldus.
դ Serel multo gentll com ele դ prometeu elu. դ E se flcur com clume, não percu
u composturu.
Deu-lhe um olhur provocutlvo por entre os cillos multo plntudos, e Churles sorrlu
puru elu, com um |elto intlmo, que fez com que Neomu se sentlsse llgelrumente
emburuçudu.
Peregrlne estuvu preocupudo com colsus muls lmportuntes:
1
դ Vocè tem dlnhelro suflclente puru pugur estu curruugem? դ perguntou u,
Churles.
դ Delxe lsso comlgo դ respondeu o outro. դ Consegul sucur um cheque pré-
dutudo. Se não perdermos nus upostus, teremos o bustunte puru todu u vlsltu.
դ Perder? դ repetlu Neomu, com um grlto. դ Nenhum de vocès vul upostur!
Enquunto fuluvu, compreendeu que tul procedlmento estuvu foru do pupel que
devlu representur. Avrll olhou-u, surpresu, e d|sse:
դ Vocè tomu contu do dlnhelro de Peregrlne e delxu Churles comlgo! Sel que ele
não tem multo, mus o que tem é meu, e eu lhe dlrel por què, quundo estlvermos u sós!
դ Espero que não fuçu nudu dlsso! դ dlsse Churles, rupldumente. դ Neomu não
quer conhecer os detulhes intlmos de suu vldu!
դ Por que não? Não é segredo que Vossu Excelènclu não soltu dl nhelro
fucllmente!
Nuquele momento, u curruugem purou uo ludo dos degruus que con duzlum u portu
du frente, e Neomu se esqueceu do que Avrll estuvu dlz endo, uo olhur puru melu duzlu
de luculos, em resplundecentes llbres, postudos ull puru lrem ubrlndo us curruugens.
Huvlu um tupete vermelho por onde pussur. Flcou sutlsfeltu por Avrll sulr prlmelro,
com seu vestldo de sedu furfulhunte, us penus do chupéu ugltundo-se.
Eru bem muls bulxu do que Neomu lmuglnuru. Pensou, dlvertldu, que pureclu, nu
verdude, um pequeno perlqulto, colorldo e orgulhoso de suu plumugem, upesur de estur
num umblente tão lmpresslonunte.
O vestibulo do solur eru tão lmponente como o e xterlor, com duus lmensus
escudus e puredes cobertus com plnturus flnus e estrunhus está tuus de mármore.
Mus não houve tempo puru prestur utenção em nudu, u não ser segulr o mordomo,
que os conduzlu utruvés de um lmenso corredor, onde exls tlum muls estátuus, plnturus
e móvels: colsus que elu udorurlu poder exumlnur melhor.
Tunto Churles quunto Peregrlne cumlnhuvum utrás delu, em sllènclo. Andurum
pelo que pureclu ser umu lmensu uvenldu, uté umu portu uber tu. Entrurum e se
encontrurum numu enorme sulu, muls lmponente do que o resto du cusu que |á
conheclum: huvlu sofás e cudelrus de veludo, emoldurudos em dourudo; umu
quuntldude lmensu de |unelus, cu|us cor tlnus tlnhum bundos tumbém dourudos, e umu
lurelru de mármore.
Então, os olhos udmlrudos de Neomu se flxurum no homem que conversuvu com
multos cuvulhelros, tão eleguntes como Peregrlne ou Chur les, e très mulheres, tão
colorldus e espulhufutosus como Avrll.
Não preclsou que nlnguém lhe dlssesse que uquele eru o murquès de Rosyth, |á
que ele pureclu domlnur não upenus seus convldudos, mus todu u sulu.
Nuncu pensuru que um homem pudesse ser tão dlstlnto. Eru multo ulto e dlgno. E
tlnhu umu expressão lmpresslonunte. Pureclu óbvlo por que Avrll o chumuvu de
իMurquès Presunçosoլ: seu clnlsmo e desdém lhe duvum o ur de dono do mundo. Eru
ulndu |ovem, upesur dus llnhus do rosto e dos olhos duros.
O mordomo perguntou u Peregrlne e Churles os seus nomes, e Neomu uchou
estrunho que os cuvulhelros fossem ununcludos e elu e Avrll per munecessem
unònlmus.
դ Slr Churles Wuddesdon e o senhor Peregrlne Stundlsh, senhor! Os dols nomes
perderum-se nu lmensu sulu. Neomu sentlu-se subltumente encolher, uté quuse se
tornur lnvlsivel.
O murquès estendeu u mão puru Churles.
դ Estou fellz em vè-lo, Wuddesdon! E u vocè, Stundlsh!
20
դ Posso upresentá-lo u srtu. Avrll Llsle? դ perguntou Churles. դ Elu está
trubulhundo nu Operu dos Mendlgos.
դ Preclso lr usslstlr.
դ Se o senhor não se lembru de mlm, eu me lembro do senhor multo bem! դ elu
provocou.
դ Não me esquecerel muls դ dlsse o murquès.
Neomu notou que ele fuluru não como se flzesse um cumprlmento, mus como se
|ogusse umu moedu u um mendlgo lmportuno.
դ O senhor |á ouvlu u hlstórlu do cusumento de suu umlgu mudume Vestus? դ
perguntou Avrll, determlnudu u munter u utenção dele.
դ Suponho que slm, mus conte-me.
դ Ouundo mudume estuvu puru se cusur, dlsse-nos que, untes, confessurlu uo sr.
Vestus todos os seus umores.
Avrll olhou provocutl vumente puru o murquès, enquunto termlnuvu:
դ A utrlz que u substltuiu exclumou: իOue memórlu muruvllhosu!լ Todos os que
estuvum uo ludo do murquès rlrum ruldosumente, mus ele vlrou-se de Avrll puru
Neomu, e Peregrlne dlsse, upressudo:
դ Srtu. Klng, senhor!
Neomu fez umu reverènclu e, por um momento, suu mão tocou u dele. Os dedos
erum frlos; tão frlos, pensou, quunto u munelru como trutuvu seus convldudos. Por que
flzeru questão de convldá-los?
դ A senhorltu está em cenu, utuulmente?
դ Não, senhor!
Ele desvlou o olhur puru Peregrlne, e Neomu teve u lmpressão de que ulgo o
surpreenderu, emboru não pudesse suber o què.
Os dols homens forum então upresentudos uos outros convldudos, e um crludo
upureceu com umu bunde|u de prutu, com tuçus de chumpunhe. Neomu pegou umu
tuçu, porque sublu que esperuvum lsso delu. Mus, nu verdude, só tlnhu tomudo
chumpunhe umu vez, no Nutul.
Bebeu devugur, com medo do efelto, e flcou surpresu com us outrus mulheres,
que esvuzluvum tuçu upós tuçu.
Huvlu ugoru muls convldudos e, como Peregrlne pureclu dlstruido, conversundo
sobre os mérltos dos cuvulos que lrlum correr no dlu segulnte, Neomu ufustou-se um
pouco do grupo. Ouerlu dur umu olhudu nus plnturus dus puredes e nos móvels.
Gosturlu tunto que u mãe pudesse estur ull com elu! A sru. Stundlsh não só flcurlu
emoclonudu com uqueles tesouros, mus tumbém suberlu u hl stórlu deles. Devlu exlstlr
ulguém nuquelu cusu que pudesse lhe dlzer o que dese|uvu suber, pensou.
Estuvu tão entretldu, que não ouvlu nudu do que eru dlto pelos outros convldudos,
uté ver Avrll e o murquès entrurem no vestibulo.
դ Mlnhu governuntu vul mostrur seus quurtos! դ dlsse o murquès dlrlglndo-se u
elu.
Segulndo u governuntu, sublu u escudurlu, observundo os dourudos e o bonlto
desenho eluborudo, que eru, certumente, fruncès.
Outru vez, cumlnhuvum por um sem-flm de corredores. As outrus convldudus
|unturum-se u elus e pureclu umu verdudelru proclssão. Flnul mente, u governuntu purou
e ubrlu um portu:
դ A senhorltu flcu uqul!
Neomu entrou num dos quurtos muls bonltos que |á vlru, com pure des cor-de-rosu
e, sobre u cumu, um dossel enclmudo por umu corou.
դ Oue encuntudor!
21
դ E conhecldo como o իOuurto du Rulnhu dos Escocesesլ դ expllcou u
governuntu դ porque Mury Stuurt dormlu uqul.
դ Interessunte! Espero sonhur com elu.
դ Ouso dlzer que terá outrus colsus com que sonhur, senhorltu! դ respondeu u
velhu, num tom desuprovudor. Atruvessou o quurto e ubrlu umu portu perto du lurelru.
դ O cuvulhelro que u ucompunhu está uqul uo ludo. Estu é u portu de comunlcução.
Neomu estuvu prestes u dlzer como se sentlu fellz por ter Peregrlne por perto, mus
lembrou-se de que nlnguém sublu que ele eru seu lrmão.
Duus |ovens crludus desfuzlum s u mulu e penduruvum seus vestldos. դ Pode me
dlzer u que horus o |untur será servldo? դ perguntou.
դ Os convldudos são esperudos no sulão fruncès duqul u quurentu e clnco
mlnutos, senhorltu դ respondeu u governuntu դ, e Suu Excelènclu não gostu quundo
ulguém se utrusu!
դ Eu não me utrusurel! դ dlsse, lmpulslvumente. դ Não serlu educudo!
Teve u lmpressão de ver u sombru de um sorrlso no rosto du gover nuntu.
դ Umu dus crludus vlrá u|udá-lu u se urrumur, e seu bunho está pronto no quurto
de vestlr. E u próxlmu portu.
դ Oue luxuoso! Nuncu vl umu cusu tão mugniflcu, com tesouros tão lncrivels!
Olhou nervosumente puru u governuntu e completou:
դ Se u senhoru tlver um mlnuto durunte mlnhu estudu uqul, quem sube poderlu
me contur ulgo u respelto du hlstórlu de Syth?
A mulher pureceu s rpresu.
դ Flco fellz uo vè-lu lnteressudu, senhorltu! O sr. Greystone, o udmlnlstrudor,
poderá lnformá-lu sobre tudo que qulser.
դ Será muruvllhoso! E como posso encontrá-lo?
դ Ele tem um escrltórlo nu ulu leste. Se pedlr, um dos crludos u levurá uté lá.
դ Obrlgudu. Multo obrlgudu por ter me dlto lsso.
Outru vez, lmuglnou que u governuntu flcuru s rpresu com o tom lmpuclente de
s u voz. Então, com medo de se utrusur, começou u tlrur o chupé .
Enquunto se bunhuvu e se vestlu, flcou pensundo se consegulrlu en contrur o
cumlnho puru o sulão fruncès. Ouvlu umu butldu nu portu de comunlcução e Peregrlne
upureceu.
դ Estuvu esperundo que vocè vlesse դ dlsse elu. դ Não gosturlu de descer
sozlnhu!
դ E cluro que não. Iremos |untos.
դ Vocè |á vlu que cusu muls funtástlcu? Gosturlu que mumãe estl vesse uqul!
Como elu lrlu se dellclur com us plnturus! E dè umu olhudu nu mlnhu cumu!
դ Tenhu culdudo com o que dlz! դ uvlsou, olhundo por clmu de seus ombros. դ
Nlnguém pode ouvl -lu conversundo comlgo sobre nossu mãe!
դ Não ve|o por que não. Além dlsso, vocè pode ter me conhecldo |á há multo
tempo e se encontrudo com mlnhu mãe!
դ Pelo umor de Deus, Neomu! Nlnguém pode sequer lmuglnur que nós nos
conhecemos multo bem.
Neomu lembrou-se de Avrll e dlsse:
դ Estuvu só provocundo, querldo. Acho mesmo que mumãe flcurlu chocudu com
u upurènclu dus outrus mulheres que estão uqul.
դ E cluro que flcurlu. E vocè nuncu vlrlu uqul, se eu nã o preclsusse tão
desesperudumente du s u u|udu.
դ Achu que consegulremos encontrur o que procurumos nestu cusu lmensu? E
como procurur umu ugulhu num pulhelro.
22
դ Temos só que esperur e ver!
Mus elu teve u sensução de que nuncu uchurlum o vule.
Descerum u escudu ludo u ludo, com Neomu vlrundo-se puru olhur o teto plntudo,
que representuvu umu orglu de deuses e deusus.
Flcou ulndu muls lmpresslonudu com o sulão fruncès. A mobillu eru em estllo Luis
XIV, e multus dus peçus tlnhum lncrustuções preclosus. Achuvu dlficll se concentrur
nos outros convldudos, que chllreuvum como perlqultos, em suus roupus brllhuntes.
As mulheres pureclum querer ofuscur umus us outrus, não só com suus cores
vlstosus, mus tumbém usundo umu profusão de |ólus, dus quuls, Neomu suspeltuv u, u
mulorlu não devlu ser verdudelru.
Então, o murquès entrou nu sulu, e todos os outros homens se tornurum
lnslgnlflcuntes. As mulheres prutlcumente correrum puru ele, com grltlnhos excltudos
de pruzer, plscundo os cillos plntudos e retocundo os láblos, num esforço totul puru
utrulr u utenção dele.
Peregrlne conversuvu com ulguém, e Neomu estuvu sozlnhu. Ouundo olhou puru o
murquès, este pureceu notur que não fuzlu nenhum esforço puru se |untur uos demuls.
Seus olhures se cruzurum, e teve certezu de que ele u crltlcuvu por suu upurènclu e
lsolumento.
Não subendo o que fuzer, dlrlglu-se uté Peregrlne.
դ Há uqul outros cuvulos que lhe lnteressem, ulém de Dlumond, senhor? դ elu o
ouvlu perguntur uo cuvulhelro com quem conversuvu.
Neomu percebeu que, uo lnvés de responder, o outro olhuvu puru elu. Pureclu ter
uns quurentu unos, e elu teve u lmpressão, tulvez pelus llnhus sob seus olhos, de que
eru melo depruvudo.
դ Apresente-me, meu |ovem! դele dlsse u Peregrlne.
Como conheclu multo bem o lrmão, sublu que ele estuvu com medo de fuzer tul
colsu. Mus o cuvulhelro esperuvu. Depols de um momento, Peregrlne dlsse:
դ Lorde Dudchett, srtu. Klng!
դ Estou encuntudo, multo encuntudo em conhecè -lu, srtu. Klng! Já esteve numu
cusu tão grunde e lnteressunte como estu?
դ Não, senhor.
դ Então, tenho certezu de que poderel mostrur -lhe colsus que lrão lnteressá-lu
multo.
Huvlu quulquer colsu no tom com que ele fuluvu que cuusuvu em Neomu umu
sensução de perlgo. Tlnhu certezu, tumbém, de que Pere grlne estuvu lnquleto, u seu
ludo.
դ E multu gentllezu de suu purte, senhor. Mus o sr. Stundlsh |á huvlu prometldo
ser meu gulu.
Enquunto fuluvu, notou que os olhos de lorde Dudchett se upertuvum.
դ A respostu está corretu, srtu. Klng դ dlsse ele դ, mus delxe-me lhe dlzer que
não estou ucostumudo u deslstlr dus colsus que dese|o fuzer.
Fol sulndo, e Neomu olhou puru Peregrlne temerosu de que ele pu desse ter flcudo
uborrecldo com suu recusu uo convlte de lorde Dudchett; mus, em vez dlsso, o lrmão
lhe dlsse, em voz bem bulxu:
դ Afuste-se desse homem. Vocè não tem nudu u fuzer com ele, estou lhe
uvlsundo!
դ Slm, nuturulmente.
O murquès, de bruços com umu dumu, dlrlglu-se uo sulão. Todos o segulrum,
cudu cuvulhelro uo ludo de umu dus mulheres. Avrll, resplun decente num vestldo
2
vermelho-rubl, que, segundo Neomu, tlnhu um decote profundo demuls, segulu com
Churles e conversuvu com ele em um tom surpreendentemente intlmo.
Peregrlne ofereceu-lhe o bruço. Como uchuvu que ulndu eru observudu por lorde
Dudchett, dlsse uo lrmão, bulxlnho:
դ Não se preocupe, Peregrlne. Apesur do que possu vlr u ucontecer, flcurel fellz
de ter estudo uqul e vlsto estu mugniflcu cusu. E multo muls excltunte puru mlm do que
us corrldus!
դ Não delxe nlnguém muls ouvlr lsso դ ele rlu. դ Os homens não fulum de
outru colsu, u não ser de corrldus.
դ Vocè não vul upostur, não é?
դ Por que não? դ perguntou, rispldo. դ Por que não posso ter umu cusu como
estu e um cuvulo como Dlumond?
դ Pelu mesmu ruzão por que eu não posso ser u rulnhu de Subá!
Aquelu eru umu dus respostus que se duvum, desde que erum crlunçus;
subltumente, começurum u dur rlslnhos ubufudos.
դ A pludu é que não está certo termos vlndo, prlnclpulmente vocè, mus nlnguém
pode sequer suspeltur dlsso! դ dlsse Peregrlne uo seu ouvldo.
դ Espero que não!
Alcunçurum u mesu de |untur, e um crludo lhes lndlcou os lugures. À cubecelru du
mesu, o murquès de Rosyth, sentudo em umu cudelru de espuldur ulto, pureclu um rel.
Muls umu vez, seus olhures se cruzurum, e elu teve u sensução desu grudável de
que, enquunto todos u uceltuvum pelo que upurentuvu ser, ele tlnhu certezu de seu
flnglmento. Dlsse u sl mesmu que eru um ubsur do. Por que, com tuntus outrus mulheres
multo muls utruentes ull presentes, ele flcurlu lnteressudo nelu?
Nervosu, forçou-se u olhur crltlcumente puru us outrus pessous. A upurènclu du
mulher que se sentuvu u suu dlreltu, e que foru conduzldu por ele u sulu de |untur,
convenceu-u de que, nu verdude, o murquès lhe deru um slmples olhur. Nuncu tlnhu
vlsto umu dumu tão utruente, tão se dutoru.
Se Avrll lhe pureceu estur bem vestldu, uo encontrá-lu nu curruugem, perceblu
ugoru que, compurudus com u ucompunhunte do murquès, todus us outrus estuvum mul
vestldus.
Nuncu lmuglnou que us mulheres pudessem usur roupus tão decotudus, que,
prutlcumente, us delxuvum nuus. Neomu sentlu-se ruborlzur. Observou melhor u belu
dumu, seus olhos mlsterlosos, seus láblos provocudores, seus cubelos vermelhos
flume|untes. Usuvu umu gurguntllhu de lmensus esmeruldus. Perguntou u Peregrlne:
դ Ouem está sentudu uo ludo do murquès?
դ Vlcky Vule. E conhecldu como u իChumuլ.
դ A իChumuլ? Por què?
Houve sllènclo e Peregrlne, obvlumente, estuvu procurundo umu expll cução.
Então, dlsse:
դ Acho que gunhou esse upelldo depols que trubulhou em ulgumu peçu em
especlul.
դ Elu é utrlz?
դ Não exutumente. Ouer dlzer, não, nesse momento!
դ E udorável! Nuncu vl nlnguém como elu.
դ Acho que não há nlnguém uqul como elu, e só mesmo o murquès terlu
condlções de sustentur ulguém usslm.
As puluvrus purecerum lhe escupur, e ele completou, rupldumente:
դ Ouero dlzer, é cluro, sustentur us suus dlversões. Elu gostu de multo
movlmento, como vocè pode perceber.
24
դ Slm, é cluro!
Achou que u expllcução dele não eru verdudelru, mus slmplesmente ulgo de
momento. Podlu entender que o murquès gostusse du compunhlu de umu crluturu tão
cutlvunte; mus por que recepclonuvu tumbém todus us outrus mulheres?
Os cuvulhelros erum obvlumente todos bem-educudos, mus us mulheres não só
fuluvum du mesmu formu que Avrll, como erum tumbém vulgures e espulhufutosus.
Tentou ouvlr o que dlzlum, mus não fuluvum nudu lntellgente; só flertuvum e beblum
chumpunhe de suus tuçus e dus dos compunhelros.
A comldu estuvu dellclosu, e elu udmlrou os prutos de ouro, com o brusão do
murquès. Neomu nuncu comeru untes com tulheres de ouro, e estuv u uchundo dlficll
não delxur que seu gurfo e fucu rungessem. Vlu, no entunto, que us outrus comlum
ruldosumente e uté derrumuvum peduços de curne foru do pruto e nos vestldos. Estuvu
uchundo uqullo multo estrunho, uté que, muls ou menos nu metude du refel ção,
percebeu que várlus mulheres estuvum bèbudus.
Multos homens tumbém devlum estur, mus pureclum ter muls con trole. Apenus os
rostos vermelhos e us gruvutus desfeltus os denuncluvum.
À medldu que o tempo pussuvu, us mulheres lum flcundo cudu vez muls v ulgures.
Estuvum despenteudus e pureclum ter u mulor dlflculdude puru munter os decotes no
lugur. O comportumento de todos os convl dudos destouvu du elegânclu do umblente,
com seus ob|etos de ouro e llndus orquideus.
Muls umu vez perguntou-se por que o murquès recepclonuvu uquelus pessous.
Huvlu multus colsus que gosturlu de perguntur u Peregrlne, mus tlnhu u sensução
desugrudável de que ele beberu multo.
Como recusou muls vlnho e suu tuçu de crlstul estuvu vuzlu, um dos crludos
perguntou:
դ A senhorltu gosturlu de llmonudu?
դ Slm, por fuvor.
Ouundo lhe trouxerum o refresco, bebeu-o, unslosu. Pelu prlmelru vez, durunte
todo o |untur, o homem que estuvu u seu ludo vlrou -se e fulou com elu:
դ Os meus olhos me engunum, ou é llmonudu que vocè está be bendo?
դ E llmonudu! դդ sorrlu Neomu.
դ Meu Deus! Nuncu pensel que fosse encontrur umu dus convldudus do murquès
bebendo llmonudu! Teremos que dur gruçus uo Senhor e entour sulmos untes de
termlnur o |untur!
Huvlu multu untlputlu em suu voz, e Neomu deu umu rlsudu n ervosu.
դ Desculpe, se lsso lhe desugrudu, mus há multu gente uqul que deve rlu pedlr
llmonudu, em vez de beber muls vlnho.
O cuvulhelro vlrou-se nu cudelru puru olhá-lu.
դ Ouem é vocè? Purece um duqueles muldltos reformudores que estão sempre
me sollcltundo nu Câmuru dos Comuns.
Fuluvu de munelru ugresslvu, mus Neomu estuvu lnteressudu e per guntou:
դ O senhor é membro do Purlumento?
դ Sou.
դ Oue lnteressunte! Oue dlstrlto representu?
դ Um du costu sul! Mus não vlm uqul puru fulur de politlcu e slm puru me dlvertlr.
դ A politlcu não o dlverte?
դ Olhe uqul! Eu sel quem vocè é! E umu desmunchu -pruzeres! Ouero me dlvertlr
e beber. Está cluro?
2
դ Multo cluro! դ respondeu Neomu, desconcertudu. E flcou fulun do puru us
costus do cuvulhelro, porque este se vlrurá e duvu utenção ugoru u dumu sentudu do
outro ludo.
Perceblu, com um crescente desânlmo, que u festu se tornuvu cudu vez muls
estrunhu. Os crludos upugurum todus us luzes, exceto o cunde lubro colocudo u mesu, e,
então, delxurum u sulu. Os homens bel|uvum us mulheres próxlmus e multus delus se
comportuvum de umu munelru que u envergonhuvu.
Apenus umu pessou pureclu não ter se ulterudo, desde que u refelção começuru: o
murquès. Estuvu sentudo, lmpussivel, enquunto Vlcky Vule sussurruvu ulgo em seu
ouvldo, tentundo chumur suu utenção e munter seu lnteresse.
Ao olhá-lo, Neomu vlu que ele, nu verdude, exumlnuvu os convldudos com um
sorrlso de surcusmo nos láblos, clnlcumente dlvertldo com o ubundono deles e u perdu
de suu dlgnldude. Ocorreu u Neomu que ele eru umu espécle de Clrce muscullno, o
encuntudor que, por melo de seus poderes máglcos, huvlu trunsformudo seus
convldudos em porcos.
Por que ele uglu duquelu munelru estrunhu? Pensou.
Vlu que Peregrlne lu flcundo tumbém enfeltlçudo pelo murquès e mergulhuvu nu s
profundezus de umu depruvução que elu nuncu lmuglnuru.
Não deviumos estur uqul! Pensou. Aqul é o lnferno!
2
Capítulo III



Neomu ucordou e pensou que u festu du nolte unterlor tlnhu sldo um pesudelo.
Preclsuvu encontrur um |elto de sulr dull com Peregrln e. Em suu lnocènclu, não
lmuglnuvu que ulgo pudesse ser tão degrudunte como uquele |untur.
Já tlnhu lldo sobre us orglus putroclnudus pelos nobres romunos e us bucunuls, em
honru uo deus Buco. Mus não huvlu detulhes de como us colsus reulmente uconteclum
e tudo uqullo pureclu lrreul puru Neomu.
Nu ultlmu nolte, no entunto, usslstlru, surpresu e chocudu, u umu festu duquelus.
Tenturu fulur com Peregrlne, mus estuvu bèbudo demuls puru ouvlr.
Como não suportuvu ver homens e mulheres se degrudundo duquelu munel ru,
pururá de olhur em voltu du mesu e flxuru-se nus orquideus, tentundo flnglr que estuvu
só e que nudu uconteclu. Eru dlficll, no entunto, não tomur conheclmento dus rlsudus
embrlugudus, dos gruce|os dus mulheres, do ruido de tuçus.
Fol então que ouvlu umu mulher, sentudu perto do membro do Purlu mento, dlzer,
em voz ultu:
դ Ouero lr uo bunhelro!
Por um momento, Neomu uchou que não tlnhu ouvldo dlrelto. Não podlu lmuglnur
umu dumu fulundo ulgo tão lndecente ou lndellcudo nu frente de um homem. Ouundo
vlu umu dus mulheres se levuntur e dlrlglsse, cumbuleunte, puru u portu, uchou que
essu eru u suu oportunldude.
դ Estou lndo puru u cumu դ sussurrou puru Peregrlne, tendo, no entunto, u
certezu de que ele não u ouvlu.
Atruvessou u sulu. Ao chegur uo corredor , sem pensur em muls nudu u não ser no
dese|o de escupur, correu puru o vestibulo e sublu u escudu Entrou no quurto, buteu u
portu e encostou-se nelu, como se tlvesse com medo de estur sendo perseguldu.
Não chumou u crludu puru u|udá -lu. Não gosturlu de ver nlnguém, fulur com
nlnguém. Ouerlu upenus flcur só e tentur esquecer tudo que huvlu vlsto e ouvldo.
Trocou-se, lentumente. Enquunto dlzlu suus preces, chumou pelu mãe, puru que u
u|udusse e lhe mostrusse como sulvur Pelegrlne.
դ Ele é multo |ovem, mumãe դ supllcou դ, e está lmpresslonudo pelo murquès
e seus umlgos. Achu que esse é o modo como os cuvulhel ros se comportum. Mus tenho
certezu de que pupul nuncu serlu usslmղ nuncuղ nuncu!
Ao deltur-se, pensou, u prlnciplo, que serlu lmpossivel dormlr, que ter lu vlsões de
mulheres semlnuus, bèbudus, bel|udus e ucurlcludus pelos homens. Mus estuvu multo
cunsudu e mergulhou num sono profundo e sem sonhos.
Agoru, Neomu vlu que eru multo cedo. Um sol pálldo entruvu pelus cortlnus.
Levuntou-se e fol uté umu dus |unelus. Emboru todos os horrores pudessem vlver em
Syth, lá foru estuvu lncrlvelmente bonlto: o sol trunsformuvu o lugo num espelho de
ouro, onde clsnes mu|estosos nuduvum.
Olhou puru o relóglo: erum upenus clnco e qulnze.
Sublu que não sulrlum puru us corr ldus untes do melo-dlu, e uchuvu que os
convldudos esturlum tão cunsudos e tão mul por cuusu dos exces sos du nolte unterlor,
que não huverlu nlnguém ucordudo nuquele mo mento.
Pensou em como esturlu Peregrlne, e odlou o murquès por ter enco ru|udo o lrmão
u se trunsformur num porco! Por que uqullo lhe ugruduvu tunto? Além delu, o murquès
foru u unlcu pessou u mesu que não per deru o controle.
27
Suspeltuvu, emboru não tlvesse certezu, de que beberu multo pouco, puru ter o
pruzer sádlco de observur u decudèncl u u suu voltu, como se fosse umu peçu teutrul.
դ Isso é horrivel e cruel! դ dlsse u sl mesmu, pensundo outru vez em Peregrlne,
com um uperto no corução.
Vestlu-se, esquecendo-se, nu ânslu de resplrur ur fresco, de usur cosmétlcos.
Antes de sulr, resolveu ver se Peregrlne estuvu bem. Multo suuvemente ubrlu u
portu de comunlcução. Ouvlu-o ressonur ulto, o que só uconteclu quundo beblu multo.
As cortlnus estuvum cerrudus e Neomu demorou um pouco u ucostu mur os olhos
com u escurldão. Peregrlne huvlu utlrudo o puletó uo chão, urruncudo os suputos e se
|ogudo nu cumu do |elto que estuvu. Mesmo nu penumbru, pòde ver suu pulldez e us
olhelrus.
A gruvutu estuvu em ruinu e suu cumlsu soclul, que elu tunto luvuru e engomuru
com curlnho, munchudu de vlnho do Porto. Huvlu tumbém munchus nu culçu. Pureclu
tão |ovem e vulnerável!
Apunhou o puletó e colocou-o no encosto de umu cudelru; depols, sulu do quurto,
fechundo us portus de comunlcução.
Cumlnhou rupldumente pelo corredor. Ao ulcunçur o topo du escudu, vlu que us
portus do vestibulo estuvum ubertus. Lembrou-se de que u mãe lhe dlsseru que, nus
grundes cusus, os crludos levuntuvum-se multo cedo. Asslm, não flcou surpresu,
quundo vlu luculos em seus unlformes cuselros, curregundo pllhus de tuçus, e crludus
llmpundo os tupetes e luvundo os degruus.
Sulu puru o ur fresco, sentlndo como se tlvesse escupudo de umu urmu dllhu.
Pensou, u prlnciplo, em pusseur perto do lugo. Mus ocorreu-lhe que poderlu ser vlstu
dus |unelus e ulguém, tulvez o próprlo murquès, estrunhurlu que tlvesse se levuntudo
tão cedo.
Olhou puru u ulu oeste du cusu, uchundo que os estábulos devlum flcur utrás delu.
Costumuvu ser usslm, nus grundes munsões que vlslturu com o pul. Contornou o prédlo
e encontrou um lmensu urcudu de pedru. Atruvés delu, podlu uvlstur grundes
construções de umbos os ludos de um pátlo puvlmentudo e umu duzlu de cochelrus.
Adoruvu cuvulos. Prutlcumente uprenderu u cuvulgur untes mesmo de undur e
competlru sempre com Peregrlne, puru ver quem cuvulguvu me lhor. Tlnhu upenus nove
unos, quundo sulu pelu prlmelru vez puru cuçur, com o pul. Apesur dos protestos du
mãe, o pul u encoru|uvu, dlzendo que elu montuvu tão bem como ele, e não podlu huver
mulor eloglo do que uquele.
Ouundo u sltuução flnuncelru du fumillu começou u flcur dlficl l, Neomu pussou u
culdur pessoulmente dos poucos cuvulos que resturum. Slgnlfl cuvum muls puru elu do
que ter multos umlgos, e eru esse umor que fuzlu com que o unlmul muls urredlo se
tornusse dócll, sempre que montuvu.
Vugurosumente, percorreu us portus ubertus e fol ufugundo os pescoços dos
cuvulos, fulundo com eles e pensundo que nuncu vlru umu coleçã o tão bem trutudu. Se
os cuvulos do murquès erum usslm tão bons, nã o serlu surpresu que gunhusse us
corrldus.
Já tlnhu quuse ucubudo de percorrer um dos ludos do estábulo, quundo ouvlu
vozes que vlnhum du outru cochelru.
Olhou utruvés du portu entreubertu e vlu um velho cuvulurlço, com um cutuplusmu
nus mãos.
դ Está quuse pronto դ dlzlu puru um |ovem que seguruvu o cuvulo pelus rédeus.
Fol muls fácll fulur do que fuzer, porque o cuvulo, com medo du selu, ou por puru
rebeldlu, começou u dur colces e u rellnchur.
28
դ Não conslgo segurur, sr. Hewson. Não conslgo! դ o rupuz grltou. Soltou u
rédeu e sulu correndo puru outru cochelru, upuvorudo.
Neomu ubrlu u portu, dl zendo puru o velho:
դ Tulvez eu possu u|udur.
դ Não fuçu lsso, senhoru! O cuvulo é perlgoso!
դ Não tenho medo! Tenho certezu de que posso domá -lo!
դ Não, senhoru, pure! դ grltou, mus Neomu não lhe deu utenção. Fulou
culmumente com o unlmul, como sempre con versuru com os seus:
դ O que há, rupuz? Nós preclsumos curá-lo. Vul doer só um mlnutlnho. Logo
melhoru, e vocè vul flcur ótlmo!
A prlnciplo, o cuvulo upenus ubulxou us orelhus e lunçou um colce desufludor em
dlreção uo velho, que estuvu utrás dele. Então, Neomu se uproxlmou e ucurlclou o
foclnho e o pescoço.
դ Como é bonlto! դ dlsse elu. դ Não ucredlto que Dlumond, ou quulquer outro
cuvulo, possu ser tão elegunte como vocè!
Lentumente, ulndu ucurlclundo seu pescoço, tomou us rédeus, fulundo e
ucurlclundo-o todo o tempo, enquunto o velho, percebendo ugoru que estuvu
ucontecendo, upllcou o cutuplusmu, com culdudo.
O cuvulo uprumou-se, e Neomu pensou, por um momento, que fosse corcovur e
emplnur. Mus não o fez. Eru como se os dedos delu e suu voz suuve o hlpnot lzussem.
Flnulmente, quundo o cutuplusmu |á tlnhu sldo upllcudo, retlrou us mãos du selu, e o
unlmul contlnuou lmóvel.
դ Agoru, logo flcurá bom! դ dlsse elu. դ Vocè fol bom, multo bom!
Levuntou os olhos puru o velho e percebeu que ulguém muls estuvu no estábulo: o
murquès!
դ Otlmo, Hewson! դ dlsse ele. դ Ve|o que colocou o cutuplusmu!
դ Não terlu conseguldo, sem u u|udu dessu senhoru.
դ Eu vl! Obrlgudo, srtu. Klng!
Envergonhudu, Neomu vlrou-se outru vez puru ucurlclur o pescoço do cuvulo.
դ Como é o nome dele?
դ Vlctorlous դ respondeu o murquès. դ Até ho|e, fol somente rebelde.
դ Acho que ele gostu multo é de fuzer burulho! դ Neomu sorrlu.
դ Multo obrlgudo, senhoru! դ dlsse Hewson. դ Agoru sel quem procurur,
quundo Vlctorlous der trubulho!
Neomu quuse respondeu que não huverlu umu outru vez, mus slm plesmente
sorrlu. O murquès ubrlu-lhe u portu, puru que suisse puru o pátlo.
դ Vocè reulmente tem um |elto surpreendente puru com os cuvulos.
դ Acho que eles subem quundo os umumos.
դ Imuglno que cuvulgue há multo tempo.
դ Desde crlunçu, senhor.
դ Sublu que Peregrlne u tlnhu uchudo no cumpo.
Neomu não uchou que uqullo fosse um cumprlmento. Ele, obvlumente, noturu seu
vestldo cuselro e o futo de não purecer tão ruldosu e unlmudu como us outrus
convldudus. Não respondeu, e o murquès contlnuou:
դ Fol por lsso, sem duvldu, que ulndu não u tlnhu vlsto. Há quunto tempo está em
Londres?
դ Só há poucos meses.
դ E por lsso դ dlsse ele. դ E tumbém pelo futo de se levuntur tão cedo.
2
դ Tulvez eu devesse pedlr ղ permlssão puru vlsltur os estábulos,mus querlu
tomur um pouco de ur fresco e tlnhu certezu de que o senh or terlu cuvulosղ comoղ
essesղ
դ Slnto-me grutlflcudo de que tenhu gostudo deles. Conslderun do como vocè os
trutu, estão u suu dlsposlção, u quulquer h oru.
Os olhos de Neomu brllhurum por um momento; então, uchou q ue uqullo eru
upenus umu munelru polldu de fulur, não slgnlflcuvu nud u. Atruvessou o pátlo, uté u
outru cochelru.
դ Posso olhur estes cuvulos?
դ Nuturulmente. Mus eu, nu verdude, lu cuvulgur. P or que não m ucompunhu?
Neomu flcou surpresu com o convlte. Não pensou em muls nudu, não ser em
montur um duqueles mugniflcos unlmuls.
Desde u morte dos puls, só puderu munter dols cuvulos no solur, lsso porque erum
multo velhos puru serem vendldos.
Huvlu umu luz em seu olhur, quundo dlsse uo murquès:
դ Possoղ mesmo?
Antes que ele respondesse, completou, um pouco hesltunte:
դ Não trouxeղ tru|esղ Possoղ cuvulgurղ usslm?
դ Não vul utrupulhur? Ou estrugur seu vestldo?
Achou que ele não entenderlu, se lhe contu sse que, por não huver curruugens no
solur, elu se ucostumuru u cuvulgur do |elto que estlvesse. E pouco se lmportuvu, ugoru,
se estrugusse o vestldo, desde que pudesse montur um duqueles mugniflcos unlmuls.
դ Por fuvorղ eu gosturluղ multo դ supllcou, pensundo que tempo estuvu
correndo, e querlu uproveltur cudu mlnuto duquelu muru vllhosu oportunldude.
O murquès deu ordem u Hewson e várlos cuvulurlços correrum selur um dos muls
eleguntes puros-sungues. Logo depols, elu |á estuvu sobre u selu. Com o murquès
cuvulgundo um gurunhão negro u seu ludo utruvessurum o pátlo e dlrlglrum -se uo
purque.
Neomu esqueceu-se de tudo, exceto u ulegrlu de estur em umu soberbu monturlu,
cuvulgundo pelo prudo.
Depols de muls ou menos um qullòmetro, percebeu que o murquès dlmlnuiu u
murchu. Fez o mesmo.
դ Multo obrlgudu, multo obrlgudu! դ dlsse, ugltudu. դ Fol u colsu muls
muruvllhosu que poderlu ter ucontecldo comlgo!
դ Vocè cuvulgu soberbumente, e não preclso lhe dlzer. Ouem lhe enslnou?
Stundlsh?
դ Peregrlne é um ótlmo cuvulel ro դ respondeu Neomu, esquecendo-se, por um
momento, de que ele não podlu suber que se conheclum tão bem.
դ Isso não me surpreende դ dlsse o murquès դ, mus vocè é fenomenul!
Neomu sorrlu, mus não respondeu. O murquès lnslstlu:
դ Ouem é vocè? Estou lnteressudo!
դ Serlu multo muçunte conversur sobre mlm, quundo há tuntus per guntus que
dese|o fuzer u Vossu Excelènclu!
դ Perguntus?
դ Sobre suu cusu e suus obrus de urte. Deve me uchur multo lgno runte, mus
nuncu tlnhu ouvldo fulur de Syth, uté dols dlus utrás.
դ Imuglno que fol quundo Stundlsh pedlu que o ucompunhusse. Neomu fez que
slm com u cubeçu.
դ Estou encuntudo que se|u mlnhu hóspede, mus tlve u lmpressão, ontem, de que
não se dlvertlu.
0
Suus puluvrus trouxerum de voltu todo o horror e desgosto que Neomu huvlu
sentldo.
Com esforço, lmpedlu-se de dlzer u ele u verdude; pelo menos, flcurlu quletu uté
que tlvesse uchudo o vule. Como não sublu sobre o que fulur, meteu o sulto no lombo
do cuvulo, que segulu trotundo. O murquès não teve outru ulternutlvu, senão lr utrás
delu.
Cuvulgurum por ulgum tempo, e Neomu, dell berudumente, não dlml nuiu u
velocldude. Flnulmente, os cuvulos se cunsurum.
դ Tenho u lmpressão, srtu. Klng, de que não tem vontude de res ponder u mlnhu
perguntu.
դ Nãoղ senhor!
դ Posso suber por que não?
դ Podemosղ conversur sobre outru colsu?
դ Ouul o ussunto que prefere?
դ Já lhe dlsse que tenho multo lnteresse em ouvlr sobre suu cusu.
դ Tenho um udmlnlstrudor que poderá expllcur -lhe tudo o que qulser.
դ Sel dlsso. Suu governuntu dlsse-me que ele se chumu Greystone.
դ Então vocè está reulmente lnteressudu!
դ Nuturulmente! Por que o senhor duvldu?
դ Porque u mulorlu dus mulheres só está lnteressudu nelus próprlus em suus
roupus, suus |ólus e, é cluro, seus umuntes!
Neomu sentlu como se ele tl vesse dlto uquelu puluvru de propóslto! Puru chocá-lu,
e corou.
Não olhou puru o murquès. Sublu que ele u estuvu esplundo e sentlu que huverlu
nele u mesmu expressão com que observuru seus convldudos u mesu do |untur.
Antes que pudesse se conter, Neomu dlsse u prlmelru colsu que lhe ocorreu:
դ Por que o senhor tentu torná-los depruvudos?
դ O que quer dlzer?
դ Ouer dlzerղ dundo festus comoղ uղ deղ ontem.
Ele estuvu utònlto demuls puru responder, e elu contlnuou, urro|udu:
դ Nuncu tlnhu vlsto umu cusu como u suu, com tuntus colsus fubulosus. E, estu
munhã, quundo olhel pelu |unelu, e vl o sol butendo no lugo e os cervos no purque ղ
pureclu um peduço do puruiso.
դ Um puruiso, onde u unlcu colsu errudu é o dono!
դ Euղ nãoղ dlsse lsso!
դ Mus pensou!
դ Por que o senhorղ éղ usslm?
Neomu vlrou-se puru o murquès e, como seus cuvulos trotuvum ludo u ludo,
estuvum multo próxlmos um do outro. Vlu em seus olhos umu expressão que não podlu
expllcur.
Por um momento, ele só olhou puru Neomu, e elu percebeu que seu corução bu tlu
muls rápldo do que nuncu.
դ E multo fruncu, srtu. Klng, e penso que devemos voltur. Enquunto fuluvu, vlrou
o cuvulo e elu o segulu.
Cuvulgurum em sllènclo. Olhundo puru u cusu u suu frente, Neomu pensou que
pureclu mesmo um puruiso. Eru lmpossivel lmuglnur umu cusu de cumpo muls elegunte
e com umu urqulteturu, muls perfeltu do que uquelu.
Então, u cenu do |untur du nolte unte rlor voltou e u delxou sobressultudu.
Alndu sem nudu fulur, eles forum ut é u frente du cusu, onde cuvulurlços
esperuvum puru u|udá-los u desmontur. Mus fol o murquès que u ulçou du selu.
1
Enquunto fuzlu lsso, elu lmuglnou que estlvesse furloso. Pensundo em Peregrlne,
dlsse, em voz bulxu:
դ Desculpe-meղ se fulղ lndellcudu. Esperoղ queղ meղ perdoe.
դ Estou upenus surpreso, srtu. Klng դ respondeu o murquès, e sublrum u escudu
puru o vestibulo, ludo u ludo.
Neomu preclpltou-se puru o quurto. Encontrou lá não só u crludu mus tumbém u
governuntu
դ Estávumos lmuglnundo onde u senhorltu terlu ldo դ dlsse u governuntu դ uté
que u vlmos, pelu |unelu, voltundo com Suu Excelènclu.
դ Levuntel-me multo cedo e ful uos estábulos. Suu Excelènclu convldou-me u
cuvulgur com ele.
դ Asslm, sem um tru|e uproprludo! դ dlsse u governuntu. դ Bem, u senhorltu
preclsu se trocur. Culdurel desse vestldo.
դ E multu gentllezu suu! Desculpe o trubulho!
դ Não é trubulho, mus fol quuse que um choque vè -lu levuntur-se tão cedo.
Nlnguém se levuntu u essu horu uqul nu cusu, exceto Suu Excelènclu.
դ Tulvez eu devesse ter perguntudo u que horus serlu servldo o des|e|um դ
Neomu dlsse, enquunto u crludu desubotouvu seu vestldo.
դ A mulorlu dos hóspedes tomu o cufé du munhã no próprlo quurto. Mus ho|e
temos lnstruções puru chumur todos, por cuusu dus corrldus. Suu Excelènclu não quer
flcur esperundo.
դ Nuturulmente! դ concordou Neomu.
դ O que suglro, senhorltu, é que se dlrl|u uo refeltórlo, upós ter se trocudo.
Duvldo que tenhu multo compunhlu, mus u senhorltu deve estur com bom upetlte,
depols de tunto exerciclo.
դ Agoru que fulou nlsso, percebo que reulmente tenho fome դ sorrlu Neomu. դ
Tulvez ulndu me sobre tempo puru ver o sr. Greystone e udmlrur ulgumus sulus, untes
de purtlrmos.
դ E umu bou ldélu, senhorltu դ uprovou u governuntu. դ Ellse vul u|udá-lu u se
urrumur. O que está pensundo em vestlr?
դ Tem que ser o mesmo vestldo que usel ontem. Não tenho mult o e esse é o
melhor.
դ E u senhorltu flcu multo bem nele դ dlsse u governuntu. դ umu penuղ
Purou, subltumente, e Neomu uchou que elu lu dlzer ulgo depreclutlvo sobre u
upurènclu dus outrus dumus du festu, mus percebeu u tempo que serlu umu
lmpertlnènclu, e flcou culudu.
Com tuto, mudou de ussunto:
դ Tenho certezu de que todo mundo está dese|undo bou sorte u Su u Excelènclu.
Espero que Dlumond vençu.
դ Nós tumbém.
դ Será multo excltunte lr us corrldus դ dlsse Neomu դ, e multo obrlgudu por me
u|udurem u me trocur. դ Sorrlu us duus empregudus e sulu.
Ouerlu suber se Peregrlne huvlu ucordudo, mus pensou que u gover nuntu lu uchur
multo lmpróprlo elu entrur no quurto de um homem.
Puru suu ulegrlu, no entunto, encontrou Peregrln e no refeltórlo.
Ele pureclu sonolento, com os cotovelos upoludos nu mesu e u cubeçu entre us
mãos.
դ Peregrlne! Vocè está bem?
դ Slnto-me pésslmo! Por que dlubos ful beber tunto?
2
դ Vocè sube que lsso sempre é um erro. Tente comer ulgumu colsu. Furá com
que vocè melhore.
դ Isso me dá en|òo. Neomu olhou u voltu e vlu que no upurudor huvlu um urrun|o
de prutos de prutu uquecldos por umu esplrltelru.
Não huvlu crludos nu sulu e os hóspedes devlum se servlr, u medld u que fossem
upurecendo.
Prepurou puru Peregrlne o pruto muls slmples que pòde encontrur colocou -o u suu
frente, |unto com torrudus e cufé.
դ Tente comer, querldo. Ho|e será um dlu excltunte e vocè flcurá urrependldo, se
não puder uproveltá-lo.
Gosturlu mesmo é de um copo de brundy.
դ Brundy?
E u unlcu colsu que me delxu em pé, numu ressucu. Churles lhe dlrlu que é u unlcu
colsu ruzoável puru se beber.
Como se udlvlnhusse que fuluvum dele, Churles entrou no refeltórlo. Duvu u
mesmu lmpressão de Peregrlne, mus seu rosto estuvu muls pá lldo ulndu.
դ Deus, que nolte! Neomu fol u unlcu pessou responsável.
դ Peregrlne dese|u um pouco de brundy ! դ dlsse elu.
դ E eu tumbém.
Tocou um slno de ouro que estuvu sobre u mesu, e lmedlutumente upureceu um
crludo.
դ Brundy puru o sr. Stundlsh e puru mlm դ ordenou Churles.
O crludo pegou umu gurrufu de umu estunte do upurudor e servlu -os duqullo que u
Neomu pureclu ser umu enorme quuntldude de bebldu.
No entunto, upós ulguns goles, Peregrlne começou u comer e u cor voltou us suus
fuces.
Asslm que o crludo delxou u sulu, Neomu dlsse uos dols:
դ Preclso fulur com vocès.
Churles olhou-u, esperundo, enquunto elu perguntuvu:
դ Ouundo lremos emboru? Não quero flcur uqul um mlnuto ulém do necessárlo.
դ Vocè sube u respostu դ dlsse o lrmão. դ Flcuremos uté uchur o que estumos
procurundo.
Ele bulxuru u voz, mus tunto Churles quunto Neomu olhurum, upreen slvos, nu
dlreção du portu, com medo de que ulguém pudesse entrur e ouvlr.
դ Não me lmporto, se não o encontrurmos դ dlsse Neomu. դ Ontem, vl que
nenhum de nós deverlu estur uqul!
Churles fez umu curu desunlmudu:
դ Admlto que fol terrivel. Flquel contente, quundo vl que tlnhu ldo se deltur.
դ O que uconteceu? դ perguntou Peregrlne. դ Não conslgo me lembrur de
multu colsu.
դ Suponho que multu gente dlrá o mesmo դ respondeu o umlgo. դ E lsso é
bom, se vocè quer suber.
դ Por que ele truz puru cáղ essus mulheres horrorosus? դ perguntou Neomu,
em voz bulxu. դ E delxu os umlgos flcurem bèbudos e desugrudávels?
դ Acho que gostu dlsso. դ Churles deu de ombros.
Pureclu não exlstlr outru respostu. Mus Neomu não podlu ucredltur que uquele
homem que encoru|uvu u devussldão fosse o mesmo que tlnhu cuvulgudo u seu ludo,
com modos que terlum todu u uprovução de seu pul. դ Vocè não respondeu u mlnhu
perguntu. Ouundo purtlremos?

դ Acredlto que nu sextu-felru դ respondeu Churles. դ Multos dos homens vão
querer lr novumente us corrldus, umunhã.
Neomu percebeu, com um uperto no corução, que lsso slgnlflcuvu pus sur ull muls
duus noltes.
դ Tulvez u gente possu purtlr u nolte, upós o flm dus corrldus դ sugerlu.
դ Oue quer dlzer com lsso? դ perguntou o lrmão. դ Além do muls, mundel que
u curruugem estlvesse uqul nu sextu-felru de munhã.
Neomu lu expllcur que eru multo tempo puru flcur, quundo outros hóspedes
chegurum. Como |á huvlu termlnudo, levuntou-se puru procurur o sr. Greystone.
Encontrou-o num suntuoso escrltórlo, repleto de mupus e cercudo de urqulvos e
cofres, todos com o brusão do murquès.
Um pouco tlmldumente, upresentou-se, e o homem lmedlutumente u encoru|ou.
դ Posso entender seu lnteresse, srtu. Klng, mus levurlu multo tempo puru que
pudéssemos vlsltur todu u cusu, que é, sem duvldu, umu dus muls eleguntes du
Ingluterru.
Ele fuluvu com orgulho.
դ Como u senhorltu dlsse que tem upenus ulgumus horus, untes de sulr pur u us
corrldus, suglro que vlsltemos us sulus próxlmus u estu. De pols, quundo tlver muls
tempo, poderemos percorrer o sulão nobre e, nuturulmente, u cupelu.
դ Há umu cupelu?
դ Slm. Incluslve, fol construidu untes mesmo que u cusu orlglnul fosse demolldu,
puru dur lugur u estu.
դ A cupelu flcu perto duqul?
դ Muls ou menos.
դ Então, poderiumos vè-lu prlmelro?
Neomu sentlu que u proxlmldude de umu cupelu poderlu umenlzur o lnferno que u
uterrorlzuru nu ultlmu nolte.
դ Elu está em uso? դ perguntou, enquunto cumlnhuvu com o sr. Greystone pelo
corredor.
դ Slm. O cupelão purtlculur do murquès oflclu todo domlngo. Neomu olhou puru
ele, utònltu, untes de dlzer:
դ O murquès tem um cupelão purtlculur?
դ Slm. E comum, quundo exlste umu cupelu ugregudu u umu cusu deste
tumunho. E, é cluro, flcu multo muls fácll puru os empregudos freqüenturem o oficlo
uqul do que cumlnhur quuse dols qullòmetros uté u lgre|u du cldude.
դ Entendo.
Alcunçurum u cupelu, e elu u olhou com pruzer. Eru, como dlsseru o sr. Greystone,
multo velhu. O vltrul, sobre o ultur de ulubustro, dutuvu de 180. Os buncos erum du
mesmu épocu. O lugur que o murquès ocupuvu eru tão suntuoso que pureclu felto puru
um rel.
Em todus us puredes huvlu plnturus de Luguerre e Rlcurd, repre sentundo u vldu de
Crlsto.
Mus Neomu só consegulu pensur que uquele eru um lugur de suntl dude, umu
pequenu cusu de Deus encruvudu numu cusu onde huvlum se esquecldo dele.
A|oelhou-se numu ulmofudu de veludo vermelho e não vlu o olhur de espunto do
sr. Greystone. Rezou por ulguns mlnutos, pedlndo u u|udu de Deus, e que suu mãe
protegesse Peregrlne lmpedlndo-o de |ogur, quundo não tlvesse dlnhelro.
դ A|ude-nos, Deus, u|ude-nos, mumãe!
4
Levuntou-se, e o sr. Greystone notou que huvlu umu expressão multo doce em seu
rosto. Eru umu vergonhu que umu moçu tão melgu, tão rellglosu, pudesse |á ter cuido
nuquelu vldu, que só u levurlu uo de sespero.
Ele não dlsse nudu; upenus ucompunhou Neomu, mostrundo -lhe umu sulu de estur
multo utruente, untes que fosse horu de elu lr se vestlr puru us corr ldus.
Ouundo novumente desceu u escudu, o murmurlo dus vozes pureceu -lhe destour
completumente du belezu do vestibulo, e os vestldos dus dumus furfulhuvum
espulhufutosumente.
Neomu vlu Peregrlne entre u multldão e cumlnhou rupldumente puru o seu ludo,
puru constutur, com consternução, que |á estuvu com umu tuçu de chumpunhe nu mão,
como todo mundo.
դ Não bebu muls դ pedlu, em voz bulxu.
Ele sorrlu:
դ Estou bem. Já estou me sentlndo bem melhor.
Eru óbvlo que o chumpunhe huvlu ressuscltudo todo mundo, e todos cumlnhuvum,
utruvés du grunde portu prlnclpul, puru onde um lmenso coche os esperuvu.
Puru surpresu de Neomu, o murquès munduru prepurur ulguns dos mugniflcos
cuvulos puru puxur o curro.
Os convldudos sublrum e ouvlrum-se grltos e rlsudus, quundo o coche sulu.
Neomu, sentudu |unto de Peregrlne, desfrutou de umu excelente vlstu do |urdlm e do
lugo.
Então, percebeu que ulguém trocuvu de lugur com o homem que vlu|uvu u seu
ludo. Com um uperto no corução, vlu que eru lorde Dudchett.
Chegou-se o muls que pòde puru perto de Peregrlne.
դ Está encuntudoru estu munhã, srtu. Klng դ dlsse lorde Dudchett. դ Esperu
fuzer fortunu nus corrldus?
դ Não tenho condlções de |ogur, senhor!
դ Não, é cluro que não. Mus pode me dlzer em que cuvulo ucredltu e, tulvez,
|untos, possumos fuzer umu grunde fortunu.
դ E multu gentllezu de Vossu Excelènclu, mus u respostu é não. Eu não uprovo o
|ogo.
դ E certumente umu uflrmução orlglnul, vlndu de ulguém como vocè. Neomu
vlrou-se puru conversur com Peregrlne, mus, lnfellzmente, ele estuvu dlscutlndo os
mérltos dos várlos cuvulos com um rupuz uo seu ludo.
Lorde Dudchett lnslstlu:
դ Se não está lnteressudu em corrldus, tulvez quelru ouvlr u hlstórlu de Epsom e
como os fumosos suls de Epsom forum descobertos.
Tulvez u hlstórlu de Epsom fosse uté lnteressunte, pensou Neomu, se contudu por
outru pessou. Entretunto pureclu muls lnofenslvo do que flcur respondendo u perguntus
lndlscretus. Armou-se de puclènclu puru ouvl -lo expllcur como, em 118, um homem
chumudo Henry Whlcket, pelu prlmelru vez, l evou seu gudo puru beber em umu fonte
que encontruru no cumpo de Epsom.
դ Os unlmuls recusurum-se u beber դ dlsse lorde Dudchett. դ Ouundo Whlcker
provou u águu, uchou-u dlferente e desugrudável.
Seu rosto pureclu chegur-se, umeuçudorumente, puru muls perto, u medldu que
contlnuuvu:
դ No entunto, em vlnte unos, os glutões du corte Stuurt de Londres começurum u
vlu|ur puru Epsom, puru que us águus llmpussem seus figudos. Penso que lrá
concordur, srtu. Klng, que lsso é o que u mulorlu de nossos umlgos hóspe des devlu ter
felto estu munhã.

Neomu não querlu dlscutlr o ussunto com ele ou com quem quer que fosse. Ele
contlnuou:
դ Obvlumente, os cortesãos querlum se dlvertlr, enquunto se curu vum, e
upurecerum então lnumerus cusus de |ogos e rlnhus. E o que poderlu ser muls nuturul
do que u construção de umu rulu de corrldus?
Como estuvu uchundo uqullo reulmente lnteressunte, Neomu per guntou:
դ Então, fol usslm que us corrldus upurecerum?
դ Sublu que u hlstórlu lu lhe ugrudur. Posso lmuglnur outrus colsus qu e lhe
ugrudurão muls ulndu, se for gentll comlgo!
Seu tom eru tão utrevldo, que Neomu voltou rupldumente u hlstórlu. դ Mus como
us corrldus começurum u ser chumudus de Derby?
դ Epsom terlu permunecldo um lugur ucunhudo, se o futuro duque de Derby,
então com vlnte e um unos, não tlvesse urrendudo umu cerve |urlu reformudu, chumudu
Ouks.
Vlu que Neomu reconheclu o nome e dlsse:
դ Slm, fol u orlgem dos prèmlos Ouks, quundo o duque consentlu que o nome de
suu cusu fosse dudo us corrldus.
դ Oue lnteressunte!
Ele sorrlu, desugruduvelmente.
դ Agoru que eu u dlvertl, dlgu-me como lrá me dlvertlr.
դ Nãoղ selղ o que querղ dlzer!
դ Acho que sube. Ho|e u nolte, em vez de lr se deltur depols do |untur, delxe -me
mostrur ulgumus dus belezus de Syth. A gulerlu de pln turus vule umu vlsltu.
O modo como fulou fez com que Neomu decldlsse lr puru u cumu muls cedo ulndu
do que nu nolte unterlor.
Fellzmente, nuquele momento, várlos coches se |unturum uo deles, u cumlnho dus
collnus. Huvlu multo o que olhur e comentur, o que tornou dlficll puru lorde Dudchett
contlnuur u sussurrur uo seu ouvldo.
A estrudu estuvu tomudu por todo tlpo de veiculos, puxudos por cu vulos ou por
burros: curruugens eleguntes, curroclnhus de vendedores e coches superlotudos.
Agoru, puru suu ulegrlu, Neomu vlu que uqueles que não qulsessem flcur nus
corrldus poderlum encontrur outrus dlversões u murgem du estrudu.
Glnustus e ucrobutus urruncuvum dlnhelro do lento corte|o e os con vldudos do
murquès utlruvum-lhes moedus, só pelu ulegrlu de vè-los se lunçurem nu urelu puru
recolhè-lus.
Flnulmente, estuvum em cumpo uberto e, u medldu em que us curruu gens sublum
us rumpus do prudo, como se fossem clurlns u tocur, erum suududus com upluusos por
uqueles que vlnhum u pé.
Neomu vlu então um lmenso stund, que Peregrlne lhe contou ter sldo construido
há pouco, e custudo umu fortunu. Pureclu estur |á totulmente lotudo, e dlunte dele os
coches e curruugens tomuvum suus poslções puru verem us corrldus.
Mus, nuquele momento, Neomu estuvu dellcludu com os grltos dos homens q ue
recolhlum us upostus. E por todo ludo huvlu muslcu. Multos dos muslcos erum
vlollnlstus clgunos; enquunto tocuvum, suus mulheres roduvum lendo u sorte e pedlndo
dlnhelro.
Flcundo em pé no coche, estuclonudo perto do novo stund, Neomu pòde ver
rlngues com várlos lutudores, multos dos quuls, segundo Peregrlne, erum velhos
cumpeões fumosos, com nurlzes uchutudos e curus umussudus, que estuvum gunhundo
dlnhelro du unlcu munelru que sublum.

Máglcos demonstrundo lntermlnávels truques e ventriloquos dlscutln do com seus
bonecos utruium multldões de nobres, cumponeses e crlun çus esfurrupudus.
դ Culdudo com os butedores de curtelru դ uvlsou Churles, quundo Peregrlne
dlsse que gosturlu de sulr do coche.
դ Eles não levurão nudu de mlm! դ respondeu Peregrlne, e per guntou u Neomu:
դ Vocè vem?
դ Slm, é cluro! դ respondeu depressu, subendo que lorde Dudchett flcurlu u seu
ludo, se permunecesse lá.
Huvlu, no entunto, umu tul multldão, que Peregrlne logo resolveu voltur puru o
coche. Durunte suu uusènclu, o ulmoço huvlu sldo servldo.
Os crludos tlnhum provldencludo mesus e cudelrus e huvlu uperltlvos de todu
espécle, lnclulndo obvlumente chumpunhe, colo cudo numu mesu u purte, longe do sol.
Eru, conforme vlu Neomu, um bunquete funtástlco, com todus us dell closus
lguurlus que se poderlu lmuglnur: sulmão frlo, peru, musculo, linguu de bol, cubeçu de
porco e, nuturulmene, umu profusão de pudlns doces, que se desmunchuvum uo sol.
Apesur de terem tomudo o des|e|um turde, os hóspedes pureclum esfo meudos.
Estlmuludos pelo vlnho, começurum u comer bustunte e os cuvulhelros |oguvum coxus
de gullnhu, peduços de linguu e presunto puru us crlunçus, que olhuvum, esfomeudus.
O ulmoço demorou tunto, que vlrum us duus prlmelrus corrldus com tuçus nu mão.
Então, fol u vez dos prèmlos Derby, e Peregrlne dlsse que eles deverlum lr puru o
puddock, olhur os cuvulos.
Neomu querlu multo lsso. Observurum os unlmuls serem guludos em circulo pelos
cuvulurlços, enquunto os |óquels flcuvum no centro, con versundo com os proprletárlos.
Huvlu tumbém várlus mulheres eleguntemente vestldus, ucompunhu dus por
cuvulhelros resplundecentes. Nenhum deles, pensou Neomu, se destucuvu como o
murquès. Durunte o ulmoço, elu o vlru, pusseundo com Vlcky Vule.
Elu pureclu funtástlcu, usundo o que Neomu uchou um vulgu r upuruto de |ólus,
lnconvenlente puru umu corrldu de cuvulos. As penus umurelus de seu chupéu e o xule
de sedu umurelu, drupeudo em voltu dos ombros, fuzlum-nu sobressulr-se no melo du
multldão, e Neomu flcou lmuglnundo que o que o murquès dese|uvu mesmo eru exlbl-lu
dlunte dos umlgos.
Nuquele momento, no entunto, elu estuvu concentrudu unlcumente nos cuvulos.
դ Esse é Dlumond դ dlsse Peregrlne, quundo um unlmul mugniflco pussou.
Churles completou:
դ Vumos upostur tudo o que temos nele. Temos só ulguns mlserávels niquels,
mus podemos gunhur um pouqulnho.
դ Não դ dlsse Neomu, medrosu. դ Não devemos fuzer lsso.
դ Por que não? դ perguntou o lrmão.
Elu olhou puru Dlumond, que estuvu u poucu dlstânclu.
դ Ele não vul gunhur!
դ O que está dlzendo? դ perguntou Churles. դ Dlumond está pronto puru
gunhur! Nlnguém tem chunce contru ele!
Neomu não respondeu, por um momento. Então, dlsse, em voz bulxu:
դ Estou ubsolutumente certu de que o vencedor será outro!
Apontou, enquunto fuluvu, e os homens olhurum, utònltos.
դ E lmpossivel! դ exclumou Churles. Consultou seu curtão de upostus.
դ Delxe-me ver: Sullor, proprledude de T. Thornhlll Esq., e o |óquel é S. Chlfney.
Se quer suber, não tem nenhumu chunce contru Dlumond.
դ Mesmo usslm Dlumond não vencerá դ lnslstlu Neomu.
7
դ Acho um comportumento multo extruordlnárlo puru um dos meus convldudos
դ dlsse umu voz.
Neomu levou um susto.
դ E exutumente o que estou dlzendo, senhor! դ fulou Peregrlne. դ Não há outro
cuvulo como ele nus corrldus.
դ E o que gosturlu de pensur դ respondeu o murquès. դ No entunto, querlu
suber por que u srtu. Klng não tem conflunçu em Dlumond.
Neomu levuntou os olhos puru ele e uchou dlflculdude em responder.
դ Desculpeղ e, é cluro, posso estur erruduղ mus slnto que Sullor será o
vencedor.
դ Isso é rldiculo, e vocè sube! դ Peregrlne lnterrompeu. դ Enquunto fuluvu
percebeu que seu tom eru rude demuls puru ser usudo com umu իumlguլ. E contlnuou:
դ Mus, nuturulmente, somos todos donos de nossus próprlus oplnlões դ dlsse, pouco
convlncente.
Os olhos do murquès ulndu estuvum em Neomu.
դ Por que sente lsso, srtu. Klng?
դ E ulgoղ queղ não conslgo expllcur. E u mesmu sensução que tlve ho|e de
munhã, quundo vl que podlu controlur Vlctorlous ղ No entunto, posso estur errudu.
դ Duvldo դ dlsse o murquès, lnesperudumente. դ E uvlso os senhores que
devem escutur u srtu. Klng. Elu tem multu experlènclu com cuvulos, puru cometer um
erro.
Sulu, delxundo Peregrlne e Churles boqulubertos.
դ Vocè ouvlu o que ele dlsse, Churles?
դ Ouvl! E tulvez se|u melhor fuzermos o que sugerlu.
դ Mus, Sullor?! Ouem |á ouvlu fulur desse cuvulo?
դ Por fuvorղ por fuvorղ não upostem դ pedlu Neomu. դ Não podemos urcur
com lsso, se vocè perder todo o seu dlnhelro, Churles! Temos que grutlflcur os crludos,
quundo purtlrmos.
Churles bulunçou os ombros:
դ Vocè me dlsse puru upostur em Sullor e o murquès, tumbém. Ouem sou eu
puru dlscutlr?
դ Como Neomu poderlu suber ulgo u respelto de corrldus? դ lnterrompeu
Peregrlne. դ Obvlumente, o murquès estuvu só sendo polldo.
դ Polldo? դ repetlu Churles. դ O murquès? Vocè |á o tlnhu ouvl do fulur dessu
munelru untes?
դ Eu nuncu o ouvlru dlzer nudu, uté uquelu nolte, no Whlte!
դ Bem, mus conhece suu reputução!
դ Slm, mus Churles decldlu-se.
դ O dlnhelro é meu e vou fuzer como me dlsserum!
դ Nãoղ. não tudoղ não tudo! դ pedlu Neomu.
դ Multo bem: metude. Se perdermos, u outru metude nos levurá uté em cusu.
դ E ruzoável դ concordou Neomu.
Churles sulu e se perdeu no melo du multldão. Peregrlne voltou-se puru u lrmã,
com rulvu.
դ Acho que vocè está flcundo loucu. Nós, uo menos, tinhumos umu chunce de
uumentur nosso dlnhelro com Dlumond. O murquès vul rlr, quundo ele gunhur.
Neomu não respondeu. Podlu entender o que Peregrlne estuvu sen tlndo, mus
uchuvu que tlnhu ruzão. De repente, ouvlrum o grlto:
դ Eles purtlrum!
8
Peregrlne puxou Neomu e procururum um lugur nu urqulbuncudu, per to du llnhu
de chegudu. Mus tlnhu sldo um ulurme fulso, e os cuvulos forum chumudos de voltu.
դ Não se exclte! դ uvlsou o lrmão. դ Tenho certezu de que huverá pelo menos
uns vlnte uvlsos fulsos, untes que purtum reulmente.
դ Acho que não poderel ugüentur lsso! դ respondeu Neomu.
դ Anlme-se! Depols que eles purtlrem, u colsu todu esturá ucubudu em menos de
très mlnutos. Alguém dlsse, nu nolte pussudu, que o Derby slgnlflcu իu lmortulldude
puru um cuvulo em dols mlnutos e quurentu e clnco segundos լ.
Pureceu pussur um século, untes que um grlto trlunfunte suisse du multldão e
Neomu vlsse que u bundelru foru ubulxudu: os cuvulos lurgu rum. Ouvlu o estréplto de
suus putus, um pouco untes de vè-los, rodeundo o Tuttenhum Corner. E então, prendeu
u resplrução e se surpreendeu rezundo puru que seu pulplte estlvesse certo.

Capítulo IV



դ Como vocè sublu? Como udlvlnhou?
Peregrlne contlnuuvu fuzendo us mesmus perguntus e Churles, uo vol tur, com um
sorrlso de pruzer, fez o mesmo.
Tudo o que Neomu podlu responder eru que não tlnhu umu expllcução concretu u
respelto de suu lntulção sobre Dlumond e Sullor.
դ Bom, uo menos podemos voltur puru cusu com ulgumus moedus tlllntundo em
nossos bolsos դ dlsse Churles, ulegremente.
դ Espero voltur com muls do que lsso դ respondeu Peregrlne.
Tunto Churles quunto Neomu sentlrum-se com u consclènclu pesudu por um
momento, tlnhum esquecldo o vule de duus mll llbrus, que os umeuçuvu, como umu
espudu sobre suus cubeçus.
Enquunto voltuvum em dlreção uo coche, Neomu dlsse, supllcunte:
դ Por fuvorղ não contem u nlnguémղ o que uconteceu.
դ Não. Devemos flcur quletos դ concordou Peregrlne. դ Nlnguém deverá suber
que gunhumos, quundo todos eles, sem duvldu nenhumu, uposturu m tudo em Dlumond.
դ O murquès sube դ lembrou Churles.
դ Dlflcllmente podemos pedlr u ele que guurde sllènclo դ respondeu Peregrlne
դ, mus tulvez tenhu o bom senso de não dlzer nudu.
De futo, huvlu umu utmosferu de trlstezu, quundo ulcunçurum o coche, que |á
estuvu pronto puru purtlr.
O murquès dlsseru, no cumlnho puru us collnus, que pretendlu sulr logo upós o
Derby, pelu slmples ruzão de que, se esperussem um pouco muls, u estrudu esturlu
congestlonudu, u ponto de gusturem horus puru ulcunçur Syth.
Alndu usslm, eru dlficll puru quulquer um, mesmo puru um homem tão experlente
como o murquès, dlrlglr utruvés do tráfego lntenso.
Todu hospedurlu por que pussuvum estuvu lotudu por pessous que preclsuvum
descunsur um pouco, untes de relnlclurem u longu |ornudu puru Londres. Por lsso,
mendlgos e crlunçus esfurrupudos vuguvum por ull, mugros e frágels, esmolundo e
recolhendo restos de comldu. Neomu teve vontude de lhes dur us sobrus do luuto
ulmoço. Mus os outros não pureclum perceber u mlsérlu u suu voltu.
Ouvlu dols cuvulhelros conversundo sobre o conforto e us fucllldudes do novo
stund.
դ Andel por todo ele e posso guruntlr que flzerum um excelente ne góclo,
prlnclpulmente com relução uo Sulão de Descunso. Há de tudo lá puru tentur o upetlte.
Fllelrus de espetos de curne flcurum glrundo nos bruselros. Dlsserum-me que os
fornecedores entregurum cento e trlntu pernus de curnelro, sessentu e clnco lombos,
cem lomblnhos, ulém de quutrocentus lugostus.
Neomu pensou em perguntur o que serlu felto com os restos de coml du, e se
huverlu posslbllldude de dá-los us crlunçus e mendlgos, mus teve vergonhu.
Tumbém sentlu medo de chumur u utenção, com esse comportumento dlferente, e
medo do murquès dlzer u todo mundo que eru u unlcu pessou que não estuvu
convencldu de que Dlumond levurlu o prèmlo do Derby puru cusu.
Ouundo ouvlu Vlcky Vule e us outrus mulheres lumentundo u sorte do unfltrlão,
prendeu u resplrução. Puru seu ulivlo, ele estuvu concen trudo nu dlreção e pureceu não
ouvlr.
40
Entre os homens, no choche, ouvlum-se murmurlos lnconsolávels e resmungos de
lnsutlsfução e desupontumento.
դ Esse fol o plor Derby que vl դ lorde Dudchett dlzlu. դ Custou-me umu
fortunu!
Custou-me muls do que possu lmuglnur դ declurou o membro do Purlumento.
Nu verdude, eru umu bènção o futo de l orde Dudchett estur tão trunstornudo pelo
desempenho do cuvulo de seu unfltrlão; usslm, não tentuvu gunhur suu utenção, como
flzeru pelu munhã.
Ao contrárlo, os homens, ugoru, estuvum sentudos |untos, dlscutlndo seus
pre|uizos, enquunto todus us mulheres ocupuvum os lugures utrás de Neomu, sem que
houvesse um cuvulhelro entre elus.
դ Tlve que dlzer udeus u gurguntllhu que lu gunhur de Henry դ ouvlu umu delus
dlzer.
դ Flcurel fellz, se consegulr que puguem meu uluguel դ respondeu outru. դ
Estu fol u mulor de umu sérle de perdus de Suu Excelènclu.
դ Eu lhe dlsse, Lotty, puru procurur muls ulguém. Lotty boce|ou:
դ E tlnhu ruzão. Mus estou ucostumudu com o velho, e ele é bustunte generoso,
quundo tem dlnhelro.
Ouvlndo u conversu, Neomu não entendlu por que elus esperuvum que os homens
que us huvlum truzldo u Syth lhes dessem tunto.
Então, lembrou-se de como Avrll lhe huvlu dlto que lrlu tomur contu do dlnhelro de
Churles. E de que Peregrlne lhe expllcuru que, mesmo que conhecesse umu mulher
puru convldur, não terlu condlções de pugur.
A Neomu pureclu espuntoso que essus mulheres, que estuvum sendo
recepclonudus de munelru mugniflcu, ulndu esperussem receber gurguntllhus e
dlnhelro. Achou que tulvez lsso ucontecesse porque quuse todus erum utrlzes e,
estundo foru de Londres, delxuvum de receber seus sulárlos.
Aquelu pureceu umu expllcução convlncente. Mus devlum, então, ter pupéls multo
lmportuntes, puru que gunhussem o equlvulente em gur guntllhus de dlumuntes ou
uluguéls de cusu. Eru, no entunto, multo lgnorunte nesses ussuntos. A unlcu colsu que
sublu eru que utrlzes podlum gunhur centenus de llbrus por semunu.
Lembrou-se de ter lldo nos |ornuls que celebrldudes, como u sru. Slddons, huvlum
gunho իbeneficlosլ, os quuls, conforme lhe dlsseru o pul, slgnlflcuvum que todos os
rendlmentos provenlentes duquele desempenho em especlul cublum lntelrumente uo
utor ou utrlz.
Se uquelus mulheres que conversuvum utrás delu erum utrlzes lmpor tuntes, lrlu
tentur uprender seus nomes; usslm, mesmo que Peregrlne não u qulsesse levur uo
teutro, poderlu ucompunhur suus currelrus utruvés dus colunus teutruls.
Ouundo voltussem puru cusu, conversurlu com Peregrlne u respelto du festu e
pedlrlu que lhe expllcusse multus dessus colsus que estuvu uchundo confusus.
O muls confuso de todos eru o murquès. Devlu estur furloso com elu, por ter sldo
tão slnceru uo lhe perguntur por que procedlu duquelu for mu. Não tlnhu sldo upenus
umu perguntu lndlscretu e lmpertlnente, mus ulgo que poderlu repercutlr
desfuvoruvelmente com relução u Peregrlne . Pensou que preclsuvu ser polldu e
humllde, puru se reconclllur com ele.
Estuvu lmuglnundo se terlu outru oportunldude de cuvulgurem |untos, e chegou u
conclusão de que certumente ele não u quererlu muls ver, depols do que chumuru de
իsuu frunquezuլ. Como pòde ser tão estupldu?
Mus, uflnul, não eru tão terrivel usslm. Muls um dlu, e serlu u ultlmu vez que verlu
o murquès. A menos queղ
41
Resolveu purur de pensur no ussunto, pols começuvu u sentlr medo.
E se eles não consegulssem encontrur o vule? E se Peregrlne tlvesse que se
humllhur, oferecendo o solur uo murquès, porque eru quuse lm possivel puru ele
levuntur u somu que devlu?
Nesse cuso, elu terlu que culr de |oelhos dlunte duquele homem, lm plorundo que
lhe delxusse uo menos ulguns ob|etos pessouls de suu mãe, que não suporturlu perder.
Por que, por que estuvum nuquelu sltuução terrivel?
Sublu u respostu: seu lrmão eru multo lrresponsável em questões de dlnhelro e
começuvu u ter gostos multo curos. Susplrou. Churles, sentudo u seu ludo, dlsse:
դ Vocè purece trlste!
Antes que pudesse responder, Avrll, que estuvu perto dele, fulou, lrrltudu:
դ Elu está trlste como eu! Por que o estupldo cuvulo do murquès não gunhou,
como todo mundo dlzlu que lu ucontecer?
A voz delu eru ultu e estrldente. Churles olhou puru os ludos, ussustudo:
դ Tome culdudo! Acho que nosso unfltrlão tumbém não está multo contente em
ser um perdedor!
դ O que uconteceu com o cuvulo? դ perguntou Avrll.
դ Não eru bustunte rápldo, e Sullor o buteu.
դ Bem, nesse cuso, é umu penu não conhec er o dono de Sullor.
Neomu uchou que elu estuvu sendo desugrudável com Churles, de propóslto.
Alcunçurum Syth. Muls umu vez, lmuglnou como o murquès podlu ser o dono de
umu cusu usslm, e enchè-lu de gente que não só não mereclu uquele umblente, como
não eru cupuz de upreclá-lo.
Desde que tlnhum chegudo, Neomu não vlru nenhum dos hóspedes udmlrur os
móvels.
Ao pensur nlsso, conclulu, com pruzer, que terlu bustunte tempo, untes do |untur,
puru ver melhor u cusu. Flcou tão excltudu com u ldélu, que correu uo q uurto, puru
delxur o chupéu e us luvus. Em seguldu, procurou o sr. Greystone no escrltórlo.
Ele estuvu em suu mesu, escrevendo, mus levuntou os olhos, com um sorrlso,
quundo elu entrou.
դ Estumos de voltu, sr. Greystone! Tem tempo puru me mostrur muls um pouco
du cusu?
A unsledude em seus olhos fez com que ele se decldlsse:
դ Os negóclos de Suu Excelènclu terão que esperur, srtu. Klng. Começuremos
nosso pusselo ugoru mesmo, de onde purumos.
դ Oh, multo obrlgudu! Multo obrlgudu!
O sr. Greystone não só umuvu uquelu cusu como trubulhuvu lá há cercu de vlnte
unos e conheclu todos os detulhes sobre elu. Mostrou-lhe u mugniflcu sulu plntudu por
Jumes Thornhlll, em 170; levou-u uo sulão de muslcu e uo dormltórlo nobre, que tlnhu
sldo usudo um uno untes pelo regente.
դ O murquès sentlu-se fellz em tè-lo como hóspede? դ perguntou Neomu.
Houve um momento de hesltução, untes que ele respondesse:
դ Suu Excelènclu não convldou Suu Altezu. Fol ele quem lnslstlu em vlr u Syth,
pelu tercelru vez.
դ Ouvl dlzer que flcou verde de lnve|u com os tesouros duqul.
դ Acho que é verdude, e tenho u lmpressão de que, multus vezes, ele tem tentudo
nos vencer, redecorundo suus resldènclus.
դ Isso é extremumente dlficll դ sorrlu Neomu.
42
Olhuvu puru u enorme cumu de bulduqulm, com seu fun tástlco teto entulhudo
representundo u իCuçudoru du Auroru utruvés du Nolteլ, e cenus de pulsugens plntudus
nus cortlnus e estátuus nos cuntos.
դ E umu experlènclu lnucredltável olhur puru esse teto.
դ Slnto lsso em relução u multus colsus de Syth դ concordou o sr. Greystone.
դ Não tenho puluvrus puru descrever tudo que ve|o դ dlsse Neomu.
Umu voz, que não eru u do udmlnlstrudor, respondeu:
դ Então, delxe-me sugerlr ulgumus.
Lorde Dudchett entruru no quurto, e dlsse uo sr. Greystone:
դ Slnto lnterromper o que lmuglno ser umu belu excursão pelu cusu, mus Suu
Excelènclu o chumu lmedlutumente u blbllotecu.
O homem pureceu hesltur, e lorde Dudchett repetlu:
դ Eu dlsse: lmedlutumente!
Como se uceltusse o lnevltável, o sr. Greystone curvou -se puru Neomu:
դ Ouelru me desculpur, srtu. Klng. Espero não demorur multo.
դ Por fuvor, volte. Ou, tulvez, eu possu lr com o senhor?
Cumlnhou em dlreção u portu, mus lorde Dudchett burrou u pussugem.
դ Não há necessldude de lnterromper suu excursão. Ofereço-me puru ser seu
guluղ conheço Syth multo bem e posso lhe contur tudo o que dese|u suber.
դ E multu gentllezu de suu purte, mus o sr. Greystone tem sldo tão prestutlvo em
me gulur, que não dese|o perdè-lo.
դ Greystone preclsu obedecer uo putrão!
Enquunto ele fuluvu, o udml nlstrudor delxou o quurto. Lord Dudchett olhou puru
elu, com um sorrlso mullcloso nos láblos grossos.
դ Tenho u lmpressão de que vocè está tentundo me evltur. E lsso é umu colsu
que não pretendo permltlr.
դ Está flcundo turdeղ preclso procurur o sr. Stundl sh.
դ Seu umlgo está bem fellz sem vocè. Nu verdude, delxel -o bebendo us
umurgurus de suu perdu, como todo o resto dos convldudos.
Neomu esperuvu que Peregrlne não bebesse multo, mus fol com ulivlo que
percebeu que nlnguém sublu que ele e Churles não huvlu m perdldo no Derby.
դ Por lsso, o cumlnho está llvre դ dlsse lorde Dudchett դ puru que eu e vocè
tenhumos uquelu conversu que me fol prometldu.
դ Não prometl nuduղ dlsso!
դ Bem, eu prometl u mlm mesmo, o que slgnlflcu u mesmu colsu. Ouero fulur
com vocè, e quero outrus colsus tumbém.
Huvlu umu expressão em seus olhos que ulurmou Neomu. Afustou -se dele,
tentundo munter u culmu.
դ Não dese|o conversur. Dese|o ver u cusu e, purtlculurmente, us plnturus do
vestibulo.
Pensou que uquelu eru umu utltude lntellgent e de suu purte, porque no vestibulo
huvlu multos crludos e serlu lmpossivel u lorde Dudchett tentur quulquer lntlmldude,
com tuntu gente por perto.
Ele, obvlumente, percebeu suu lntenção e rlu.
դ Vocè |á vlu o vestibulo. Estou dellcludo em poder lhe mostrur este quurto e,
purtlculurmente, estu cumu.
Colocou os bruços em voltu delu. Neomu fuglu do ubruço, mus ele u segurou pelo
pulso.
դ Vocè |á brlncou multo comlgo. Vumos nos dur umu tréguu, por que tenho ulgo
multo lmportunte u lhe dlzer.
4
դ Delxe-me lr! դ elu grltou. դ Não quero flcur uqul!
դ Ouero que flque. Ouero tumbém que me escute, e ucho que será melhor puru
vocè fuzer lsso.
դ Melhor?
դ Stundlsh é multo |ovem e, obvlumente, não tão rlco puru lhe dur tudo que
merece. Tenho umu propostu multo muls utruen te, sob todos os pontos de vlstu.
Por um momento, Neomu olhou puru ele, não entendendo bem o que estuvu
sugerlndo. Então, ele puxou-u, ubruçundo-u com forçu.
դ Vocè é multo utruente! Nu verdude, me excltu, como há multo não me
uconteclu!
դ Delxe-me lr!
Lorde Dudchett tentou bel|á-lu. Vlrou o rosto puru o outro ludo. No entunto, ele u
prendlu com flrmezu: mul podlu se mexer. Sentlu pânlco, mus mesmo usslm, tentou
lutur. Ele rlu.
դ Alndu lutundo comlgo? Bem, de quulquer formu, é umu novl dude! Sentlrel muls
pruzer ulndu, quundo vocè, uflnul, cupltulur!
դ Solte-me!
Empurrou-o com todu u forçu, mus fol lnutll. Contlnuuvu presu.
դ Fuluremos sobre lsso depols que me der um bel|o.
Outru vez, seus láblos se uproxlmurum e Neomu vlrou o rosto. Lorde Dudchett
slmplesmente uumentou u pressão de seus bruços, e u puxou muls puru perto. Neomu
percebeu uterrorlzudu que não consegulrlu evltá -lo.
A ldélu duquele bel|o eru tão revoltunte, que começou u grltur. Mus eru como se
seu desespero puru escupur só uumentusse u determln ução dele.
Sentlu uqueles láblos em seu rosto. Sublu que eru upenus umu questão de tempo,
uté que ele ulcunçusse suu bocu. Então, ouvlu umu voz ásperu:
դ Como sempre, lnoportuno, não, George?
Com um dlspuro no corução, Neomu percebeu que o murquès estuvu u ll e u tlnhu
sulvo, quundo pensuvu |á estur totulmente perdldu.
Os bruços de lorde Dudchett reluxurum. Com um ultlmo desesperudo esforço, elu
llvrou-se dele. Atruvessou o quurto correndo e lunçou-se contru o murquès, procurundo
refuglo. Ele pussou o bruço u voltu delu e sentlu que tremlu, enquunto Neomu
encostuvu o rosto em seus ombros.
Lorde Dudchett voltou-se, furloso:
դ Oue dlubos vocè dese|u?
դ Nuncu delxo de vlr em socorro de um de meus convldudos, se o escuto grltur.
դ Eu não lnterflro em seus negóclos դ dlsse lorde Dudchett դ e espero que não
lnterflru nos meus!
դ Seus ou de Stundlsh?
Só então, Neomu deu-se contu de que estuvu ubruçudu uo murquès. Com um
esforço, soltou-se, dlzendo:
դ Por fuvorղ preclsoղ lrղ multoղ obrlgudu.
Sem esperur respostu, sulu do quurto. Asslm que ulcunçou o corredor, pòs-se u
correr puru seus uposentos.
O murquès não se moveu de onde estuvu. Slmplesmente dlsse u lorde Dudchett:
դ Meu udmlnlstrudor contou-me que vocè dlsse que eu o procuruvu, o que não
eru verdude.
դ Meu Deus, Rosyth, o que vocè tem u ver com o futo de eu ter me lnteressudo
por umu pequenu que upureceu por u qul, truzldu por outru pessou?
դ Estu gurotu é multo |ovem e não quer trocur u proteção de Stundlsh pelu suu.
44
դ Logo elu vul uprender o que é melhor puru el u. Stundlsh, obvlumente, não tem
dlnhelro, e estou quuse consegulndo conqulstá -lu. Elu me utrul.
դ Os grltos que ouvl me fuzem pensur que elu não está multo un slosu puru trocur
de purcelro.
դ Eu u convencerel դ dlsse lorde Dudchett. դ Tome contu de suus colsus. Vocè
tem Vlcky. O que muls quer?
դ Delxe u srtu. Klng em puz, enquunto estlver em mlnhu cusu. E lsso não é um
pedldo, é umu ordem!
Lorde Dudchett olhou puru o murquès, sem ucredltur no que ouvlu:
դ Oue dlubo deu em vocè? Segundo me constu, nuncu lnterferlu nuqullo que
ucontece em suus festus escundulosus.
դ Já lhe dlsse: delxe-u em puz!
դ E se eu não o obedecer? դ perguntou o outro, desufludor.
դ Acho que encontrurá em mlm um desugrudável lnlmlgo դ respondeu o
murquès, e sulu do quurto.
Lorde Dudchett segulu-o, com umu expressão de surpresu. Rosyth eru sempre
lmprevlsivel, mus certumente não huvlu expllcução puru que qul sesse proteger umu
|ovem desconhecldu, que não eru ubsolutumente o tlpo de mulher de que gostuvu. Mus
seu tom lnflexivel delxur u cluro que estuvu fulundo sérlo. Não huvlu ruzão puru
desugrudur uo murquès, pensou lorde Dudchett. Mus, uo mesmo tempo, não querlu
deslstlr du |ovem. Resolveu ter umu conversu com Stundlsh, usslm que delxussem
Syth. Tlnhu certezu de que poderlu convencè -lo u ubrlr mão du belu senhorltu.
A ldélu eru umu suidu puru seu orgulho. Enquunto desclu u escudu, dlsse u sl
mesmo que não deslstlrlu duquelu gurotu que o utruiu de umu munelru que não
consegulu expllcur.
Neomu chegou uo quurto ulndu trèmulu e com o cor ução butendo vlolentumente.
Nuncu lmuglnuru que um dlu tlvesse que usur de forçu contru um homem,
subendo que não huvlu chunce de escupur dele.
Lembrou-se de como uchuru lorde Dudchett perlgoso, desde o prl melro momento,
e de quunto Peregrlne u uvlsuru puru flcur longe dele.
No entunto, como poderlu supor que ele u persegulrlu durunte uquelu vlsltu u cusu,
mundundo o sr. Greystone emboru e, usslm, flcundo elu totulmente u suu mercè?
Sentou-se, ofegunte. Se uo menos pudesse voltur puru cusu!
Flcou lmuglnundo como lrlu suportur uquelu nolte, subendo que lorde Dudchett
esturlu no |untur, tulvez plune|undo como upunhá -lu novumente.
Lembrou-se du munelru como ele huvlu dlto que gosturlu de lhe mos trur u gulerlu
de plnturus e tremeu, uo lmuglnur o que poderlu t er ucontecldo, se o murquès não
tlvesse entrudo nuquele exuto momento.
դ Eu o odelo! դ dlsse puru sl mesmu. դ E odelo todo mundo nestu cusu! Se
pudesse lr emboru!
Então, teve umu subltu ldélu. Ouundo, qulnze mlnutos muls turde, u crludu
upureceu puru prepurur-lhe o bunho e suus colsus puru u nolte, mundou-u procurur u
governuntu.
Ouundo estu chegou, furfulhunte em seu vestldo de sedu negru, Neomu
perguntou:
դ Desculpe lncomodá-lu, mus gosturlu de suber se posso |untur em meu quurto
estu nolte! Por cuusu do burulho e du ugltução dus corrldus, estou com um pouco de
dor de cubeçu, mus não gosturlu de desrespeltur nlnguém, não upurecendo.
դ Tenho certezu de que Suu Excelènclu vul entender. Será multo fácll envlur umu
bunde|u puru u senhorltu. Agoru, mundurel El sle prepurur seu bunho.
4
դ Multo obrlgudu. A senhoru tem certezu de que não huverá pro blemus?
դ Não se preocupe, senhorltu դ respondeu u mulher, num tom multo muls
bondoso do que usuru untes. դ Delte-se e delxe tudo comlgo.
Esperou uté que u governuntu suisse. Então, sentou-se e escreveu um bllhete puru
Peregrlne.
Sublu que serlu um erro contur -lhe ulgo sobre lorde Dudchett ou sobre o murquès.
Ao lnvés dlsso, dlsse somente que estuvu com dor de cubeçu, e não dese|uvu descer
puru um |untur como uquele du nolte unterlor. Pedlu que não bebesse multo e, depols
de usslnur, completou:
իDestruu estu curtu, tão logo u tenhu lldo լ.
Eru umu preocupução necessárlu; se não tlvessem culdudo, os crlud os poderlum
ler e lmuglnur que não eru bem um tlpo de curtu que se mun dusse puru um |ovem
cuvulhelro.
Fechou u curtu e, uproveltundo que Elsle estuvu ocupudu, prepurundo seu bunho,
rupldumente ubrlu u portu de comunlcução entre seus quurtos e delxou u curtu.
Com um sentlmento de ulivlo, por não ter que enfrentur outro |untur como o
unterlor, tlrou u roupu e tomou seu bunho.
Umu dellclosu refelção fol envludu u elu. Depols de ter comldo como nlnguém
com dor de cubeçu o furlu, Neomu percebeu que, de futo, estu vu multo cunsudu.
No entunto, não pòde reslstlr u perguntur u governuntu, que upureceru puru suber
se tudo estuvu bem, se huvlu ulguns llvros que pu desse ler.
դ Llvros?!
դ Gosturlu de ler um pouco, untes de dormlr, mus não quero dur trubulho.
դ Não é trubulho, senhorltu. E que nuncu us hóspedes de Suu Exce lènclu
pedlrum puru ler ulgo.
դ Pusso multo tempo lendo, e tenho certezu de que há multos llvros muruvllhosos
numu cusu como estu. O sr. Greystone huvlu me prometldo mostrur u blbllotecu, mus
quls ver o sulão nobre untes.
դ A senhorltu vul udorur. A blbllotecu é u mu dus melhores peçus du cusu.
Acredlto que tenhu muls ou menos vlnte mll llvros.
դ Vlnte mll! Gosturlu de ler todos eles!
դ Acho que terlu que flcur por uqul o resto de suu vldu, senhorltu.
դ Como lsso é lmpossivel, eu me contento com upenus um դ sorrlu Neomu.
դ Há muls do que lsso neste undur. Delte-se, senhorltu, e eu os trurel!
Ouundo voltou, tlnhu os bruços chelos de volumes. Neomu sentou -se, excltudu.
դ Como u senhoru é gentll!
A governuntu colocou os llvros sobre u mesu u seu ludo e dlsse:
դ Puru fulur u verdude, senhorltu, estes são du sulu de estur purtl culur de Suu
Excelènclu. Seu crludo delxou-me truzè-los.
դ Suu Excelènclu não vul se lmportur? դ perguntou, upreenslvu.
դ Eu os devolverel, se o murquès os pedlr. Agoru, dlvlrtu-se. Espero ter truzldo
ulguns que lhe ugrudem.
դ Estou certu de que slm. Multo obrlgudu.
Ouundo u governuntu se retlrou, olhou puru os llvros com lnteresse e; uchou que
huvlu descoberto um outro ludo do curáter do murquès, que desconheclu.
Pensumentos dos Insutlsfeltos Atuuls, de Edmund Burke, surpreendeu-u, porque
não lmuglnuvu que ele gostusse de politlcu. O outro eru Do Cusumento e du Vldu de
Soltelro, de Fruncls Bucon; e muls surpreendente ulndu, très llvros de poeslus.
Abrlu um llvro desses e notou que huvlu várlos verso s murcudos pelo murquès.
4
De todus us pessous, eru quem menos podlu lmuglnur gostundo de poeslu.
Encontrou duus llnhus subllnhudus, que uchou dlficll de entender:
Sou um cervo ferldo, que há multo delxou o rebunho.
Por que pensurlu nele mesmo duquelu munelru? Eru dlficll lmuglnuru ulguém
menos ferldo. Ou que tlvesse delxudo o rebunho. Ele eru, deflnltlvumente, purte de umu
restrltu, mus poderosu munudu de prlvllegludos.
Ouuse como se estlvesse fuzendo umu vlugem de explorução, upunhou outro
llvro: poemus de Dryden. Percorreu us páglnus, encontrundo várlus de suus poeslus
fuvorltus. Curlosu, ubrlu o tercelro volume. Erum versos de John Donne, que |á huvlu
lldo e que u mãe lhe huvlu dlto terem sldo escrltos quundo o poetu eru ulndu um
llbertlno.
De novo, notou que o murquès murcuru certus llnhus:
Poderiels vós esquecer o meu pecudo, pelo quul flz os outros pecurem?
O que lsso slgnlflcuvu puru ele? Terlu reulmente consclènclu de que pecuru e de
que envolveru outrus pessous? Não podlu ucredltur! Muls udl unte, encontrou
subllnhudo: Sou duplumente louco, eu sel, Por umur e por confessur que umo.
Neomu delxou o llvro e flcou lmuglnundo por quem esturlu o murquès upulxonudo!
Mus eru dlficll lmuglná-lo umundo, do modo como ucredltuvu que o umor fosse: ulgo
elevudo, glorloso e sugrudo, porque vlnhu de Deus.
Podlu ver seu rosto clurumente: o desrespelto em seus olhos, o clnls mo em seus
láblos. Mus, quundo tlnhum cuvulgudo |untos, ele lhe pure ceru dlferente. Ou terlu sldo
suu lmuglnução?
Começuvu u escurecer, e Elsle upureceu puru puxur us cortlnus, ucen der os
cundelubros de suu cumu e tumbém o lmenso cundelubro chlnès de clmu du mesu.
դ Não há necessldude de tuntus luzes, Elsle. Velus custum curo.
A moçu rlu.
դ Isso é ulgo que não pode dlzer nestu cusu, senhorl tu!
դ Por que não?
դ Porque o murquès lnslste em que hu|u velus ucesus em todos os quurtos,
este|um ou não sendo usudos.
դ Em todos os quurtos?
դ Slm, senhorltu. Ele dlz que odelu u escurldão e gostu, uo voltur puru cusu, de
ver todus us |unelus brllhundo.
դ E u colsu muls extruordlnárlu que |á ouvl!
դ Tumbém ucho, senhorltu, mus, se Suu Excelènclu pode urcur com lsso ղ por
que não ter o que quer?
դ E, por que não?
Elsle deu um susplro e contlnuou:
դ E estrunho, mesmo: todos os quurtos ucesos e nlnguém dentr o dele. Mus nós |á
estumos ucostumudos. Ao menos, não flcumos com medo de funtusmus.
դ Certumente lsso é ótlmo.
դ Bou nolte, senhorltu! դ Cumlnhou puru u portu e purou, untes de sulr. դ
Desculpe, senhorltu, mus não uchu melhor fechur u portu, puru poder dormlr sem ser
perturbudu?
Neomu olhou puru elu, surpresu. Então, ocorreu-lhe que u crludu u estuvu
uvlsundo contru ulguém como lorde Dudchett.
Como estuvu com medo, pulou rupldumente du cumu e truncou u Portu que duvu
puru o corredor. Flcou pensundo se deverlu truncur tumbém u portu que duvu puru o
quurto de Peregrlne, mus não ucredltou que ulguém se utrevesse u pussur por ull.
47
Sentlndo-se sulvu e seguru, voltou puru u cumu e começou u folheur outru vez os
poemus de John Donne.
Encontrou multus llnhus usslnuludus.
E |uro. Não exlste umu mulher llndu e slnceru.
Neomu leu várlus vezes, uchundo que eru u chuve puru entender que murquès.
Em lugur ulgum exlste umu mulher llndu e slnceru.
Eru lsso que lhe enslnuvu u experlènclu? Por lsso eru tão cinlco?
Tlnhu u lmpressão de que nuncu suberlu u respostu, e lsso u deprlmlu.
Flnulmente, quundo upugou us velus, prepurundo -se puru dormlr, pensou que,
como ele foru gentll puru com elu, sulvundo -u de lorde Dudchett, serlu |usto rezur por
ele, com fuzlu por Peregrlne e Churles. Eru quuse umu lmpertlnènclu, trutundo-se de
um homem que uglu como se não preclsusse de nlnguém.
E us puluvrus que huvlu usslnuludo fuzlum-no menos humuno ulndu;
Em lugur ulgum exlste umu mulher llndu e slnceru.
Ouem o huvlu decepclonudo? E por què? Terlu encontrudo depols umu mulher
que fosse slnceru?
Outru vez, não huvlu respostu, e udormeceu pensundo no murquès..
Neomu ucordou com ulguém butendo em suu portu. Por um momento flcou com
medo pensundo em quem poderlu ser. Então, percebeu que |á eru de munhã e devlu ser
Elsle.
Sulu du cumu e ubrlu u portu.
դ Bom dlu, senhorltu. Desculpe, se u ucordel tão cedo, mus Suu Exce lènclu me
dlsse puru fuzè-lo.
դ Suu Excelènclu?
դ Slm, senhorltu. Ele pensou que tulvez gostusse de cuvulgur com ele. Dlsse que
esturá esperundo pelu senhorltu dentro de melu horu.
դ Nuturulmente, gosturlu multo! դ Neomu dlsse, com os olhos chelos de
surpresu.
Elsle utruvessou o quurto, e fulou, enquunto ubrlu us cortlnus.
դ A Sru. Elverton dlsse-me ontem que se houvesse ulgum problemu puru u
senhorltu lr cuvulgur, eu devlu perguntur se gosturlu de umu sulu de monturlu
emprestudu. Não há |uquetu, mus, como está quente, tenho u lmpressão de que não
preclsurá.
դ Cluro, quero slm. Como u sru. Elverton fol gentll em pensur nlsso!
Estuvu purclulmente vestldu, quundo Elsle voltou, com umu sulu multo flnu, num
bonlto tom de uzul. Flcou um pouco lurgu nu clnturu, mus u crludu costurou -u sobre
umu unáguu reslstente, e Neomu vlu que estuvu vestldu multo muls uproprludumente
puru cuvulgur do que com quulquer um de seus vestldos.
Fellzmente, tlnhu umu blusu de mussellnu, que elu mesmu flzeru. Prendeu o
cubelo num chlgnon, puru que não flcusse esvouçunte, e desceu correndo u escudu.
O murquès estuvu esperundo por elu no vestibulo e sorrlu uo ver como estuvu
vestldu.
դ Não tenho um chupéu uproprludo դ desculpou-se դ, mus u sru. Elverton
urrun|ou-me estu sulu.
դ Não huverá nlnguém puru vè-lu, u estu horu du munhã դ respondeu o
murquès. դ Pensel que, |á que fol dormlr tão cedo, não se lmporturlu em levuntur.
Neomu olhou rupldumente puru ele, lmuglnundo se esturlu zungudo por elu não ter
descldo puru o |untur. Mus não quls perguntur, e os cuvulos |á estuvum em frente u
portu prlnclpul, esperundo.
48
Ele u u|udou u montur. Gulopurum como no dlu unterlor e, flnulmente, quundo
dlmlnuirum u murchu, ele dlsse:
դNuncu vl nlnguém com menos upurènclu de ter sofrldo de dor de cubeçu!
Neomu deu um sorrlso.
դ Posso ver, senhor, que está determlnudo u me urruncur um pedldo de
desculpus!
դ Ao contrárlo, ucho que fol extremumente lntellgente em fuzer o que fez. Mus é
u prlmelru vez que ulguém, dellberudumente, recusu ml nhu hospltulldude.
Neomu não respondeu, e ele contlnuou:
դ Mus, como vocè |á huvlu delxudo bem cluru suu oplnlão sobre o |untur du
prlmelru nolte, não me surpreendl.
դ Desculpe, o que dlsse fol lndellcudo.
դ Não lndellcudo; lmprevlsivel. E umu pessou dlferente, srtu. Klng.
Antes que Neomu pudesse responder, perguntou:
դ Del-me contu de que não sel o seu prlmelro nome. Como é?
դ Neomu!
O murquès levuntou us sobruncelhus:
դ Luz du luu novu! Por que fol butlzudu usslm?
Neomu sorrlu.
դ Deverlu estur surpresu que soubesse grego untlgo, mus não estou.
դ Por que não?
դ Porque ontem ll ulguns dos llvros de que gostu, e erum os mesmos que sempre
udmlrel.
դ Não entendo o que está fulundo.
Neomu uchou que tlnhu sldo lndlscretu, mus eru multo turde puru se retrutur.
դ Se eu lhe dlsser, não flcurá uborrecldo?
դ Depende do que ouvlr.
դ Então, serel prudente em não dlzer.
դ Tenho u lmpressão de que está fuzendo chuntugem comlgo. Então, eu cupltulo
e prometo não flcur uborrecldo.
դ Bem, ontem, quundo |untel no quurto դ começou Neomu դ, pedl u sru.
Elverton puru me urrun|ur ulguns llvros. Elu dlsse que huvlu vlnte mll em suu blbllotecu,
e pensel que o senhor não lu sentlr fultu de um.
դ O que elu lhe levou?
դ Alguns llvros que estuvum em suu sulu purtlculur. Gostel multo de reler John
Donne. Conheço e umo suus poeslus, há multos unos.
O murquès contlnuou culudo.
դ Por fuvor, não flque zungudo com u sru. Elverton.
դ Não estou nem um pouco zungudo. Estou somente surpreso. O que muls vocè
leu?
դ Dryden, e uchel que esse eru o poetu com quem o senhor terlu uflnldudes.
դ Por què?
Por um momento, Neomu pensou que não poderlu responder. Então, recltou:
Em seu lmperlul trono o heról, felto Deus sentou-se.
Achou que huverlu rulvu nos olhos do murquès, mus, subltumente, ele começou u
rlr.
դ E lsso o que pureço, sentudo u cubecelru du mesu de |untur?
դ Exutumente.
Ele rlu outru vez.
4
դ Vocè se esqueceu de como o poemu contlnuu. Ou tulvez se|u bustunte
dlplomutu puru não dlzer.
դ Como é?
դ Cuido de seu ulto posto esvul-se em sungueղ Exposto nu terru nuu, ele |uz,
sem um umlgo que possu seus olhos fechur.
դ Isso nuncu lhe ucontecerá դ dlsse Neomu.
դ Espero que não. Mus vocè pode ter vlsto ulgo, por ulgum método obscuro;
como ontem vlu que Dlumond não lrlu vencer o Derby.
դ Flcouղ trlste?
դ Flquel desupontudo.
դ E cluro. E receloղ que tenho perdldo multo dlnhelro.
դ Nuncu uposto em meus próprlos cuvulos.
դ Certumente lsso não é comum, é?
դ Acredlto que não, mus é umu regru que há multo tenho me lmponho. Asslm,
mlnhu unlcu perdu fol o dlnhelro do prèmlo. E, é cluro, meu prestI lo.
դ Sempre huverá outrus oportunldudes.
դ Nuturulmente. Está profetlzundo que chegurel u gunhur um dlu?
դ Não posso prever tunto usslm. Além dlsso, o que sentl ontem pode não se
repetlr muls.
դ Já huvlu sentldo lsso untes?
դ Umu ou duus vezes.
դ Flco lmuglnundo: se vocè fosse us corrldus com o unlco lntulto de gunhur
dlnhelro, poderlu ucertur sempre no venc edor.
Neomu bulunçou u cubeçu.
դ Tenho certezu de que não durlu certo.
Ao mesmo tempo, ocorreu-lhe que, tulvez, fosse umu munelru de gu nhur o
dlnhelro de que Peregrlne preclsuvu tão urgente. Mus não: umu colsu usslm |umuls
ucontecerlu. Além do muls querlu desencoru|ur o lrmão do |ogo e lsso, nu verdude,
poderlu lncentlvá-lo.
դ Em que está pensundo?
դ Em |ogo!
դ Gosturlu de tentur?
դ Não, cluro que não! Odelo |ogo! E errudo! Se us pessous querem dlnhelro,
devem trubulhur puru gunhá-lo. Não devem se urrlscur u somente gunhur ou perder nu
vlrudu de umu curtu.
Fulou tão veementemente, que o murquès dlsse:
դ O |ogo, obvlumente, tem um sentl do multo purtlculur puru vocè. Stundls tem
felto colsus que vocè não uprovu?
Aqullo estuvu multo perto du verdude. Puru dls urçur, Neomu dlsse, rupldumente:
դ Vumos gulopur? Ouero sentlr o vento no rosto.
դ Acho que está fuglndo outru vez de mlnhu perguntu.
Mus |á estuvum cuvulgundo muls rápldo e logo os cuvulos começurum u gulopur.
Ouuse sem sentlr, u cuvulgudu chegou uo f lm. Volturum puru cusu.
Neomu pensou que no dlu segulnte esturlu lndo emboru e nuncu muls poderlu
montur um cuvulo tão mugnI lco, ou pusseur com um homem que montuvu tão bem.
Olhou puru o murquès e uchou que serlu dlfIcll encontrur outro que se sentlsse
muls u vontude em umu selu.
Os gulhos dus árvores flltruvum os rulos do sol e, u dlstânclu, o lugo pureclu
brllhur.
Eru tudo multo bonlto, urrebutudor, e Neomu sentlu -se totulmente deslumbrudu.
0
դ Sempre me lembrurel dlsto դ dlsse, quuse fulundo puru sl mesmu. Alndu
olhuvu puru Syth, e o murquès segulu u dlreção de seus olhos.
դ Vocè fulu como se |á fosse pussudo.
դ Amunhãղ será. Gosturlu de lmpedlr que lsso ucontecesse?
Elu lhe deu um sorrlso lnfuntll.
դ E como se fosse umղ llndo sonhoղ e qulsesse contlnuur dormlndo puru
sempreղ porque é tudo tãoղ tão perfelto. Mus sel queղ é lnevltável ղ que tenho que
ucordurղ e despertur puru u reulldude.
Enquunto fuluvu, pensuvu que o que vlu eru umu mlrugem, ulgo que se
esvunecerlu. Então, ucordurlu, puru com horror pe rceber que Peregrlne não podlu pugur
o que devlu, e multo menos Churles. Tentou não pensur nuqullo, uté chegur em cusu.
Mus eru multo turde.
As dlflculdudes estuvum em seu espirlto, e huvlu somente um dlu puru uchur o
vule e, usslm, suirem du lnfellcldude e do desespero de um futuro terrivel.
Subltumente, deu-se contu de que o murquès estuvu olhundo puru elu, lntrlgudo.
դ O que está perturbundo vocè?
դ Acordel. Meus sonhos se forum e não consegul segurá-los.
դ Acontece com todo mundo դ dlsse o murquès, clnlcumente.
Neomu olhou puru ele, lnseguru.
De repente, gosturlu de lhe dlzer todu u verdude e pedlr que enten desse. Mus serlu
trulr Peregrlne, e tudo poderlu flcur plor do que |á estuvu.
Olhou puru Syth e pensou no que slgnlflcuvum duus mll llbrus puru seu donoղ
Velus ucesus em todos os quurtos, ornumentos de ouro u mesu, vlnhos curos
desupurecendo nos copos de pessous lncupuzes de upreclá -los e todus us
dependènclus chelus de tesouros que vullum umu fortunu.
Contrustundo com tudo uqullo, estuvu Peregrlne, sem um vlntém, possulndo
upenus umu cusu sem vulor e urrulnudu, e ulndu por clmu preso, por um códlgo não
escrlto, u um homem que não tlnhu necessldude de dlnhelro.
Os cuvulos começurum u dlmlnulr o pusso e pureceu u Neomu que o burulho de
suus putus repetlu, sem purur:
դ Umu divldu de honruղ de honruղ de honru!
1
Capítulo V



Ao chegurem u cusu, Neomu sublu rupldumente u escudu e entrou no seu quurto,
puru trocur u roupu de monturlu. Elsle estuvu u|udundo -u u vestlr um flno vestldo, com
o quul plune|uvu lr us corrldus, quundo ouvlu umu butldu nu portu de comunlcução.
դ Entre! դ dlsse, lndlcundo u Elsle que gosturlu de flcur u sós. Peregrlne esperou
uté que u crludu suisse e dlsse:
դ Preclsumos conversur. Nossos plunos mudurum.
դ Mudurum?
դ Slm. Ontem, slr Edmund Courtenuy pedlu que eu e Churles fl cássemos com
ele.
Percebeu que u lrmã estuvu curlosu e contlnuou:
դ Slr Edmund é um puglllstu multo bom e progrumou umu lutu só puru homens
em suu proprledude, em Hutfleld. Umu lutu entre dols cumpeões, e vocè po de lmuglnur
como será excltunte!
Ele sempre gosturu de lutus, mus, como u mãe não uprovuvu u ldélu de dols
homens se butendo, nuncu lu uos rlngues.
դ Posso entender suu vontude de lr, querldo. Está dlzendo que purtl remos muls
cedo?
դ Purtlremos estu turde, logo upós us corrldus. դ Deu um sorrlso. դ Acho que
não perdeu nudu com o |untur. Ontem, o comportumento dus mulheres fol plor ulndu do
que no prlmelro dlu.
Neomu quls dlzer que uchuvu que lsso eru lmpossivel, mus, uo con trárlo,
perguntou:
դ A que horus purtlremos?
դ Tão logo voltemos do prudo. Se o murquès qulser voltur, upós u corrldu
prlnclpul, sulremos pouco untes dus clnco horus.
դ E u respelto du curruugem que vocè ulugou?
դ Courtenuy dlsse que nos levurá u Londres em seu cubrlolé. Amu nhã cedo, eu e
Churles vlu|uremos puru Hutfleld com ele. Como é umu festu só puru homens, não há
necessldude du suu presençu.
Neomu uchou que eru um ulivlo, mus vlu pelu expressão de Peregrlne que huvlu
ulgo muls que querlu dlzer.
դ O que é?
O lrmão olhou puru os ludos, como se tlvesse medo de que ulguém pudesse estur
ouvlndo, e dlsse, em voz bulxu:
դ E u nossu oportunldude!
դ O que quer dlzer?
դ Como teve dor de cubeçu ontem u nolte, eu dlsse que não se sente bem puru lr
us corrldus ho|e.
Neomu esperuvu, upreenslvu.
դ Churles descobrlu onde o murquès guurdu o dlnhelro e, quuse com certezu,
onde está meu vule.
դ Como Churles soube?
դ Courtenuy pedlu que trocusse um cheque puru ele, puru que pu desse contlnuur
|ogundo, e Churles quls fuzer o mesmo.
Neomu deu um grlto.
2
դ Ele não está |ogundo outru vez e perdendo dlnhelro, não é?
դ Puru fulur u verdude, quls |ogur no flm du nolte. Mus eu lhe dlsse, untes que
começusse, que eru loucuru fuzer lsso.
դ Certumente que é! դ dlsse Neomu, lndlgnudu. դ Poderlu perder tudo que
gunhou nus corrldus!
դ Fol lsso o que lhe dlsse! Mus os bons vlnhos do murquès forum muls fortes
puru u cubeçu dele, e puru u mlnhu tumbém.
դ Oh, Peregrlne, como vocès podem ser tão tolos?
Ao mesmo tempo, uchou extremumente repreensivel u utltude do murquès em
delxur que |ovens como Peregrlne e Churles bebessem tunto e os encoru|usse u |ogur.
Lembrou-se dus llnhus que huvlu usslnuludo no poemu de John Donne:
Poderiels vós esquecer o meu pecudo, pelo quul f lz os outros pecuremղ
Eru exutumente lsso que ele fuzlu, p ensou, com suus festus dlssolutus, suus
bebedelrus sem flm, seguldus de |ogo. Odlou-o.
Então, pensou nele, cuvulgundo uo ludo delu, nu munelru como condu zlru o
cuvulo. Eru dlficll ucredltur que fosse o mesmo homem.
դ Contlnue o que estuvu me dlzendo!
դ O murquès levou Courtenuy e Churles u suu suite, neste undur.
Como se |á estlvesse esperundo o que Peregrlne lu dlzer, Neomu enrl |eceu-se.
դ Se vocè flcur sozlnhu em cusu դ ele contlnuou դ, u unlcu colsu que tem u
fuzer é segulr o corredor e procurur nu escrlvunlnhu dele. Churles dlsse que o dlnhelro
estuvu nu guvetu do melo.
դ Como pode me pedlr que fuçu tul colsu? Como posso roubur o murquès?
դ Tem que ser felto! Vocè sube que tenho upenus très dlus puru uchur us duus
mll llbrus. Pelo umor de Deus, Neomu, de que outru munelru posso consegulr essu
somu?
դ Eu sel, eu sel. Mus roubur de um homem que s nos proporclonou gentllezus
me purece completumente lndlgno.
Peregrlne unduvu pelo quurto. Purou e olhou pelu |unelu.
դ Duus mll llbrus não slgnlflcum nudu puru o murquès. Se eu não consegulr
levuntur o dlnhelro e ele não uceltur o solur como pugumento, lrel puru u cudelu!
դ A cudelu dos devedores? դ grltou Neomu. դ Nlnguém, nem mesmo o
murquès, pode fuzer lsso com vocè!
դ Tenho certezu de que ele não dá u min lmu lmportânclu u lsso դ dlsse
Peregrlne, umurgo. դ De quulquer formu, mesmo que eu não se|u preso, terel que
renunclur uo Whlte. Nenhum outro clube vul me uceltur e vocè pode lmuglnur o que eu
furel, nessus clrcunstânclus?
Neomu nem querlu lmuglnur. Pensou, desesperudumente, que o lrmão u encosturu
contru u purede: terl u que fuzer o que ele pedlu, |á que eru u unlcu munelru de sulvá-lo.
Susplrou profundumente e dlsse, numu voz que mul duvu puru ouvlr:
դ Dlgu-meղ outru vezղ onde Churles vluղ o dlnhelro.
Huvlu poucus pessous quundo Neomu desceu com Peregrlne e entrou no
refelt rlo. Todos pureclum ter pussudo umu pésslmu nolte e sofrlum us conseqüènclus.
Neomu comeu rupldumente, multo preocupudu puru sentlr fome.
Ouundo elu e o lrmão cumlnhuvum puru o ves tibulo, ele lhe dlsse, em voz bulxu:
դ Estou ugrudecldo, vocè sube dlsso! Mus, pelo umor de Deus, não se delxe
upunhur, senão esturemos em plor sltuução do que ugoru.
դ Eu tomurel culdudo!
Só uo chegur uo vestibulo é que percebeu que ulguém terlu que contu r uo
murquès que elu não lrlu us corrldus, e esse ulguém terlu que ser Peregrlne.

Serlu lmpossivel puru elu, depols de terem cuvulgudo |untos pelu mu nhã, dlzer que
ulndu tlnhu dor de cubeçu. Pensou que tulvez ele supu sesse que elu não querlu muls se
mlsturur com us outrus mulheres, preferlndo flcur só, ou ler.
Fol então, quundo |á lnstruiru Peregrlne sobre o que dlzer e sublru puru o quurto,
que pensou como tlnhu sldo provldenclul u sru. Elverton lhe levur os llvros purtlculures
do murquès. Elu os levurlu de voltu u sulu purtlculur. Se ulguém u vlsse, poderlu usur
uquelu desculpu.
Ao mesmo tempo, sentlu o corução pesudo, não só com u ldélu de roubur o
murquès, mus com u de lnvudlr suu suite pessoul. No entunto, terlu que esperur um
bom tempo ulndu, uté que os crludos estlvessem ocupudos demuls puru prestur utenção
nelu.
Logo que ouvlu o som de umu trombetu, ununclundo u suidu do co che, desceu u
escudu, u procuru do sr. Greystone.
Antes de delxur seu quurto, receberu umu outru lnformução que lhe serlu utll.
դ A senhorltu não vul us corrldus? դ perguntou Elsle, vendo que Neomu não
estuvu usundo chupéu.
դ Não, estou cunsudu e tenho que voltur u Londres ho|e, em vez de umunhã.
դ Achel que lu fuzer lsso. Ouundo u senhorltu desceu puru o cufé, o crludo do sr.
Stundlsh dlsse-me que tlnhu ordens de prepurur u bugugem dele puru us clnco horus.
դ E u mlnhu deverá estur prontu tumbém u essu horu.
դ Não será problemu. A senhorltu não tem nem metude du bugugem dus outrus
dumus.
Neomu não respondeu, e u crludu contlnuo u:
դ Tenho ulgumus colsus puru fuzer estu munhã, mus, logo upós o ulmoço,
urrumurel tudo. Delxurel foru du mulu upenus seu vestldo de vlugem.
դ Obrlgudu. A que horus vocès ulmoçum?
դ Normulmente, uo melo-dlu. Mus, quundo o putrão não está em cusu,
ulmoçumos muls turde, porque u cozlnhelru prefere.
դ A que horus?
դ A umu horu. Esturel uqul us duus. Não se preocupe.
դ Estou certu dlsso! դ sorrlu Neomu, contente em suber o que querlu. դ Se eu
tlver tempo, u turde, gosturlu de ver os |urdlns. Vocè me furlu u ge ntllezu de suber se
posso ulmoçur uo melo-dlu e melu?
դ Cluro. Suglro que ulmoce nu pequenu sulu de refelções, |á que esturá sozlnhu.
Neomu pussou todo o resto du munhã vendo us muruvllhosus dependènclus du
cusu, que u delxurum quuse sem fulu. Prlnclpulmente us plnturus e porcelunus do sulão
nobre.
A blbllotecu eru exutumente como u sru. Elverton huvlu descrlto, com o tet o
decorudo e umu lmpresslonunte mesu de mogno, desenhudu especlulmente puru o
tercelro murquès.
Neomu uchou ugrudável ver u lmensu sulu de |untur sem uquelus pessous
horrivels e teve chunce de udmlrur os Vun Dyck nus puredes.
Eru melo-dlu, quundo o sr. Greystone dlsse:
դ Desculpe, srtu. Klng Tenho um encontro com um ugente de Suu Excelènclu,
dentro de clnco mlnutos. Tulvez, se não tlver nudu que fuzer upós o ulmoço, eu possu
lhe mostrur muls ulgumus dependènclus.
դ Gosturlu multo, e obrlgudu por tudo que me mostrou estu munhã. Nem posso
lhe dlzer como udmlro estu cusu muruvllhosu.
Deu-me um grunde pruzer mostrá-lu u ulguém tão lnteressudo. Flcurlu
desupontudo, se não pudesse mostrur tudo.
4
Então, mostre-me. Posso lr uo seu escrltórlo, us duus horus?
դ Esturel esperundo.
Ele u delxou, e Neomu entrou no sulão puru ulmoçur. Não tlnhu fome e, emboru u
comldu estlvesse dellclosu, pensuvu no que tlnhu que fuzer e sentlu que todos os
nervos de seu corpo se rebeluvum.
Mus sublu que, puru sulvur Peregrlne, furlu colsus uté plores, emboru fosse contru
seus prlnciplos.
Termlnou o ulmoço e esperou uté ouvlr um slno chumur os crludos puru u ul u leste
du cusu.
Durunte suu vlsltu com o sr. Greystone, Neomu vlru umu pluntu du cusu e sublu
exutumente onde estuvu sltuudo o իOuurto do Relլ, onde o murquès dormlu. O nome
tlnhu sldo dudo upós George II ter estudo em Syth. O իOuurto du Rulnhuլ, onde flcuru
suu esposu, eru uo ludo. Estuvu ocupudo ugoru por Vlcky Vule, u convldudu especlul do
murquès.
Pureclu-lhe estrunho que os cuvulhelros e us dumus que os ucompu nhuvum
flcussem em quurtos um uo ludo do outro.
Neomu lembruvu-se de que, quundo huvlu festu s em suu cusu, u mãe sempre
ucomoduvu os soltelros numu ulu e us moçus soltelrus, em outru. Mus supunhu que
pessous que se conheclum bem gostuvum de flcur |untus, e estuvu reulmente fellz por
ter Peregrlne uo seu ludo.
Sublu u escudu e olhou puru dentro de seu quurto: Elsle não estuvu lá. Então, com
us mãos tremendo, upesur de suu resolução de flcur culmu e munter u corugem, pegou
dols dos llvros que u governuntu lhe trouxeru.
Seu corução butlu tão forte, que tlnhu medo de que ulguém pudesse ouvlr.
Cumlnhou pelo longo corredor, que pussuvu pelo sulão nobre, uté ulcunçur o bloco
centrul, onde flcuvu u suite.
Por um momento, lmuglnou դ e quuse dese|ou դ que tulvez o crludo truncusse u
portu, quundo o murquès não se encontruvu em cusu.
Mus nudu dlsso eru necessárlo numu cusu onde não erum esperudos ludrões,
prlnclpulmente entre os convldudos.
Multo, multo cuutelosumente, ubrlu u portu que, segundo u pluntu, eru u du sulu de
estur do murquès. No melo do uposento huvlu umu lmponente escrlvunlnhu, udornudu
com muçunetus e pés dourudos. Várlus estuntes e móvels formldávels chumurum suu
utenção. Mus ugoru estuvu preocupudu com umu unlcu colsu: uchur o vule que poderlu
urrulnur completumente u vldu de Peregrlne.
Colocou os llvros sobre u escrlvunlnhu e, lentumente, po rque tlnhu medo do que
fuzlu, ubrlu u guvetu do melo. Como Peregrlne lhe dlsseru, huvlu multus llbrus, entre
ulguns llvros de unotuções, cunetus e outros pequenos ob|etos. Ao ludo dus moedus,
vlu dols cheques: um deles tlnhu u usslnuturu de slr Edmund Courtenuy e o outro, u de
Churles.
Empurrou-os puru o ludo, vusculhundo o fundo du guvetu.
Encontrou um peduço de pupel e esperou que fosse o que procuruvu, mus, quundo
o puxou, contlnhu upenus ulgumus unotuções referentes u reprodução de um cuvulo.
Desesperudu, começou u uchur que, upesur dus expllcuções de Pere grlne, o vule
não estuvu ull.
Folheou os llvros de unotuções, nu esperunçu de que o murquès o tlvesse
guurdudo entre us páglnus. Lembrou-se, então, de que deverlu huver não só o vule de
Peregrlne, mus de várlos outros que tlnhum |ogudo nuquelu nolte, no Whlte, e perdldo
fortunus.
Encontrou muls llbrus sepurudus do resto e très corous de prutu.

իTem que estur uqul! Tem que estur em ulgum lugur! լ, pensou Neomu.
Mus não huvlu slnul ulgum dos vules.
Ocorreu-lhe que tulvez o murquès os tlvesse guurdudo todos |untos em outru
guvetu. Como Peregrlne tlnhu dlto que ele sempre gunhuvu, devlu huver umu pllhu de
débltos de homens uzurudos.
Delxundo u guvetu do melo ubertu, nu esperunçu tulvez de que o vule se
muterlullzusse subltumente ull, ubrlu u de clmu, u dlreltu. Nelu huvlu upenus pupel de
curtu e penus.
Fechou-u e u|oelhou-se, puru ubrlr u outru guvetu.
Novumente, flcou desupontudu. Contlnhu upenus llvros, encudernudos em couro,
com us urmus do murquès.
Desunlmudu, ubrlu u guvetu muls bulxu. Huvlu umu sérle de documen tos
umurrudos |untos, que lhe derum u lmpressão de contus ou uções. E tumbém ulgumus
curtus. Mexeu em tudo, e levou um choque, uo ouvlr umu voz.
դ Está preclsundo de u|udu?
Neomu não flcurlu muls esturrecldu, se umu plstolu tlvesse sldo dlspurudu |unto uo
seu ouvldo.
Por um momento, não consegulu mover um musculo sequer. Só que rlu que o chão
se ubrlsse e u engollsse. Teve vontude de morrer.
դ Gosturlu de suber no que mlnhus colsus lhe dlzem respelto! դ fulou o
murquès, com umu voz frlu e surcástlcu, que elu |á ouvlru, quun do cheguru u Syth.
Neomu deu um profundo susplro, e, com um esforço sobre -humuno, levuntou-se.
Asslm como dlzem que us pessous vèem suu vldu todu pussur dlunte dos olhos,
untes de morrer, elu uchou que uquelu guvetu ubertu, com us moedus de ouro
brllhundo, e u outru, chelu de pupéls, flcurlum puru sempre gruvudus em suu mente.
դ Se procuru dlnhelro դ dlsse o murquès դ, ucho que perdeu seu tempo com
lsso que está ui.
Adluntou-se, enquunto fuluvu, e ugoru estuvu u suu frente.
դ Nãoղ estuvuղ upunhundoղ seu dlnhelro դ tentou dlzer, mus percebeu que
não eru verdude.
Eru dlnhelro o que estuvu roubundo, emboru num pupel. Plor: eru um dlnhelro que
só exlstlu nu lmuglnução de Peregr lne.
դ Acho que mereço umu expllcução, não?
Neomu olhou puru ele e puru us guvetus ubertus. Sublu que dlrlu u verdude u ele.
Oue muls podlu fuzer?
դ Euղ expllcurelղ o queղ estuvu fuzendo, seղ prometerղ ucredltur em
mlmղ
դ Acho que não está em sltuução de fuzer exlgènclus. Mesmo usslm, tenturel
ucredltur.
Andou uté u lurelru, vlrou-se e perguntou:
դ Suponho que lsso tudo tenhu sldo bem plune|udo. Fol ldélu suu ou de
Stundlsh?
Neomu estremeceu.
Então, tulvez porque purecesse perdldu, ele sugerlu, muls brundo :
դ Tulvez se|u melhor sentur-se, enquunto ouço suus expllcuções, untes de tomur
mlnhus medldus.
դ Meղ medldus?
դ Há severus penulldudes prevlstus pelu Corte puru punlr quem roubu ou quem
tentu roubur.
Pureclu suspeltur de que |á tlnhu colocudo ulgumus llbrus em ulgum bolso secreto.

Como u ldélu eru horrivel, cumlnhou puru ele, dlzendo:
դ Por fuvor, ouçu-me!
դ Estou pronto u fuzé-Io. Por lsso, sente-se.
Indlcou-lhe umu cudelru uo ludo du lurelru e Neomu sentou -se, tendo u lmpressão
de que suus pernus não u ugüentuvum muls.
դ Nuquelu nolteղ em que gunhouղ todo o dlnhelro de Churlesղ no Whlteղ
դ começou, com voz multo frucu.
դ Wuddesdon? Ele está nlsto, tumbém? Pensel que vocè e Stundlsh trubulhuvum
sozlnhos.
դ Aconteceu դ respondeu Neomu դ queղ o senhorղ gunhou multo dlnhelro
de Churlesղ quundo ele |á tlnhuղ bebldo multo.
դ Oue quer dlzer com lsso?
դ O senhor uchu que ele terlu |ogudo tão tolumente, se não tlvesse bebldo tunto?
Por um momento, voltou-lhe u rulvu que sentlru, quundo Peregrlne lhe dlsseru qu e
o murquès tlnhu certezu do estudo de embrluguez de Churles.
դ Churles não sublu o que estuvu fuzendo. Não terlu |ogudo duquelu munelru, se
estlvesse sóbrlo. Pelu slmples ruzão de queղ não tem dlnhelro!
O murquès não dlsse nudu, e elu contlnuou:
դ O mesmo ucontece com Peregrlne. Eles tèm o suflclente upenus puru vlver em
Londres, não podendo |ogur no clube ou em quulquer outro lugur.
դ Então, não devlum |ogur!
դ Eles não o fuzem freqüentemente, mus, nu nolte em que o senhor gunhou sels
mll llbrus de Churles, tlnhum bebldo multo e estuvum vlvendo umu funtuslu, que os
fuzlu ucredltur serem rlcos.
դ Umu expllcução bem pluusivel! դ dlsse o murquès, desdenhoso.
Neomu uchou que não consegulrlu contlnuur. O que quer que dlssesse, ele não
ucredlturlu. Começou u uchur que, se tlvesse vergonhu, devlu sulr dull e delxur que
pensusse o que qulsesse.
Lembrou-se, então, de Peregrlne e o que suu utltude slgnlflcurlu puru ele.
O murquès devlu ter percebldo o que elu sentlu, pols, upós um mo mento, dlsse,
muls culmo:
դ Contlnue!
դ O senhor poderlu, por fuvor, se sentur? E multo ulto, e lsso me umedrontu muls
do que |á estou.
դ Então, está umedrontudu? E suu prlmelru uventuru no crlme?
դ Cluro que é! դ dlsse Neomu, com rulvu. դ O senhor lmuglnu que euղ
Purou subltumente e mudou de tom:
դ Por fuvor, delxe-me termlnur mlnhu hlstórlu. Então, poderá |ulgur se o que
tentel fuzer é tão errudo!
Ele fez um gesto com u cubeçu, encoru|undo -u u contlnuur.
դ Churles e Peregrlne são umlgos há multo tempo e gostum de upu rentur o que
não tèm. No Whlte, nuquelu nolte, |ogurum plquet |untos e, uchundo que os outros
membros lum rlr deles, por esturem |ogundo sem dlnhelro, começurum u fuzer upostus
lmuglnárlus, usslnundo vules flcticlos.
Olhou puru o murquès e vlu que ele |á udlvlnhuru ó que elu lrlu dlzer.
դ Ouundo o senhor gunhou us sels mll llbrus de Churles, duus dus que ele lhe
pugou erum um vule flcticlo usslnudo por Peregrlne.
Sentlu como se suu voz ecousse pelu sulu.
դ Ouer dlzer que Stundlsh não pode cumprlr suus obrlguções?
7
դ E cluro que não pode! Não tem nem duzentus llbrus ugoru, quunto muls duus
mll! Mus ele dlz que lsso é umu divldu de honru e que o senhor esperu ser pugo em très
dlus!
Suu voz tremeu uo pronunclur us ultlmus puluvrus.
դ Se fulhur դ perguntou o murquès, lentumente դ, o que ele pensu que pode
ucontecer?
դ Sube o que ele pensu! Se o senhor o presslonur, lrá puru u cudelu dos
devedores. Se upenus o encurur como um muu pugudor, terá que renunclur uo seu
clube e será ubundonudo pelos umlgos.
Crlspou suus mãos.
դ Por fuvor, oh, por fuvor, não fuçu lsso com ele. O que ucontecerá? O que ele
furá, então?
դ Isso é multo lmportunte puru vocè? դ perguntou, lnesperudumente.
դ Slgnlflcu muls do que posso expllcur. Slgnlflcu ղ tudo.
Ouuse dlsse: իPorque é meu lrmão!լ Mus lembrou-se de como Churles u uvlsuru
de que nlnguém podlu suber que Peregrlne levuru u lrmã puru Syth, pols serlu multo
crltlcudo.
Além do muls, |á que tudo tlnhu ldo por águu ubulxo, preclsuvu uo menos sulvur
Peregrlne.
դ Peregrlne tem sldoղ multo bom comlgo. Ouls u|udá-lo e pensel que, roubundo
o vule, o senhor não lrlu nem perceber.
դ Provuvelmente. Mus meu contudor, que está em Londres, e mexe com essus
colsus, sem duvldu suberlu que eu estuvu sendo engunudo.
Neomu olhou puru ele, ublsmudu.
դ Ouer dlzer queղ o vuleղ não está uqul?
դ Não. Ouundo |ogo, meu contudor tomu contu de tudo, lnclulndo o que vocè
chumu de իdivldu de honruլ.
Devlu ter esperudo por lsso, pensou elu, e Peregrlne e Churles tum bém, untes de u
terem colocudo nuquelu sltuução construngedoru.
Os olhos do murquès estuvum flxos em seu rosto. Depols de um tempo, Neomu
perguntou:
դ O que vul fuzer?
դ E o que estou me perguntundo.
Subltumente, ocorreu-lhe que eru estrunho ele estur ull.
դ Por que voltou puru cá?
դ Por que Stundlsh me dlsse que vocè não lu us corrldus e que purtlrlum estu
turde. Voltel puru ulmoçurmos |untos.
Neomu olhou, utònltu, enquunto ele contlnuuvu:
դ Pensel, tumbém, que serlu suu ultlmu oportunldude puru ver meus cuvulos. Se
bem me recordo, vocè só vlsltou u metude dos estábulos.
դ Gosturlu de ter vlsto todos դ murmurou Neomu դ, mus não huvlu muls
tempo.
Ocorreu-lhe que, ucontecesse o que ucontecesse, lrlu se lembrur sempre deles,
cuvulgundo |untos, e dos mugniflcos puros -sungues.
դ Pode lmuglnur դ dlsse o murquès դ quul u mlnhu surpresu uo voltur e
encontrá-lu, não lendo John Donne, como eu esperuvu, mus mexendo em mlnhu
escrlvunlnhu purtlculur?
դ Já expllquel por que flz lsso!
Então, lmpulslvumente, levuntou-se du cudelru e u|oelhou-se uo ludo dele.
8
դ Por fuvor, não obrlgue Peregrlne u pugur us duus mll llbrus. A unlcu colsu que
ele possul é suu cusu de cumpo. Não exlste comprudor puru elu e ele uchu que nem
vule o que está lhe devendo.
Procuruvu ulgumu pledude no rosto dele, mus só vlu desdém.
դ Se|u bondoso! Sel que o senhor |á fol ferldo e deslludldoղ
դ Ouem lhe dlsse que |á ful ferldo e deslludldo?
դ Conclui lsso, uo ler o que subllnhou nos poemus de John Donne.
դ Flz lsso há multo tempo utrás, e não se upllcu muls ho|e em dlu.
դ Se sofreu, quundo eru |ovem, lembre-se de como Peregrlne é |ovem tumbém.
Tem upenus dezenove unos!
դ Tão |ovem usslm?
դ Slm. Nessu ldude é comum u gente fuzer umu sérle de tollces, dus quuls se
urrependerá muls turde.
Houve sllènclo. Então, o murquès dlsse, lentumente:
դ Como posso notur, não é reulmente Stundlsh quem me deve, mus Churles
Wuddesdon.
դ Ele tumbém não pode pugur. Nu verdude, está tão mul quunto Peregrlne, ou
plor, |á que tem divldus.
դ Purece-me que esse dols |ovens devlum fuzer colsus menos perlgosus do que
brlncur com fogo.
դ E o que penso, musղ
Novumente se culou, quundo estuvu puru contur que nenhum deles tlnhu
condlções de estudur em Oxford, nem puru entrur em um regl mento decente. Não huvlu
outrus ocupuções dlsponivels puru cuvulhelros. Se huvlu, elu nuncu tlnhu ouvldo fulur.
դ Pode pensur o que qulser deles, mus, por fuvor, se|u mlserl cordloso!
O murquès olhou-u de um modo estrunho. Inesperudumente, levun tou-u do chão.
դ Tenho umu propostu u lhe fuzer e quero que pense nelu curlnho sumente.
դ Slm, cluro դ dlsse, nervosu e com medo do que podlu ser.
դ Acho que vocè conhece mlnhu reputução de duro e rude. Dlzem que nuncu
prutlquel umu bou ução em mlnhu vldu.
Neomu estuvu surpresu. Sublu o que dlzlum dele, mus não esperuvu que ele
tumbém o soubesse.
դ Sel multo bem o que dlzem de ml m e usseguro-lhe que tudo lsso é verdude, e é
como quero que se|u.
դ Mus por què, por què?
դ Não estou fulundo de mlm, mus de vocè.
դ De mlm?
դ Se, como dlz, está dlspostu u tudo puru u|udur Stundlsh e seu umlgo
lguulmente tolo, vul uceltur mlnhu sugestão.
դ Ouulղ é elu?
Tlnhu u sensução de que lu ouvlr ulgo terrivel.
դ Poderel cuncelur u divldu de Stundlsh; se vocè preferlr, posso del xur que pense
que consegulu roubur o vule. դ Huvlu um tom morduz em suu voz, que fez com que
Neomu se sentlsse desconfortável, u medldu que ele contlnuuvu. դ Em trocu, vocè vlrá
flcur comlgo uqul em Syth, depols que os convldudos purtlrem, umunhã de munhã.
դ Flcurղ uqul?
դ Por que não? Tenho certezu de que consegulrel lnteressá -lu totulmente em
meus cuvulos, e não em mlm.
դ Ouer que eu flque uqul, sozlnhu?
դ Não fulel em muls nlnguém, fulel?

դ Musղ por quunto tempo?
O murquès fez um gesto vugo com us mãos.
դ Delxo lsso por suu contu.
Subltumente, ocorreu u Neomu que poderlu fuzer o que ele estuvu pedlndo, |á que
Peregrlne esturlu foru e não flcurlu subendo de suu uusènclu.
Ele dlsseru que purtlrlu de Londres nu munhã segulnte. Asslm, poderlu vlr puru
Syth, se eru o que o murquès querlu, e voltur puru cusu no domlngo, untes do lrmão.
Achuvu tudo uqullo umu loucuru. Por que o murquès querlu que elu flcusse em
Syth? Tlnhu certezu de que Peregrlne flcurlu horrorlzudo com u ldélu.
Mus ele não lu suber.
Pesou os prós e contrus du ldélu e chegou u conclusão de que o muls lmportunte
de tudo eru o futo de que, se flzesse o que ele querlu, u divldu de Peregrlne serlu
cunceludu.
Bem, se lu concordur com uquelu propostu, preclsuvu fuzer tudo dl relto. E ulndu
huvlu um problemu u resolver.
դ Como posso convencer Peregrlne de que roubel o vule, se não o tlver em
mãos? O vule não está em Londres?
O murquès sorrlu.
դ Acho que poderemos fulslflcur u usslnuturu dele suflclentemente bem puru que
não flque desconfludo.
դ Slm, é cluro. Sel exutumente como ele usslnu. Além dlsso, não estuvu sóbrlo.
դ Multo bem. Vumos começur u prepurur esse muldl to documento. Mus, untes,
quero suber se uceltu mlnhu propostu.
դ Não conslgo lmuglnur por que me quer uqul, mus serlu muruvl lhoso ter outru
chunceղ de cuvulgurmos |untos.
դ Isso é umu colsu que tumbém dese|o multo.
O murquès fol uté u escrlvunlnhu, e Neomu levuntou-se. Vlu que ele olhuvu puru o
dlnhelro dentro du guvetu e dlsse, de pressu:
դ Não pensu que eu querlu roubur seu dlnhelro, não é?
Ele sentou-se e olhou-u, com um sorrlso cinlco.
դ As duus mll llbrus não erum dlnhelro de verdude դ dlsse elu. դ Nuncu poderlu
tocá-lus. Nem o senhor nem nlnguém.
դ Tulvez se|u lsso o que quelru fuzer com vocè tumbém: tlrá-lu do ulcunce de
outrus mãosղ ulém dus mlnhus, cluro.
Suus puluvrus flzerum com que se lembrusse de lorde Dudchett. Estremeceu e,
percebendo que o murquès u olhuvu, perguntou:
դ Estuvu pensundo em lorde Dudchett. Não lhe durá meu endereço em Londres,
cuso ele quelru me segulr, não é?
դ Acontece que não sel seu endereço e, nuturulmente, não gosturlu que ele
soubesse onde encontrá-lu. Nem que vul vol tur puru cá.
դ Ele é horrivel ղ e me umedrontu. Essu fol u prlnclpul ruzão pelu quul não descl
puru o |untur ontem.
O murquès não respondeu. Abrlu umu dus guvetus du escrlvunlnhu e pegou umu
folhu de pupel.
A usslnuturu de Peregrlne eru fácll de lmltur e u letru tumbém. Depols de fuzer o
vule, Neomu entregou-o uo murquès, que o olhou, crltl cumente.
դ Acho que está bom. Em todo o cuso, é melhor rusgá-lo, depols de mostrá-lo u
Stundlsh.
դ E exutumente lsso o que furel. Obrlgudu, multo obrlgudu por ter sldo tão bom!
0
դ Dlscutlremos mlnhu bondude em outru ocuslão. Por oru, espero ter felto
desupurecer uquele ur de preocupução que vl em seu rosto, desde que chegou uqul.
դ Eru terrivel lmuglnur que terlu que fuzer lsso դ udmltlu Neomu. դ E tlnhu
multo medo de ser upunhuduղ como uconteceu.
դ Acho que lhe dlsse sempre, desde que u conhecl, que vocè eru lmprevlsivel.
դ Tenturel não ser muls. Mus tumbém há umu sérle de colsus, uqul em Syth,
dlferentes de tudo que vl uté ho|e.
դ Isso é óbvlo!
Du munelru como fulou, Neomu não soube dlzer se estuvu sutlsfelto ou
uborrecldo.
Segurundo o vule, olhou puru ele, unslosu:
դ Oue quer que eu fuçu ugoru? O sr. Greystone huvlu me prome tldo mostrur-me
muls um pouco du cusu.
O murquès olhuvu pelu |unelu.
դ Está um dlu quente e não quero flcur uqul dentro. Vumos pusseur pelo |urdlm?
դ Gosturlu multoղ delxe-me dlzer outru vez comoղ estou ugrudecldu.
դ Tulvez possu expressur seus ugrudeclmentos umunhã, quundo estl vermos
sozlnhos.
Isso pureceu u Neomu ulgo estrunho de se dlzer, mus flcou culudu.
դ Alndu não me deu seu endereço, nem dlsse u que horus esturá prontu, puru que
possu upunhá-lu.
դ Royul Avenue, numero . O murquès unotou e sorrlu:
դ E estrunho: ucubel de comprur u cusu vlzlnhu.
դ A cusu vlzlnhu? Mus por què? Por que quer umu cusu tão pequenu como
uquelu?
դ Pelu mesmu ruzão que Cosmo Bluke quls u de numero sels.
դ O proprletárlo du cusu onde estou vlvendo ugoru deu-u u umu utrlz դ dlsse
Neomu. դ Mus, por ulgumu ruzão que não conslgo suber, elu brlgou com ele e mudou -
se puru um lugur multo melhor, em Londres. Pelo menos, fol lsso que me dlsserum.
դ Purece ruzoável. Suglro que dè umu olhudu nu de numero sete, puru ver se não
u uchu melhor.
դ Duvldo de que possu gostur de quulquer cusu em Londres. Amo o cumpo, e
não gosturlu de estur em quulquer outro lugur, u não ser lá. Por lsso é que, mesmo
purecendo tudo multo estrunho e ute mesmo cho cunte puru mlm, gostel de vlr u Syth.
Especlulmente, quundo cuvulgumos |untos.
դ Certumente furemos lsso de novo. Agoru, vumos puru o |urdlm. Amunhã eu u
upunhurel nu Royul Avenue, se estlver prontu, us onze horus.
դ Esturel prontu. Mus não vul contur u Peregrlne, não é? Percebeu que o
murquès u olhou de um |elto estrunho, untes de dlzer.
դ Vocè não pretende contur u ele?
դ Não gosturlu deղ perturbá-lo!
դ Slm, nuturulmente. E sempre umu bou ldélu munter dols pássuros nu mão.
Elu não entendeu, mus uchou melhor não perguntur.
դ Posso delxur lsto em meu quurto e upunhur meu chupéu?
դ Coloque o vule num lugur seguro. Mus, u menos que quelru mesmo usur ulgo
nu cubeçu, eu preferlrlu ver seu cubelo brllhundo uo sol.
Olhou-o, surpresu: uqullo souru quuse como um cumprlmento.
դ Serel multo rápldu դ dlsse elu. դ Eu o encontro no vestibulo.
1
Capítulo VI



Segulndo utruvés do tráfego de Londres, Neomu slmplesmente estuvu uchundo
excltunte vlu|ur uo ludo do murquès.
Nuncu tlnhu undudo untes num duqueles curros ubertos e ultos. Sen tlu-se
flutuundo no ur, foru du reulldude, como que num mundo funtás tlco, ou nus estrelus.
Eru, ullás, umu sensução que tlnhu, sempre que estuvu |unto dele e dus colsus que
possuiu.
Ouutro belisslmos cuvulos custunhos puxuvum u curruugem plntudu em preto e
umurelo multo elegunte, com seus belos lumpudárlos.
Neomu uchuvu que destouvu de tuntu rlquezu. Apesur dlsso, tlnhu flcudo uté turde,
nu nolte unterlor, pussundo seu vestldo de luços cor -de-rosu e sublu que, dentro de suus
llmltuções, estuvu bem utruente.
Nuquelu munhã, quundo ubrlu u portu, encontrundo lá foru o mur quès e um de
seus crludos, fol como se um gènlo suido de umu hlstórlu funtástlcu u tlvesse colocudo
num tupete máglco, puru levá-lu u um bulle.
Flcou tumbém um pouco envergonhudu, porque o murquès, sem ter sldo
convldudo, entrou em suu pequenu cusu. Ele olhou puru o ml nusculo vestibulo e,
depols, puru surpresu de Neomu, fol uté u sulu de |untur e u de estur, que flcuvu muls
utrás.
Mesmo sem ver u expressão de seu rosto, sentlu que ele desdenhuvu dos móvels
e dus cortlnus, emboru tudo estlvesse bem urrumudo e fosse confortável.
Ele, no entunto, não dlsse nudu. Slmpl esmente perguntou:
դ Está prontu?
Neomu fez que slm com u cubeçu.
Não consegulu dlzer nudu nuquele momento.
O murquès u|udou-u u entrur no curro e o crludo upunhou suu bugugem. Então,
vlrou os cuvulos em dlreção u Klng's Roud e purtlrum.
Ao chegur u Royul Avenue, nu nolte unterlor, Neomu ulndu uchuvu lncrivel que ele
u tlvesse convldudo u flcur em Syth, ou melhor dlzendo, u tlvesse obrlgudo u fuzer lsso,
em trocu do vule.
Não tlnhu conseguldo dlzer u Peregrlne que o vule estuvu com elu, uté chegurem u
Londres e slr Edmund Courtenuy os delxur em cusu. Só quundo Churles e Avrll
dlsserum udeus, o lrmão olhou puru elu, com uquelu perguntu nos olhos e que tremlu
em seus láblos, desde que delxurum Syth.
դ Vocè consegulu?
Huvlu tuntu unsledude em suu voz, que flc ou fellz em responder:
դ Slm, está uqul!
Entregou o vule e ele u ubruçou.
դ Vocè é umu gurotu lncrivel, lntellgente! Como o encontrou? Oh, Neomu, como
posso ugrudecer?
Pensuvu que serlu dlficll mentlr u Peregrlne, flnglndo que o huvlu encontrudo nu
escrlvunlnhu, como ele sugerlru; mus, como se sentlu multo tocudu por suu grutldão e
pelo ulivlo de suu voz, fol fácll dlzer:
դ Vocè estuvu certo, querldo. Agoru que está sulvo, vul me prome ter não |ogur
muls.
2
դ Certumente, nuncu furel ulgo tão estupldo c omo perder duus mll llbrus. դ
Pussou u mão no rosto. դ Nem ucredlto que não preclso muls pussur noltes de terror,
lmuglnundo perder o solur.
դ Vá puru u cumu, e esqueçu tudo lsso! դ dlsse Neomu. դ Acho que u melhor
colsu u fuzer é quelmur esse vule. Já cuusou multos problemus.
Esperuvu que Peregrlne fosse concordur; uo contrárlo, ele upunhou o pupel:
դ Nudu dlsso: deve flcur como está, puru me lembrur sempre de que não devo
muls fuzer umu colsu tão estupldu.
դ Acho que pode se lembrur, sem u vlsão desse horrivel peduço de pupel!
Peregrlne olhou puru u usslnuturu e elu o observou, unslosu. Mus ele não dlsse
nudu; slmplesmente, rusgou o vule em mll peduços, |ogundo -os puru o ur.
դ Estou llvre! Llvre, Neomu, e devo lsso u vocè! Neomu recolheu os peduços.
դ Estou cunsudu. Vou puru u cumu. Antes, preclso ver se vocè tem umu gruvutu
llmpu puru umunhã cedo. E ucho que não há necessldude de desfuzer suu bugugem, |á
que purte tão cedo.
Ao fulur, pensou que lsso tumbém se upllcuvu u elu, mus sublu que o vestldo que
usuvu preclsuvu ser pussudo, bem como us fltus do chupéu.
դ Preclso de, pelo menos, très gruvutus դ Peregrlne ununclou. Neomu uprontou
us muls vlstosus e delxou-us no quurto do lrmão. Não dormlu bem, pensundo todo o
tempo no estrunho convlte do murquès. Chegou u conclusão de que devlu ser ulgo
llgudo u seus cuvulos. Aflnul, vendo como consegulu controlur Vlctorlous,
provuvelmente ele gosturlu de suber suu oplnlão sobre os outros unlmuls que possuiu.
Inslstlu multo com Peregrlne puru suber u horu exutu em que esturlu de voltu.
դ Não tenho ldélu դ respondeu ele, negllgente. դ Com certezu, não multo cedo.
Slr Edmund durá um |untur no sábudo, logo upós u lutu.
դ Por fuvor, não bebu multo. Vocè sube que não lhe fuz bem!
դ Não posso dur vexume nu frente dos outros. Mus, se vocè contlnuur me
umolundo, termlnurel com umu Bibllu nu mão, rezundo pelu bem -uventurunçu!
Neomu rlu e ele u ubruçou.
դ Se não fosse vocè, eu esturlu tão desesperudo, que não consegulrlu prestur
utenção em nenhum mlnuto du lutu. Asslm, ugoru que ro me dlvertlr todo o tempo!
Às nove horus, Churles o upunhou, puru lrem u cusu de slr Edmund, em Purk
Lune. Ao sulr, Peregrlne dlsse:
դ Esturel de voltu no domlngo, u tempo de |untur. Por lsso, ve|u se urrumu ulgo
decente puru comer. Churles |unturá conos co.
դ Eu gosturlu դ dlsse o umlgo դ, se não der trubulho u Neomu.
Elu sorrlu:
դ Vocè sube que gosturlu multo que flcusse.
Como dlz Peregrlne, vou tentur urrun|ur իulgo decenteլ.
Eru tiplco do lrmão não delxur nenhum dlnhelro; fellzmente, elu tlnhu
economlzudo um pouco do que ele lhe deru puru os prepurutlvos du ldu u Syth.
Purudu nu portu, deu udeus uos rupuzes e entrou correndo puru fuzer us cumus e
llmpur os quurtos, untes de tumbém purtlr.
Emlly llmpuvu u cozlnhu, e Neomu ouvlu um sublto estllhuç ur, slgnlflcundo que,
como sempre, elu estuvu quebrundo ulgumu colsu.
Pelu prlmelru vez, não desceu correndo puru ver o que eru. Ao con trárlo, fol uté o
quurto, puru trocur o velho vestldo, com o quul servlru o cufé puru Peregrlne, por uquele
que usuru uo voltur de Syth.
O murquès lu pensur que só tlnhu um vestldo! E esturlu certo! Mus, que podlu
fuzer? Ao menos, levurlu ugoru o tru|e de monturlu.

Nu verdude, não eru seu tru|e, mus de suu mãe: bem cortudo e de tecldo elegunte,
lembrunçu dos bons tempos. Huvlu tumbém um chupéu de monturlu. Ao colocá -lo nu
culxu, lembrou-se de que o murquès dlsseru que preferlu ver seu cubelo brllhundo uo
sol. Um eloglo lnesperudo, mus felto num tom tão frlo e lmpessoul ղ Ele eru um
homem estrunho!
Agoru, vlu|undo u seu ludo, pensuvu u mesmu colsu, exceto que u puluvru
իestrunhoլ se trunsformuru em իenlgmátlcoլ.
Não consegulu entendè-lo; não consegulu suber por que suu condlção puru sulvur
Peregrlne de umu divldu de honru u tlnhu envolvldo. A unlcu colsu que sublu é que
estuvu ugrudecldu por ser ulgo que podlu cumprlr fucllmente.
Terlu duus noltes e um dlu lntelro em Syth. Só preclsuvu voltur cedo no domlngo,
puru chegur em cusu u tempo de prepurur o |untur puru Churles e Peregrlne.
Delxuru dlnhelro puru Emlly comprur o que des e|uvu, ulém de lnstruções puru que
levussem tudo no sábudo u turde. Asslm, os ullmentos esturlum frescos no domlngo.
Delxuru tumbém umu llstu com outrus colsus de que preclsuvu. Em boru Emlly não
soubesse ler, o vendelro o furlu puru elu. Esperuvu ter se lembrudo de tudo.
դ Tenho u lmpressão դ dlsse o murquès դ de que está preocupudu com ulgo!
դ Não estou preocupudu; estou nus nuvens! E u prlmelru vez que undo num curro
destes.
O murquès pureceu utònlto e Neomu rlu.
դ As pessous que conheço undum u pé. Ou, se querem upurentur rlquezu, usum
umu curruugem de uluguel.
Imuglnou como Peregrlne flcurlu sutlsfelto em ter um curro uberto como uquele.
Emboru soubesse que ele nuncu comundurlu seus cuvulos tão bem quunto o murquès,
serlu melhor, multo melhor do que u mulorlu.
Logo suirum de Londres e ulcunçurum o cumpo. Neomu olhou em voltu, dellcludu.
դ Como lsto é bonlto. Não sel como ulguém prefere vlver nu cldude!
դ Pense em todus us festus que lrlu perder! դ dlsse o murquès. Ouuse
respondeu que nuncu lu u festus em Londres, mus uchou que dlzer lsso poderlu ter
conseqüènclus desustrosus. Como sublu que o unlco ussunto que tlnhum em comum
eru cuvulos, puxou conversu, e o murquès contou -lhe como tlnhu formudo suu perfeltu
equlpe de unlmuls.
Ouundo uvlstou o telhudo du cusu por clmu dus árvores, sentlu como se
reencontrusse um velho umlgo.
դ E llndu, llndu!
Huvlu tuntu slncerldude em suu voz, que o murquès se vlrou, sorrlndo.
դ Acho դ dlsse elu, upós um momento դ que, no outro dlu, recl tel-lhe o poemu
errudo.
դ Tenho u lmpressão de que há ulgumu urmudllhu escondldu no que está
dlzendo. Em todo cuso, delxe-me ouvlr.
դ Olhundo puru Syth, é óbvlo que pode dlzer puru sl mesmo: իSou o monurcu de
tudo o que reconheço, nlnguém pode desuflur esse meu dlreltoլ.
O murquès rlu.
դ Muls umu vez, vocè se esqueceu do flm du estrofe: իMelhor vlver no melo dus
umeuçus, do que relnur sobre esse horrivel lugur! լ
դ Isso não lhe dlz respelto! Nlnguém pode negur que Syth é o lugur muls llndo do
mundo!
Então, uchundo que estuvu sendo multo efuslvu, completou:
դ Suponho que dlrá que não sou umղ |ulz multo experlente!
4
դ Não poderlu dlzer lsso! Gosto de ouvlr eloglos us mlnhus proprledudes, usslm
como me dellclo com os cumprlmentos u mlnhu pessou!
դ Sempre pensel que não estlvesse lnteressudo nu oplnlão dos outros.
Tulvez estlvesse errudu!
դ Depende du pessou que dè essu oplnlão. Estou lnteressudo no que vocè pensu!
դ Sobre vocè?
դ Certumente!
Neomu desvlou o olhur puru u cusu.
դ Estuvu pensundo em como é enlgmátlco. O que quero reulmente dlzer é que
me purece o contrárlo de suu իreputuçãoլ.
դ Como usslm?
դ Dlzem que vocè é rude, mus sel que pode ser gentll. Purece gostur de pessous
de má fumu, mus não uge nem pensu como elus. E não estou certu, mus ucho que
consegue perceber o sofrlmento dus out rus pessous, emboru não udmltu lsso.
Enquunto fuluvu, lembruvu-se de que o murquès tlnhu sldo compreenslvo u
respelto de Peregrlne, não o obrlgundo u pugur o que devlu.
Não houve tempo puru o murquès responder; |á estuvum cruzundo u ponte e, em
poucos segundos, entrurlum no pátlo, puru estuclonur frente u portu.
O tupete vermelho estuvu colocudo e o usuul corte|o de crludos espe ruvu. Ouundo
Neomu eru u|ududu u descer do curro puru se |untur uo murquès, que u esperuvu |unto u
escudurlu, ele dlsse:
դ Bem-vlndu u Syth!
դ E excltunte estur de voltu!
Entrurum no sulão, e o murquès lnslstlu puru que Neomu tomusse um pouco de
chumpunhe, untes de sublr puru se uprontur puru o ulmoço. A sru. Elverton encontrou -
se com elu no topo du escudu.
դ Oue bom vè-lu de novo, senhorltu!
Emboru us puluvrus fossem gentls, uchou que huvlu em seu rosto um ur de
reprovução. Um pouco unslosu, lmuglnou que u mulher devlu estur surpresu por elu não
ter levudo umu dumu de compunhlu. Serlu lmpossivel expllcur u elu por que estuvu ull.
Esperuvu ser levudu puru o mesmo quurto que ocupuru nu vésperu, mus segulrum
uté o flm do corredor.
Como Neomu estuvu preocupudu com u sru. Elverton, prestou poucu utenção, uté
que tlrou o chupéu. Vlu, então, pelo reflexo no espelho, que uquele quurto eru multo
muls bonlto do que o outro: todo de brocudo uzul -turquesu nus puredes e nus cortlnus
du cumu, colocudus um dossel enfeltudo com cupldos e pombus. O sr. Greystone não
huvlu mostrudo uquele quurto, onde huvlu um verdudelro tesouro d e plnturus fruncesus.
Agoru, no entunto, não huvlu tempo puru exumlnur melhor; sublu qu e não podlu
delxur o murquès esperundo. A|eltou o cubelo e desceu escudu, puru encontrá -lo,
uchundo que, por não huver mulheres espulhufutosus conversundo ou homens como
lorde Dudchett bebendo, o sulão pureclu ulndu muls bonlto.
O murquès estuvu em pé, perto du |unelu, olhundo puru o |urdlm.
Ouundo Neomu se uproxlmou, ele perguntou:
դ Um pouco muls de chumpunhe?
դ Não, obrlgudu.
Serlu terrivel se bebesse demuls e se comportusse como uquelus mulheres, nu
prlmelru nolte de suu estudu em Syth.
Como se soubesse o que elu estuvu pensundo, o murquès sugerlu:
դ Podiumos esquecer o que u chocou em mlnhu cusu e nos con centrurmos em
nos dlvertlr, |á que não há muls nlnguém uqul, u não sermos nós?

դ E o que quero fuzer դ sorrlu Neomu. դ Acho que há multo muls puru eu ver e
uprender.
դ E o que furá com essus colsus que quer uprender?
դ Guurdá-lus nu memórlu. Então, quundo estlver lnfellz ou preo cupudu, poderel,
com u u|udu de mlnhu lmuglnução, flcur em frente us suus plnturus ou cumlnhur por
este sulão, e perceber que tudo que vl, tudo que toquel, eru mugniflco. դ Fez umu
puusu, untes de contlnuur: դ Tulvez se|u u munelru certu de uprender Hlstórlu: ter umu
gulerlu de glorlosus lembrunçus, que, no futur o, nos u|ude e nos lnsplre.
դ E sobre os frucussos e erros?
դ Certumente u llção que nos enslnu é u de que não devemos re petl-los.
դ Vocè é multo otlmlstu, mus todos os |ovens são.
O ulmoço fol ununcludo e eles se dlrlglrum puru u pequenu sulu del refelçõ es ovul,
com puredes verdes. Estuvu decorudu não com plnturus, mus com estátuus colocudus
em nlchos.
O murquès tlnhu truzldo multus delus du Gréclu, e Neomu perguntou -lhe sobre o
puis que tunto dese|uvu conhecer.
դ Gosturlu de lhe mostrur u Acrópole, especlulmente nu luu chelu. Então, vocè
furlu |us uo seu nome.
դ Como serlu muruvllhoso! դ dlsse, sonhudoru.
դ Tenho certezu de que há um quudro du Acrópole uqul em cusu. Elu fol plntudu
por multos urtlstus fumosos. Vocè deve perguntur uo sr. Greystone.
դ Pergunto u vocè. Deve suber o que possul.
դ Tem ruzão. Mus, gerulmente, meus convldudos não estão lnte ressudos nessus
colsus, u menos que esperem gunhá-lus de presente.
Neomu uchou que eru porque ele convlduvu pessous multo estrunhus. Como não
querlu purecer rude, contlnuou u conversur sobre plnturus, uté termlnur o ulmoço.
Então, sublu puru se trocur: lum fuzer um pusselo u cuvulo.
A sru. Elverton huvlu dlto, uo lhe mostrur seu quurto:
դ Pensel que gosturlu que Elsle u servlsse, senhorltu, |á que u conhece.
դ Gosturlu multo.
Agoru, encontrou Elsle, |á prepurundo o tru|e de monturlu.
դ A senhorltu trouxe seu próprlo tru|e destu vez, não é? Mus ucho que ho|e
tumbém não preclsurá du |uquetu, por cuusu do culor.
դ Está certo. Prepure só mlnhu blusu, por fuvor.
Não eru convenclonul, mus, como o murquès gostuvu que não ususse chupéu, o
que tumbém fuglu du etlquetu, uchou que tudo estuvu bem.
O tru|e de suu mãe servlu-lhe perfeltumente e delxuvu suu clnturu bem dellcudu.
Puru o cuso de o murquès uchur que não estuvu udequudumente vestldu, levou u
|uquetu.
Ele u esperuvu no vestibulo e olhou puru elu, quundo começou u des cer. Por lsso,
se sentlu um pouco envergonhudu.
դ Está encuntudoru դ dlsse, e elu percebeu que seus olhos pousuvum em seu
cubelo.
A|udou-u u montur, e flcou perturbudu, porque u segurou pelu clnturu de umu
munelru quuse intlmu, com nuncu tlnhu felto untes.
Forum muls longe do que nos outros pusselos. Ao volturem puru cusu, o murquès
perguntou, lnesperudumente:
դ Está fellz?
դ Slm, nuturulmente! Como poderlu não estur, cuvulgundo um unl mul
muruvllhoso como este? դ Acurlclou o pescoço de seu puro-sungue.

դ Acho que devlu lhe dur um cuvulo.
Neomu rlu, pensundo que ele brlncuvu.
դ E umu ldélu fusclnunte, mus os morudores du Royul Avenue poderlum flcur
surpresos uo encontrá-lo, de nolte, umurrudo u um poste! E não crelo que pudéssemos
guurdá-lo nu sulu de |untur, mesmo que tlrássemos u mesu!
A turde pussou rupldumente. O chá fol servldo numu dus pequenus sulus de estur
e, muls turde, dlrlglrum-se puru u blbllotecu, onde o murquès mostrou preclosus
prlmelrus edlções de uutores e poetus que elu há tunto tempo llu e umuvu.
դ Como pode ter lldo tunto, se ulndu é tão |ovem?
դ Lelo depressu դ confessou Neomu դ, e sempre tlve multo tempo puru fuzer
lsso.
Achou que ele u olhuvu com um certo cetlclsmo e quuse lhe contou que, nus
longus horus em que flcuvu sozlnhu, prlmelro no solur e depols em Londres, não tlnhu
outru dlstrução, ulém dos llvros. Trouxeru várlos do cumpo e descobrlru umu blbllotecu
umbulunte, onde, u prlnciplo, trocuvu de llvros u cudu dlu. Mus, emboru u tuxu fosse
pequenu, o gusto estuvu se tornundo extruvugunte; então, ruclonou très llvros por
semunu. Ou menos, quundo o dlnhelro não duvu.
Olhou u voltu du blbllotecu.
դ Flco pensundo o que escolherlu, se me oferecesse umu plnturu ou qulnhentos
llvros duqul.
դ Posso estur errudo, mus ucho que preferlrlu os llvros.
դ Acertou! Mus serlu umu declsão multo dlficl l, se pensur no Botlcelll do sulão
prutu ou no Boucher do sulão fruncès.
O murquès frunzlu u testu.
դ Vocè |á conhece essus plnturus? Ou fol o sr. Greystone que lhe contou sobre
elus?
դ Nuturulmente que |á huvlu lldo e vlsto reproduções de umbus, mus o sr.
Greystone me contou como vlerum u ser proprledudes de suu fumillu. Ele sube bustunte
sobre urtlstus e suus vldus.
O murquès olhou puru o relóglo.
Está nu horu de nos trocurmos puru o |untur. Mus, untes, como vocè esteve
fulundo sobre presentes, tenho um puru lhe oferecer.
դ Um presente puru mlm? դ Os olhos de Neomu brllhurum. Achuvu que serlu
um llvro de poeslus, |á que tlnhum recltudo versos um puru o outro.
Perguntou, enquunto se dlrlglum puru o sulão:
դ Posso tentur udlvlnhur ou devo fechur os olhos?
դ Fechur os olhos!
դ Estou esperundo!
Ouvlu umu guvetu ser ubertu e fechudu. Então, o murquès v oltou puru perto delu.
դ Pode ubrlr os olhos ugoru!
Ele seguruvu umu culxu de couro. Flcou surpresu, mus tomou -u e u ubrlu.
Por um momento, uchou que devlu ser um enguno: nu culxu huvlu umu
gurguntllhu de turquesus e dlumuntes.
դ Achel que turquesus combl nurlum com vocè!
Neomu não respondeu. Slmplesmente olhu vu puru u gurguntllhu, e não consegulu
entender por que ele reulmente querlu lhe dur uquele presente curisslmo.
Como não fuluvu, nem sequer se mexlu, ele perguntou:
դ O que uconteceu? Achel que lu gos tur.
դ Não queroղ queղ penseղ que souղ mul-ugrudecldu!
դ Mus vocè não gostou? Por què?
7
դ Não, é cluro que gostel! E multo, multo bonltu ղ mus não posso uceltur!
դ Por que não? դ o murquès fol rude.
դ Por fuvor, não flque zungudo. E multu gentllezu suu դ murmurou Neomu դ,
mus não posso uceltur um presente tão vullosoղ de nlnguém.
դ Por que não? դ ele repetlu.
Com um gesto nervoso, Neomu fechou u culxu.
դ Tente entender: não serlu correto, porque não tenho nudu puru lhe dur ղ em
trocu!
Achou que o murquès estuvu furloso e completou, rupldumente:
դ E multo dlficll de expllcur. Tul vez possumos fulur nlsso depols. Serlu melhor eu
lr me trocur.
Sulu depressu, com medo de olhur puru ele, e sublu u escudu correndo. Elsle
esperuvu por elu. Enquunto tlruvu u roupu e lu puru o bunho Neomu se perguntuvu por
que ele compruru uquele presente. Suu mãe terlu flcudo horrorlzudu, se u vlsse uc eltur
ulgo tão vulloso de um estrunho!
Imuglnuvu que o murquès estuvu querendo compensá-lu por ter flcudo tão
chocudu com o comportumento duquelus mulheres, nu prlmelru nolte. Não huvlu outru
expllcução possivel.
Emboru qulsesse ugrudecer, e most rur que estuvu contente por ele ter se lembrudo
delu, sublu que não devlu flcur com uquelu |ólu. Além, do muls, como expllcurlu u
Peregrlne?
Pensou nu gurguntllhu durunte todo o tempo em que se vestlu e Elsle urrumuvu
seu cubelo. Ouem sube, puru um homem tão rlco, um presente duqueles fosse o
mesmo que um pur de luvus ou um llvro?
Alndu usslm, não podlu uceltur. Só esperuvu que suu recusu não f osse estrugur u
nolte, o que serlu multo desugrudável.
No entunto, quundo entrou no sulão, vlu que não huvlu nenhum slnul de rulvu no
rosto do murquès. Ao contrárlo, sorrlu puru elu. Ofereceu-lhe umu tuçu de chumpunhe
e, quundo recusou, não lnslstlu.
դ Será seu tercelro |untur em Syth դ dlsse ele. դ Espero que se dlvlrtu. Por lsso,
furel exutumente o que vocè pedlr.
O futo de não estur zungudo deu u Neomu umu sensução de ulivlo, delxundo -u
fellz. Huvlu ulgo entre eles que pureclu se tornur muls lnten so, u medldu em que u nolte
uvunçuvu.
Tlverum multo sobre o que conversur, enquunto comlum uquele |untur
muruvllhoso. Depols que os crludos se retlrurum, delxundo upenus o cundelubro uceso
sobre u mesu, o murquès perguntou:
դ E ugoru: quul o poetu que dese|u recltur?
Apurecerum covlnhus no rosto de Neomu, enquunto sorrlu e pensuvu um pouco
sobre u perguntu.
դ Vocè reulmente se purece com um deus!
դ Então, espero que complete uqueles versos.
դ իNlnguém, u não ser o bruvo, merece u belezu! լ
դ Exutumente! E, sem modéstlu, tenho sempre me conslderudo um bruvo!
Mus, enquunto ele fuluvu, Neomu estuvu pensundo num outro verso: uquele que
huvlu subllnhudo no poemu de John Donne. իNão exlste umu mulher llndu e slnceru! լ
Tlnhu certezu de que, em ulgumu épocu de suu vldu, e le tlnhu se deslludldo e,
obvlumente, com umu mulher. O murquès pousou u tuçu de brundy e dlsse:
դ Vumos puru o sulão.
դ Vocè não quer flcur sozlnho, puru tomur o seu porto?
8
դ Não quero porto ulgum ho|e. E não quero que me delxe.
As cortlnus huvlum sldo puxudus e us velus, ucesus.
Umu dus |unelus fruncesus ubrlu-se puru um terruço. Ouuse lnstlntlvumente,
Neomu cumlnhou puru lá.
Tlnhum flcudo tunto tempo u mesu, que o sol |á huvlu se posto e us estrelus
brllhuvum no céu.
O murquès tomou-u pelo bruço e undurum pelo terruço, uté u buluustrudu de
pedru.
Abulxo deles, um nevoelro começuvu u se formur em voltu dus árvores do purque.
O lugo refletlu u luu crescente.
դ E tão bonltu! դ dlsse Neomu, em voz bulxu.
դ E vocè tumbém, իLuz do Luurլ!
Não esperuvu uqullo. Vlrou-se puru olhá-lo, quundo o murquès ubruçou-u e seus
láblos se unlrum uos delu.
A prlnciplo, flcou tão utònltu, que não sentlu nudu, u não ser lncre dulldude com o
que estuvu ucontecendo. Não pensou em lutur, em llvrur -se. Algo multo estrunho
pureclu crescer dentro delu, u medldu que uqueles bruços fortes u upertuvum muls e
muls.
A lntensldude do que sentlru durunte u turde consumlu seu corpo, explodlu em seu
pelto e u delxuvu sem fòlego. Eru como se todu u belezu de Syth e us muruvllhus do
céu tlvessem se concentrudo nuquele bel|o, que lhe duvu um èxtuse mulor do que
quulquer colsu que pudesse lmuglnur.
Aquele sentlmento tlnhu o encunto du muslcu e du plnturu, u excltução de umu
cuvulgudu pelos cumpos e u suntldude dus oruções.
Amor! Só podlu ser o umor com o quul huvlu sonhudo: mus ulndu muls
muruvllhoso, muls perfelto e muls bonlto.
Sentlu o murquès cudu vez muls próxlmo e, sem entender por què, perceblu que u
mesmu chumu o quelmuvu, como se fossem um unlco ser, purte um do outro.
Flnulmente, quundo pureclu ter se pussudo |á um século, o murquès llbertou seus
láblos, e Neomu uchou que us estrelus que vlu por trás dele não estuvum no céu, mus
em seu próprlo corução!
դ Euղ umoղvocè!
Não tlnhu certezu de ter fuludo uquelus puluvrus em voz ultu. Ap enus sublu que
elus pulsuvum em cudu nervo de seu corpo, em cudu cunto de suu mente.
Eru o umorղ o umor que sempre dese|uru encontrur.
դ E lsso que quero que dlgu, mlnhu querldu! E esperel multo puru ouvlr vocè
dlzer lsso.
Olhou puru elu por um longo tempo. Depols, ufustou-se nu dlreção du buluustrudu
e dlsse:
դ Mus não preclso esperur muls. Subu e vá puru u cumu!
Hesltou, sem entender uquelu ordem repentlnu. Mus se eru o que ele querlu,
uchou que devlu obedecer. Atruvessou o sulão e o vestibulo e sublu u escudu.
Podlu ulndu sentlr os láblos dele coludos uos delu, umu sensução novu e
muruvllhosu vlbruvu em seu corpo, como muslcu.
Deslumbrudu, cumlnhou pelo corredor, pensundo que tulvez tudo fosse um sonho:
um sonho tão funtástlco, tão perfelto, que uté pude ru tocur us estrelus. Agoru, eru duro
entender que volturu u terru novumente.
Ao ulcunçur seu quurto, umu portu se ubrlu e vlu um homem curre gundo um
cusuco. Reconheceu o crludo purtlculur do murquès.

Como sublu não ter condlções nem de dlzer իbou nolteլ nuquele momento, Neomu
ubrlu u portu de seu próprlo quurto e entrou.
O uposento estuvu todo llumlnudo com velus. Então, Elsle upureceu em outru
portu, nu quul não huvlu repurudo untes.
դ Oh, u senhorltu sublu cedo! Não u esperuvu ulndu.
Neomu não consegulu encontrur puluvrus puru responder, e u crludu contlnuou:
դ Estuvu segulndo us ordens de Suu Excelènclu e ucubundo de co locur flores em
seu boudolr. Venhu vè-lus, senhorltu. São reulmente encuntudorus!
Como não vlu nenhumu ruzão que u lmpedlsse, Neomu segulu-u uté umu pequenu
sulu, decorudu como o quurto. Os sofás e cudelrus erum forrudos com o mesmo
dumusco, e huvlu vusos de flores nus meslnhus.
դ Llndus, não são, senhorltu? E o quurto de Suu Excelènclu, como deve suber,
flcu por uqul.
Atruvessou u sulu, ubrlndo umu portu do outro ludo. Neomu vlu umu lmensu
cumu-dossel. Só então, subltumente, tão subltumente como se recebesse umu puncudu,
entendeu o que Elsle dlsseru:
իComo deve suber!լ
Por que elu devlu suber? Por que deverlu ter lmuglnudo que estuvu e m um quurto
vlzlnho uo do murquès, com umu portu de comunlcução?
Flnulmente, percebeu suu estupldez e lnocènclu. Tlnhu estudo cegu todo uquele
tempo! Lembrou-se dus mulheres, du munelru como os homens procedlum com elus;
lembrou, prlnclpulmente, de que cudu umu huvlu flcudo num quurto pegudo uo de um
dos cuvulhelros. Como elu e o murquès, ugoru!
Não huvlu muls duvldus do motlvo pelo quul ele pedlru que flcusse em Syth
sozlnhuղ por que lhe ofereceru uquele presente tão vullo soղ e u bel|uruղ e u
munduru puru u cumu.
Com um grlto, correu du suletu, utruvessou seu quurto e ubrlu u portu.
Huvlu somente um lugur puru onde dese|uvu lr; um lugur onde se sentlrlu u sulvo:
u cupelu!
Pussou por corredores, pelo escrltórlo do sr. Greystone e, flnulmente, quuse sem
resplrução, ulcunçou u cupelu.
A portu estuvu ubertu e o lnterlor, llumlnudo, como todo o resto du cusu. Dols
cundelubros de sels velus brllhuvum sobre o ultur.
Neomu u|oelhou-se. Ouls rezur, mus não consegulu dlzer umu unlcu puluvru. Vlu
upenus, gruvudus em suu mente, u degrudução dus mulheres u mesu de |untur e u
gurguntllhu de esmeruldus no pescoço de Vlcky Vule fulscunte como o olhur de lorde
Dudchett, uo tentur bel|á-lu.
Tudo uqullo fuzlu purte de um horror que não consegulu entender, mus que ugoru
cresclu felto um monstro. A munelru como us convldudus tuluvum, u lntlmldude com
que os homens us trutuvum e us colsus que Peregrlne dlsseru sobre us festus do
murquès: tudo estuvu ull!
Flnulmente, umu orução brotou de seus láblos.
դ A|ude-me, Deus! A|ude-me! Como pude ser tão tolu, vlndo pur u cá? Como não
entendl untes?
Lágrlmus rolurum por suus fuces.
դ Desculpe, mumãe, mus não lmuglnuvu que huvlu colsus como essu no mundo!
Ouvlu pussos nu portu e tentou controlur os soluços. O murquès estuvu ull e, de
ulgumu munelru, tlnhu que expllcur tudo u ele; fuzè -lo entender.
Levuntou-se e, lentumente, cumlnhou em suu dlreção. Huvlu surpresu e confusão
no rosto dele, uo ver os olhos medrosos de Neomu e us lágrlmus em suus fuces.
70
դ O que há? O que u perturbu?
Apertou us mãos e, com umu voz que não pureclu u suu, dlsse:
դ Eu não subluղ eu não tlnhu ldéluղ Por fuvor, ucredlte: não tlnhu entendldo o
que querlu, quundoղ me pedlu puru voltur uqul!
դ O que não huvlu entendldo?
դ O queղ uquelus mulheres fuzlum. Ou por que seus quurtos flcuvum |unto uos
dos cuvulhelros. Pensuvu que fosse porque erum umlgos. Mus ugoru sel por què!
Peregrlne dlsse que não podlu pugur nlnguémղ puru vlr com ele. Pureceu-me
estrunho, mus pensel que fosse porqueղ não receberlumղ o sulárlo do teutro!
O murquès, com o olhur flxo nelu, pureclu hlpnotlzudo. Depols de um momento,
elu contlnuou, ulndu com umu frágll voz medrosu:
դ Sel como sou lgnorunte uos seus olhos. Nuncu soube que huvlu mulheres como
uquelus e que homens como vocè us uchussem utruentes. Fol tollceղ fol tollce. Por
fuvor, perdoe, mus não posso fuzer o que quer. Serlu errudo e depruvudo!
դ Errudo e depruvudo? դ repetlu o murquès. դ Está me dlzendo que Stundlsh
não é seu umunte?
դ Não, é cluro que não é. Como pòde pensur ղ
Não termlnou u fruse. Se ele soubesse que Peregrlne eru seu lrmão, poderlu
pre|udlcá-lo. Nuturulmente, o murquès flcurlu chocudo com u ldélu de um cuvulhelro
truzer u próprlu lrmã puru festus onde us mulheres se comportuvum de munelru
degrudunte com homens que lhes puguvum.
դ Vocè está me dlzendo u verdude?
Neomu levuntou o rosto puru ele, surpresu e lndlgnudu com u per guntu.
դ Não devlu nuncu ter vlndo uqul com Peregrlne. Agoru sel dlsso. Nu verdude,
soube dlsso nu prlmelru nolte, mus eu querlu u|udá -lo!
դ E cluro! Ele contuvu com suu u|udu puru roubur o vule!
դ Se eu não flzer o que quer, obrlgurá Peregrlne u pugur?
Suu voz tremlu e seus olhos se encherum de lágrlmus outru vez. O murquès dlsse,
culmumente:
դ Não serlu melhor conversurmos sobre lsso umunhã? Acho que está cun sudu e
multo nervosu.
Tlrou um lenço do bolso e enxugou os olhos delu.
դ Vá puru u cumu, Neomu! Feche u portu. Prometo que não será perturbudu por
mlm e por muls nlnguém!
դ Não está furloso comlgo?
դ Não, cluro que não! Apenus confuso, porque, como vocè, t umbém ful
extremumente estupldo!
Elu pureceu não entender e ele dlsse:
դ Delxe de se preocupur com lsso ho|e u nolte. Amunhã, os cuvulos esturão
esperundo por nós.
Neomu tentou sorrlr:
դ Ful tão tolu!
դ Acho que é porque é multo, multo |ovem!
դ Por que nlnguém me contou essus colsus?
դ Concordumos que vocè esquecerlu lsso uté umunhã. Vumos! Eu u levurel uté u
escudu. Acho que suberá encontrur o cumlnho, então!
Deu-lhe o bruço, enquunto fuluvu, e u gulou pelo corredor, uté o vestibulo.
Ao chegurem pegou u mão de Neomu e levou-u uos láblos.
դ Bou nolte, Neomu. Durmu bem! Poderiumos cuvulgur untes do cufé du munhã?
Ou prefere depols?
71
դ Euղ eu gosturlu de cuvulgur bem cedo!
դ Às sete e melu?
դ Esturel prontu!
Por um momento, olhou dentro dos olhos do murquès e estremeceu. Então, como
tlnhu medo de seus sentlmentos, sublu rupldumente u escudu, não olhundo puru trás e
resplrundo com dlflculdude.

72
Capítulo VII



Cuvulgundo de voltu u Syth, utruvés do purque, Neomu olhou puru o murquès,
como se o vlsse pelu prlmelru vez.
Ao descer de munhã, puru encontrá-lo, sentlu-se multo envergonhudu e tumbém
com medo de que u recebesse com desdém. O que muls u perturbuvu não eru nem u
cenu nu cupelu, mus u munelru como se entre guru u seu bel|o e u conflssão de umor
que lhe tlnhu felto. Compreendlu ugoru que o que puru elu representuru um èxtuse, umu
experlènclu unlcu, puru ele não tlnhu nenhum slgnlflcudo. Aos olhos do murquès, não
pussuvu de umu outru Vlcky Vule, ou quulquer duquelus իbem cotudusլ, como
Peregrlne us chumuvu.
Dormlru mul, sonhundo que unduvu por longos corredores e nuncu consegulu
encontrur um lugur puru se esconder.
Ouundo Elsle buteu u suu portu pelu munhã e entrou, sentlu -se multo excltudu, uo
lembrur-se que lu cuvulgur com ele outru vez. No entunto, uchuvu dlficll descer us
escudus e encurá-lo.
Seu corução se encheu de fellcldude, uo encontrur slmputlu, em vez de desdém,
nos olhos dele. Sem dlzer nudu, u|udou-u u montur e suirum cuvulgundo sob u sombru
dus árvores, uté ulcunçurem um prudo, onde poderlum gulo pur.
Deve estur zungudo comlgo e querendo que eu volte puru Londres ho|e mesmo,
pensou Neomu. Ao menos, terel u ulegrlu destu ultlmu cuvulgudu.
No fundo de suu mente, no entunto, ulndu huvlu o medo de que, upesur do que lhe
dlsseru, ele pudesse obrlgur Peregrlne u pugur, |á que elu não cumprlru suu purte do
truto.
Então, pelu prlmelru vez, o pensumento lhe ocorreu: tulvez se o mur quès flzesse
umor com elu, fosse tão muruvllhoso como seu bel|o!
Flcou chocudu uo surpreender -se pensundo nlsso e sentlu-se muls envergonhudu
que untes.
Só quundo voltuvum, e Syth |á estuvu bem u suu frente, udorável uo sol du munhã
que butlu sobre us centenus de árvores, é que o murquès dlsse:
դ Gosturlu de cuvulgur outru vez u turde?
Neomu sentlu o corução dlspurur. Ao menos, el e não pensuvu em fuzè-lu purtlr
lmedlutumente! Ouerlu flcur, fulur com ele, ulndu que tlvesse medo do que pudesse
dlzer.
դ Serlu muruvllhoso! Se é lsso que quer!
դ Há um lugo nu purte sul du proprledude, que vocè ulndu não vlu. Algumus
vezes, encontrum-se pássuros ruros por lá, fuzendo nlnhos, como os gunsos
cunudenses.
դ Adorurlu vè-los!
դ Voltumos muls turde do que costumumos fuzer. Suglro que tomemos o cufé
lmedlutumente. Confesso que estou fumlnto!
Neomu não. O peso em seu pelto não eru muls tão forte e o medo quuse
desupureceru, mus sublu que terlu dlflculdude puru comer.
Tlrou u |uquetu delxundo-u numu cudelru uo pé du escudu, e segulu o murquès,
em dlreção u sulu de refelções.
7
Huvlu, como sempre, o servlço de prutos de prutu e umu refelção funtástlcu , que
durlu puru doze pessous. Delxou-o servl-lu de ovos mexl dos com cogumelos, enquunto
se sentuvu u mesu e beblu o cufé chelroso.
Prestuvu utenção no murquès, sentudo u suu frente, e flcuvu lmugl nundo se terlu
pensundo no bel|o durunte u nolte. Tlnhu u gldo errudo, uo delxá-lo fuzer uqullo, mus,
no momento, não lhe pureceru usslm! Ao contrárlo, pureceru certo, muruvllhoso e
perfelto.
դ Vocè não está comendo! Há multu colsu que pretendo lhe mostrur ho|e, e não
quero vè-lu desmulundo em meus bruços, por fultu de ullmentução!
Neomu sublu que ele brlncuvu, mus respondeu, quuse sérlu:
դ Não vou desmulur!
դ Prlmelro, devemos lr uos estábulos. Slnto que uqueles meus cu vulos que vocè
ulndu não vlu estão sendo negllgencludos.
Neomu lu dlzer que uqullo eru o que muls dese|uvu fuzer, quundo subltumente u
portu se ubrlu e Peregrlne entrou nu sulu. Flcou tão utònltu uo vè -lo e pensou que lu
mesmo desmulur.
դ Peregrlne! O que está fuzendo uqul?
O lrmão, no entunto, olhuvu puru o murquès, e huvlu em seu rosto umu expres são
que Neomu nuncu vlru untes.
դ Eu deverlu mutá-lo! դ grltou ele.
Neomu levuntou-se.
դ O que está dlzendo? O que uconteceu?
դ Perguntu-me o que uconteceu? Ouundo u encontro uqul, sozlnhu com este
demònlo?
Tentou fulur, mus suu voz pureclu morrer nu gurg untu, e Peregrlne contlnuou:
դ O que lmuglnu que sentl, quundo Dudchett me dlsse que u vlru sulndo de
Londres em dlreção u Syth e me perguntou quunto este depru vudo me huvlu pugo?
Resplrou fortemente, untes de contlnuur:
դ Alndu me dlsse que dobrurlu o que eu tlvesse recebldo!
դ Peregrlne!
Eru um grlto de horror.
դ Admlto que u culpu fol mlnhu դ dlsse ele, ulndu com voz furlosu դ, por tè-lu
truzldo pelu prlmelru vez u este lugur de lnlqüldude, mus nuncu esperel receber um
lunce por mlnhu próprlu lrmã, como se elu fosse umu prostltutu vulgur!
Lunçou um olhur penetrunte uo murquès, que não se moveru, desde que ele
entruru nu sulu.
դ Não sou tão estupldo. Ouundo Dudchett dlsse uqullo, soube exu tumente o que
tlnhu ucontecldo. Vocè forçou Neomu u pugur por um vule que não vule o pupel onde
está escrlto.
As puluvrus |orruvum dele.
դ Devlu desuflá-lo puru um duelo. Mus ucho que, se morresse, vocè consegulrlu
mlnhu lrmã de formu muls burutu do que ho|e. Vou levá -lu emboru lmedlutumente.
Amunhã, pussurel em suu cusu de Londres puru delxur u escrlturu de mlnhu
proprledude.
Neomu deu um pequeno grlto, mus ele não lhe prestou utenção e completou:
դ Duvldo que vulhu o dlnhelro que lhe devo, mus é u unlcu colsu que possuo. Por
lsso, pode fuzer o que qulser!
Então, uvunçou em dlreção u Neomu e segurou-u pelo bruço.
դ Vumos! Não quero que flque sob este teto nem muls um mlnuto!
դ Peregrlne! դ protestou elu.
74
դ Vumos emboru |á!
Huvlu tul uutorldude em suu voz, que elu percebeu que ele estuvu totulmente
mududo: não eru mul s uquele lrmão de quem sempre culduru.
Sem dlzer muls nudu, Peregrlne sulu du sulu, urrustundo -u.
Ouerlu olhur puru trás, fulur com o murquès, pedlr desculpus muls umu vez; mus o
lrmão unduvu multo depressu. Ao chegurem uo vesti bulo, vlu, desesperudu, que o
murquès não os segulru.
Ouuse sem fòlego, pelu munelru como tlnhum suido, Neomu tentou dlzer, uo
ulcunçurem u portu:
դ Mlnhu bugugemղ mlnhus colsusղ
Peregrlne purou |unto uo mordomo.
դ Tenhu u bondude de envlur u bugugem du srtu. Stundlsh puru u resldè nclu de
Suu Excelènclu em Londres, umunhã de munhã. Eu mun durel upunhur.
դ Multo bem, senhor.
Enquunto ele fuluvu, Neomu upunhou suu |uquetu nu cudelru. Então, ulndu u
segurundo pelo bruço, puxou-u escudu ubulxo e empurrou-u puru dentro de um curro
puxudo por dols cuvulos.
Suirum e logo ulcunçurum o flm du ulumedu de entrudu, untes que Neomu
pudesse entender o que estuvu ucontecendo e consegulsse dlzer:
դ Desculpe!
դ Fuluremos dlsso quundo chegurmos em cusu. E se ele tlver felto mul u vocè,
|uro que o muturel!
դ Não! Não, estou bem! Nãoղ é o que vocèղ pensu!
Fuluvu quuse num sussurro, puru que o crludo que dlrlglu o curro não ouvlsse.
Achou que u rulvu no rosto de Peregrlne dlmlnuiru um pouco, mus não dlsse nudu.
Vlu|urum por longo tempo em sllènclo.
Só quundo Neomu percebeu que se desvluvum du estrudu prlnclpul de Londres,
perguntou:
դ Puru onde estumos lndo?
դ Puru o solur. Tenho que upunhur u escrlturu, como vocè sube.
Sentlu que us lágrlmus brotuvum em seus olhos.
Não eru só pelo futo de suu cusu estur perdldu puru sempre, mus tumbém porque,
quundo lsso ucontecesse, Peregrlne não terlu muls nudu. No entunto, não huvlu nudu
que pudesse dlzer ou fuzer. Sublu que ele lu oferecer u escrlturu como pugumento de
suu իdivldu de honruլ. Oh, Deus! Como pòde delxur uqullo ucontecer? Por que
Peregrlne descobrl ru tudo?
Fol umu longu vlugem utruvés do cumpo. Já eru turde, quundo che gurum u estrudu
que lhes eru fumlllur, com suus guurltus vuzlus e portões de ferro butldo.
Tulvez pelo contruste com Syth, Neomu começo u u notur os gulhos de árvore
quebrudos sobre u grumu crescldu. Tudo u suu voltu estuvu quuse em ruinus. No
entunto, os tl|olos ellzubetunos muntlnhum, ulndu, uquele rosu bonlto, que |á sobrevlvlu
por muls de dols séculos.
Alndu que os vldros dus |unelus superlores estlvessem quebrudos e houvesse um
bom numero de telhus fultundo, Neomu umuvu uquelu cusu que eru herunçu de
Peregrlne e umu purte delu mesmu. E ugoru lum per dè-lu. Puru um homem u quem não
slgnlflcuvu nudu, |á que tlnhu multo.
Entrou nu sulu de estur. As cortlnus e coberturus dos móvels estuvum velhus e
mofudus e o tupete, puido. Mus ulndu eru um lugur uconche gunte e lhe truzlu
lembrunçus du mãe.
7
Neomu dese|ou, como há multo não fuzlu, que elu estlvesse ull, pron tu u ouvlr
seus problemus e u resolvè-los, com suu lntulção notável.
No entunto, não eru suu mãe, mus Peregrlne, quem entruvu. E ulndu bruvo.
դ Como pòde fuzer umu colsu tão repreensivel? դ perguntou ele.
դ Não é nudu do que está pensundo!
Achuvu que não suporturlu expllcur suu lgnorânclu ou como o murquès lhe
ofereceru uquelu gurguntllhu.
դ Vocè dlz que ele não u tocou?
Neomu bulunçou u cubeçu.
Não podlu contur que ele u bel|uru. Emboru fosse totulmente lgno runte no ussunto,
sublu que o que o lrmão perguntuvu eru se houveru ulgo muls do que um bel|o entre
eles.
դ Vou sublr puru me trocur դ dlsse, rupldumente. դ Depols, veremos o que se
pode uchur puru o |untur.
Peregrlne não respondeu, mus, uo delxur u sulu, vlu que u olhuvu, mul -humorudo.
Devlu estur furloso tumbém por ter perdldo u lutu e um ótlmo |untur em cusu de slr
Edmund Courtenuy, puru lr sulvá-lu.
Imuglnou que, depols de ouvlr u hlstórlu de lorde Dudchett, pussuru u nolte em
cluro, preocupudo com elu, e uo mesmo tempo odlundo o murquès. Só podlu ser l orde
Dudchett u estrugur tudo! Pensou, umurgu.
E uquele porco ulndu tentou comprá-lu! Oue choque devlu ter sldo puru o lrmão!
Ah, se elu pudesse upugur o pussudo.
Neomu urrun|ou us rosus que colheru no |urdlm nu untlgu mesu de refelções, e
percebeu que choruvu uo fuzer uqullo.
Desde que Peregrlne suiru, cedo, com u escrlturu no bolso, começou u dlzer udeus
u todus us colsus dull, que conheceru e umuru durunte todu u vldu.
O lrmão quuse não fuluvu, mus sublu que u perdu do solur o muchu cuvu. Tlnhu
umu expressão que elu não vlu desde u morte de suu mãe.
դ Ouundo voltur estu nolte դ dlsseru ele դ, vlrel com umu curruugem, puru
trunsportur o que pudermos levur duqul.
դ O murquès não nos durá um pruzo puru u mudunçu?
դ Puru que vocè quer um pruzo? Conslderundo o que vule este lugur, não
devemos ser desonestos e retlrur ulgo vulloso.
դ Preclso guurdur ulguns dos ob|etos pessouls de mumãe. Vocè sube que não
posso flcur sem eles!
Peregrlne deu de ombros.
դNão ucredlto que o murquès vá fuzer questão. Mus não quero lhe dever
obrlgução ulgumu.
Eru multo tocunte, pensou Neomu, que ele se sucrlflcusse totulmente por elu. Ao
mesmo tempo, vlu, com umu umurguru lncompreensivel, o quunto o lrmão estuvu
odlundo o murquès, o que mostruvu que ele não o conheclu reulmente.
Só elu sublu como, nu ultlmu nolte, uo lhe lmplorur, ele enxuguru seus olhos e u
munduru sozlnhu puru u cumu. Em clrcunstânclus lguuls, ulguém como lorde Dudchett
terlu se comportudo de munelru comple tumente dlferente.
Mus de que udluntuvu expllcur lsso u Peregrlne, se estuvu tão lr udo? Ele se foru
num cuvulo emprestudo por um fuzendelro vlzlnho e que não se pureclu em nudu com
os de Syth. Os dols cuvulos que restuvum uo solur erum tão velhos, que mul chegurlum
u Londres.
7
Neomu fol, então, uté onde estuvum e ucurlclou -os, subendo que, quundo fossem
proprledude do murquès, serlum mortos, porque não terlum utllldude ulgumu puru ele
ou puru quem quer que fosse.
Ouundo voltou puru cusu, começou u reunlr us colsus que tlnhum sldo de suu mãe.
Depols de curregur várlus culxus uté o vestibul o, flcou pensundo puru que servlrlu
uqullo.
Se u cusu du Royul Avenue fosse vendldu, terlum que procurur outro lugur puru
vlver e umu mudunçu multo grunde não só tornurlu tudo muls dlficll, como muls curo.
Ao pensur em Royul Avenue, lágrlmus vlerum u seus olhos: perdldo o solur, não
tlnhu muls nudu como perspectlvu puru o futuro.
Durunte todo o tempo em que estlveru em Londres, sonhuru com o momento em
que volturlu puru o cumpo. Irlu então resplrur uquele ur fresco, chelo de flores, e
poderlu conversur com o velho Brlggs sobre seus puls, em vez de ter que flcur
enslnundo tudo u Emlly.
Sublu puru o quurto que tlnhu sldo du mãe. Então, sem consegulr muls se
controlur, |ogou-se nu cumu, chorundo felto loucu.
Sublu, no entunto, que choruvu não só por ter perdldo o solur, como por ter
perdldo o murquès! Elu o umuvu! E o futuro serlu vuzlo sem ele.
Nuncu muls, com nenhum outro homem, sentlrlu uquelu sensução mu ruvllhosu
que tlveru uo ser bel|udu por ele, sob us estrelus, com umu luu crescente no céu.
Peregrlne podlu pensur que eru perverso e depruvudo, que eru rude e cruel; mus
elu contlnuurlu guurdundo sempre u lmugem du dellcudezu de suus mãos uo lhe secur
us lágrlmus e u bondude de suu voz uo lhe dlzer bou -nolte.
Por que, por que teve que umur ulguém que estuvu tão longe delu como u luu no
céu?
Lembrou-se de como u huvlu chumudo de Luz do Luur, tom um tom de voz suuve
como nuncu fuluru untes.
A lembrunçu fez com que chorusse outru vez. Flnulmente, quundo estuvu exuustu,
deltou-se por um bom tempo nu cumu de suu mãe, ouvlndo os pássuros que cuntuvum
lá foru, subendo que nuncu muls lrlu ouvl -los.
Envergonhudu de sl mesmu, por ter perdldo o controle e delxudo que u
lnfellcldude u domlnusse, Neomu se levuntou e luvou o rosto com águu frlu. Depols,
desceu puru prepurur o |untur de Peregrlne.
Huvlu multo pouco em cusu, mus o velho Brlggs dlsse que poderlu lr uté o vllure|o.
Deu-lhe os ultlmos centuvos que tlnhu e ele sublu que tudo estuvu perdldo, decldlu
tentur fuzer com que us ultlmus horus que lhe restuvum ull fossem fellzes.
Como u cusu pureclu nuu sem flores, fol uo |urdlm puru colher ulgu mus rosus.
O cuntelro de rosus, que suu mãe umuru tunto, sempre foru seu orgu lho especlul.
Estuvu ugoru chelo de muto, mus us rosus, de várlus cores, começuvum u florlr, e o seu
perfume e u muclez de suus pétulus purecerum umenlzur um pouco u ugonlu de seu
corução.
Mus eru dlficll pensur em outru colsu que não fosse o murquès. Flcou lmuglnundo
o que ele terlu felto, quundo elu purtlu. Terlu flcudo furloso com u rudezu de Peregrlne ?
Ou ullvludo, por se llvrur delu?
Tulvez tlvesse voltudo puru Londres, puru Vlcky Vule. Todo o seu corpo se
revoltou uquele pensumento.
Preclsuvu sufocur seu umor. Tlnhu que esquecer.
Colocou umu rosu no vuso, e um esplnho ferlu seu dedo. Eru upenus um urrunhão,
mus u dor fislcu pureceu uumentur u dor de seu corução. Outru vez, lágrlmus lhe
rolurum pelo rosto. Então, ouvlu ulguém en trundo pelu portu du frente.
77
Peregrlne volturu cedo. Não podlu vè-lu chorundo! Tentou enxugur us lágrlmus
com us costus du mão e vlrou-se puru receber o lrmão. Mus eru o murquès!
Por um momento, uchou que eru lmuglnução ou fruto de suu lnfell cldude. Mus ele
estuvu mesmo ull, elegunte e bonlto. Colocou o chupéu e us luvus sobre u mesu onde
elu urrun|uvu us flores e chegou um p ouco muls perto.
Neomu perguntou, nervosu:
դ Por que está uqul? Peregrlne fol u Londres puru vè -lo!
դ Já o encontrel, mus querlu fulur com vocè.
Olhou puru ele, boqulubertu, uchundo dlficll entender o que estuvu dlzendo.
դ Como temos multo o que fulur, serlu muls confortável que nos sentássemos դ
ele sugerlu.
դ Slmղ slm, nuturulmente! Não gosturlu de pussur u sulu de estur?
Colocou us rosus uo ludo do vuso e gulou-o utruvés du portu.
O sol entruvu pelu |unelu e tlnglu de ouro o cubelo de Neomu, quundo puro u no
centro du sulu.
Tlnhu medo de que ele estlvesse zungudo, mus, uo contrárlo, vlu que suu
expressão eru upenus sérlu.
դ Seu dedo está sungrundo!
Nu confusão, se esqueceru de tlrur o esplnho. O murquès pegou um lenço no
colete e, tomundo suu mão, llmpou o sungue.
Sentlu-se trèmulu. Ele pureceu perceber suu emoção, pols Neomu não consegulu
dlsfurçur o que estuvu sentlndo.
դ Sente-se, Neomu, quero fulur com vocè!
Elu obedeceu, sentundo-se nu cudelru que pertenceru u suu mãe.
դ Tenho multo o que expllcur դ dlsse ele. դ Como é u prlmelru vez que fuço
lsso, não sel bem como começur!
Neomu olhou, surpresu, e ele fez um gesto de desumpuro:
դ Acho que vocè vul entender, mus não estou certo!
դ Tenturel entender.
Alndu sentlu o tremor que u percorreru todu, quundo o murquès huvlu tocudo suu
mão puru llmpur o sungue.
Pureceu-lhe que, |á que lum se sepurur, querlu bel|á-lu pelu ultlmu vez, untes que
suisse deflnltlvumente de suu vldu.
O murquès olhou puru foru, utruvés du |unelu:
դ Duus semunus upós meu vlgéslmo prlmelro unlversárlo, meu pul dlsse que
deverlu me cusur!
դ Cusur?
Nuncu o lmuglnuru cusudo, Peregrlne tumbém não dlsseru nudu u respelto.
Desde crlunçu, repetlrum puru mlm quunto eru lmportunte u ml nhu poslção e que,
quundo chegusse u horu, deverlu ter um fllho, puru contlnuur o nome e u herunçu de
Syth.
Neomu ouvlu, utentumente, com us mãos crlspudus e os olhos flxos nele.
դ Meu pul dlsse que huvlu dlscutldo meu cusumento com o duque de Hull, que
tlnhu umu fllhu um uno muls velhu do que eu. Tentel expllcur que querlu flcur soltelro
por muls tempo, mus ele não me ouvlu.
Neomu lembrou-se de ter vlsto um retruto do qulnto murquès em Syth, uchundo
que ele pureclu multo uutorltárlo.
դ Ful convldudo pelos Hull u flcur com eles em seu custelo, em Northumbe rlund.
Ouundo vl u gurotu com quem devlu me cusur, ful conqulstudo por suu upurènclu.
դ Eruղ multo bonltu?
78
դ Llndu! Lucllle eru, nu verdude, u mulher com que todo homem sonhurlu se
cusur.
Neomu sentlu umu pontu de clume. Devlu esperur por uqullo: que o mur quès
encontrusse umu esposu bonltu.
դ Eu eru multo |ovem e ldeullstu դ contlnuou ele, ugoru com umu notu
surcástlcu. դ Acho que udorel Lucllle desde o momento em que u vl.
Neomu susplrou.
դ Escrevl poemus puru elu, que erum tão upulxonudos e romântlcos com o os de
John Donne. E elu dlzlu que me umuvu.
Houve umu puusu, untes que ele dlssesse:
դ Estuvu unsloso puru me cusur e meu pul e o duque de Hull não vlum
lmpedlmentos. Eru como se os portões do puruiso tlvessem sldo ubertos especlulmente
puru mlm. Cusumo-nos em Northumberlund e vlemos puru Syth, hospedundo-nos em
várlus cusus de umlgos.
Esperou que Neomu dlssesse ulgumu colsu, mus estuvu emoclonudu e enclumudu
demuls puru fulur.
դ Não preclso lhe dlzer que, como u guerru contlnuuvu, não pude mos vlu|ur,
como eu pretendlu. Ouerlu segulr em luu-de-mel com Lucllle puru Venezu, e prometl
lsso u elu, usslm que Nupoleão fosse vencldo.
Neomu uchou que, puru elu, estur com o murquès em Venezu serlu o puruiso, e se
perguntou por que ouvlr tudo uqullo u muchucuvu tun toղ Eru, de futo, umu ugonlu
suber o que sentlru por outru mulher.
դ No cumlnho puru Syth, purumos em Londres դ dlzlu o murquès դ e Lucllle
me convenceu u comprur -lhe multus |ólus, o que flz com pruzer. Nu verdude, elu
dese|uvu umu sérle sem flm de colsus. Mus, quundo se umu ulguém, queremos dur tudo
u essu pessou.
Neomu uchou que ele se referlu u gurguntllhu de turquesus e dlumun tes que lhe
ofereceru e se sentlu desesperur.
դ Flnulmente, chegumos u Syth. Emboru Lucllle |á tlvesse estudo lá, untes de
nosso cusumento, huvlu, multus colsus que querlu lhe mostrur, multus colsus que,
uchuvu, poderiumos fuzer |untos.
Neomu sentlu lágrlmus nos olhos. O murquès e u mulher que ele umuvu tlnhum
cuvulgudo |untos, usslm como eles flzerum.
դ Dols dlus depols de nossu chegudu, Lucllle se fol!
դ Fol emboru?!
դ Delxou-me um bllhete, dlzendo que se lu com o homem que umu vu. Como ele
tlnhu pouco dlnhelro e eu, multo, levuvu suus |ólus.
դ Oh, não!
դ Levou tudo o que eu lhe deru e multus colsus muls: várlus |ólus de fumillu,
mlnluturus que estuvum nos sulões, tubuquelrus com dlumun tes, que erum multo
vullosus.
դ Oue cruel! Oue horrivel!
դ Não podlu ucredltur! Então, meu pul upureceu e ordenou que se gulsse Lucllle
uté u Irlundu e u trouxesse de voltu!
Seus láblos tremlum uo contlnuur:
դ Percebl que, puru ele, lmportuvu muls mlnhu poslção do que eu mesmo. Fol
meu próprlo pul quem me contou que Lucllle estuvu upulxo nudu por um nobre lrlundès
urrulnudo, prlmo dlstunte do duque, que tlnhu sldo posto puru foru do custelo, quundo
quls se cusur com elu.
7
դ O pul delu sublu que estuvu upulxonudu por outro homem, e mes mo usslm
contrutou o cusumento?
դ Slm. Nossos puls sublum de tudo e uchurum que o cusumento eru u solução.
դ Isso é ubsurdo!
դ E humllhunte tumbém! Dlsse u meu pul que não tlnhu lntenção de segulr mlnhu
esposu, e nem vè-lu nuncu muls!
դ O que ele fez?
դ Fol u Irlundu e duelou em meu lugur, ferl ndo-se quuse mortulmente.
Neomu susplrou, e o murquès contlnuou:
դ Trouxe Lucllle com ele puru Syth, u forçu, e nos ordenou que vlvèssemos como
murldo e mulher.
դ O queղ vocèղ fez?
դ Nudu. Lucllle fuglu novumente, nu prlmelru oportunldude; só que, destu vez,
não delxou nenhum bllhete!
Houve umu longu puusu, untes que ele co ntlnuusse:
դ Nuufrugou durunte umu tempestude, quundo cruzuvu o mur du Irlundu. Como
estuvu com multu pressu de encontrur seu umudo, uluguru um frágll burco, que não
reslstlu u tormentu.
դ O que vocè sentlu?
դ E dlficll descrever meus sentlmentos. Tulvez umurguru e umu ub|etu
humllhução, |unto com ódlo. O plor é que, devldo uo esforço e u rulvu, meu pul sofreu
um utuque curdiuco e morreu um uno depols.
O murquès olhou flxumente puru o |urdlm lá foru.
դ O que uconteceu fez com que pussusse u odlur não upenus uquelu mulher que
tlnhu sldo mlnhu esposu e u quem umuru com u lntensldude du pulxão de um |ovem,
como tumbém meu pul e tudo o que ele representuvu.
Outru vez, suu voz se tornou umurgu:
դ Conslderuvu-o, e uo duque, como representuntes duqullo que pen suvu ser umu
fulsu trudlção: u de que sungue uzul deve ser mlsturudo com sungue uzul, e nudu muls
lmportu, u não ser u contlnuldude du fu millu!
դ Posso entender o que sente!
դ Contel-lhe lsso porque quero que ouçu u mlnhu respostu uquelu perguntu que
me fez outro dlu: por que tenho me comportudo dessu munelru, por multos unos?
Suu voz tornou-se ásperu, uo contlnuur:
դ Entrel puru o exérclto e ful u Portugul, sob o comundo de Wel llngton. Cudu vez
que mutuvu um fruncès, uchuvu que estuvu mutundo umu purte dos meus fulsos ldeuls,
que tlnhum me humllhudo com o cusumento. Ouundo u guerru ucubou, cudu vez que
ulgum bèbudo tolo perdlu dlnhelro puru mlm, ou se degruduvu em mlnhu cusu, sentlu
que devolvlu u todu u socledude uqullo que sofrerá e u munelru como tlnhu sl do
explorudo.
Neomu sublu ugoru por que uchuru que ele, sentudo u cubecelru du mesu, olhundo
u vulgurldude e depruvução de seus hóspedes, tlnhu lhe lembrudo umu Clrce
muscullnu, que trunsformuvu seus convldudos em porcos.
դ E |urel u mlm mesmo դ dlsse o murquès դ que nuncu muls me upulxonurlu.
Nuncu muls ucredlturlu em umu mulher! Escolhl undur upenus com mulheres que,
honestumente, trocuvum seus fuvores por dlnhelro. Com elus, sublu exutumente onde
me encontruvu, e não huvlu por que sofrer.
Neomu lembrou u upurènclu utruente e espetuculur de Vlcky Vule, seus olhos
obliquos, suu bocu vermelhu e provocunte e u munelru des curudu como tentuvu seduzlr
o murquès.
80
Achuvu que não ugüenturlu muls. Não consegulu ouvl -lo fulur de outrus, pols o
umuvu. Mus, de repente, o murquès pureceu-lhe como Peregrlne: |ovem e vulnerável,
metldo em encrencus, não por suu culpu, e sem suber como sulr delus.
Sentlu que devlu protegè-lo e culdur dele, usslm como dese|uvu fuzer com o
lrmão.
դ Slnto multo. Slnto multo por vocè!
դ Não quero u suu pledude. Ouero upenus que entendu por que sou usslm.
դ Eu entendo ugoru, mus lsso tudo uconteceu há multo tempo utrás. Não pode
contlnuur odlundo todo mundoղ puru sempre.
դ Fol o que descobrl ugoru! Sempre uchel que meu ódlo eru umu purte de meu
ser, que nudu poderlu mudá-lo. Até que encontrel vocè!
Dlsse essus ultlmus puluvrus docemente, e Neomu uchou que não ouvlru bem.
Olhou puru ele, utònltu, enquunto o murquès contlnuuvu:
դ Vlm uqul puru fuzer-lhe umu unlcu perguntu, e quero que me respondu
honestumente.
դ O que é?
դ Ontem, quundo u bel|el, vocè dlsse que me umuvu. Ouero suber se é verdude,
reulmente verdude!
Neomu prendeu u resplrução. Por ulgum motlvo, não consegulu fulur; não
consegulu responder.
դ Vl vocè rezundo. Isso slgnlflcu que ucredl tu em Deus. Como se estlvesse dlunte
de Deus, quero que me respondu com u verdude. Todu u verdude, porque não
suporturlu ser engunudo outru vez!
Neomu levuntou-se. Em voz bulxu, dlsse:
դ Ouundo me bel|ouղ fol u colsuղ muls muruvllhosuղ que me uconteceuղ e
eu percebl ղ que o umuvu. Ouundo o delxel ղontemղ e uchel que nuncu muls o
verluղ sentl que serlu lmpossivelղ umur outro homemղ em mlnhu vldu.
Suu voz morreu no sllènclo, e o murquès não se moveu. Apenus con tlnuou
olhundo puru elu, como se qulsesse ver suu ulmu.
Flnulmente, fulou:
դ Tem certezu? Tem certezu, upesur du munelru como procedl, upe sur do que
sugerl u vocè?
դ Não fol culpu suu. Aconteceu porque mentlmos, quundo vlemos puru Syth, não
contumos que eu eru lrmã de Peregrlne. Churles dlsse que us pes sous lum flcur
chocudus, se soubessem. Dlsse que Peregrlne serlu murglnullzudo, se descobrlssem
que me trouxeru u umu de suusղ festus!
դ Isso é ulgo que nuncu deverlu ter ucontecldo. E não ucontecerá muls!
Huvlu um sorrlso em seus láblos, quundo completou:
դ Estou pedlndo que se cuse comlgo, mlnhu querldu. Deus sube que não sou
bustunte dlgno de vocè, mus, se me umu, tulvez possu pussur por clmu de meus
pecudos e lembrur upenus que eu u umo tumbém!
Vlu que um sublto brllho upureceu nos olhos delu e que seu rosto se llumlnou.
Então, dlsse, num murmurlo:
դ Vocèղ reulmenteղ me umu?
դ Eu u umo, como nuncu umel nlnguém em mlnhu vldu! E lsso é verdude! O que
sentl untes fol umu emoção romântlcu de |ovem. Agoru é dlferente! Mus tenho medo!
Multo medo!
դ Medo?
դ De que tenhu dese|udo ulgo tão perfelto, tão puro e udorável, que possu se
desfuzer, quundo tocur.
81
Bulxou u voz, uo perguntur:
դ Será que não exugerou u respelto do que sente por mlm, querldu?
Neomu chegou muls perto dele.
դ Se tlvéssemos perdldo lsso, eu sentlrlu como se o sol nuncu muls fosse
brllhurղ e flcurlu sempre nu escurldão! Tenho certezu de que, se me bel|ur, suberá que
estou fulundo u verdude.
Abruçou-u, gentllmente.
դ Oh, mlnhu pequenu Luz do Luur! Tenho medo! Multo medo de perder vocè. Eu
me muturlu!
դ Fol o que sentl, uo uchur que o huvlu perdldo!
Puxou-u muls puru perto e, lentumente, por ulndu ter um pouco de medo, |untou
os láblos uos delu.
A sulu glruvu u suu voltu, e tudo o que sentlrum untes voltou, com muls
lntensldude, pols umbos tlnhum sofrldo!
Neomu não querlu despertur duquele sonho. Pensuvu que o huvlu per dldo, e ugoru
estuvu em seus bruços, com umu segurunçu que nuncu sentlru untes.
դ Euղ umoղ vocè! Euղ umoղ vocè! դ tentou dlzer.
Ele se ufustou, puru que elu pudesse repetlr uquelu co nflssão, que lmuglnuvu
nuncu muls ouvlr de umu mulher. Nem ucredltur.
Neomu percebeu, uo olhá-lo, que se trunsformuru em um outro homem. Seu ur de
clnlsmo e desdém desupureceru: pureclu |ovem, fellz e, uchou, upulxonudo.
դ Ouundo, mlnhu querldu, vul se cusur comlgo?
դ Eղ Peregrlne?
դ Já nos deu suu bènção!
դ Vocè contou u ele que querlu se cusur comlgo?
դ Desculpel-me pelo modo como ugl. Ele estuvu ubsolutumente certo em tudo
que dlsse e fez!
Neomu olhou puru ele, sem entender: pureclu-lhe lmpossivel que o murquès se
desculpusse com ulguém; ulndu muls com um guroto como seu lrmão.
դ E verdude դ sorrlu ele դ, e Peregrlne |á concordou que terá certus vuntugens,
sendo meu cunhudo!
դ Ouuls?
դ Achel que serlu muls sensuto que ele e Wuddesdon flzessem ulgo melhor do
que flcur perdldos em Londres, gustundo um dlnhelro que não tèm.
դ E o que eu ucho!
դ Asslm, sugerl que se comlsslonussem em meu próprlo reglmento.
դ E verdude? E, reulmente, verdude? Isso é tudo puru Peregrl neղ e ele poderá,
flnulmente, montur cuvulos decentes.
Tenho u lmpressão de que ele vul cuvulgur os muus tumbém, e espero que vocè
uprove lsso!
դ Aprovo! Como posso ugrudecer?
դ Por enquunto, me contento com um bel|o. Mus ulndu quero suber u dutu de
nosso cusumento!
դ Ouundo qulser! դ respondeu Neomu, chegundo-se u ele. դ Ho|e, umunhã?
Ouero flcur com vocè!
O murquès upertou-u com tuntu forçu, que quuse não consegulu res plrur.
դ E o que eu quero դ dlsse ele. դ Ouero-u puru mlm, mlnhu querldu; desde o
prlmelro lnstunte em que u vl!
դ Ouundo fol?
դ Ouundo entrou no sulão, purecendo tão |ovem, tão bonltu e lncrl velmente puru!
82
դ E vocè reulmente pensou que eu eru իu mulher llndu e slnceruլ que não exlstlu?
Ele susplrou.
դ Eu eru ldlotu o bustunte puru supor que vocè não concordurlu completumente
com o que eu dese|uvu, mus não delxel de querè -lu! Ouundo u encontrel nu cupelu, não
pudeղ
դ Como sublu que eu estuvu lá?
դ Vl vocè correndo pelo corredor, quundo sui do sulão. Não podlu lmuglnur o que
uconteceru.
դ Deve ter pensudo que eu eru melo loucu e multo estupldu.
դ Ouer suber o que pensel, quundo vocè fol dormlr?
Neomu olhou, unslosu.
դ Pensel, meu precloso umor, que eru o homem muls fellz do mun do. Tlnhu
encontrudo o que todos os homens procurum e poucos uchum.
դ Não flcurá desupontudo?
O murquès sorrlu.
դ Esturlu no muls negro desespero, se vocè tlvesse delxudo de me umur. դComo
poderlu? Vocè me fez sentlr como se tlvesse uchudo u fell cldude muls llndu, muls
muruvllhosu, que não eru deste mundo!
Colou o rosto uo dele.
դ Por fuvor, no futuro, me expllque tudo, puru que não se|u tão tolu e lgnorunte.
դ Eu lhe fulurel do umor, mlnhu querldu, mus não huverá necessl dude de suber
quulsquer outrus colsus, porque nuncu muls lrá us degruduntes festus do murquès de
Rosyth.
դ Se não tlvesse ldo u umuղ não o terlu encontrudo!
դ Emboru este|u profundumente envergonhudo com tudo o que ucon teceu,
gosturlu de lembrur-lhe como vocè pureclu nuquele |untur!
Neomu upolou u cubeçu em seu ombro.
դ Como eru?
դ Como um un|o cuido, por enguno, do puruiso. Ou tulvez, co mo o luur nus
sombrus. Não sublu seu nome, então! E lsso que será puru mlm, no futuro: umu luz u
me mostrur o cumlnho!
դ Será que consegulrel?
դ Só se reulmente me umur!
դ Vocè sube que o umo. Sou suu completumente, emboru não tlves se percebldo
lsso, uté que me bel|usse.
դ Irel bel|á-lu, uté que se slntu certu dlsso!
Então, seus láblos pousurum nos delu, e u muslcu, u luz e o sonho os envolverum.
դ Eu o umo! Eu o umo!
Suus oruções tlnhum sldo ouvldus, e sentlu que u mãe estuvu multo perto delu
nuquele momento, quundo uchuru umu fellcldude tão perfeltu, que lhe duvu vontude de
culr de |oelhos e ugrudecer u Deus.
Ao sentlr os láblos do murquès, lmpetuosos, sollcltundo e upulxonu dumente
despertundo u chumu dentro delu, decldlu que lrlu se dedlcur lntelru u el e e u curá-lo de
tudo que tlnhu sofrldo.
Sublu que us clcutrlzes erum profundus e que serlu lmpossivel truns formur-se de
repente.
Seu sexto sentldo, suu percepção femlnlnu, fuzlu com que vlsse us dlflculdudes u
frente, os momentos em que o murquès ulndu serlu desdenhoso e lnsolente. Mus não
huvlu problemu nem dlflculdude que seu umor não pudesse resolver.
8
դ Eu umo vocè! Eu udoro vocè! Oh, mlnhu preclosu, muruvllhosu pequenu Luz
do Luur, não posso vlver sem vocè, que vul me gulur pelo resto de nossus vldus! Vocè
é mlnhu, mlnhu uté u eternldude!


FIM



84
OUEM E BARBARA CARTLAND?


A hlstórlus de umor de Burburu Curtlund |á venderum muls de cem mllhões de
llvros em todo o mundo. Numu épocu em que, segundo u próprlu Burburu, u llteruturu
dá multu lmportânclu uos uspectos muls superflcluls do sexo, o pu bllco se delxou
conqulstur por suus heroinus purus e seus heróls chelos de nobres ldeuls. E flcou
fusclnudo pelu munelru como constról suus trumus, em cenárlos que vão do esplendor
do puláclo du rulnhu Vltórlu u s mlsterlosus vustldões dus florestus troplculs ou dus
montunhus do Hlmululu.
A preclsão dus reconstltulções de épocu é outro dos utrutl vos dessu uutoru lnglesu
que, ulém de |á ter escrlto muls de trezentos llvros, é tumbém hlstorludoru, teutrólogu,
conferenclstu e orudoru politlcu. Mus Burburu Curtlund se lnteressu tunto pelos vulores
do pussudo quunto pelos problemus do seu tempo. Por lsso, recebeu o titulo de Dumu
du Ordem de São João de Jerusulém, por suu lutu em defesu de melhores condlções de
trubulho puru us enfermel rus du Ingluterru, e é presldentu du Assoclução Nuclonul
Brltânlcu puru u Suude.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful