You are on page 1of 41

ESTATUTO DO

DESARMAMENT
O
Lei nº 10.826/2003
Apresentação em
16 de outubro de 2015

Estrutura da Lei
Introdução
• Sistema Nacional de Armas (Sinarm) - arts. 1º e 2º
• Registro - arts. 3º a 5º
• Porte - arts. 6º a 11-A
Dos crimes e das penas
• Posse irregular de arma de fogo de uso permitido - art. 12
• Omissão de cautela - art. 13
• Porte ilegal de arma de fogo de uso permitido - art. 14
• Disparo de arma de fogo - art. 15
• Posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito - art. 16
• Comércio ilegal de arma de fogo - art. 17
• Tráfico internacional de arma de fogo - art. 18
Conclusão

Introdução

Sinarm
O Sistema Nacional de Armas (Sinarm),
instituído no Ministério da Justiça, no
âmbito
da
Polícia
Federal,
com
circunscrição em todo o território
nacional. Compete ao Sinarm manter
cadastro geral, integrado e permanente
das
armas
de
fogo
importadas,
produzidas e vendidas no país e o
controle dos registros dessas armas,
exceto quanto as armas de fogo das
Forças Armadas e Auxiliares, dentre
outras que mantém registros próprios (Lei

4º da Lei nº 10. § 2º). é obrigatório e deve ser renovado periodicamente. 3º e 4º. arts. em período não inferior a 3 anos (Lei nº 10. 5º.Registro Para adquirir arma de fogo de uso permitido o interessado deverá declarar a efetiva necessidade e atender aos seguintes requisitos do art.826/2003. e art. .826/2003. Ressalta-se que o registro de arma de fogo no órgão competente.

ou dependência desses. 5º). desde que seja ele o titular ou o responsável legal pelo estabelecimento ou empresa (Lei nº 10. expedido pela Polícia Federal após autorização do Sinarm.826/2003. autoriza o seu proprietário a manter a arma de fogo exclusivamente no interior de sua residência ou domicílio. no seu local de trabalho.Registro O certificado de Registro de Arma de Fogo. tem validade em todo o território nacional. . ainda. ou. art.

pasta.). etc. pacote. Possuir: Como proprietário ou como simples detentor do poder de ter a arma . a não ser nos previstos no art. maleta. Observação: Porte ≠ Posse Portar: É ter a arma de fogo ao se alcance físico (nas mãos. vestes. 6º da Lei nº 10.Porte O porte de arma de fogo é proibido em todo o território nacional.826/2003 ou em legislação.

Dos crimes e das penas .

em desacordo com determinação legal ou regulamentar. ou. 12. . de 1 (um) a 3 (três) anos.Posse irregular de arma de fogo de uso permitido Art. ainda no seu local de trabalho. desde que seja o titular ou o responsável legal do estabelecimento ou empresa: Pena . e multa. de uso permitido. no interior de sua residência ou dependência desta. acessório ou munição.detenção. Possuir ou manter sob sua guarda arma de fogo.

• Secundária e mediata: proteger a vida. Qualificação típica: Crime de lesão e mera conduta. . Sujeito ativo: qualquer pessoa. 12) Objetividade jurídica: É múltipla.Posse irregular de arma de fogo de uso permitido (art. a incolumidade física e saúde dos cidadãos. sendo: • Principal e imediata: a incolumidade pública.

.Posse irregular de arma de fogo de uso permitido (art. 12) Consumação: no instante em que o sujeito tem a disponibilidade da arma de fogo acessório ou munição. portanto admite-se a tentativa. Tentativa: as condutas são fracionáveis.

13. Deixar de observar as cautelas necessárias para impedir que menor de 18 (dezoito) anos ou pessoa portadora de deficiência mental se apodere de arma de fogo que esteja sob sua posse ou que seja de sua propriedade: Pena . e multa.detenção. . de 1 (um) a 2 (dois) anos.Omissão de cautela Art.

13) Parágrafo único. nas primeiras 24 (vinte quatro) horas depois de ocorrido o fato. Nas mesmas penas incorrem o proprietário ou diretor responsável de empresa de segurança e transporte de valores que deixarem de registrar ocorrência policial e de comunicar à Polícia Federal perda. acessório ou munição que estejam sob sua guarda. . roubo ou outras formas de extravio de arma de fogo. furto.Omissão de cautela (art.

Qualificação típica: Crime de lesão e mera conduta (negativa). . a incolumidade física e saúde dos cidadãos. sendo: • Principal e imediata: a incolumidade pública.Omissão de cautela (art. • Secundária e mediata: proteger a vida. 13) Objetividade jurídica: É múltipla.

na espécie negligência. • Secundário: menor de 18 anos e deficiente mental. Elementos subjetivo do tipo: • Culpa. e • Necessidade de cautela.Omissão de cautela (art. Sujeito passivo: • Principal: coletividade. 13) Sujeito ativo: Omitente. Crime comum. Não exige vinculação especial com o menor. Pode ser cometido por qualquer pessoa. .

Omissão de cautela (art. 13) Consumação: momento do apoderamento da arma de fogo pelo menor ou deficiente mental. . Tentativa: é admissível.

Portar. emprestar. acessório ou munição. e multa. de 2 (dois) a 4 (quatro) anos. remeter. ter em depósito. manter sob guarda ou ocultar arma de fogo. adquirir.reclusão. . empregar. transportar. sem autorização e em desacordo com determinação legal ou regulamentar: Pena . fornecer. de uso permitido. receber.Porte ilegal de arma de fogo de uso permitido Art. deter. ceder. ainda que gratuitamente. 14.

IMPORTANTE! O Supremo Tribunal Federal. 14) Parágrafo único. declarou a inconstitucionalidade deste parágrafo único. . no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 3112-1. salvo quando a arma de fogo estiver registrada em nome do agente.Porte ilegal de arma de fogo de uso permitido (art. O crime previsto neste artigo é inafiançável.

Pode ser cometido por qualquer pessoa. Qualificação típica: Crime de lesão e mera conduta. 14) Objetividade jurídica: É múltipla. sendo: • Principal e imediata: a incolumidade pública. Sujeito ativo: Crime comum.Porte ilegal de arma de fogo de uso permitido (art. a incolumidade física e saúde dos cidadãos. • Secundária e mediata: proteger a vida. inclusive .

porém é difícil sua ocorrência na prática.Porte ilegal de arma de fogo de uso permitido (art. . 14) Elementos subjetivo do tipo: Somente doloso. independente de qualquer resultado. Consumação: Ocorre no momento da realização das condutas descritas no tipo. inexiste versão culposa desse crime. Tentativa: Em alguns casos é admissível.

e multa. O crime previsto neste artigo é inafiançável. Disparar arma de fogo ou acionar munição em lugar habitado ou em suas adjacências.Disparo de arma de fogo Art. 15. de 2 (dois) a 4 (quatro) anos. .reclusão. desde que essa conduta não tenha como finalidade a prática de outro crime: Pena . Parágrafo único. em via pública ou em direção a ela.

Sujeito passivo: A coletividade.Disparo de arma de fogo (art. . Sujeito ativo: Qualquer pessoa. no sentido de que se trata de crime de perigo abstrato. 15) Objetividade coletiva. jurídica: A segurança Qualificação típica: Crime de lesão e de mera conduta.

Consumação: Ocorre com o primeiro disparo da arma de fogo ou acionamento da munição. Tentativa: É admissível. . O motivo da ação é irrelevante. 15) Elementos subjetivo do tipo: É o dolo.Disparo de arma de fogo (art.

adquirir. ainda que gratuitamente.Posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito Art. manter sob sua guarda ou ocultar arma de fogo.reclusão. fornecer. receber. empregar. ter em depósito. remeter. transportar. 16. portar. emprestar. ceder. . e multa. Possuir. acessório ou munição de uso proibido ou restrito. de 3 (três) a 6 (seis) anos. deter. sem autorização e em desacordo com determinação legal ou regulamentar: Pena .

modificar as características de arma de fogo. perito ou juiz.Posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito (art. II . numeração ou qualquer sinal de identificação de arma de fogo ou artefato. de forma a torná-la equivalente a arma de fogo de uso proibido ou restrito ou para fins de dificultar ou de qualquer modo induzir a erro autoridade policial. .suprimir ou alterar marca. 16) Parágrafo único. Nas mesmas penas incorre quem: I .

possuir. adquirir. suprimido ou adulterado. 16) III .Posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito (art. transportar ou fornecer arma de fogo com numeração. IV . sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar.portar. fabricar ou empregar artefato explosivo ou incendiário. marca ou qualquer outro sinal de identificação raspado. possuir. . detiver.

Posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito (art. entregar ou fornecer. munição ou explosivo a criança ou adolescente.produzir. . arma de fogo. 16) V . ou adulterar. recarregar ou reciclar. e VI . de qualquer forma. ainda que gratuitamente.vender. munição ou explosivo. sem autorização legal. acessório.

Qualificação típica: Crime de lesão e mera conduta.Posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito (art. . Sujeito ativo: Crime comum. 16) Objetividade jurídica: É múltipla. sendo: • Principal e imediata: a incolumidade pública. Pode ser cometido por qualquer pessoa. a incolumidade física e saúde dos cidadãos. • Secundária e mediata: proteger a vida.

Consumação: Ocorre com a realização das condutas descritas no tipo.Posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito (art. 16) Elementos subjetivo do tipo: Dolo. consistente na vontade livre e consciente de realizar qualquer das condutas típicas descritas no tipo. Tentativa: Em alguns casos é admissível. independentemente de qualquer evento. .

alugar. transportar. conduzir. adulterar. desmontar. Adquirir. sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar: Pena .reclusão. acessório ou munição. ou de qualquer forma utilizar. 17. expor à venda. no exercício de atividade comercial ou industrial. ocultar. ter em depósito.Comércio ilegal de arma de fogo Art. arma de fogo. em proveito próprio ou alheio. remontar. receber. de 4 (quatro) a 8 (oito) . montar. vender.

17) Parágrafo único. Equipara-se à atividade comercial ou industrial.Comércio ilegal de arma de fogo (art. para efeito deste artigo. fabricação ou comércio irregular ou clandestino. qualquer forma de prestação de serviços. inclusive o exercido em residência. .

Sujeito ativo: Crime próprio. 17) Objetividade jurídica: É múltipla. • Secundária e mediata: proteger a vida. Qualificação típica: Crime de lesão e mera conduta. o fato só pode ser praticado por comerciante ou . a incolumidade física e saúde dos cidadãos.Comércio ilegal de arma de fogo (art. sendo: • Principal e imediata: a incolumidade pública.

17) Elementos subjetivo do tipo: Dolo. consistente na vontade livre e consciente de realizar qualquer das condutas típicas descritas no tipo.Comércio ilegal de arma de fogo (art. .

reclusão de 4 (quatro) a 8 (oito) anos. a qualquer título. e multa. . exportar. Importar. de arma de fogo. 18. acessório ou munição.Tráfico internacional de arma de fogo Art. sem autorização da autoridade competente: Pena . favorecer a entrada ou saída do território nacional.

Sujeito ativo: Crime comum. 18) Objetividade jurídica: É múltipla. sendo: • Principal e imediata: a incolumidade pública. • Secundária e mediata: proteger a vida.Tráfico internacional de arma de fogo (art. . Pode ser cometido por qualquer pessoa. Qualificação típica: Crime de lesão e mera conduta. a incolumidade física e saúde dos cidadãos.

Tráfico internacional de arma de fogo (art. Tentativa: É admissível. . Crime instantâneo. 18) Consumação: No momento em que o objeto material entra ou sai de nosso território.

Nos crimes previstos nos arts. . 18. Nos crimes previstos nos arts.Causas de aumento de pena Art. 17 e 18. 20. Art. 6o. 16. a pena é aumentada da metade se a arma de fogo. 7o e 8o desta Lei. acessório ou munição forem de uso proibido ou restrito. 17 e 18. a pena é aumentada da metade se forem praticados por integrante dos órgãos e empresas referidas nos arts. 14. 15.

17 e 18 são insuscetíveis de liberdade provisória. Os crimes previstos nos arts. declarou a inconstitucionalidade deste artigo.Proibição de liberdade provisória Art. 16. no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 3112-1. IMPORTANTE! O Supremo Tribunal Federal. 21. .

Conclusão .

Conclusão Referendo Projeto de lei revogando o Estatuto do Desarmamento Projeto de Lei nº 3.722/2012 Última movimentação: 16/09/2015 Situação atual: Aguardando Deliberação na Comissão Especial destinada a proferir parecer ao Projeto de Lei .

Mello Charlene Gleyce Santana Cleonice Pereira Rodrigues Diogo dos Santos Batista Edvania Silva de Farias Elizeu Ribeiro Teobaldo Lúcia Quadros Sarian Paulo Victor Robbi .Integrantes do grupo Anderson Rodrigo César Carmen Lucia B.