You are on page 1of 23

Introdução ao Uso do GNU/Linux 

Ubuntu

Por:
Anderson Peixoto
Luciano Araújo

Por que usar o Ubuntu

É livre;
Convivem sem nenhum tipo de conflito com outros sistemas operacionais
(com o DOS, Windows) no mesmo computador;
Multitarefa real;

Multiusuário;

Suporte a nomes extensos de arquivos e diretórios (255 caracteres) ;

Conectividade com outros tipos de plataformas como Apple, Sun,
Macintosh, Sparc, Alpha, PowerPc, ARM, Unix, Windows, DOS, etc;
Utiliza permissões de acesso a arquivos, diretórios e programas em
execução na memória RAM;
Proteção entre processos executados na memória RAM;

O sistema roda bem em computadores 386Sx 25 com 4MB de memória RAM (sem rodar o sistema gráfico X. falha em algum hardware (queima do processador. tanto em 32 ou 64 bits. liberando totalmente a memória assim que o programa/dispositivo é finalizado. assim processadores como Dual Core. Não há a necessidade de se reiniciar o sistema após a modificar a configuração de qualquer periférico ou parâmetros de rede. Suporte nativo a múltiplas CPUs. .Continuando..O Linux somente carrega para a memória o que é usado durante o processamento.). Quad Core tem seu poder de processamento integralmente aproveitado.. ● ● ● ● ● Suporte a mais de 63 terminais virtuais (consoles). Core Duo. Athlon Duo. Não precisa de um processador potente para funcionar. etc. que é recomendado 32MB de RAM). placa mãe. Modularização . Somente é necessário reiniciar o sistema no caso de uma instalação interna de um novo periférico.

ainda! ● ● ● ● ● Suporte nativo a virtualização. NTFS. O crescimento e novas versões do sistema não provocam lentidão. acrescentar recursos úteis e melhor desempenho do sistema. a cada nova versão os desenvolvedores procuram buscar maior compatibilidade. Amiga. Acessa corretamente discos formatados pelo DOS. Windows. Mac. O LINUX NÃO É VULNERÁVEL A VÍRUS! Devido a separação de privilégios entre processos e respeitadas as recomendações padrão de política de segurança e uso de contas privilegiadas. . pelo contrário. SunOS. O GNU/Linux é distribuído livremente e licenciado de acordo com os termos da GPL. Atari.. OS/2. Novell.. etc.Continuando. onde o Linux se destaca como plataforma preferida para execução de múltiplos sistemas operacionais com performance e segurança. programas como vírus tornam-se inúteis pois tem sua ação limitada pelas restrições de acesso do sistema de arquivos e execução.

Mas existem em contrapartida distribuições voltadas a usuários dos mais diversos níveis e para todo tipo de uso que se possa imaginar. . Baixa quantidade de Jogos da plataforma Windows ainda não convertidos para Linux o que gera a ideia de incompatibilidade do Sistema.Fraquezas do Sistema Operacional ● ● ● Pré-conceito. O Linux requer que o usuário se capacite cada vez mais. a fim de que sua experiencia com o sistema seja cada vez mais positiva.

Instalando o Sistema .

Funções dos Diretórios do Sistema .

.Comandos Básicos do Shell ● Comando pwd (print name of current/working directory) Informa o nome do diretório corrente.

-r: lista os dados de forma reversa. -h: lista de forma legível o tamanho dos arquivos. -a: lista os dados. .Comando ls (list directory contents) ● Listas os dados de diretórios e subdiretórios. $ ls [Opções] [Arquivo/Diretório] Opções: -l: lista os dados de forma detalhada. -R: lista os subdiretórios encontrados.”. inclusive os começados por “.

sem reportar erro. $ mkdir <nome-do-diretório> Opções: -p: Cria diretórios pais.Comando mkdir (make directories) ● Cria um diretório vazio. abaixo do diretório corrente. .

Comando rmdir (remove directories) ● Remove diretórios sem conteúdo. $ rmdir <nome-do-diretório> .

Comando nano ● Cria e edita arquivos de texto nano <nome-do-arquivo> .

$ less <nome-do-arquivo> $ cat <nome-do-arquivo> $ tac <nome-do-arquivo> . tac. ● Visualizar conteúdo de um arquivo.Comando less. cat.

Comando rm (remove files or directories) ● Remove arquivos ou diretórios. I : Solicita confirmação antes da remoção. R: Remove o diretório especificado e seus conteúdos recursivamente. $ rm [opções] <arquivo> Opções: -i. -f: Ignora arquivos inexistentes e exclui os arquivos sem confirmação prévia. . -r.

~ Diretório Home do Usuário. Diretório atual. . / Diretório Raiz.Comando cd (Change Directory) ● Navega entre os diretórios do Sistema. . Diretório Anterior. .. .Ultimo diretório acessado.

-n: Não sobrescreve arquivos existentes. -u: Move apenas se o arquivo de origem é mais novo que o de destino ou se o arquivo de destino não existe. $ mv [Opções] <caminho-origem> <caminho_destino> Opções: -f: mover o arquivo sem confirmação prévia.Comando mv (move (rename) files) ● Move ou Renomeia Arquivo e Diretórios. . -i: Exige confirmação antes antes de mover.

-r: Copia recursivamente subdiretórios. $ cp [Opções] <caminho-origem> <caminho-destino> Opções: -i: Solicita confirmação antes de copiar.Comando cp (copy files and directories) ● Copia arquivos e diretórios. -v: Mostra o que está sendo copiado. diretórios e .

Comando su (change user ID or become superuser Alternar para outro usuário. $ su – {nome-usuário} .

a fim de que se possa desempenhar determinada tarefa.Comando sudo ● Permite obter privilégios de outros usuários por um tempo determinado. $ sudo “comando” $ sudo -u {nome-usuário} “comando” .

● Adiciona um novo grupo ao sistema.Comando adduser e addgrp ● Adiciona um novo usuário ao sistema. # adduser {nome-do-usuário} # addgrp {nome-do-grupo} .

Comando passwd ● Alterar a senha do usuário. # passwd {nome-do-usuário} .

Comando chmod (change file mode bits $ chmod string-de-acesso <nome-do-arquivo> 1 – Execução (x) 2 – Escrita (w) 4 – Leitura (r) Para se formar a string de acesso basta combinar os números acima. .

Upgrade – Faz uma atualização dos pacotes já instalados. Install – Instala ou atualiza um pacote a partir das fontes presentes em /etc/sources. Purge – Remo um pacote e seus arquivos de configuração. .list Remove – Remove um pacote.Comando apt-get ● ● ● ● ● Update – Atualiza para que as informações de pacotes novos e atualizados fique disponível.