You are on page 1of 7

DIREITO DO TRABALHO I

PROGRAMA
Turma de Dia
Luís Menezes Leitão
CAPÍTULO I – INTRODUÇÃO
1. O objecto do Direito do Trabalho.
2. Matérias abrangidas pelo Direito do Trabalho.
3. Conexões entre o Direito do Trabalho e outros ramos do Direito.
4. O paradigma do Direito do Trabalho e a alteração do seu modelo tradicional.
CAPÍTULO II – FORMAÇÃO E EVOLUÇÃO DO DIREITO DO TRABALHO
1. O Direito Romano.
2. O Direito Intermédio.
3. A Revolução Industrial.
4. O surgimento da legislação social.
5. O desenvolvimento da legislação social no início do séc. XX.
6. A interrupção do desenvolvimento da legislação social no âmbito dos regimes ditatoriais.
7. A consolidação e evolução da legislação social após a segunda guerra mundial.
8. As crises económicas e a sua repercussão no Direito do Trabalho.
9. A globalização da economia e os seus efeitos na legislação laboral.
10. A História do Direito do Trabalho em Portugal.
10.1. A ausência de regulação laboral específica na legislação oitocentista.
10.2. As primeiras regulações da área laboral.
10.3. O Direito do Trabalho na Primeira República.
10.4. O Direito do Trabalho no Estado Novo.
10.4.1. Generalidades.
10.4.2. O período ditatorial.
10.4.3. O período corporativo.
10.4.4. O período liberalizante.
10.5. O Direito do Trabalho desde a Revolução de 25 de Abril de 1974 aos dias de hoje.
10.5.1. Generalidades.
10.5.2. O período revolucionário.
10.5.3. O período de estabilização.
10.5.4. O período da legislação concertada.
10.5.5. O período da codificação.
CAPÍTULO III - FONTES DO DIREITO DO TRABALHO
1. Generalidades.
2. A Constituição.
3. Fontes Internacionais
3.1. Generalidades.
3.2. Convenções Internacionais.
3.2.1. Convenções da Organização das Nações Unidas.
3.2.2. Convenções e recomendações da OIT.
3.2.3. Convenções do Conselho da Europa.
3.2.4. Fontes do Direito da União Europeia
4. As leis ordinárias.
5. Os instrumentos de regulamentação colectiva de trabalho.
5.1. Generalidades.
5.2. Os instrumentos de regulamentação colectiva de trabalho negociais.

5. A aplicação do Direito do Trabalho.4. Características qualificativas do contrato de trabalho. 3. 5.2.7. O contrato de trabalho como contrato obrigacional. Métodos de distinção do trabalho subordinado em relação ao trabalho autónomo. 2.2.3. 3.9. 5. 3. Os usos laborais. 4. 4. A interpretação 11. 12.2. A aplicação no espaço das leis laborais. 2. 6.2. 5.2. 5. Retribuição.3.5. 3. 3. 2. Elementos essenciais do contrato de trabalho.3. 8. 5.2.3. 11.4.1. A integração. CAPÍTULO IV – O CONTRATO DE TRABALHO.5. 12.3.5. 11.8.2. A convenção colectiva. A portaria de condições de trabalho. 10. A questão da eventual qualificação do contrato de trabalho como negócio jurídico de consumo. Generalidades. A aplicação no espaço.3. 7. 4. A jurisprudência laboral.2. 5.3. 4. O contrato de trabalho como contrato de execução continuada. Distinção entre o contrato de trabalho e o contrato de empreitada. 6.1.2.3. 3. 4.2.4. O destacamento internacional dos trabalhadores.1. Generalidades.1. Definição do contrato de trabalho. 2.1. O contrato de trabalho como contrato sinalagmático. O contrato de trabalho como contrato intuitu personae. 12. 7.6. 3. O contrato de trabalho como contrato nominado e típico.1.6. 12. 4. Distinção entre o contrato de trabalho e o contrato de agência.9. 3. O trabalho parasubordinado. O acordo de adesão. 3.4. 1. 3. A decisão arbitral em processo de arbitragem obrigatória ou necessária.2. 4. A decisão de arbitragem voluntária.4. Distinção entre o contrato de trabalho e o trabalho de voluntariado a favor de instituições com fins altruístas. Distinção entre o contrato de trabalho e o contrato de mandato.1. Prestação de uma actividade. Interpretação e integração das fontes de Direito do Trabalho.8. O ónus da prova relativo à existência de uma relação de trabalho subordinado. O contrato de trabalho como contrato oneroso. Distinção entre o contrato de trabalho e o contrato de prestação de serviços. .2.2. Subordinação jurídica.2. Distinção entre o contrato de trabalho e o contrato de depósito.1. Distinção entre o contrato de trabalho e o contrato de sociedade. 2. Distinção do contrato de trabalho em relação a figuras afins. A aplicação no tempo. 5. 12. A doutrina. 5. Dificuldades de delimitação entre o trabalho subordinado e o trabalho autónomo. 9. O costume. 4. A hierarquia das fontes. Distinção entre o contrato de trabalho e a associação em participação.3. O contrato de trabalho como contrato primordialmente não formal. 4. A portaria de extensão. Generalidades.3. Generalidades. Os instrumentos de regulamentação colectiva de trabalho não negociais.7. 4. O contrato de trabalho como contrato comutativo.

O ius variandi ou mobilidade funcional.4.8. netos ou adoptados a cargo. A liberdade de escolha da apresentação e vestuário. 4. 2.2. 4.5.1.4. A tutela da personalidade do trabalhador. A categoria como limite às funções que podem ser atribuídas ao trabalhador.8. Efeitos da antiguidade. 2.6. O assédio sexual. Igualdade e não discriminação. A garantia legal da manutenção da categoria do trabalhador. A antiguidade.2. 6. 2. O assédio moral ou mobbing.2.3. 2. 4.2. 3. 2.CAPÍTULO V.6.3.7. 4.9. A licitude do tratamento dos dados pessoais no âmbito da relação laboral.8. 2.2. Limitações ao registo de dados. A extinção da comissão de serviço. O direito à intimidade da vida privada. A excepção relativa aos dados sensíveis. 5. 2.3. e dos trabalhadores com filhos.3. puérperas e lactantes.8. Maior protecção contra o despedimento 6. A liberdade de consciência.4. O regresso do trabalhador encarregado temporariamente de outras funções à categoria anterior. 2. Generalidades. 5. 2. 6.5. O estatuto particular das trabalhadoras grávidas. 6. 5. 2. Testes e exames médicos.8.2.1. Concessão de licenças e dispensas especiais.3. Determinação e tutela da antiguidade. 2.5. O estatuto particular dos trabalhadores menores.3. 2. O direito à integridade física e moral. Generalidades. 3. 4. A despromoção contratual fundada em necessidades prementes da empresa ou em estrita necessidade do trabalhador.8. 2. Os estatutos particulares de certas categorias de trabalhadores.5. Generalidades. O direito à imagem.2. Generalidades.2. 6. Generalidades. O problema dos meios de vigilância electrónicos.4. 5. Maior tutela da igualdade laboral.3. 3.5. 4.1. Noção jurídica de trabalhador 2.1.8.5.5. 2.2. A liberdade de expressão e opinião.8.2. 6. 4. A categoria.2. 4. Noção de categoria.8. 4.3. 3. cacifo e bens do trabalhador. Maior protecção da segurança e saúde no trabalho.2. O estatuto particular dos trabalhadores dirigentes.5.4.2. A recolha de dados pessoais pelo empregador. 6. Determinação da categoria. 2. 6. A liberdade religiosa.6. A questão da revista da pessoa.8. A confidencialidade das comunicações.1. 2. .1. 4. 1. As alterações na categoria. A tutela da igualdade dos trabalhadores e a proibição de comportamentos discriminatórios por parte do empregador.1.1.7. 6.8.O TRABALHADOR. 4. 2.

1. 2.4.3. 10.2.5.3. 2.5. Noção jurídica de empregador 2. Generalidades.6. Os deveres de informação. O processo de formação do contrato de trabalho. Regime especial de duração do trabalho. Deveres acessórios a cargo do empregador.4. Igualdade e não discriminação em relação aos candidatos a emprego. carteira profissional e inscrição em ordens profissionais. 3. Forma do contrato de trabalho.3. As empresas ideológicas ou de tendência.3. 8. A formação do contrato de trabalho através de cláusulas contratuais gerais. O estatuto particular dos trabalhadores com capacidade de trabalho reduzida ou portadores de deficiência ou doença crónica.4. Deveres acessórios integrantes da prestação principal. 6. 6. 10. Atribuição de direitos sobre o resultado da prestação do trabalhador. CAPÍTULO VII . 3. 4.1.5. 11. A autonomia privada e a liberdade de trabalho. 2. 1. 8. Capacidade das partes. 6.3. 6. 2. 6. A pluralidade de empregadores. CAPÍTULO VI . A prestação do trabalhador. 12. Tutela da igualdade de tratamento e medidas de acção positiva.2. Os grupos de empresas. 9. 1. Conteúdo da prestação do trabalhador. O contrato promessa de trabalho. faltas. Exigência de adaptação das condições de trabalho.3. Atribuição de poderes de representação ao trabalhador. 4. .1.1.3. A empresa enquanto empregador. manutenção e cessação do estatuto de trabalhador-estudante.2. 8. 2. O estatuto particular dos trabalhadores estrangeiros ou apátridas. 2.1.2. Exigência de formalidades especiais e imposição de menções obrigatórias.2. Legitimidade. 5.3.4.2.5. A responsabilidade pré-contratual. 6.5.1. 10. 8. Generalidades. Aquisição. Pressupostos de celebração do contrato de trabalho.4. 1.6. Deveres de informação do trabalhador. Duração do trabalho.3.O EMPREGADOR. 10. 7.4. O período experimental.1. férias e licenças. Deveres de informação do empregador. 6. A invalidade do contrato de trabalho. 6.4. 1.A FORMAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO. A adesão ao regulamento interno da empresa. 6. 6. Definição das funções exercidas pelo trabalhador. Consequências da preterição da forma e das formalidades. habilitações.3. 1.3. 6. CAPÍTULO VIII – OS DEVERES DO TRABALHADOR. 2.1. 6. 6. 1. Requisitos do objecto e do fim negocial.2. Casos especiais em que se exige a forma escrita. Regime geral. 1. Exigências especiais para o acesso ao trabalho. Generalidades.2. 5. Generalidades. O estatuto particular dos trabalhadores-estudantes. 10. Os deveres acessórios do trabalhador. 6. Concessão de licenças especiais. Generalidades.3.

Transferência temporária do trabalhador por decisão do empregador. Retribuição durante as férias. 3. 3.7. Transferência colectiva.2. Modificação do local de trabalho. Flexibilidade de horário.5. Generalidades.1. Limites da duração de trabalho. Tempos máximos de trabalho.2.3. Generalidades.5. . 12.2.2. 12.2.1. 11. Alterações ao regime da transferência do local de trabalho. 12.8. 8. 5. CAPÍTULO X – O TEMPO DE TRABALHO.2. 2.5. 4. Deveres acessórios de protecção.5. 3. 2. Trabalho nocturno.2. 9. O direito a férias.5.3.5. Proibição do exercício de outra actividade durante as férias. 2. Deveres de assiduidade e pontualidade. 2. O horário de trabalho. 5.1. O regime do horário concentrado. 12. 2.3. 12. 6. 5.3. O regime da adaptabilidade. Tempo de trabalho e tempo de descanso. 12. Transferência unilateral.5.2.3.5.4. 5. As férias.5. 2. Os períodos de descanso diário. Deveres acessórios autónomos da prestação principal. 5. Transferência do trabalhador a seu pedido 3. 2. 3.4.4. 12.3. Isenção de horário de trabalho. 12. Dever de obediência. Dever de promover a melhoria da produtividade na empresa.3. suspensão e cessação do contrato nas férias. 3.3. 12. Generalidades.1. 2. Alteração das férias. Deveres acessórios de lealdade. Aquisição do direito a férias. Generalidades.5.5. Dever de zelo e diligência na realização do trabalho. 12. 5.3. 1.3.2. 7. Determinação do local de trabalho. O direito ao repouso.2.2. Deveres acessórios de informação. Limites máximos em caso de fixação do horário de trabalho em termos médios.3.2.2. 3. 5. 12. Transferência definitiva do trabalhador por decisão do empregador. Período normal de trabalho e período de funcionamento. 12. Efeitos da redução.6.6.2.5. Violação do direito a férias. CAPÍTULO IX – O LOCAL DE TRABALHO. Duração do período de férias. Trabalho suplementar. 1. 12. 2. Trabalho por turnos.2.1.4. Marcação das férias. Alterações no tempo de trabalho. 3. 3.9. 12.1. Generalidades. 12. 10. 3.1. Os feriados. Generalidades.5. O regime do banco de horas. O período de descanso semanal.4.

Gratificações.1. Outras faltas previstas na lei. As faltas justificadas.4. 2.1.2. 2.2.1. As faltas injustificadas.5. Modalidades de retribuição.2. 13.2.2. 2.1. 2. Conceito de falta injustificada. 2.1. 2.5. As faltas ao trabalho. Regularidade e periodicidade. Retribuição certa.3. Efeitos das faltas justificadas.7. Prestação de provas em estabelecimento de ensino. 2.2. . 13.4. 13. Faltas autorizadas ou aprovadas pelo empregador. 2.5.2. 13. O dever de formação profissional. 2. parentes ou afins.8. 2.6. 13. Necessidade de prestação de assistência a familiares. Ónus de comunicação e comprovação. 2. 13.3.2. e complementos salariais.1.5. Subsídio de refeição. 2.2.9.1. Prestações não retributivas.2. Falecimento do cônjuge.5. Prestações decorrentes de factos relacionados com o desempenho ou mérito profissionais.8. Generalidades.1.2. Cumprimento da retribuição.4. Impossibilidade de prestar trabalho por facto não imputável ao trabalhador.2.4. 2. 2. Contrapartida da prestação de trabaho. 2. 13. Participação nos lucros da empresa. A retribuição mínima garantida. 2.13.5.2.1.1. 2. 3. Prestações extraordinárias concedidas pelo empregador como recompensa ou prémio dos bons resultados obtidos pela empresa.5. 3.2.5.2. 2. Efeitos das faltas injustificadas. Generalidades.1.2.7.2.7.2.1. Ausências dos candidatos a eleições. 13. 13. Casamento. O dever de prestação principal: a retribuição.2. 13.3.1.2. Excesso de pagamento da retribuição. Os deveres acessórios do empregador.10. Ausências dos trabalhadores eleitos para as estruturas de representação colectiva. CAPÍTULO XI – OS DEVERES DO EMPREGADOR. diuturnidades. 13.2. Tutela da retribuição.2.2.7. Generalidades.6. 2.5.2. 2. 3. 2. Generalidades.1. Generalidades.1. 2. 13.3. Retribuição base. Lugar do cumprimento. Tendo por objecto prestações em dinheiro ou em espécie. 2.1. O dever de ocupação efectiva do trabalhador. Pagamento de despesas. Retribuição em dinheiro e em espécie.2. Abono para falhas. 13.1. 2.2. variável e mista.4.3.6. 2.1.9. 13.3.5. Tempo do cumprimento.3.2.3.1. 13. 4. 2. 13.7. Noção e características da retribuição. 2.5. Os deveres de prestação secundária. Critérios de fixação e determinação da restribuição. 13.7.8. 2. 1. 13. Forma do cumprimento. bem como com a assiduidade do trabalhador.1.4.3.3.4. Ausências para informação sobre a situação educativa do menor. Fundamentos de justificação da falta.

3.3. Protecção da personalidade do trabalhador.4. Efeitos. Poder disciplinar. 3. 3.4. 5. O pacto de permanência.1. 2. 3. Generalidades. Poder regulamentar. 2. A redução de actividade ou suspensão do contrato por facto relacionado com o empregador. As cláusulas de limitação da liberdade de trabalho. 3. O contrato de trabalho sujeito a termo resolutivo. 1.4. 5. O contrato de trabalho sujeito a condição resolutiva. Cedência ocasional. Redução da actividade e suspensão do contrato.2. A licença sem retribuição. 2.ELEMENTOS ACIDENTAIS DO CONTRATO DE TRABALHO 1.1. 2.1. A transmissão da empresa ou estabelecimento.2. 2. Regime geral. A suspensão do contrato por facto relacionado com o trabalhador. 2. 3. 5.4. Poder de direcção. 4.3. 2.3. O pacto de exclusividade. A cessão da posição contratual. Regime geral. Respeito pela autonomia técnica do trabalhador.3. Generalidades. Generalidades.2. 3.2. O exercício dos poderes do empregador por outros trabalhadores.1.3.3.4. 1.2. Generalidades. 3.4. 3. O regime específico do encerramento temporário por facto imputável ao empregador. Generalidades 2. Generalidades. 4. 3. A redução da actividade ou suspensão do contrato por acordo das partes.3.2.3. CAPÍTULO XII . 2. 4.3.VICISSITUDES DA SITUAÇÂO JURÍDICA LABORAL.4. Crise empresarial.1. Protecção da segurança e da saúde do trabalhador. 5. 5.4. 3. 4. Generalidades. Encerramento temporário do estabelecimento ou diminuição temporária da actividade. 5.OS PODERES DO EMPREGADOR. O contrato de trabalho sujeito a condição e termo suspensivos.2.4. 2. Pressupostos. 4. O pacto de não concorrência. CAPÍTULO XIV . .4. CAPÍTULO XIII . Recurso ilícito à cedência ocasional 3.1. 3.1.3.3. A pré-reforma. Transmissão.