You are on page 1of 68

Tropa de Elite - Polícia Militar de São Paulo

História do Brasil
Apostila
Adeíldo Oliveira

2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

História do Brasil

Prof. Adeildo Oliveira

E-mail: ad.historiatotal@gmail.com

Historiador
licenciado
pleno
e
bacharelando
pela
Universidade
Federal do Ceará (UFC). Bacharelando
em Direito pelo Centro Universitário
Christus (UniChristus). Professor de
vários cursos preparatórios para
concursos em Fortaleza. Monitor da
disciplina de Ciência Política e Teoria do
Estado no Centro Universitário Christus,
além de autor de vários artigos
científicos e de opinião.

PRIMEIRA REPÚBLICA (1889-1930)
A proclamação da República foi, em
grande parte, um projeto político
resultado da aliança dos cafeicultores
paulistas com o exército, visando
vencer o inimigo comum – o Império –
embora as duas forças fossem
portadoras de projetos políticos
republicanos distintos. Nos primeiros
dias após a instauração do novo regime
político, houve consenso de que os
militares deveriam exercer o poder
político durante o delicado período de

Prof. Adeíldo Oliveira

gestação e instalação das instituições
republicanas.

Esse primeiro período da história
republicana do Brasil – 1889-1894 –
ficou conhecido como República da
Espada, por ser marcado pelos
governos militares dos marechais
Deodoro da Fonseca (1889-91) e
Floriano Peixoto (1891-94). O grande
destaque deste primeiro período é a
redação de nossa primeira carta magna
(constituição) republicana em 1891.

Após os conturbados governos
militares do inicio de nossa republica,
temos a consolidação das oligarquias
paulistas e mineiras no poder, é o que
chamamos de política do café-comleite, dentro da chamada República
Velha, o primeiro presidente deste
período é o paulista Prudente de
Morais (1894-98), depois temos
Campos Sales (1898-1902), Rodrigues
Alves (1902-06), Afonso Pena (190609), Nilo Peçanha (1909-10) e Hermes
da Fonseca (1910-14), Venceslau Brás
(1914-18), Delfim Moreira (1918-19),
Epitácio Pessoa (1919-22), Artur
Bernardes (1922-26) e Washington Luis
(1926-30).

As três primeiras décadas do século XX
no Brasil, marcam a força política do
coronelismo e do latifúndio, estruturas
herdadas do império e perpetuadas no
novo regime político. Vejamos agora
algumas das principais marcas ou

2

História do Brasil
destaques do processo histórico da
república velha.
A REPÚBLICA DA ESPADA (1889-1894)
01. Deodoro da Fonseca (1899-1891)

É de suma importância termos em
mente que o governo de Deodoro da
Fonseca possui dois períodos: Governo
Provisório(1889-1891)
e
Governo
Constitucional (1891).

Com o advento da república, os
militares criaram um “novo” calendário
nacional, excluindo as datas religiosas,
a exceção do dia de finados, e incluindo
datas comemorativas republicanas,
assim buscando a “formação das
almas”, ou seja, a criação de um
espírito republicano, além, é claro, de
tentar construir uma identificação do
novo regime com a História do Brasil,
para isso alavancaram a figura de
Tiradentes, que passou a ser visto como
herói nacional, inclusive sendo pintado
o mais parecido possível com a imagem
que a maior parte da população possui
de Jesus.

Essa propaganda visava aproximar o
máximo possível a população desse
novo regime, sendo Tiradentes uma
espécie de “garoto propaganda”, pois
se ele morreu pela República é porque
ela supostamente seria mais justa.

Prof. Adeíldo Oliveira

Um dos elementos que muito
contribuiu pra a adesão de muitas
oligarquias estaduais ao sistema
republicano
foi
justamente
a
possibilidade que esse dava ao
estabelecimento de uma federalização,
ou seja, os estados passariam a possuir
uma maior autonomia, o que muito
agradava
aos
grupos
políticos
estaduais.

De grande significação para o novo
governo foi a criação da Constituição
de 1891, que possuía os seguintes
pontos:

•A forma de governo republicana
federalista e presidencialista (modelo
inspirado na constituição norteamericana);
•A divisão dos três poderes instituídos
(legislativo, executivo e judiciário);
•Estabeleceu que o Brasil seria um
Estado laico (separação entre Igreja e
Estado);
•No artigo 3º foi estabelecido que a
União iria demarcar uma área no
Planalto Central no intuito de construir
uma nova Capital Federal;
•Foi implementado o instituo do
Habeas Corpus (Vale lembrar que ele
não estava presente na Constituição de
1824, mas sim no Código de Processo
Criminal de 1832);
• O voto era aberto, para homens
maiores de 21 anos e alfabetizados.
Estavam excluídos do voto as mulheres,
é claro, os praças de pré e os religiosos;

3

que contrariam empréstimos do governo. Mas o porquê dessa política? É que o governo objetivava incentivar a expansão do crédito.1. Economia É bem claro que o sistema econômico deixado pelo Império era bastante caótico. candidato único. na medida que possuíamos uma divida interna e externa bastante alta. •Transformação das províncias em estados. tendo como objetivo que esse intelectual criasse um conjunto de medidas que Prof. com destaque para o café. Podemos apontar duas razões para essa conjuntura.” 1. a imensa quantidade de papel-moeda. mas sim em títulos da dívida pública. • Mandato do presidente de 4 anos. Segundo o historiador Marco Antônio Villa: “Na primeira eleição presidencial direta. mas não produziam e ainda decretavam falência. para a infelicidade brasileira tal projeto não deu certo. pois a política de emissão desembocou numa grave crise chamada de encilhamento. por causa dos combates da Revolução Federalista. o que gerou uma grande inflação. de Santa Catarina e do Paraná. sendo criados vários bancos que passaram a possuir autonomia para a emissão de papelmoeda. •O casamento civil. Adeíldo Oliveira Entretanto. •A facilidade de naturalização aos estrangeiros. Entretanto. Também foi feita uma reforma bancária. não ocorrendo um crescimento industrial proporcional.História do Brasil •Eleição Direta. pois assim os produtos importados entrariam no Brasil com preços mais elevados. o grande problema é que essas emissões não possuíam lastro em ouro. recebeu apenas 290 mil votos. isso quando a população brasileira alcançava 15 milhões de habitantes. O presidente nomeou Rui Barbosa para o cargo de ministro da Fazenda. O novo ministro estabeleceu a elevação das tarifas alfandegárias. não pagavam o que deviam ao governo. 4 . o que muito contribuiu para o surgimento de empresas fantasmas. e as imensas facilidades para se adquirir crédito. sendo a base da economia o setor agrário. O Brasil não possuía um sistema industrial de significação. e assim. sem a participação do eleitorado do Rio Grande do Sul. entretanto a escolha do primeiro presidente da República seria efetivada pelo parlamento. revertessem a situação precária de nossa economia. em 1894. o que muito contribuiria para o estimulo ao processo de industrialização nacional. o que contribuiria para que a população brasileira pudesse comprar mais os produtos nacionais. Prudente de Morais.

muito menos pelos cafeicultores. Outra ação do presidente. Logo após a subida de Floriano ao poder. Mas quais eram as razões para que os cafeicultores. ou seja. tomando decisões de cunho popular. também. pois constitucionalmente. Dessa forma. Segundo. mas também. Floriano Peixoto (1891-1894) 2. Uma das medidas iniciais – e autoritária – foi justamente a retirada dos Governadores que apoiaram Deodoro. o Brasil possuía muitas limitações. o vicepresidente só poderia assumir o cargo se o presidente já tivesse governado por dois anos. sendo crítica a situação financeira. estas eram feitas dentro dos limites tolerados pelos cafeicultores (pelo menos inicialmente). das quais destaque para a necessidade de combater a inflação. e agregada à essa medida se pensava numa política protecionista. sendo autorizado ao Banco do Brasil a abertura. de uma linha de crédito de 100 mil contos de réis. que não as aceitou e. o que fez que o Congresso fizessem várias críticas ao presidente. sendo que Deodoro só tinha cumprido nove meses do seu mandato. tentou fechar essa instituição. só que essa de cunho popular e restrita ao Rio de Janeiro. ao apoio que ele conseguiu dos cafeicultores. apoiassem Floriano Peixoto? Primeiro. Entretanto. pois achavam que elas prejudicavam o Prof. objetivando com isso além de melhorar as condições de vida da população mais carente. quando necessário. Adeíldo Oliveira Republicanismo federalista que tanto eles almejavam. 02. tivemos a volta da “normalidade”. mesmo Floriano utilizando algumas vezes de medidas autoritárias. restou ao marechal a renuncia. o Congresso foi restabelecido e o estado de sítio foi retirado.1 A Subida ao Poder Floriano Peixoto demonstrou ser bem mais hábil do que o seu antecessor. Vale lembrar que a subida de Floriano Peixoto ao poder deve ser creditada. em 1892. mesmo desrespeitando a Constituição. 5 . o que não foi aceito pelo seu vicepresidente (Floriano). Destaque para o estímulo a indústria. agindo com firmeza. foi um decreto que estabelecia a redução dos aluguéis de casas populares e da suspensão da cobrança do imposto sobre a carne. inclusive. de que forma se poderia criar taxas sobre os produtos importados a fim de ampliarem os seus preços.História do Brasil O Final do governo de Deodoro foi marcado negativamente. os limitados recursos que possuíamos e o descontrole financeiro do início da República. também ganhar popularidade. os cafeicultores tinham ficado assustados com as medidas autoritárias de Deodoro.

podemos destacar o conflito entre o PRR (Partido Republicano Riograndense).2. a chamada “Revolução” Federalista. aliandose ao PF. revolta é um manifestado de descontentamento da população em relação à alguma medida tomada pelo governo.2 Formação da Oposição Um dos primeiros movimentos de oposição à Floriano se deu no interior do exército. Basicamente falando. além de participar da “Revolução” Federalista? Primeiro. que se expandiu para o Sul do Brasil. Adeíldo Oliveira Floriano Peixoto entrou na guerra ao lado do governo de Júlio de Castilhos – também chamados de “pica-paus”. 2. pois utilizou o Código Militar. um imposto. 6 .1 A Revolta Federalista Uma explicação por demais valiosa é a distinção entre Revolta e Revolução. que enquadrava a ação dos generais como ato de insubordinação. A ação do presidente foi enérgica. liderado por Júlio de Castilhos e do outro lado o PF (Partido Federalista) que era liderado por Silveira Martins. uma lei. tendo à frente o almirante Custódio de Melo. Quais as motivações para a Marinha se rebelar contra o presidente. queriam novas eleições. ou seja. além do interesse dos federalista em diminuírem o excessivo centralismo. Já a Revolução é uma busca Prof.História do Brasil 2. quando treze generais assinaram um manifesto que contestava a legitimidade do governo e exigiam o respeito a Constituição. mas sim a busca pela mudança de uma parte dele. mas deveria ser utilizado o termo Revolta. Uma nova conjuntura se formou quando na Marinha brasileira eclodiu a Revolta da Armada (1893). Perceba que constantemente na História do Brasil é utilizado o termo Revolução. Entre os fatores da discórdia estava justamente a briga pelo poder no Rio Grande do Sul. e assim. De grande dificuldade para o governo foi contornar os problemas no Rio Grande do Sul. mas dentro dos limites da legalidade. por transformações mais drásticas numa sociedade. destaque para uma forte ala da marinha que possuía tendências monarquistas. etc. mais conhecidos como “maragatos”. a penalidade poderia ser a de afastamento e até mesmo a prisão. Por essa ação Floriano Peixoto passou a ser chamado de Marechal de Ferro. Segundo. Nesse ato não há uma contestação do sistema vigente. Entre os fatores que ocasionaram esse movimento.

pois eram apenas algumas dezenas no seu início (1893). e fragilizados só restavam a negociação. Muitas foram e continuam a ser as análises equivocadas acerca dessa comunidade.1 Canudos (1893-1897): Sem sombra de dúvida um grande destaque do governo de Prudente de Morais foi a Guerra de Canudos. além de fazendeiros e do próprio estado brasileiro. Adeíldo Oliveira muito séria. mais precisamente nos assuntos relacionados a Revolta da Armada. Esse crescimento gigantesco ocorreu por varias motivações. Essa comunidade chegou a preocupar parte da igreja oficial. deveria ter ocorrido novas eleições. mas fanática não. destaque para a vitória dos florianistas na famosa Batalha de Desterro – que mudou de nome para Florianópolis. o que frustrou as pretensões de Custódio de Melo. Navios de guerra portugueses aceitaram transportar em segurança para a Argentina cerca de 500 marinheiros brasileiros que tinham se revelado contra o governo de Floriano. mas crescendo rapidamente para a casa milhares. 2. que pretendia chegar à presidência. Lembre-se que com a saída de Deodoro.3 Política Externa: O Rompimento com Portugal O estremecimento das relações diplomáticos entre Brasil e Portugal ocorreu devido à ação de duas corvetas portuguesas que no ano de 1894 intervieram nas questões políticas internas brasileiras. Entretanto. que foi estabelecida no início do próximo governo. aproximadamente 25 mil no ano de 1897. O descaso das autoridades governamentais em relação à situação 7 . com Prudente de Morais.História do Brasil havia uma ala da marinha que era republicana que apoiava os interesses do Almirante Custódio de Melo. devemos ter em mente que religiosa ela era. ficavam mais enfraquecidos. Cada vez mais os rebeldes iam perdendo terreno. pois já foi considerada como um reduto de fanáticos religiosos. Prudente de Morais (1894-1898) 3. tais como: 1. ocorrendo combates em terras catarinenses. As batalhas não ficaram circunscritas ao Rio Grande do Sul. tendo como ápice o rompimento diplomático. o que gerou uma questão diplomático Prof. 03. Analisando a Comunidade de Canudos poderemos perceber que ela se formou rapidamente. mas de forma inconstitucional Floriano subiu ao poder.

que era feita por Antônio Conselheiro. Prof. desprovidos da verdadeira fé cristã. a Igreja(pelo menos parte) e o estado brasileiro tiveram para destruir Canudos? Para os fazendeiros a formação dessa comunidade não era vista com bons olhos pelo fato dos habitantes dessa localidade saírem da órbita de influência dos “coronéis”. A opressão e a exploração exercida por muitos latifundiários brasileiros. Em Canudos havia o trabalho coletivo. Entretanto. Outra contestação de Antônio Conselheiro era o casamento civil e o controle dos cemitérios pelo estado republicano. 3. nesse caso no Nordeste. 2. O estado baiano nada ganhava com Canudos. de nada ajudava na formação da imagem de progresso que tanto os republicanos queriam. pois passaram a ter uma carga tributária mais pesada. o que ocorreu quando os canudenses invadiram o armazém de onde retiraram telhas. o que muito dificultou a vida das populações mais pobres. mas sim que para ele a vida durante a monarquia era difícil. além de considerar a liderança religiosa de Antônio Conselheiro como inadequada. acreditavam na volta do Messias. como também estavam perdendo votos. Lembre-se bastava ao eleitor saber assinar o próprio nome. O afastamento Igreja Católica em relação a muitos dos seus fiéis. pois não possuía uma preparação teológica. Já para o estado brasileiro esse movimento era visto como inadequado pois representava o passado. pois achava que esses assuntos deveriam ser tratados pela Igreja. e a república só piorou as coisas. pois suas vidas eram permeadas pelo trabalho e pela reza. sendo a produção dividida de acordo com as necessidades de cada família. A Guerra É bem claro que o governo esperava apenas uma desculpa para justificar a destruição da comunidade de Canudos. ou seja. Adeíldo Oliveira Mas quais as motivações para que fazendeiros. Outro ponto de destaque era a defesa da Monarquia. não podemos ter em mente que esse líder fosse um grande conhecedor das teorias monarquistas e/ou republicanas.História do Brasil das populações mais carentes do nordeste brasileiro. que iria salvá-los. ou seja. Já a Igreja via a comunidade de Canudos como indesejada pelo fato de considerá-los fanáticos. não apenas os latifundiários estavam perdendo mão-de-obra barata. ou seja. madeira e tijolos que seriam utilizados para a construção de 8 . pois eles não pagavam impostos. Também eles eram messiânicos. haja vista que o federalismo deu espaço para que os estados pudessem criar seus impostos. O aspecto excludente do novo sistema (República) que dificultou a vida das pessoas. 4.

pois mais cedo ou mais tarde iria faltar água potável e comida. Canudos foi cercada e constantemente bombardeada. que teve o seu corpo desenterrado. bastante motivados pelas suas ideias. Para se ter ideia. pois foi atingido o Ministro da Guerra. mas para surpresa do Prof. A quarta expedição demonstrou o quanto era questão de honra para o governo a destruição de Canudos. as habitações foram queimadas e parte da população transferida para outras regiões. Um fato bastante chocante foi o que ocorreu com os restos mortais de Conselheiro. alem de estarem armados de facões. foices e velhas armas de fogo. pois as táticas de guerrilhas empreendidas pelos canudenses acabaram por surpreender as tropas governistas. Foram necessárias quatro expedições ao logo dos anos de 1896-1897 para que a Comunidade de Canudos fosse destruída. e assim foram enviados cerca de 8 mil homens. que partiram em retirada. 9 . A terceira expedição maior magnitude. resistiram aos invasores. sendo paulatinamente fragilizada. os canudenses. mas não a recebiam. quando Marcelino Bispo atirou contra o presidente. Entretanto. A segunda expedição era composta de seiscentos homens. Adeíldo Oliveira Um episódio marcante pós-guerra de Canudos ocorreu quando Prudente de Morais. o Marechal Carlos Machado Bittencourt. e foi o que ocorreu. governo essa expedição sofreu uma derrota surpreendente. por dois canhões e duas metralhadoras. ou seja. No final das batalhas. Entretanto foram surpreendidos. mas não obtendo êxito na sua tentativa. Foi empreendida a tática do cerco.História do Brasil uma Igrejinha. inclusive morrendo Moreira César. que ficou conhecido em meio à Revolução Federalista como o “corta-cabeças”. Vale ressaltar que os sertanejos já tinham pago por essa mercadoria.000 homens e com uma vasta munição. Antônio Conselheiro morreu de cólera. Vale ressaltar que essa expedição possuiu um contigente de mais de 1. em solenidade pela vitoriosa campanha de Canudos. sofreu um atentado. A primeira expedição delas foi liderada pelo Tenente Manoel da Silva Pires Ferreira. sendo a sua cabeça cortada e levada para se fazer estudos. sendo comandada pelo Major Febrônio de Brito. sendo assim escolhido para a difícil tarefa de destruir Canudos o Coronel Antônio Moreira César. sob o comando do General Artur Oscar. haja vista as repercussões negativas das duas primeiras expedições.

nossa nação contestou veementemente tal ação inglesa. Campos Sales (1898-1902) Durante o governo de Campos Sales três foram os pontos principais na sua política interna. Outro benefício ganho pelos grupos estaduais era justamente as facilidades para o recebimento de investimentos federais.História do Brasil 3. considerando-a como um ato de imperialismo. envolvendo o Brasil e a Inglaterra. 4. a Política dos Governadores. se um candidato opositor às oligarquias que apoiassem o governo federal vencesse. Assim sendo. vendo as argumentações de ambos os lados. Mas o que estas “oligarquias” estaduais ganhariam em troca? Apoio político. Tal questão foi resolvia quando as partes envolvidas resolveram entregar o caso para uma mediação internacional. que validaria ou não as eleições. provavelmente. 04. de votarem nos Deputados e Senadores estaduais que apoiariam o governo federal.1 Política dos Governadores ou “Pacto Oligárquico” uma rede de alianças em relação aos grupos que governavam os estados. A Inglaterra acabou por invadir a Ilha da Trindade (Litoral do Espírito Santo) pois afirmava que essa localidade não era habitava e/ou explorada pelo Brasil. Dessa forma. pois quando havia eleições o resultado era conferido pelo órgão federal chamado de Comissão Verificadora de Poderes. A Política dos Governadores foi uma tentativa do governo central de criar Prof. as “oligarquias” estaduais seriam responsáveis pelo “arregimentamento” de votos nos seus currais eleitorais – haja vista ser tão comum na República Velha o chamado voto de cabresto. Portugal deu o ganho de causa para o Brasil (1896). Funcionava da seguinte forma. Adeíldo Oliveira 10 . além. a Política do Café com Leite e o Fundin Loan.3 Questões Externas Impactante nas Relações Internacionais foi o restabelecimento das Relações Diplomáticas com Portugal e a Questão da Ilha da Trindade (1895). buscando com essa aliança o apoio necessário para colocar em prática os seus projetos. sendo Portugal escolhida para tal julgamento.no intuito de eleger o candidato à presidência indicado pelo governo. sua vitória seria anulada. Dessa forma. é claro.

Vale salientar que a Política do Café com Leite e o Pacto Oligárquico fazem parte de um mesmo contexto político nacional. podemos citar o movimento tenentista que tanto contestou o governo na década de 1920. ou seja. nos choques que muitas vezes iriam ocorrer entre os grupos políticos mineiros e paulistas. e o segundo em riqueza. Terceiro.3 Funding Loan O funding loan consistiu num plano de refinanciamento da dívida brasileira.História do Brasil 4. jornalista e militares. sendo central nesse debate a decisão de se revezarem no poder federal. Pernambuco e Bahia. mais precisamente. destaque para o Rio Grande do Sul. a Casa Rothschild? Eles tiveram como garantias a hipoteca da Alfândega do Rio de Janeiro. pois tinha três fatores de instabilidade que variava conforme as circunstâncias: Primeiro. como totalizante nas decisões. Adeíldo Oliveira exercidas por grupos dissidentes de intelectuais. Segundo. já Minas Gerais era o primeiro em número de eleitores. Quais eram as garantias e exigências dos nossos credores. as pressões que cada vez mais iriam ser Prof.2 A Política do Café com Leite Chamamos de Política do Café com Leite o acordo estabelecido entre São Paulo e Minas Gerais. a dificuldade de contornar as ambições de estados “intermediários” que possuíam poder político e/ou econômicos. acrescido desse novo seriam pagos futuramente. Rio de Janeiro. o Brasil iria pagar no período de três anos os juros dos empréstimos que foram feitos anteriormente ao fundig loan. em troca o Brasil se comprometia a praticar uma severas medidas de saneamento monetário e fiscal.: Deve ser observado que o “Pacto Oligárquico” não pode ser visto como absoluto. Os antigos empréstimos. que consistia no apoio mútuo que deveria ser estabelecido entre esses estados. numa eleição deveria ser apoiado o candidato de São Paulo. 4. Uma exigência do funding loan foi justamente que o governo amenizasse a inflação diminuindo a grande quantidade de papel moeda que estava em circulação. 11 . Qual era o peso político-econômico desses dois estados? São Paulo era o estado mais rico da federação e o segundo em número de eleitores. O projeto ocorreu da seguinte forma. dentro de 13 anos. Tomando esses últimos como exemplo. já na outra o apoio deveria ser dada à Minas Gerais. Obs.

mas mesmo que esse novo centro administrativo fosse feito ainda continuaria a existir uma grande necessidade brasileira. invadindo a região do Amapá. para ser o juiz dessa causa.4 Relações Internacionais: A Questão do Amapá 05. o presidente. a Questão das Missões.História do Brasil 4. 12 . o governador da Guiana Francesa quis se aproveitar do momento delicado pelo qual passava o Brasil. foi estabelecido que o rio Oiapoque seria o limite entre o Brasil e a Guiana Francesa. Para resolver essa questão foi decidido que esse episódio deveria ser solucionado por uma arbitragem internacional. uma cidade portuária bem estruturada. depois entre Brasil e França. Vale ressaltar que estávamos envolvidos em duas questões litigiosas. resolveu por investir pesado na transformação do Rio de Janeiro (que era extremamente estratégica para escoar a produção de café). o processo de transformação pela qual passou o Rio de Janeiro. Ficou a cargo do prefeito Pereira Passos – que era engenheiro de formação – a parte relacionada à reforma do centro da cidade e do porto. Pelo Tratado de Utrech. era copiar padrões europeus. sabendo que não havia capital necessário para fazer as duas coisas. a Questão da Ilha da Trindade. No final do século XIX. Walter Hauser. uma com a Argentina. Nesse momento era visto com bons olhos copiar as práticas europeias. primeiro entre Portugal e França. o que foi aceito a contragosto por parte desses últimos. ou seja. Assim. pois o velho continente era visto como um exemplo a ser seguido. Já a parte sanitária foi encabeçada pelo brilhante sanitarista Oswaldo Cruz. Rodrigues Alves (1902-1906) 5. de 1713. foi escolhido o presidente da Suíça. O Brasil venceu também essa causa muito devido à argumentação feita pelo barão do Rio Branco.1 A Regeneração Essa localidade de longa data gerou problemas. Prof. A Constituição de 1891 já estabelecia a possibilidade da criação de uma nova Capital Federal. daí ser civilizado para parte substancial de nossas elites. Adeíldo Oliveira Grande destaque do governo de Rodrigues Alves foi a “regeneração”. e a outra com a Inglaterra. O Brasil estava adentrando o período conhecido como a Belle Époque (Bela Época). Dessa forma.

onde as condições de habitação continuaram igual ou mais precárias do que antes.História do Brasil Pereira Passos. e com essa demonstração objetivava atrair mais investidores. demonstrar internacionalmente que o governo republicano estava fazendo a nossa nação prosperar. é claro. devemos saber que nossa nação estava contraindo empréstimos de casas bancárias internacionais. Duas questões de grande importância devem ser feitas: Primeiro. ou seja. por fim. devemos saber que o Brasil objetiva com essas transformações fazer do Rio de Janeiro um cartão postal. É bem claro que as inúmeras mortes causadas por essas doenças afetavam o andamento da cidade.que não possuíam condições adequadas para a saúde . Prof. além. inclusive prejudicando a produção realizada nas fábricas. que melhoravam a circulação de pessoas e de produtos. Grande parte da população pobre foi obrigada a deixar os seus lares. com avenidas largas. tendo como padrão a reforma de Paris. pois parte da população começou a criar esses animais em cativeiro. Ele achava que poderia fazer do Rio de Janeiro uma Paris brasileira. Adeíldo Oliveira Em relação à segunda questão. pois uma enorme quantidade de pessoas estavam adoecendo e morrendo de doenças como a varíola. é claro. para logo depois vendê-los ao governo. e. inspirado nessas ideias. mas isso não deu muito certo. Avenida Central do Rio de Janeiro pósreforma A Reforma Sanitária Outro grande problema era a questão sanitária. de onde vieram os capitais para uma reforma tão grande? Segundo. quais eram os objetivos? Para responder a primeira questão devemos ter em mente que o Brasil possuía capitais acumulados da comercialização do café. deveriam ser derrubados. 13 . que estávamos exportando bastante borracha. que eram vetores de doenças. e manchando a imagem do Brasil lá fora. sem falar. e assim. A preocupação foi tanta que o governo chegou ao ponto de pagar para que os populares capturassem ratos. daí a necessidade de uma reforma sanitária. de facilitar para o governo o controle das manifestações populares. resolveu que as habitações consideradas insalubres . acabaram por se dirigir para os morros. eis um dos momentos principais para o processo de favelização do Rio de Janeiro. Vale ressaltar que essa reforma ocorreu paralelamente à reforma urbana empreendida por Pereira Passos.o que era o caso dos cortiços. cólera e peste bubônica.

A campanha. pudesse acreditar em tal ideia. o governo. o que ocorreu em 1904. o que muito contribuiu para que Oswaldo Cruz pressionasse o governo para a aprovação da Lei de Vacinação Obrigatória. Também não podemos acreditar esse movimento tenha ocorrido devido apenas à questão moral. ou seja. por exemplo) para a moral da época. por causa da arbitrariedade e autoritarismo do governo. que foi expulsa dos morros. pelo menos inicialmente. pois as mulheres eram vacinadas em locais tidos como inadequados (nádegas. Correto é afirmar que essa revolta ocorreu devido à questão moral. o temor e.3 Questões Externas Durante o governo de Rodrigues Alves assumiu o cargo de Ministro das Relações Exteriores José Maria Paranhos Júnior. o barão do Rio Branco (1902-1912). Adeíldo Oliveira Ainda mais. que eram vetores de muitas doenças. a exemplo de Oswaldo Cruz. 5. Ele afirmava que a miscigenação não poderia ser culpabilizada pela morte de tantas pessoas. queimou bondes. e agora.História do Brasil Outra questão a ser lembrada é alguns cientistas de outras nações defendiam que o povo brasileiro era biologicamente fraco devido a miscigenação. Essa política foi muito utilizada durante a República Velha. 5. Primeiro foram expulsas de suas casas no centro do Rio de Janeiro. Nesse contexto ocorreu a Revolta da Vacina (1904). se necessário fosse.2 O Convênio de Taubaté No final do período administrativo de Rodrigues Alves foi criado um acordo entre os cafeicultores e o governo. muito embora alguns. fechou ruas. mas sim as condições sanitárias precárias. a minoria. é claro que o objetivo era amenizar o número de pessoas mortas. acabando por gerar inúmeras contestações por parte de outros estados. como o Rio Grande do Sul. o povo desceu o morro. alem da proliferação de ratos e mosquitos. ou seja. Dessa forma. ou seja. estão sofrendo com o autoritarismo do governo. Muitos cientistas brasileiros combateram veementemente essa teoria. que teve que negociar. estabelecendo políticas de incentivo e/ou proteção ao café. e assim eram mais sensíveis em relação às doenças. e por alguns dias empreendeu uma forte resistência ao governo. não obteve o êxito desejado. Seria muito simplificador afirmar que a Revolta da Vacina ocorreu pelo fato da população achar que a vacina iria matálas. a aproximação 14 . através de uma campanha de vacinação. se necessário fosse. Oswaldo Cruz defendia a imunização das pessoas. mais umas vez. Ela dava o direito aos sanitaristas de vacinarem as pessoas à força. O que pode ser observado à partir dessa lei? Pode ser visto que o estado se sentia no direito de interferir diretamente nas escolhas das pessoas. deveria comprar o excedente da produção do café a fim de evitar a queda internacional do preço desse produto. Umas das características mais marcantes desse período foi o americanismo. Populares entraram em conflito com a polícia. mas os métodos violentos acabaram por deixar a população mais insatisfeita ainda em relação ao governo. e assim acabou por ser retirada a Lei de Vacinação Obrigatória. Prof. mas também a drenagem de pântanos e uma melhor limpeza da cidade. principalmente.

Nilo Peçanha (1909-1910) Nilo Peçanha representava um grupo de certa importância no cenário nacional. que era uma potência em ascensão. Dessa forma. o nosso governo deveria construir a Estrada de Ferro MadeiraMamoré para facilitar aos os bolivianos o acesso ao oceano Atlântico. é claro. Esse grupo estrangeiro reivindicava junto ao governo brasileiro uma maior possibilidade transitar pela região amazônica brasileira. através do barão do Rio Branco. o que estimularia setores internacionais a comprar mais o nosso produto.História do Brasil diplomática em relação aos Estados Unidos. o governo iria recompensá-los com empréstimos. sendo sucedido por Nilo Peçanha. Outra medida de grande valia desse presidente foi justamente o estimulo que ele deu à imigração. Na presidência desse mineiro foi posto em ação o Convênio de Taubaté. que possuía como intuito fomentar as exportações do café. arrendando essa região para um consórcio anglo-americano chamado The Bolivian Syndicate. inclusive falando que para ele “governar é povoar”. Nele ficava estabelecido que o Brasil deveria indenizar a Bolívia com 2 milhões de libras. além. Adeíldo Oliveira onde ganhamos muito dinheiro com a borracha. Para compensar as perdas por parte dos cafeicultores. mas também buscaram fazer a sua independência em relação à Bolívia. subserviente. o Navio Kasato Maru. Uma das criticas ao seu governo foi o jovem gabinete nomeado por esse presidente. o que muito preocupou o nosso governo. cerca de 781 famílias. mas sim indireta. Outro destaque foi a criação da Caixa de Conversão. que era chamado pelos seus rivais de jardim-de-infância. não de forma direta. Essa aproximação de forma nenhuma pode ser vista como subalterna. não tardou para que a Bolívia buscasse reaver o controle dessa região. pois o governo vai efetivar a compra de café no intuito de valorizar esse produto. 07. buscou o mais rápido possível solucionar essa questão. 06. ou seja. Desse modo. Também. o presidente Rodrigues Alves. A Questão do Acre A região do Acre de longa data já era utilizado por seringueiros brasileiros. que não apenas buscaram explorar essa localidade. de Prof. em novembro de 1903. Vale lembrar que antes ser presidente fora governador de Minas Gerais. o que ocorreu. Mas como isso poderia ser feito? O governo poderia fazer a desvalorização artificial de nossa moeda. Dessa forma. desembarcou no porto de Santos 168 famílias japonesa. foi feito assinado entre o Brasil e a Bolívia o Tratado de Petrópolis. de pagar uma multa de mil libras e 126 esterlinas ao The Bolivian Syndicate pela rompimento de contrato. os produtos de café e de 15 . O ano de 1909 marcou tragicamente o Brasil devido a morte de Afonso Pena. Já o Brasil passaria a ser dono do Acre. sendo escolhido como vice-presidente o carioca Nilo Peçanha. quando deu início as obras de Belo Horizonte. pois ele estaria mais barato. mas sim como uma estratégia muito bem criada por Rio Branco para que nossa nação pudesse agir de forma mais autônoma nos assuntos diplomáticos em relação às questões de fronteiras litigiosas. Por isso mesmo em 1908. Afonso Pena (1906-1909) Afonso Moreira Pena foi o primeiro presidente mineiro eleito pela Política do Café com Leite.

Dessa forma. no dia 24 de Novembro de 1910. de um plano de carreira. que serviu de base para que fosse criada a futura FUNAI. No Congresso Nacional. Outro elemento de grande significação para o início da Revolta da Chibata foi justamente a mudança de mentalidade adquirida por alguns marinheiros. pois ocorreu o rompimento momentâneo da Política do Café com Leite. que fez expedições de reconhecimento. Um dos seus grandes objetivos foi justamente a integração nacional a partir das comunicações. e que os britânicos só conseguiram essa melhorias devido à organização deles. destaque para as manifestações de Rui Barbosa. Personagem de importância significativa do governo de Nilo Peçanha foi o Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon. Outro ponto de relevância foi a criação da Secretaria de Proteção ao Índio (SPI). além dos baixos soldos e da ausência de um plano de carreira que realmente beneficiasse a meritocracia. tentado fortalecer a ideia de que era inadequado um militar governar o país. Vale destacar que Rui Barbosa lançou a Campanha Civilista. Hermes da Fonseca (1910-1914) Política das Salvações A Política das Salvações foi um conjunto de medidas implementadas pelo Governo no intuito de fragilizar as “Oligarquias” estaduais que fizeram oposição à sua campanha. daí a implantação de postes telegráficos. São Paulo e Bahia. entre o militar Hermes da Fonseca. Assim. destaque para o fim dos castigos físicos. da melhoria dos soldos. Dessa forma. destaque para os castigos físicos que sofriam. a campanha presidencial foi marcada pela luta entre a “farda e a toga”. Durante o seu governo o Brasil passou por uma forte crise política. ou seja. a vitória foi do Marechal Hermes que obteve 400 mil votos. João Cândido liderou a tomada dos navios Minas Gerais. pois o intuito era colocar para governar os Prof. Adeíldo Oliveira estados os grupos ligados ao presidente Hermes da Fonseca. sendo destaque a liderança o marinheiro João Cândido. explodiu a revolta. que foi apoiado por São Paulo. de uma melhor alimentação e da anistia para os envolvidos. ou seja. apoiado por Minas Gerais. transitando parte considerável do território nacional. de salvação não tinha nada. e o jurista Rui Barbosa. eclodiu a Revolta da Chibata. apontou os canhões para o Rio de Janeiro. também a péssima alimentação. demarcação e exploração da região amazônica. Entre as reivindicações. em 1910. perceberam que a situação deles era bem melhor de que a dos brasileiros. apelidado pelos companheiros como “Almirante Negro”. objetivando não apenas dificultar a vitória eleitora de Hermes da Fonseca. Entretanto. e ameaçou bombardear a cidade caso o governo não quisesse negociar. A Revolta da Chibata (1910) Logo no início do Governo de Hermes da Fonseca. contra 200 mil de Rui Barbosa. Entre as motivações para tal levante.História do Brasil açúcar do Rio de Janeiro. 08. que pressionou o governo de Hermes da Fonseca para que solucionasse o mais rápido possível tal 16 . de nobre só o nome. apoiando Rui Barbosa. quando iria começar a punição do marinheiro Marcelino Rodrigues Menezes. ao terem um maior contato com os marujos ingleses (lembre-se que o Brasil comprou alguns navios que foram fabricados na Inglaterra).

Mas também vale destacar que os estados que reivindicam o território do contestado não viam com bons olhos a população que vivia nessa localidade. Várias foram as motivações para esse conflito. ou seja. Como causa imediata dessa guerra foi a luta entre os habitantes dessa localidade contra a companhia a companhia norte-americana de Percival Farqhuar. sendo muitos marinheiros presos. mais precisamente. sendo entregue ao Paraná vinte mil quilômetros quadrados de área. sendo depois liberto. sete palmos. como diria João Cabral de Melo Neto: “Eis a parte que te cabe nesse latifúndio. não tardou para que ocorresse outra revolta. pois os considerava fanáticos. uma cova bem rasa. sob alegação de que tinha enlouquecido. o general Fernando Setembrino de Carvalho liderou um grupo de 8 mil soldados. Muitos foram os marinheiros presos. agora na ilha das cobras. que foi morto no combate dos Campos de Irani.História do Brasil problema. Vale salientar que após o levante de Dezembro o governo resolveu fazer algumas melhorias na Marinha para que não ocorresse novas revoltas. Em 1916. os populares que combatiam o governo acabaram sendo vencidos pela fome e pela sede. Assim. outros tantos foram mandados para a Amazônia. Também a Igreja possuía as suas críticas em relação à comunidade do Contestado. que cercaram a área. por exemplo. o próprio “Almirante Negro” afirmava que essa acusação era infundada.” 17 . Adeíldo Oliveira para a construção da ferrovia São Paulo-Rio Grande. o beato José Maria. Entretanto. Mapa do Contestado No ano de 1914 o governo intensificou os ataques. o Congresso Nacional aprovou a anistia aos rebeldes e o fim da chibata. Assim. Assim. tais como: litígio entre Santa Catarina e Paraná por uma região de fronteira. e em 1915. passou alguns anos na prisão. pois não geravam impostos. pois em Dezembro do mesmo ano um novo levante se fez. além dos interesses de companhias estrangeiras que ambicionavam ganhar muitos lucros naquela localidade. E aos pobres? Alguns palmos de terras. O grande problema é que o acordo não foi cumprido pelo governo. ou pela forma que eram regidos pelo seu líder religioso. a grande exclusão de grande parte da população camponesa. e para Santa Catarina foi entregue vinte e oito mil quilômetros quadrados. a “Brazil Railway Company”. João Cândido. tática similar a que foi feita em Canudos. pois era muito rica em madeira. no governo de Venceslau Brás. Guerra do Contestado (PR/SC – 19121916) Esse conflito ocorreu na fronteira entre Paraná e Santa Catarina. o governo retomou a área e futuramente. seja pelo messianismo dessa comunidade. que utilizaria parte daquele território Prof. pois o que a marinha não queria era que ele denunciasse os culpados pelas mortes dos presos que estavam detidos na ilha das cobras no momento da 2ª Revolta da Chibata. foi feita uma divisão da área.

Outro fator de destaque foi o processo de crescimento da influência econômica estadunidense sobre o Brasil.144. através do Pacto de Ouro Fino.761. In: A República Velha. pelo fato do Brasil não poder gastar tanto dinheiro nesse momento que pouco estava vendendo. alimentício. também passamos a ter sérias dificuldades para importar produtos industrializados. De um lado os germanófilos. haja vista a instalação de um grande número de empresas dessa nação em nossas terras. Vale ressaltar que o Brasil foi o único país da América do Sul a entrar nesse confronto. Difel.076 23.649 3. haja vista a eclosão da 1ª Guerra Mundial (1914-1918). pois eles passaram a ser um mercado muito importante para o nosso café. pois as exportações de café foram diminuídas drasticamente. Entre 1915 e 1919 foram criados cinco mil novecentos e trinta e seis estabelecimentos industriais. Período Brasil (t) Sudeste da Ásia (t) 1900-1904 146. Dessa forma. como Rui Barbosa e Olavo Bilac. O período de governo desse presidente foi por demais conturbado. que retiraram a “hevea brasilensis” daqui e passaram a plantála naquela localidade. A razão imediata para a entrada do Brasil na Guerra foi justamente o ataque que os submarinos alemães 18 .480 1920-1924 100. Política Externa Marcou a Política Externa desse governo a participação do Brasil na 1ª Guerra Mundial. Mas. de onde vinha o capital investido na indústria? Vinha do acúmulo efetivado pelo setor cafeicultor nos anteriores a guerra.141 193. Venceslau Brás adotou a política de substituição de importações.876 1910-1914 187.572 1905-1909 184. que consistia em tentarmos fabricar parte dos produtos industriais que necessitávamos.História do Brasil 09. inclusive dividindo. destacando-se os setores têxteis. já do outro os próaliados.236 1925-1929 111. e Prof. as opiniões eram divididas em relação ao lado que deveríamos apoiar. Antes da entrada do Brasil na guerra. Adeíldo Oliveira posteriormente suplantando a influência francesa Outra questão econômica de relevo que ocorreu no governo de Venceslau Brás foi justamente o declínio do Ciclo da Borracha. saindo da neutralidade em 1917. Outro ponto de relevo foi o crescimento da influência cultural estadunidense em nossas terras. Esse processo foi continuado e ampliado no período posterior a à 1ª Guerra Mundial. de calçados e de vestuário. que teve o seu esplendor entre 1900 e 1909. como Monteiro Lobato e Lima Barreto. marca o restabelecimentos da Política do Café com Leite. e segundo.046.012 Edgar Carone.040 1915-1919 156.463 1. essa guerra afetou fortemente a nossa economia. mas depois desse período passou a perder espaço para a Ásia.52 1. Economicamente. Venceslau Brás (1914-1918) Venceslau Brás Pereira Gomes. primeiro pelo fato de boa parte da indústria européia ter se voltado para guerra. de bebidas. graças a biopirataria feita pelos ingleses.758 4.

Assim. pois a Constituição estabelecia que o vice só poderia assumir de fato se tivesse passado dois anos de governo do presidente. buscava-se negar o passado colonial e a herança negra e indígena. não raro ocorrer mortes. só poderia assumir provisoriamente. Neste sentido. Adeíldo Oliveira Nas eleições de 1917 saiu vitorioso Rodrigues Alves. entre as suas reivindicações constava: a redução da jornada de trabalho. também paralisando os transportes rodoviário e ferroviário. mas também para combater o efeitos deletérios da seca nas terras nordestinas. os modernistas passaram a defender a antropofagia da cultura externa e a sua. de onde saiu vitorioso Epitácio Pessoa. quando se pensava o Brasil. Também havia uma forte contestação por causa da forma extremada de repressão que sofriam os operários. no nosso entender particular. porém morreu devido a gripe espanhola. foi ampliada a influência dos Estados Unidos. Aqui se encontra. 19 . Epitácio Pessoa (1919-1922) Durante o governo de Epitácio Pessoa. consequente. Outro ponto de destaque foi no que se refere o pedido de mais empréstimos por parte do governo para por em prática o que estava estabelecido pelo Convênio de Taubaté. Pregando a crítica. quando os operários de uma tecelagem de São Paulo pararam os trabalhos por não aceitarem o decreto dos donos que estabelecia a ampliação do trabalho noturno. e o seu vice. que fragilizou parte considerável da tripulação. O Brasil enviou oficiais aviadores que fizeram parte do 16º Grupo da RAF. sendo que muitos eram anarquistas e/ou socialistas. sendo o seu enterro comparecido por mais de 10 mil pessoas. porém quando atracou em Dakar. em outubro de 1917. Prof. assim acabou por chegar atrasada na guerra. o modelo cultural a ser seguido no Brasil era o europeu. além de enviar médicos e de forma a Divisão Naval de Operações de Guerra (DNOG). pois o dólar passou a ser o padrão internacional de conversão da nossa moeda. a ruptura com os padrões tradicionais de arte e a criatividade. bem como na corroboração da mentalidade eurocêntrica de que o branco do velho continente era superior as demais raças. tivemos novas eleições. fundamentado nas idéias de civilização e progresso. Movimento Operário Destaque para a Greve Geral de 1917. uma das mudanças essenciais promovidas pelos modernistas no pensamento da brasilidade. 10.História do Brasil fizeram aos navios brasileiros. Ela deveria atuar conjuntamente com a força naval britânica. pois entrou em Gibraltar um dia antes do tratado que deu “fim” a Primeira Guerra. Delfim Moreira. provocando a paralisação de várias fábricas. sendo a declaração do estado de guerra contra a Alemanha ocorrido logo após o torpedeamento do vapor Macau. Dessa forma. ocorreu a morte de um jovem operário anarquista. Vale destacar que muitos dos operários eram imigrantes. melhores salários e a proibição do trabalho feminino noturno. a tripulação foi assolada por uma epidemia de gripe espanhola. Semana de Arte Moderna de 1922 Até as primeiras décadas do século XX. ocorrendo protestos que se prolongaram.

Siqueira Campos e Eduardo Gomes.” Novos levantes Tenentistas Em 1924. Neste levante. está inserido. Ou seja. ocorreu no rio de Janeiro o Levante dos 18 do Forte de Copacabana. Abaporu: Tarsila do Amaral Tenentismo Os tenentes propunham a montagem de um projeto de governo alternativo em relação à República Velha. daí a frase de ele “como presidente não passava de um chefe de policia. que foi prolongado até a Subida de Artur Bernardes. pois percorreu uma longa marcha de 25. pois quando buscamos a etimologia da palavra abaporu identificamos a artista em sua fase antropofágica. devido à grande importância dele. no dia seguinte apenas 18 continuaram com a luta e saíram em confronto com as forças federais. no contexto que favoreceu o golpe de 1930. obrigando-o a governar a maior parte do tempo sob estado de Sítio. de onde só sobreviveram apenas dois.000 quilômetros pelo 20 . ou melhor. mais uma vez os tenentes pegaram em armas. O governo de Epitácio Pessoa decretou estado de sítio. Vale salientar que Luis Carlos Prestes só viria a se tornar comunista futuramente. Em 1922. em 1926. os tenentes promoveram grandes conturbações no governo de Bernardes. Nesses dois estados formaram-se colunas militares contra o governo Bernardes. de forma marcante. O tenentismo. destaque para o movimento tenentista e para o movimento operário. primeira ação efetiva da jovem oficialidade contra a eleição de Artur Bernardes. O quadro de Tarsila do Amaral faz referência exatamente a essa antropofagia. Apesar de não conseguirem o seu principal objetivo (derrubada de Artur Bernardes). que percorreu o país pregando os ideais tenentistas e a derrubada do governo Bernardes. Esse movimento se tornou épico. que se juntaram e originou a chamada coluna Miguel Costa-Luis Carlos Prestes. no período pós-coluna. sem dúvida alguma. com os modernistas. Adeíldo Oliveira 11. chegaram a realizar contestações diretas e armadas contra o governo oligárquico da época. mais conhecida como Coluna Prestes. Artur Bernardes (1922-1926) O governo de Artur Bernardes foi fortemente marcado por uma grave crise social. Porém. algumas centenas de baixas patentes do exército tomaram o forte de Copacabana e enfrentaram o governo entre os dias 5 e 6 de julho de 1922. representada na foto acima. a questão nacional vai passar a ser uma prioridade na construção de uma nação melhor e mais desenvolvida. Grande destaque em meio ao movimento tenentista se dá à Coluna Prestes (1925-1927) que possuía como comandante principal Miguel Costa. Prof. mas mesmo assim recebeu o nome de Coluna Prestes.História do Brasil interpretação e transformação em algo que fosse tipicamente nacional. sendo constante o presidente decretar estado de sítio. dessa vez a partir de São Paulo e Rio Grande do Sul. a maior parte do seu governo ocorreu sob estado de sítio.

Esse casamento. de uma forma particular. estava montado o quadro político e econômico que iria culminar no golpe de 1930. o presidente. já cansados. realizou uma reforma na Constituição de 1891. foi. a Aliança Liberal. Naquele momento. que restringia a liberdade de imprensa. Os Prof. •Direito ao Executivo de vetar parcialmente os projetos do Legislativo. do Rio Grande ao sul do Maranhão. com o apoio do Congresso Nacional. o governante ainda insistiu na indicação de um candidato paulista para a sucessão presidencial. •Ampliação dos limites de intervenção federal nos estados. seus membros. Outro ponto de bastante relevo foi a atenção que teve em relação à construção de estradas. fez surgir. onde os Estados Unidos investiam capitais. mas o mercado acabou por não adquirir o que foi produzido. e. Em 1926.História do Brasil país. ocorreu uma grande produção industrial. Construiu as rodovias Rio-São Paulo e Rio-Petrópolis. consequentemente. na prática. Sem atingir o objetivo. Ao negar ajuda aos cafeicultores. fato que rompia com o “casamento” político entre Minas e São Paulo e. Lembre-se que os estadunidenses eram grandes compradores do nosso café. Washington Luís (1926-1930) Washington Luis foi o último presidente eleito pela Política do Café com Leite. consequentemente. por sua vez. O movimento que ficou conhecido historicamente como “Revolução” de 1930. que era uma das principais metas de sua gestão. chapa de oposição nas eleições de 1930 e que lançou a candidatura do gaúcho Getúlio Vargas para presidente e do paraibano João Pessoa para vice. refugiaram-se na Bolívia. Júlio Prestes. e do Brasil. O grande problema em 1929 é que o governo de Washington Luís não estava disposto a socorrer os cafeicultores como haviam feito governos passados. Washington Luís distanciava-se de uma das suas principais bases de apoio político. A Crise de 1929 e A Revolução de 1930 O ano de 1929 foi marcado pela Crise de 1929 ou Quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque. proporcionava um novo “casamento” forçado entre minas e o Rio Grande do Sul. Seu objetivo era obter apoio de vários quartéis para fortalecer a marcha. ampliando o desemprego. Principais destaques da reforma •Regulamentação da expulsão de estrangeiros considerados nocivos à ordem sócio-política. sendo deposto no final do seu mandato. Adeíldo Oliveira efeitos dessa crise foram sentidos pela Europa. 12. diminuindo o mercado consumidor. como foi visto anteriormente e nos é indicado na segunda imagem. ou seja. cujo objetivo principal era fortalecer o poder Executivo. Ocorreu a crise da superprodução. Assim. um golpe de Estado articulado pela chamada Aliança 21 . junto com os paraibanos. de uma forma geral. assim muitas empresas fecharam as portas. estava cortando gastos públicos e direcionando os investimentos para a construção de estradas. além de toda a América do Sul. Washington Luís estava realizando uma política de saneamento econômico no Brasil e. Para completar o quadro de equívocos políticos do então presidente. Durante sua permanecia no Palácio do Catete foi aprovada a Lei Celerada. inclusive tendo como lema: “Governar é abrir estradas”.

é certo entre elas que o Estado pós 1930 promoveu grandes transformações de ordem política. ERA VARGAS (1930-45) 1. a crise de 1929 também ajudou no desgaste do governo de Washington Luís. tenentes. que já vinha se materializando dentro das próprias contradições e crises políticoeconômicas pelas quais passava a “Velha” República brasileira. ela não perdeu seu poder e influência no Estado Federal. institucional. Na economia. Paraíba e. É importante salientar que mesmo que a oligarquia cafeeira paulista tenha perdido a hegemonia na política federal. pois como vimos Prof.História do Brasil Liberal – uma aliança política entre oligarquias dissidentes (Minas Gerais. indispôs os últimos em relação ao governo. No entanto. jovens políticos). derrotada por Júlio Prestes nas eleições de 1930. foi apenas o estopim para o desenrolar do golpe de 30. social e cultural no país. pois este. Segundo Boris Fausto. Inúmeras foram às interpretações. A morte de João Pessoa. de um outro paulista (Júlio Prestes) para a sucessão presidencial. 22 . Rio Grande do Sul). a grande característica da Revolução de 30 foi a sua heterogeneidade. fato que rompia com a política do “café-com-leite” e levou a maior parte da oligarquia mineira a aliar-se ao Rio Grande do Sul no golpe. apesar de divergentes em vários pontos. Na política. é importante ressaltar a cisão entre as oligarquias mineira e paulista com a indicação. Para Boris Fausto era fácil identificar o perdedor (oligarquia cafeeira paulista) e difícil definir os vencedores (oligarquias dissidentes. Adeíldo Oliveira vários grupos políticos participaram do golpe. Na década de 1930 a situação política e econômica do Brasil respirou profundamente os ventos que o velho continente (Europa) e os Estados Unidos sopravam para o restante do globo. Contexto nacional e internacional O debate historiográfico sobre a relevância da “Revolução” de 1930 na formação do Brasil contemporâneo é um dos mais prósperos na historiografia brasileira. negando-se a ajudar os cafeicultores paulistas nesse momento de baixa do café por causa dos efeitos da crise de 29. Com essa cisão as oligarquias paulistas se enfraqueceram enquanto as oligarquias do Rio Grande do Sul fortaleciam-se a partir do Pacto de Pedras Altas (1923) e da ascensão da liderança de jovens políticos como Getúlio Vargas. econômica. as dissidências internas do PRP (Partido Republicano Paulista) originaram o PD (Partido Democrático). com a compra do excedente e sua incineração. tenentes e parte de setores médios urbanos – a partir do assassinato de João Pessoa em Pernambuco por motivações políticas da Paraíba. vice de Vargas na chapa da Aliança Liberal. As grandes transformações que aqui aconteceram estiveram ligadas direta e indiretamente ao quadro político e econômico internacional. por parte do presidente paulista Washington Luís. Também no âmbito da política. em especial. pois o Estado pós 30 ainda pôs em prática políticas de valorização do café.

Thomas Skidmore avalia o fato da seguinte forma: “A mudança de liderança política. onde Vargas buscou consolidar o Golpe de 1930. capital e trabalho.com a promulgação da Constituição de 1934. 2. A terceira e última fase.História do Brasil O próprio Golpe de 1930. A primeira fase corresponde ao Governo Provisório (1930-34). pág. pelo menos na esfera política”. 1982. sociais. mormente. bem como o quadro econômico brasileiro do início desta década. Os acontecimentos posteriores confirmaram a precisão da denominação. política e economia brasileira. Adeíldo Oliveira Apesar de o movimento de políticomilitar de 1930 não representar de forma ampla a denominação que recebeu (Revolução). Mesmo não se aprofundando em reformas sociais mais consistentes e transformadoras. Brasil: de Getúlio a Castelo. Fases da Era Vargas A Era Vargas pode ser dividida em três fases distintas e interligadas entre se. O Estado pós-1930 Prof. muitas transformações ocorreram na sociedade. Com a ascensão dos Estados Totalitários na Europa. o modelo liberal excludente foi abandonado e emergiu um Estado forte e centralizado que. representou o zênite das transformações econômicas. Esses são apenas alguns exemplos de como contexto internacional afetou o processo político e econômico nacional entre as décadas de 1930 e 1940. o Estado Novo (1937-45). pela primeira vez na história política do país. Vargas promoveu uma reforma institucional profunda que possibilitou a estruturação de uma 23 . não se pode negar que o Golpe de 1930 trouxe mudanças profundas nas relações entre Estado e sociedade e. estiveram relacionados à Crise de 1929. 25). A partir de 1930. resultante da ascensão de Vargas à presidência. institucionais e culturais que ocorreram na Era Vargas. A segunda fase é marcada pela volta ao regime constitucional – Governo Constitucional (1934-37) . vertentes tupiniquins desses movimentos surgiram. tornou-se conhecida como Revolução de 30. se apresentava com características nacionais. políticas. Além desses movimentos políticos de inspiração fascista. como foi o caso da Legião Cearense do Trabalho e da Ação Integralista Brasileira. que nos fazem refletir sobre a profundidade das mudanças decorrentes do Movimento de 1930. 3. (Thomas Skidmore. Rio de Janeiro: Paz e Terra. também surgiu um com tendências de esquerda: a Aliança Nacional Libertadora.

Entre os anos de 1930-34. ocorreram inúmeros avanços importantes. Por essas razões. a intervenção nos estados e a demora na convocação da constituinte que iria votar a nova constituição. O que. que possibilitou o voto secreto e feminino e criou a Justiça Eleitoral. vale frisar que essas leis sociais já era bandeira do movimento operário durante a República Velha e que foram concedidas com o intuito de conquistar o apoio da classe trabalhadora para o Estado. guardadas as devidas limitações. Também pela primeira vez. Vargas ficou na presidência de forma temporária e com amplos poderes. o governo realizou investimentos públicos que beneficiaram os empresários capitalistas brasileiros. até que se Prof. o Estado passou a regular as relações entre capital e trabalho. principalmente das oligarquias paulistas. concedendo uma abrangente legislação trabalhista para os operários urbanos. que eram as que mais haviam perdido com o Golpe de 1930. 4. esta fase é chamada de Governo Provisório. No plano político. 1930 pode ser considerado um dos momentos fundantes do Brasil atual. porém. Foi neste momento que Vargas começou a realizar suas primeiras reformas no estado. para poder consolidar seus objetivos centralizadores.História do Brasil hierarquia de governo nas diversas instâncias (municipal. Vargas foi angariando cada vez mais oposição. auxiliando. Indústria e Comércio (1930) e implantou o Código Eleitoral de 1932. economia e sociedade brasileira. Devido a grande centralização de poderes. Governo Provisório (1930-34) elaborasse a nova constituição que iria reger o país. Na economia. por tenentes aliados. o Ministério do Trabalho. No que se refere ao social. Por isso. Adeíldo Oliveira 24 . Aqui. Foi durante o Governo Provisório que Vargas criou o Ministério da Educação (1930). durante a Primeira República era um caso de polícia. estadual e federal). substituindo os governos estaduais que lhe fossem contrários. Vargas foi o responsável pela montagem das bases da indústria nacional com seu estatismo econômico. Buscou combater todas as oligarquias opositoras ao Golpe de 30. as que o apoiavam. passou a ser uma questão de estado. implantou as interventorias.

No final. que exigia a convocação da Constituinte e a nomeação de um interventor civil e paulista em São Paulo. Adeíldo Oliveira 25 . suportou até novembro. Miragaia. um movimento cívico composto por classes médias. A cidade de São Paulo foi cercada por terra e mar pelas forças governistas. mas não era separatista. os paulistas formaram a Frente Única.1. “Revolução” Constitucionalista de 1932 Em 1932 ocorreu em São Paulo o primeiro levante contestador do estado pós 1930. mas ganhou em sua bandeira pela nova constituição. Em julho começaram as hostilidades. após sofrer vários bombardeios aéreos. foi o estado que mais sofreu com o intervencionismo varguista. Dráusio e Camargo). entre julho e novembro de 1932 em São Paulo. que visava arrecadar ouro para o financiamento do esforço de guerra e estimulava o forte sentimento regionalista dos paulistas. o levante foi derrotado materialmente. Toda cidade de São Paulo foi mobilizada para o esforço de guerra e os rebeldes tomaram o estado. que exigia a reconstitucionalização do país. oligarquias e industriais em crise.História do Brasil 4. Entre 1930 e 1932. que levava o nome das letras iniciais dos nomes desses estudantes (MMDC). vários tenentes foram colocados como interventores naquele estado para neutralizar as oligarquias. O estopim para o conflito foi o confronto entre tenentes e estudantes em maio de 1932. Desde a sua posse no governo em 1930. Essa política centralizadora foi acirrando os ânimos entre os paulistas e o governo central e acabou levando o país a sua mais importante guerra civil do século XX. Mesmo assim. São Paulo. A partir de então. Foi à chamada Revolução Constitucionalista. No decorrer daquele ano. Vargas protelava a convocação da constituinte e promovia uma política interventora em vários estados com os tenentes. formou-se Prof. que acabou resultando na morte de quatro jovens (Martins. por ser o principal baluarte da República Velha. militares descontentes com Vargas. As indústrias foram adaptadas para a produção de armamentos e promoveuse uma campanha entre as senhoras de classe média (Campanha do Ouro). Em 1933 São Paulo ganhou um interventor civil e paulista e a constituinte iniciou seus trabalhos que iriam originar a Constituição de 1934.

Adeíldo Oliveira 5.2. a representação classista. a partir do chamado “Manifesto de outubro”. pois analfabetos. garantia proteção social aos trabalhadores. O Integralismo (1932-38) A AIB (Ação Integralista Brasileira) foi a mais importante organização fascista do Brasil e o primeiro partido de massas com implantação nacional. A nova constituição trazia disposições inovadoras como o voto feminino. ela mantinha a tripartição de poderes. 2 funcionários públicos. a partir de 1935. Lançada em 1932. a AIB tinha como principais características: • inspiração fascista e autoritarismo. como foi o caso do Plano Cohen (1937) e do suposto comunismo de Jango (1964). • nacionalismo conservadorismo. a forma presidencial com quatro anos de mandato para o presidente e deputados e oito para senadores. Porém. com 18 representantes dos sindicatos dos trabalhadores. a AIB estruturou-se a partir de pequenos grupos e partidos de extrema direita em diversas partes do país. A Constituição de 1934 era ambígua em alguns aspectos. Prof. cabos e soldados eram excluídos do processo eleitoral. mendigos. ao mesmo tempo em que possuía aspectos conservadores e autoritários em seu texto. a nacionalização das minas e riquezas do subsolo e das quedas d’água. como foi o caso do Integralismo. 17 empresários e 3 profissionais liberais. A questão é que. exacerbado e 26 . não era propriamente comunista. Movimentos políticos e a “gestação” do Estado Novo durante o Governo Constitucional (1934-37): A década de 1930 foi marcada por movimentos políticos que tinham inspiração no contexto internacional. 5. Em 1933 começaram os trabalhos que foram concluídos em 1934. Constituição de 1934 A convocação da Assembleia Nacional Constituinte foi feita por Vargas ainda em 1932. Também ocorreu um levante chamado “Intentona Comunista” (1935). Defendia princípios liberais e democráticos. na verdade.História do Brasil 4. secreto e obrigatório para homens maiores de 18 anos. ainda eram limitados os direitos de cidadania.1. No que se refere à administração. mas que. o medo do comunismo acabou legitimando golpes de estado em nosso país. Composta essencialmente por pessoas de classe média.

Vargas passou a acumular mais poderes. período de crise. Também composto essencialmente por setores médios urbanos e por “tenentes” de esquerda. Após a repressão ao levante de 1935. como foi o caso de Luís Carlos Prestes (um dos grandes expoentes do tenentismo). Vargas outorgou uma nova constituição (1937). Pátria e Família”. possuíam várias manifestações cívicas e educavam as suas crianças desde cedo para seguirem os ideias do movimento. • antiliberal e antidemocrátio. • paternalismo e corporativismo Dentre as manifestações do simbolismo da AIB. • a reforma agrária. Logo após a realização do golpe. Porém. A impossibilidade de uma reeleição de Vargas levou o mesmo à articulação de um golpe que teria como pretexto o combate ao comunismo. A Aliança Nacional Libertadora – ANL (1934-35) A ANL foi o movimento oposto ao Integralismo. O Estado Novo pode ser dividido em duas fases: uma entre 1937 e 1942. Esses levantes foram tachados como comunistas porque houve a participação de alguns membros que eram do PCB (Partido Comunista Brasileiro). • garantia das liberdades populares. Recife e Rio de Janeiro alguns levantes de aquartelados que levaram o nome de “Intentona” Comunista. não havia uma proposta comunista no projeto político da ANL.Σ . onde ocorreram as reformas mais significativas. e o Sigma . e a sua esposa Olga Benário. Prof. e outra entre 1942 e 1945.História do Brasil • simbolismo e personalismo. 5. concentrando poderes no executivo. o movimento tinha como principais propostas: • constituição de um governo popular. O lema do movimento era “Deus. como também eram conhecidos. ligado ao contexto internacional de propagação do comunismo. destacamos o Anauê (cumprimento de guerra tupi). essa constituição ganhou o nome de “Polaca” brasileira. ocorreu em Natal. O Estado Novo (1937-45) Em 10 de novembro de 1937 começava o Estado Novo no Brasil. em novembro de 1935. Esse pretexto levou o nome de Plano Cohen. Por ser extremamente centralizadora. • a suspensão da dívida externa. que seria um suposto plano de invasão comunista no Brasil. a nossa quarta Carta Magna. Adeíldo Oliveira Como se percebe.que da uma ideia de somatório. 6. • a nacionalização das empresas estrangeiras.2. O Anauê. cumprimento integralista Os camisas verdes. e com inspiração na constituição polonesa dos anos 1920. Vargas dissolveu o Congresso 27 . Seguindo a linha centralizadora que marcou o Estado Novo como uma ditadura. período que representou o auge do poder de Vargas.

como o próprio nome do regime sugere. e. frustrados por não ter conseguido espaços de poder dentro do Estado Novo. O DIP era uma espécie de departamento responsável pela propagação da ideologia do Estado Novo. Para além das imagens de demagogia política e passividade dos trabalhadores brasileiros em relação a Vargas.História do Brasil Nacional e acabou com todos os partidos. o DIP censurava aquilo que era prejudicial à essa imagem. 28 . Vargas arregimentou vários intelectuais e movimentou a máquina pública no sentido de forjar uma unidade nacional. não eram apresentados na época. A queima das bandeiras estaduais seria a “queima” do próprio regionalismo. O Estado novo seria a expressão do bem e valorizaria os segmentos populares. realizava a propaganda da ditadura varguista. Durante o Estado Novo o primeiro de maio passou a ser uma das principais festividades cívicas. estádio do Vasco da Gama no Rio de Janeiro.2 O duplo censura e propaganda Para viabilizar a difusão desse discurso para as diversas partes do país. A partir de então “não existiria mais o regional”. como é chamado o populismo varguista. da cultura e das belezas Prof. Uma das primeiras medidas simbólicas nesse sentido foi a realização de uma cerimônia de queima das bandeiras estaduais. mas “somente” o nacional.: Em 1938 os integralistas. Sem dúvida alguma o DIP foi fundamental na criação da imagem de Vargas como o “pai dos pobres”. em 1939. O que não quer dizer que os trabalhadores apoiavam as arbitrariedades do governo Vargas. tentaram matar Vargas no Palácio do Catete (RJ). No discurso oficial do Estado Novo.“Trabalhadores do meu Brasil”Vargas fazia do primeiro de maio uma oportunidade para a sua autopromoção. 6. O DIP. então sede da presidência. Obs. por exemplo. era um acordo recíproco entre trabalhadores e chefe de estado. 6. dar apoio ao regime. devemos ter em mente que o que havia era um pacto social e político. onde cabia ao chefe conceder leis sociais. aos trabalhadores.3 Política trabalhista A política trabalhista do governo varguista seguia a linha do populismo. Com seu típico jargão . Na época. o rádio era o principal meio de comunicação. isso não seria possível se Vargas não promovesse a realização de uma ampla legislação trabalhista. através do teatro e através da música popular. Vargas criou o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP). 6. por isso o período também é conhecido com a “era do rádio”. Para não haver uma distorção da imagem que se queria passar para os populares sobre o governo e as suas realizações. inspirado na propaganda nazista. Entretanto. O trabalhismo brasileiro. falava-se na criação de um novo cidadão. comuns em nossos dias. Adeíldo Oliveira naturais do país através de microfilmes antes das sessões de cinema (cinejornais).1 O discurso do Regime Na hora de buscar legitimidade para o novo regime. Programas sobre criminalidade. de um novo país e se criticava as velhas elites. fruto de antigas reivindicações do nosso operariado. Era realizado em São Januário.

Também foram criadas as primeiras Universidades entre 1930 e 1940.4 Política econômica No que se refere a política econômica.). essa última com apoio financeiro dos EUA. Por isso. patrocinados pelos EUA e. no que se refere à escola primária. tínhamos os Aliados (Inglaterra.5 Política educacional Seguindo as necessidades do crescimento econômico do país e as Prof. não se pode negar o papel de relevo de Vargas no progresso das leis sociais brasileiras. Mas ainda deixou espaço para o clientelismo político com os chamados cargos comissionados. consequentemente.História do Brasil A grande realização trabalhista de Vargas durante seu governo foi a elaboração da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). pois o presidente buscava angariar apoio popular para o seu governo. sendo que os sindicatos eram atrelados ao Estado e corporativistas. Siderúrgica Nacional (CSN). Foi implantado o ensino técnico industrial. 6. Vargas se aproximou política e economicamente da Alemanha entre 1936 e 1939. a diplomacia brasileira praticou uma política externa marcada pelo pragmatismo. os dirigentes sindicais eram chamados de “pelegos”.6 Reforma administrativa No campo da administração foi criado o Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP). Vale do Rio Doce (CVRD). França etc. O DASP estabeleceu a meritocracia para se engajar no serviço público com a obrigatoriedade do concurso público. Além disso. Itália e Japão). em especial entre fins dos anos trinta e início dos anos quarenta. De um lado. que era ditatorial. como foi o caso da Universidade do Brasil e da USP. houve o reconhecimento da educação como um direito de todos os cidadãos e. do outro.7 O Brasil na Segunda Guerra A participação brasileira na Segunda Guerra mundial está diretamente ligada à política externa desenvolvida durante a Era Vargas. 6. a destinação de verbas fixas para a educação pública. vale frisar que havia um claro interesse político. Vargas desfilando em carro aberto durante um comício de 1º de maio 6. pois seu governo tinha grande 29 . quando começou a guerra. Uma crítica importante de ser feita em relação à política trabalhista do presidente Vargas. Nesse período. Vargas praticava uma política ambígua. Vargas segui uma linha nacionalista e montou as bases da indústria brasileira. Vargas também promoveu mudanças na estrutura educacional brasileira. Tais leis não chegaram ao campo brasileiro antes dos anos 1960. Criou empresas estatais como a Cia. só tinha acesso à legislação trabalhista aquelas pessoas sindicalizadas. apesar disso. em 1943. Porém. eixo totalitário (Alemanha. Além disso. é o fato de sua legislação social ter ficado restrita aos centros urbanos. com a criação do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). a Fábrica Nacional de Motores (FNM) e a Cia. 6. Adeíldo Oliveira diretrizes ideológicas do regime. Em relação às leis sociais de Vargas.

que foram atribuídos aos alemães. oficialmente. Ao mesmo tempo em que. como foi o caso das bases em cidades como Fortaleza. No plano cultural. em especial. além do Zé Carioca e Carmem Miranda. A participação brasileira no conflito se deu com o envio de soldados para as batalhas travadas na Itália. fazendo alusão ao Brasil 6. com a usina de Volta Redonda (RJ). e à forte pressão pública nacional para que o país decretasse guerra ao eixo. representando os EUA. Após o ataque japonês à base americana de Pearl Harbor (1941) e a consequente declaração de guerra oficial dos EUA aos países do Eixo. os “Senta a Púa”. contra Mussolini. 30 . Nele temos o Pato Donald.1 O Brasil na Guerra O Brasil entrou na guerra ao lado dos aliados. Seria ela uma “divulgadora da cultura brasileira” nos EUA. pois a aproximação cultural era muito mais no sentido de lá para cá. Para aquele país foram os “Pracinhas” da Força Expedicionária Brasileira (FEB) e os soldados da Força Aérea Brasileira (FAB).7. Porém. por ser a parte mais próxima do Brasil em relação à África). que levou o nome de “política da boa vizinhança”.História do Brasil semelhança com o nazismo. Recife e no Arquipélago de Fernando de Noronha. os EUA se utilizaram do cinema para difundir seus ideais e passar a imagem de amigos. “mostrando o que a baiana tem”. foi a época em que Carmem Miranda teve condições de fazer sucesso nos EUA. onde haviam tropas do eixo. após bombardeios de navios mercantes brasileiro. Adeíldo Oliveira demonstrado muito bem com a criação de personagens pela Walt Disney. Porém. Natal (chamada pelos estadunidenses de o trampolim para a vitória. como foi o caso do Zé carioca. houve o início do processo de americanização dos costumes no Brasil. mesmo sem sê-lo. com aos países da América Latina e. Além disso. A partir de 1939. tentando minimizar a imagem negativa que os países da América Latina tinham em relação a eles. teve que permitir a construção de bases dos EUA em território nacional. as relações comerciais e políticas com a Alemanha foram cortadas e se abriu espaço para a intensificação da aproximação econômica. Cartaz dos anos 40 ligado à “política da boa vizinhança”. devido ao bloqueio realizado pela Inglaterra no Atlântico. Vargas soube se aproveitar dos anseios dos americanos do norte e barganhar os financiamentos que possibilitaram a construção da CSN. política e cultural dos EUA. com o Brasil. Isso foi Prof. em agosto de 1942. passou a ser questão de segurança nacional dos estadunidenses instalar bases militares no nordeste brasileiro. manteve neutralidade no conflito. inicialmente. Nesse contexto. ponto mais próximo do norte da África.

ao mesmo tempo em que entrava em um conflito “defendendo as democracias” ocidentais. Adeíldo Oliveira 31 . Apesar de paradoxal. Por esse manifesto. a guerra chegou ao Brasil. Paulatinamente. com a “A cobra vai fumar” e “Senta a pua!”.3 Efeitos da guerra para o Estado Novo: Ao entrar na guerra ao lado dos aliados. a partir de 1943. fato que levou Vargas a iniciar a abertura política no início do ano de 1945. slogans que incentivaram os militares brasileiros na 2ª Guerra Mundial Cartaz do SEMTA Cartaz do SEMTA 6. pois a lembrança das explorações sofridas no contexto do primeiro boom da borracha (18901910). foram chamados para a ajudar o país na guerra.7. mas com os chamados “Soldados da Borracha”. Vargas cometeu uma contradição básica. ou seja. PSD e UDN).2 A Guerra no Brasil Além de o Brasil ter ido à guerra. mas pessoas simples da região nordeste que foram convocados para a chamada “Batalha da Borracha” na Amazônia. como foi o caso do Manifesto dos Mineiros (1943). vários políticos influentes de minas exigiam a abertura política do país. bem como o PCB voltou à legalidade e Luís Carlos Prestes foi solto após 10 anos preso. Porém. tal reconhecimento pelos serviços prestados por esses “soldados da 6. os anseios por democracia cresciam rapidamente. Essa contradição Abriu margem para críticas ao governo de Vargas. foi preciso a realização de uma ampla propaganda pelo por parte do governo. não apenas pelas aludidas bases estadunidenses em nosso litoral. Foi nesse momento que ocorreu o segundo boom da borracha no Brasil. pois os soviéticos haviam lutado contra o eixo na guerra e Vargas Prof. Esses soldados não eram alistados. estavam sob o controle do eixo.7.História do Brasil borracha” só chegou Constituição de 1988. históricos concorrentes dos seringais brasileiros. pois os seringais asiáticos. não eram nem um pouco atraentes para esses homens pobres. Com o fim da guerra e o retorno dos pracinhas ao país. pois praticava um governo autoritário. o governo Vargas criou o Serviço Especial de Mobilização de Trabalhadores para a Amazônia (SEMTA) e prometeu proteção do Estado contra a exploração dos seringalistas. Para que os nordestinos fossem para a Amazônia. Tentando mudar tal imagem. começou a crescer a expressão das insatisfações dos vários setores da sociedade brasileira em relação à ditadura do Estado Novo. As eleições para uma Constituinte foram marcadas e surgiram os novos partidos (PTB. tal postura do governo Vargas tinha a ver com a aliança dos aliados contra o eixo totalitário. extraindo látex para mandar para a indústria aliada.

essencialmente rural. econômico e social. no plano da economia e sociedade. Essa mudança fundamental na economia e sociedade ocasionou. na prática. não é à toa que o período político que começamos a estudar. 7. Tal campanha levou o nome de “queremismo”. PERÍODO DEMOCRÁTICO OU REPÚBLICA POPULISTA (1946-64) O período compreendido entre os anos de 1946 e 1964. a partir do PTB e PCB. é chamado de democrático. 32 .História do Brasil estava promovendo uma aproximação diplomática. De 1934 a 1937. na República Velha a cidadania era limitada pelo coronelismo. Principalmente. Esse processo ocasionou mudanças fundamentais na distribuição geográfica da população brasileira. quem exercia a “cidadania” eram os chamados “homens bons”. uma campanha com segmentos populares pedindo Vargas na presidência da nova Constituinte. esboçou-se uma democracia que foi derrubada neste último ano. No contexto de transição para um novo governo democrático. pelo voto aberto e pelas fraudes. Adeíldo Oliveira Como pode se perceber. uma mudança nas estruturas de poder em nosso país. com o golpe que implantou a ditadura do Estado Novo. foram minando paulatinamente o coronelismo. a oposição liberal brasileiros. pela primeira vez no Brasil. obrigaram Getúlio a renunciar em fins de 1945. com a montagem de um projeto de desenvolvimento urbanoindustrial. O que nos faz perceber o quanto a democracia brasileira é jovem. Isso. devido à estrutura social e econômica do país. no Império o voto era censitário e indireto. pondo fim ao Estado Novo. A cidade. Ao perceberem as manifestações populares pró Vargas. na prática. o país passou por um processo de modernização. O Populismo Entre os anos de 1930 e 1964 o Brasil passou por grandes transformações no plano cultural. como Góes Monteiro. Prof. Entre 1930 e 1934. os segmentos mais conservadores. com a URSS. devido às grandes migrações para os centros urbanos que. Vargas exerceu o poder de forma autoritária. inclusive alguns velhos aliados de Vargas no meio militar. político. historicamente um espaço fundamental de poder. No Período Colonial. formou-se. devido a ideologia desenvolvimentista e o consequente êxodo rural. perdeu poder para as cidades. ideológico. O campo. foi a primeira experiência realmente democrática no país. também. a partir de agora. foi se transformando no polo irradiador das decisões políticas e centro da economia nacional.

emergia um novo tipo de eleitor que exigia dos candidatos mais esforço e eficácia na conquista do voto. tanto na economia como na política. novos estudos indicam que. despontaram as candidaturas de Eurico Gaspar Dutra (PSD). por ser antidemocrático e por praticar um falso 33 . o que havia era uma troca entre o líder populista (cedendo com leis sociais) e as massas trabalhadoras (apoiando o líder. pelo menos em parte). nesse contexto. Com o apoio de Vargas às vésperas da eleição. muito mais que manipulação das massas. Foram exemplos desse tipo de político: Juscelino Kubitschek (JK). passou a ser mais centralizador e intervencionista. Jânio Quadros e João Goulart (JANGO). o Populismo teria como principal característica a demagogia. O eleitor controlado pelo “voto de cabresto” já não mais era mais o fiel da balança nas eleições. Para além Prof. • voltavam o estado para o desenvolvimento do capitalismo nacional (nacionalismo ou desenvolvimentismo). o General Dutra saiu vitorioso com 55%. A partir de 1947. É. Nesse quadro. que teve em Vargas o seu maior expoente. • buscavam negar a luta de classes. para alguns estudiosos do tema. Esses líderes populistas possuíam as seguintes características: • líderes carismáticos e paternalistas. além de Vargas. que emergiu o fenômeno do Populismo brasileiro. Esse governo também ficou marcado por seu aspecto conservador. Eduardo Gomes (UDN) e Iedo Fiuza (PCB).1 As eleições de 1945 e o Governo Dutra (1946-51) Após a derrubada de Vargas.2 Características do Governo Dutra O governo de Dutra pode ser marcado por dois momentos distintos. • tinham boa parte do seu prestígio baseado em políticas sociais. Porém.1.História do Brasil Agora a realidade era outra. o poder foi entregue transitoriamente ao presidente do Supremo Tribunal Federal. 7. 7. José Linhares. pois. Esse último aspecto é um dos mais controvertidos sobre o tema. Entre 1946 e 1947. foi claramente liberal. Nas eleições presidenciais de 1945. Adeíldo Oliveira das análises mais supérfluas sobre o populismo. surgiram outras lideranças com um perfil político similar ao de Getúlio. • se utilizavam da estrutura sindical e das políticas sociais para tentar manipular os trabalhadores.

7.5 A Constituição de 1946 Apesar de possuir um perfil antidemocrático. proibindo jogos de azar e a prostituição. a partir de uma decisão do STF. 7. Para além do senso comum. com a liberdade de expressão assegurada pela Prof. Na política.1. Dutra promoveu a abertura da economia brasileira para que vários produtos estrangeiros entrassem no país.4 Política interna A política externa do Governo Dutra teve reflexos em sua política interna. os parlamentares do PCB também foram cassados. No plano político. com foi o caso de Luís Carlos Prestes. no contexto da chamada Guerra Fria. uma das mais democráticas da História do Brasil.1. Adeíldo Oliveira Constituição de 1946. o PCB pode ficar na legalidade e chegou mesmo a ter alguns de seus membros ocupando importantes postos políticos. Primavera de Praga etc. comprando apenas produtos realmente necessários à economia e indústria nacionais. Dutra começa um processo de intervenção na política e na economia. 34 . Nesse mesmo ano começa a reduzir as importações. A partir de 1947. No plano econômico. no contexto da Guerra Fria. senador mais votado nas eleições de 1945. além de lançar o Plano Salte. é preciso ter em mente que a Guerra Fria não ocasionou uma simples polarização entre capitalistas e socialistas. alimentação. com base em denúncias não muito esclarecidas. foi no Governo Dutra que se aprovou a Constituição de 1946. em 1948. Dutra promoveu o alinhamento incondicional aos EUA. ideológica e propagandística entre o bloco capitalista (EUA) e o bloco socialista (URSS). com o início de uma crise na economia brasileira e com o alinhamento aos EUA.História do Brasil moralismo. 7. Isso mostra a disposição do Governo Dutra em combater os comunistas no Brasil. o PCB foi cassado. como no mundo socialista (Revolução Húngara.3 Política externa No que se refere à diplomacia. tanto no mundo capitalista (maio de 1968). No ano seguinte. visando investir em saúde. Essa ideia de bipolarização é contestada por novos estudos que apresentam contestações. Foi uma disputa política. tal conflito perdurou até fins dos anos 1980 e início dos nos 1990. Começando oficialmente em 1947.).1. com recursos acumulados durante os anos de guerra. transporte e energia.

1 Aspectos econômicos e sociais: No início dos anos cinquenta o Brasil enfrenta uma situação econômica marcada pela grande inflação. a partir do voto popular direto. Vargas foi eleito senador por dois estados e deputado. 7. mas já não podia praticá-la como 35 .6 A sucessão de Dutra e eleição de Vargas Apesar de ter saído do poder em 1945. com a sua adesão à campanha do “Petróleo é Nosso”. 7. No plano da economia. Em 1950 saiu candidato pelo PTB à presidência da República defendendo uma plataforma de governo de viés nacionalista. desde que alfabetizados. é o fato de Vargas ter sido eleito. o presidente necessitava dialogar com o Congresso Nacional e com as oposições. para dar suporte às suas decisões já não existia mais. Nacionalismo esse que não era totalmente incompatível com o capital internacional. Diante de um quadro inflacionário. Tentado combater esse quadro inflacionário. 7. Nas mesmas eleições que marcaram a sua sucessão. mas que foi angariando oposição do mesmo ao longo dos anos cinquenta. em sete. o constituinte de 1946 estabeleceu várias diretrizes democráticas para àquela Carta magna. Vargas deparou-se com uma nova realidade política. Isso mostra o prestígio que Vargas tinha perante os setores mais humildes da sociedade brasileira (“pai dos pobres”). pois a máquina autoritária que havia montado.2. Plano Aranha. Uma nota interessante de se perceber em tal Prof. pela primeira vez. Esse ministro lançou um plano de combate inflacionário que levava seu nome. pautado no nacionalismo.1. ou seja. Vargas deu continuidade ao seu projeto de desenvolvimento econômico para o país. nesse contexto. • o voto seria para maiores de dezoito anos. Concorrendo contra Eduardo Gomes (UDN) e Cristiano Machado (PSD). a saber: • tripartição de poderes e mandato presidencial único de cinco anos • trazia uma Justiça Eleitoral e voto direto secreto e universal para todos os sexos. Nesse sentido. Adeíldo Oliveira eleição. • reconhecia algumas garantias sociais aos trabalhadores. O país vivia um momento realmente democrático e. Vargas não havia perdido o mesmo. • estabelecia a igualdade entre os sexos. é perceptível que quem mais sofre com tal situação são os segmentos populares.História do Brasil Optando pelo modelo liberaldemocrático. ou seja. Vargas saiu vitorioso com 49% do eleitorado nacional. Vargas nomeou Oswaldo Aranha para o Ministério da Fazenda. Vargas deu continuidade às suas políticas sociais. durante o Estado Novo.2 Segundo Governo Vargas (195154): Em seu segundo governo.

somado ao quadro econômico-social e a forte oposição da maior parte dos meios de comunicação do país. só que na parte de abastecimento energético. capitaneada pela UDN. da Aeronáutica. Naquele ano. tínhamos os defensores da linha de modernização adotada pelo governo Vargas. medida que colocou os setores mais conservadores nacionais contra a sua pessoa e atiçou as oposições contra o governo de Vargas. as divergências ideológicas. em torno dos projetos de desenvolvimento nacional. Seguindo sua política nacionalista. pois necessitava do apoio de opositores no Congresso. no intuito de desenvolver políticas para o desenvolvimento nacional e regional. Também criou o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDE). Gregório Fortunato.2. Prof. de viés nacionalista. tais divergências acentuaram a crise política e levaram a uma situação limite no ano de 1954.agosto). ganhavam maiores dimensões. maior opositor de Vargas através do seu jornal (Tribuna da Imprensa). a linha da oposição varguista.2. pelo menos. Nunca se provou que fora Vargas o mandante. Permeando o meio militar. coisa extremamente complicada de acontecer. O Globo e os Diários e Associados. Tentando minimizar as diversas manifestações sociais contra seu governo. respectivamente.História do Brasil outrora. de outro lado. do magnata dos meios de comunicação Assis Chateubriand. pois daria continuidade ao mesmo. Jango propôs aumento de 100% do salário mínimo para os trabalhadores.3 As oposições ao governo de Vargas e a crise que levou ao suicídio: Esse conjunto de divergências políticoideológicas em torno dos projetos de desenvolvimento nacional. Vargas promoveu a criação de empresas estatais como a Petrobrás (1953) e a Eletrobrás (1954). foi se intensificando até chegarem ao seu auge. 7. em agosto de 1954. foi feito um atentado contra Carlos Lacerda (atentado da Rua Toneleros . devido a alta no custo de vida (“Greve dos 300 mil” e “Greve dos Marítimos” .1953). pois acabou matando o Major Rubens Vaz. hoje BNDES. que propunha a abertura da economia brasileira ao capital internacional como única forma de desenvolver o país (os “Entreguistas”). 7. Nesse contexto. hoje Banco do Nordeste. com a mínima dependência em relação ao capital internacional (os Nacionalistas). Tal gesto radical e fracassado. fora organizado pelo chefe da guarda pessoal de Vargas. como o Estado de São Paulo.2 Divergências políticas e ideológicas em torno dos projetos de modernização do país: Nesse mesmo contexto de crise econômica e social. ambas ligadas ao seu projeto industrial. Vargas nomeou para o Ministério do Trabalho um apadrinhado político seu chamado João Goulart (JANGO). e apenas ferindo Lacerda. o atentado serviu para fundamentar os ataques ao presidente. que desde a crise da Monarquia e a Proclamação da República era uma força política no país. Adeíldo Oliveira Desde fins dos anos quarenta havia uma divergência fundamental na política brasileira: de um lado. que defendia o desenvolvimento do país sem nenhuma ou. porém. mandante ou não. De cara. e o Banco do Nordeste do Brasil (BNB). as pessoas mais próximas de Getúlio se reúnem com o presidente e sugerem o seu 36 .

Diante das pressões diversas e da iminência de sofrer um golpe de Estado.4 Governo JK (1956-61) / “os anos dourados”: A partir dos anos cinquenta a sociedade brasileira passou por inúmeras transformações no campo da política. ocorreram várias manifestações populares contra todos aqueles que foram acusados da morte do presidente. com o desenvolvimento da TV. Típico líder populista. assim. um novo hábito se enraizou na cultura do brasileiro. Como havia acontecido com a eleição de Vargas em 1950. garantindo assim a posse de JK. com 36% do eleitorado. o presidente “Bossa Nova”. o retiraria da vida para entrar na história: “Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história”. apesar de ditador. contra 30% de Juarez Távora (UDN). A década de 1950 também foi marcada pelas discussões ideológicas e políticas em torno dos projetos de desenvolvimento nacional. Reagindo contra esse golpe. a hegemonia histórica do campo sobre a cidade e consolidando a última. Foi uma época onde a busca pela modernidade e a luta contra o subdesenvolvimento ganhou grandes projeções. economia e urbanização. Adeíldo Oliveira 7. como centro irradiador da economia e das decisões políticas a partir dos anos 1970. promoveu grandes investimentos na indústria nacional. e foi materializada a partir 37 . com a ideologia desenvolvimentista. o vicepresidente Café Filho assumiu o comando do país. principalmente. como ele mesmo registrou em sua carta testamento. Vargas optou por uma saída radical que. 7. Prof. pois. De perfil conservador e ligado à UDN. Foi nesse contexto de grandes transformações sócio-culturais. cultura. 7. a UDN tentou um golpe de Estado mais uma vez. marcado pelo grande otimismo (“anos dourados”) que JK governou o país. Nessa eleição saiu vitorioso Juscelino Kubtschek (PDS). levando-a a um crescimento nunca visto antes. Café Filho tomou medidas que abriram as portas da economia nacional ao capital estrangeiro.História do Brasil afastamento do poder.1 O nacional-desenvolvimentismo: A ideologia desenvolvimentista foi idealizada no Brasil.3 Governo Café Filho (1954-55): Após o suicídio de Vargas. como era conhecido.4. pois o mesmo já não tinha condições de governabilidade após o atentado da Rua Toneleros. Após o suicídio do presidente. temos um avanço considerável na industrialização do país. pelo ISEB (Instituto Superior de Estudos Brasileiros). políticas e econômicas. mesmo que cerceando a região sudeste. o que por sua vez. rompendo. Na política tivemos uma participação cada vez mais intensa do povo no processo eleitoral. Vargas havia sido o primeiro presidente a por em prática uma ampla legislação social no país (“pai dos pobres”) e isso estava na mente das classes trabalhadoras. Em 1955 aconteceram a eleição presidencial que levou o país a mais uma crise política. favoreceu o êxodo rural e as migrações regionais (principalmente do Nordeste para Sudeste). o General Henrique Teixeira Lott realizou o chamado “golpe da legalidade”.

Enfim. nos processos históricos determinados acontecimentos só se materializam quando chegam à sua maturidade. Foi nesse quadro que houve uma grande abertura da economia brasileira para o capital estrangeiro. na qualificação de pessoal técnico e na indústria automobilística. pois. Brasília é um símbolo. No caso de Brasília tal maturidade chegou com os anos cinquenta do século XX. JK começou a realizar uma série de investimentos em energia elétrica. com o Cinema Novo. só poderia ter saído do plano das ideias em um determinado momento histórico. Tal clima colaborou para a construção da nova capital. com a Bossa Nova. foi prevista nas Constituições de 1891. Isso. foi lembrada por Bonifácio em suas Lembranças e Apontamentos. uma meta simbolizava e sintetizava muito bem os objetivos desenvolvimentistas desse período: essa meta era a nova capital. A maioria das metas foram atingidas e até mesmo ultrapassadas. na construção naval.2 A construção de Brasília Brasília não é apenas uma cidade. econômico e cultural do país. Porém. começaram a chegar ao mercado nacional. sonhos e interesses políticos e culturais. Urbanizadora da Nova Capital) saíram vitoriosos os adeptos dos ideais modernistas Oscar Niemeyer e Lúcio Costa. na mecanização da agricultura. com o advento da TV.4. na siderurgia. percebam que Brasília simboliza também os ideais 38 . dentre outras. A partir do Plano de Metas. Empresas como a Volks Wagem. Porém. Mas quem iria realizar o planejamento dessa nova cidade? No concurso realizado pela NOVACAP (Cia. iria levar a uma ruptura com o nosso quadro de subdesenvolvimento. Por isso. é muito mais do que isso. Tal ideologia econômica e política via na industrialização o caminho para o a modernização econômica do país. Brasília é a materialização de idéias. enviada às Cortes portuguesas no contexto da independência. Enganam-se aqueles que acreditam que a capital nacional Prof. E como tal. consequentemente. Adeíldo Oliveira possui apenas metade de um século (inaugurada em 21 de abril de 1960). A proposta de uma capital no “coração” do Brasil existe desde os tempos da colonização.História do Brasil do Plano de Metas de JK. 7. o Brasil só conseguiria romper com o subdesenvolvimento e se modernizar com a junção do capital público nacional com o capital privado nacional e internacional. Acreditamos que Brasília foi efetivada por JK devido ao momento político. Assim sendo. Naquele momento o país vivia um contexto histórico ímpar com o forte otimismo propagandeado pelo desenvolvimentismo. para os desenvolvimentistas. cujo lema era “50 anos em cinco”. 1934 e 1946 até chegar à sua maturidade nos anos JK.

Adeíldo Oliveira nacional crescia a passos largos e. no engenho Galiléia (PE). O que nos faz pensar a outra face o desenvolvimentismo. tentando combater a exploração dos camponeses e a espoliação das terras dos mesmos surgiu as Ligas Camponesas. Portanto. daí várias manifestações sociais durante os anos JK. 7. No entanto. No campo a situação era bem pior que no meio urbano. O PIB brasileiro chegou a crescer a uma taxa média anual de 7. Porém. consequentemente. atraía pessoas para os grandes centros industriais. essas associações civis espalharam-se rapidamente por todo o país levantando a bandeira da reforma agrária e da extensão das leis sociais para o campo. a indústria Prof. uma das mais pobres do mundo em fins dos anos 1950.História do Brasil modernistas que estão presentes no seu corpo material e abstrato de urbe planejada para vender a idéia do crescimento. Além do exposto acima. Aqui vale frisar que. com o pagamento de péssimos salários e com horríveis condições de vida.4. fazendo crescer a urbanização. não podemos deixar de lado a importantíssima atuação dos “candangos”: milhares de nordestinos que laboraram para a construção de Brasília.5%. Em meados dessa década. JK cria. as condições sociais a que foram submetidos esses trabalhadores eram degradantes. reafirmo que Brasília é muito mais que uma cidade. O trabalhador urbano continuava a sofrer com a grande inflação que existia no país. apesar da modernização econômica nos centros urbanos. que eram comandadas pelo advogado Francisco Julião. em especial. Tentando combater o avanço das Ligas Camponesas. planejamento em sua construção é algo que também diferencia Brasília da maior parte das cidades brasileiras.3 Modernização conservadora Sem dúvida alguma os anos JK representaram um grande avanço na modernização da economia nacional. pois somente ela e algumas poucas cidades como Belo Horizonte e Goiânia tiveram tal privilégio. a realidade social do país não teve transformações estruturais profundas. pois até então as políticas trabalhistas havia ficado restritas aos centros urbanos brasileiros. 39 . Esses trabalhadores enfrentaram uma realidade de exploração do trabalho. A atuação desses “candangos” foi de suma importância para a construção da nova capital. pois foram eles a mão-de-obra fundamental. da modernização e da integração nacional. na Região Nordeste. Iniciando a partir do município de Vitória do Santo Antão.

7. Adeíldo Oliveira Como foi aludido acima. em especial da África e Ásia. os países do terceiro mundo. acabou não efetivando seu papel como deveria. JK buscou barganhar créditos junto aos EUA para seu projeto desenvolvimentista. Kubitschek tentaria uma nova eleição no pleito de 1965. Tal processo eleitoral foi vencido por aquele que soube melhor se utilizar da TV: Jânio da Silva Quadros. No governo de JK. com base no sistema pan-americano montado pelos próprios norte-americanos no pós segunda guerra. 40 . a instituição financeira internacional estava condicionando empréstimos ao país à adoção de uma política deflacionária que afetaria diretamente os investimentos governamentais na economia.4. Na época. Isso se deu devido a interesses pessoais de políticos corruptos dos estados que desviavam as verbas do órgão para atender a demandas políticas pessoais (Indústria da Seca). com a Conferência de Bandung (1955). buscavam a neutralidade em relação aos blocos capitalista e socialista. Ainda no final de seu governo JK rompeu formalmente com o FMI (1959).4.4 A política externa de JK Durante o fim dos anos quarenta e decorrer dos anos cinquenta a política externa brasileira foi marcada pelos efeitos do contexto internacional da guerra fria. um órgão de desenvolvimento regional chamado SUDENE (Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste). pela OPAN. infelizmente. Ao invés da simples neutralidade ou de apenas se alinhar aos EUA. o que nos faz perceber que a bipolarização entre EUA e URSS não era absoluta. a SUDENE. Nesse contexto. Prof. JK. Esse quadro prejudicaria a imagem do futuro presidente e. com isso. Além disso. Tal ruptura se deu devido à oposição do FMI ao Plano de Metas. JK pretendia.História do Brasil em 1959.5 Eleições de 1960 O pleito eleitoral de 1960 foi marcado pelo uso de um importante meio de comunicação que serviu e serve para interesses políticos: a televisão. segundo alguns analistas do tema. lançou entre 1958 e 1959 a Operação pan-americana (OPA). ganhar prestígio político junto a populares e deixar o mal estar para o novo presidente. com tal ruptura. 7. Kubitschek barganharia o apoio brasileiro para o bloco capitalista ocidental em troca de créditos para o país buscar romper com seu quadro de subdesenvolvimento. Criada no intuito de combater as secas e promover o desenvolvimento da região.

História do Brasil Nessas eleições formaram-se duas chapas: a do Gal. PDC). Vendendo uma imagem popularesca com a prática de hábitos simples (comer pão com mortadela. De acordo com tal interpretação da renúncia de Jânio. PTN. do lançaperfume no carnaval e das corridas de cavalos em dias de semana) e com medidas autoritárias. 41 . como o uso de bilhetinhos escritos manualmente com ordens para seus ministros. No plano interno. Jânio renunciou à presidência da República e deixou o país mergulhado em mais uma grande crise política. Jânio começou a sua gestão com medidas estapafúrdias (proibição do uso de biquínis nas praias. caspa e descuido com seus trajes) e propagando um falso moralismo (seu lema era “varrer a corrupção”) Jânio venceu as eleições de 1960 com 48% dos votos e foi seguido por Jango para vice. abriu as portas do país ao capital externo e retomou as negociações com o FMI. PL. Segundo Jânio. Reatou relações com a URSS e com a China e ainda não apoiou os EUA na proposta de expulsar Cuba da OEA (Organização dos Estados Americanos). com apenas sete meses de governo. para evitar a posse do suposto comunista Jango. Jânio ainda promovia uma política interna contraditória com suas diretrizes externas. Jânio para presidente e Jango para vice. Adeíldo Oliveira 8. Jânio ainda chegou a condecorar Ernesto Che Guevara com a ordem do cruzeiro do sul. Prof. Jânio tinha intenções políticas autoritárias com tal medida. “forças ocultas” o haviam obrigado a renunciar. o povo iria pedir o retorno de Jânio e. No entanto. Lott com Jango (PSDPTB) e a de Jânio Quadros e Milton Campos (UDN. 8. O problema é que parte desse “plano” deu certo mas a outra não.2 A renúncia de Jânio e a campanha da legalidade Em agosto de 1961. Além de não ter um projeto clero de governo. o mesmo poderia solicitar mais poderes em suas mãos. Governo Jânio (1961) Investindo muito na imagem política e se esquecendo dos projetos de governo. ou seja. Além disso.1 Política Externa Independente (PEI) No plano externo Jânio buscou uma linha independente em relação aos EUA. assim. o presidente queria concentrar poderes em suas mãos. pois os setores mais conservadores não iriam aceitar a posse de Jango devido ao fato de o mesmo ser associado ao comunismo. Informalmente foi formada a chapa “Jan-Jan”. segundo estudos posteriores. Por isso mesmo. 8.

História do Brasil 9. porém. A Revolução Cubana e a sequente adesão daquele país ao socialismo. no início dos anos 1960. levou o mundo a uma situação limite. tanto das esquerdas como dos setores conservadores de nossa sociedade. Nesse contexto tivemos um impasse. Porém. Governo João Goulart (1961-64) Realmente. Adeíldo Oliveira 42 . Seu governo ficou marcado pela radicalização política. que iria Prof. a Aliança para o Progresso (um programa de ajuda econômica para os países latinos). os setores mais conservadores do país não aceitaram a posse de Jango de imediato. A partir da crise dos mísseis. Tal campanha. Foi nesse contexto turbulento que Jango iniciou o seu governo. como o próprio nome sugere. de acordo com a linha de sucessão. Na época da renúncia. a partir do Rio Grande do Sul. João Goulart assumiu a presidência em 7 de setembro de 1961. fato que enfatizava ainda mais as associações que existiam entre o vice-presidente e o comunismo. A ala conservadora não queria a posse de Jango. Tentando combater o comunismo na América Latina. em um dos quartéis mais importantes do país. como foi o caso de Cuba. No início dos anos sessenta vivia-se o auge daquele conflito. os americanos do norte ainda estavam financiando instituições golpistas para evitar que setores de esquerda tomassem o poder e caminhassem para o socialismo. buscava garantir a posse legal do então presidente. Essa foi a saída parlamentarista. onde quase ocorreu um novo conflito mundial. Jânio havia enviado Jango em uma missão diplomática a China “comunista”. Esse compromisso político ainda previa um plebiscito para 1965 onde o povo brasileiro iria escolher entre o presidencialismo e o parlamentarismo. soviéticos e estadunidenses adotaram a linha política da coexistência pacífica. optou-se por uma saída de compromisso. com o então governador daquele estado e cunhado de Jango (Leonel Brizola) e com o III exército. onde Jango iria governar com poderes limitados a um primeiro ministro. a renúncia de Jânio foi aceita com tranquilidade. em 1961. organizou-se a campanha da legalidade. Após duas semanas de deliberações entre os legalistas e os contrários a posse de Jango. Além de buscar minimizar os problemas do subdesenvolvimento nos demais países do continente. os EUA lançaram. Essa situação política estava ligada diretamente ao contexto internacional da guerra fria.

articulado por Furtado. Mas para que esse plano conseguisse êxito. favorecendo a Eletrobrás e atingindo interesses do capital internacional. 9. com o apoio dos EUA. No ano de 1962. quando Jango assumiu o poder. Seguindo uma linha nacionalista. Jango conseguiu a aprovação do Plano Trienal de desenvolvimento econômico e social. Tentando minimizar esses problemas. seu ministro da Educação. Nesse momento. com a atuação marcante de Darcy Ribeiro. econômico. Adeíldo Oliveira do governo anterior com o Plano de Metas. deu continuidade a Política Externa Independente. longe disso. Jango começou por adotar uma política de reforma na economia. No entanto. No intuito de combatê-la. fato que não ocorreu e que levou o plano ao fracasso. um dos grandes problemas de nosso país naquele momento era a inflação. da sociedade e da política nacional. educacional e social. Em sua diplomacia internacional. médio e superior). desde os primeiros instantes. No campo educacional. Porém. com o corte de gastos e com o aumento de impostos. foi aprovada a Lei de Diretrizes e Bases (LDB) da educação brasileira e foi criada a Universidade de Brasília. Tal plano tinha como grande meta o combate à inflação. o governo precisava de apoio dos diversos setores da sociedade nacional. Daí a necessidade de reformas nesses vários setores. com distribuição igual para os três níveis (básico. para efetivar as suas Reformas de Base. o país estava mergulhado em um caos político. Jango adotou uma política que limitava a remessa de lucros para o exterior e nacionalizou algumas empresas no setor de energia.2 As Reformas de Base A necessidade de reformas nos diversos setores da economia. levou Jango a lutar. em especial devido aos gastos Prof. Jango nomeou o economista Celso Furtado para ser ministro do Planejamento. antes de começar a realizar seu projeto de Reformas de Base. a educação passou a receber uma renda mínima de 9% da Receita Federal. Seu projeto não era radical.1 O Plano Trienal e a ideologia do planejamento Entre fins dos anos cinquenta e início dos anos sessenta. Com tais reformas Jango 43 . Jango buscou promover um amplo programa de reformas que ganhou o nome de Reformas de Base. 9. não acabar com eles. como os conservadores de nosso país diziam.História do Brasil terminar em 1964 com um golpe de Estado promovido por setores conservadores da sociedade brasileira e militares.

Jango anunciava o decreto SUPRA (Superintendência da Reforma Agrária). A FMP aglutinava vários segmentos dos movimentos populares. buscava racionalizar a máquina pública. em uma faixa de até 10 km². que ficassem no entorno das ferrovias e Prof. com vistas a melhorar a vida de quem pagava aluguel. • reforma educacional. tanto nas esquerdas como nos setores conservadores. • reforma militar. com Brizola no comando. existiam outras. os seus opositores reacionários com o apoio dos EUA. lançado oficialmente no Comício da Central do Brasil (março de 1964). Além das reformas supracitadas. • reforma urbana. • reforma político-eleitoral. inicialmente apoiadora de Goulart e depois transformada em Frente de Mobilização Popular. do outro.3 A radicalização política e o golpe civil-militar de 1964 Entre 1963 e 1964 a situação política no país se radicalizou. Por esse decreto. O país vivia um impasse. no intuito de ampliar a educação pública e laica. tínhamos setores sociais e políticos progressistas que apoiavam o projeto de reformas de bases de Jango de um lado e. • reforma bancária. Nas esquerdas não havia uma unidade. estabelecendo o voto para analfabetos. mas nenhuma delas era tão polêmica quanto à reforma agrária. O projeto de reformas de Jango era conservador demais para os movimentos sociais. Tinhase a Frente Parlamentar Nacionalista (FPN). foi-se articulando o golpe de 1964. a elite latifundiária do país via nas reformas de Jango indícios de comunismo e não aceitava negociações. Jango apenas redistribuiria terras para camponeses sem tocar nas estruturas sociais do país. Adeíldo Oliveira 9. No entanto. Assim. previa-se a desapropriação das terras devolutas de latifúndios maiores de 500 hectares. que almejava permitir a participação de suboficiais na política. visando ampliar os créditos às forças produtivas e controlar os juros. nem mesmo dentro do governo. Em seu projeto. Nesse contexto. como a CGT (Comando Geral 44 . • reforma administrativa.História do Brasil visava apenas reduzir as desigualdades. As Reformas de Base previam: Com tal projeto. bem como radical em demasia para os reacionários. para fins de reforma agrária. rodovias federais. mesmo que limitada. pois tocaria em interesses estabelecidos há séculos em nosso país. sem mudar as estruturas.

o nacionalismo de Golbery era pautado no anticomunismo e na defesa dos ideais liberais excludentes do mundo judaico-cristão ocidental. Nesse sentido. quando da criação da Escola Superior de Guerra (ESG). Em fins de março de 1964. 45 . com a atuação de destaque do grupo comandado pelo militar intelectualizado Golbery do Couto e Silva. os EUA estavam financiando e apoiando grupos conservadores dos diversos países da América Latina na realização de golpes políticos em governos de tendências socialistas. organizadas por setores médios e conservadores da sociedade civil brasileira. que levava as leis trabalhistas da Era Vargas para o campo brasileiro. que tinha no autoritarismo a sua principal característica política. os setores golpistas tomaram o poder sem resistência ao golpe. não tinha muita coisa de comunista. instituições como o IPES (Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais) o IBAD (Instituto Brasileiro de Ação Democrática) e a ESG vinham sendo financiadas e apoiadas pelos norteamericanos. a ideologia anticomunista dos EUA vinha sendo difundida no meio militar brasileiro. Jango colocou em prática o Estatuto do Trabalhador Rural (1963). No campo. a questão agrária se agravava e as necessidades de reforma eram entoadas a cada dia com mais intensidade. Esse combate ao comunismo é que garantiria a “segurança” do país. Adeíldo Oliveira e. No campo da direita conservadora. O pretexto para o golpe foi o suposto “combate” ao “comunismo” de Jango que. após o Comício da Central do Brasil. A ideologia do regime O golpe civil-militar que ocorreu entre 31 de março e 1° de abril de 1964 teve no binômio segurança e desenvolvimento a base para montagem da ideologia do novo governo. Foram essas organizações que estiveram presentes na realização do golpe de 1964. No Brasil. como foi visto anteriormente. desde 1949. tido como o grande ideólogo do regime junto com Castelo Branco. na lei ou na marra”. onde Jango anunciava suas Reformas de Base Prof. após as “marchas da família com deus pela liberdade”. Nesse contexto de guerra fria. DITADURA CIVIL-MILITAR (1964-85) 1. na verdade.História do Brasil dos Trabalhadores) e a UNE (União Nacional dos Estudantes). As Ligas Camponesas radicalizavam o seu discurso com o lema “reforma agrária. Tentando combater o avanço das ligas. A Escola Superior de Guerra foi o lugar maior da montagem dessa ideologia.

os da “sorbone” ou castelistas. Governo Castello Branco e as primeiras medidas do novo regime Devido ao fato de ser um dos principais mentores e uma das principais lideranças do golpe de 1964. os castelistas. devido ao fato de serem militares intelectualizados.História do Brasil O desenvolvimento seria garantido. com a posse do general Ernesto Geisel. (. Com isso. além de ser realizada a queima de livros ditos subversivos em algumas cidades brasileiras. em seu governo aconteceram episódios lamentáveis como expurgos de vários intelectuais de universidades e da vida política do país.) A segunda fase vai de 1968 a 1974 e compreende os anos mais sombrios da história do país. do ponto de vista dos direitos civis e políticos (. Cidadania no Brasil: o longo caminho. o salário mínimo continuou a decrescer. pág. Uma delas era a linha capitaneada por Humberto Castello Branco.) O período combinou a repressão política mais violenta já vista no país com índices também jamais vistos de crescimento econômico. utilizamos a divisão do período adotada pelo grande mestre José Murilo de Carvalho.. Ou seja. depois. com a eleição indireta de Tancredo Neves”. entre 1964 e 1967. com a adoção de uma política de alinhamento aos EUA. Para facilitar a análise daquele momento político.) os governos militares podem ser Prof. defendia que a “revolução” deveria ser feita para garantir o binômio segurança e desenvolvimento e. o poder deveria ser devolvido aos civis. em tese. a dos castelistas..157158] 2. Adeíldo Oliveira divididos em três fases. A primeira vai de 1964 a 1968 e corresponde ao governo do general Castelo Branco e o primeiro ano do governo do general Costa e Silva. não havia uma unidade absoluta entre os setores golpistas. os militares e civis que realizaram o golpe de 1964 diziam que o país iria romper seu quadro de subdesenvolvimento e se tornaria uma potência.... No entanto. 2008. que defendia que os militares deveriam ficar no poder por tempo indeterminado. não desejavam permanecer muito tempo no poder. Apesar de ser considerado intelectual. 46 . em seguida. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. “(. Em contraste com as taxas de crescimento. Para o autor. Por outro lado. Pode-se dizer que haviam duas tendências dentro das forças armadas. Castello Branco foi o primeiro presidente militar. tinha-se a chamada “linha dura”. com a consequente abertura do país ao capital externo e com uma série de investimentos no setor industrial. A terceira fase começa em 1974. [José Murilo de Carvalho. e termina em 1985. Foi nessa época que surgiu essa ideia de Brasil Potência emergente. Essa linha. como eram conhecidos..

no governo de Castello foi criado o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). quando se reflete sobre os processos históricos. Esse foi um dos lados negros da ditadura. apesar de praticar uma política muito mais voltada para atender aos interesses do capital internacional e nacional. é mudar a mentalidade maniqueísta que limita o intelecto humano e a compreensão da realidade histórica e social. o Estado lançou um plano econômico que visava o combate à inflação e a maior abertura de nosso mercado ao capital internacional. perseguições políticas. para alguns juristas. é tida como uma nova constituição. No entanto. da Constituição de 1967 e da Emenda n° I. na administração pública como um todo e na sociedade civil. no judiciário. Através PAEG. 47 . Qualquer pessoa contrária ao golpe poderia ser caçada e sofrer torturas. Esses expurgos foram realizados em Universidades. A reflexão crítica a respeito das instituições militares no Brasil e sobre a sua participação na política nacional. de 1969 que. Ainda no governo de Castello Branco. foram baixados quatro atos institucionais que iniciaram a onda de perseguições políticas aos opositores do regime e começaram a montar o arcabouço jurídico do regime. De imediato. obriga o historiador e pensador da realidade nacional a lobrigar as Prof. é preciso salientar que. Adeíldo Oliveira A estruturação política e jurídica da ditadura implantada em 1964 foi feita a partir de decretos-lei chamados de Atos Institucionais (AI). o que é preciso.História do Brasil Em seu governo. Essas eram políticas sociais de alcance claramente limitado e que serviam a interesses políticos do governo. com isso. exílio ou perder seu emprego. o PISPASEP e foi posto em prática o Estatuto da Terra. A repressão institucionalizada No entanto. Não negando essa memória mais recente que se tem da presença militar na política brasileira. houve preocupação de imediato com a crise econômica pela qual passava o país. Esse plano foi o PAEG (Plano de Ação Econômica do Governo). 3. pelo menos desde a Guerra do Paraguai. impôs-se uma política social que comprimia os salários e que retirava subsídios do petróleo e do trigo. no legislativo. o BNH (Banco Nacional de Habitação). imagens mais recentes que colocam os militares como algozes de nossa sociedade. eles têm desempenhado um papel de relevo na política tupiniquim. no movimento estudantil. o governo visava reduzir o déficit fiscal.

polícia política. É interessante frisar que. e o da oposição formal e consentida: o MDB (Movimento Democrático Brasileiro). de acordo com José Murilo de Carvalho. A partir de então só existiria o partido da situação: a ARENA (Aliança Renovadora Nacional. que seria o cérebro do regime. 3. com o funcionamento do Congresso na maior parte do período e com a realização de eleições para alguns cargos representativos. Golbery do Couto e Silva criou o Serviço Nacional de Informações (SNI). que concedia plenos poderes ao presidente Castello para controlar a política e a sociedade brasileira. Castello Branco baixou o AI-3. as eleições indiretas para presidente da República e o bipartidarismo. O SNI era o instrumento maior de inteligência da ditadura e o responsável por promover inúmeras investigações secretas sobre a vida de pessoas consideradas suspeitas ou ameaçadoras do governo. devido à vitória do MDB em algumas importantes unidades da federação. que estabelecia o fim do pluripartidarismo. além de outros órgãos repressores. que era o fato de buscar passar uma imagem de democracia para o resto do mundo. de perfil centralizador e autoritário. que era financiada por empresários para combater a luta armada no eixo Rio-São Paulo. os militares procuraram mascarar o autoritarismo com a permissão de uma oposição formal. Mesmo com o país vivendo um de seus momentos mais autoritários. Ainda no final de 1966 o governo fechou o Congresso e baixou o AI-4. Em fevereiro de 1966. a ditadura civil-militar tinha uma peculiaridade bem interessante. No final dos anos sessenta ainda foi lançada a OBAN. Prof. Além do SNI existia o DOPS. os DOI-CODI e o CENIMAR. que estabelecia eleições indiretas para os governadores estaduais. que previa a reabertura do Congresso no início do ano seguinte para eleger o novo presidente e para aprovar a Constituição de 1967.1 Os órgãos da repressão Fundamentando-se na Doutrina de Segurança Nacional (DSN). Foi a partir desse ato que começaram as perseguições aos opositores do golpe. Em 27 de outubro de 1965 foi editado o AI-2. pois concentrava poderes nas mãos do chefe do executivo. Adeíldo Oliveira 48 .História do Brasil Em 9 de abril de 1964 foi editado o Ato Institucional n° 1.

patriarcais. Rearticulação das oposições e a produção cultural e política nos anos 1960 A década de sessenta ficou marcada por uma série de transformações no campo cultural. Gilberto Gil. a partir dos EUA. Chico Buarque. Adeíldo Oliveira momento que surgiu ou se intensificou a atuação de movimentos culturais engajados na mudança social e política como os Centros Populares de Cultura (CPCs). o Cinema Novo e Teatro Oficina e Arena. Esses três últimos com o movimento musical de inspiração modernista chamado tropicalismo. racistas e consumistas da “sociedade de massas”. de Vandré. que buscavam promover a criação cultural com crítica social. No plano da sociedade e da cultura tivemos uma década marcada pela contestação dos valores moralistas. como “Cálice”. vivia-se um momento de grande efervescência cultural e política no mundo ocidental. Caetano Veloso. Esses artistas buscavam promover críticas ao governo através de suas canções. JK e Jango defendendo a democracia liberal. nos respectivos estados. Foi nesse Prof.História do Brasil 4. 49 . a contestação ao racismo com Martin Luter King e a Revolução Sexual e a progressiva liberalização da mulher com a atuação do movimento feminista. No campo musical. a chamada Primavera de Praga. Em 1968 ocorreram grandes manifestações de trabalhadores em são Paulo e Minas gerais. Esse contexto influenciou diretamente a sociedade civil brasileira que vivia sob o signo de uma ditadura. conhecida como “passeata dos 100 mil”. Também se tinha. Várias músicas ficaram famosíssimas. que traziam em suas letras contestações à repressão e aos autoritarismos. em Paris e com as contestações ao domínio soviético na República Tcheca. Gal etc. Foi nesse contexto que surgiu o movimento Hippie. de Chico Buarque e “Para não dizer que não falei de flores”. A oposição ao regime crescia constantemente depois de 1965. com as greves gerais de trabalhadores e estudantes no mês de maio. No Rio de Janeiro foi organizada uma enorme manifestação pública exigindo abertura política. em Minas. com o movimento da Contra Cultura. Essas contestações começaram a partir dos EUA. que buscava promover uma crítica à sociedade de massas através de um estilo alternativo de encarar a vida. social e político no mundo ocidental. Enfim. O ponto zênite da década foi o ano de 1968. com Lacerda. No campo da política formou-se a Frente Ampla. com as greves de Osasco e contagem. O movimento estudantil foi reprimido com violência no Congresso de Ibiúna. destacaram-se artistas como Geraldo Vandré.

Nesse sentido. que baixou o Ato Institucional n° 5. visando evitar a posse do vice-presidente que era civil. que seria o principal instrumento da repressão durante o período. Antes de Médici assumir a presidência. ainda montou-se uma junta militar. Esse ato possibilitou a contenção das oposições. O então presidente da linha dura. Com o AI-5 os militares deram um golpe nas oposições e iniciaram um dos períodos mais negros da história política do país. com o governo de aspectos fascistas do Gal. a Vanguarda Popular Revolucionária (VPR). o Movimento revolucionário 8 de Outubro (MR-8) e. como a Aliança de Libertação Nacional (ANL). a Guerrilha do Araguaia.AI-5 e o auge da repressão O crescimento constante das oposições ao governo levou os militares da linha dura a promover o que alguns chamaram de a revolução dentro da revolução ou a contra-revolução. Prof. guerrilheiros como Carlos Marighella e Carlos Lamarca passaram a comandar movimentos radicais de esquerda. demissões do serviço público e perseguições em empresas particulares.História do Brasil Além dessas manifestações pacíficas. Costa e Silva baixou o AI-5. neste caso os urbanos. 50 . pois enrijeceu a censura aos meios de comunicação. O golpe de 1968 . Adeíldo Oliveira 5. como o habeas corpus para crimes contra a “segurança nacional. nos centros urbanos do sudeste. no campo. Nesse clima crescente de oposição ao governo os militares começaram a endurecer ainda mais o regime. possibilitou a cassação de mandatos de parlamentares. praticavam ações ousadas como os assaltos a bancos para financiar a luta contra o governo. o sequestro de embaixadores estrangeiros para trocá-los por prisioneiros políticos da ditadura e até mesmo o “justiçamento” (assassinato de militares). suspendeu direitos individuais de cidadãos. foram realizadas ações mais ousadas contra o governo com a chamada Luta Armada. Esses movimentos. Para alguns opositores da ditadura a oposição pacífica não traria grandes resultados. Ação Popular (AP). com a sua composição feita pelos ministros das Forças Armadas. O pretexto para o endurecimento foi o discurso do Deputado Moreira Alves contra o governo. Emílio Garrastazu Médici (1969-74). após uma trombose cerebral de Costa e Silva.

esse crescimento dava-se devido à grande oferta de créditos no mercado mundial e. O “milagre” econômico e o duplo censura/propaganda no Governo Médici O governo de Médici correspondeu ao auge da repressão. onde a propaganda associava os grandes índices de crescimento econômico com as conquistas esportivas. Esse milagre. Toda essa política de propaganda das “benesses” da ditadura associada aos esportes omitia a grande violência e corrupção praticada no governo. o PIB nacional crescia de forma excepcional. Era a época do desenvolvimento da ideia de Brasil potência. além dos problemas sociais. A propaganda oficial promovia a divulgação de slogans ufanistas como “Brasil: ame-o ou deixe-o” e “ninguém mais segura esse país”. aproximadamente. após a crise do petróleo de 1973. tiveram seus salários comprimidos. Foi nesse mesmo contexto que ocorria o “milagre” econômico brasileiro. tinha explicações bem mundanas. havia o grande problema da concentração de renda (“política do bolo”). 51 . o tricampeonato mundial de futebol foi utilizado pela ditadura para desviar a atenção do povo da política para os “espetáculos” da seleção (“política de pão e circo”). Quem realmente se beneficiou com o “milagre” foram os empresários nacionais e internacionais e as classes médias. a partir da rede Globo. em especial. Já os segmentos populares. na realidade. em especial.Comandado pelo poderoso ministro Delfim Neto. mas não era. com a maior oferta de empregos para profissionais qualificados. Segundo analistas do “milagre”. Neste sentido. uma Prof. Adeíldo Oliveira momento entre 1969 e 1973 aonde o PIB nacional chegou a crescer entre 8 e 14% ao ano. os militares controlavam jornais e a TV.História do Brasil 6. Esse paradoxo pode ser entendido através da análise da propaganda oficial promovida pelo governo através da grande mídia. Parecia um milagre. após anos de recessão e grande inflação na década anterior. só permitindo a divulgação de notícias favoráveis ao governo e censurando tudo aquilo que destoava da ideologia do regime. internamente. Com a censura prévia aos meios de comunicação. momento onde o “milagre” começou a desmoronar e mostrar a sua real face. o “mago da economia” durante os governos militares. Esses problemas só iriam aparecer com mais ênfase na transição para as décadas seguintes. ao mesmo tempo em que ocorria o auge da popularidade do regime.

Em seu mandato (1974-79). Já o MOBRAL. 8. Também foi intensificado a Organização Social e Política do Brasil (OSPB) e criou-se o MOBRAL (Movimento Brasileiro de Alfabetização). ascendeu ao poder a figura de Ernesto Geisel. Japão e Europa). À crise do modelo econômico somaram-se as pressões internas da sociedade civil brasileira. visava inserir o ensino superior brasileiro de acordo com os interesses internacionais de privatização do ensino e com o tecnicismo educacional. SPBC e CNBB foram importantíssimas na luta pela distensão. que era uma de suas bases de sustentação política. existiam pressões das grandes potências. e ainda havia a crise do petróleo ligada a mais um episódio dos conflitos árabe-israelense (Guerra do Yom Kippur. Geisel e o início da abertura “lenta. com J. na verdade. Neste contexto. gradual e segura” Após os anos truculentos do governo de Médici.História do Brasil 7. No entanto. não trazia grandes transformações sociais. tivesse avanços e 52 . última metade dos anos 1970 foi marcada pelo início da abertura e com o avanço das oposições ao governo. Geisel iniciou o processo de distensão do regime. iniciada por Geisel. na defesa dos direitos humanos. com a luta pela anistia e pela revogação do AI-5. que defendia a alfabetização e melhor preparação educacional do cidadão para integrá-lo a sua sociedade e lhe proporcionar um padrão de vida melhor. ligado ao contexto nacional e internacional. que. com os países da OPEP aumentando o preço daquele produto. Adeíldo Oliveira militares esclarecidos comandados por Golbery do Couto e Silva. Política educacional Como era de se esperar. Figueiredo (197985). tal atuação ficou marcada pelos acordos MEC-USAID (Ministérios da Educação do Brasil e EUA). Isso fez com que a abertura. a ditadura também atuou no campo educacional. B. acabou servindo aos interesses “morais e cívicos” passivos e apáticos da ditadura. membro do grupo de Prof. A OSPB. No que se refere à conjuntura internacional que facilitou a abertura política. que deveria ser uma disciplina voltada para a formação cidadã. ABI. com a Comissão Trilateral (EUA. fato que afetou profundamente a economia dependente do Brasil e fez ruir o modelo de desenvolvimento econômico adotado pelos militares. dentre outras coisas. Esse processo só seria concluído no governo seguinte. mas seria de forma “lenta. Instituições com a OAB. gradual e segura” (Projeto Geisel-Golbery).

com isso. “Geisel queria menos ditadura tornando-se mais ditador”. inclusive. Geisel recua com a Lei Falcão (1976). que era a extrema direita do regime e fazia oposição frontal ao projeto Geisel-Golbery. pois os militares não estavam dispostos a perder o controle da situação de imediato. com recuos autoritários. • as mensagens presidenciais enviadas ao Congresso seriam aprovadas automaticamente se não fossem aprovadas pelos parlamentares em até 40 dias. apesar de iniciar a abertura. Como avanço importante teve-se a redução da censura aos meios de comunicação. inclusive com atentados terroristas contra a abertura. o MDB saiu vitorioso nas eleições municipais de 1976. O II PND tinha objetivos diferentes e ligados ao novo contexto econômico mundial. 8. • imposição ao Senado de vários senadores “biônicos” nomeados pelo presidente. havia um paradoxo no governo de Geisel. o Governo Geisel lançou o II PND. O que o autor queria dizer com isso é que a abertura iria acontecer. Adeíldo Oliveira seu projeto de abertura com o chamado “pacote de abril”. No entanto.História do Brasil recuos. como informou o jornalista e historiador Elio Gaspari. Isso nos mostra a crescente insatisfação em relação ao governo e os anseios de mudança existentes na sociedade brasileira. Como resposta a essa ascensão constante das oposições aos cargos políticos. mas do jeito e no ritmo dos militares. 53 . Geisel recua ainda mais em Prof. a revogação do AI-5 entre fins de 1978 e início de 1979 e o embate direto do governo com a linha dura. • aumento do mandato presidencial para 6 anos. pois. Veja as disposições do “pacote de abril”: • recesso do Congresso Nacional e plenos poderes ao presidente.1 O II Plano Nacional Desenvolvimento (PND) de Dando continuidade a política econômica de desenvolvimento industrial. • aumento da representação de deputados para os estados onde o governo elegia mais parlamentares. No entanto. mesmo assim. um conjunto de medidas políticas e institucionais que visava por limites ao crescimento das oposições. o primeiro havia sido lançado no governo de Médici e buscava substituir as importações na época do “milagre”. conter tal avanço. Com o avanço do MDB nas eleições de 1974. que limitava o acesso da oposição aos meios de comunicação e tentava.

História do Brasil
Devido à crise do petróleo, as
demandas do II PND estavam ligadas ao
problema energético. Dentre seus
vários objetivos destacamos os
investimentos na prospecção de
petróleo, desenvolvimento de um
programa
de
energia
nuclear,
lançamento do Proálcool para tentar
uma substituição parcial da gasolina
pelo álcool e investimentos em energia
hidroelétrica, com as usinas de Itaipu e
Tucuruí.

9. João Batista Figueiredo e a transição
do poder para os civis

Dando continuidade ao projeto de
abertura iniciado por Geisel e Golbery,
J. B. Figueiredo promoveu a transição
do poder para os civis através de uma
“conciliação pelo alto”, como desejava
o projeto Geisel-Golbery. Seu governo
ficou marcado pela ampliação da
distensão e pelo aumento da crise
econômica, com um quadro de
“estagflação”.

Já no ano de 1979 Figueiredo avançou
no sentido da abertura política, com a
revogação do AI-2 e a consequente
aprovação no Congresso da Nova Lei
Orgânica de Partidos (Lei 6.767, de 20
de dezembro), bem como com a
aprovação no Congresso da Lei de
Anistia (Lei 6.683, de 28 de agosto de
1979), uma das principais bandeiras da
sociedade civil brasileira daqueles anos.

Prof. Adeíldo Oliveira

No que se refere à nova lei de partidos,
extingui-se o bipartidarismo e voltavase ao pluripartidarismo. Foi nesse
momento que surgiram Partidos como
o PMDB, antigo MDB; o PDS, antiga
ARENA; o PDT, formado por antigos
simpatizantes
do
varguismo
e
comandado por Brizola; e o PT, ligado
ao chamado Novo Sindicalismo do ABC
paulista (atual ABCD), que teve seu
auge nas greves gerais entre os anos de
1978-79 e intelectuais da estirpe de
Florestan Fernandes. Vale frisar que
essas greves do ABC paulista mostram a
força de um emergente movimento
operário que teve origem no próprio
modelo
de
desenvolvimento
econômico do governo.

Já a Lei de Anistia promovia o perdão
geral para torturadores e para
opositores do regime, pois era uma lei
que concedia a “anistia ampla geral e
irrestrita”.

No entanto, mesmo com os avanços no
sentido de se abrir a política brasileira
ocorreram alguns contratempos com a
oposição ferrenha da linha dura ao
projeto de distensão. Essa oposição se
fez sentir com uma série de atentados
terroristas às entidades e pessoas
ligadas à abertura, como foi o caso do
famoso e fracassado atentado do
Riocentro em 1981.

No início dos anos 1980 o quadro
econômico brasileiro complicava-se e
as oposições articulavam-se cada vez

54

História do Brasil
mais no sentido da abertura. Em 1982
já ocorreram às primeiras eleições
diretas para os governadores de Estado
e, no ano seguinte, iniciou-se uma das
campanhas de maior mobilização de
civis que houve na história do Brasil: a
campanha das “Diretas já!”.

Tal campanha levantava a bandeira da
eleição direta para presidente com o
lema “eu quero votar para presidente”.
No entanto, para que pudesse ocorrer
eleição direta para presidente era
preciso se fazer aprovar uma Emenda
Constitucional. Quem propôs o projeto
de emenda foi o deputado do PMDB,
Dante de Oliveira. Porém, mesmo com
a realização de uma grande campanha
nacional com comícios e passeatas,
inclusive com a participação de artistas
e personalidades políticas públicas, a
emenda não foi aprovada.

NOVA REPÚBLICA (1985-...)
Um dia antes de tomar posse, o que
deveria ocorrer em 15 de março de
1985, Tancredo Neves foi hospitalizado.
Depois de ser submetido a seis
cirurgias, Tancredo Neves faleceu no
dia 21 de abril de 1985. Com a morte
de Tancredo, a presidência do Brasil foi
entregue ao então vice-presidente, José
Sarney.

Prof. Adeíldo Oliveira

1. O Governo de José Sarney (19851990)

Em 1985 foi eleito vice-presidente de
Tancredo Neves, por um Colégio
Eleitoral. Diante da morte de Tancredo
Neves,
assumiu
oficialmente
a
presidência.

Os planos econômicos e as tentativas
de conter a inflação

Em 1986, a inflação era extremamente
alta. Em 1986, o Ministro da Fazenda,
Dílson Funaro, apresentou à nação seu
plano de estabilização econômica, o
Plano Cruzado. Esse plano estabelecia
o congelamento dos preços e dos
salários, além do tabelamento de uma
série de produtos, principalmente
alimentícios. Foi lançada ainda uma
nova moeda, o Cruzado, em
substituição ao Cruzeiro; e instituiu-se
o “gatilho salarial”, que reajustava
automaticamente os salários, toda vez
que a inflação acumulasse 20%.

O uso político do plano pelo PMDB e
PFL impediu que o ministro Funaro
realizasse
ajustes
às
medidas
estabelecidas pelo plano, contribuindo
para o seu fracasso. O boicote
praticado por empresários e grandes
comerciantes com a cobrança do ágio
(lucro sobre a diferença de valor da
moeda), provocou a crise do
desabastecimento. A liberação dos
saques na caderneta de poupança pelo

55

História do Brasil
governo despejou uma grande soma de
dinheiro no mercado, contribuindo
para a especulação e a volta da
inflação. Sem condições de salvar o
plano, Dílson Funaro pediu demissão
do cargo, e para seu lugar foi nomeado
o economista Luis Bresser Pereira. O
ministro Bresser Pereira tratou
imediatamente de elaborar um novo
plano econômico – o Plano Bresser.

O novo plano também estabeleceu o
congelamento de preços e salários, e
propôs reduzir gastos do governo. O
ministro Bresser Pereira não obteve
apoio substancial por parte do governo,
vindo a deixar o cargo. Com a saída de
Bresser Pereira, coube a Maílson da
Nóbrega assumir o Ministério da
Fazenda. Maílson elaborou o Plano
Verão, que também determinou o
congelamento de preços e salários. Foi
adotada uma nova forma de reajuste
salarial, os juros bancários foram
elevados para conter o consumo, e o
Cruzado foi substituído pelo Cruzado
Novo. O Plano Verão também resultou
em fracasso. De fevereiro de 1989 até
fevereiro de 1990, a inflação
acumulada atingiu 1.200%.

A Constituição de 1988

Em 5 de outubro de 1988, a
Constituição
foi
promulgada,
apresentando
as
seguintes
determinações:

Prof. Adeíldo Oliveira

•Direito de voto aos analfabetos
(facultativo);
•Voto facultativo dos 16 aos 18 anos, e
obrigatório dos 18 aos 70 anos;
•Licença paternidade de 5 dias;
•A prática do racismo constitui crime
inafiançável e imprescritível, sujeito à
pena de reclusão, nos termos da lei;
•Garantia aos índios a posse da terra
que já ocupam tradicionalmente,
competindo à União demarcá-las.

2. O Governo de Fernando Collor
(1990-1992)

Fernando Affonso Collor de Mello foi
eleito presidente 1989, vencendo o
candidato Luiz Inácio Lula da Silva no 2º
turno das eleições.

No início do seu governo foi elaborado
um novo plano econômico, o Plano
Collor. Esse plano foi acompanhado de
um programa de privatização das
empresas estatais e de grande abertura
do mercado brasileiro às importações e
à entrada do capital estrangeiro no
país. Essas medidas significaram o início
e a consolidação do neoliberalismo no
país.

O plano foi responsável ainda por uma
nova troca de moeda, com a
substituição do Cruzado Novo pelo
Cruzeiro Novo, e pelo confisco,
realizado pelo Banco Central, pelo
período de 18 meses, de todos os

56

Em maio de 1993. caderneta de poupança e outras aplicações financeiras superiores a cinqüenta cruzeiros novos. para ganhar as licitações de obras públicas. Esse plano estabeleceu as seguintes medidas: •Continuidade de abertura do mercado brasileiro às importações e ao capital estrangeiro. Na eleição presidencial de 1994. deixando-a em 1º de janeiro de 1995. •Criação de uma nova moeda. o Congresso Nacional empossou o vice. mas de nada adiantou. como novo presidente do país. justamente para escapar da cassação. já previsto pela Constituição de 1988. O povo optou pela República Presidencialista. de •Elevação da taxa de juros. o Real. Com afastamento de Collor da presidência. O Governo de Itamar Franco (19921994) Itamar Franco é natural de Minas Gerais. entre eles Paulo César Farias. 3. O novo ministro da fazenda elaborou um novo plano econômico.História do Brasil saldos depositados em conta corrente. de sua mulher. que foi introduzido definitivamente em 1º de julho de 1994. Em 1991. Nele a sociedade foi convocada a escolher a forma de governo (República ou Monarquia) e o regime de governo (Presidencialismo ou Parlamentarismo). Em pouco tempo veio a público o esquema PC. Fernando Henrique Cardoso foi eleito Prof. Em dezembro de 1992. a imprensa começou a divulgar reportagens sobre atos de corrupção envolvendo pessoas ligadas ao governo. que foi afastado do cargo e teve seus direitos políticos cassados por 8 anos. Fernando Henrique Cardoso assumiu o Ministério da Fazenda. cujas investigações concluíram tratar-se de uma empresa de Paulo César Farias para a qual empresários pagavam propinas. O dinheiro arrecadado pelo esquema PC era movimentado por meios de contas fantasmas e servia para pagar contas particulares do presidente. Assumiu a presidência da República em caráter definitivo no dia 29 de dezembro de 1992. o Plano Real. além de rechear contas particulares no exterior. No dia 21 de abril de 1993 foi realizado um plebiscito nacional. Fernando Collor de Mello havia renunciado em setembro. o tesoureiro da campanha presidencial de Collor. o Senado Federal decidiu pelo impeachment do presidente. Itamar Franco. •Continuidade da política privatização de estatais. Adeíldo Oliveira 57 .

ambas no primeiro turno. (PMCE / 2008) 1.História do Brasil presidente no primeiro turno. •Aprovação da reforma da Previdência. A Revolução de 1930 inaugurou a Era Vargas e o início da modernização do país. Foi eleito presidente duas vezes. não houve efetiva ruptura com o passado colonial.(X)A pequena propriedade de terras prevaleceu no Brasil colonial. ANEXO PROVAS DE HISTÓRIA APLICADAS EM CONCURSOS DA ÁREA MILITAR (PM/CBM) POLÍCIA MILITAR – CEARÁ (2008) A colonização do Brasil assentou-se. restaurou-se a democracia. que culminaram com o golpe de 1964. vencendo o candidato da oposição. e da nova lei de aposentadoria. no latifúndio. Adeíldo Oliveira 58 . 2. •Privatização do sistema de distribuição de energia. Prof. Luiz Inácio Lula da Silva. por exemplo. 4. Depois da ditadura do Estado Novo. fundamentalmente.(X)O centro-oeste foi a primeira área do território brasileiro a ser ocupada pelos colonizadores. Proclamada a independência. com forte exclusão social e processos políticos viciados. governadores e prefeitos (1997). julgue os itens a seguir. cujo grande marco definidor é a Constituição de 1988. eliminando a estabilidade de emprego de servidores. na monocultura e no trabalho escravo. representou o domínio das oligarquias. O Governo de Fernando Henrique Cardoso (1994-2002) Fernando Henrique Cardoso é natural do Rio de Janeiro (RJ). somente se deu em fins do século XIX. Após 21 anos de regime militar. A abolição da escravidão. da Companhia Vale do Rio Doce e da Telebrás. o país iniciou o processo de aprendizado democrático em meio a crises agudas. vencendo Luiz Inácio Lula da Silva. ainda assim inconclusa. Fatos marcantes no período: •Aprovação da Emenda Constitucional que permitiu a reeleição para cargos do Executivo – presidente da República. A República Velha. Itamar Franco ocupou o Ministério das Relações Exteriores e o Ministério da Fazenda. Considerando as informações acima e os aspectos significativos da História do Brasil. nascida de um golpe de Estado. No governo FHC. que passou a ser por tempo de contribuição – 35 anos para homens e 30 anos para mulheres.

14. ainda persistem no país históricas desigualdades sociais e regionais.(X)O regime militar iniciado em 1964 impediu que políticos nordestinos.(X)Durante o regime militar. 6. Adeíldo Oliveira 17.(X)A redemocratização. 16. 8. GABARITO 01 02 03 E E C 11 12 13 C E C 04 C 14 C 05 E 15 C 06 C 16 C 07 E 17 C 08 E 18 E 09 C 19 C 10 E 20 E CORPO DE BOMBEIROS MILITAR – ESPÍRITO SANTO (2008) A colonização do Brasil foi um empreendimento estatal que contou com a forte presença da iniciativa privada. cujo símbolo foi a Companhia Siderúrgica Nacional.(X)Fernando Collor foi o primeiro presidente civil eleito pelo voto direto no Brasil após o fim do regime militar. 9.(X)A independência do Brasil foi um ato de total rompimento com as estruturas coloniais. entre as quais 59 . foi marcada por sucessivas crises. 11. 10. o voto secreto garantia a lisura das eleições. o Brasil iniciou sua moderna industrialização.(X)Um dos marcos do governo Juscelino Kubitschek foi a construção de Brasília.(X)O trabalho escravo africano foi largamente utilizado no Brasil Colônia e até mesmo após a independência. 5.(X)A Constituição de 1988 enfatiza os direitos e as garantias individuais e sociais. a economia colonial brasileira. Prof.(X)Nas últimas décadas.(X)Durante todo o regime militar.(X)No Império e durante boa parte da República. iniciada com a queda do Estado Novo.(X)Embora o Brasil tenha avançado bastante. 20. sepultando definitivamente as oligarquias locais.(X)A Revolução de 1930 foi particularmente ativa no Ceará. a economia cearense tem procurado acompanhar o processo de modernização econômica do país e se inserir na chamada globalização. 18. não chegando a conhecer momentos de expansão considerável. 4. por muito tempo.(X)A cana-de-açúcar sustentou.História do Brasil 3. 19. A divisão do território em capitanias hereditárias.(X)A Era Vargas foi plenamente democrática.(X)A abolição da escravidão no Brasil garantiu a efetiva inclusão social dos antigos escravos e de seus descendentes. assumissem cargos de projeção nacional.(X)Na República Velha. o café foi o principal produto brasileiro de exportação. 7. 13. os presidentes eram eleitos indiretamente. a economia brasileira retrocedeu. 15. com a transferência da capital brasileira para o interior do país. 12. como os cearenses.(X)Com Vargas.

7. questão que se arrastou ao longo do tempo e chegou à contemporaneidade.(X)Com Vargas. Adeíldo Oliveira 60 . ditatorial. em 1822. além de ter editado leis de proteção ao trabalho. razão pela qual não envolveu a porção litorânea da colônia. 9.(X)O regime militar instaurado em 1964 foi autoritário. A implantação da República.(X)A hereditárias foi uma medida de exceção Prof.(X)Apesar de indireta.História do Brasil a do Espírito Santo. de grande estabilidade política e sem incidentes de maior gravidade. três anos depois. o país começou a se modernizar. Com a Era Vargas (1930-1945). inclusive quanto à sociedade patriarcal. (CBM-ES / 2008) 1. a eleição de Tancredo Neves simbolizou o fim do regime militar. que teve na Companhia Siderúrgica Nacional seu grande símbolo. o Brasil incentivou a indústria de base. com eleições fraudulentas. relativos à História do Brasil. 5. julgue os itens a seguir. vigente até o golpe militar de 1964. poucos eleitores e voto a descoberto.(X)A República Velha (1889-1930) foi essencialmente oligárquica. O regime militar (1964-1985) avançou na modernização econômica em meio ao autoritarismo político. A independência.(X)O período democrático pós-Estado Novo. monocultura e escravidão. o Estado português monopolizou o processo de colonização do Brasil. atitude que também atendeu aos interesses capitalistas britânicos. e territorialmente limitada. mas assinalada por diversas crises. a saber. não democratizou o Estado. 8. 6. latifúndio. no Estado Novo. 4. foi tranquilo. em 1889. 10. 2. Entre 1945 e 1964.(X)Ao se tornar independente de Portugal. o Brasil aboliu logo em seguida o trabalho escravo. Tendo o texto acima como referência inicial. o que afastou a presença de particulares nas atividades econômicas coloniais. a nova democracia foi sacramentada com a Constituição Cidadã (1988). O poder civil retornou em 1985 e. criação das capitanias 3. mas sob regime crescentemente centralizado e. foi o ponto de partida para a concentração de terras em mãos de poucos. manteve a estrutura colonial básica. mas não chegou a fechar o Congresso Nacional nem fez uso de medidas repressoras.(X)A cana-de-açúcar teve no Nordeste seu núcleo essencial e foi determinante para a configuração colonial do Brasil. o Brasil conheceu inédita experiência democrática.(X)A Carta de 1988 é conhecida pela ênfase aos direitos individuais e sociais e pelo comprometimento com a expansão e a consolidação da cidadania.(X)À época absolutista.

sob escolta da Armada inglesa. acompanhado da corte e da família real portuguesa. manteve inalterado o sistema colonial montado por Portugal no Brasil. Sob a estabilidade aparente do Império brasileiro (uno e indivisível). p. de grande poder e complexidade administrativa asfixiante. termos que se tornaram correntes em momentos sucessivos. de fato. (PM-AC / 2008) 1. dando-se estatuto privilegiado à Inglaterra. Ao final. em que assumiu a presidência da República o gaúcho Getúlio Vargas. cristalizandose em um modelo político burocrático. também marcado pelo domínio das grandes propriedades e pela larga utilização da mão-de-obra escrava. logo seguida da proclamação da República (1889). acontecimentos decisivos para a implantação de uma ordem capitalista moderna. subdesenvolvido. 61 . deu-se a Abolição da Escravatura(1888). em substituição ao trabalho escravo. São Paulo: SENAC. História do Brasil: uma interpretação. Abriram-se os portos “às nações amigas”. Prof. 2008. com a chegada de D. inaugurou um longo e turbulento período histórico de reformas. da colônia aos dias de hoje. contra-reformas e tentativas de superação da condição de país atrasado. fugindo das tropas de Napoleão.História do Brasil GABARITO 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 C E E C E C C E E C POLÍCIA MILITAR – ACRE (2008) Pode-se dizer que. Adriana Lopez e Carlos Guilherme Mota. No longo processo que levou à Independência.(X)Extração vegetal.(X)A português para o Brasil. sob forte pressão Inglesa. cana-de-açúcar e mineração foram importantes atividades econômicas do período colonial brasileiro. articulou-se o complexo sistema oligárquico-imperial escravista (1822-1889). João VI. 3. Período que se encerrou com o golpe de 64.639 (dom adaptações) Tendo o texto acima como referência inicial e considerando aspectos marcantes da história brasileira. já nacionalizado. assistiu-se a uma longa sucessão de lutas e conflitos. Adeíldo Oliveira levantes. transferência do Estado 2. julgue os itens. deveu-se às circunstancias da política européia naquele período. instalando um regime ditatorial que se prolongou pelos vinte anos seguintes. repressões.(X)A Abertura dos portos brasileiros. determinada por D. acabariam por mudar bastante a fisionomia do novo Estado-nação. sua protetora. em princípios do século XIX. periférico e dependente. 305-306. João VI. a imigração européia e a introdução do trabalho assalariado. A Revolução do 1930. Concomitantes. o século XIX brasileiro teve início somente em 1808. de caráter civilmilitar.

História do Brasil 4. 15. capangas e populações indígenas. 8. estavam os grandes proprietários rurais e os 4 grandes comerciantes das cidades do litoral. os pequenos mineradores e comerciantes. como na luta pela anistia e pelas eleições presidenciais diretas (Diretas Já). com pequena burocracia e reduzida participação das elites nacionais. 11.(X)A organização políticoadministrativa do Império brasileiro caracterizou-se pela simplicidade. Vargas tornou-se figura central na política republicana brasileira. além dos funcionários 7 públicos.(X)O texto deixa claro que não se pode falar em autoritarismo como característica do regime militar iniciado em 1964. agregados das fazendas. sem crises políticas de maior intensidade. que se revezaram no poder por cerca de duas décadas.(X)Mesmo sendo indireta. em fins do século XIX. 7. a abolição da escravatura e a proclamação do regime republicano pertencem ao mesmo contexto histórico. 13.(X)No Brasil.(X)A participação popular. No topo da pirâmide. particularmente na economia.(X)O desenvolvimento foi marca registrada do governo Juscelino Kubitschek.(X)A Revolução de 1930 pôs fim à Primeira República e fez o país avançar no sentido da modernização. a eleição de Tancredo Neves para a presidência da República encerrou o ciclo do autoritarismo militar no Brasil Contemporâneo. que começa a desenvolver uma indústria de base. 10. 6.(X)Embora tendo governado por pouco tempo. estavam os artesãos. com muitas obras de infraestrutura e a construção da nova capital brasileira. No meio.(X)Primeiro país industrializado e capitalista. Adeíldo Oliveira 12. 9.(X)Após a Ditadura do Estado Novo. esteve presente nos últimos anos do regime militar. Na 62 . localizavam-se os pequenos proprietários rurais e urbanos.(X)A distância no tempo entre a chegada dos imigrantes e o fim da escravidão impediu que o Brasil acompanhasse a evolução econômica e social vivida pelo mundo na passagem do século XIX ao XX. 5. o Brasil viveu uma experiência democrática entre 1946 e 1964. Prof. a Inglaterra tinha interesse no fim da escravidão. Mais abaixo.(X)O golpe de 64 foi obra exclusiva dos militares. GABARITO 01 02 C C 09 10 E E 03 E 11 C 04 E 12 E 05 C 13 E 06 C 14 C 07 E 15 C 08 C 16 * POLÍCIA MILITAR – ESPÍRITO SANTO (2007) A economia colonial brasileira gerou uma divisão de classes muito hierarquizada e bastante simples. 14. situada no interior do país.

dez anos mais tarde. julgue os itens seguintes. e da escravidão. Na República. 2004. Fundamentos da política e da sociedade brasileira. Prof. período colonial. 4.(X)A Lei Áurea extinguiu o tráfico de escravos africanos para o Brasil. p. em 1888. Vem da colônia um aspecto essencial da política 13 brasileira: a mistura. a produção de máquinas sofreu forte redução. mourejavam os escravos. avançando. o conluio. a escravidão estava largamente instalada no Brasil. político e social. 8. 25 com a indústria automobilística e. 5. os 2.(X)Nos períodos colonial e imperial. que leva o nome de patrimonialismo e que tem no clientelismo um poderoso resíduo.(X)A ocupação do território brasileiro ocorreu do interior para o litoral. In: Lúcia Avelar e Antônio Octávio Cintra (orgs. São Paulo: UNESP. (PM-ES / 2007) 1. Adeíldo Oliveira Tendo o texto como referência inicial e considerando aspectos marcantes da história do Brasil. 11.(X)A nítida separação entre o público e o privado acompanha a trajetória brasileira desde o início da colonização. flexível e democrática.História do Brasil base. As relações entre essas classes 10 se baseavam em combinação variada de violência (relação senhor – escravo) e paternalismo (entre ricos e pobres). na década de 50. entre o poder estatal e o poder privado. 24-9 (com adaptações). o ano de 1930 foi um divisor de águas.(X)O fenômeno do coronelismo no Brasil é recente e surgiu com a industrialização do país. 9.(X)A Segunda Guerra Mundial impulsionou a industrialização brasileira. Rio de Janeiro:Fundação Konrad Adenaur-Stiftung. 7. na década de 70. 63 .(X)No regime militar (1964-1985). a Segunda Guerra Mundial aceleraram o processo de industrialização. 10. 3. A crise de 1929 e. Um dos melhores 16 exemplos de como se mesclaram entre nós o poder do Estado e o dos particulares é o coronelismo.(X)As crises econômicas mundiais que marcaram o século XX não atingiram o Brasil.(X)A instalação da indústria automobilística no Brasil ocorreu no governo JK. que não mais se interrompeu.(X)A sociedade colonial brasileira era aberta.). 6.(X)No latifundiários concentravam poder econômico. A principal mudança social ocorrida no Império foi 19 a abolição do tráfico de escravos. a partir do qual houve grande aceleração nas 22 mudanças. Sistema político brasileiro: uma introdução. com a produção de máquinas e equipamentos. em 1850. José Murilo de Carvalho.

01. providenciou a construção de pontes e de obras sanitárias. E) somente III e IV. à recuperação dos canaviais e à compra de escravos.(X)Chamada Constituição de 1988 enfatiza direitos e garantias individuais e coletivos. para abrigar os calvinistas e interromper a produção de açúcar no Nordeste brasileiro. II e III. GABARITO 01 02 E C 08 09 C C 03 E 10 E 04 E 11 E 05 E 12 C 06 C 13 C 07 E 14 C PM-CE 2012 . III e IV. analise as alternativas a seguir. O movimento denominado Batalha dos Guararapes teve início com a chegada ao Brasil do conde Maurício de Nassau. O empenho da burguesia holandesa em romper o bloqueio econômico. I. II. predominou o trabalho escravo indígena nos engenhos de açúcar do Nordeste brasileiro. a Companhia das Índias Ocidentais concedeu crédito aos Senhores de Engenho.CESPE No que se refere a períodos significativos da história do Brasil. III. No governo federal. O parlamentarismo no Brasil foi instalado durante o Segundo Império. 1973) 01. Sobre a Invasão Holandesa em Pernambuco. uma colônia de povoamento. predominou a defesa dos interesses da oligarquia agrária. Neste Brasil holandês. 04. Getúlio Vargas enviou tropas brasileiras para lutarem ao lado dos alemães na II Guerra Mundial. Tem lugar pra o português e para o banco de Amsterdã” (Francisco Buarque de Holanda e Rui Guerra. durante a chamada República Velha. imposto por Felipe II. no Brasil. O elogio da tradição. nomeado Governador–Geral do Brasil holandês. com a criação da função de presidente do Conselho de Ministros. 64 . destinado ao reaparelhamento dos engenhos. julgue os itens subsequentes. dotou a cidade de um jardim botânico. Durante a ditadura do Estado Novo. IV. Calabar. Durante o Governo de João Maurício de Nassau. Estão corretas A) somente I. D) somente II e IV. de um jardim zoológico e de um observatório astronômico.(X)A chegada de Getúlio Vargas ao poder ocorreu com a Revolução de 1930.(X)A eleição indireta do presidente Tancredo Neves assinalou o fim do regime militar. 7. Durante o período colonial. O Governo de Nassau urbanizou o Recife. de cidadã. 13. B) somente I.História do Brasil 12. a 14. 03. 02. Prof. pág. tinha a finalidade de fundar. Adeíldo Oliveira (PM-ES / 2007) “E se a lição foi aprendida A vitória não será vã. C) somente I e III.

podemos constatar: I. a escravidão no Nordeste. que provocou muita fome no Nordeste. I. e a crise da agricultura. III e IV. C) somente I. deixando de pagar os juros da dívida externa. Tinha como objetivo proclamar uma República e abolir. B) somente II e III. III e IV. IV. IV. 65 . afetando a produção do açúcar e do algodão. II. II. o Brasil voltou a conviver com regras democráticas constitucionais. III e IV. B) Somente I. a moratória. D) Somente II. para manterem seu poder inabalado. III e IV. Dentre as afirmativas apresentadas. E) I. Foi a única rebelião anterior à independência política do Brasil que ultrapassou a fase da conspiração. determinaram o fim da inflação e praticamente extinguiram as desigualdades sociais no Brasil. II e III. As medidas. II. iniciado com a renúncia de Jânio Quadros em 1961. A) Somente I. III e IV. 04. B) somente II. III e IV. Teve como principais causas o aumento dos impostos. C) Somente I. considere as afirmativas a seguir. Os golpistas procuraram definir esse assalto à democracia como uma revolução. Durante os governos militares. Os últimos dez anos da história econômica brasileira foram marcados por intenso processo de privatização e de abertura do mercado ao capital estrangeiro. os militares tomaram o poder e implantaram uma ditadura no Brasil. Em janeiro de 1987. II e III. II e IV. 03. Analise as afirmativas referentes à História do Brasil atual. visto que membros do governo não se Prof. imediatamente. Adeíldo Oliveira mostravam dispostos a dialogar com os diversos setores da sociedade. E) I. Os rebeldes tomaram o poder e permaneceram no governo por mais de 70 dias.História do Brasil 02. II e IV. C) somente I. Liberdade e Fraternidade. a grande seca de 1816. E) I. II. Uma das características dos governos militares foi o autoritarismo. unilateralmente. III e IV. II e III. D) somente I. Foi organizada. prisão e expulsão do país foram instrumentos utilizados pelos governos militares contra alguns cidadãos. o Governo Sarney foi obrigado a decretar. Em 1964. III. Tortura. Após o movimento “Diretas-já”. II. III. adotadas pelo Governo Fernando Henrique Cardoso. que inspiravam a Revolução Francesa. III e IV. são verdadeiras A) somente I e IV. Os itens corretos são A) somente I. IV. II. O golpe militar de 1964 representou a culminância do processo de crise do populismo. conforme os ideais da Igualdade. Sobre a Revolução Pernambucana de 1817. Assinale a alternativa que contém as afirmativas corretas. I. III. D) somente I.

foi garantida. Na ausência de poderosa classe burguesa capaz ela própria de regular as relações sociais por meio dos Prof. 5 O Império brasileiro foi dominado por uma burguesia mercantil que desejava implantar o modelo político britânico nos trópicos. O novo plano econômico.História do Brasil 05. II. no Império. 177 (com adaptações). considere as afirmações a seguir. previa o congelamento dos preços e salários e confisco das contas bancárias. de consolidação de um comando nacional. 2 As instituições políticas do Império foram forjadas para proporcionar a formação de um Estado forte o suficiente para garantir a estabilidade. Fernando Collor de Mello tinha como programa de Governo privatizar empresas estatais. Em maio de 1993. de protecionismo econômico. 4 A ordem imperial foi garantida sempre pela força militar do Estado. B) somente I e III. 1 No Brasil imperial. A elite política imperial. visando estabelecer alianças na luta contra o desemprego. tomar a iniciativa de medidas de unificação de mercados. na economia e na segurança. destacando a força do Estado. José Murilo de Carvalho. A Revolução de 1930 foi um marco na história nacional. D) somente I e IV. julgue os itens abaixo. ela está quase sempre associada à figura emblemática de Getúlio Vargas. em vigor desde o começo dos anos 90. o Ministro da Fazenda. caberia ao Estado. A construção da ordem. o Plano Real. E) somente II e IV. GABARITO 01 02 03 04 05 06 07 C D E D D * * mecanismos do mercado. combater os monopólios. Sobre o Brasil Contemporâneo. Estão corretas A) somente I e II. 3 A consolidação de um comando nacional unificado. C) somente II e III. Com o auxílio do texto. de destruição de privilégios feudais. por pretender a valorização das organizações trabalhadoras. QUESTÃO 27 02. Brasília: EDUnB. IV. O modelo político brasileiro. p. a Nação foi formada antes do Estado. (PM-DF / 2001) 01. é considerado por muitos como neoliberal. No texto acima. 1980. Fernando Henrique Cardoso. Adeíldo Oliveira 66 . I. anunciou as primeiras medidas para estabilizar a economia. III. graças à existência de uma forte classe média. Com a saída de Fernando Collor do governo do país. Criadora de um modelo econômico-social que perdurou até os anos 80. abrir o país à concorrência internacional e desburocratizar as regulamentações econômicas. como coube nos primeiros passos das próprias sociedades burguesas de êxito. o vice-presidente Itamar Franco foi empossado na presidência. o autor descreve o poder e a ordem no Império brasileiro.

(et ali). QUESTÃO 28 03. 4 A herança de Vargas fez-se presente em vários momentos da história política pós-1930. Brasília é fruto de um sonho político: o da transferência da capital para o coração do país. como já se fizera no período Prof. ECEEE 02. Rubim S. 1 Vargas. Sociedade brasileira: uma história através dos movimentos sociais. 2000. 67 . de porte nacional. teve uma longa história. foram criados por Vargas ou sob sua tutela e orientação.historiatotal@gmail. enfrentou apenas pequenas resistências políticas internas diante da grandeza dos seus objetivos. ECCCC 03. envolvendo migrações internas e o nascimento da figura do candango. 3 A política do café-com-leite. que prejudicava a inserção de outras elites políticas na vida nacional. 5 Partidos políticos como o PTB e o PSD. julgue os itens a seguir.História do Brasil A respeito de Vargas e da Revolução de 1930. 2 A erupção política que levou Vargas à liderança da Revolução de 1930 esteve umbilicalmente ligada à cisão no poder das oligarquias da República Velha. particularmente na formatação do modelo econômico industrialista e nacionaldesenvolvimentista. ao encaminhar o projeto de construção de Brasília. Leão de. não alterou a dinâmica econômica da região em torno da qual a nova capital foi implantada. 1 O conhecido sonho de Dom Bosco permaneceu no imaginário dos inventores de Brasília como uma aspiração de ocupação do interior do país. A respeito dos fatos que antecederam a criação de Brasília bem como seus desdobramentos atuais. 4 A organização social e política do atual Centro-Oeste brasileiro antes da transferência da capital para Brasília estava marcada pelo seu isolamento em relação ao próprio país. foi uma das justificativas para a movimentação que levou Vargas ao processo revolucionário de 1930. CEECC ad. julgue os itens que se seguem. possuía sólida base partidária. matrizes do modelo populista de Estado. traduz o alto impacto social gerado em regiões de imigrantes bem como permite a construção de certa dimensão épica atribuída à fundação da cidade. Essa imaginação. 2 A proposta efetiva de transferência da capital. de Salvador para o Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Record. 5 A saga das famílias que vieram para a construção de Brasília. que culminou em 1960. o que viria permitir sua rápida emergência ao poder. às vésperas da Revolução de 1930. 3 Juscelino Kubitschek. GABARITO 01.com BIBLIOGRAFIA · AQUINO. Adeíldo Oliveira colonial. cultivada pelas elites brasileiras.

68 . Rio de Janeiro: Edições Graal. São Paulo: Cia. Sérgio Buarque de. 25 · VILLA. Brasil: de Getúlio a Castelo. Thomas. 1982. pág. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo. das Letras. 2006. História concisa do Brasil. Cia das Letras. Adeíldo Oliveira · SEVCENKO. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na primeira republica. 2011.História do Brasil · FAUSTO. · MOTA. 2003. História do Brasil: uma interpretação. São Paulo. Nicolau. Prof. Michel. Boris. São Paulo: SENAC São Paulo. Raízes do Brasil – 26ª edição. 2 ed. · HOLANDA. Microfísica do Poder. 1995. São Paulo: Leya. · SKIDMORE. 1979. · FOUCALT. Rio de Janeiro: Paz e Terra. Carlos Guilherme & LOPEZ. Adriana. 2 ed. Marco Antônio. A história das constituições brasileiras. 2008.