You are on page 1of 2

Receitas Caseiras Para Clarear Manchas No Rosto

Seja por conta da gestação, dos anticoncepcionais ou por conta do sol as manchas no rosto são algo
que incomodam muito, principalmente as mulheres. Que é lamentável nos dias de hoje é a
obrigação" de adotarmos os padrões ditados pela mídia, que na verdade somente repete as regras da
industria, da moda... Na década de 80 todo mundo diminuiu os seios, agora as mesmas pessoas que
diminuiram estão aumentando com silicone... e ainda TEM que por botóx, TEM que usar ácido, TEM
que fazer preenchimento... E as pessoas mais e mais obcecadas, vítimas dos padrões ditados por um
bando de mercenários que lucram fortunas com isso... Como mulher a gente Não pode se calar e
acreditar que por ser cultural não deve ser combatido!
Aqui é ode a bunda e tenho certeza que muitos lugares do mundo acham isso horrível, como os
turcos que impedem que seus filhos se casem com mulheres brasileiras. Existe muitas linhas
teóricas sobre assunto, como por exemplo sobre a questão das mulheres na África e do Oriente
Médio que são castradas por uma série de razões culturais e religiosas. Querer ter a pele branca não
é uma questão cultural, muito menos natural, não se enxergar como um povo dotado debeleza e
riqueza cultural é um problema deles mas originado por questões históricas, religiosas e sociais,
onde a colonização inglesa tem grande culpa.
Por não ser comum essa doença envolve muitos mitos, mas antes de sair por aí dizendo que não foi
escolha dele ser branco fale com QUALQUER dermatologista que eu tenho certeza. Eu discordo dos
exemplos e comparações dadas por algumas meninas aqui, como a comparação entre fazer
brozeamento artificial e usar como clarear a pele verão cremes para clarear (lê-se branquear) a
pele. Eu entendi a colocação de quem disse isso, mas discordo, ao menos no Rio, qualquer um vai a
praia e toma sol. Já a escova progressiva, por estar tão difundida se faz passar como somente mais
um truque de beleza.

Eu fico com manchas na pele se tomar sol, se sol fosse inócuo gostaria de deixar minha pele mais
morena. Antes bem cuidado do que forçar a barra: antes pálida e saudável do que morena e com a
pele danificada pelo sol. Tomo uns minutos de sol no resto do corpo com protetor ou tomo
suplementos para não ter deficiência de vitamina D. Envolve desde questões sociais e históricas, até
individuais, como problemas com autoestima e aceitação.

Fiquei pensando se pintar os cabelos não seria como pintar as unhas, maquiar-se, adornar-se com
enfeites. Como algo que é feito essencialmente com fins estéticos, buscando a beleza (baseado, é
claro, nos padrões de cada um). Fato de clarear a pele, como exemplifica esse pavoroso comercial, já
teria a ver com a questão de buscar através desse ato obter valor como ser humano. Acho que que
nos horroriza no clareamento de pele é fato de isso remeter texto aqui a questões históricas
profundas e a, como DeChanel falou bem, feridas ainda abertas... Como se os negros, por meio
dessas modificações, quisessem enganar a sociedade ao se parecerem com os brancos.
Valor como ser humano ser confundido com uma característica física, e próprio absurdo de se criar
categorias de valor dentre as pessoas, que deveriam ser tratadas como iguais e com os mesmos
direitos. Quanto às transformações no cabelo, não as vemos com repugnância porque já estão mais
do que disseminadas em nossa cultura. Não critico os procedimentos em si, pois podem ser
necessários e benéficos, mas problema está em aceitar sem pestanejar a mensagem veiculada por
muitas propagandas: mude X no seu corpo e seja feliz. A gente sabe que não é tão simples assim, e
no entanto tem gente ganhando rios de dinheiro com a esperança alheia.
Bem, é preciso ter cuidado com que vou escrever, pois muito do que foi dito nos comentários foi
confundido com preconceito ou agressão. Cada povo tem sua história e as razões para eleger a cor
de pele clara, os traços finos, os cabelos claros, como sinônimo de pessoas bem sucedidas, bem
educadas, cultas, ricas, vencedoras. Sou brasileira de estatura mediana, cor parda, facilmente
confundida como branca, mas sou fruto de uma grande mistura de negros com portugueses, índios e
judeus.