You are on page 1of 2

PEDRO E O LOBO

Há mais de cem anos atrás, en algum lugar na Rússia, vivia o Pedro
com o seu avô, numa casa cujo quintal dava para um imenso bosque
verde. Do quarto do Pedro via-se esse bosque, que se estendia até
muito longe, para depois começar uma misteriosa floresta. Certa
manhã, bem cedinho, ainda com os primeiros raios de luz entrando
pela janela do quarto, Pedro acorda e veste-se, rapidamente, ansioso
para ir brincar lá fora. A casa do avô tinha um quintal nos fundos e
nesse quintal existia uma árvore gigante que Pedro adorava subir.
Uma parede alta, feita de pedra, com um forte portão de metal,
separava o quintal do bosque e protegia Pedro dos perigos da
floresta.
Assim que se acabou de vestir, Pedro correu para o quintal para subir
na sua árvore favorita. De cima da árvore podia-se ver, no meio do
bosque, um pequeno lago cristalino. E Pedro pensou como deveria ser
divertido correr, cantar e brincar pelo bosque. O Avô avisou Pedro
várias vezes para que não fosse brincar no bosque, mas Pedro não
tinha medo dos animais perigosos que viviam na floresta e decidiu ir
à mesma. Abriu o portão de ferro e correu para o bosque a cantar
uma canção. Passado certo tempo pareceu ouvir alguém também
cantando. Era um passarinho, a assobiar , enquanto voava,
graciosamente, pelo céu. “Olá passarinho” disse Pedro. “Está um dia
maravilhoso, não está?”. Pedro estava muito contente por ter alguém
com quem cantar. Foram cantando os dois enquanto se aproximavam
do lago luminoso. No lago estava nadando um gorducho pato
amarelo. O pato e o pássaro começaram de imediato a discutir qual
dos dois seria uma verdadeira ave. “Que espécie de ave é você que
não consegue voar?” disse o pássaro. “Que espécie de ave é você
que não consegue nadar?” respondeu o pato. Continuaram nessa
discussão sem prestar atenção ao que se passava ao redor. Pedro, no
entanto, estava atento, e reparou que o seu gato acabara de pular o
muro e já se encontrava no bosque. Vinha se aproximando, sem tirar
os olhos do pássaro, enquanto pensava no almoço.
A distância entre o muro que circundava o quintal e o lago não era
muita e rapidamente o gato chegou perto do passarinho e quando se
preparava para abocanhá-lo, Pedro gritou “Cuidado!”, o pássaro voou
e posou em um dos galhos da árvore gigante do Pedro.
“O que você está fazendo aí fora no bosque?” perguntou o avô ao
Pedro. “Eu já te avisei várias vezes que o bosque não é um bom lugar
para brincar. Existem muitos animais perigosos lá no fundo da
floresta. Quer ser comido por um deles?”. Pedro não tinha medo
desses animais perigosos , mas o avô o trouxe de volta ao quintal e
fechou o portão de ferro.
O avô tinha acabado de fechar o portão de ferro quando surgiu um
lobo da floresta. O gato entretanto cochilava no bosque. Sabia que
não valia à pena subir na árvore para pegar o pássaro porque este

Atou uma ponta da corda ao galho e soltou a outra ponta com um laço. Continuou neste jogo enquanto Pedro preparava a corda. com intenção de usá-la para apanhar o lobo. não o matem”. Quando chegou ao galho que atravessava o muro em direção ao bosque começou a percorrê-lo. Por cima de todas as cabeças voava o passarinho. que assistiu a tudo isto. como uma verdadeira procissão pela cidade. porque Pedro salvou sua vida mais cedo. Voou direto para o nariz do lobo e quando o lobo se preparava para abocanhá-lo . apontando as armas para o lobo quando. a caminho do Jardim Zoológico.facilmente voaria para outro lado. Vamos levar o lobo para um jardim zoológico para que todos possam vê-lo”. Com a ajuda do passarinho Pedro rapidamente laçou o lobo e começou a chamar os caçadores. o passarinho desviou o caminho e o lobo mordeu o ar. . começou a subir na árvore do quintal. para que distraísse o lobo enquanto preparava a armadilha. O passarinho disse que iria ajudar. O pássaro viu o Lobo e começou assobiar alto de forma que pudesse avisar o gato e o pato. porque poderia ter acontecido o pior. por terem apanhado o lobo. pela manhã. Pedro pediu ajuda ao pássaro. O Lobo ia aproximando-se cada vez mais. Atrás vieram os caçadores com o lobo preso e o avô. feliz e orgulhoso. Os caçadores concordaram. contente e preocupado ao mesmo tempo. Chegando na ponta do galho. O pato correu o máximo que conseguiu mas o lobo era mais veloz e engoliu o pato de uma vez só. O Pato começou a grasnar de tal maneira com medo que saiu do lago e começou a correr em direção ao portão de ferro que protegia o quintal. Pedro. Os caçadores surgiram rápidamente. Pedro foi na frente. Pedro começou a chorar. O gato acordou e num sobressalto subiu em uma árvore para se salvar. dizendo “Não. Levou consigo uma corda no ombro.